Café (Psico) Antropológico debate gênero, sexualidade e diversidade, nesta quinta

09/11/2017 07:31

Mais uma edição do Café (Psico) Antropológico será realizada nesta quinta-feira, 16 de novembro, a partir das 16h30, na Sala Silvio Coelho dos Santos (CFH/UFSC). Para participar, basta de dirigir até o local, não é necessária a inscrição.

O tema ‘Retrocessos nas políticas de gênero, sexualidade e diversidade no Brasil: fundamentalismos na educação e nos museus’ contará com o debate de Amurabi Oliveira (Ciências Sociais/UFSC), Eduardo Bonaldi (Ciências Sociais/UFSC), Nise Jenkings (Metodologia de Ensino/UFSC) e Thainá Castro (Museo/UFSC). A coordenação será de Miriam Grossi (Antropologia/UFSC).
(mais…)

Tags: Café (Psico) AntropológicodiversidadegêneropsicologiasexualidadeUFSC

Professor ressalta a importância do debate sobre questões de gênero e sexualidade

26/06/2017 23:44

Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

Identidade de gênero, orientação sexual, homossexualidade, transsexualidade, bissexualidade, intersexualidade, assexualidade. Esses foram alguns dos conceitos apresentados e debatidos na palestra “Gênero e Sexualidade: Conexões e Transversalidades”, proferida pelo professor Rodrigo Otávio Moretti-Pires na sexta-feira, 23 de junho. O evento, que foi promovido pelo PET Conexões de Saberes, ocorreu no auditório do Centro Socioeconômico (CSE) e contou com a participação de professores e estudantes de diversas áreas de estudo.

Rodrigo é professor do Departamento de Saúde Pública (DSP/CCS) da UFSC e desenvolve pesquisas na área de saúde coletiva, com enfoque em diversidade sexual e gênero. Durante a palestra, ele destacou como as questões de gênero e sexualidade estão presentes nos mais diversos espaços e relações sociais. Uma das questões centrais no mundo ocidental é a sexualidade. O filósofo francês Michel Foucault afirma que a sexualidade é como um dispositivo, um mecanismo que opera de forma muito mais ampla do que podemos perceber. Está presente o tempo todo, em todos os lugares e em todas as relações que estabelecemos. Ao mesmo tempo, quase não debatemos sobre isso em nosso cotidiano.”

Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

Dividir o mundo entre homens e mulheres é, segundo o pesquisador, uma maneira muito precária de entender o conceito de gênero. “Sempre temos que dizer, quando preenchemos qualquer tipo de cadastro, qual é o nosso sexo. Mas qual a importância de se conhecer os genitais das pessoas? Nenhuma. Além disso, existem os genitais masculinos, femininos e o intersexo. Há poucos estudos sobre isso no Brasil, mas já é algo avançado em outros países. Em torno de 3 a 5 % da população é intersexual.” Os indivíduos intersexuais seriam aqueles que apresentam genitais com estrutura de ambos os sexos. Usualmente, detecta-se essa característica assim que a criança nasce e faz-se uma cirurgia priorizando o sexo que está mais desenvolvido.

Para o professor, esse tipo de decisão médica é condenável, pois pode gerar consequências negativas. “Muitas dessas pessoas nunca ficam sabendo que eram intersexuais. A justificativa para a intervenção cirúrgica é que estar no limbo entre ser homem ou mulher causa problemas numa sociedade que é binária. Mas o que o genital provoca na vida da pessoa não está dado, senão não haveria a possibilidade de alguém sentir atração pelo mesmo sexo. Na Europa existe um movimento forte que criminaliza a medicina que decide pelo corpo dessas pessoas antes delas mesmas.”

Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

As diferenças entre identidade de gênero e expressão de gênero também foram expostas. “Identidade tem a ver com como eu me percebo. Cada um se percebe, se identifica, com um determinado gênero. A forma como expresso esse gênero é descolada da identidade, por isso pode ser diferente. Mulheres trans, por exemplo, podem sentir atração por mulheres, podem ser lésbicas. Como o corpo original, sem modificação, é de um homem, as pessoas geralmente se perguntam: então por que não continua sendo homem, sendo que se atrai por mulheres? Justamente porque a identidade é diferente da expressão de gênero.” Nesse sentido, explicou, ser drag queen seria uma parte da expressão de gênero e não estaria necessariamente relacionado à orientação sexual nem à identidade de gênero.

