UFSC inaugura laboratórios com incorporação de tecnologias avançadas

22/09/2017 16:27

Acabam de ser inaugurados dois laboratórios na UFSC pelo Projeto Implantação de Infraestrutura Laboratorial para P&D em Soluções de Medição e Instrumentação Avançadas para o Setor Petróleo e Gás (LAMIA). A cerimônia ocorreu ontem, dia 21 de setembro, na Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi). Os laboratórios de Metrologia Tridimensional Avançada e de Instrumentação Inteligente foram financiados com recursos da Petrobras por participação especial, executado pela UFSC por meio da Fundação de Ensino e Engenharia de Santa Catarina (Feesc) e co-executado pela Certi.
(mais…)

Tags: CertiFundação de Ensino e Engenharia de Santa CatarinaInstrumentação InteligentelaboratóriosMetrologia Tridimensional AvançadaPetrobrasUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Centro de Filosofia e Ciências Humanas terá novo prédio

10/05/2016 08:27
Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Um prédio com sete andares e cerca de seis mil metros quadrados abrigará os blocos E, F e G do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Na sexta-feira, 6 de maio, ocorreu a solenidade de inauguração do novo edifício, que será ocupado, prioritariamente, pelos cursos de Geologia e Oceanografia. A construção teve o apoio da Petrobras, que viabilizou cerca de um terço dos recursos. A obra ainda não está finalizada e a previsão é que fique pronta em julho deste ano.

Oito autoridades discursaram na inauguração: a reitora Roselane Neckel; a vice-reitora Lúcia Helena Martins-Pacheco; o diretor do CFH Paulo Pinheiro Machado; a vice-diretora do CFH, Sônia Maluf; os coordenadores do Núcleo de Pesquisa Geológica Juan Antonio Flores e Edison Ramos Tomazzoli; a gerente de Sedimentologia e Estratigrafia da Petrobras, Helga Elizabeth Voelcker; o ex-gerente da Rede de Estudos Geotectônicos da Petrobras, Gilmar Vital Bueno. Entre o público, que lotou um pequeno auditório do novo prédio, também estavam presentes pró-reitores, diretores de unidades de ensino, chefes de departamentos, coordenadores de curso.

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A vice-diretora do centro, Sônia, ressaltou a importância do edifício para o pleno funcionamento do CFH, que passou por ampla expansão nos últimos anos. Foram criados quatro cursos de graduação – Antropologia, Geologia, Museologia e Oceanografia –, além da Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica e dos mestrados em Oceanografia e em Desastres Naturais. “Temos hoje dez cursos de graduação, nove pós-graduações, cerca de quatro mil alunos, 200 professores e 70 técnicos administrativos. Somos um dos maiores centros da UFSC e temos a maior produção acadêmica”, informou a professora.

O diretor do centro, Paulo, também observou que o CFH “dobrou de tamanho, mas continuou com a mesma infraestrutura”. Para o professor, um espaço físico maior será mais adequado para o desenvolvimento da ciência e cidadania. “Frequentemente, nós, das Ciências Humanas, trabalhamos em condições muito adversas. Por isso é importante marcar a inauguração desse prédio, que é resultado de um esforço conjunto e que beneficiará muitas pessoas”.

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A reitora Roselane Neckel aproveitou a ocasião para relembrar sua trajetória na UFSC, desde quando foi vice-diretora e depois diretora do CFH, até o momento atual, em que finaliza sua gestão na administração central. A professora recordou o tempo em que havia falta de professores, técnicos, equipamentos e “a grande ameaça era a exigência de pagamento do ensino nas universidades públicas. Nessa época, não havia esperança de criação de novos cursos no CFH”. Mas, ela observa, a realidade mudou com o programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), que supriu carêncais e possibilitou o crescimento e a qualificação do ensino superior no país: “Hoje a UFSC tem cerca de 5500 professores e técnicos e se tornou referência no Brasil e exterior”.

