Alunos classificados pelas cotas sociais e raciais realizam validação da autodeclaração na UFSC

21/02/2018 11:24

Para grande parte dos alunos que ingressam na Universidade, passar pelo processo seletivo não é a etapa final. Um longo caminho acompanha os futuros alunos que entraram pelas cotas, no Vestibular ou SiSU. Os dias em que são realizadas as validações das autodeclarações marcam os últimos momentos de apreensão e o alívio de finalmente se matricular e fazer parte da comunidade universitária. 

Angie veio de Porto Alegre para cursar Cinema, pois em seu estado o curso não é oferecido na universidade federal. Ainda na sala de espera, ela passaria por duas comissões: de renda – para os candidatos classificados nas categorias escola pública, renda familiar bruta mensal igual ou inferior a 1,5 salário mínimo per capita –  e PPI (autodeclarados pretos, pardos ou indígenas). “Tô muito nervosa pra passar nessas comissões, mas creio que vai dar tudo certo. É muito documento, não sei se tenho maturidade pra fazer tanta documentação”, conta Angie, rindo. 

Angie espera ser atendida pela comissão. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A comissão para validação da autodeclaração de Pretos, Pardos e Indígenas é a mesma que analisa os candidatos provenientes das vagas suplementares do vestibular para negros. A comissão, que já existia desde 2008, foi extinta em 2014 e voltou esse ano. Francis Tourinho, secretária de Ações Afirmativas e Diversidades da UFSC, explica que esse retorno se deve a questões internas, como denúncias de fraudes; e questões externas como a solicitação do Ministério Público. A comissão é formada por servidores da universidade, estudantes e representantes do movimento negro externo à Universidade. A análise é a partir do fenótipo, ou seja, a aparência, e não a ascendência. Mas Francis esclarece que a comissão funciona mais como um acolhimento do que uma verificação: “Eles chegam, são acolhidos na sala de espera e a gente explica a importância que a vaga seja realmente pra quem é de direito pela lei. A comissão é uma conversa”.

A validação das autodeclarações de indígenas e quilombolas é feita através da comprovação de pertencimento à etnia. O candidato indígena deve trazer uma declaração da liderança da comunidade à qual pertence, assegurando que está culturalmente inserido nela. A comissão é formada por antropólogos, representantes da Funai e de etnias indígenas. Os quilombolas devem declarar pertencimento às comunidades remanescentes dos quilombos, reconhecidas pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A comissão conta com representantes do movimento negro e do Incra.

Camile, de 17 anos, veio de Itajaí para fazer a validação da autodeclaração de renda para o curso de Farmácia. Ela, que tinha acabado de ser aprovada no processo, conta com um sorriso tranquilo como foi a sua experiência: “É difícil, principalmente na hora de correr atrás da documentação. É bastante coisa, a gente fica nervosa. Mas é bem tranquilo depois que tu faz”.

Camile, caloura de Farmácia. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

No campus de Florianópolis, são cerca de 25 comissões para avaliação de renda, além dos quatro campi do interior, cujas validações ocorrem ao mesmo tempo. As comissões de renda são formadas por servidores da universidade que participaram de um curso para formação de validação de renda, muitos deles contadores e assistentes sociais. As pessoas responsáveis pela validação são nomeadas em uma Portaria.

Sala de espera para atendimento na comissão de validação de renda. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Em 2018, uma nova modalidade foi incluída na divisão por cotas: pessoas com deficiência, ainda dentro do recorte das vagas reservadas para alunos oriundos de escola pública. Lucas Vinicio, 18 anos, é cadeirante, já mora em Florianópolis  e conta que escolheu o curso de Jornalismo por dois motivos: dar mais voz às pessoas com deficiência, que têm pouquíssimos representantes na mídia, e agir sem esperar pelos outros, com um papel efetivo naquilo que acredita. As expectativas, ele diz, são as melhores possíveis.

Miriam é mãe de Gustavo e foi fazer por procuração a matrícula do futuro aluno do curso de Física, que possui deficiência visual. “Ele não vê a prova, vê o que a outra pessoa está descrevendo pra ele, então depende muito de como a outra pessoa está interpretando. Então não é justo ele competir com uma pessoa que pode ler e interpretar. Então a cota abre uma possibilidade enorme”. Além da dificuldade na prova, ela fala sobre os diversos obstáculos na formação de Gustavo, que sempre estudou em escola pública. Ela conta que teve que entrar na justiça para conseguir matricular seu filho no ensino fundamental, pois o diretor lhe dissera que a escola não tinha condições de aceitá-lo. Desde então, manteve-se lutando para conseguir na prática a educação que é de Gustavo por direito. Sobre a entrada de seu filho na universidade, Miriam diz que sente medo, mas apoia. “Eu não vou isolar meu filho dentro de casa. As pessoas precisam saber que essas deficiências existem e o que precisa ser feito”.

Saiba mais sobre as cotas na UFSC.

