UFSC recebe simpósio sobre violências contra crianças e adolescentes, dia 27

24/06/2019 17:00

A UFSC recebe no dia 27 de junho, das 9 às 16 horas, no Auditório da Pós-graduação do Centro de Ciências da Saúde (Bloco H), o I Simpósio Estadual Intersetorial: Enfrentamentos às Violências contra Crianças e Adolescentes.

A atividade é promovida pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (DIVE), e os acadêmicos, profissionais e comunidade interessada podem participar.

Mais informações:

Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE)
Fone: (48) 3664-7400
www.dive.sc.gov.br

Tags: Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DIVE)I Simpósio Estadual Intersetorial: Enfrentamentos às Violências contra Crianças e AdolescentessimpósioUFSC

Simpósio em Ciências Fisiológicas da UFSC ocorre nos dias 13 e 14 de dezembro

23/11/2018 18:33

O  VIII Mini Simpósio do Programa Multicêntrico de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas (PMPGCF/UFSC) ocorre nos dias 13 e 14 de dezembro, no anfiteatro do Espaço Físico Integrado (EFI/UFSC). O evento é gratuito e aberto a todos. Não é necessário fazer inscrição.

A programação completa está disponível aqui.

Mais informações na página do PMPGCF.

Tags: PMPGCFPrograma Multicêntrico de Pós-Graduação em Ciências FisiológicassimpósioUFSC

UFSC sedia Simpósio Internacional ‘América Latina: literatura, cultura e pensamento’

29/10/2018 08:35

O Programa de Pós-graduação em Literatura (PPGLit/UFSC) e o Núcleo Juan Carlos Onetti de Estudos Literários Latino-americanos (Núcleo Onetti/UFSC) promovem o I Simpósio Internacional “América Latina: Literatura, Cultura e Pensamento”. O evento ocorrerá nos dias 30 e 31 de outubro de 2018, no Centro de Comunicação e Expressão (CCE/UFSC), no auditório Henrique Fontes e nas salas Assis e Drummond. Trata-se do primeiro Simpósio do Núcleo Disciplinário (ND) Literatura, Imaginários, Estética e Cultura da Associação de Universidades Grupo de Montevidéu (AUGM), cujo objetivo é debater sobre Literatura e Cultura da América Latina.

Pesquisadores brasileiros, argentinos, paraguaios, chilenos e uruguaios estarão participando em mesas de debate durante o evento que se iniciará com a conferência do teórico e escritor Raul Antelo e contará com a presença do poeta, editor e crítico argentino, Guillermo Saavedra. A abertura contará com a presença do reitor da UFSC, Ubaldo Balthazar, do cônsul da Argentina, Ministro Gustavo Coppa, e do Secretário de Assuntos Internacionais da UFSC, Lincoln Fernandes. O evento é aberto ao público e a entrada é franca. As inscrições devem ser feitas aqui.

A programação está disponível aqui e no Facebook.

Tags: América LatinaPPGLitPrograma de Pós-Graduação em LiteraturasimpósioUFSC

Simpósio do Grupo de Estudos Feministas na Literatura e na Tradução recebe propostas para comunicação oral

28/08/2018 17:53

O II Simpósio do Grupo de Estudos Feministas na Literatura e na Tradução, que ocorre nos dias 29 e 30 de outubro de 2018, recebe propostas para comunicação oral até 12 de setembro. Com o tema “Escrituras de Mulheres”, o objetivo do evento é trazer as mulheres para o centro das discussões — como, por exemplo, aquelas propostas por Hélène Cixous (1975), nas quais as mulheres se inscrevem, se colocam no texto, levando para a cultura escrita suas vivências e variáveis, assim como seus corpos historicamente marginalizados e sexualizados pelos simbolismos da linguagem patriarcal.
(mais…)

Tags: Escrituras de MulheresGEFLITsimpósiosubmissão de trabalhosUFSC

UFSC sedia simpósio sobre impactos das mudanças climáticas na agropecuária e saúde pública

28/08/2018 16:41

O Laboratório de Climatologia Aplicada do Departamento de Geociências da Universidade Federal de Santa Catarina (LabClima/GCN/UFSC) promove o Simpósio “Impactos dos cenários futuros de mudanças climáticas na agropecuária e na saúde pública catarinense”, organizado em parceria com a FUNDACENTRO (Centro Estadual de Santa Catarina). O evento ocorre nos dias 18, 19 e 20 de setembro, no auditório do Anexo E do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC).

A programação inclui conferências, palestras, mesas-redondas e minicursos. Todas as atividades terão a participação de pesquisadores de diversas universidades e institutos do país. A programação completa está disponível aqui. As inscrições devem ser feitas aqui.

Mais informações na página do evento, na página do Labclima ou pelo telefone (48) 3721-8813.

Tags: agropecuáriaDepartamento de GeociênciasLabclimalaboratório de climatologia aplicadamudanças climáticassaúde públicasimpósioUFSC

UFSC recebe Simpósio de Aperfeiçoamento de Imagionologia, entre os dias 24 e 26 de agosto

03/07/2018 18:26

Entre os dias 24 e 26 de agosto o auditório da Reitoria sedia o VI Simpósio de Aperfeiçoamento de Imagionologia. Para participar, é necessário realizar a inscrição até 10 de agosto aqui e trazer dois quilos de alimentos não perecíveis no primeiro dia do evento para doação a entidades da região. A participação assegura certificados de 20 horas aos inscritos e o Simpósio ocorre no auditório da Reitoria da UFSC. Organizado pelo Serviço de Radiologia do Hospital Universitário da UFSC (HU), em parceria com o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), o Conselho Regional de Técnicos em Radiologia da 11ª Região e com o Hospital da Policia Militar, o Simpósio é realizado anualmente e se trata do principal evento da área de Imagionologia de Santa Catarina.
(mais…)

Tags: Hospital UniversitárioImaginologiasimpósioUFSCUniversidade Federal de Santa CatarinaVI Simpósio de Aperfeiçoamento de Imagionologia

Simpósio da Pós-Graduação em Literatura reflete o significado dos monstros na cultura ocidental

29/06/2018 15:43

Androides, lobisomens, bruxas. Esses e outros monstros, que sempre rondaram o imaginário da cultura ocidental, são personagens difundidos na literatura e cinema. Como exemplo vale citar o filme “A Forma da Água“, vencedor do Oscar 2018, do diretor Guillhermo del Toro, onde uma criatura criada em laboratório é vista como um mal  que pode ser torturado e odiado, por ser diferente biologicamente. Nesse contexto da indústria cultural, tais seres foram protagonistas do “Simpósio de Monstruosidades — Estética e Política”, organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Literatura da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGLIT/UFSC), na última quinta-feira, 28 de junho. Ministrado pelos professores Marcio Markendorf e Daniel Serravalle de Sá, o evento ocorreu no auditório da Biblioteca Universitária, durante o dia inteiro, reunindo seis mesas temáticas, além de palestras de abertura e encerramento.