O processo de negociação com a Petrobras para a construção do prédio foi lembrado pela reitora. Ela descreveu a visita da comitiva da UFSC ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (Cenpes)  da Petrobras, em agosto de 2009, quando o projeto do curso de Geologia foi apresentado e a empresa decidiu apoiá-lo. Essa reunião também foi relatada pelo professor Edison, do curso de Geologia, que apontou a escassez de geólogos em Santa Catarina e a urgência de criação do curso: “Isso ficou evidente durante as enchentes de 2008, em Itajaí, quando não havia profissionais qualificados para atuarem no desastre”. A vice-reitora Lúcia Helena, além de agradecer a todos que participaram e se dedicaram à viabilização do edifício, afirmou que o momento era de celebração: “É o fim de uma obra, mas o começo de muitas possibilidades acadêmicas”.

Estrutura

Os novos blocos do CFH serão ocupados com laboratórios, coordenadorias de ensino, salas de reuniões, salas de profesores, PETs, núcleos de estudos, secretarias de departamentos, secretarias de pós-graduação, auditórios, centros acadêmicos, área de convivência.

Valor total R$ 18.778.697,04
Recursos da UFSC R$ 12.038.889,12
Recursos da Petrobras R$ 6.739.807,92
Início das obras Novembro/2013
Previsão de término Julho/2016

As fotos do acompanhamento das obras estão disponíveis aqui.

Mais informações no site da Coordenadoria de Fiscalização de Obras (CFO).

Daniela Caniçali/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: Bloco Ebloco FBloco GCFHgeologiainauguraçãonovo prédioobrasoceanografiaPetrobrassolenidadeUFSC

UFSC inaugura Núcleo Ressacada de Pesquisas em Meio Ambiente

30/04/2014 20:50

A Universidade Federal de Santa Catarina inaugurou na terça-feira, 29 de abril, as instalações do Núcleo Ressacada de Pesquisas em Meio Ambiente (Rema), vinculado ao Centro Tecnológico da Universidade Federal de Santa Catarina (CTC-UFSC). As obras de 1300m² foram construídas mediante o projeto “Implantação de uma infraestrutura laboratorial e de apoio para o desenvolvimento de pesquisas avançadas em avaliação e remediação de áreas impactadas”, com recursos de R$ 2,6 milhões financiados pela Petrobras. O projeto arquitetônico foi desenvolvido pelo Departamento de Arquitetura da UFSC, sob coordenação do professor Américo Ishida.

Confira a reportagem de Thomé Granemann e Peri Carvalho para o programa Universidade Já/TV UFSC:

(mais…)

Tags: CTCNúcleo Ressacada de Pesquisas em Meio AmbientePetrobrasREMAUFSC

Petrobras financiará ampliação do Núcleo de Pesquisas Geológicas da UFSC

18/05/2012 16:37

Roselane Neckel e Gilmar Bueno assinam acordo de cooperação UFSC/PetrobrasGilmar Vital Bueno, geólogo do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (CENPES) representando a Petrobras, assinou nesta sexta-feira, 18 de maio,  no gabinete da Reitora, acordo de cooperação técnica com a Universidade Federal de Santa Catarina, para ampliação e modernização das instalações do núcleo de Pesquisas Geológicas da UFSC. O valor total é de R$8.061.520,25. A primeira parcela de desembolso será em torno de R$ 3 milhões. O projeto integra a Rede Temática de Projetos geotectônicos da Petrobras.

(mais…)

Tags: ampliaçãogeociênciasGilmar Vital BuenoJuan Antonio Floresnúcleo de pesquisas geológicasPetrobras

Presidente da Petrobras Biocombustível visita Laboratório de Remediação de Águas Subterrâneas

25/04/2012 18:15

Depois de ministrar a palestra “Novas oportunidades profissionais no campo energético no Brasil”, durante o Seminário Energia + Limpa: conhecimento, sustentabilidade e integração”, o presidente da Petrobras Biocombustível, Miguel Rosseto, visitou nesta quarta-feira, 25 de abril, as novas instalações do Laboratório de Remediação de Águas Subterrâneas da UFSC.

Coordenado pelo professor Henry Xavier Corseuil, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental, desde 1994 o laboratório desenvolve pesquisas em parceria com Petrobras. A nova sede, localizada na Fazenda da Ressacada (área no Sul da Ilha que pertence à Universidade) leva em conta conceitos da construção sustentável e será inaugurada nos próximos meses.

