UFSC na Mídia: diretor do CTC analisa corte de recursos para área de ciência e tecnologia

13/10/2021 11:03

O professor Edson Roberto de Pieri, diretor do Centro Tecnológico (CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), deu entrevista ao programa CBN Total, da rádio CBN, para comentar o corte de mais de R$ 600 milhões do orçamento de ciência e tecnologia. Recentemente, o Congresso aprovou medida encaminhada pelo governo de transferir recursos do orçamento do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) para outros seis ministérios.

A maior parte dos recursos estava destinada ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). Segundo o professor, o corte dos recursos é “catastrófico”, principalmente para as áreas básicas da ciência, que dependem dos órgãos de fomento do governo federal. “Quando temos um orçamento que cai de R$ 690 milhões, que já é muito baixo, para cerca de R$ 89 milhões, a gente sabe que vamos ter um ‘apagão’ da ciência nos próximos meses e no próximo ano”, afirmou.

Acompanhe a íntegra da entrevista.

Tags: ciência e tecnologiacortes orçamentáriosCTCUFSCUFSC na mídiaUniversidade Federal de Santa Catarina

Laboratório da UFSC desenvolve tecnologia inédita no Brasil para geração de energia eólica

06/10/2021 17:33

Um grupo de pesquisadores vinculados a um laboratório do Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está desenvolvendo uma inovadora tecnologia de geração de energia eólica, os aerogeradores com aerofólios cabeados (Airborne Wind Energy – AWE). A tecnologia consiste no tracionamento, por uma pipa (kite), de um cabo que está enrolado no tambor de um gerador que fica no solo. O estudo é pioneiro na América Latina, e a equipe de cientistas planeja lançar até o fim do ano um protótipo gerando energia, para assim conseguirem um financiamento para o projeto piloto nos próximos anos.

A pipa é conectada a um cabo que se distancia à medida que é compelida pelo vento, realizando uma trajetória em forma de oito até levar o cabo ao seu limite. Após isso, o cabo é puxado de volta para que seu ciclo se repita, de forma que a força necessária para puxar o cabo é apenas uma fração da energia produzida, conservando energia durante o processo. 

A unidade de solo pode ser facilmente transportada de um lugar para o outro

A tecnologia se diferencia das turbinas eólicas pela capacidade de captar ventos mais constantes, já que consegue alcançar uma altura de 600 a 800 metros, enquanto os equipamentos dos parques eólicos convencionais atingem em média 130 metros. Além disso, o equipamento é mais leve e acessível, pois o gerador que compõe a unidade solo é de fácil manutenção e os materiais da pipa são mais baratos.

O aerogerador também possui vantagens ecológicas, como o fato de cabos e tecido das asas serem recicláveis, facilitando o descarte dos recursos após a validade, enquanto o descarte dos materiais das torres eólicas está formando um verdadeiro “cemitério” desses materiais mundo afora. Como a asa opera em grandes altitudes, o ruído de deslocamento da asa e a poluição visual são menores.

“Também é possível, com tecnologia já existente, detectar a chegada de pássaros e desviar a operação da asa da rota de migração, evitando assim, a morte de muitos pássaros”, diz o pesquisador Alexandre Trofino.

Protótipo da unidade de voo do UFSCkite

Estudos preliminares de viabilidade econômica realizados por empresas européias no ramo e pela UFSCkite sugerem que a energia gerada com essa nova tecnologia poderá ser vendida a preços inferiores aos praticados pela tecnologia convencional baseada em torres.

Segundo o pesquisador, “o custo da instalação acaba sendo bem menor, talvez um décimo do preço de uma turbina eólica”. No entanto, a ideia é que esses dispositivos de energia renováveis não compitam entre si, mas que funcionem como um conjunto, priorizando o gerador de energia mais adequado em determinada área. 

Sobre o projeto:

O projeto UFSCkite é conduzido desde 2012 pelos professores Alexandre Trofino e Marcelo de Lellis e teve um reforço temporário dos engenheiros Roberto Crepaldi e Leonardo Papais. A iniciativa também é fruto de colaborações acadêmicas internacionais e de parcerias com empresas nacionais no desenvolvimento de equipamentos tecnológicos. É possível acompanhar os  testes em campo do aerogerador pelo canal do Yotube da UFSCkite.

No exterior, já existem versões mais desenvolvidas da tecnologia, como as empresas européias Kite Power e Skysails Power. Porém, diferentemente das empresas estrangeiras, o protótipo da UFSCkite é o único que é capaz de alçar voo sem a necessidade de ventos em baixa altitude. 

A expectativa do grupo é viabilizar comercialmente essa tecnologia no Brasil nos próximos anos, mas investimentos são necessários para poderem abrir uma empresa. Após os testes em curso com o protótipo atual, o grupo de pesquisadores estipula um prazo de quatro anos para construção da planta piloto e de três anos para transformá-la num produto comercializável. 

Roberto Crepaldi, ex-integrante da equipe, resume quem seria o público beneficiado com essa nova opção: “O mercado interessado seriam as pessoas que se interessassem em pagar mais barato na energia e para ter essa obtenção de energia de uma forma menos impactante”.

João Mesquita / Estagiário de Jornalismo da Agecom

 

Tags: aerogeradoresCTCEnergia elétricaEnergia EólicaUFSCUFSCkiteUniversidade Federal de Santa Catarina

Aluno de Engenharia Mecânica é premiado por artigo

29/09/2021 12:56

O aluno do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Victor Igor Berbare Lemos recebeu o prêmio de melhor artigo apresentado no 11º Congresso Brasileiro de Engenharia de Fabricação (Cobef), considerado o mais importante evento da área no país. Intitulado Caracterização e análise da soldagem plasma com alimentação dinâmica de arame, o trabalho premiado também contou com a participação do professor Régis Henrique Gonçalves e Silva, do doutorando Alisson Fernandes da Rosa e do estudante de Engenharia de Materiais Felipe Batista.

Organizado pela Associação Brasileira de Engenharia e Ciências Mecânicas (ABCM), o Cobef é um congresso bienal no qual, tradicionalmente, são apresentados trabalhos que abrangem diversos temas pertinentes aos processos de fabricação mecânica e suas áreas afins. Desde sua primeira edição, realizada em Curitiba em 2001, o evento tem contado com a participação de vários pesquisadores oriundos de universidades e centros de pesquisa nacionais e estrangeiros, bem como de profissionais da indústria nacional. Devido à pandemia de covid-19, sua 11ª edição foi realizada, pela primeira vez, de forma totalmente remota, por meio de sessões virtuais.

