UFSC sedia simpósio sobre impactos das mudanças climáticas na agropecuária e saúde pública

28/08/2018 16:41

O Laboratório de Climatologia Aplicada do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina (LabClima/GCN/UFSC) promove o Simpósio “Impactos dos cenários futuros de mudanças climáticas na agropecuária e na saúde pública catarinense”, organizado em parceria com a FUNDACENTRO (Centro Estadual de Santa Catarina). O evento ocorre nos dias 18, 19 e 20 de setembro, no auditório do Anexo E do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC).

A programação inclui conferências, palestras, mesas-redondas e minicursos. Todas as atividades terão a participação de pesquisadores de diversas universidades e institutos do país. A programação completa está disponível aqui. As inscrições devem ser feitas aqui.

Mais informações na página do evento, na página do Labclima ou pelo telefone (48) 3721-8813.

Tags: agropecuáriaDepartamento de GeociênciasLabclimalaboratório de climatologia aplicadamudanças climáticassaúde públicasimpósioUFSC

CCS promove 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde

16/11/2017 10:18

O Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFSC), por meio do Departamento de Saúde Pública, promove de 21 a 23 de novembro, das 18 às 22h, a 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde com o tema ‘Violência de gênero e saúde’. O evento será realizado no Auditório da pós-graduação no CCS (Bloco H) e se constitui pelo envolvimento de coletivos, movimentos sociais, instituições, organizações e pessoas comprometidas com a Diversidade de Florianópolis e o objetivo é construir uma comunicação ampla entre os segmentos e as esferas de poder público e privado.
(mais…)

Tags: 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na SaúdeCCSLGBTTsaúde públicaUFSC

Observatório da Seguridade Social e Sistemas de Justiça realiza oficina sobre saúde do trabalhador em serviços penais

09/08/2017 10:04

Representantes e pesquisadores de administrações prisionais e do judiciário brasileiro estiveram reunidos no Departamento de Saúde Pública (SPB) da UFSC para participarem da I Oficina de Saúde do Trabalhador em Serviços Penais nos dias 24 e 25 de julho. Foram desenvolvidas iniciativas para constituição de uma Rede Nacional de Estudos e Apoio ao Trabalho em Serviços Penais e elaboradas propostas de trabalhos colaborativos desenvolvidos por centros de estudos e administrações prisionais, visando a melhoria e consolidação de políticas locais à promoção da saúde do trabalhador que atua em serviços penais.

A oficina foi organizada pelo Observatório de Seguridade Social e Sistemas de Justiça em parceria com o Grupo de Pesquisa em Violência e Saúde, Grupo de Pesquisa em Políticas de Saúde/Saúde Mental, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva e o Departamento de Saúde Pública da UFSC. Servidores de administrações prisionais e do judiciário dos estados de Santa Catarina, Maranhão, Rio Grande do Sul, Paraná, Ceará e São Paulo também contribuíram para realização da oficina.
(mais…)

Tags: Departamento de Saúde Públicasaúde públicaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC irá sediar Painel Catarinense de Gestão em Saúde Pública nos dias 27 e 28 de julho

21/07/2017 10:39

A Associação dos Estudantes de Medicina de Santa Catarina (AEMED-SC) promoverá o Painel Catarinense de Gestão em Saúde Pública nos dias 27 e 28 de julho. O evento, organizado com apoio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e do movimento Hacking Health SC, contará com a presença de acadêmicos e profissionais da saúde, empreendedores, gestores, designers, entre outras pessoas interessadas em discutir e resolver os problemas da saúde pública.

O objetivo é criar um espaço de discussão sobre o impacto da gestão no funcionamento do sistema de saúde. Os painelistas serão profissionais de referência nas áreas relacionadas ao tema discutido. Além disso, haverá atividades práticas (Design Thinking) para o desenvolvimento de soluções disruptivas para os problemas apontados.

O evento será realizado na UFSC e as inscrições são gratuitas.

Inscrições e mais informações no site.