Antes de chegar ao “Prédio Verde”, o presidente da Petrobras Biocombustível conheceu experimentos de campo, com liberação controlada no solo de diferentes combustíveis e adições (gasolina; gasolina com etanol; diesel com etanol; biodiesel de soja puro e em diferentes proporções, entre outras misturas). Com os testes, o grupo estuda o impacto de vazamentos no solo e em águas subterrâneas, assim como processos naturais de recuperação. “No experimento mais antigo estamos há 13 anos monitorando a remediação natural de derivados do petróleo. Não há outro teste semelhante em qualquer lugar do mundo”, orgulhou-se o professor Henry.

A equipe investiga também tecnologias para acelerar a recuperação de áreas contaminadas, a partir da injeção nos experimentos de diferentes substâncias (entre elas sulfato e acetato). Análises químicas, biológicas e biomoleculares permitem a avaliação e o monitoramento de amostras periodicamente coletadas em diferentes profundidades, gerando conhecimento sobre o comportamento do combustível derramado e subsídios para controle de casos reais. Durante a visita, estudantes de graduação, mestrandos, doutorandos e técnicos estavam nos diferentes experimentos, demonstrando a dinâmica das pesquisas a representantes da Petrobras que acompanhavam a visita.

Em seguida, Miguel Rosseto conheceu o Laboratório de Remediação de Águas Subterrâneas. “Queríamos um prédio-conceito, que fosse autosuficiente na geração de sua energia e de sua água”, explicou o professor Henry, lembrando que o projeto prevê a instalação de células fotovoltaicas para geração de energia solar, e uma estrutura para geração de energia eólica deve ser integrada em colaboração com grupo do Departamento de Engenharia Mecânica. O projeto do laboratório foi desenvolvido pelo professor Américo Ishida, do Departamento de Arquitetura e Urbanismo, com a participação de estudantes de diferentes áreas.

“Essa é a primeira reunião oficial nestas instalações. Estamos entusiasmados para a mudança”, comemorou o professor, que fez uma apresentação sobre os avanços das pesquisas desenvolvidas em parceria com a Petrobras. Entre os destaques, citou o desenvolvimento do software SCBR (Solução Corretiva Baseada em Risco).

Implementado com a colaboração de empresas de base tecnológica da Grande Florianópolis, o modelo matemático tem como base o conhecimento gerado pela equipe em campo. Em sua versão 2.0, o software que mostra, por exemplo, como se comporta uma “pluma” de combustível derramado em diferentes condições, está sendo implementado em 20 unidades da Petrobras. A expectativa é de que colabore com a previsão de acidentes e ofereça apoio na tomada de decisão para controle da poluição do solo e de águas subterrâneas

O coordenador do laboratório citou outros trabalhos, como a avaliação da eficiência de bacias de contenção em terminais da Petrobras. E desafios futuros, como a implantação de um laboratório de última geração para monitorar a efetividade do armazenamento do CO2 no solo.

Miguel Rosseto destacou que o trabalho atende expectativas da Petrobras, “uma grande empresa de energia que sabe das exigências que deve à sociedade em relação ao impacto ambiental”. “Em depoimento recente, a presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, falou da audaciosa ideia de vazamento zero, e sabemos que estas preocupações não são adereços, mas devem organizar e dar vida a nossas atividades”, salientou, elogiando a seriedade da equipe. “Nesta grande casa verde pulsa compromisso, o que nos traz orgulho e confiança para apoiar e renovar projetos”, ressaltou o presidente da Petrobras Biocombustível.

Mais informações: (48) 3721-7569

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

 

 

 

Tags: biocombustíveiscontaminaçãoPetrobrasUFSC

Ex-ministro de Ciência e Tecnologia é destaque de evento na próxima quarta

02/03/2012 18:28

Cinco engenheiros irão debater, na próxima quarta, 07/03,  as possibilidades da profissão depois da graduação. “Desafios e oportunidades para a pós-graduação em Engenharia” acontece no auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, e trará como palestrantes o ex-ministro de Ciência e Tecnologia e professor de Física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Sergio Machado Rezende; o diretor presidente da Refinaria Abreu e Lima S.A. – Petrobras, Marcelino Guedes Gomes; o reitor da UFSC, Alvaro Toubes Prata, além do coordenador e do subcoordenador do Programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica (PosMec), Júlio César Passos e Armando Albertazzi Gonçalves Jr.

