Maior Congresso Brasileiro de Sociologia da história debate atualidade do país

10/07/2019 18:56

Auditório cheio para a abertura do 19º Congresso Brasileiro de Sociologia. Foto: Henrique Almeida/Agecom

“O ator em política pode muito, mas, como aprendemos com Maquiavel, ele não pode tudo. Nem sempre estamos ao lado dos perdedores, já tivemos vitórias, mas não soubemos aproveitar esse último momento de vitória e agora estamos em um cenário muito ruim, do qual a Sociologia pode indicar o bom remédio aos males que nos afligem”. Com essas palavras, Luiz Werneck Viana finalizou sua fala na conferência de abertura do 19º Congresso Brasileiro de Sociologia.
(mais…)

Tags: 19º Congresso Brasileiro de SociologiasociologiaUFSC

Circuito Lilás integra atividades do 19º Congresso Brasileiro de Sociologia

08/07/2019 10:34

O Circuito Lilás da Sociologia, realizado durante o 19º Congresso Brasileiro de Sociologia, tem como objetivo dar visibilidade à temática de gênero e estudos feministas na Sociologia, em atividades realizadas durante o evento. O congresso, promovido pela Sociedade Brasileira de Sociologia, será realizado na Universidade Federal de Santa Catarina de 9 a 12 de julho.

Outro objetivo é apresentar os espaços onde são desenvolvidas diferentes atividades do Instituto de Estudos de Gênero: Revista Estudos Feministas, Centro de Documentação, Espaço Cultural Gênero e Diversidades. Neles atuam professoras pesquisadoras da UFSC, assim como estudantes de graduação e pós-graduação, atendendo à inúmeras frentes de pesquisa, ensino e extensão.

As atividades do Circuito Lilás estão agrupadas nas onze modalidades do congresso: Comunicações Livres, Grupos de Trabalho, Mesas redondas, Sessões Especiais, Sociólogos/as do Futuro, Mostra Fotográfica, Mostra de Vídeos, Lançamento de Livros, Atividades, Minicursos e Conferências Internacionais. No mapeamento realizado revela-se a importante produção na área da Sociologia com destaque para alguns eixos temáticos como violências e movimentos sociais, este marcado pelo uso da categoria feminismo, e a realização da plenária “Por uma rede de sociologia feminista”, que irá ocorrer no dia 11 de julho, das 12h às 14h, no Auditório Henrique Fontes (CCE, Bloco B)

 

09/07/2019

10/07/2019

11/07/2019

12/07/2019

Credenciamento

Circuito Solidário

Bazar Solidário  Mundos de Mulheres 2020

Venda de ingressos para a confraternização

9h – REF – visitação

Local: Sala da Revista Estudos Feministas –

CFH Bloco D – 2º andar

10h – CEDOC – visitação

Local: Instituto de Estudos de Gênero – CFH E – 7º andar

12h – Conferência

Raewyn Connell

Local: Auditório Garapuvu

13h – Lançamento de Livros

Revista Estudos Feministas 27

12h – Plenária por uma Rede de Sociologia Feminista

Local: Auditório Henrique Fontes – CCE

13h – Conferência Isabel Casimiro

Local: Auditório Garapuvu

18h – Abertura do Congresso

20h30min – Baque Mulher

18h30min – Oficina

“Corpo, Memória e Consciência: ressignificando experiências de violência no ambiente acadêmico”

Giselle Guillhon

Local: Espaço Cultura Gênero e Diversidades/IEG

Lançamento de Livros:

19h – Conferência

Saskia Sassen

Local: Auditório Garapuvu

 20h – Confraternização Solidária – 44º ano da Independência de Moçambique

Local: Sociedade Amigos da Lagoa (SAL)

Tags: Circuito LilássociologiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC sedia 6º Encontro Nacional de Ensino de Sociologia na Educação Básica

01/07/2019 09:00

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) irá sediar, entre os dias 6 e 9 de julho, o VI Encontro Nacional de Ensino de Sociologia na Educação Básica (Eneseb). O evento contará com palestras, mesas-redondas, oficinas, grupos de trabalho (GTs), exibição de documentários, homenagens a personalidades defensoras dos espaços do ensino da sociologia e atividades culturais.