Lavínia Beyer Kaucz/Estagiária de Jornalismo/Agecom/UFSC

Administração Central da UFSC emite nota sobre a paralisação de ônibus na segunda-feira, 19 de fevereiro

15/02/2018 11:07

A Administração Central, por meio da Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (Saad) e Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) informa que manterá a programação anunciada para as validações de autodeclarações dos candidatos aprovados na 1ª, 2ª e 3ª chamadas do Vestibular 2018 e a 1ª chamada do SiSU, desta segunda-feira, dia 19 de fevereiro.

No entanto, em vista da paralisação do transporte coletivo em Florianópolis e região também prevista para a segunda-feira, 19 de fevereiro, informamos que os alunos que não conseguirem se deslocar até a UFSC não serão prejudicados, e poderão efetuar sua validação excepcionalmente e somente na terça-feira, dia 20 de fevereiro.

Estão marcadas para essa data as validações dos alunos aprovados para os seguintes cursos: Administração, Antropologia, Arquitetura e Urbanismo, Biblioteconomia, Ciência da Informação, Cinema, Enfermagem, Farmácia, Física, Fonoaudiologia, Geografia, Nutrição, Oceanografia, Pedagogia, Química – Bel/Bel em Química Tecnológica, Quìmica Lic., Secretariado Executivo, Serviço Social.

Ressalta-se que apenas os alunos dos cursos citados acima, que estiverem impossibilitados de se deslocar até a Universidade na segunda-feira, terão a oportunidade de realizar a validação em data diferente. Todos os demais alunos devem se organizar para estar na Universidade na data e horário programados.

Confira, aqui, o edital completo com o cronograma para a validação das autodeclarações do Vestibular 2018 e aqui o edital completo com as informações para os candidatos aprovados pelo SiSU 2018. Candidatos aprovados para as vagas suplementares para negros podem conferir aqui seu edital, e das vagas suplementares de indígenas e quilombolas, neste link.

Retrospectiva UFSC 2017: março e abril

02/02/2018 12:39

Trote do curso de Jornalismo. Foto: Giovanna Olivo.

A vida nos campi da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) retorna com força total a partir de março de 2017. Os corredores, até então vazios, começam a ser ocupados pelos estudantes que retornam de férias e pelos calouros eufóricos e curiosos pelo início da graduação.

chegada dos calouros é celebrada pela UFSC, que desenvolve diversas atividades para que eles se sintam em casa. A recepção dos estudantes realizada na Biblioteca Universitária (BU) reuniu exibição de filmes, visitas orientadas, exposições e contação de histórias. Também foram oferecidas orientações sobre os serviços gratuitos e canais de comunicação, além de um mapa da UFSC. O Manual do Calouro, realizado em conjunto com o DCE e a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), também foi disponibilizado.

O primeiro dia de aula é contado na reportagem especial “Vida de calouro”, realizada pela Agência de Comunicação da UFSC (Agecom). E para reduzir a alta reprovação de novos estudantes nas graduações em Engenharia, o departamento de Matemática (MTM) ofereceu, pela primeira vez, a disciplina Pré-cálculo para os cursos do Centro Tecnológico (CTC).

Uma data especial é celebrada no mês de março: o Dia Internacional da Mulher. Foi realizada uma roda de conversa no CCE, com a presença da presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), Maria José Braga, e participação via skype da pesquisadora da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos), Márcia Veiga. O dia 8 foi marcado por uma extensa programação de debates, mesas-redondas, manifestações, paralisações e exposições. Para a UFSC, essa é uma oportunidade de “falar sobre a resistência, lutas e trajetórias de um gênero em busca da construção de uma sociedade diversa e solidária.”

Ainda em março de 2017 foi publicado o UFSC Explica: Feminismo, parte de uma série que oferece o viés acadêmico, com participação de pesquisadores da UFSC, sobre assuntos em evidência na sociedade.

A Diversidade e a Inclusão são características presentes na UFSC por meio de ações voltadas à comunidade interna e externa. Um retrato disso foi apresentado em 14 de março,  quando foi lançado o Calendário da UFSC 2017. O projeto, ancorado no conceito Aqui tem diversidades, produzido pela Agecom e impresso na Imprensa Universitária (IU), foi distribuído aos servidores com a proposta de fortalecer e disseminar o posicionamento contra qualquer ato de discriminação e despertar a sociedade para o respeito.

No mesmo mês foi realizada a entrega de certificados aos 140 formandos no curso de Especialização em Gênero e Diversidade na Escola (GDE), promovido pelo Instituto de Estudos de Gênero da UFSC. O objetivo do curso é oferecer aos profissionais da rede pública de Educação Básica conhecimentos acerca da promoção, do respeito e da valorização da diversidade étnico-racial, de orientação sexual e identidade de gênero, colaborando para o enfrentamento da violência sexista, étnico-racial e homofóbica no âmbito das escolas.

