SC ultrapassa marca de 1 milhão de infectados pela Covid-19, traz levantamento do Necat

15/06/2021 10:25

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou no último domingo, 13 de junho, a 57ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado Santa Catarina ultrapassou a marca de 1 milhão de pessoas acometidas pela Covid-19, o texto foi assinado pelo coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei, professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC e Programa de Pós-Graduação em Administração da instituição.

Na semana em análise, entre os dias 5 e 11 de junho de 2021, o estado registrou 21.789 novos casos e 367 novos óbitos em decorrência da doença. Com isso, até o último fim de semana, mais de 1.006.090 pessoas já foram sido contaminadas em Santa Catarina, sendo que 15.964 delas morreram. Em função disso, o estado passou para o 2º lugar no ranking nacional em registros da doença a cada 100 mil habitantes e, em termos absolutos, para o 6º estado como maior número de casos e 10º estado com maior número de óbitos.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores

Tags: coronavírusCovid-19Núcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)pesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Cai o número de óbitos de idosos acima de 80 anos por Covid, aponta boletim do Necat

08/06/2021 09:38

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou no último domingo, 6 de junho, a 56ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título “Caíram os óbitos por Covid-19 dos idosos acima de 80 anos”, o texto foi assinado pelo coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei, professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC e Programa de Pós-Graduação em Administração da instituição.

“Destacam-se as reduções importantes verificadas nas faixas etárias de 80 anos ou mais no mês de abril e, mais importante, uma redução bem mais expressiva nas faixas de 70 anos ou mais de idade a partir do mês de maio de 2021. Em grande medida, é possível creditar essas quedas no contágio dessas faixas de idosos aos efeitos do processo de imunização em curso”, traz a publicação.

No período analisado, entre 28 de maio e 4 de junho de 2021, Santa Catarina registrou 16.520 novos casos e 386 novos óbitos. Com isso, mais de 983 mil pessoas já foram contaminadas no estado, e 15.572 mortes foram registradas. Em função disso, SC passou para o 2º lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes e, em termos absolutos, para o 6º estado como maior número de casos e 10º estado com maior número de óbitos.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: coronavírusNecatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Universidades públicas beneficiaram 85,5 milhões de pessoas em 2020, aponta levantamento da Andifes

01/06/2021 10:58

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) lançou na última segunda-feira, dia 31 de maio, a pesquisa Conhecimento e Cidadania. O estudo, relativo ao período de março a dezembro de 2020, durante a pandemia de Covid-19, buscou levantar as atividades realizadas pelas universidades federais no período. No total, 48 das 65 das universidades (70%) responderam ao questionário enviado pelo colegiado às instituições. Juntas, essas instituições beneficiaram cerca de 85,5 milhões de pessoas por meio das ações.

Mesmo em meio à pandemia, mais de 50 mil estudantes concluíram a graduação nas universidades federais. Na área da pós-graduação, os programas de mestrado e doutorado registraram 133.628 matriculados. Em relação aos projetos de pesquisas, 73.825 estavam registrados e em andamento, sendo 2.015 diretamente ligados à Covid-19. Já na área da extensão, 29.451 projetos foram realizados, dentre os quais 2.487 voltados para a questão da pandemia.

No âmbito do atendimento às necessidades provocadas pela covid-19, os 50 hospitais universitários ligados às Ifes abriram 2 mil leitos exclusivos para o atendimento a pacientes acometidos pela doença, sendo 1,3 mil de enfermaria e 700 de UTI. Além disso, mais de 691 mil litros de álcool 70%, 515 mil face-shields e 651 mil máscaras foram produzidos e distribuídos gratuitamente. Também foram realizados mais de 670 mil testes para detecção de Covid-19.

Os dados completos da pesquisa podem ser acessados neste link.

Números da UFSC

A UFSC realizou uma série de ações institucionais e apoiou diversas ações voluntárias de distribuição de alimentos, equipamentos e insumos de proteção individual, testagem e vacinação, entre outros. Nas ações institucionais, segundo levantamento realizado em dezembro de 2020, a UFSC distribuiu 15 toneladas de alimentos aos estudantes dos cinco campi, além de EPIs e insumos de limpeza para os estudantes residentes na moradia estudantil e moradia indígena. Também apoiou iniciativas de arrecadação e distribuição de alimentos aos estudantes carentes e suas famílias, além das populações de baixa renda nos municípios onde temos campi.

O reitor Ubaldo Cesar Balthazar ressaltou a importância das ações desenvolvidas pela instituição. “O levantamento só confirma o que temos dito desde o primeiro momento: a UFSC e todas as demais instituições não pararam. Ainda que haja uma verdadeira campanha para nós desqualificar e desmontar, é nas universidades públicas que reside a ciência, se multiplica o conhecimento e se constrói a resistência e o combate em favor da vida”, afirmou.