> Clique aqui para conferir a programação do evento

Promovido pela Comissão de Ensino da Sociedade Brasileira de Sociologia, o ENESEB propõe-se a discutir os rumos do ensino e da disciplina de Sociologia na escola, principalmente no ensino médio, assim como propor reflexões acerca de aspectos da formação docente e do papel da universidade nesse processo.
(mais…)

Tags: CFHCiências SociaisenesebsociologiaUFSC

‘Sociologia da ação coletiva’, lançamento da EdUFSC, tem a proposta de ser um livro didático

10/07/2018 17:01

Agripa Faria Alexandre, autor do livro. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC.

Sociologia da ação coletiva“, novo lançamento da Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (EdUFSC) tem a proposta de ser um livro didático. “Escrevi para estudantes de graduação e pós-graduação. Ele não tem um enfoque inédito, embora haja uma tentativa de se fazer um balanço reflexivo sobre o tema. Mas não pretendo, com esse material, trazer algo de novo. É um livro didático, para alcançar o público que está se apropriando dessa abordagem”, explica Agripa Faria Alexandre, autor da obra e professor visitante do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH/UFSC).
(mais…)

Tags: ação coletivaAgripa Faria AlexandreEditora da UFSCEdUFSCinteracionismo simbólicoPPGICH)sociologiaSociologia da ação coletivaUFSC

Colóquio internacional sobre sociólogo Pierre Bourdieu está com inscrições abertas

04/05/2018 14:30

Até o dia 15 de maio é possível fazer a inscrição para o colóquio internacional “Um projeto para as ciências sociais: o ofício de sociólogo e o trabalho sociológico de Pierre Bourdieu”, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UFSC, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) por meio do edital Proeventos. O evento tem início no dia 15 e vai até o dia 17, e terá lugar no auditório do EFI, no campus Florianópolis.

O objetivo do evento é ampliar e consolidar redes de pesquisa e trocas científicas interinstitucionais, nacionais e internacionais, que tenham por objeto o problema dos fundamentos do trabalho científico, as modalidades de institucionalização e as condições de autonomização do campo universitário e científico. O público-alvo do colóquio são estudantes de graduação e pós-graduação, professores e servidores da UFSC, de outras instituições de Santa Catarina e de outros estados. O Colóquio visa incentivar o debate sobre o fazer sociológico, analisando a recepção, os desdobramentos e as possibilidades da prática científica nos moldes defendidos por Pierre Bourdieu e sobre as possibilidades e dificuldades para que as ciências sociais possam se afirmar como uma ciência como as outras ciências.
(mais…)

Tags: Ciências SociaisEFIPierre BourdieusociologiaUFSC

Laboratório abre inscrições para o curso ‘Sociologia política, cinema e subjetividade social’

11/09/2017 10:48

O Laboratório Interdisciplinar de Ensino de Filosofia e Sociologia (LEFIS) abriu inscrições para o curso “Sociologia política, cinema e subjetividade social”. O curso será ministrado pelos professores Iraldo Matias e José Carlos Mendonça entre os dias 5 de outubro e 16 de novembro; na ementa, a síntese das principais teorias sobre cinema; cinema e ideologia; cinema e educação.

Estudantes de licenciaturas ou de pedagogia, coordenadores, diretores de colégios e professores do ensino médio (de qualquer disciplina) são o público preferencial do evento.

Inscrições podem ser feitas pelo link.

Mais informações na página do LEFIS.

Tags: filosofiaLaboratório Interdisciplinar de Ensino de Filosofia e SociologiasociologiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Laboratório promove minicurso ‘Discutindo política e sociologia a partir da ficção’

28/08/2017 10:26

O Laboratório Interdisciplinar de Ensino de Filosofia e Sociologia (Lefis) promove o minicurso “Discutindo política e sociologia a partir da ficção”. O ministrante é Peterson Silva, escritor e mestrando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política da UFSC. As inscrições podem ser feitas neste link e são limitadas a 25 pessoas.

O objetivo do curso é discutir estratégias para lidar com política e tópicos sociológicos fazendo uso de obras ficcionais e auxiliar, assim, tanto professores de línguas quanto professores de sociologia a integrar duas abordagens com vistas ao incentivo à leitura e a uma melhoria do nível de abstração da própria leitura.