Réplica de uma mesa de escritório dos anos 1980. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC.

E no dia 17 de março foi realizada a inauguração do Museu Patrimonial Itinerante da UFSC. Uma iniciativa inédita que reúne 18 objetos, de diferentes épocas e usos, narrando parte da história da Universidade. Máquina de escrever, retroprojetor, mimeógrafo e estojo normógrafo são algumas das peças que, até pouco tempo atrás, faziam parte do dia-a-dia no campus e hoje adquiriram valor histórico.

A UFSC, ao longo dos anos, tem se destacado entre uma das melhores universidades do país. Sua excelência foi reafirmada em março de 2017 com a divulgação do Enade 2015: UFSC mantém nota máxima na avaliação do Exame. Dentre as 12 universidades que tiraram nota 5, a UFSC ficou na 7ª posição com IGC contínuo de 4,0935.

A universidade também mostrou que é possível ser inovadora na área de gestão, ao receber o prêmio na subcategoria “Pregão com o objeto mais inusitado”, realizado em concurso no 12º Congresso Brasileiro de Pregoeiros. Desenvolveu o Planejamento Participativo na Agência de Comunicação (Agecom) da UFSC no ano em que o setor completou 25 anos. Os setores de Jornalismo, Design, Redes Sociais, Comunicação Interna, Memória Fotográfica, Secretaria e os estagiários estiveram focados na execução do planejamento que guiará as ações de comunicação da Universidade.

Cartaz da campanha “Adote uma caneca”.

O meio ambiente e a sustentabilidade foram abordados em diferentes projetos, como o que buscou 50% da redução do uso de copos plásticos na Universidade por meio do incentivo de uso de recipientes reutilizáveis (copos, garrafinhas, canecas) pelos servidores e estudantes, em campanha chamada “Adote uma caneca”.

A UFSC se tornou um Ponto de Entrega Voluntária (PEV) para arrecadar óleo de cozinha usado, localizado no térreo do prédio do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental  com o objetivo de evitar a poluição da água.

Também foi destaque a instalação da primeira boia meteo-oceanográfica (SiMCosta SC-01) em Santa Catarina, fundeada nas proximidades da Ilha do Arvoredo, interior da Reserva Biológica (Rebio) Marinha do Arvoredo, em Florianópolis. Fruto de uma parceria entre o Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta), a UFSC e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) visa o monitoramento de longo prazo na Rebio Marinha do Arvoredo.

Abril de 2017

O nível de excelência e diversidade da UFSC é demonstrado em reportagens publicadas no site da universidade durante todo o mês. Estudantes, servidores e comunidade são os atores que fazem essa instituição conquistar o que almeja ser: “uma universidade de excelência e inclusiva”.

Os estudantes são destaque em abril. Elana Silva de Souza, estudante da sétima fase de Ciências Contábeis da UFSC, subiu ao pódio no Campeonato Mundial Amador de Xadrez, realizado na Itália de 1º a 8 de abril. Com isso, além do título de Campeã Pan-americana conquistado na Argentina em 2016, soma-se o terceiro lugar no mundial.

Pedro Casali. Foto: Divulgação.

Pedro Casali, acadêmico do curso de Engenharia de Controle e Automação da UFSC, em intercâmbio na França, iniciou um trabalho na Organização das Nações Unidas (ONU) como integrante da Local Pathways Fellowship, uma rede formada por 50 jovens-líderes de vários países, com o objetivo de capacitar e empoderar jovens a implementarem os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) em sua região. O trabalho será levado à cidade catarinense de Joinville.

Na área de ensino, o curso de licenciatura em Matemática do campus Blumenau foi o primeiro da unidade a ser reconhecido e obteve conceito 4 (Muito Bom) em parecer do Ministério da Educação (MEC/Inep). Com 155 alunos regulares na época, o curso iniciou suas atividades em 2014.

Na extensão, o Laboratório de Experimentação Remota (RExLab) do campus Araranguá recebeu o prêmio internacional GOLC (Global Online Laboratory Consortium), de melhor laboratório controlado remotamente. Desde 2014 o GT-MRE atende mais de 5 mil alunos e docentes no estado de Santa Catarina, em todos os níveis escolares.

Ainda, em abril, a UFSC firmou acordo de cooperação com o Instituto Padre Vilson Groh com o objetivo de incentivar o intercâmbio técnico, científico, cultural e administrativo, de instalações físicas, equipamentos e de recursos humanos entre as duas instituições para o desenvolvimento de pesquisas e atividades de extensão, cursos de pós-graduação, estágios e outros serviços de interesse comum. A proposta é criar uma interface com as demandas das comunidades, como moradia, saúde, arquitetura e urbanismo na área social e psicologia.

universidade realizou, em Joinville, o 3º Encontro Nacional de Cursos de Graduação em Engenharia de Transportes, Logística e Mobilidade, com os objetivos de discutir uma proposta de currículo mínimo, além de esclarecer os participantes acerca dos procedimentos de reconhecimento do profissional egresso desses cursos.