> Confira os números da UFSC em 2020*

Nº de formados
Graduação: 230 formados (apenas referentes ao semestre 2020.1, que terminou em 19/12/2020)
Pós-Graduação:
Stricto sensu – 1.586 concluintes (Doutorado: 539; Mestrado: 937; Mestrado Profissional: 110)
Lato sensu – 1.222 (Especialização; 1.135; Residências: 87)
Nº de projetos de pesquisa desenvolvidos
3.357
Nº de projetos de pesquisa sobre a Covid-19 registrados e desenvolvidos
53
Nº de projetos de extensão desenvolvidos
Ações de Extensão Registradas: 2.089
Atividades Docentes Registradas: 19.787
Certificados de Extensão Emitidos: 106.524
Nº de participantes e pessoas atendidas pelos projetos de extensão
453.400
Nº de projetos de extensão relacionados à Covid-19 desenvolvidos
123 ações
Nº de alunos contemplados com auxílios
Empréstimo de computadores: 1.400
Chips Distribuídos: 400 chips
Auxílio para Aquisição de Pacotes de Dados: 600
Auxílio Emergencial: 5.000
Programas Regulares: 1.900 Bolsas Estudantis, 1.100 Auxílios Moradia e 50 Auxílios Creche
*Dados registrados em dezembro de 2020
Tags: AndifescoronavírusCovid-19extensão coronavíruspesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Boletim destaca a elevada taxa de transmissão da Covid-19 em SC e a necessidade de novas medidas de contenção

31/05/2021 15:42

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 31 de maio, a 55ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado Rt acima de 1 em várias regiões do estado indica a necessidade de novas medidas de contenção da pandemia, o número foi assinado pelo professor do Departamento de Ciências Econômicas da UFSC e coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei.

Na semana de 21 a 28 de maio, Santa Catarina registrou 19.993 novos casos e 400 óbitos – uma média de 2.856 registros e 57 mortes por dia. As médias de casos e de óbitos aumentaram, respectivamente, 4,5% e 2% em relação à semana anterior. Ambas representam uma expansão de 12% em relação aos últimos 14 dias. Além disso, na data de elaboração do boletim, 22.337 pessoas continuavam contaminadas (patamar 2% acima da semana anterior e 11% maior que o dos últimos 14 dias), e 24 pessoas se mantinham na fila de espera por um leito de UTI.

O estudo também chama atenção para o fato de que o Rt – indicador que mede a taxa de transmissão do vírus na população – permanece em 1.0 para o conjunto do estado, porém variando entre as diferentes mesorregiões: de 0.91 (Grande Florianópolis) a 1.15 (Região de Xanxerê). “Este patamar está indicando que a transmissibilidade da doença em praticamente todas as regiões continua numa situação gravíssima, ao mesmo tempo em que requer a adoção de novas medidas restritivas efetivas para achatar a curva de contágio e, com isso, estabelecer as condições para se reduzir o coeficiente de incidência da doença no estado, que também se situa num patamar bastante elevado”, informa o artigo.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, no qual também podem ser conferidos os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusNecatNúcleo de Estudo de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19: boletim indica crescimento da média semanal de casos

24/05/2021 17:09

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 54ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título Média semanal móvel de casos atual é maior que ao final do mês de abril, o texto foi assinado pelo professor do Departamento de Ciências Econômicas da UFSC e coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei.

Na semana de 14 a 21 de maio, o estado registrou 19.104 novos casos e 391 óbitos, resultando em uma média de 2.729 casos e 56 mortes por dia. No período, Santa Catarina passou para o segundo lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes. Em termos absolutos, é o sexto com maior número de casos e o décimo com mais óbitos. Segundo o estudo, os indicadores demonstram que a pandemia continua em situação gravíssima e evidenciam a necessidade de medidas restritivas para achatar a curva de contágio.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser conferidos os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Boletim aponta que SC tem o 3º maior coeficiente de incidência de Covid-19 no país

17/05/2021 16:52

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 53ª edição do boletim Covid-19 em Santa Catarina. Com o título Santa Catarina detém o 3º maior coeficiente de incidência da Covid-19 do país, a edição foi assinada pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat. 

> Acesse o boletim na íntegra

Segundo o estudo, na semana de 7 a 14 de maio, foi registrada uma média móvel de 2.558 casos e de 51 mortes por dia, indicadores que revelam a continuidade da gravidade da pandemia no estado, especialmente porque a média de casos aumentou 19% em relação à semana anterior. Os dados fazem com que SC detenha o terceiro maior coeficiente de incidência da doença a cada 100 mil habitantes do Brasil (12.904,8), valor 1,75 vezes maior que o verificado para o país (7.385,1).

Mais informações na página do Necat.

 

Tags: boletim do NecatcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)pesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19 em SC: boletim destaca que média de novos casos se mantém em patamar elevado

10/05/2021 15:21

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 52ª edição do boletim Covid-19 em Santa Catarina. Com o título Média semanal móvel de novos casos está estável, porém num patamar elevado, o trabalho foi assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat.

> Acesse o boletim na íntegra

De acordo com a publicação, na semana de 30 de abril a 7 de maio, foram registrados 18.762 novos casos, com taxa semanal de crescimento de 2% no agregado estadual. Também houve 458 mortes no período considerado, indicando a continuidade da ocorrência de um número elevado de óbitos no estado, cerca de 65 por dia. 

A média semanal móvel de casos praticamente se manteve no mesmo patamar dos sete dias anteriores, indicando estabilidade. Mesmo assim, a ocorrência de 2.680 novos casos por dia continua sendo extremamente elevada, significando que a pandemia ainda permanece em uma situação gravíssima no estado, informa o estudo.

Mais informações na página do Necat.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19: boletim alerta que ainda não é hora de flexibilizar as medidas de controle

03/05/2021 17:44

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 3 de maio, a 51ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título Ainda não é hora de flexibilizar as medidas de controle da pandemia, o número foi assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat.