Tags: Painel Catarinense de Gestão em Saúde Públicasaúde públicaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Professor ressalta a importância do debate sobre questões de gênero e sexualidade

26/06/2017 23:44

Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

Identidade de gênero, orientação sexual, homossexualidade, transsexualidade, bissexualidade, intersexualidade, assexualidade. Esses foram alguns dos conceitos apresentados e debatidos na palestra “Gênero e Sexualidade: Conexões e Transversalidades”, proferida pelo professor Rodrigo Otávio Moretti-Pires na sexta-feira, 23 de junho. O evento, que foi promovido pelo PET Conexões de Saberes, ocorreu no auditório do Centro Socioeconômico (CSE) e contou com a participação de professores e estudantes de diversas áreas de estudo.

Rodrigo é professor do Departamento de Saúde Pública (DSP/CCS) da UFSC e desenvolve pesquisas na área de saúde coletiva, com enfoque em diversidade sexual e gênero. Durante a palestra, ele destacou como as questões de gênero e sexualidade estão presentes nos mais diversos espaços e relações sociais. Uma das questões centrais no mundo ocidental é a sexualidade. O filósofo francês Michel Foucault afirma que a sexualidade é como um dispositivo, um mecanismo que opera de forma muito mais ampla do que podemos perceber. Está presente o tempo todo, em todos os lugares e em todas as relações que estabelecemos. Ao mesmo tempo, quase não debatemos sobre isso em nosso cotidiano.”

Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

Dividir o mundo entre homens e mulheres é, segundo o pesquisador, uma maneira muito precária de entender o conceito de gênero. “Sempre temos que dizer, quando preenchemos qualquer tipo de cadastro, qual é o nosso sexo. Mas qual a importância de se conhecer os genitais das pessoas? Nenhuma. Além disso, existem os genitais masculinos, femininos e o intersexo. Há poucos estudos sobre isso no Brasil, mas já é algo avançado em outros países. Em torno de 3 a 5 % da população é intersexual.” Os indivíduos intersexuais seriam aqueles que apresentam genitais com estrutura de ambos os sexos. Usualmente, detecta-se essa característica assim que a criança nasce e faz-se uma cirurgia priorizando o sexo que está mais desenvolvido.

Para o professor, esse tipo de decisão médica é condenável, pois pode gerar consequências negativas. “Muitas dessas pessoas nunca ficam sabendo que eram intersexuais. A justificativa para a intervenção cirúrgica é que estar no limbo entre ser homem ou mulher causa problemas numa sociedade que é binária. Mas o que o genital provoca na vida da pessoa não está dado, senão não haveria a possibilidade de alguém sentir atração pelo mesmo sexo. Na Europa existe um movimento forte que criminaliza a medicina que decide pelo corpo dessas pessoas antes delas mesmas.”

Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

As diferenças entre identidade de gênero e expressão de gênero também foram expostas. “Identidade tem a ver com como eu me percebo. Cada um se percebe, se identifica, com um determinado gênero. A forma como expresso esse gênero é descolada da identidade, por isso pode ser diferente. Mulheres trans, por exemplo, podem sentir atração por mulheres, podem ser lésbicas. Como o corpo original, sem modificação, é de um homem, as pessoas geralmente se perguntam: então por que não continua sendo homem, sendo que se atrai por mulheres? Justamente porque a identidade é diferente da expressão de gênero.” Nesse sentido, explicou, ser drag queen seria uma parte da expressão de gênero e não estaria necessariamente relacionado à orientação sexual nem à identidade de gênero.

A orientação sexual, por sua vez, se refere à atração. “Posso me atrair por homens, por mulheres, pelos dois, por tudo ou por todos, como é o caso dos pansexuais, que se atraem por qualquer tipo de pessoa, sem discriminações. E posso também não me sentir atraído por ninguém, que são as pessoas assexuais.” Rodrigo observa, porém, que quem é assexual não tem desejo sexual pelo outro, mas pode se masturbar e sentir prazer sozinho. Ainda há poucos estudos sobre isso no Brasil e, pelo desconhecimento, os assexuais sofrem preconceitos inclusive por parte dos profissionais da saúde.