Com o objetivo de apresentar trabalhos acadêmicos que problematizam o monstro na cultura ocidental nas mais variadas manifestações e lugares institucionais, a ideia foi revelar como o monstro, percebido como o anormal, o freak, o queer, o outro e o diferente, torna-se elemento metafórico para a produção de preconceito, abjeção, marginalização e violência.
(mais…)

Tags: literaturamonstrosmonstruosidadessimpósioUFSC

Inscrições abertas para Simpósio ‘Plantas e Substâncias de Uso: o Estado da Arte em Santa Catarina’

20/12/2017 09:34

Estão abertas as inscrições para a primeira edição do Simpósio “Plantas e Substâncias de Uso: o Estado da Arte em Santa Catarina”(I SP³SUA), que ocorrerá nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro de 2018 na UFSC.

O evento, pioneiro no estado, surge com o objetivo de reunir experiências que perpassam o campo científico, visando fomentar o diálogo acadêmico com iniciativas profissionais e populares. O SP³SUA se propõe como palco para a discussão ampla das relações que os seres humanos estabelecem com plantas e substâncias. Reunirá desta forma, conhecimentos e práticas que permeiam diversos âmbitos e setores da sociedade.

A inscrição é feita exclusivamente por meio do site oficial do evento, através do preenchimento dos dados no formulário.

As propostas de grupos de trabalho, comunicações em painéis de pesquisa e experiência, minicursos e oficinas serão recebidas até 10/01/2017.

Mais informações no site do Simpósio e pelo 

 

Tags: I SP³SUAinscriçõesPlantas e Substâncias de UsosimpósioUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Simpósio Hannah Arendt debate a existência humana e o ‘amor mundi’

03/06/2017 15:50

Professora Sônia Schio, na conferência de abertura. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC.

Com o tema “Amor mundi: política, educação e modernidade”, o I Simpósio Hannah Arendt da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) ocorreu entre os dias 1 e 3 de junho, com a participação de cerca de 230 pesquisadores de diversos estados brasileiros, como Goiás, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina. O evento foi organizado por três estudantes do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFil) – a doutoranda Kelly Janaína Souza da Silva, e os mestrandos Lara Emanuele da Luz e Gabriel Debatin –, sob a coordenação da professora Daiane Eccel, do Departamento de Estudos Especializados em Educação (EED/UFSC).

A ideia de “amor ao mundo” – o amor mundi – foi debatida em diversos momentos do encontro, assim como as tantas outras temáticas desenvolvidas na obra de Hannah Arendt: política, totalitarismo, educação, modernidade e a própria filosofia em si, a “atividade de pensar”. “O que Arendt diz sobre o amor mundi? Ela não é muito prolixa com relação a esse conceito. Mas podemos dizer que esse amor pelo mundo são atitudes de preservação do humano, de suas relações e da natureza”, afirmou a pesquisadora Sônia Maria Schio na conferência de abertura, cujo tema foi “Modernidade, ruptura da tradição e amor mundi: articulações a partir do pensamento de Arendt”.

Sônia é professora do departamento de Filosofia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel/RS), onde coordena o Grupo de Estudos Hannah Arendt (GEHAr). Autora do livro “Hannah Arendt – história e liberdade: da ação à reflexão” (Editora Clarinete, 2012), a pesquisadora estuda a obra da filósofa alemã há quase 30 anos. Durante toda sua trajetória acadêmica escreveu diversos artigos científicos, além de sua dissertação de mestrado e tese de doutorado, abordando os conceitos de estética, política, ação, reflexão, dignidade, educação, entre outros.

Professora Sônia Schio e o coordenador do Programa de Pós-graduação em Filosofia, Roberto Wu, na conferência de abertura. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC.

O tema central de sua palestra foi a relação do pensamento de Hannah Arendt com a noção de utopia desenvolvida nas obras de três autores dos séculos XVI e XVII: “Utopia”, de Thomas Morus; “A cidade do sol”, de Thommaso Campanella; e “Nova Atlântida”, de Francis Bacon. A pesquisadora descreveu brevemente a cidade ideal imaginada por cada um deles, para então partir para a indagação: “A pergunta que eu me fiz foi: por que diferentes pessoas, em diferentes países, quase na mesma época, escreveram sobre utopia? Será que o mundo no qual viviam não estava a contento? Os utopistas demonstram, em suas obras, essa instabilidade, essa mudança de mentalidade? Minha hipótese é que sim. E se eles sentiam o mundo em transformação, em crise, então me parece que Hannah Arendt tem razão em dizer que o século XVII é um século de virada, de ruptura.”

Esse cenário instável, “em crise”, teria criado as condições que tornaram possível a emergência do totalitarismo. “Por isso há consistência teórica na afirmação de Arendt de que o totalitarismo tem relação com esse período”, explica Sônia. A tradição, segundo ela, não tem só o aspecto negativo, que é o de tentar nos moldar a certas atitudes. Tem também o aspecto positivo de “ligar uma geração à outra”: “Quando não sei como agir, recorro à uma premissa maior, que vem por tradição, seja da educação formal ou informal, onde encontro uma regra geral para o meu agir. É nesse fio da navalha, entre o lado positivo e negativo da tradição, que sobrevivemos. E quando não há uma tradição? Quando não tenho uma referência para saber como devo me vestir ou educar meu filho? É quando não sabemos o que fazer que surge a crise e a ruptura” – e um ambiente propício para se instalar “um governo como o nazista, que perverte todas as regras”.

Natalidade e amor mundi

Professor Rodrigo Ribeiro Alves Neto, da Unirio. Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC.

Outra atividade de destaque no simpósio foi o minicurso “Mundo e Desmundanização em Hannah Arendt”, ministrado por Rodrigo Ribeiro Alves Neto, professor do departamento de Filosofia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) e autor da obra “Alienações do Mundo: uma interpretação da obra de Hannah Arendt” (Edições Loyola, 2009). Durante duas tardes, o pesquisador expôs o conteúdo de seu livro, refletindo também sobre o próprio ato de pensar, sobre o papel da filosofia.