Tags: CTCEngenharia MecânicaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Embrapii credencia unidade na UFSC para projetos com a indústria na área de mobilidade

26/08/2021 12:37

Move – Unidade Embrapii de Máquinas e Equipamentos para Mobilidade funcionará nas dependências do Departamento de Engenharia Mecânica. Foto: divulgação

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) agora é sede de uma nova unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). A Move – Unidade Embrapii de Máquinas e Equipamentos para Mobilidade reúne 13 laboratórios, vinculados aos departamentos de Engenharia Mecânica e de Informática e Estatística, com a proposta de oferecer soluções completas de projetos para empresas. A iniciativa baseia-se na colaboração entre universidade e indústria e é desenvolvida no âmbito do Rota 2030, programa federal que visa ao desenvolvimento do setor automotivo do país e à ampliação de sua inserção global.

A UFSC foi contemplada, junto com outras sete universidades, na Chamada 01/2021, realizada com apoio do Ministério da Educação (MEC) e cujo resultado foi divulgado em julho. Segundo a Embrapii, o credenciamento de novas unidades pretende atrair empresas pela capacidade de geração de soluções tecnológicas das universidades e alavancar os recursos privados em inovação, à medida que o modelo de financiamento adotado exige a contrapartida financeira por parte do setor empresarial. No total, há 26 unidades Embrapii em 23 universidades federais, que estão à frente de 310 projetos de 197 empresas apoiadas, somando R$ 473 milhões em investimentos. A Move é a segunda unidade Embrapii na UFSC – o Laboratório de Pesquisa em Refrigeração e Termofísica (Polo) foi credenciado em 2014.

Para o pró-reitor de Pesquisa, Sebastião Roberto Soares, esse é um reconhecimento da competência científica e tecnológica instalada e consolidada na Universidade. O credenciamento, enfatiza ele, “corrobora a visão de oportunidades das sinergias da UFSC com diferentes segmentos da sociedade, aqui com ênfase em empresas industriais, em prol do fortalecimento da capacidade de inovação brasileira”.
(mais…)

Tags: CTCDepartamento de Engenharia MecânicaDepartamento de Informática e EstatísticaEmbrapiiindústriaIntegração universidade-indústriaMove - Unidade Embrapii de Máquinas e Equipamentos para MobilidadeUFSCunidade EmbrapiiUniversidade Federal de Santa Catarina

Evento incentiva o empreendedorismo na Universidade

23/08/2021 15:51

O Fundo Catarina, fundo patrimonial do Centro Tecnológico (CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), organiza a Semana do Empreendedor Universitário. Com a finalidade de promover o empreendedorismo entre os alunos da UFSC, o evento irá contar com quatro palestras on-line, nos dias 1º, 2, 7 e 8 de setembro.

Sete empreendedores participarão da atividade, sendo que seis são egressos da UFSC e hoje trabalham na área empreendedora. A proposta é apresentar um passo a passo, desde o lançamento de um negócio até a obtenção de investidores. 

O Fundo Catarina foi criado com o propósito de possibilitar oportunidades acadêmicas e profissionais para alunos do CTC. Formado por uma equipe de voluntários, busca promover iniciativas de alto impacto no ensino, na extensão e na pesquisa por meio da captação e da gestão de recursos financeiros.

O formulário de inscrições, a programação completa e demais informações podem ser obtidas no site do evento.

Tags: CTCEmpreendedorismoFundo CatarinapalestraSemana do EmpreendedorUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Grupos da UFSC desenvolvem projetos de carros autônomos

16/07/2021 11:32

Carros autônomos da UFSC ainda não estão em funcionamento, mas as equipes já fazem testes com o carro elétrico da Ampera Racing. Foto: divulgação/Ampera Racing

No Centro Tecnológico (CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), três grupos se uniram para o desenvolvimento de veículos autônomos – com capacidade de se deslocarem sem motoristas para conduzi-los –, com projetos que visam tanto ao uso em competições quanto nas ruas e estradas brasileiras. O trabalho envolve o Laboratório de Processamento de Imagens e Computação Gráfica (Lapix), a equipe de competição Ampera Racing e o Programa de Educação Tutorial – Metrologia e Automação (PET-MA) e reúne alunos de graduação e pós-graduação e profissionais de Ciências da Computação e das engenharias Elétrica, Eletrônica, Mecânica, de Produção Elétrica e de Controle e Automação, sob orientação do professor do Departamento de Informática e Estatística da UFSC Aldo von Wangenheim.

Os trabalhos ocorrem em duas frentes que se complementam e abrangem o desenvolvimento de software e hardware. Enquanto a Ampera Racing está focada em produzir um carro para levar para competições, em um trabalho pioneiro que pode colaborar para a implementação de disputas estudantis com automóveis do gênero no país, o Lapix se dedica a veículos que possam ser utilizados nas vias brasileiras – com suas estradas de terra, buracos e interrupções no pavimento, condições bastante diferentes daquelas dos países desenvolvidos com base nos quais a maioria dos modelos vêm sendo projetados mundo afora. Simultaneamente, membros do PET-MA preparam um protótipo para realização de testes de ambas as iniciativas.

Outro diferencial que os projetos da UFSC apresentam em relação aos demais veículos autônomos é a técnica empregada para reconhecimento de terreno e obstáculos. O sensor mais utilizado atualmente, chamado Lidar, baseia-se em um sistema de Iasers para mapear seus arredores. Apesar de individualmente eles não serem nocivos, os riscos que uma exposição ampliada e contínua possa oferecer aos pedestres preocupam os pesquisadores.
(mais…)

Tags: Ampera RacingCiência da ComputaçãoCTCengenharialapixPET-MAPrograma de Pós-Graduação em Ciência da ComputaçãoUFSCUniversidade Federal de Santa CatarinaVeículos Autônomos

Cocreation Lab recebe inscrições de projetos de estudantes do Centro Tecnológico

13/07/2021 16:53

O laboratório de ideação Cocreation Lab está com inscrições abertas para estudantes do Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina (CTC/UFSC). O foco do programa, que é gratuito, são estudantes universitários e projetos que utilizem tecnologia. O proponente deve ser aluno do CTC, mas a equipe pode contar com alunos de outros centros.

Para se inscrever, basta ter uma ideia de negócio que utilize algum tipo de tecnologia e precise de apoio para ser desenvolvida antes de ser lançada no mercado. Os selecionados participarão do programa durante cinco meses. Esta é a segunda turma do laboratório dentro da universidade. O professor Luiz Salomão Ribas Gomez, criador da pré-incubadora, afirma que tem sido uma experiência interessante oferecer o programa para os alunos do CTC: “Muitos estudantes têm o sonho de empreender e agora eles podem contar com apoio especializado para isso.”
(mais…)

Tags: abertas as inscrições para trabalho voluntárioCentro TecnológicoCocreation LabCTCestudantesLaboratório de IdeaçãoUFSC

Programa de ciência de dados recebe inscrições de alunos de graduação do Centro Tecnológico

26/04/2021 13:12

Alunos de graduação do Centro Tecnológico da UFSC podem se inscrever no Programa de Data Science oferecido pelo Fundo Catarina, Fundo de Endowment da UFSC em benefício do CTC/UFSC, em parceria com a consultoria Visagio, até o dia 16 de maio.