A questão da homossexualidade também foi abordada durante a palestra. “Isso ainda não está resolvido na maior parte do mundo. São poucos os países que permitem e reconhecem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Muitos outros, além de não permitirem, criminalizam esse tipo de relação ao ponto de se condenar à prisão, prisão perpétua e até pena de morte. E mesmo nas sociedades menos discriminatórias, existe uma vigilância extrema sobre qualquer um que não se adeque à norma ou à expectativa social.” Para o professor, a estrutura patriarcal e machista na qual nossa sociedade é organizada precisa ser superada.

Daniela Caniçali/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: Centro SocioeconômicoCSEgênerohomofobiapalestraPET Conexão de Saberessaúde públicasexualidadeUFSC

Professor da UFSC lança o livro ‘Termalismo e Crenoterapia no Brasil e no mundo’

10/05/2017 16:24

O professor do Departamento de Saúde Pública da UFSC Fernando Hellmann lançará o livro Termalismo e Crenoterapia no Brasil e no mundo durante o evento “Termalismo Social em Santa Catarina: realidade, sensibilização e ação”, realizado na Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) entre os dias 9 e 12 de maio. Hellmann irá proferir a palestra de abertura sobre o tema do encontro juntamente com Daniel Rodrigues, professor da Unisul e coautor do livro. O evento é direcionado aos profissionais de Atenção Básica das cidades catarinenses e será realizado em três locais diferentes: Chapecó (9/05), Tubarão (11/05) e Palhoça (12/05). 

A programação do encontro conta com relatos de experiências bem-sucedidas em termalismo e duas palestras. A primeira sobre “Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares: avanços e desafios”, apresentada pelo representante do Ministério da Saúde Daniel Miele Amado; e a segunda, com o tema “As águas termais e minerais na Saúde”, proferida pelo membro da Associação Latino-americana de Termalismo na Argentina Néstor Hugo Ficosecco. A ação tem parceria com a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina (SES/SC), por meio de sua Diretoria de Educação Permanente em Saúde e da Escola de Saúde Pública de Santa Catarina, o curso de Naturologia da Unisul e o Departamento de Saúde Pública da UFSC.
(mais…)

Tags: água termalsaúde públicaTermalismoUFSCUnisulUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC participa de campanha nacional em defesa do SUS

23/06/2016 08:06

A UFSC promove, no dia 24 de junho, o ato “SUStente esta ideia”, como parte da campanha nacional “São João e SUS – Patrimônio do Povo Brasileiro”. A mobilização propõe atos públicos de conscientização da importância da Saúde Pública em todo país. Na UFSC, a campanha ocorre a partir das 10h da manhã, na Praça da Cidadania, em frente ao prédio da Reitoria.

Tags: campanha nacionalsaúde públicaSUSSUStente esta ideia

Inscrições abertas para curso a distância ‘Álcool e outras drogas, da coerção à coesão’

09/06/2016 17:50

O Ministério da Saúde, por meio da Universidade Aberta do SUS (Una-SUS), em parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), inicia o processo de inscrição para a segunda e última turma da 4ª edição do curso de atualização em Saúde Mental: “Álcool e outras drogas, da coerção à coesão”.

Trabalhadores do SUS com formação em nível médio/técnico e superior que atuam diretamente na Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) e na Rede Intersetorial (SUAS, Justiça e Ministério Público) podem se inscrever. O período de inscrição segue aberto até o dia 15 de julho.

Para mais informações e realização de inscrição, acesse o site do Una-SUS.

Tags: ministério da saúdesaúdeSaúde Mentalsaúde públicaUFSCUnA-SUSUniversidade Federal de Santa Catarina

Nota de pesar: falece professor aposentado Nelson Blank

03/06/2016 11:45

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) comunica, com pesar, o falecimento do professor aposentado Nelson Blank, do Departamento de Saúde Pública, do Centro de Ciências da Saúde (CCS), ocorrido nesta sexta-feira, 3 de junho. O professor Nelson Blank era graduado em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas (UFPEL) e doutor em Medicina Social pelo Instituto Karolinska, na Suécia. Ele ingressou no Departamento de Saúde Pública da UFSC em 1979, sendo autor de diversos artigos na área de epidemiologia.