Na semana em análise (23 a 30 de abril), Santa Catarina registrou 19.328 novos casos e 520 óbitos – uma média de 2.761 casos e 76 mortes por dia. Os indicadores, aponta o estudo, “revelam a continuidade da gravidade da pandemia no estado, especialmente em função de que a média de casos aumentou 19% em relação à semana anterior”. O texto alerta também para o alto patamar de casos ativos (19.803 no final da última semana), que continua comprometendo o funcionamento do sistema de saúde. Na data de sua elaboração, 43 pessoas continuavam na fila de espera por uma vaga na UTI e 25 aguardavam por um leito clínico.

“Mesmo com a estabilidade de alguns desses indicadores na semana considerada, ficou evidente que ainda são necessárias medidas restritivas mais efetivas para se achatar a curva de contágio e, com isso, reverter a tragédia humana que se abateu sobre Santa Catarina nos últimos dois meses quando 6.176 pessoas perderam suas vidas para a COVID-19. Lamentavelmente observamos que os gestores atuais da pandemia no estado estão fazendo uma leitura bastante distinta do comportamento desses mesmos indicadores. Provavelmente tal leitura é para justificar as medidas de flexibilização do controle da pandemia adotadas nas duas últimas semanas. Com isso, não está descartada a possibilidade da incidência de um novo surto contaminatório brevemente”, conclui o artigo.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pesquisa busca entender efeitos do ensino remoto emergencial durante a pandemia

29/04/2021 08:40

Docentes do Centro de Ciências da Saúde e do Centro de Ciências da Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em parceria com pesquisadores da University of Cambridge, Londres e University of the Witwatersrand, Johannesburgo, estão realizando uma pesquisa com a comunidade acadêmica da UFSC. O objetivo é conhecer o preparo para o aprendizado remoto e as percepções sobre os impactos ocasionados pela pandemia global de Covid-19 no ensino, aprendizagem e avaliação durante as atividades acadêmicas. 

Além disso, busca-se compreender como o docente vê o seu preparo para o ensino, pesquisa e orientação de graduação e pós-graduação de forma remota. Também pretende conhecer as percepções sobre os impactos ocasionados pela pandemia global de Covid-19 na saúde geral do docente, bem como, no ensino, aprendizagem e avaliação na UFSC.

Os resultados da pesquisa serão apresentados em briefings aos gestores da universidade para subsidiar políticas no âmbito do ensino remoto da UFSC.

Questionário para o docente: https://forms.gle/MSeU2XaZvFpLtgzz7

Questionário para o estudante: https://forms.gle/jgh4Rjg3a3f3vfAM8  

 O tempo estimado para completar o questionário é em torno de 10 minutos.

 

Tags: atividades pedagógicas não presenciaiscoronavírusensino remotopesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19 já provocou mais mortes de catarinenses em 2021 do que em 2020 inteiro, informa boletim

26/04/2021 16:47

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 50ª edição do boletim Covid-19 em Santa Catarina. Com o título Covid-19 já provocou mais mortes de catarinenses em 2021 do que em todo o ano de 2020, a edição foi assinada pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat.

De acordo com a edição, março de 2021 apresentou uma grande explosão do número de óbitos, uma vez que somente nesse mês foi registrado 32% do total de mortes que ocorreram no estado em 13 meses de pandemia. Isso significou um crescimento de 48% em relação ao total existente até o mês anterior. 

Ao somar os percentuais dos meses de janeiro e fevereiro, verifica-se que 51,5% de todos os óbitos registrados no estado ocorreram nos três primeiros meses de 2021. Além disso, se for considerado o período entre dezembro de 2020 e março de 2021, observa-se que 65% do total de mortes ocorreu em apenas quatro meses.

O boletim ainda afirma que, em apenas 113 dias do ano de 2021, a Covid-19 já matou 60% de todos os catarinenses que vieram a óbito desde o início da pandemia. Já o restante dos óbitos (40%) ocorreu durante 280 dias do ano de 2020.

Mais informações na página do Necat.

Tags: boletim Covid-19 em SCboletim do NecatcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Média semanal móvel de casos de Covid-19 voltou a subir na última semana, indica boletim

19/04/2021 17:40

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 49ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título Média semanal móvel de casos voltou a subir na última semana, o estudo foi assinado pelo professor do Departamento de Ciências Econômicas da UFSC e coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei.

De 9 a 16 de abril, foram registrados mais 19.516 novos casos no estado, com taxa semanal de crescimento de 2,5%, e 606 mortes. Embora a média semanal móvel de casos na semana anterior tenha apresentado tendência de queda, ela voltou a subir na última semana, atingindo a marca de 2.788 novos casos diários. “Tal patamar pode ser considerado bastante elevado, considerando-se que a melhor situação dessa curva foi verificada no mês de setembro de 2020, quando a média semanal móvel ficou ao redor de 900 casos ao dia”, aponta o boletim.

Já a média móvel de óbitos, que atingiu o seu maior patamar no dia 26 de março, com 134 ocorrências, sofreu um recuo para 87 mortes diárias na última semana, representando uma queda de 24% em relação aos últimos 14 dias. “Mesmo que esse percentual indique uma tendência efetiva de desaceleração do indicador, deve-se registrar que é um patamar extremamente elevado”, alerta o estudo.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser conferidos os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19: boletim destaca que incidência em SC é 54% maior que no Brasil

12/04/2021 16:49

O Núcleo de Estudo de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou nesta segunda-feira, 12 de abril, a 48ª edição do boletim Covid-19 em SC. Com o título Coeficiente de incidência da Covid-19 em SC é 54% maior que no Brasil, o número foi assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat.