Ao longo de quatro semanas, e durante grande parte das férias acadêmicas da graduação, os aprovados receberão conteúdos teóricos sobre Ciência de Dados e deverão aplicar na prática o conhecimento adquirido. Além disso, o Programa contará com apresentações de projetos reais utilizando ferramentas de Ciência de Dados pela Consultoria Visagio, e um painel com profissionais da área para discutir as perspectivas de carreira e compartilhar dicas profissionais.

Para se inscrever, basta acessar http://bit.ly/CatarinaDataScience

 

 


Tags: Ciência de DadosCTCData ScienceUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC terá dois finalistas no Prêmio Inovação Catarinense

15/04/2021 13:14

A cerimônia para entrega do Prêmio Inovação Catarinense, realizado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação de Santa Catarina (Fapesc), ocorrerá no dia 27 de abril, a partir das 14h, totalmente on-line. Quem quiser acompanhar, poderá assistir pelo YouTube da Fapesc ou pelo Facebook. Serão premiados os três primeiros lugares com R$ 15 mil, R$ 10 mil e 5 mil.

Na categoria Agente da Inovação, o professor Régis Henrique Gonçalves e Silva representa a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ele é coordenador do Instituto de Soldagem e Mecatrônica (Labsolda), do Departamento de Engenharia Mecânica. Entre os resultados para o grupo, conseguiu um acordo de cooperação com instituições alemãs para intercâmbio de estudantes. Também realizou parcerias com grandes indústrias, como a WEG.

Ainda da UFSC, as estudantes do curso de Zootecnia Larissa Sobolewski Magassy Baptista e Manoela Karolina Ribeiro Santos disputam o primeiro lugar na categoria Projeto Acadêmico Inovador. Elas desenvolveram um biscoito assado para ajudar na saúde bucal dos cães. Como a falta de escovação dos dentes dos pets pode acarretar doenças, as jovens usaram extrato de romã e própolis para garantir a limpeza e o bem-estar animal.
(mais…)

Tags: CCACTCEngenharia MecânicaFapescLarissa Sobolewski Magassy BaptistaManoela Karolina Ribeiro SantosPrêmio Inovação CatarinenseRégis Henrique Gonçalves e SilvaUFSCZootecnia

Inscrições abertas para mestrado e doutorado em programa de Engenharia de Automação e Sistemas

13/04/2021 10:51

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Automação e Sistemas (PPGEAS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está com inscrições abertas para os cursos de mestrado e doutorado. O Edital N. 1/PPGEAS/2021 está disponível no site do programa

As inscrições para ingresso no semestre acadêmico 2021.1 vão até o dia 30 de abril, e o início das aulas está marcado para 14 de junho. O PPGEAS participa do Programa de Excelência Acadêmica pela CAPES com nota 6 (no máximo de 7).

Os pesquisadores do PPGEAS têm atuação destacada em pesquisa, tendo diversos projetos e cooperações com empresas e com instituições de excelência nacional e internacional, com possibilidade de intercâmbio. Mais da metade dos professores têm bolsa de produtividade em pesquisa do CNPq.

As linhas de pesquisa desenvolvidas no programa são:

– Controle;

– Automação e Sistemas Mecatrônicos;

– Sistemas Computacionais;

– Automação, Controle, Otimização e Instrumentação para Indústrias de Petróleo e Gás.

Mais informações no site do PPGEAS

Tags: CTCinscriçõespós-graduaçãoPrograma de Pós-Graduação em Engenharia de Automação e Sistemas (PPGEAS)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Docentes e estudante de Engenharia de Produção e Sistemas são premiados em evento sul-americano

13/04/2021 08:55

Três docentes e um estudante do Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas do Centro Tecnológico (EPS/CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foram premiados no 2nd South American Conference on Industrial Engineering and Operations Management (IEOM).

A professora Lucila Maria de Souza Campos foi condecorada com os títulos Woman in Industry and Academia Award e IEOM Outstanding Service Award. O professor Enzo Morosini Frazzon levou o prêmio Global Engineering Education Award. Já o docente Paulo Augusto Cauchick Miguel e o aluno de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) Gustavo Canaver Pedrinho ficaram na quarta colocação no Graduate Student Paper Competition Award.

Mais informações em ieomsociety.org/brazil2020

Tags: Centro TecnológicoCTCDepartamento de Engenharia de Produção e SistemasUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Laboratório da UFSC será um dos representantes brasileiros em feira de inovação na Colômbia

10/03/2021 13:03

O Laboratório Bridge, vinculado aos Centros Tecnológico (CTC) e de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), será um dos representantes brasileiros na feira colombiana Conecta, que trará palestras e stands com modelos de inovação em empresas e governos de todo o mundo. O evento online ocorre nos dias 17 e 18 de março e é organizado, entre outras entidades, pelo Ministério de Ciências da Colômbia, em parceria com a empresa de consultoria colombiana 10x Thinking, que fortalece o sistema de inovações no país.

O Laboratório Bridge irá compor um dos painéis da Conecta, que debate a saúde 4.0. Ele foi escolhido como um dos representantes de soluções inovadoras de sucesso que o Brasil possui e pode compartilhar com empresas e governos de outros países. Jades Hammes, CEO do Laboratório, será um dos palestrantes do evento e falará sobre os produtos desenvolvidos na Universidade por meio do Bridge e o impacto positivo que possuem na rotina de profissionais e pacientes em todo o país. “Quando o Brasil foi convidado para participar do evento, sobretudo para falar de saúde digital, logo pensaram na UFSC e no Bridge. Isso é uma validação de sucesso pra tudo que fazemos no Laboratório” ressalta Hammes. O Bridge é responsável por desenvolver softwares que trazem tecnologia de ponta para a saúde pública no Brasil.

Para se inscrever nas palestras ou saber mais sobre o evento, acesse o site oficial. Os painéis internacionais terão tradução simultânea para espanhol, português e inglês.

Tags: CCSCTCLaboratório BridgeUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na mídia: Instituto da UFSC avalia especificações técnicas de equipamentos

02/03/2021 14:25

Um trabalho de avaliação sobre a conformidade e o grau de atendimento das especificações técnicas de equipamentos eletroeletrônicos, elétricos e eletromecânicos. Assim é o projeto de extensão “Análises, Estudos, Ensaios, Simulações, Verificação de Aspectos Técnicos e Laudos Técnicos em Dispositivos Elétricos, Eletroeletrônicos e Eletromecânicos”, desenvolvido por uma equipe do Instituto de Eletrônica de Potência (Inep) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária (Fapeu). “A Fapeu faz a gerência administrativa do projeto, participando da elaboração de contratos, pagamento a fornecedores e gerenciamento de Recursos Humanos”, detalha o professor Samir Ahmad Mussa, coordenador do trabalho.