O Conselho Universitário (CUn) aprovou, por unanimidade, o título de Professor Emérito ao docente aposentado Dilvo Ilvo Ristoff. Dilvo foi o primeiro reitor da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS).

Kamila Silva Pereira, na cerimônia de formatura em Pedagogia. Foto: G1/Globo

A diversidade e a acessibilidade na UFSC se refletem na conquista de Kamila Silva Pereira, de 29 anos, que superou as dificuldades de locomoção e fala decorrentes de uma paralisia cerebral e formou-se em Pedagogia na Universidade. Para chegar até a UFSC, foram anos de dedicação e amor da mãe, conforme reportagem veiculada no Jornal do Almoço.

Uma cartilha elaborada pelo Serviço de Psicologia Educacional da Coordenadoria de Assistência Estudantil (CoAEs) da UFSC orienta os estudantes a respeito de serviços, ações e projetos nas áreas da saúde, assistência social, lazer, arte e cultura, oportunidades de estágio e emprego, assim como outros serviços ofertados em Florianópolis.

Na área de gestão, obras retomadas e melhorias marcaram o mês de abril. O contrato para a conclusão das obras do prédio do Centro Sócio Econômico, paradas há cerca de cinco anos, foi assinado. Também está prevista a construção de uma nova subestação de energia, que ficará localizada próximo à Secretária de Segurança Institucional (SSI).

No dia 19 foram iniciadas as obras de reforma das quadras externas e urbanização do complexo esportivo do Centro de Desportos (CDS). Aguardada há mais de dez anos, a obra revitalizou pisos, equipamentos e iluminação de sete quadras externas, além de calçadas e passeios no entorno do espaço.

O horário de verão da UFSC realizado no período da manhã pelo segundo ano consecutivo mostrou-se mais econômico do que no período vespertino. A economia estimada ultrapassa os 322 mil reais em comparação com o mesmo período de dias de 2014/2015, que equivalem a 9,9% de redução com o custo do consumo (kWh).

Em abril, a vida funcional de muitos servidores da carreira técnico-administrativos em Educação (TAEs) começou a mudar. A Prodegesp divulgou a chamada pública de redistribuição de cargos para TAEs para manifestação de interesse para redistribuição. A Chamada Pública nº 01/2017 teve 25 vagas nos cinco campi da UFSC: Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville.

Mais informações

A retrospectiva de 2017, produzida no mês de janeiro de 2018, busca oferecer à comunidade universitária uma síntese dos principais fatos deste complexo ano que vivemos. São seis matérias, agrupadas por bimestres. Cada texto é de autoria de um membro da equipe da Agecom, que trouxe seu olhar para os eventos que tiveram cobertura da Agência. Essa retrospectiva visa ao registro e memória de um dos mais marcantes anos da história recente da UFSC.

As matérias são publicadas nas segundas, quartas e sextas, de 29 de janeiro a 9 de fevereiro de 2018 e estão registradas na página Retrospectiva Agecom.

 

Nicole Trevisol/Jornalista da Agecom/UFSC

NEPI publica nota por justiça pela morte de Marcondes Namblá

03/01/2018 18:49

“O Núcleo de Estudos de Povos Indígenas (NEPI) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) vem a público expressar o profundo pesar e a extrema necessidade de justiça frente ao assassinato cruel sofrido pelo professor indígena Laklãnõ-Xokleng, Marcondes Namblá. Marcondes foi morto enquanto fazia trabalho temporário em Penha-SC, vendendo picolé neste período de férias turísticas no litoral do estado. Foi espancado na cabeça até cair desacordado, foi resgatado pelos bombeiros, levado ao hospital, passou por três cirurgias e não resistiu.

Marcondes era egresso da UFSC, formado pelo Curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica, fazia parte de uma geração que vislumbrou na Universidade um lugar para compreender melhor as dinâmicas políticas, econômicas e sociais que ao longo da história atingiram seu povo de forma injusta e sangrenta. O povo Laklãnõ-Xokleng vem Resistindo aos efeitos muitas vezes perversos do embate com o Estado e Marcondes descobriu que poderia compreender tais dinâmicas estudando as crianças de seu povo, dialogando com a Antropologia, a História e a Linguística.

Mostrou que a Barragem Norte, que dividiu a Terra Indígena Laklãnõ, transformou o cotidiano das crianças, limitando o banho de rio e as brincadeiras que eram desenvolvidas na água. Mais ainda: estas brincadeiras mobilizavam vocabulários específicos, na língua nativa, que deixavam de ser utilizados pelas crianças, uma vez que as mesmas viam-se impedidas de brincar em determinadas partes do rio.