A duração do minicurso é de 20 horas, com três encontros de 3h/aula, intercalados com 11 h para planejamento e execução de projetos, além de elaboração (opcional) de artigo acadêmico sobre a experiência.

Datas e local: 20/09, 27/09 e 18/10 na sala do Lefis (E.E.B. Simão José Hess), às 18h45.

Ementa: Circulação de ideias em um debate que antecede a leitura. Leitura do mundo como anterior à leitura do livro. Desconstrução da linguagem e análise de discurso como formas de ampliar as possibilidades de leitura. Aplicação de conceitos teóricos e conhecimento científico como critérios racionais do debate.

Mais informações na página do Lefis.

 

Tags: Discutindo política e sociologia a partir da ficção”filosofiasociologiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pós em Sociologia Política promove palestra sobre ‘A crise da democracia no Brasil’

24/07/2017 15:36

O programa de pós-graduação em Sociologia Política da UFSC promove uma palestra de abertura do segundo semestre, com o tema “A crise da democracia no Brasil”. A palestra será ministrada pelo professor Fabiano Santos (IESP/UERJ), presidente da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS). O evento ocorre no dia 14 de agosto, segunda-feira, às 14h, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC).

Mais informações pelo e-mail ou  ou pelo telefone: (48) 3721-9253.

Tags: crisedemocraciapalestraPrograma de Pós-Graduação em Sociologia PolíticasociologiaUFSC

A condição da mulher rural é tema de novo livro da Editora da UFSC

20/03/2017 22:41

mulheres_rurais_capaMulheres rurais: quatro décadas de diálogo”, de Maria Ignez Paulilo, é o mais recente lançamento da Editora da UFSC (Edufsc). A autora é professora titular aposentada do departamento de Sociologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), especialista em Sociologia Rural. Lecionou na UFSC de 1979 a 2007, mas segue integrando o Programa de Pós-graduação em Sociologia Política (PGSP), orientando dissertações e teses. Sua mais recente obra surge como uma referência para conhecer e se familiarizar com a condição da mulher no campo no Brasil.

Este é o terceiro livro de Maria Ignez lançado pela Edufsc. Em 1990, a professora publicou “Produtor e Agroindústria: consensos e dissensos”; em 1996, “Terra à vista. . . e ao longe”. “Eles abordavam a vida no campo de forma mais geral. A ideia, com esse novo livro, é reunir diversos artigos que estavam dispersos, mas que tinham em comum tratar mais especificamente sobre as mulheres rurais” afirma. A autora selecionou 14 artigos, publicados entre 1976 e 2016, percorrendo todo seu caminho de pesquisa.

(mais…)

Tags: CampoEditoria da UFSCEdUFSClançamentolivromulheresRuralsociologiaUFSC

Escola de Extensão abre inscrições para curso “O que é gordofobia?”

09/03/2017 13:12

curso de extensão (2)A Escola de Extensão da UFSC informa que estão abertas as inscrições para o curso “O que é gordofobia?”, coordenado pela professora do Departamento de Sociologia Política da Universidade, Marcia da Silva Mazon. Os encontros serão realizados às segundas-feiras, das 18 às 22h, nos dias 13, 20 e 27 e 3 e 10 de abril no miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Inscrições aqui.

O objetivo do curso é traçar um panorama dos problemas sociais que influenciam no sofrimento das pessoas gordas por meio de exclusão social e preconceito. Entre os temas abordados, as opressões que o corpo gordo da mulher sofre, as transformações da alimentação e do trabalho a partir da Revolução Verde e da Revolução Industrial; a construção do discurso médico sobre as pessoas gordas; a construção do padrão de beleza e a disseminação das imagens e da informação a partir da Revolução das Tecnologias de Informação e a estigmatização do corpo gordo; os feminismos e o ativismo gordo.

O curso de 20h será ministrado por pesquisadoras da UFSC das áreas de Sociologia e Nutrição e é indicado para profissionais de saúde e educação, para estudiosos do assunto e interessados e simpatizantes da luta anti-gordofóbica. Participantes que obtiverem 75% de frequência e realizarem atividade avaliativa terão direito a certificado.