> Acesse o boletim na íntegra

Na semana analisada (2 a 9 de abril), Santa Catarina registrou 18.963 novos casos e 749 novos óbitos – uma média de 2.709 casos e 107 mortes por dia. Com isso, até aquele momento, mais de 830 mil pessoas foram contaminadas no estado, sendo que 11.874 delas perderam suas vidas. Dessa forma, Santa Catarina aparece em quarto lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença e em 12º lugar com o maior número de óbitos, além de apresentar o quarto maior coeficiente de incidência da doença a cada 100 mil habitantes.

O cenário revela que a pandemia se mantém em um patamar muito grave em todo o estado. “Mesmo com a pequena melhora de alguns desses indicadores na semana considerada, ainda são necessárias medidas restritivas efetivas para se achatar a curva de contágio e, com isso, reverter a tragédia humana que se abateu sobre Santa Catarina nos últimos meses”, conclui o estudo.

As edições anteriores do boletim podem ser conferidas no site do Necat.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Após meses de forte crescimento, casos de Covid-19 apresentam tendência de queda, indica boletim do Necat

05/04/2021 16:50

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 47ª edição do boletim Covid-19 em Santa Catarina. Com o título Após meses de forte crescimento, número de casos apresenta tendência de queda, a edição foi assinada pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat.

> Acesse o boletim na íntegra

De acordo com a publicação, na semana de 26 de março a 2 de abril, a média de novos casos diários foi de 3.358 – uma queda de 29% em relação à semana anterior e de 28% em relação aos últimos 14 dias. “Esse comportamento indicou, pela primeira vez nos dois últimos meses, uma tendência consistente de queda dos casos oficialmente registrados.”

Apesar da queda, o boletim indica que o nível de contaminação da população catarinense continua elevado, bem como o número de óbitos. Foram registradas mais 807 mortes no período, uma média de 115 por dia. “Diante desse cenário, pode-se afirmar que, do ponto de vista geral, o estado de Santa Catarina continua em uma situação gravíssima”, informa o estudo.

Mais informações na página do Necat.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pesquisa com participação de cientistas do HU mostra impacto positivo da vacinação contra Covid-19 em pacientes cirúrgicos

30/03/2021 10:49

Uma pesquisa realizada por cientistas de 116 países, incluindo pesquisadores que atuam no Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC/Ebserh) mostrou o impacto positivo da vacinação contra Covid-19 em pacientes submetidos a cirurgias eletivas na prevenção de mortes relacionadas ao coronavírus. A equipe internacional de pesquisadores do COVIDSurg Collaborative, liderada por especialistas da Universidade de Birmingham, publicou suas descobertas no British Journal of Surgery (BJS) e no European Journal of Surgery, após estudar dados de 141.582 pacientes de 1.667 hospitais de 116 países – incluindo Austrália, Brasil, China, Índia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Estados Unidos – criando o maior estudo internacional de cirurgia do mundo.

O pesquisador responsável por coordenar as ações na UFSC é o professor Humberto Fenner Lyra Júnior, do Departamento de Cirurgia. Também participam do estudo José Mauro dos Santos e João Carlos Costa de Oliveira, também professores do Departamento de Cirurgia da UFSC; o médico Tiago Rafael Onzi e a residente Nathalia Siqueira Julio, do Serviço de Cirurgia do Aparelho Digestivo do HU; e Marlus Tavares Gerber, médico do Serviço de Coloproctologia do Hospital.

Os cientistas concluíram que os pacientes à espera de uma cirurgia eletiva devem receber vacinas contra Covid-19 antes da população em geral – potencialmente ajudando a evitar milhares de mortes pós-operatórias ligadas ao vírus, de acordo com um novo estudo financiado pelo National Institute for Health Research (NIRH).
(mais…)

Tags: coronavírusCovid-19HUpesquisapesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Um ano depois: pesquisa se estendeu da busca por vacina ao estudo dos impactos psicossociais da pandemia

18/03/2021 22:23

Em seus laboratórios ou de modo remoto, a UFSC continuou um intenso trabalho de produzir ciência, um dos pilares da Universidade. No último ano, desenvolveu 3.357 projetos de pesquisa, sendo 53 deles voltados para a Covid-19. Além da busca por uma vacina, a UFSC pesquisa o mapeamento da pandemia; o silenciamento genético de codificadores de proteínas estruturais do vírus SARS-CoV-2; o desenvolvimento de kit diagnóstico para Covid-19; protocolos de atendimento dos profissionais de saúde; pacientes em UTI; estratégias não farmacológicas; identificação de vírus e suas mutações e dispersões; impactos psicossociais da pandemia, entre muitas outras linhas de ação

Laboratório de Virologia Aplicada analisa amostras de diversos materiais. Foto: Daiane Mayer/Estagiária de Fotografia da Agecom/UFSC

Uma das pesquisas de grande repercussão foi a que identificou partículas do novo coronavírus em duas amostras do esgoto de Florianópolis colhidas em 27 de novembro de 2019, dois meses antes do primeiro caso clínico ser relatado no Brasil. A descoberta teve alcance internacional e causou impacto nos estudos da disseminação do vírus pelo mundo. Descrita na pesquisa SARS-CoV-2 in human sewage in Santa Catarina, Brazil, November 2019, envolveu um grupo de pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina e também pesquisadores da Universidade de Burgos (Espanha) e da startup BiomeHub. Recentemente, a pesquisa foi publicada pela revista Science of the Total Environment, jornal acadêmico internacional com alto fator de impacto.