Como professor e liderança em sua comunidade, preocupava-se com a língua materna, com processos de circulação de saberes e com as dimensões identitárias que eram configuradas pelo território. Tinha planos de seguir os estudos em nível de Mestrado, tinha posicionamentos claros quanto ao lugar da escola na formação das crianças e jovens de sua Terra Indígena, tinha projetos ligados à revitalização da língua Laklãnõ-Xokleng, tinha a intenção de ter uma renda extra neste verão… Tinha tudo isso quando saiu na rua, foi abordado e brutalmente assassinado!

A nós restou a revolta de ter de aceitar a notícia de que vidas indígenas são interrompidas em qualquer esquina, como se algum outro ser humano tivesse o direito de fazer isto… Não tem! Em dezembro de 2015, o menino Vitor, da etnia Kaingang, foi assassinado na rodoviária de Imbituba, litoral catarinense, no colo de sua mãe. A Terra Indígena de Morro dos Cavalos vem sofrendo ataques consecutivos, violentos, os quais deixam marcas físicas, como uma mão decepada, e psicológicas, tal qual o medo que não vai embora. A violência aos povos indígenas é sistemática, diária, individual e coletiva.

Registramos aqui nossa tristeza, nossa indignação, nossa perda, mas sobretudo, nosso desejo de justiça.”

Equipe NEPI-UFSC

Fotografia: Italo Mongonnan Reis

Texto: Suzana Cavalheiro de Jesus

Campanha 2017: ‘A UFSC diz não à violência contra a mulher’

28/11/2017 10:00

A Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD), por meio da Coordenadoria de Diversidade Sexual e Enfrentamento da Violência de Gênero (CDGEN), promove a campanha ‘A UFSC diz não à violência contra a mulher’. Serão nove dias de ativismo desenvolvidas entre os dias 24 de novembro e 6 de dezembro. O evento busca mobilizar e conscientizar a comunidade acadêmica dos campi da UFSC sobre a necessidade de combater todo e qualquer tipo de violência contra as mulheres na comunidade interna e externa. 
(mais…)

‘Aliança pela Igualdade e Diversidade’ transformará salas em espaço de acolhimento

24/11/2017 13:00

O Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFSC) lançou durante a abertura da 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde (SCFGS), nesta terça-feira, 21 de novembro, no Auditório da Pós-graduação do CCS, a iniciativa ‘Aliança pela Igualdade e Diversidade’. O objetivo da ação é fornecer adesivos aos servidores e setores interessados em apoiar e acolher pessoas que tenham passado por algum tipo de violência ou assédio.

Segundo Marcela Veiros, chefe do Departamento de Nutrição e idealizadora da iniciativa, a ação foi aprovada pelo Centro e a identificação estará disponível a partir da próxima semana aos interessados. “Temos que nos colocar no lugar do outro, ver o que está acontecendo e não fechar os olhos ou sofrer calado (a). As salas identificadas se tornarão um local de acolhimento ao estudante, aos colegas servidores, ou seja, a todos que estão passando por algum tipo de violência ou assédio. A iniciativa começa no CCS, mas a expectativa é que toda a comunidade da UFSC adote a ideia”, explica ela.

Para Rodrigo Moretti, docente no Departamento de Saúde Pública, a iniciativa visa levar o aprendizado aos estudantes para além da sala de aula. “Se não tivermos um ambiente que mostre apoio e suporte às pessoas para discutir essa temática, como os nossos estudantes vão atuar no serviço de saúde e dar esse tipo de atenção?”, questiona ele.

Para ampliar o debate sobre as questões de gênero e saúde, o Centro tem trabalhado na criação de diversas ações. Uma delas é a Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde (SCFGS), realizada na UFSC pela terceira vez entre os dias 21 e 23 de novembro, e a recente aprovação da disciplina optativa ‘Gênero, Diversidade e Saúde Coletiva’, que será ministrada por Moretti e oferecida pelo Departamento de Saúde Pública a toda a comunidade universitária. “Essa temática deve ser discutida em todos os âmbitos. Temos muito a caminhar”.

Para Marcela é preciso prestar informações sobre a questão de gênero. “Só com a educação conseguiremos fazer com que as pessoas percebam e entendam o que está acontecendo e, com isso, mudem a sua postura e o seu comportamento”.

Mais

A logomarca da iniciativa ‘Aliança pela Igualdade e Diversidade’ foi criada pelo ex-aluno do curso de Ciências da Computação da UFSC, Bruno Melo.

Nicole Trevisol / Jornalista da Agecom / UFSC

Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Violência de gênero e saúde é tema da Semana de Combate às Fobias de Gênero

24/11/2017 12:18

As fotos penduradas na sala que antecede o Auditório da Pós-Graduação no Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFSC) mostravam cenas borradas, repetidas, angustiantes. Sobre a mesa montada no palco que recebe até quinta-feira, 23 de novembro, a 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde (SCFGS), estavam toalhas sobrepostas para formar o arco-íris símbolo do movimento de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros (LGBT).