O projeto começou em 2018 e será desenvolvido pelo menos até 2022. A proposta é atender a demanda, principalmente de empresas públicas e privadas, de avaliação e testes de equipamentos, prestando assessoria para investigar as características funcionais e as especificações técnicas de equipamentos eletroeletrônicos, elétricos e eletromecânicos. “São ensaios bem específicos e que não são possíveis de serem realizados em outros locais que não sejam em ambientes com suporte de laboratórios e mão de obra qualificada”, observa Samir. “Muitos equipamentos antes de serem comercializados ou importados necessitam de análises e ensaios com o objetivo de identificar e confrontar suas aplicações, funções e usos”, explica o professor.

Confira o texto completo na Revista da Fapeu.

Tags: CTCinepInstituto de Eletrônica de PotênciaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Live promove lançamento de programa para desenvolvimento de carreiras nas áreas de Engenharia e Tecnologia

24/02/2021 11:20

Fundo Catarina e a Alumni EMC, Associação de Ex-alunos do Departamento de Engenharia Mecânica e da antiga Escola de Engenharia Industrial da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), realizam nesta quarta-feira, 24 de fevereiro, às 19h, a live de lançamento do Programa Impetus. O evento é aberto à comunidade acadêmica e a profissionais formados nas áreas de Engenharias e Tecnologias, e as inscrições podem ser feitas nesta página. O link de acesso à transmissão será enviado por e-mail aos inscritos.

A atividade conta com a participação de Augusto Ribeiro, CEO da MAXION Structural Components, e Mauro do Valle, CEO da Portobello, e com a mediação de Ana Paula Pereira, CEO do Instituto Sonho Grande. Os convidados conversarão sobre as tendências futuras no mercado de trabalho, os novos perfis profissionais demandados e como se preparar para as oportunidades do mercado.

O Programa Impetus tem o objetivo de desenvolver habilidades técnicas e comportamentais de graduandos do Centro Tecnológico da UFSC (CTC) e foi idealizado pelo Alumni EMC em parceria com o Fundo Patrimonial Catarina, que cria e apoia projetos e iniciativas de melhorias na educação e no ecossistema de inovação catarinense.

Tags: Alumni EMCCTClivePrograma ImpetusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Programa Impetus seleciona estudantes do CTC para mentorias

17/02/2021 09:58

Até o dia 25 de fevereiro, alunos a partir da oitava fase dos cursos de graduação do Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina (CTC/UFSC) podem se inscrever no processo seletivo da 2ª Edição do Programa Impetus, idealizado pelo Fundo Patrimonial Catarina, em parceria com a Alumni EMC (Associação de Ex-alunos do Departamento de Engenharia Mecânica UFSC e da Escola de Engenharia Industrial).

Ao longo de quatro meses, a partir de março, os aprovados receberão mentorias com profissionais de destaque nas áreas de consultoria, tecnologia, indústria, mercado financeiro e empreendedorismo. Também haverá treinamentos para alavancar habilidades e atributos comportamentais dos mentorados, preparando-os para outros processos seletivos e para os primeiros passos da vida profisssional.

“É gratificante ver que o Impetus está sendo abraçado por tantos parceiros, tanto entidades quanto mentores, com ênfase ao nosso parceiro desde o primeiro momento, a Alumni EMC, que enxergou enorme sinergia com o Impetus, quando este ainda em estava estágios iniciais”, diz o engenheiro Vinícius Braun De Bortoli, que atua no Boston Consulting Group e integra o time do Impetus, juntamente com Gustavo Maccari, João Lachi Alves, Beatriz Testoni, Paulo Beckhauser, Jânio Farias e Giulia Baretta. “A primeira edição do Impetus trouxe tanto impacto para os estudantes que não tivemos dúvidas em lançar a segunda versão”.

O empreendedor Guido Dellagnelo, presidente do Conselho Deliberativo da Alumni EMC, está particularmente empenhado na prospecção de mantenedores corporativos para o programa e de outras ações que vem levando a cabo juntamente com Priscila Gonçalves, membro do referido Conselho e doutoranda em Ciência e Engenharia de Materiais da UFSC, e com o professor Fábio Xavier, do Departamento de Engenharia Mecânica UFSC.

Contexto
Voltado a desenvolver habilidades técnicas e comportamentais de graduandos do CTC, o Impetus é uma iniciativa do Fundo Catarina, fundo patrimonial idealizado com o objetivo de prover oportunidades acadêmicas e profissionais dentro do Centro Tecnológico da UFSC, criando e apoiando projetos e iniciativas para melhorias na educação e no ecossistema de inovação catarinense.

“A UFSC é um centro de referência em Engenharia, mas quando se entra no mercado de trabalho, percebe-se que alguns tópicos importantes para uma carreira bem-sucedida no longo prazo não são contempladas na formação curricular. Autoconhecimento, planejamento de carreira e algumas habilidades mais ‘transversais’, como estratégia e finanças corporativas, são apenas algumas das dimensões que o Impetus complementará na formação desses estudantes. Se aprovados no processo seletivo do nosso programa, eles serão mentorados por profissionais de destacada competência em suas áreas, ampliando seus horizontes por meio da troca direta de experiências com pessoas que já percorreram parte da trajetória que estão prestes a começar”, explica Vinícius, engenheiro mecânico formado em 2018 na UFSC.

As inscrições devem ser realizadas no link: Inscrição processo seletivo Programa Impetus
Nesta quarta-feira, dia 17 de fevereiro, às 19 horas, será realizado um webinar para apresentar o programa e tirar quaisquer dúvidas: Webinar de dúvidas do Programa Impetus

 

Tags: Alumni EMCCTCMentoriaPrograma ImpetusUniversidade Federal de Santa Catarina

Curso de Engenharia de Controle e Automação realiza exposição virtual dia 14

08/12/2020 16:28

O curso de Engenharia de Controle e Automação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove a VIII Expolouro – Feira de Exposição de projetos das/dos calouras/os, no dia 14 de dezembro (segunda-feira), das 10h às 13h, em live a ser transmitida pelo YouTube. O evento apresenta os trabalhos desenvolvidos pelos estudantes na disciplina de Introdução à Engenharia de Controle e Automação e devido a pandemia de Covid-19, este ano a Expolouro será virtual.