Tags: CFHcursoEscola de Extensãoextensãogordofobianutriçãosociologia

Debate discute confrontos midiatizados entre ativistas a favor e contra impeachment

12/04/2016 08:05

Os confrontos midiatizados entre ativistas a favor e contra o impeachment da presidente Dilma Roussef são tema do debate “Mídia golpista x contragolpista” entre três especialistas nesta quarta-feira, 13, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

Um dos maiores especialistas em ética jornalística do país, o professor titular Francisco Karam, do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo, discutirá o tema com o professor Itamar Aguiar, do Departamento de Sociologia e Ciência Política, e o doutorando Carlos André dos Santos, do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política. Aguiar pesquisa a democratização dos meios de comunicação há mais de uma década, enquanto Carlos André é midiativista.

O seminário “Mídia golpista x contragolpista” é o segundo do ciclo “Crise e crítica”, promovido pelo Laboratório de Sociologia do Trabalho (Lastro), do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Polítca da UFSC. O debate começa às 10h e é gratuito.

Mais informações pelo telefone (48) 3721-9253, ramal 23.

Tags: Centro de Filosofia e Ciências HumanasCFHDilma RousseffLaboratório de Sociologia do TrabalhoLASTROsociologiaSociologia PolíticaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Professor de Sociologia da Universidade de Lancaster palestra dia 27 no CFH

24/10/2014 10:48

O Instituto de Pesquisa em Riscos e Sustentabilidade (IRIS) da UFSC, convida para a palestra “(In)visibilidade da mudança climática e da transição para uma sociedade de baixo carbono: o caso da inovação da mobilidade urbana elétrica”, com David Tyfield – director and reader in Environmental Innovation and Sociology, International  Research & Innovation Centre for the Environment (I-RICE), Guangzhou, China, Lancaster University -, 27 de outubro, das 9h30min às 11h, no miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

Apoio: Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas
(mais…)

Tags: CFHDavid TyfieldIRISLancastersociologiaUFSC

Pesquisador da UFSC lança livro sobre democratização da mídia

11/06/2014 09:49

A participação da sociedade civil no processo de democratização da comunicação está no centro dos debates do novo livro do professor Itamar Aguiar, do Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina. A obra 1ª Confecom: os interesses em jogo será lançada nesta quarta-feira, 11 de junho, às 14h, no SESC Cacupé, em Florianópolis, durante a abertura da plenária estadual da Federação dos Trabalhadores no Comércio do Estado de Santa Catarina (Fecesc).

Itamar Aguiar discute a importância histórica da primeira Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) para a consolidação da democracia no país, denuncia os interesses que movem a indústria midiática e aponta caminhos para a superação do modelo vigente.

Além de documentos, depoimentos e análises, o autor apresenta dados sobre os gastos com publicidade oficial pelos governos federal e dos estados de São Paulo e Santa Catarina, interpretando os interesses políticos e econômicos na distribuição das verbas aos veículos de comunicação. Revela-se, por exemplo, que, em Santa Catarina, os gastos com propaganda foram superiores aos investimentos em áreas sociais, e que, apesar do discurso da descentralização, a verba publicitária continuou concentrada nos grandes meios de comunicação.

Edição do autor, o livro é fruto de projeto de pesquisa aprovado pelo Departamento de Sociologia e Ciência Política em 2009.  “São três anos de pesquisa militante”, sublinha o autor, que defende políticas públicas para o setor.

Mais informações:

Professor Itamar Aguiar

Fone do autor: (48) 3721-9250 e 9172-4505

Moacir Loth / Jornalista da Agecom / UFSC
 

Claudio Borrelli / Revisor de Textos da Agecom / Diretoria-Geral de Comunicação/ UFSC

Tags: Confecommeios de comunicaçãomídiasociologiaUFSC

EdUFSC reedita clássico da Coleção Nutrição

24/02/2014 12:33

Ao reeditar Sociologias da Alimentação – Os comedores e o espacial social alimentar, a Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (EdUFSC) assume uma posição de vanguarda no campo das publicações de língua portuguesa na área. A obra pioneira do socioantropólogo Jean-Pierre Poulain é apresentada e prefaciada pela professora Rossana Pacheco da Costa Proença, do Departamento de Nutrição e ex-pró-reitora da UFSC. Assinam a tradução, além de Rossana, os professores Jaimir Conte e Carmen Sílvia Rial. Um projeto gráfico arrojado e uma capa plástica marcam a reedição. A obra integra a Coleção Nutrição, inaugurada, em 2000, com o resgate de Alimentação através dos tempos, de autoria da primeira nutricionista do Brasil, a catarinense Lieselotte Hoeschl Onellas. 