A orientação sexual, por sua vez, se refere à atração. “Posso me atrair por homens, por mulheres, pelos dois, por tudo ou por todos, como é o caso dos pansexuais, que se atraem por qualquer tipo de pessoa, sem discriminações. E posso também não me sentir atraído por ninguém, que são as pessoas assexuais.” Rodrigo observa, porém, que quem é assexual não tem desejo sexual pelo outro, mas pode se masturbar e sentir prazer sozinho. Ainda há poucos estudos sobre isso no Brasil e, pelo desconhecimento, os assexuais sofrem preconceitos inclusive por parte dos profissionais da saúde.

A questão da homossexualidade também foi abordada durante a palestra. “Isso ainda não está resolvido na maior parte do mundo. São poucos os países que permitem e reconhecem o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Muitos outros, além de não permitirem, criminalizam esse tipo de relação ao ponto de se condenar à prisão, prisão perpétua e até pena de morte. E mesmo nas sociedades menos discriminatórias, existe uma vigilância extrema sobre qualquer um que não se adeque à norma ou à expectativa social.” Para o professor, a estrutura patriarcal e machista na qual nossa sociedade é organizada precisa ser superada.

Daniela Caniçali/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: Centro SocioeconômicoCSEgênerohomofobiapalestraPET Conexão de Saberessaúde públicasexualidadeUFSC

Palestra sobre biopolítica e sexualidade será realizada nesta quarta-feira 

06/10/2015 11:35

O Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFil) realiza, nesta quarta-feira, 7 de outubro, às 19h, uma palestra com o tema “Figuras contemporâneas da relação entre vida e política: a sexualidade entre captura e resistência”, com o professor André Duarte, da Universidade Federal do Paraná (UFPR). O evento ocorre na sala 329 do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

O objetivo da palestra é refletir sobre os conceitos de biopolítica e sexualidade a partir dos autores Butler e Foucault. “É sobre Foucault e Butler em torno das relações entre vida, política e sexualidade, retomando questões sobre a biopolítica, mas agora no campo das relações entre corpo, gênero e sexualidade”, antecipou André.

O evento inicia às 19h e dará certificado aos participantes. As inscrições são gratuitas e feitas na hora, e o evento é aberto ao público em geral.

Mais informações no site do programa.

Tags: bioplíticaFiguras contemporâneas da relação entre vida e política: a sexualidade entre captura e resistênciaPrograma de Pós-Graduação em FilosofiasexualidadeUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Roda de conversa ‘Corpo, Sexualidade e Autodeterminação’ nesta terça na UFSC

23/09/2014 10:14

O Núcleo de Ecologia Humana e Sociologia da Saúde (Ecos) promove a roda de conversa “Corpo, Sexualidade e Autodeterminação”, nesta terça-feira, 23 de setembro, às 14h, no Centro de Cultura e Eventos UFSC – sala Goiabeira. Informações: (48) 3721-9250, ramal 27; http://ecos.ufsc.br/category/noticia/.

Tags: autodeterminaçãocorpoECOSRoda de Conversasexualidade

TV UFSC: lançamento do livro ‘Vida Marinha de Santa Catarina’ nesta quinta-feira

04/06/2014 23:03

A edição desta quarta-feira, 4 de junho, do UFSC Cidade aborda o lançamento oficial do livro “Vida Marinha de Santa Catarina”. Organizado pelo professor Alberto Lindner, do Laboratório de Biodiversidade Marinha do Centro de Ciências Biológicas da UFSC, o livro é publicado pela Editora da UFSC com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc). O lançamento será nesta quinta-feira, 5 de junho, às 18h, no auditório da Justiça Federal (Avenida Beira-Mar Norte).

Leia a resenha da obra e outras informações sobre o lançamento.

(mais…)

Tags: adolescênciaConselheiro CidadãoEdUFSCFapescsexualidadeTV UFSCUFSCUFSC CidadeVida Marinha de Santa Catarina

Jornada Internacional do NIGS terá palestra com Claudia Lee Fonseca nesta sexta

13/09/2013 10:00

O Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividade (NIGS) promove nos dias 12 e 13 de setembro, a Jornada Internacional NIGS: Trabalho de Campo, Ética e Sexualidades, pré-evento do Seminário Internacional Fazendo Gênero 10.

O evento será realizado em dois locais, no Hotel Maria do Mar, localizado no bairro Saco Grande, em Florianópolis, e no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A recepção dos participantes e abertura da Jornada ocorrerá a partir das 15h30min.