Um ano depois, o novo coronavírus já sofreu inúmeras mutações, algumas delas, variantes perigosas que ainda estamos aprendendo a combater. Nesses 12 meses, a UFSC, juntamente com a comunidade científica, buscou oferecer respostas. A mais eficaz de todas as medidas para frear a pandemia, diz a ciência, é a vacinação em massa da população. E em junho do ano passado, a Administração Central anunciou que “não voltaremos antes da disponibilidade de uma vacina ou medicamento eficaz e disponível a todos”.

Vacinas

Médicos do HU estudam uso da tríplice viral para amenizar efeitos da Covid-19 (Foto: Cristiano Estrela/Secom).

A busca por esse medicamento ou vacina mobiliza a comunidade científica desde o primeiro dia. Na UFSC, 2020 foi um ano de muita pesquisa, e inclusive uma delas busca desenvolver uma nova vacina contra SARS-Cov-2, nome científico do novo coronavírus. Liderada pelos professores André Báfica e Daniel Mansur, a iniciativa é uma parceria entre a UFSC e  a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade de Cambridge (Inglaterra), o Instituto Butantan e Karolinska Institutet (Suécia).

A pesquisa de Báfica e Mansur busca construir uma vacina BCG recombinante, que aproveite a plataforma vacinal da BCG (uma vacina antiga e segura) para o novo coronavírus através da expressão de proteínas que induzam uma resposta imune efetiva contra o SARS-CoV-2 por mais tempo.

A biomédica Ruth Fernandes é uma das pesquisadoras da equipe. Em um vídeo publicado no perfil do professor Báfica no TikTok e no Instagram, a cientista que atua no Laboratório de Imunobiologia da UFSC conta que “estar participando de um projeto que envolve o desenvolvimento de uma vacina, relacionado a um problema mundial, é de grande importância”. Ela chama a atenção para a “importância da valorização da nossa ciência e dos nossos pesquisadores”.

Em outra frente, um grupo de médicos e pesquisadores do Hospital Universitário avalia o uso da vacina tríplice viral – bastante conhecida e segura – no combate ao novo coronavírus antes que uma vacina específica esteja disponível a grupos não-prioritários. Os resultados preliminares já divulgados são promissores: indicam que a tríplice viral pode mitigar os sintomas da Covid-19 e reduzir hospitalizações.

“A ideia de nós utilizarmos a vacina tríplice viral se baseia no forte estímulo da primeira fase da imunidade que ela promove, que nós chamamos de imunidade inata, que seria aquela resposta do nosso sistema de defesa para qualquer tipo de infecção”, salienta o professor Edison Fedrizzi, que coordena o estudo. A pesquisa está em desenvolvimento e ainda depende da divulgação de seus resultados para serem avaliados pela comunidade científica em breve.

>> UFSC e Secretaria Municipal de Saúde esclarecem informações sobre pesquisa com a vacina tríplice viral

Respirador

Outro pesquisador, o professor Saulo Güths, do Departamento de Engenharia Mecânica, desenvolveu um protótipo de ventilador pulmonar que foi notícia em muitos jornais. Em março de 2020, quando o mundo enfrentava problemas de abastecimento de produtos hospitalares, a criatividade do professor Saulo, com a ajuda de um amigo mecânico e estudantes da UFSC, levou a um produto de baixo custo, desenvolvido em colaboração com grandes hospitais brasileiros, como o Sírio Libanês.

Professor Saulo Guths mobilizou grupo para desenvolver respirador de baixo custo (Foto: Divulgação)

“Trabalhei intensamente, montei com ajuda de alguns alunos, mesmo a distância, um grupo que tive bastante apoio. A gente chegou a desenvolver o respirador baseado em peças que já eram disponíveis no Brasil, porque naquela época estávamos com um problema no mundo que não existiam as peças de controle dos respiradores, que eram aquelas válvulas que controlam a vazão de ar, então o protótipo foi desenvolvido usando o bico injetor automotivo, que tinha disponível no Brasil”.

Durante alguns meses, o professor e sua equipe buscaram apoio com empresas. “Tentamos botar em produção, contato com várias empresas, não conseguimos, nenhuma empresa achou que tinha viabilidade. Ficamos meio decepcionados, a equipe se desmantelou, os alunos estavam sem ganhar bolsa, sem nada. Cada um foi fazer suas coisas, a aula recomeçou”.

O professor Saulo continuou com o projeto, trabalhando com seu filho que é estudante de  Engenharia Mecânica e um grupo menor. “Fomos desenvolvendo sistemas, melhorando em colaboração com o IFSC com outro tipo de respirador. Fizemos uma patente agora e saíram alguns ‘filhos’ disso. Há um sistema de controle de pressão para reduzir a oscilação do insuflamento que eu estou trabalhando, ainda é um resultado paralelo e o sistema de controle que a gente ainda está utilizando.”

Assim como muitos pesquisadores, o professor Saulo tem que conciliar as atividades de pesquisa com as atividades de ensino. A partir de agosto, quando as aulas recomeçaram em formato on-line, o professor precisou dividir seu foco. “Quando terminou essa questão do respirador e logo começaram as aulas, montei um estúdio aqui para gravar as aulas e também nesse tempo eu montei uma extensão do laboratório para continuar desenvolvendo os experimentos e equipamentos que eu trabalho para instrumentação”. 