Rodrigo explica que é no caráter comum, compartilhado do mundo que está a principal preocupação filosófica de Hannah Arendt. “Procuro explicitar, no livro, como a existência humana, para Arendt, só realiza a plenitude do seu vigor por um cultivado amor ao mundo. Ou seja, por meio de uma implicação corajosa, um engajamento responsável, um pertencimento ativo dos homens ao mundo.” Os laços que ligam o homem ao mundo comum estão, portanto, no cerne do pensamento da filósofa. Entretanto, adverte o professor, “muito mais do que simplesmente compreender a obra de Hannah Arendt, nosso esforço deve ser o de compreender a nós mesmos. Compreender o que somos e não somos, o que fazemos e não fazemos, o que pensamos e não pensamos, na situação atual da nossa existência.”

Professor Adriano Correia, da UFG. Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC.

O simpósio também contou com a presença do presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação em Filosofia (Anpof), Adriano Correia Silva, da Universidade Federal de Goiás (UFG). O professor, que proferiu a conferência “Política, formação, república: o amor mundi como sentimento político fundamental”, foi o responsável pela apresentação e revisão da última edição da tradução brasileira da obra “A condição humana”, de Hannah Arendt. Em sua palestra, Alexandre abordou, sobretudo, o tema da natalidade, a que Arendt se dedicou “desde suas primeiras incursões juvenis pela filosofia”.

“A natalidade não é idêntica ao nascimento e consiste nessa condição inaugural fundamental. Enquanto o nascimento é um acontecimento, um evento, por meio do qual somos recebidos na terra em condições em geral adequadas ao nosso crescimento enquanto membros da espécie, a natalidade é uma possibilidade sempre presente de atualizarmos, por meio da ação, a singularidade da qual o nascimento de cada indivíduo é uma promessa. É a possibilidade de assumirmos a responsabilidade por termos nascido e de nascermos assim também para o mundo; possibilidade, enfim, de que nos tornemos mundanos, amantes do mundo”, explicou o pesquisador. Esse “nascer para o mundo” seria o engajamento na vida política por meio da ação e do discurso.

Livro do professor da USP, José Sérgio Fonseca de Carvalho, lançado durante o Simpósio.

Além das conferências e do minicurso, a programação do simpósio incluiu a apresentação de 42 trabalhos e o lançamento de dois livros: “Educação, uma herança sem testamento: diálogo com Hannah Arendt“, de José Sérgio Fonseca de Carvalho, professor de Filosofia da Educação da Universidade de São Paulo (USP); e a coletânea “Hannah Arendt: a educação e a crise no mundo moderno”.

Mais informações pelo e-mail: ou pelo Facebook.

Daniela Caniçali/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: amor mundifilosofiaHannah ArendtI Simpósio Hannah ArendtmodernidadepolíticaPPGFILPrograma de Pós-Graduação em FilosofiasimpósioUFSC

Pós em Filosofia promove simpósio ‘Hannah Arendt – Amor Mundi: Política, Educação e Modernidade’

31/03/2017 14:28

O Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFil) recebe, até 22 de abril, trabalhos para o I Simpósio Hannah Arendt – Amor Mundi: Política, Educação e Modernidade. O encontro será realizado de 1º a 3 de junho, e contará com palestras e mesas de discussão com professores locais e externos, bem como com apresentações das comunicações inscritas e aprovadas.

A programação do evento, bem como demais informes, será publicada no link da página do evento no Facebook.

As inscrições para ouvintes vão de 11 de abril a 20 de maio. A presença no evento dá direito a certificado de 20 horas de participação.

Os resumos de comunicações, contendo de 200 a 300 palavras, bem como eventuais dúvidas, deverão ser enviados para o e-mail .

Mais informações no edital.

cartaz pdf

Tags: ArendtHanna ArendtsimpósioUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Simpósio Catarinense de Clínica, Cirurgia e Anestesiologia de Pequenos Animais ocorre em maio em Curitibanos

16/03/2017 12:22

O I Simpósio Catarinense de Clínica, Cirurgia e Anestesiologia de Pequenos Animais será realizado nos dias 4, 5 e 6 de maio no campus de Curitibanos com apoio da Federação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc). Inscrições e informações no site http://simcapeq.paginas.ufsc.br/.

Confira a programação:

programação

Tags: Cirurgia AnestesiologiaClínicaFapescPequenos AnimaissimpósioVeterinária

Simpósio ‘Crônica: jornalismo, edição, tradução’ ocorre nos dias 14 e 15 de dezembro

28/11/2016 20:00

narrative-794978_1920O I Simpósio “Crônica: jornalismo, edição, tradução” será realizado na UFSC  nos dias 14 e 15 de dezembro. O evento é promovido pelo programa de pós-graduação em Estudos da Tradução (PGET/UFSC) e ocorre no Centro de Comunicação e Expressão (CCE). Estão previstas duas conferências, uma delas com a professora Lúcia Granja, da Universidade Estadual Paulista (UNESP); a outra com o professor Julio Schvartzman, da Universidad de Buenos Aires (UBA).

O simpósio busca discutir a natureza e a circulação da crônica como gênero associado à imprensa e que experimenta uma reconfiguração quando da publicação em diferentes suportes (jornal, revista, livro), formatos (digital, impresso) e temporalidades (no momento, em hemerotecas e bibliotecas digitais), na própria língua ou em tradução. Qual é o espaço destinado à circulação das crônicas ao longo dos séculos XIX, XX e XXI? O que implica a edição das crônicas em livro? Há regularidades nas antologias de crônicas? Que impacto tem a digitalização das crônicas na leitura e na pesquisa sobre o gênero? Quais os eventuais diálogos entre a crônica brasileira e a crônica de outros países? Qual a exportabilidade da crônica brasileira e qual a importabilidade da crônica de outras línguas no Brasil? Estas são algumas das questões que nortearão o simpósio.

Mais informações pelo e-mail ou pelo Facebook.

Confira abaixo a programação do evento:

Quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

08h30-10h30
CONFERÊNCIA DE ABERTURA
Lúcia Granja (UNESP, São José do Rio Preto): “Casos da crônica e do romance nos periódicos do século XIX (texto e plasticidade)”.