Além de palestrantes da UFSC, a Jornada trará representantes de outras instituições brasileiras, e de mais sete países, Argentina, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, México, Moçambique e Uruguai. Serão realizadas rodas de conversa, palestras, e apresentação de trabalhos realizados na área.
(mais…)

Tags: éticaFazendo Gênero 10Jornada InternacionalNIGSsexualidadeTrabalho de CampoUFSC

46ª Jornada Catarinense de Debates e Estudos Médicos tem como tema Sexualidade

06/09/2012 11:15

Entre os dias 17 e 19 de setembro acontece a XLVI Jornada Catarinense de Debates Científicos e Estudos Médicos no Centro de Eventos da UFSC. O evento é promovido anualmente pelos estudantes do quinto ano de Medicina da universidade e o tema desta edição é Sexualidade. O encontro é aberto ao público. As inscrições para a Jornada podem ser feitas por meio deste formulário. Até o próximo dia 10, a taxa é de R$35,00.

Um dos palestrantes confirmados é o médico Jairo Bouer, referência nacional em sexualidade e comportamento jovem. Formado pela Faculdade de Medicina da USP, Bouer escreve há 12 anos para a Folha de São Paulo. Sua palestra tem como título “Comportamento Sexual do Jovem Brasileiro”.

Também participarão do evento os médicos Alexandre Hohl e Ana Maria Michels, o especialista em Psicologia Educacional e Escolar, Tito Sena, e o especialista em Medicina Legal e Patologia Clínica, Zulmar Vieira Coutinho. Todos são formados pela UFSC.

No próximo dia 13, acontece a Pré-Jornada, com o tema “Sexualidade: abordagem na atenção primária”. O evento começa às 18h no Auditório do CCS e as vagas são limitadas. As inscrições custam R$15,00 e podem ser feitas no bar do CCS, no hall do HU e na Unisul Pedra Branca.

Mais informações:
Site do evento: http://46jcdcem.blogspot.com.br/.
Página  no Facebook (https://www.facebook.com/46jcdcem).


Isadora Ruschel / Estagiária de Jornalismo na Agecom /UFSC

 

Programação da 46ª Jornada Catarinense de Debates e Estudos Médicos:

17 de setembro

18h20min – 18h50min: Sexualidade, Cultura e Educação – Dr. Tito Sena – Psicólogo e Sexólogo

18h50min – 20h20min: Sexualidade nas Diferentes Fases da Vida

 Sexualidade na Infância e Adolescência – Dra. Gianny Cesconetto – Médica Pediatra e Hebiatra

Sexualidade na Gestação – Dra. Luisa Guedes de Oliveira – Médica Ginecologista e Obstetra

  Sexualidade na Terceira Idade – Dr. Rogério Guedes Viotti – Médico Geriatra e Gerontologista

20h20min – 20h50min: Coffee Break

20h50min – 21h20min: O Paciente Sedutor – Dra. Ana Maria Maykot Prates Michels – Médica Psiquiatra

 

18 de setembro

18h30min – 19h: Disfunção Sexual Feminina – Dra. Jussimara Souza Steglich – Médica Ginecologista e Obstetra

19h – 19h30min: Abordagem Urológica da Disfunção Erétil e Distúrbios da Ejaculação – Dr. Cristiano Novotny – Médico Urologista

19h30min – 20h: Coffee Break

20h – 20h30min: Sexo e Medicamentos – Maria Clara Ruschel Hillmann – Farmacêutica

20h30min – 21h30min: Comportamento Sexual do Jovem Brasileiro – Dr. Jairo Bouer – Médico Psiquiatra

 

19 de setembro

18h30min – 19h: Transtornos de Identidade e Preferência Sexual – Dr. Luiz Henrique Wizniewsky – Médico Psiquiatra

19h30min – 20h: DAEM (Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino) – Dr. Alexandre Hohl – Médico Endocrinologista

20h – 20h30min: Coffee Break

20h30min – 21h: Abordagem e Manejo do Paciente Vítima de Abuso Sexual – Enf. Caroline Schweitzer de Oliveira – Especialista em Educação Sexual/Coordenadora Saúde da Mulher/RAIVVS

21h – 21h30min: Diagnóstico Médico Legal do Estupro: Dificuldades Técnicas – Dr. Zulmar Vieira Coutinho – Médico Patologista e Legista

 

Tags: medicinasexualidadeUFSC

Esporte e sexualidade

05/12/2011 11:14

“Moins gay, plus queer: une approche critique des compétitions sportives LGBT” é o titulo da palestra que Wagner Camargo, do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, proferiu em Paris no encontro “Sportifs homosexuels et homosexuels sportifs: l’homophobie en question” O tema apresentado é o mesmo da tese de doutorado que ele defende em fevereiro de 2012 no, no PPGICH. Veja o programa completo em: http://pt.scribd.com/doc/74408406/Programme-du-Colloque-FSGL.

Tags: esportesexualidade