A carga de trabalho, ele acredita, é intensa, “até mais do que antes”. “Tenho ido às vezes ao laboratório na Universidade para gravar aulas experimentais. Não sei se a qualidade chega ser igual [ao ensino] presencial, mas o esforço está sendo grande para tentar oferecer aos alunos a melhor maneira possível de continuar atividades de ensino e pesquisa”.

Covid-19: um ano de pandemia na UFSC

Um ano depois: trabalho marcado pela adaptação de rotinas e procedimentos
Um ano depois: transição para o ensino remoto exigiu superação de desafios e criatividade
Um ano depois: atividades e projetos de extensão alcançaram mais de 453 mil pessoas

Klay Silva, Luana Consoli, Thaís Martins / estagiárias da Agecom
Mayra Cajueiro Warren e Luís Carlos Ferrari / Agecom

Tags: coronavírusCovid-19pesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Santa Catarina registra 1.144 mortes por Covid-19 nos primeiros 12 dias de março

16/03/2021 09:45

Foi publicada no último domingo, dia 14 de março, a 44ª edição do boletim do Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A publicação aponta que, entre os dias 5 e 12 deste mês, o estado registrou 23.980 novos casos e 686 novas mortes em decorrência da Covid-19. Com isso, até o momento, foram contabilizados 8.502 óbitos e mais de 724 mil pessoas já foram contaminadas pelo coronavírus em Santa Catarina.

“No mês de dezembro de 2020 verificou-se uma forte aceleração do número absoluto de óbitos no estado, sendo que neste período ocorreram 1.491 mortes, maior patamar de um único mês ao longo de toda a pandemia. Tal comportamento se manteve no mês de janeiro de 2021, tendo sido registrados mais 1.072 óbitos. No mês de fevereiro foram registradas mais 1.018 mortes. Por fim, em apenas doze dias do mês de março já ocorreram 1.144 óbitos no estado, revelando as consequências dramáticas do estágio atual da doença no estado”, traz o boletim do Necat, coordenado pelo professor Lauro Mattei, do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC e Programa de Pós-Graduação em Administração da instituição.

Do ponto de vista da velocidade do contágio, de acordo com o boletim, nota-se que no início do mês de março de 2021 a cada 4-6 dias estão sendo registrados 20 mil novos casos. Isso faz com que SC detenha o 4º maior coeficiente de incidência da doença do país a cada 100 mil habitantes (10.106,5), valor que é 1,87 vezes o verificado para o país (5.407,3). Desde o mês de agosto do ano passado, a doença está presente nos 295 municípios do estado, sendo que em 284 deles já foi registrada pela menos uma morte em decorrência da Covid-19. As treze cidades do estado com mais de 100 mil habitantes respondem por 52,16% de todos os casos oficialmente registrados.

> Clique AQUI para acessar a íntegra do boletim

Mais informações no endereço necat.ufsc.br

Tags: boletimcoronavírusNúcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)pesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na mídia: estudo aponta infecção por Covid-19 em Florianópolis em 2019

15/03/2021 17:11

O Sars-Cov-2, também conhecido como novo coronavírus, responsável pela doença da Covid-19, já circulava em Florianópolis em 2019. Um estudo coordenado por pesquisadores da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) e da Universidade de Burgos, na Espanha, confirmou a detecção do vírus na rede de esgoto da Capital em novembro daquele ano.

Confira a notícia completa do ND+.

 

Tags: coronavírusLaboratório de Virologia Aplicadapesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pesquisa avalia relação entre riscos psicossociais do trabalho e saúde mental de servidores públicos

15/03/2021 15:40

A relação entre os riscos psicossociais do trabalho e a saúde mental de servidores públicos efetivos da UFSC é o tema de uma pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Psicologia da instituição. O estudo deve integrar a tese da doutoranda Eliane F. Pereira, sob a orientação da professora Suzana da Rosa Tolfo. Os resultados dessa pesquisa poderão contribuir para a realização de ações organizacionais com vistas à promoção da saúde mental no trabalho na UFSC.

Técnicos-administrativos em educação e docentes da UFSC podem participara clicando no link. Na primeira etapa, os participantes são convidados a responder questionário on-line, que inclui dados sociodemográficos, protocolo sobre os riscos psicossociais do trabalho e uma escala que avalia o estado geral da saúde mental. Ao final do questionário será realizado o convite para participação na segunda fase da pesquisa, uma entrevista. O estudo foi submetido e aprovado no Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da UFSC (CEPSH).

Mais informações pelo e-mail: elianefp@hotmail.com

Tags: coronavíruspesquisa coronavírusPrograma de Pós-Graduação em PsicologiapsicologiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19: pesquisadores da UFSC apontam causas e soluções para o colapso

15/03/2021 13:06

“É preciso fazer alguma coisa, como fizemos no trânsito, para diminuir a mortalidade. Que se faça agora, senão vai ser um 2021, pelo menos até abril, pior que 2020”Lúcio Botelho, professor de Saúde Pública, em 4 de janeiro de 2021.

 

Ao longo dos últimos dias, professores e pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) têm intensificado as manifestações públicas com orientações e sugestões para que a sociedade catarinense possa superar o grave momento da pandemia de Covid-19. Entre as propostas apresentadas estão a de aumentar os cuidados pessoais de distanciamento, uso de máscaras e higiene; promover a testagem em massa da população e investir fortemente em monitoramento dos casos ativos e dos seus contatos, com isolamento dos casos positivos; acelerar a aplicação das vacinas e aumentar a quantidade de doses disponíveis. Também são sugeridas campanhas de esclarecimento sobre a confiabilidade e a importância dos imunizantes e para induzir a empatia social e o cuidado coletivo.