Tags: falecimentoNota de pesarsaúde públicaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Palestra sobre agrotóxicos e saúde pública nesta terça-feira

31/08/2015 09:00

“Agrotóxicos e Saúde Pública no Brasil” é o tema da palestra que será proferida pela professora Sônia Hess, do curso de Engenharia Florestal da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), nesta terça-feira, 1º de setembro.

A palestra, atividade do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH), será às 8h30min, na sala 611 do prédio antigo do Centro de Ciências da Educação (CED).

Mais informações: (48) 9915-9541

Tags: agrotóxicospalestrasaúde públicaSônia HessUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Roda de Conversa: Ser Estudante na UFSC

12/06/2013 11:14

O Grupo de Pesquisa e Extensão em Saúde do Estudante (Gpese), do Departamento de Saúde Pública, e a Psicologia da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) convidam os estudantes da UFSC  para participar de uma Roda de Conversa: como é ser estudante da/na UFSC? O primeiro encontro será no dia 17 de junho, às 16h30, na Sala de Capacitação do HU (atrás do Grêmio do HU) e tem como proposta um espaço de diálogo, questionamento, reflexão e transformação desta vivência.
(mais…)

Tags: GpesePRAERoda de Conversasaúde públicaUFSC

Professor da UFSC lança livro sobre discriminação e seus efeitos na saúde

13/11/2012 14:19

É possível apreender cientificamente a discriminação? Que desafios complexos devem ser enfrentados nesta iniciativa? Para responder a estas perguntas, são necessárias estratégias metodológicas capazes de identificar e medir a discriminação. Apresentar as ferramentas disponíveis e discutir suas potencialidades e limitações são os objetivos do livro Discriminação e Saúde: perspectivas e métodos, lançamento da Editora Fiocruz. A obra, que compõe a coleção Temas em Saúde, é assinada por João Luiz Bastos, do Departamento de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina, e Eduardo Faerstein, do Instituto de Medicina Social da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

O livro será lançado durante o X Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, que acontece entre 14 e 18 de novembro na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Os autores estarão  autografando as obras no dia 16 de novembro às 16h, no “Espaço, saúde & letras” da Editora Fiocruz, no Congresso.

Tags: discriminaçãosaúde públicaUFSC

Seminário na UFSC debate o SUS e as privatizações na saúde pública

01/11/2012 12:58

Nos dias 5 e 6 de novembro (segunda e terça-feiras) será realizado na Universidade Federal Santa Catarinense (UFSC) o 1º Seminário Catarinense em Defesa do SUS. O Seminário vai debater questões como o sucateamento do Sistema Único de Saúde (SUS), como a falta de equipamentos, profissionais e remédios, e os novos modelos de saúde pública como as Organizações Sociais e a recém criada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh). Esses novos modelos permitem a entrada de capital privado na saúde pública, podendo acarretar em cada vez mais menos vagas para os usuários do SUS nos hospitais e na rede pública de saúde. O seminário pretender levantar questões como: será que as empresas privadas tratarão a saúde com a seriedade e prioridade que merece? Ou o capital privado visará só o lucro e a exploração da saúde da população? Para debater o tema estarão presentes professores, pesquisadores e membros do Poder Judiciário. Veja abaixo a programação do seminário com as palestras e os palestrantes.

Mais informações:
Adriana Carvalho (48)  99276731
Márcio Roberto Fortes 99279304.

Programação:

Dia 5
 14h – Abertura
– Sobre o Seminário, o Fórum Catarinense em Defesa do SUS e Contra a Privatização da Saúde e a Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde – Edileuza Garcia Fortuna (SindSaúde/SC)
– Saudação de Lúcia Helena Pacheco (vice-reitora da UFSC)
Coordenação: DCE/UFSC

14h30 – A Reforma Sanitária e o Sistema Único de Saúde – SUS
– Francisco Batista Júnior (ex-presidente e atual membro do Conselho Nacional de Saúde)
– Marco Aurelio Da Ros (Prof. Dr. aposentado do Departamento de Saúde Pública da UFSC)
Coordenação: DCE/UFSC