Nesta edição, 12 projetos serão apresentados, conforme o cronograma:
(mais…)

Tags: CTCUFSC

Alunos da UFSC são campeões em competição empresarial para criação de produtos

23/11/2020 20:07

Dois alunos do Departamento de Engenharia Mecânica foram os campeões do Desafio Estágio 4.i, competição virtual em que 13 indústrias propuseram a 26 grupos interdisciplinares desafios específicos nas áreas de Engenharia Mecânica, Engenharia de Materiais e Design Industrial.⁣⁣

No dia 18 de novembro, o promotor da iniciativa, Instituto Euvaldo Lodi  (IEL), anunciou o resultado, que rendeu troféu à empresa Tigre e medalhas aos graduandos Eduardo Buzzi e Wellington da Silva Peres Bittencourt, respectivamente dos cursos de Engenharia Mecânica e Engenharia de Materiais da UFSC. Mais importante: os estudantes conquistaram o direito de fazer estágio na empresa em 2021.

A Tigre apresentou um desafio para o qual a dupla e uma equipe de 3 estudantes precisavam dar soluções em 48 horas, com apoio de um tutor da empresa e um professor mentor para cada: criar novo produto a partir de material de PVC e outros polímeros coletados no ciclo pós obra. A Parede Modular Ecológica foi a proposta vencedora daquele desafio e também do projeto como um todo, que iniciou com 75 alunos.

“Nosso conceito consiste na criação de blocos modulares para substituir a utilização de tijolos convencionais e drywall em paredes de revestimento. Seu principal diferencial consiste na própria tecnologia de tubulações da Tigre, que pode ser integrada aos blocos, formando paredes totalmente integradas com suas tubulações, sem a necessidade de ficar quebrando paredes para fazer tubulações, que geram muito retrabalho nas obras”, explica Eduardo, que disse ter utilizado os conhecimentos adquiridos em atividades dentro da universidade, especialmente na Empresa Jr. i9 Consultoria. “O produto desenvolvido foi pensado para reduzir os desperdícios de materiais, o tempo de obra e também ter fit com todo o portfólio de soluções Tigre.”

Mesmo tendo entrado na competição após ela ter começado (3 horas após o início, às 17h do dia 13/11), Wellington Bittencourt substituiu a pessoa que fazia dupla com Eduardo e participou ativamente do projeto, principalmente da concepção dos tijolos com material reciclado. “Eles foram feitos com uma superfície rugosa pra facilitar a colagem do reboco na parede e pensados para poder ser fabricados tanto por processo de moldagem por injeção quanto por extrusão, facilitando a produção em larga escala. Por ter espaço entre as duas superfícies da parede, ajudam no isolamento térmico e acústico”, acrescenta Wellington, que participou do processo on line a partir da cidade de Matinhos (PR). Ele e Eduardo tiveram como mentor Anderson de Carvalho Fernandes, do SENAI, e como tutores Ana Lúcia Silva, Engenheira de Inovação Sênior da Tigre (tutora para Modelo de negócio e desafio) e Daniel Mistura, Engenheiro de desenvolvimento de produtos sênior da Tigre (tutor técnico para Materiais e P&D).

“A ideia é muito boa e a Tigre provavelmente tem condições de implementá-la em escala,”, disse o professor Sergio Gargioni, Diretor Executivo da Alumni EMC e membro da Comissão Julgadora. “Foi muito difícil para nós julgarmos as soluções, usamos critérios como o grau de inovação e a viabilidade em ser executada, mas como algumas notas ficaram próximas, sugerimos dar destaque não só à equipe da Tigre, mas também às equipes Menegotti e Coteminas. Parte da solenidade de premiação está no canal de YouTube do EMC: https://youtu.be/ygwf_jkDWnk.

O próprio Superintendente do IEL/SC, José Eduardo Fiates, conduziu a cerimônia virtual e mostrou empolgação diante dos talentos revelados no projeto. “Cada vez mais, nas empresas precisamos de pessoas que já vem com experiência de superação de desafios, testadas e preparadas. Vamos tentar interagir cada vez mais com universidade e para que o Desafio 4.i seja cada vez mais abrangente”, afirmou Fiates, que, como ex-aluno de Engenharia Mecânica da UFSC, participa do Conselho Fiscal da Alumni EMC. A Gerente do IEL,Eliza Coral, já está buscando ideias para fazer a segunda edição do Desafio, em 2021. “Queremos fazer ano que vem com mais alunos, se possível presencial, para facilitar o networking”, conclui.

Heloisa Dallanhol /Equipe de Divulgação EMC/UFSC

Tags: competiçãoCTCDesafioi9 Consultorianovos produtosPVCUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Professores do Centro Tecnológico integram consórcio de pesquisa internacional

23/11/2020 19:16

Os docentes do Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), professora Cíntia Soares  e professor Natan Padoin, integram o projeto “PhotoReAct: Photocatalysis as a Tool for Synthetic Organic Chemistry”, consórcio de pesquisa internacional coordenado pela Universitei van Amsterdam (Países Baixos) e financiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Marie Skłodowska-Curie Actions (MSCA) Innovative Training Networks (ITN), com duração de quatro anos (janeiro de 2021 a dezembro de 2024). A UFSC é a única instituição da América Latina nesta rede de pesquisa.

A UFSC integrará o conselho supervisor do consórcio e oferecerá treinamento avançado a doutorandos financiados pela rede PhotoReAct. Além disso, pesquisa colaborativa será desenvolvida entre o Laboratório de Materiais e Computação Científica da UFSC (LabMAC), no qual os docentes atuam juntamente com o professor Humberto Gracher Riella, e as demais instituições que integram o consórcio. “Trata-se de uma ação de internacionalização de longo alcance com impacto positivo para o LabMAC, o Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos (EQA), o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química (PósENQ) e a UFSC”, destaca o professor Padoin.

Além da Universiteit van Amsterdam e da UFSC, o projeto conta com a participação de outras 23 instituições: University of Saint Andrews, University of Bologna, Leipzig University, Polish Academy of Sciences, University of Zurich, University of Manchester, Centre National de la Recherche Scientifique, University of Pavia, Westfälische Wilhelms-Universität Münster, EcoSynth, Johnson Matthey Plc, Cominnex, Janssen Research & Development, CNRS – Laboratoire Hétérochimie Fondamentale et Appliquée, Columbia University, University of Michigan, University of Wiscosin-Madison, University of California – Riverside, Université de Montréal, Tokyo Institute of Technology, Galapagos, Syngenta, Creaflow.