A situação emergencial exige também a ampliação da capacidade de atendimento médico-hospitalar, medida vista como imprescindível no momento, mas considerada como último recurso. As ações, segundo os especialistas, devem buscar principalmente frear a circulação do vírus e diminuir o contágio, aliviando a pressão sobre o sistema de saúde.

Para isso, as principais medidas sugeridas são a suspensão temporária das aulas presenciais e a adoção, pelo poder público, de regras mais rígidas de restrição à circulação de pessoas, incluindo a suspensão, por ao menos duas semanas, de todos os serviços e atividades não essenciais.

Depois disso, quando as condições sanitárias permitirem, eles recomendam prioridade para o planejamento do retorno seguro às escolas e a fiscalização rigorosa das atividades econômicas liberadas. Essas propostas têm o objetivo de diminuir os adoecimentos e as mortes causadas pela pandemia, com o mínimo de prejuízo à atividade econômica.

 

“As medidas devem ser ampliadas para mitigar o impacto da Covid-19 e, quando possível, a prioridade deve ser abertura de escolas em vez de outras atividades econômicas”Alexandra Crispim Boing, professora do Departamento de Saúde Pública, em 15 de fevereiro de 2021.

(mais…)

Tags: coronavírusextensão coronavíruspesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pesquisadores do HU participam de estudo colaborativo internacional sobre Covid-19

10/03/2021 09:45

Um grupo de pesquisadores que atuam no Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC/Ebserh) participa de um estudo colaborativo internacional denominado SURG-Week, que é um braço do grupo de pesquisa Global & Covid Surg coordenado pela Universidade de Birmingham (Inglaterra). Trata-se de uma pesquisa de coorte multicêntrica internacional cujo objetivo é determinar o timing ideal para procedimentos cirúrgicos após infecção por SARS-CoV-2.

O pesquisador responsável por coordenar as ações na UFSC é o professor Humberto Fenner Lyra Júnior, do Departamento de Cirurgia. Também participam do estudo José Mauro dos Santos e João Carlos Costa de Oliveira, também professores do Departamento de Cirurgia da UFSC; o médico Tiago Rafael Onzi e a residente Nathalia Siqueira Julio, do Serviço de Cirurgia do Aparelho Digestivo do HU; e Marlus Tavares Gerber, médico do Serviço de Coloproctologia do Hospital.

Os primeiros resultados da pesquisa apontam que a cirurgia deve ser adiada por sete semanas após um paciente apresentar resultados positivos para Covid-19 . Os pesquisadores descobriram que os pacientes têm maior probabilidade de morrer (mais de duas vezes e meia) após as operações se o procedimento ocorrer nas seis semanas seguintes a um diagnóstico positivo para SARS-CoV-2. Também apresentam risco aumentado de morte pós-operatória aqueles com sintomas no momento da cirurgia. Liderados por especialistas da Universidade de Birmingham, mais de 25 mil cirurgiões trabalharam juntos como parte da Covid Surg Collaborative para coletar dados de 140.727 pacientes em 1.674 hospitais de 116 países, incluindo Austrália, Brasil, China, Índia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e EUA – criando um dos maiores e mais abrangentes estudos de cirurgia do mundo. Os achados foram publicados na revista Anesthesia.
(mais…)

Tags: coronavírusHospital UniversitárioHUHU Coronavíruspesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Nova edição do boletim do Necat destaca que a Covid-19 está fora de controle em SC

01/03/2021 17:11

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 1º de março, a 42ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado A Covid-19 está fora de controle em Santa Catarina”, o texto foi assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat.

O estudo observa que, entre os dias 19 e 26 de fevereiro, foram registrados mais 31.831 novos casos e 350 mortes, com médias semanais móveis de novos casos e de óbitos 79% maiores que as dos últimos 14 dias. O documento menciona, ainda, que o surto atual está avançando veloz e fortemente em direção a todas as mesorregiões do estado, o que indica que o vírus não está encontrando nenhuma barreira que o impeça de circular livremente pelo território catarinense. Diante desse cenário, pode-se afirmar que o estado continua em uma situação gravíssima.

“O problema do Brasil é que a maioria das ações se voltou para a esfera curativa e não preventiva, fazendo com que a pandemia não tivesse um controle efetivo até o presente momento. Em Santa Catarina não está sendo muito diferente, uma vez que, diante do descontrole da doença no estado visto nas últimas semanas, o governo resiste em tomar medidas mais efetivas visando controlar melhor a pandemia. E tudo isso sendo feito com o apoio e beneplácito de setores empresariais mais preocupados com os lucros de seus negócios do que com a saúde do conjunto da população catarinense. E para agravar ainda mais esse cenário trágico, o Plano Nacional de Imunização (PNI), que começou em 18.01.2021, além de ser extremamente lento, prescinde do elemento essencial: a vacina em quantidades suficientes para dar maior celeridade ao processo de imunização de 70% da população brasileira” aponta o boletim.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Mais de 100 pesquisadores da UFSC assinam carta com 10 recomendações para acabar com a pandemia

26/02/2021 14:05

Um documento com mais de 100 assinaturas de professores e pesquisadores da UFSC foi divulgado nas mídias sociais e imprensa catarinense nesta quinta-feira, 25 de fevereiro. Intitulado “Os 10 Pontos Necessários para Acabar com a Pandemia Segundo Pesquisadores e Professores da UFSC”, o documento apresenta um chamado à sociedade para que reflita sobre a necessidade de cumprir algumas medidas necessárias para evitar “um retrocesso de difícil reparação nos sistemas de saúde e educação, ou no desenvolvimento humano, econômico e social”.