11h00-12h30
Mesa 1. CRÔNICA E ALTERIDADE
Leticia Goellner (PGET/UFSC): “José Juan Tablada: crônicas do mundo”;
Naylane Matos (PGET/UFSC): “Tradução da crônica ‘Estas Mulheres’ de Rubén Darío: uma leitura/tradução feminista”;
Martha Pulido (PGET/UFSC, Universidad de Antioquia): “La música en las crónicas del Inca Garcilaso de la Vega (Los Comentarios Reales de los Incas. Primera Parte) (1609) (Lisboa MDCIX)”;
Michel François (UFC, PGET/UFSC): “Tradução e estrangeirismos nas crônicas de Lima Barreto na revista Floreal”.

Intervalo 
Almoço

15h00-16h30
Mesa 2. CRÔNICA, ARQUIVOS, TRADUÇÃO
Ingrid Bignardi(PGET/UFSC)/Andréia Guerini (PGET/CNPq): “A presença leopardiana nas crônicas jornalísticas do século XIX e XX”;
Bruna Nunes (UFRGS): “As ‘chroniquetas’ de Eloy, o Herói: alguns escritos de Artur Azevedo n’ A Estação”;
Rodrigo Dias (UFRGS): “O que escapa das lentes do hoje: uma leitura das Balas de estalo a partir do paradigma indiciário”;
Pablo Cardellino Soto (PGET/UFSC): “Tradução do português para o espanhol: entre a letra e a literalidade”.

17h00-18h30.
Mesa 3. SÉCULO XX e XXI, ARTICULAÇÕES, RELEITURAS
Rosario Lázaro Igoa (PGET/UFSC): “Crônica e reconfiguração de gênero: Mário de Andrade no Brasil e no Rio da Prata”;
Kelly Yshida (Pós-Graduação em História/UFSC): “Reflexões sobre as implicações e possibilidades de análise da crônica jornalística: o caso de Herói.Morto.Nós de Lourenço Diaféria (1977-1980)”;
Jean-François Brunelière (UFSC): “A circulação internacional das crônicas produzidas pelas organizações multinacionais: influência dos mercados e meios de divulgação”;
Thiago André Veríssimo (PGET/UFSC): “Mário Faustino: entre crônica e tradução poética”.

18h00 -18h30
Lançamento de livros
GUERINI, Andréia; TORRES, Marie-Hélène C.; COSTA, Walter Carlos. Vozes tradutórias: 20 anos de Cadernos de Tradução. Florianópolis: DLLE/UFSC, 2016.
ANDRADE, Mário de. Crónicas de melancolía eufórica. Org. L. Olivera e R. Lázaro. Trad. R. Lázaro. Montevidéu: Alter, 2016.

Quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

08h30-10h00
CONFERÊNCIA
Ignacio Corona (Ohio State University): “Crítica de la razón ofensiva: redes sociales, blogs y el cuestionamiento de la autoridad intelectual”.

10h30-12h30
Mesa 4. CRÔNICA, ESTÉTICA, PERFORMANCE
Daisi Vogel (UFSC): “Notas para uma estética da crônica brasileira”;
Augusto Nemitz Quenard (Pesquisador independente): “A configuração da crônica brasileira e seus limites no fazer literário”;
Vássia Silveira (PGET/UFSC): “Do virtual ao livro: relato de uma cronista”;
Fernanda de Araujo Machado (PGET/UFSC)/Rachel Sutton-Spence (PGET/UFSC): “Uma crônica pode ser em LIBRAS no século XXI?”;
Paulo Henrique Pappen (PGET/UFSC):”‘Carta para os vizinhos’: relato de performance com uma crônica”.

Intervalo 
Almoço

15h00-16h30
Mesa 6. CRÔNICA: RECONFIGURAÇÃO NACIONAL E INTERNACIONAL
Josiele Medeiros (UFRGS): “Imagens do tempo: as crônicas de Drummond no Correio da Manhã”;
Mayte Gorrostorrazo (FIC/UDELAR)/Leticia Lorier (UDELAR): “Asado, mediotanque y mate: la crónica como vehículo de referentes culturales y sus desafíos en traducciones español-portugués de la revista Pontis – Prácticas de Traducción”;
Claudia Silveyra D’Avila (Pós-Jor/UFSC): “A prosa jornalística-literária de Siegfried Kracauer à luz da crônica latino-americana”;
Walter Carlos Costa (UFSC/CNPq): “Clarice cronista em neerlandês”.

17h00-18h30
CONFERÊNCIA DE ENCERRAMENTO
Julio Schvartzman (Universidad de Buenos Aires): “Asemal: un experimento de prensa poética durante la última dictadura militar”.

18h00 -18h30
Laientheatergruppe: Leitura dramática de uma crônica de Nelson Rodrigues em alemão (do livro Goooooool!: Brasilianer zu sein ist das Grösste. Trad. Henry Thorau, Berlin, 2006. Texto cedido pela editora Suhrkamp).

Tags: CrônicaediçãojornalismoPGETPrograma de Pós-Graduação em Estudos da TraduçãosimpósiotraduçãoUFSC

Simpósio ‘Crônica: jornalismo, edição, tradução’ recebe trabalhos até 31 de outubro

19/10/2016 10:16

livros-nopatioO I Simpósio “Crônica: jornalismo, edição, tradução“, que será realizado na UFSC  nos dias 14 e 15 de dezembro, recebe propostas de comunicação até 31 de outubro. O evento é promovido pelo programa de pós-graduação em Estudos da Tradução (PGET/UFSC) e ocorre no Centro de Comunicação e Expressão (CCE). Podem apresentar trabalhos pesquisadores e docentes; pós-graduandos; pesquisadores de pós-doutorado; graduandos pesquisadores de Iniciação Científica e TCC (Trabalho de Conclusão de Curso); jornalistas; cronistas e profissionais da área.

Os trabalhos devem discutir a natureza e a circulação de crônica em seus diferentes suportes, a poética da crônica, o impacto da digitalização dos arquivos, a crônica na era da internet, as semelhanças e diferenças entre a crônica brasileira e a crônica em outras línguas, países e culturas. Convidamos investigadores de diferentes disciplinas (entre outras, estudos jornalísticos, estudos literários, estudos da tradução), com vinculação institucional (pesquisadores de TCC, iniciação científica, mestrado, doutorado, pós-doutorado, pesquisadores de centros de pesquisa, professores) ou independentes, jornalistas, cronistas, editores, para um debate inter e transdisciplinar sobre o gênero crônica, em suas diferentes manifestações e interfaces.

Interessados em participar com comunicação devem enviar resumo expandido (entre 250 e 300 palavras), palavras-chave (de 4 a 6), abstract (250-300 words), keywords (4-6), para o e-mail:  até 31 de outubro. A avaliação e resposta com envio de pareceres será realizada até 13 de novembro. As inscrições são gratuitas.