Tags: Consórcio internacionalCTCDepartamento de Engenharia Química e Alimentos (EQA)pesquisaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

‘Bate Papo com a Mobilidade do Futuro’ ocorrerá dia 23 de novembro

12/11/2020 14:57

A SAE BRASIL, por meio dos seus programas estudantis, realizará no dia 23 de novembro de 2020, das 18h às 19h, um “Bate Papo com a Mobilidade do Futuro”, no Canal do YouTube da SAE BRASIL e no Facebook. O evento contará com diferentes profissionais de referência no mercado da mobilidade contarão de forma descontraída um pouco de sua jornada estudantil e profissional com objetivo de inspirar a carreira destes jovens no mercado de trabalho. O evento tem como público-alvo os estudantes de graduação e de pós-graduação, formandos, estagiários, bem como todos os professores.

Mais informações: rodrigo.vieira@ufsc.br

Tags: CTCmobilidadeSAE BrasilUFSC

CTC promove debate entre candidatos à direção

21/10/2020 12:24

O Conselho de Entidades Estudantis do Centro Tecnológico (CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove nesta quinta-feira, 22 de outubro, um debate entre as chapas concorrentes à direção do CTC. A transmissão ocorre pelo canal do CTC no Youtube a partir das 19h.

A eleição para direção do centro está marcada para a próxima segunda-feira, 26 de outubro. Duas chapas estão concorrendo: Chapa 1 (diretor: Edson De Pieri / vice-diretor: Sérgio Peters) e Chapa 2 (diretor: Jonny Silva / vice-diretor: Ricardo Rabelo).

Tags: CTCdireção de centroUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Aos mestres, com carinho: relatos sobre a arte de ensinar e os desafios da docência em tempos de pandemia

15/10/2020 10:57

Ao ouvir as palavras professora e professor, Klay Silva, que faz estágio na Agência de Comunicação (Agecom) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), descreve o que vem à mente: uma figura acolhedora e disposta a orientar dúvidas que surgem. Não apenas sobre a matéria que leciona – destaca a jovem -, mas sobre a vida e suas dificuldades e vitórias. “Penso naquela pessoa com voz firme e carinhosa, que passeia nas salas de aula e procura no olhar dos alunos as perguntas inquietas que guiam o propósito da sua profissão”, afirma a futura jornalista. 

Com o olhar sensível de Klay e os depoimentos que permeiam este texto, a UFSC homenageia todos os mestres – para que recebam, neste simbólico 15 de outubro, o carinho da comunidade universitária e o reconhecimento pelo trabalho primoroso prestado à sociedade. 

Segundo dados da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), a Universidade Federal de Santa Catarina conta com 2.419 professores efetivos do magistério superior e 119 professores efetivos do magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT) – 99 no Colégio de Aplicação (CA) e 20 no Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI). Ao todo, a instituição soma 109 professores substitutos contratados – 93 atuam no ensino superior e 16 na educação básica. 

“Uma sociedade que valoriza a educação reconhece o papel do professor. Com o sentimento de gratidão, reconhecemos a importância do trabalho que desempenham na nossa universidade. O corpo docente, constituído por professores efetivos e substitutos, tem papel fundamental para o cumprimento da missão institucional, promovendo a formação de pessoas e o desenvolvimento da sociedade”, pontua o pró-reitor de Graduação da Universidade, professor Alexandre Marino Costa.

Durante a pandemia de covid-19, as atribuições dos docentes revestem-se de novas configurações para atender às demandas do ensino remoto na UFSC e instituições de ensino brasileiras. As salas de aula, que costumeiramente reuniam saberes e olhares em manhãs, tardes e noites nos campi, deram lugar aos ambientes virtuais, acessados por meio das telas dos computadores e celulares. O atual cenário apresenta aos professores o desafio de instruir à distância – em meio à instabilidade dos sinais de conexão à internet e ao aprendizado de ferramentas digitais.

Professores buscam, nesse contexto, métodos pedagógicos acessíveis para compartilhar conhecimentos, com atenção especial àqueles que vivenciam a falta de acesso à tecnologia. Silenciosamente, os profissionais adaptam-se a novas rotinas, reformulam planos de aula e metodologias, e intensificam o compromisso com o ensino democrático, ético e sensível às necessidades dos estudantes.

Sérgio, professor da UFSC desde 1993. Foto: Arquivo pessoal

De acordo com Sérgio Peters, professor do Centro Tecnológico (CTC), até março de 2020 parte dos professores do centro de ensino não usava recursos digitais em aulas. Com a cultura de promover encontros para trocas de experiências docentes, a partir de abril 2020 as reuniões passaram a ser semanais e ter como foco o ensino não presencial – com o envolvimento de alunos de pós-graduação e técnicos-administrativos em Educação (TAEs). Compartilhar estudos, descobertas, testes e dinâmicas de aulas foi o objetivo do grupo, que participou ativamente com proposições para a construção do modelo de ensino remoto na UFSC. 

“Os professores se superaram, fizeram a preparação, acharam seus caminhos e colocaram em prática recursos digitais em suas vidas acadêmicas. A maioria está gravando e disponibilizando as aulas. Temos muitas histórias inspiradoras – professores que adaptaram câmeras, que filmam folha de papel e transmitem pela plataforma utilizada. Alguns usam mesas digitalizadoras, outros gravam aulas previamente, disponibilizam antes e agendam aulas síncronas para dúvidas e discussões. Outros usam podcasts e recursos mais avançados”, exemplifica Sérgio, há 27 anos professor da UFSC.

O docente do CTC afirma que oportunizar revisões e defesas das avaliações, para entender melhor o que os alunos entregam nas tarefas, tem gerado maior empatia entre estudantes e mestres. Sérgio e os colegas estão atentos aos desafios que os alunos enfrentam. Local de estudos, acesso a equipamentos e novas dinâmicas em suas casas são exemplos citados.

Para Patrícia Della Méa Plentz, vice-presidente do Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina (Apufsc-Sindical), é dia de celebrar o profissionalismo e a dedicação.Em um ano atípico e desafiador, ver os colegas engajados em ressignificar a docência – desbravando os recursos tecnológicos para atender os alunos – e ampliando os limites do conhecimento com suas pesquisas e projetos nos faz sentir ainda mais orgulho do ofício. Mesmo em um momento político conturbado e difícil para as universidades, com cortes financeiros de toda ordem e questionamentos infundados sobre nosso papel na sociedade, seguimos em frente cada vez mais fortes”.

Desde criança, Cristiane Derani sabia o que gostaria de ser quando crescesse: professora. A pró-reitora de Pós-Graduação da Universidade fala do entusiasmo que sente com o fluxo de aprender, investigar, transmitir e reaprender. Para ela, o conhecimento rejuvenesce. O motivo? Ele não tem fim. Mais do que profissão, considera a docência uma arte, um ideal. Um estado de alma. “Ser professor é acreditar no ser humano e no universo, é criar a partir da dúvida, da insatisfação e da esperança. A pós-graduação da UFSC reúne professores com essas características em todas as áreas do conhecimento. O conhecimento não se esgota e é construído coletivamente – expande-se sem ocupar o espaço, mas preenche tudo o que falta, responde ao que se indaga, satisfaz com novas buscas”, reflete. 