O evento se estende durante toda a manhã e é gratuito e aberto ao público.

Confira a programação:

8h30 –  Júlio César Passos e Armando Albertazzi Gonçalves Jr.
Coordenador e Sub-Coordenador do PosMec
Palestra: O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica

9h00 – Sergio Machado Rezende
Professor do Departamento de Física, UFPE; Ex-Ministro de Ciência e Tecnologia
Palestra: Ciência e Tecnologia no Brasil: nunca é tarde demais para começar

10h – Marcelino Guedes F. M. Gomes
Diretor Presidente da Refinaria Abreu e Lima S.A. – Petrobras
Palestra: Profissional Global

11h – Álvaro Toubes Prata
Professor do Departamento de Engenharia Mecânica, UFSC; Reitor da UFSC
Palestra: A Internacionalização das Universidades Brasileiras

Mais informações com o programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica: (48) 3721-9937, ramal 217.

Tags: MCTPetrobrasPOSMEC

Desafios e oportunidades para a pós em Engenharia é tema de palestras no dia 07/03

29/02/2012 10:17

Cinco engenheiros irão debater, na próxima quarta, 07/03,  as possibilidades da profissão depois da graduação. “Desafios e oportunidades para a pós-graduação em Engenharia” acontece no auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, e trará como palestrantes o coordenador e o subcoordenador do Programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica (PosMec), Júlio César Passos e Armando Albertazzi Gonçalves Jr.; o ex-ministro de Ciência e Tecnologia e professor de Física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Sergio Machado Rezende; o diretor presidente da Refinaria Abreu e Lima S.A. – Petrobras, Marcelino Guedes Gomes, e o reitor da UFSC, Alvaro Toubes Prata.

O evento se estende durante toda a manhã e é gratuito e aberto ao público.

Confira a programação:

8h30 –  Júlio César Passos e Armando Albertazzi Gonçalves Jr.
Coordenador e Sub-Coordenador do PosMec
Palestra: O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Mecânica

9h00 – Sergio Machado Rezende
Professor do Departamento de Física, UFPE; Ex-Ministro de Ciência e Tecnologia
Palestra: Ciência e Tecnologia no Brasil: nunca é tarde demais para começar

10h – Marcelino Guedes F. M. Gomes
Diretor Presidente da Refinaria Abreu e Lima S.A. – Petrobras
Palestra: Profissional Global

11h – Álvaro Toubes Prata
Professor do Departamento de Engenharia Mecânica, UFSC; Reitor da UFSC
Palestra: A Internacionalização das Universidades Brasileiras

Mais informações com o programa de Pós-graduação em Engenharia Mecânica: (48) 3721-9937, ramal 217.

Tags: MCTPetrobrasPOSMEC

1º lugar em concurso da Petrobras

14/10/2011 11:21

O coordenador do Curso de Oceanografia da UFSC, Norberto Olmiro Horn Filho, comunica que a acadêmica da 8ª fase, Bruna Queiroz, foi aprovada em primeiro lugar no concurso para Analista Ambiental da Petrobras. A prova de seleção foi realizada no dia 28 de agosto de 2011, num total de 523 inscritos, sendo oferecida somente uma vaga na área de Oceanografia em todo o país.

Outras informações pelo e-mail .

Tags: concursoPetrobras

UFSC conquista nova estrutura para pesquisa com gás natural

21/03/2011 15:28

Fotos: Paulo Noronha / Agecom

A pesquisa com gás natural é foco de um conjunto de laboratórios recém-inaugurado na UFSC. Construído com apoio financeiro de R$ 1,5 milhão da Petrobras, o complexo localizado no campus da Trindade integra os esforços da Rede Temática de Gás Natural. Faz também parte das iniciativas de eficiência energética do Programa Tecnológico para Mitigação de Mudanças Climáticas (Proclima), coordenado pelo Centro de Pesquisas & Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes).