Violências e abusos cometidos contra mulheres e comunidade LGBT foram apresentados ao público durante a abertura da SCFGS, iniciada às 18h30 de terça-feira, 21 de novembro, com a presença de gestores, estudantes, servidores e profissionais de saúde.
(mais…)

Instituto de Estudos de Gênero da UFSC é homenageado em Ato Parlamentar Solene na Alesc

23/11/2017 10:50

O Instituto de Estudos de Gênero (IEG) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), representado pelas servidoras Miriam Grossi, Mara Lago e Olga Zigelli Garcia, foi homenageado na noite desta quarta-feira, 22 de novembro, em Ato Parlamentar Solene realizada pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). Por indicação da deputada estadual Luciane Carminatti, a homenagem ocorreu no Plenarinho Deputado Paulo Stuart Wright e contou com a presença de autoridades, parceiros do IEG, estudantes de graduação e pós-graduação, ativistas de movimentos sociais e gestoras públicas.
(mais…)

Aluna de Engenharia Têxtil desenvolve moda agênero acessível e participa de desfile inclusivo

23/11/2017 10:15

Fabieli Diones Breier, acadêmica de Engenharia Têxtil da UFSC Blumenau, foi classificada para participar do desfile do Prêmio Brasil Sul de Moda Inclusiva. O evento será realizado nesta quinta-feira, 23 de novembro, às 19 horas, no Majestic Palace Hotel, em Florianópolis.

Fabieli é bacharel em Design de Moda e, atualmente, está no terceiro ano do curso de Engenharia Têxtil da UFSC Blumenau. Ela criou três looks pensados para serem usados por pessoas com algum tipo de deficiência, seguindo as premissas do Desenho Universal. Aplicado ao desenvolvimento de produto, o desenho incide em artigos que possam ser utilizados por todas as pessoas, na sua máxima extensão possível, ou seja, por pessoas com ou sem deficiência.
(mais…)

Exposição ‘Resistências Negras em Santa Catarina’ até 7 de dezembro

22/11/2017 09:20

A exposição “Resistências Negras em Santa Catarina” ocorre até 7 de dezembro no hall do Centro de Cultura e Eventos da UFSC. A mostra faz parte de uma das ações do mês da Consciência Negra do Grupo de estudos: ALTERITAS, Diferença, Arte e Educação. O objetivo é contribuir com a historia e cultura afro-catarinense, brasileira, africana, preservar a história dos movimentos negros em Santa Catarina e potencializar a implementação da Lei 10639/03 nos currículos escolares e acadêmicos.

Audiência nesta quinta sobre ‘verificação de autodeclaracao de negros e indígenas e combate a fraudes’

21/11/2017 16:45

Nesta quinta-feira, 23 de novembro, das 19h às 22h, no Auditório do Centro de Ciências da Saúde (CCS), será realizada Audiência Pública: verificação de autodeclaracao de negros e indígenas e combate a fraudes.

O evento tem como objetivo recolher sugestões sobre a forma de realizar a verificação de autodeclaracao de ingressantes por cotas pretos, pardos e indígenas e vagas suplementares para negros nos cursos de graduação da UFSC.

O evento conta com a participação do Ministério Público Federal, a UFPR, a OAB e o Conselho Estadual das Populações Afrodescendentes de Santa Catarina (CEPA/SC).

Mais informações: saad.ufsc.br

Projeto ‘Mundo Autista’ realiza evento de capacitação para profissionais de Saúde e Educação

21/11/2017 16:17

O Projeto “Mundo Autista – Incrível em Outro Espectro” é uma iniciativa dos estudantes da 8ª fase do curso de Administração da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), auxiliados pelo professor Marcos Bosquetti, e tem como objetivo a conscientização e sensibilização da população sobre as  dificuldades que pessoas autistas e suas famílias enfrentam no dia-a-dia, para o desenvolvimento de um indivíduo livre quanto para a construção de uma sociedade justa.

Projeto Mundo Autista é composto por 31 estudantes. Foto: divulgação

Para a capacitação de futuros profissionais das áreas de Saúde e Educação, o projeto irá realizar um evento no dia 30 de novembro, das 13h30 às 18h, no Auditório da Reitoria da UFSC, onde serão ministradas palestras de especialistas sobre o tema. O público-alvo são estudantes de Pedagogia, Medicina, Psicologia e Fonoaudiologia.

Palestrantes

  • Maria Rosa Machado (Neuro Infantil)
  • Gabriela Félix (Psicóloga)
  • Maria Alice Bampi (Psicopedagoga)
  • Simone Carla Echer Marchett (Fonoaudióloga)

Mais informações pelo e-mail Facebook e Página do Evento.

 

Congresso de Inclusão do Negro Surdo destaca a importância do combate aos preconceitos

17/11/2017 19:26

Ayiu John Wuol, palestrante da Alemanha.