Andressa escolheu a docência inspirada pelos mestres da graduação, do mestrado e do doutorado na UFSC. Foto: Arquivo pessoal

Entre os momentos marcantes que Andressa Sasaki Vasques Pacheco viveu na instituição, a memória que guarda com carinho de uma colação de grau no polo de ensino de Jacuizinho (RS). “A cidade tem uma população de pouco mais de dois mil habitantes. No dia da colação dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Ciências Econômicas, tínhamos mais de 400 convidados no ginásio local. Todos os alunos nos agradeceram muito, e destacavam como o nosso trabalho foi importante e que puderem realizar o sonho de cursar uma graduação em uma universidade”.

Andressa tornou-se professora efetiva da UFSC em 2011 e, desde então, ministra disciplinas nos cursos de graduação e pós-graduação em Administração. Ela coordena o projeto LINC Digital, que, com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão (Proex) promoveu capacitações a docentes para o ensino não presencial. “Nessa experiência, meus ‘alunos’ foram os colegas de profissão. Alguns, inclusive, foram meus professores. A cada curso que oferecíamos, víamos o empenho e dedicação de colegas que estavam se reinventando e dando o seu melhor para que pudéssemos realizar o nosso trabalho da melhor forma possível neste período desafiador”.

“As letras embaralham os olhos, mas iluminam o caminho com as palavras, como dizia minha vó, que completou 116 anos em 2020″, afirma Josué. Foto: Arquivo pessoal

Publicitário, mestre em Memória Social, doutor em Educação e  pós-doutor em Museologia. Durante um ano e meio, até agosto de 2020, Josué Carvalho atuou como professor substituto no curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica da UFSC. É filho de mãe indígena Kaingang e pai italiano, que desejavam que fosse médico, mas nunca impuseram o caminho. “Após atuar um tempo como professor, minha mãe perguntou enquanto eu especulava meu pai sobre as formas que ele media a terra sem não ter tido acesso aos números: ‘Por que você quis ser professor? Você nunca cansa de ler e perguntar!’ Minha avó, que estava fazendo seu cesto com a matéria-prima que ela mesma havia retirado da mata (há uns 15 anos), disse: ‘Então você não sabe? É porque ele precisa atravessar a ponte e, quando você conta as coisas a ele, ele não se perde e encontra os caminhos – e também não se perde pra voltar para casa”.

Com essa lembrança, Josué reflete sobre o papel dos professores, expressa preocupação ao fazer referência a tempos nebulosos vividos no País e chama atenção para a importância de enxergar a “ponte” que os profissionais representam. “Não nasci professor, fui forjado. E sou porque acredito, sim, que pela educação podemos ter uma sociedade livre, não alienada. Educação como liberdade de si e não para formação de vítimas de um sistema. Feliz nosso dia! Que continuemos a construir pontes”, defende.

“Ser docente é disseminar e compartilhar o conhecimento, poder contribuir com a evolução e transformação da sociedade”. Fabiana leciona no campus da UFSC em Blumenau. Foto: Arquivo pessoal

Ser uma universidade de excelência e cada vez mais inclusiva é um dos objetivos da UFSC, firmado na visão institucional. Fabiana Schmitt Corrêa, mestre em Linguística, é uma das responsáveis por impulsionar o ensino de Libras na Universidade. Nascida e criada em Blumenau, com irmã também surda e com pais ouvintes, desde criança foi orientada a utilizar somente a língua portuguesa em casa. Aos 22 anos, na graduação em Pedagogia, Fabiana aprendeu a língua de sinais. 

Fazer parte da primeira turma de Letras Libras da UFSC e vivenciar a acessibilidade por meio das aulas foram marcos que a impulsionaram à carreira acadêmica. A sala de aula não foi sua primeira escolha, revela. “Eu amo ensinar e amo a língua de sinais. Durante a minha trajetória, as duas coisas se encontraram. Foi amor à primeira vista e o casamento deu certo”, brinca a professora, que vê na docência um meio de transformação social.  Fabiana leciona disciplinas de Libras e Educação Especial nas Licenciaturas em Química e em Matemática no Campus da UFSC no Vale do Itajaí.

Patrícia, docente e enfermeira da UFSC. Foto: Arquivo pessoal

Patrícia Klock, docente do curso de Enfermagem e há 14 anos enfermeira do Hospital Universitário (HU), nasceu sem uma perna. A profissional, que sente orgulho de ter cursado graduação, mestrado e doutorado na UFSC, fala sobre as responsabilidades do espaço que ocupa e sobre o comprometimento que tem com a sociedade. “Ser docente, buscar construir uma carreira em que aspectos pessoais de ter uma deficiência física são desafiadores, atrelados ao significado que a UFSC representa na sociedade, é um compromisso. Com a universidade pública e gratuita, que investiu na minha formação; com o quanto minha história impacta na vida dos alunos, como alguém que já vivenciou o quanto cursar uma graduação exige dedicação, criatividade e superação. Busco exercer a empatia e o acolhimento com cada aluno que passa pela minha caminhada me transformando e me oportunizando trocas únicas e singulares”.

Para Klay, aluna da UFSC em formação por meio do ensino remoto, a celebração do Dia do Professor nos convida a olhar o que as telas não mostram. “É bom sentir que os professores continuam a luta pelo ensino e pelo saber de forma genuína, mesmo com as dificuldade acentuadas pela rotina do ensino remoto e pela falta que o contato humano causa”, resume, agradecida e esperançosa.

Curiosidades e símbolos

O ensino no Brasil nem sempre foi organizado com professores à frente do quadro e alunos em fileiras

Segundo o professor Ademir Valdir dos Santos, do Departamento de Estudos Especializados em Educação (EED) da UFSC, até o início do século XIX, a maior parte dos professores adotava o ensino individual. “Esta metodologia tem a preocupação de fazer ler, escrever e calcular a cada aluno em separado, um após o outro. Exige que o aluno recite a lição enquanto os demais trabalham em silêncio, sozinhos. Neste caso, o professor dedica poucos minutos a cada um”, detalha. A partir da metade do século XIX, o método monitorial, que surgiu na Inglaterra e na França, chegou ao Brasil. Com o método, o professor ensinava o conteúdo a alguns alunos, que tinham mais facilidade em aprender o conteúdo. E os monitores repassavam o conhecimento aos demais. 