18h30min – Conjuntura e os novos modelos de privatização na saúde: OSs, OSCIPS, EBSERH, Fundações, PPPs e outras
– Sara Granemann (Profa. Dra. da Escola de Serviço Social da UFRJ)
– Simone Hagemann (Diretora do SindSaúde e membro do Conselho Estadual da Saúde)
– Clair Castilhos Coelho (Professora aposentada do Departamento de Saúde Pública da UFSC).
Coordenação: Adriana Carvalho (Fórum Catarinense em Defesa do SUS e Contra a Privatização da Saúde)

Dia 6

9h – A EBSERH e as conseqüências para o HU, a universidade e a sociedade
Palestrantes:
– Sara Granemann (Profa. Dra. da Escola de Serviço Social da UFRJ)
– Irineu Manoel de Souza (Prof. Dr. do Departamento de Administração da UFSC)
– Darley Rugeri Wollmann Junior (Médico do HC da UFPR e diretor do Sindicato dos Médicosno Estado doParaná- SIMEPAR)

Entidades e autoridades convidadas para expressarem a posição referente à EBSERH:
– Roselane Neckel (Reitora da UFSC)
-Carlos Alberto Justo da Silva (HU/UFSC)
– SINTUFSC
– APUFSC
– ANDES/UFSC
– APG/UFSC
– DCE/UFSC

Coordenação: Tânia Regina Krüger (Profa. Dra. do DSS da UFSC)

14h – Marco jurídico dos novos modelos de gestão da saúde
– Dr. André Stefani Bertuol (Procurador da República em Santa Catarina)
– Dra. Dulce MarisGalle (Procuradora do Trabalho do MPT/SC)
– Vídeo da Dra. Sônia Maria Demeda Groisman Piardi (Promotora de Justiça do MP/SC)
Coordenação: Valmir Braz de Souza (Sindprevs/SC)

Tags: EbserhHUsaúde públicaSUSUFSC

Especialização em Saúde Coletiva

03/09/2012 14:18

Encerram hoje, 3 de setembro, as inscrições para o curso de especialização em Saúde Coletiva, do Departamento de Saúde Pública da UFSC. Graduados de todas as áreas podem se candidatar às 30 vagas, desde que sejam formados por instituição de ensino superior reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC).

As aulas são presenciais e têm carga horária total de 420 horas, divididas em 10 meses.

Prazos:
INSCRIÇÕES: até 03/09/2012.
ENVIO DA DOCUMENTAÇÃO: até 03/09/2012
HOMOLOGAÇÃO DAS INSCRIÇÕES: 06/09/2012.
PROVA ESCRITA: 10/09/2012.
RESULTADO FINAL: 12/09/2012.

Mais informações em www.spb.ufsc.br

Tags: especializaçãosaúde públicaUFSC

Chat: professor fala sobre o SUS

21/08/2012 09:27
O professor de Saúde Pública da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Walter Ferreira de Oliveira participa de um bate-papo com os internautas sobre saúde-pública em Florianópolis nesta quarta-feira. Para participar o interessado deve acessar a fanpage do Floripa Te Quero Bem no Facebook e conversar com o especialista, que estará online às 10h. 
(mais…)
Tags: saúde públicaUFSCWalter de Oliveira

Estudante da Pós-graduação em Saúde Coletiva conquista prêmio do Ministério da Saúde

20/08/2012 09:47

A estudante da UFSC Vanessa de Bona Sartor conquistou o primeiro lugar na categoria dissertação no III Prêmio Nacional de Incentivo à Promoção do Uso Racional de Medicamentos, patrocinado pelo Ministério da Saúde. O trabalho  ´Avaliação do Serviço de Dispensação de Medicamentos na Rede de Atenção Básica do SUS` foi defendida em 2011 e o prêmio entregue durante o IV Congresso Sobre o Uso Racional de Medicamentos, realizado em Salvador, no período 12 a 15 de agosto.
(mais…)

Tags: premiaçãosaúde públicaSUSUFSC

Universidade retoma avaliação da saúde de adultos em Florianópolis

05/03/2012 15:38

Em 2009 os participantes responderam a um questionário sobre condições de saúde e foram realizadas medidas como peso, altura, perímetro da cintura e pressão arterial. Foto: Projeto Epifloripa