Sobre o evento

O simpósio busca discutir a natureza e a circulação da crônica como gênero associado à imprensa e que experimenta uma reconfiguração quando da publicação em diferentes suportes (jornal, revista, livro), formatos (digital, impresso) e temporalidades (no momento, em hemerotecas e bibliotecas digitais), na própria língua ou em tradução. Qual é o espaço destinado à circulação das crônicas ao longo dos séculos XIX, XX e XXI? O que implica a edição das crônicas em livro? Há regularidades nas antologias de crônicas? Que impacto tem a digitalização das crônicas na leitura e na pesquisa sobre o gênero? Quais os eventuais diálogos entre a crônica brasileira e a crônica de outros países? Qual a exportabilidade da crônica brasileira e qual a importabilidade da crônica de outras línguas no Brasil? Estas são algumas das questões que nortearão o simpósio.

Os conferencistas convidados serão Lúcia Granja, da Universidade Estadual Paulista (UNESP) e Julio Schvartzman, da Universidad de Buenos Aires (UBA).

Mais informações pelo e-mail ou pelo Facebook.

Tags: CCECrônicaediçãojornalismoPGETPrograma de Pós-Graduação em Estudos da TraduçãosimpósiotraduçãoUFSC

Hospital Universitário promove 4º Simpósio de Aperfeiçoamento em Imaginologia

08/07/2016 11:10

O IV Simpósio de Aperfeiçoamento em Imaginologia, que ocorrerá de 2 a 4 de setembro, constitui-se na principal reunião da área de imaginologia do estado de Santa Catarina. O evento é organizado pelo Hospital Universitário da UFSC, Instituto Federal de Santa Catarina, Conselho Regional de Técnicos em Radiologia, Hospital da Polícia Militar e Escola Técnica Geração. O Simpósio, que ocorre uma vez ao ano, será realizado no auditório da reitoria. Estão programadas cerca de 12 palestras, com temáticas destinadas a profissionais das técnicas radiológicas, médicos, físicos médicos, professores, estudantes além de proprietários de clínicas e empresas de equipamentos da área de diagnóstico por imagem. A participação é gratuita, mas os organizadores solicitam a contribuição de alimentos não perecíveis para doação à entidades carentes da região.

 

Tags: Hospital UniversitárioImaginologiaradiologiasimpósioUFSC

Inscrições para Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações vão até 26 de julho

06/07/2016 11:12

SimposioO Laboratório de Imigração, Migração e História Ambiental (Labimha/UFSC), em parceria com o Programa de Pós-Graduação em História (PPGHistoria) e o Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH) promovem, de 12 a 14 de setembro, o 4° Simpósio Internacional de História Ambiental e Migrações. As inscrições de apresentações orais para simpósios temáticos e pôsteres estão abertas até 26 de julho, terça-feira.

No 4° Simpósio serão tratadas temáticas de História Ambiental e Migrações, contemplando diferentes períodos e regiões do globo. O Simpósio é aberto a pesquisadores de todas as áreas do conhecimento. A língua oficial do evento é o português, mas trabalhos em espanhol e inglês também serão aceitos. As propostas devem ser submetidas por meio de formulário on-line.

Mais informações na página do evento.

Tags: LABIMHALaboratório de ImigraçãoMigração e História AmbientalPPGHistoriaPPGICH)Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências HumanassimpósioUFSC

Projeto da Pós-Graduação em História promove simpósio em Belo Horizonte

07/06/2016 08:00

A equipe do projeto “Povoamento inicial da América visto a partir do contexto arqueológico brasileiro”, apoiado pelo edital da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) /Comitê Francês de Avaliação de Cooperação Universitária com o Brasil (Cofecub) 2014, que envolve convênio internacional entre o Programa de Pós-Graduação em História (PPGHST) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Museum National d’Histoire Naturelle de Paris, França, promove o simpósio “Discutindo Povoamento: cenários e processos das primeiras ocupações humanas na América do Sul”.

O evento será realizado no Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte, entre os dias 13 e 15 de junho, das 9h às 17h.

Mais informações no site simposiopovoamento.blogspot.com.

 

Tags: capesCofecubpovoamentoPPGHSTsimpósioUFSC

Simpósio ‘A vida medicada: medicalização da infância’ encerra-se nesta sexta

20/11/2015 09:44

A programação do simpósio “A vida medicada: medicalização da infância” segue nesta sexta-feira, 20 de novembro, com palestra, mesa redonda e apresentações de trabalhos. As atividades ocorrem das 9h da manhã às 18h30, no auditório e nas salas do Centro de Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A programação está disponível aqui.

O simpósio pretende gerar um espaço de interação e troca com pesquisadores brasileiros e estrangeiros interessados em discutir os limites e dificuldades do processo de medicalização da infância. Neste sentido, foram definidos três eixos temáticos do evento:promove palestras e

1. O DSM e a proliferação de novos diagnósticos: procura indagar sobre a influência do DSM na multiplicação de novos transtornos e os diferentes mecanismos de categorização dos sofrimentos psíquicos;

2. A medicalização da infância em perspectiva histórica: pretende compreender a partir da analise histórica o processo de criação dos chamados transtornos mentais da infância, o sistema classificatório utilizado, o surgimento dos testes e os modelos estatísticos, assim como as mudanças, continuidades e descontinuidades no saber médico psiquiátrico como parte da medicalização infantil e a detecção de diagnósticos precoces;

3. Ética, indústria farmacêutica e medicalização da infância: busca analisar criticamente o papel da indústria farmacêutica no processo de medicalização infantil, suas implicações éticas e os dispositivos de patologização dos sofrimentos psíquicos.

A atividade é organizada pelos programas de pós-graduação em Saúde ColetivaSociologia Política e Interdisciplinar em Ciências Humanas.

Mais informações no site.

Tags: infânciaMedicalizaçãosaúde coletivasimpósioSociologia PolíticaUFSCVida medicada

UFSC sediará 1° Simpósio Internacional de Promoção da Saúde

18/08/2015 11:04

Estão abertas as inscrições para o “1° Simpósio Internacional de Promoção da Saúde: diálogo com os determinantes sociais”, que ocorrerá nos dias 16, 17 e 18 de novembro, no Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Organizado pelo Núcleo de Extensão e Pesquisa em Enfermagem e Promoção da Saúde (Nepeps), o objetivo do evento é reforçar o intercâmbio entre pesquisadores da UFSC e da University of Toronto. O tema central será a reflexão sobre os contributos da promoção da saúde no diálogo com os determinantes sociais.