O VI Congresso Nacional de Inclusão Social do Negro Surdo (CNISNS), que ocorreu na UFSC entre os dias 16 e 18 de novembro, teve palestrantes internacionais, oriundos da Alemanha, França e Estados Unidos. Durante o evento, foi ressaltada a importância do combate aos diferentes tipos de preconceitos que estão presentes nos mais diversos países. Um dos destaques da programação da sexta-feira, 17 de novembro, foi a palestra de Ayiu John Wuol, negro e surdo que vive na Alemanha.

Ayiu discursou sobre as muitas diferenças que existem entre os seres humanos e a necessidade de respeitá-las: “As pessoas são todas diferentes. Ainda assim, existe ainda muito racismo, muito machismo, muita opressão, muito sofrimento. Na Alemanha, eu sou respeitado pelo que faço, mas ainda sinto preconceito, sobretudos nas palavras que geralmente são dirigidas a nós, negros, vindas na maioria das vezes de homens brancos. E não é só na Europa que existe preconceito. Também existe na África e em outros lugares.”
(mais…)

UFSC recebe 3º Simpósio Sul da Associação Brasileira de História das Religiões

16/11/2017 10:51

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) recebe nos dias 20, 21 e 22 de novembro o 3º Simpósio Sul da Associação Brasileira de História das Religiões (ABHR). O tema desta edição é ‘Educação, Religião e Respeito às Diversidades’, cujo objetivo é fomentar diálogos que valorizem e dignifiquem as diversidades como elementos centrais dos processos de formação educacional e humana.
(mais…)

CCS promove 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde

16/11/2017 10:18

O Centro de Ciências da Saúde (CCS/UFSC), por meio do Departamento de Saúde Pública, promove de 21 a 23 de novembro, das 18 às 22h, a 3ª Semana de Combate às Fobias de Gênero na Saúde com o tema ‘Violência de gênero e saúde’. O evento será realizado no Auditório da pós-graduação no CCS (Bloco H) e se constitui pelo envolvimento de coletivos, movimentos sociais, instituições, organizações e pessoas comprometidas com a Diversidade de Florianópolis e o objetivo é construir uma comunicação ampla entre os segmentos e as esferas de poder público e privado.
(mais…)

UFSC Araranguá realizará atividades durante o Dia de Consciência Negra

16/11/2017 09:40

A UFSC Araranguá realizará no dia 20 de novembro, durante todo o dia, atividades artísticas e culturais em alusão ao Dia da Consciência Negra. As atividades iniciam às 10 horas e se encerram às 21h30, sendo que todas ocorrerão na UFSC Araranguá (bairro Jardim das Avenidas). Para as 16h está programada a Mesa Redonda ‘Por que cotas raciais?’, que contará com as convidadas Regina Vasconcellos Antonio, professora Associada na UFSC, e Emiko Liz Ferreira, presidente da Comissão de Igualdade Racial da OAB/SC e mestranda no Núcleo Alteritas PPGE/UFSC.

(mais…)

Núcleo em Direito e Diversidades obtém decisão favorável a aluna transexual da UFSC

14/11/2017 16:30

O Núcleo de Estudos em Direito e Diversidades (NEDD) obteve decisão antecipatória de tutela, proferida pela juíza Vânia Peterman, que determina a alteração do assento de nascimento de uma aluna transexual da UFSC. Neste caso, há duas particularidades: além de ter sido proferida em sede de tutela de urgência (liminar), a mesma determina que não conste do registro de nascimento qualquer anotação anterior do nome e do sexo/gênero de nascimento, resguardando, desde logo, a intimidade, a privacidade e a dignidade da pessoa humana da assistida.

O NEDD, o Emaj e a UFSC reiteram seu compromisso em prestar assistência jurídica integral a toda a comunidade hipossuficiente, aliando a prática jurídica obrigatória à advocacia social, proporcionando aos discentes uma maior aproximação com a coletividade, preparando-os para a vida profissional.
(mais…)

UFSC sedia 6º Congresso Nacional de Inclusão Social do Negro Surdo

14/11/2017 10:45

 A UFSC vai sediar o 6º Congresso Nacional de Inclusão Social do Negro Surdo (VI CNISNS), nos dias 16, 17 e 18 de novembro, sob coordenação do professor Victor Hugo Sepulveda da Costa, do Departamento de Língua de Sinais Brasileira, do Centro de Comunicação e Expressão (CCE), e da professora Maria Auxiliadora Bezerra de Araújo, do Instituto Federal Catarinense (IFC/Sombrio).

O Congresso Nacional de Inclusão Social do Negro Surdo é um evento importante para a comunidade Negra Surda brasileira, presumindo o empoderamento de lideranças dentro da comunidade surda, afim de lutar pela legitimação dos direitos sociais, perpassando temas transversais que envolve o arcabouço histórico desta comunidade.
(mais…)

UFSC promove ‘Seminário de Línguas Indígenas do Sul da Mata Atlântica: Guarani, Kaigang e Xokleng’

13/11/2017 08:00

O curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica e o Programa de Pós-Graduação em Linguística, ambos da UFSC, irão promover I Seminário de Línguas Indígenas do Sul da Mata Atlântica: Guarani, Kaigang e Xokleng, nos dias 13 e 14 de novembro. O objetivo do Seminário é promover diálogos, debates e falas a respeito das políticas que envolvem as línguas indígenas nos cursos de Licenciatura Intercultural Indígena bem como na esfera acadêmica de uma forma geral. 