A estrutura de 800 metros quadrados nasceu preparada para ampliações e já abriga uma série de experimentos.  “Estamos terminando de instalar uma bancada de testes de trocadores de calor que é adequada para desenvolvimento da tecnologia de tubos de calor e é uma das quatro únicas em universidades no mundo”, comemorou na inauguração realizada na última sexta-feira, 18 de março, a professora do Departamento de Engenharia Mecânica da UFSC e coordenadora do espaço, Márcia Barbosa Henriques Mantelli.

Segundo ela, com apoio financeiro da Petrobras, a UFSC tem produzido tecnologia pioneira no Brasil no campo de tubos de calor. Essa tecnologia permite o desenvolvimento de trocadores de calor compactos, de fácil manutenção, sem partes rotativas e sem a necessidade de energia elétrica para seu funcionamento. Os trabalhos desenvolvidos na Universidades estão, ressaltou, no mesmo nível daqueles desenvolvidos em países como China e Austrália, recentemente Estados Unidos e nações da Europa.

As atividades de pesquisa  em tubos de calor e termossifões iniciaram na UFSC na década de 1990, a partir da necessidade da Agência Espacial Brasileira (AEB) e da indústria espacial nacional para o desenvolvimento de sistemas de controle térmico dos satélites brasileiros. A partir da infraestrutura laboratorial adquirida ao longo dos anos, a pesquisa se voltou para aplicações de tubos de calor e termossifões para as indústrias. Diversos convênios e contratos foram firmados. Os esforços são refletidos nas parcerias nacionais e no reconhecimento internacional da equipe formada por professores, pós-graduandos e estudantes de graduação em Engenharia Mecânica.

A pesquisa nesse campo resultou em quatro prêmios recebidos pelo grupo nos últimos seis anos. O avanço pode também ser exemplificado com representações da UFSC nas principais sociedades internacionais de pesquisa voltadas à área de tubos de calor e nas equipes editoriais das mais conceituadas revistas internacionais. Em 2007, com apoio da Petrobras, o grupo organizou, em Florianópolis, a 13ª Conferência Internacional em Tubos de Calor.

A preocupação com as aplicações também tem vários exemplos. A partir de pesquisas básicas em novas tecnologias de termossifões foi projetado um trocador de calor construído pela indústria nacional e instalado na Unidade de Negócio da Industrialização do Xisto (SIX), da Petrobras, em São Mateus do Sul, no estado do Paraná. A unidade está em operação há cerca de quatro anos ininterruptos.

Com o Departamento de Engenharia Química, a equipe trabalha em destiladores compactos e eficientes, que usam tubos de calor e atenderão plataformas de petróleo. Outras frentes de investigação atuais são os projetos voltados à produção de equipamentos térmicos flexíveis, para operar com mais de um combustível, e os estudos voltados à recuperação de vapor em torres de resfriamento. Em sua fala durante a inauguração, a professora Márcia Mantelli lembrou que no caso da Refinaria de Paulínia, pertencente à Petrobras e localizada em Paulínia, São Paulo, uma quantidade de água suficiente para atender uma cidade de 250 mil habitantes é retirada de rios, para reabastecer os processos industriais. Grande parte dessa água é perdida na forma de vapor para o ambiente em torres de resfriamento.

O avanço do conhecimento sobre tubos de calor também auxilia padarias a produzir pães com qualidade e economia de combustível. Graças ao trabalho em parceria com a UFSC, a Petrobras detém a patente de fornos de cocção de pães para uso de gás natural. Na universidade diferentes modelos são projetados e testados e no mercado já são comercializados equipamentos que podem representar economia de mais de 50% de energia, quando comparados com fornos a gás tradicionais.