O envio de trabalhos deve ser feito até 10 de setembro pelo email

Confira os valores da inscrição:

Prazo Profissional de saúde Profissional sócio da ABEn Estudante de graduação e pós Estudante sócio da ABEn
Até 30 de setembro R$ 250 R$ 200 R$ 125 R$ 100
Após 30 de setembro R$ 350 R$ 300 R$ 175 R$ 150

Mais informações: www.aben-sc.com        48 3721 3443

Cartaz-Seminario-internacional

Tags: CCSCentro de Ciências da SaúdeNepepsNúcleo de Extensão e Pesquisa em Enfermagem e Promoção da SaúdesimpósioUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Resultados e Perspectivas do Projeto Rede Guarani/Serra Geral em SC serão apresentados em simpósio

31/10/2013 11:15

O Simpósio de Recursos Hídricos: Resultados e Perspectivas do Projeto Rede Guarani/Serra Geral em SC será realizado nos dias 12, 13 e 14 de novembro, no Plenarinho, Auditório Paulo Stuart Wright, da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (Alesc), em Florianópolis, SC, com o objetivo de divulgar os resultados do Projeto Rede Guarani/Serra Geral em Santa Catarina, no período de 2008 a 2013, e apontar perspectivas para a continuidade do mesmo.
(mais…)

Tags: Resultados e Perspectivas do Projeto Rede Guarani/Serra Geral em SCsimpósioUFSC

2º Simpósio Formação de Professores e Práticas Pedagógicas recebe inscrições de trabalhos

20/09/2013 08:14

Com o tema “Diálogo entre Formação Inicial e Continuada”, a Coordenadoria de Estágios do Departamento de Metodologia de Ensino (MEN), o Colégio de Aplicação (CA) e o Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI) da Universidade Federal de Santa Catarina vão promover o 2º Simpósio Formação de Professores e Práticas Pedagógicas, nos dias 28 e 29 de novembro de 2013, no Colégio de Aplicação da UFSC, com o objetivo de debater e refletir a formação de professores e as práticas pedagógicas nas diferentes licenciaturas, em diálogo com as escolas de educação básica. O evento é gratuito e aberto ao público.

As inscrições para apresentação de trabalhos já estão abertas e devem ser feitas neste link, de acordo com as orientações. Podem se inscrever estudantes, professores de educação básica e de ensino superior. É possível enviar trabalhos nas modalidades de comunicação ou pôster. Cada trabalho pode ter diversos autores. Todos os participantes do trabalho devem fazer sua inscrição. 

(mais…)

Tags: CADiálogo entre Formação Inicial e ContinuadaMENndisimpósioUFSC

UAB/UFSC e IFSC realizam simpósio sobre educação a distância

14/03/2013 16:47

O Núcleo Universidade Aberta do Brasil/Universidade Federal de Santa Catarina (UAB/UFSC), em parceria com o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), realizará de 22 a 23 de maio, o Simpósio de Educação a Distância 2013 (EADSIMP). O evento reunirá, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, professores, estudantes, pesquisadores, tutores, coordenadores de polos, gestores públicos e público em geral para uma ampla discussão sobre a institucionalização da educação a distância nas instituições públicas.


(mais…)

Tags: 2013EADSIMPIFSCsimpósioUAB/UFSC

Show do grupo Cantadores de Engenho encerra simpósio de Etnobiologia e Etnoecologia

28/11/2012 16:31

Para encerrar a programação do IX Simpósio de Etnobiologia e Etnoecologia, que acontece até o dia 29 de novembro na UFSC, o grupo Cantadores de Engenho realizará o show “Abrindo as janelas do tempo…”, nesta quinta-feira, dia 29, a partir das 19h, no Auditório Garapuvu do Centro de Eventos da UFSC. A apresentação é gratuita e aberta ao público.
(mais…)

Tags: Cantadores de EngenhoEtnobiologia e EtnoecologiasimpósioUFSC

Pesquisadores alertam sobre a fragilidade da atual legislação ambiental

14/08/2012 13:51

O destaque da manhã desta terça-feira, dia 14, no I Simpósio de Integração das Pós-Graduações do Centro de Ciências Biológicas, foi a mesa redonda “Toxicologia e Meio Ambiente”, com os professores convidados Maria do Carmo Bittencourt de Oliveira, da Universidade de São Paulo (USP), e Adalto Bianchini, da Universidade do Rio Grande (FURG). Apresentando seus estudos na área ambiental, os professores expuseram os riscos de contaminação nos sistemas aquáticos e a preocupação com a atual legislação ambiental brasileira.

A professora Maria do Carmo especializou-se no estudo de cianobactérias, organismos responsáveis pela formação da atmosfera por meio da liberação de oxigênio pelo processo de fotossíntese. A pesquisadora alertou sobre o perigo de altas concentrações desses organismos que se proliferam principalmente em ecossistemas aquáticos sujeitos a fontes poluidoras, como esgoto doméstico, hidrocarbonetos, pesticidas, e em locais sem o devido tratamento da água.

O perigo maior está em alguns tipos de cianobactérias que liberam toxinas no meio em que vivem, como as neurotoxinas, hepatotoxinas e dermatoxinas. Concentrações dessas cianotoxinas estão presentes no veneno de algumas serpentes e na toxina que causa o botulismo e o tétano. Náuseas, diarréia e hemorragia são efeitos gerais causados pela intoxicação com cianobactérias e comuns a muitas doenças, o que dificulta o diagnóstico da contaminação. A substância microcistina é a maior responsável pelas mortes e é muito difícil de ser separada de outros componentes da água.

O tratamento de água continua sendo um dos principais problemas atuais e que atinge vários países de diferentes economias. É o caso da China, que sofre com sérios problemas ambientais devido a contaminação da água, e dos Estados Unidos, onde os estuários são comprometidos pela construção civil.

Maior problema ambiental dos sistemas aquáticos, a contaminação por cianotoxinas deixa o ser humano exposto a riscos a saúde, seja por inalação, contato ou ingestão direta de água e alimentos contaminados. A bioacumulação das toxinas em alimentos podem causar doenças neurodegenerativas. Um exemplo é a acumulação de toxinas nos tecidos e músculos de um peixe exposto a um sistema aquático contaminado, que servirá de alimento a população. Doses homeopáticas de cionatoxinas que podem comprometer a saúde do ser humano.