Haverá conferências, mesas-redondas e grupos de trabalho com a participação de professores e estudantes indígenas das três etnias. O encontro, que será realizado no Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC, tem inscrições gratuitas, realizadas no local, e a participação dá direito a certificado.

Mais informações pelo Facebook.

Café (Psico) Antropológico debate gênero, sexualidade e diversidade, nesta quinta

09/11/2017 07:31

Mais uma edição do Café (Psico) Antropológico será realizada nesta quinta-feira, 16 de novembro, a partir das 16h30, na Sala Silvio Coelho dos Santos (CFH/UFSC). Para participar, basta de dirigir até o local, não é necessária a inscrição.

O tema ‘Retrocessos nas políticas de gênero, sexualidade e diversidade no Brasil: fundamentalismos na educação e nos museus’ contará com o debate de Amurabi Oliveira (Ciências Sociais/UFSC), Eduardo Bonaldi (Ciências Sociais/UFSC), Nise Jenkings (Metodologia de Ensino/UFSC) e Thainá Castro (Museo/UFSC). A coordenação será de Miriam Grossi (Antropologia/UFSC).
(mais…)

UFSC abre inscrições às vagas suplementares para negros, quilombolas e indígenas

09/11/2017 07:30

A Comissão Permanente do Vestibular (Coperve) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou o edital nº 8, referente às inscrições ao processo seletivo para as vagas suplementares destinadas ao grupo etnicorracial negro, relativas ao ano letivo de 2018.

Também declaram abertas as inscrições ao edital nº 9 para as vagas suplementares para indígenas e quilombolas para o ano de 2018, a todos os que concluíram ou estão em vias de concluir o Ensino Médio (curso de 2º Grau ou equivalente).

As inscrições para as vagas suplementares devem ser realizadas no período de 17 de outubro a 13 de novembro de 2017.

Mais informações estão disponíveis na página da Coperve.

 

Mês de novembro dedicado à Consciência Negra

08/11/2017 14:28

A Confraria Literária do Colégio de Aplicação da UFSC traz um mês inteiro dedicado à Consciência Negra, para celebrar a dança, a música, a voz e a cultura negra.

1º a 30 de novembro
– Exposição: Literatura Africana e Afro-brasileira – 7h – 19h
Local: Biblioteca Setorial CA/UFSC 

9 de novembro
– Café Cinematográfico: Dear White People – 16h
Local: Escola Municipal Beatriz de Souza Brito (bairro Pantanal)
(mais…)

Projeto ReHabilitar promove seminário sobre a importância da autonomia de pessoas com deficiência

27/10/2017 13:47

O programa de pós-graduação e o departamento de Enfermagem da UFSC promovem o I Seminário Internacional de Reabilitação “Dimensões do cuidado em reabilitação: Da bancada à prática clínica”. O evento tem como objetivo a reflexão e compartilhamento dos conhecimentos sobre as dimensões do cuidado em reabilitação e as diversas contribuições das áreas de pesquisa, ensino e extensão e dimensões do cuidado para a autonomia da pessoa com deficiência. O seminário ocorrerá dia 13 de novembro, das 8h às 17h, no auditório do Bloco H do Centro de Ciências da Saúde (CCS).
(mais…)

Aberto questionário sobre acessibilidade no RU para pessoas com deficiência visual

11/10/2017 16:59

Foto: Luna Mariah Zunino/Agecom/UFSC

O Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE) da UFSC, está realizando uma pesquisa para o planejamento de instalação de piso podotátil, dentro do Restaurante Universitário (RU). Por meio de um questionário, os usuários do local que possuem deficiência visual, podem explicitar suas impressões acerca da locomoção no espaço, o que servirá de auxílio na elaboração de um projeto mais adequado às necessidades de quem frequenta o ambiente.

Evandro Machado Fernandes, chefe da divisão de projetos do DPAE, ressalta a importância da participação das pessoas com deficiência visual na pesquisa. Em visita ao local, Evandro percebeu por parte dos projetistas, uma dificuldade em levantar todas as necessidades dos usuários com deficiência visual, principalmente pela falta de normativa técnica que regule a utilização do piso podotátil para um ambiente como o RU.

questionário pode ser respondido até o fim de novembro e deve ser encaminhado para o e-mail da CAE/SAAD:  . A Coordenadoria também o encaminhará por e-mail para os estudantes e servidores da UFSC.

 

  • Página 1 de 3
  • 1
  • 2
  • 3