A carta conclui salientando a necessidade de “mudança da postura nacional de enfrentamento da pandemia, para não sermos todos cúmplices históricos por naturalizar no século 21 um novo holocausto”. A publicação foi assinada por 104 cientistas, de diversos Centros de Ensino da UFSC.

>> UFSC na Mídia: confira, no site do ND+ e no Bom Dia Santa Catarina a repercussão

>> Documento aberto para novas assinaturas

(mais…)

Tags: com ciênciacoronavírusgestão coronavíruspela vidapesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Labox/UFSC e equipe clínica da Universidad de Chile desenvolvem projeto de pesquisa relacionado à Covid-19

23/02/2021 08:31

O Laboratório de Bioenergética e Estresse Oxidativo (Labox) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), coordenado pela professora Alexandra Latini, e a equipe clínica da Universidad de Chile coordenada pelo professor Ramiro Zepeda foram aprovados pela agência chilena Agencia Nacional de Investigación y Desarrollo (Anid) para desenvolver um projeto de pesquisa relacionado com o melhor entendimento da progressão e sequelas da infecção viral Covid-19.

O projeto com o título Marcadores metabólicos de prognóstico de severidade em pacientes afetados por Covid-19 tem o intuito de validar um perfil de marcadores clínicos e bioquímicos baseados na função metabólica como ferramenta quantificável do curso da doença. “Entendemos que isto permitirá diminuir a taxa de mortalidade associada ao Covid-19, além de otimizar os recursos do sistema público de saúde”, explica a coordenadora Alexandra Latini. O projeto envolve alunos dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Médicas e em Bioquímica.

No momento, a doutoranda Jennyffer Souza, do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica da UFSC, desenvolve o projeto no Hospital de Rancagua, Rancagua, Chile.

Tags: coronavírusCovid-19Laboratório de Bioenergética e Estresse Oxidativo (Labox)pesquisa coronavírusUniversidad de ChileUniversidade Federal de Santa Catarina (UFSC)

Mestranda da UFSC é premiada por artigo sobre impactos da Covid-19 na coleta seletiva de Florianópolis

10/02/2021 08:30

Eduarda Piaia foi uma das sete pessoas selecionadas para a bolsa de estudos. Imagem: divulgação

Mestranda do Programa de Pós-graduação em Engenharia Ambiental da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Eduarda Piaia foi uma das sete selecionadas – a única da América Latina – para uma bolsa de estudos na escola de inverno da International Solid Waste Association (ISWA) e do Solid Waste Institute for Sustainability (SWIS) da Universidade do Texas. O artigo intitulado Os impactos da Covid-19 na coleta seletiva de um município do Brasil: estudo de caso da cidade de Florianópolis, Santa Catarina foi etapa definitiva do processo seletivo, que reuniu concorrentes de todo o mundo. 

A escola ocorrerá nas cidades de Irving, Garland, Lubbock e Grand Prairie, no estado do Texas, Estados Unidos, de 17 e 28 de janeiro de 2022. Com um programa que inclui diversas visitas técnicas e troca de experiências, seu objetivo é fornecer conhecimento avançado no campo da gestão de resíduos para um público internacional de especialistas em resíduos sólidos. Na edição de 2020, participaram representantes de 75 países.

“Acredito que o curso irá agregar muito para o meu currículo, para a minha experiência na área de resíduos sólidos e vai me proporcionar uma vivência com pesquisadores e profissionais da área de resíduos sólidos de todo o mundo. Além disso, como o curso também conta com visitas de campo, vou ter a oportunidade de conhecer como é o gerenciamento de resíduos sólidos em uma realidade muito diferente do Brasil”, afirma Eduarda. 

Covid-19 e coleta seletiva

Além de quantificar os resíduos recicláveis coletados na capital catarinense entre janeiro e outubro de 2020, o estudo premiado traz discussões acerca dos riscos a que os catadores estão expostos e dos impactos financeiros que a diminuição do montante de resíduos provocou nas associações de catadores, especialmente nos primeiros meses de pandemia. O trabalho se baseou em dados da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes) e da Autarquia de Melhoramentos da Capital (Comcap) e contou com a colaboração dos professores Armando Borges de Castilhos Júnior, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC, e Willian Cezar Nadaleti, do Programa de Pós-graduação em Ciências Ambientais da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), respectivamente, orientador e coorientador de Eduarda.
(mais…)

Tags: catadorescoleta seletivaComcapcoronavíruspesquisa coronavírusPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Ambientalresíduos sólidosUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Chamada da artigos sobre pandemia para revista Necat encerra-se dia 20 de fevereiro

09/02/2021 10:34

A Revista do Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina está com chamada de artigos científicos aberta para 2021, Vol. 11, N.19. Os textos da publicação devem discutir e analisar os impactos da Covid-19 em Santa Catarina, particularmente nas áreas de saúde, educação e condições sociais da população catarinense, sendo que os temas a serem trabalhados nessas áreas ficam a critério de cada autor.

O recebimento dos artigos ocorre até 20 de fevereiro. O lançamento da revista está previsto para março de 2021. Mais informações e normas para publicação estão disponíveis no site da revista.

Tags: coronavírusNúcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)pandemiapesquisa coronavírusrevista NECATUFSC