Legislação frágil

A professora Maria do Carmo aponta para a fragilidade da atual legislação ambiental do Brasil. Em estudos sobre a qualidade de água realizados no estado de Pernambuco, somente dois dos 19 reservatórios analisados não apresentavam a presença de cianobactérias. “Desta forma percebemos a importância do monitoramento obrigatório das águas e a necessidade de revisão da legislação ambiental para a segurança das pessoas”, frisa a professora da USP.

A mesma preocupação também é apontada pelo professor da FURG, Adalto Bianchini. A resolução 357 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) classifica os sistemas aquáticos brasileiros e define para cada classe a quantidade aceitável de compostos químicos. “O que preocupa é que toxicidade de cada ambiente – água doce, água salobra, água salina, etc. – é variável, mas a legislação ambiental não comporta essas diferenças”, explica o professor. “Precisamos criar uma avaliação mais refinada. Nosso trabalho é usar conhecimento biológico e físico-químico ajudar os tomadores de decisão”.

Um estudo realizado na Lagoa dos Patos, Rio Grande do Sul, reuniu dados de todas as bacias que compõe a lagoa, como volume, vazão. A partir desses dados, os pesquisadores criaram uma tabela com a modelagem toxicológica que aponta a capacidade de suporte do meio ambiente de elevar o nível de metais sem causar danos à bacia. O resultado demonstrou que os arroios fora da área de preservação ambiental não suportariam um aumento na concentração de metais, mesmo com 90% de nível de tratamento. O desafio é convencer as autoridades dos riscos ambientais causados pelo crescimento industrial e populacional na região.

Mas o Brasil estaria pronto para uma nova legislação ambiental que garanta a preservação dos sistemas aquáticos? De acordo com os professores, sim. “Capacidade técnica nós temos, oferecemos treinamento gratuito e as análises de toxicidade são simples. É preciso mais interesse político associado à ação do poder público, que é onde a universidade pode atuar”, garante o professor Bianchini.

A mesa redonda “Toxicologia e Meio Ambiente” fez parte do terceiro dia do Simpósio de Integração das Pós-Graduações do CCB (I SIP-CCB), que começou dia 12 e acontece até o dia 16 de agosto no Centro de Eventos da UFSC. Para Gustavo Campos Ramos, presidente da Comissão Organizadora do evento, o encontro é indisciplinar. “A ideia não é trazer vários especialistas e falar de um assunto específico. Nesse evento pessoas curiosas sobre biologia têm espaço para discutir ciência”. Com 140 alunos inscritos, 40 professores convidados e mesas redondas sobre “Código Ambiental”, “Estresse e Doenças” e “Comportamento”, o simpósio é, de acordo com Gustavo, onde a ciência conversa com a sociedade.

Mais informações e programação completa: http://sipccb2012.ufsc.br/

Poliana Dallabrida / Estagiária de Jornalismo da Agecom

Tags: biologiaCCBsimpósioUFSC

UFSC sedia primeira sessão do simpósio sobre centenário do Contestado

29/05/2012 14:46

Entre os dias 29 de maio e 1º de junho, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) recebe a primeira sessão do Simpósio sobre o Centenário do Movimento do Contestado, que reunirá pesquisadores da área para discutir a produção científica atualizada sobre o movimento e a história do planalto meridional brasileiro nos últimos cem anos. As conferências e mesas temáticas serão nos auditórios da Reitoria e do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). A segunda sessão do Simpósio será em agosto na cidade de Pelotas-RS e a última em Chapecó-SC, no mês de outubro.

A intenção é debater o movimento nos aspectos que envolvem história, cultura, literatura, economia, memória e a sociedade da região atingida pelo movimento do Contestado. Também será analisada as trajetórias dos monges, o tropeirismo e as especificidades da fronteira num território mais amplo do sul do Brasil. O evento contará com apresentação de banners feitos por estudantes de graduação de diferentes universidade.

Além da integração entre as universidades, o Simpósio busca a participação de professores dos ensinos fundamental e médio. O evento é em alusão aos cem anos do início da Guerra do Contestado (1912-1916), um conflito armado entre caboclos e as forças militares do governo que disputavam território.

Programação:

Terça-feira, dia 29 de maio

Horário Local Atividade
8h às 12h e das 14h às 18h Auditório da Reitoria Inscrições de ouvintes e credenciamento de participantes
9h Auditório da Reitoria Cerimônia de abertura
9h40min Auditório da Reitoria Conferência I Abertura: Alexandre Karsburg (UFRJ) – O eremita do novo mundo. A odisseia de um monge peregrino na América Católica do século XIX.
11h50min às 14h Intervalo
14h às 15h50min Auditório da Reitoria Mesa 1: Território, povoamento e conflitos: Paulo Afonso Zarth (UNIJUÍ) e Marcio Antônio Both da Silva (UFFS/Unioeste) – Religiosidade popular, autoridade constituída e conflitos no sul do Brasil (1860-1930).Milton Cleber Pereira Amador (UNC) – Colonização de Concórdia e a expulsão dos caboclos.
16h às 17h Auditório da Reitoria Mesa 2: Economia e sociedade: Nazareno Campos (UFSC) e Pablo Martin Bender (UNL- Argentina) – Região do Contestado e Noroeste Santafesino no início do século XX: grandes capitais transformando a realidade socioeconômica e ambiental.Alexandre Assis Tomporoski (UFSC) – Do antes ao depois: a influência da Lumber Company para a deflagração do movimento sertanejo do Contestado e seu impacto sobre a região fronteiriça entre Paraná e Santa Catarina. Três Barras, 1911-1960.Antonio Marcos Myskiw (UFFS) – A Colônia Bom Retiro (Pato Branco/PR) e sua relação com o êxodo camponês da região do Contestado.
17h50min às 19h Intervalo
19h às 21h50min Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) Conferência II: Márcia Janete Espig (UFPEL) –  Uma ferrovia estratégica? A atuação da Estrada de Ferro São Paulo – Rio Grande durante a Guerra do Contestado.