“Esperamos que a Petrobras continue investindo e apoiando as atividades de pesquisa e desenvolvimento em nossa universidade, mantendo as nossas equipes coesas, para que possamos utilizar de forma produtiva o espaço construído e continuar a desenvolver tecnologias de interesse da empresa e da nação”, compartilhou com a plateia Márcia Mantelli. E antes de convidar para o ato de descerramento da placa de inauguração o reitor, professor Alvaro Prata, o gerente geral de Pesquisa & Desenvolvimento de Gás, Energia e Desenvolvimento Sustentável do Cenpes, Luis Fernando Mendonça, o gerente geral de Tecnologia para Processos de Gás e Energia da Petrobras, Mozart Schmitt de Queiroz, o diretor do Centro Tecnológico da UFSC, Edison da Rosa, e o pioneiro das pesquisas em Engenharia Térmica na UFSC, Sérgio Colle, ressaltou que o investimento nas universidades brasileiras só tem sentido se resultar na formação de pessoas – objetivo primeiro e maior de uma institutição de ensino superior.

“Esperamos que novas empresas na área de tecnologia de gás natural, gerenciadas por nossos jovens e competentes engenheiros resultem dessa empreitada, possibilitando à Petrobras usufruir dos resultados de seus investimentos, assim como permitindo o desenvolvimento, a autonomia e a independência tecnológica de nossa nação. Assim estaremos contribuindo para um futuro promissor para o nosso país, que certamente necessita de tecnologias de uso do gás natural, um combustível limpo, ecológico, que pode cooperar com o esforço de preservar a natureza”, complementou.

Mais informações na UFSC:  Profª. Márcia Barbosa Henriques Mantelli / / (48) 3721-9937, ramal  214.

Por Arley Reis / Jornalista na Agecom

Tags: gás naturalLabtucalPetrobrastubos de calor

Petrobras e UFSC inauguram laboratórios de pesquisa em gás natural

16/03/2011 16:03

O novo espaço: maior suporte à pesquisa com gás natural

A Petrobras e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) inauguram nesta sexta-feira, 18 de março,  às 11h, os Laboratórios de Pesquisa em Gás Natural. O novo espaço fica localizado no campus Universitário da Trindade, atrás da Fundação CERTI. Com uma área de 806m², os laboratórios fazem parte da Rede Temática de Gás Natural e receberam um investimento de R$1,5 milhão.

Entre as atividades dos novos laboratórios, destaca-se o desenvolvimento de equipamentos de transferência de calor que proporcionarão maior eficiência energética. Esse projeto faz parte das iniciativas de eficiência energética do Programa Tecnológico para Mitigação de Mudanças Climáticas (Proclima), coordenado pelo Centro de Pesquisas & Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes).

Também serão realizados estudos de ferramentas computacionais inteligentes para aplicação nas atividades industriais de gás natural e serão desenvolvidos equipamentos térmicos para uso por consumidores comerciais e industriais de gás natural, como fornos de cocção de pães utilizando tecnologia de termossifões.

Na inauguração, estarão presentes o reitor da UFSC, Alvaro Toubes Prata, o diretor do Centro Tecnológico da UFSC, Edison da Rosa, o gerente geral de Pesquisa & Desenvolvimento de Gás, Energia e Desenvolvimento Sustentável do Cenpes, Luis Fernando Mendonça, o gerente geral de Tecnologia para Processos de Gás e Energia da Petrobras, Mozart Schmitt de Queiroz, e a professora da UFSC Márcia Mantelli.

Redes Temáticas

O modelo de Redes Temáticas foi criado pela Petrobras em 2006, voltado para o relacionamento com as universidades e institutos de pesquisas brasileiros. Hoje há 50 redes operando em parceria com cerca de 110 universidades e instituições de pesquisas de todo o Brasil. Nas redes, as instituições desenvolvem pesquisas em temas estratégicos para o negócio da Petrobras e para a indústria brasileira de energia.

A Petrobras vem investindo cerca de R$ 400 milhões anuais, em média, possibilitando às instituições conveniadas a implantação de infraestrutura, aquisição de modernos equipamentos, criação de laboratórios de padrão mundial de excelência, capacitação de pesquisadores/recursos humanos e desenvolvimento de projetos de Pesquisa & Desenvolvimento nas áreas de interesse, como petróleo e gás, biocombustíveis e preservação ambiental.

Informações na UFSC com a professor Márcia Mantelli / e-mail:

Tags: gás naturalPetrobras