Presentear a professora com uma maçã

Por vezes associada aos professores, simbolicamente a maçã remete ao conhecimento. A explicação: quando cortada ao meio, transforma-se em um pentagrama (símbolo do saber). Ademir explica que a fruta está relacionada, também, à lei da gravidade e à sabedoria, em referência à história da maçã que teria caído sobre a cabeça do físico inglês Isaac Newton. Outra teoria simbólica faz menção à representação de Adão e Eva e a vontade do ser humano de ter acesso ao conhecimento. A explicação mais recente estaria ligada a uma possível tradição iniciada entre os séculos XVI ao XVIII. A maçã era um dos alimentos mais comuns na Europa. Oferecer a fruta como compensação pelo trabalho mal remunerado era a solução que os pais encontravam para retribuir os professores.

Ademir acrescenta uma curiosidade: “interessante observar que o termo em inglês para ‘puxa-saco’ (bajulador, adulador) é apple-polisher, ou seja, aquele que dá polimento à maçã, que esfrega a fruta para que a casca brilhe mais antes de oferecê-la ao professor”.

Como surgiu a lousa? 

A grande lousa fixa na parede, de frente para os alunos, é uma invenção relativamente recente. Em 1800, James Pillans, diretor da Escola Superior de Edimburgo, na Escócia, queria mostrar mapas maiores nas aulas de geografia e teve a ideia de unir placas de ardósia, formando o quadro negro. A lousa surgiu para substituir materiais como o papel e a pena de ganso e enxugar os custos. Com o feito, foi possível reunir número maior de pessoas em sala. Do latim, a palavra professor e significa “pessoa que declara em público”. 

E a coruja? 

Por influência da mitologia grega, a coruja representa a sabedoria. A deusa Atena, divindade associada à inteligência, ao senso de justiça e às artes, tinha uma coruja como mascote. Os gregos consideravam a noite como um momento para o pensamento filosófico e a revelação intelectual – por ser uma ave noturna, a coruja tornou-se representante da busca pelo saber. 

Ademir Valdir dos Santos é líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em História da Educação e Instituições Escolares de Santa Catarina (GEPHIESC), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da UFSC. O docente aborda aspectos da história de instituições escolares nas redes sociais, pelo perfil @ademhistoria no Instagram.

Texto: Jornalista Bruna Bertoldi Gonçalves, com a participação das estagiárias de Jornalismo da Agecom Klay Silva, Hillary Marcos e Virginia Witte

Tags: ApufscCADcorujaCTCDia do ProfessorlousamaçãPPGEprogradPROPG

Colações de grau on-line são alternativa às formaturas presenciais durante a pandemia

01/10/2020 11:37

Formatura de Arquitetura e Urbanismo. Foto: reprodução/Youtube

A suspensão de eventos como formaturas e solenidades foi uma das primeiras medidas de contingência anunciadas em razão da pandemia de Covid-19 na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ainda antes de definida a interrupção das aulas e demais atividades presenciais. Desde então, as tradicionais solenidades no Centro de Cultura e Eventos foram substituídas por cerimônias on-line, por meio de videoconferência. Apesar das restrições que o momento determina, alunos, professores e servidores técnico-administrativos têm se empenhado para organizar as colações de grau e proporcionar a melhor experiência possível aos formandos e seus amigos e familiares.

A regulamentação das formaturas por meio de ferramentas ou plataformas digitais foi feita em 16 de abril com a portaria normativa nº 001/2020, da Pró-reitoria de Graduação (Prograd) – um mês após a suspensão das atividades presenciais na Universidade. “A pandemia nos impôs um novo formato de formaturas. Para nós, esse é um ato importante, porque celebra o encerramento de um importante ciclo de formação dos estudantes e permite que possam colar grau e estejam em condições de desenvolver sua atividade profissional junto à sociedade. As formaturas on-line representam hoje uma necessidade de realização das colações de grau para que os formandos possam receber o título”, afirma o pró-reitor de Graduação Alexandre Marino.
(mais…)

Tags: CCBCFHcoronavírusCTCformaturagestão coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na mídia: estudantes e professores de Arquitetura vencem competição internacional

17/09/2020 14:19

O concurso Solar Decatlhon Latin America & Caribe (SDLAC), competição que busca propostas urbanas sustentáveis de edificações habitacionais multifamiliares para a cidade de Buenaventura, na costa colombiana, reconheceu o trabalho da equipe Minga (como a própria tradução do termo indígena indica, “equipe”), composta por estudantes e docentes de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e da Pontificia Universidad Javeriana Cali (PUJ-Cali). Realizado pela primeira vez na América Latina na edição de dezembro de 2019, o Brasil contou com participação em duas oportunidades, sendo que a UFSC integrou ambas as equipes.

Leia a matéria na íntegra.

Tags: Arquitetura e UrbanismoCTCEquipe MingaSolar Decatlhon Latin America & CaribeUFSC

Ampera Racing-UFSC está em busca de apoio e parcerias para crescer

09/09/2020 15:55

A Ampera Racing – UFSC SAE Elétrico, equipe de competição que atua no desenvolvimento de carros elétricos, quer aproveitar a boa performance em recente evento internacional para se consolidar e crescer. A equipe está em busca de apoios e parcerias para projetos mais complexos de engenharia, de auxílio financeiro para projetos de alto nível competitivo e também de mais espaço físico para construção de protótipos e desenvolvimento de ideias. No horizonte do grupo está a produção de um segundo carro – todo ano a Ampera produz um protótipo de carro elétrico – que poderá ser um veículo movido a energia solar ou um carro autônomo (driverless).

Esses planos foram apresentados na última quarta-feira, 9 de setembro, numa reunião virtual entre o estudante Eduardo de Castro, presidente-capitão da equipe em 2020, o reitor Ubaldo Cesar Balthazar, o secretário de Inovação Alexandre Moraes Ramos e o pró-reitor de Extensão Rogério Cid Bastos.

Eduardo reportou a participação da Ampera Racing na Formula Student Online, competição realizada no início de agosto e que envolveu 21 equipes de 16 países. A Ampera Racing, única representante do Brasil no evento, ficou no quarto lugar geral e recebeu um prêmio especial por ter apresentado o conceito de drivetrain mais inovador (Most Innovative Electric Drivetrain Concept Special Award). A competição teve provas estáticas, ligadas ao conhecimento de projeto e seu gerenciamento, e dinâmicas, feitas em simuladores.
(mais…)

Tags: Ampera Racingcarro elétricoCTCequipe de competiçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na mídia: a saga do respirador feito em SC na busca por um investidor

08/09/2020 15:19

Na terceira reportagem da série “Covid-19 em Dados”, publicada no portal ND+, conheça a história, os desafios e a inovação do protótipo de ventilador mecânico pulmonar, ou respirador, produzido em oficina improvisada na casa de um professor da UFSC com a ajuda do filho.

Leia a matéria na íntegra.

Tags: coronavírusCTCDepartamento de Engenharia Mecânicarespirador mecânicoSaulo GuthsUFSC