Quarta-feira, dia 30 de maio

Horário Local Atividade
8h às 9h50min Auditório da Reitoria Mesa 3: A tradição de São João Maria: Flavio Braune Wiik (UEL) – O Contestado e seu impacto sobre modos e regimes de relação Homem-Natureza entre os Kaingang da Terra Indígena Xapecó – SC.Ancelmo Schörner e Adilçon Campigotto (Unicentro, Irati, PR) – Os olhos d’água e São João Maria nos Faxinais de Irati e Região.
10h às 11h50min Auditório da Reitoria Mesa 4:  Campesinato e Colonização Paulo Pinheiro Machado (UFSC). Terras e colonização no planalto e a questão do Contestado.José Carlos Radin e Delmir José Valentini (UFFS) – O Contestado e a expansão da colonização.Soeli Regina Lima (UNESPAR) – Capital transnacional na região do Contestado: um estudo de caso da Southem Brazil Lumber and Colonization Company.
11h50min às 14h Intervalo
14h às 15h50min Auditório da Reitoria Mesa 5: Saúde e profetismo popular Nikelen Acosta Witter  (UNIFRA) – O Poder social da cura: uma análise cultural.Rui Bragado Sousa (UEM) – Entre o céu e a terra: messianismo e materialismo no conflito do Contestado (1912-1916).
16h às 17h50min Auditório da Reitoria Mesa 6: Historiografia do Contestado: Claiton Marcio da Silva (UFFS) – “Uma Guerra Desconhecida” (?): disputas simbólicas, ressignificações sobre a memória do Contestado (1970-2011).Ivone Gallo  (Unicamp) – Os Contestados: suas histórias, suas fontes e suas ficções.
17h50min às 19h Intervalo
19h Saguão do Bloco de aulas do CFH Lançamento de livros dos participantes do Simpósio
20h às 21h50min Conferência IIIAuditório do CFH Conferência III Jacqueline Hermann (UFRJ) – Messianismo e Sebastianismo no Brasil e no Contestado.

Quinta-feira, dia 31 de maio

Horário Local Atividade
9h às 11h50min Auditório da Reitoria Mesa 7:  Imaginação, santificação e cultura popular Susan Aparecida de Oliveira (UFSC) – Tramas entre memórias e imaginário colonial: as vidas de santos e os relatos sobre os monges do Contestado.Celso Viana Bezerra de Menezes (UEL) – Rituais de Devoção: Dádivas no Messianismo do Contestado.Henrique Aniceto Kujawa  (UNOCHAPECÓ) – Representações e Resignificações do Monge João Maria na construção do Movimento dos Monges Barbudos.
11h50min às 14h Intervalo
14h às 15h50min Auditório da Reitoria Mesa 8: Religiosidade e representação Fernando Tokarski (UnC) – A ermida de São João Maria e a invenção de Santa Emídia.Tânia Welter (UFFS) – Discursos e interpretações contemporâneos em torno do Profeta São João Maria.
16h às 17h50min Auditório da Reitoria Mesa 9: Fontes especiais: O Contestado na arte e na arqueologia Delmir José Valentini (UFFS) e Gerson Witte (IFSC) Hassis e o Contestado – Terras Contestadas.Rita Inês Petrykowski Peixe (UNIVILLE e UNOESC) – A crônica visual (re)constrói um conflito?Jaisson Teixeira Lino (UFFS) – Monges sacralizando a paisagem: grutas, fontes d’água e outras formações naturais no viés da arqueologia do sagrado.
17h50min às 19h Intervalo
19h às 21h50min Auditório do CFH Conferência IV Márcia Maria M. Motta (UFF) – Terras: ocupação e conflito no início da República.

Sexta-feira, dia 1º de junho

Horário Local Atividade
9h às 11h50min Auditório da Reitoria Mesa 10 – Guerra e História Alexandre dos Santos e Noeli Weschenfelder (UNIJUÍ) – A Guerra do Contestado no cinema e no ensino de História através da obra A Guerra dos Pelados.Geraldo Antônio da Rosa (UNIPLAC) – Panorama da Educação na Região do Contestado após cem anos da Guerra do Contestado.Cláudio Calaza (UNIFA) – Aviões no Contestado: descortinando um emprego inédito.Juçara Nair Wolff (PUC-RS) – Colônia Militar de Chapecó: economia de bens, pessoas e leis. 1882-1909.
11h50min às 14h Intervalo
14h às 16h Auditório da Reitoria da UFSC Conferência de Encerramento Rogério Rosa Rodrigues (UDESC) – A guerra, a memória, a história: os historiadores de farda e a escrita da história do Contestado.

A segunda sessão do Simpósio acontece na Universidade Federal de Pelotas (UFPel) nos dias 29, 30 e 31 de agosto de 2012. E a última etapa será realizada na Universidade Federal da Fronteira Sul, em Chapecó, de18 a22 de outubro.

Promoção:

Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) – PET – História – UFSC

Universidade Federal da Fronteira Sul

Programa de Pós-Graduação em História – Universidade Federal de Pelotas

CAPES

Memorial do Ministério Público de Santa Catarina

Mais informações pelo endereço http://simpsiocentenriocontestado1912-2012.blogspot.com.br/ ou pelo e-mail .

Por Murici Balbinot/Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: ContestadosimpósioUFSC

1º Simpósio de Integração das Pós-Graduações do CCB abre inscrição

28/05/2012 15:57

O Simpósio de Integração das Pós-Graduações do Centro de Ciências Biológicas (I SIP-CCB) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que será realizado de 12 a 16 de agosto, abre inscrições nesta segunda-feira, dia 28 de maio, inclusive para submissão de trabalhos científicos. Podem se inscrever alunos e professores das pós-graduações do CCB e graduandos do Curso de Ciências Biológicas da UFSC. Os interessados devem fazer a inscrição pelo endereço http://sipccb2012.ufsc.br/ até o dia 28 de junho. A taxa é de R$ 30 para alunos de pós e R$ 10 de graduação.

O I SIP-CCB tem como objetivo integrar alunos de mestrado, doutorado e pós-doutorado dos oito programas do CCB: Biologia Celular e do Desenvolvimento; Biologia Vegetal; Bioquímica; Biotecnologia e Biociências; Ecologia; Farmacologia; Fisiologia; Neurociências. O evento promove o intercâmbio de conhecimento nos diferentes níveis científicos, reunindo trabalhos internos da UFSC e projetos de pesquisadores de outras universidades brasileiras.

O Simpósio acontecerá no Auditório da Reitoria da UFSC e a conferência de abertura será ministrada pela professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Suzana Herculano Houzel. Biologia Evolutiva Toxicologia e Meio-Ambiente, Código Ambiental, Produtos naturais, Comportamento, Estresse e Doenças, e Ensino e Pesquisa no CCB estão entre os temas a serem abordados. Palestras, mesas-redondas e apresentação oral de resumos constam da programação, que pode ser conferida no endereço http://sipccb2012.ufsc.br/programacao/.

Mais informações pelo site do evento http://sipccb2012.ufsc.br/.

Por Murici Balbinot/Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: CCBpós-graduaçõessimpósioUFSC
  • Página 1 de 2
  • 1
  • 2