Inicia em março a segunda fase do projeto Epifloripa – Condições de Saúde de Adultos e Idosos de Florianópolis. A expectativa da equipe, coordenada por professores dos departamentos de Saúde Pública e Nutrição da UFSC, é concluir a fase de entrevistas no mês de julho. A meta é levantar dados sobre saúde bucal, qualidade de vida, discriminação e alimentação, além de acompanhar a evolução de outras questões que podem interferir na saúde, como a gordura abdominal, o peso e a pressão arterial. O trabalho tem apoio financeiro do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O Projeto Epifloripa começou em 2009, quando 1.720 adultos, entre 20 e 59 anos, e 1.705 idosos, com 60 anos ou mais, de todas as regiões da cidade, foram visitados em suas casas. Nesta primeira etapa, os participantes responderam a um questionário sobre condições de saúde e foram realizadas medidas como peso, altura, perímetro da cintura e pressão arterial.

“Novamente, precisamos muito da colaboração das pessoas”, solicita o professor do Departamento de Saúde Pública da UFSC, Marco Aurélio Peres, principal coordenador da pesquisa.  Segundo ele, a proposta neste ano é entrevistar os mesmos 1.720 adultos de 2009. As pessoas serão visitadas em seus domicílios para avaliação odontológica, responderão a um questionário sobre condições de vida e saúde, trajetória econômica, qualidade de vida, saúde bucal, nutrição, dieta e experiências de discriminação, além passarem por medidas da cintura, peso e pressão arterial.

O levantamento de dados será realizado por cirurgiões dentistas formados pela UFSC, sendo alguns deles alunos de pós-graduação. “Esperamos continuar investigando estas mesmas pessoas ao longo de muitos anos. Este tipo de estudo possibilita conhecer fatores de risco à saúde e denunciar as diferenças nos padrões de saúde segundo grupos sociais, subsidiando políticas públicas direcionadas a melhorar as condições de vida e de saúde da população adulta de Florianópolis. Pretendemos divulgar os resultados para a população, dirigentes e profissionais da saúde”, explica o professor.

Pressão elevada e sobrepeso
De acordo com Peres, alguns aspectos obtidos na primeira etapa da pesquisa preocupam. Os dados mostram que quase 1/3 da população vive com algum tipo de dor crônica; 40% estão com níveis de pressão elevados e quase a metade dos participantes estão acima do peso, sendo 15% destes obesos. Além disso, a pesquisa revelou que o consumo de medicamentos é excessivo (quase 80% da amostra revelou consumo regular), cerca de 20% dos entrevistados relataram episódios de depressão e a maior parte dos adultos não pratica atividade física regularmente.

A pesquisa em 2009 mostrou também que a população utiliza serviços de saúde, boa parte por meio de convênios (aproximadamente 50%) e a cobertura da Estratégia de Saúde da Família é menor do que se imaginava (perto de 30%). “Este é um quadro geral, que varia segundo os grupos sociais; os mais pobres e menos escolarizados apresentam, em geral, as piores condições de vida e saúde”, destaca o professor.

O pesquisador ressalta também que esse tipo de estudo é inédito em Florianópolis e pode contribuir para a melhoria das condições de saúde da população. “As visitas serão agendadas pelo telefone e a equipe que visitará os domicílios é extremamente preparada”, complementa.

Termo de consentimento
A participação acontece após a leitura e assinatura de um documento chamado Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, utilizado em todas as investigações que envolvem seres humanos. No documento são fornecidas informações detalhadas sobre o estudo, direitos dos participantes e tudo o que será realizado durante a pesquisa.

O EpiFloripa respeita critérios éticos indispensáveis a uma pesquisa realizada com seres humanos, como a confidencialidade de informações, o anonimato e a participação voluntária. Os nomes dos participantes e as informações sobre seu estado de saúde não são divulgados. O sigilo é garantido pelo uso de códigos numéricos em todos os registros e pelo arquivamento seguro e com acesso restrito das informações.

Mais informações sobre a pesquisa no site www.epifloripa.ufsc.br

Para a imprensa, com o professor Marco Aurélio Peres / Fone 3721-9046 / e-mail:

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

 

Tags: Epifloripasaúde pública