(mais…)

Tags: alimentaçãoEdUFSCsociologiaUFSC

Pós-Graduação em Jornalismo promove painel sobre Adelmo Genro Filho

18/09/2012 09:40

O jornalismo é uma forma de conhecimento? Há atualidade nas obras escritas antes do advento massivo da internet e das redes sociais? O marxismo é ainda uma referência para os estudos teóricos em diferentes áreas de conhecimento, entre elas o jornalismo? Para discutir essas e outras questões, o Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina promove o painel “Adelmo Genro Filho e o Jornalismo, 25 anos depois” na terça-feira, 25 de setembro, às 9h30, no auditório do Centro de Comunicação e Expressão da UFSC, em Florianópolis. No evento será relançado, pela editora Insular, o livro O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo, publicado originalmente em 1987 como livro, a partir da dissertação apresentada por Adelmo junto ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFSC, sob  a orientação da professora Ilse Scherer-Warren.

Ao fazer críticas tanto ao jornalismo desenvolvido no capitalismo como no socialismo, o autor, falecido em 1988, amparado em sólida formação marxista, conforme a apresentação da obra há 25 anos, assumia uma postura anti-dogmática e criativa. Atribuía ao jornalismo um papel revolucionário: o de ser uma forma de conhecimento que, embora condicionado historicamente pelo capitalismo, apresenta potencialidades que ultrapassam esse modo de produção. No livro, Adelmo Genro Filho, que era professor do Curso de Jornalismo da UFSC, expõe concepções inovadoras sobre a natureza do fenômeno jornalístico.

O painel, que tem o apoio do Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política e do Curso e Departamento de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina,  conta com quatro expositores: Sylvia Debossan Moretzsohn (Universidade Federal Fluminense), Jacques Mick (Sociologia Política/UFSC), Felipe Pontes (Sociologia Política/UFSC) e  Eduardo Meditsch (Jornalismo/UFSC). A apresentação e mediação ficam a cargo dos professores Rogério Christofoletti e Francisco Karam, coordenador e subcoordenador do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo.

Sobre o autor e os painelistas

Adelmo Genro Filho , nascido em 1951, formou-se em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Maria em 1975. Desde adolescente exerceu intensa atividade política como líder estudantil e membro de organizações políticas que resistiam ao regime militar. Em 1976, foi eleito vereador em Santa Maria pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), exercendo mandato até 1982, quando se transferiu para Florianópolis e ingressou, através de concurso, como professor do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina.

Em 1987, licenciou-se da Universidade e, transferindo-se para Porto Alegre, foi um dos fundadores do Centro de Estudos de Filosofia e Política. Em 1988, continuaria licenciado da UFSC para desenvolver pesquisas e atividades no CeFiP. Em fevereiro daquele ano, aos 36 anos, entretanto, veio a falecer.

Partidariamente militou no MDB e, posteriormente, no Partido dos Trabalhadores (PT). Na clandestinidade, atuou no Partido Comunista do Brasil (PCdoB), na dissidência do PCdoB e, posteriormente, no Partido Revolucionário Comunista (PRC). Como jornalista, atuou no jornal A Razão, de Santa Maria; no Semanário de Informação Política, de Ijuí e no Jornal Informação, semanário da imprensa independente, de Porto Alegre. Publicou sete livros, sendo três em conjunto com outros autores, e dezenas de artigos em jornais e revistas.

Na UFSC cursou o mestrado em Ciências Sociais, sob orientação da profa. Ilse Scherer-Warren, apresentando como dissertação um trabalho sobre teoria do jornalismo que resultou na publicação de livro com o título de O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo, obra clássica na área. Em função dela, foi criado o prêmio Adelmo Genro Filho de Pesquisa em Jornalismo, promovido anualmente pela SBPJor – Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo. Vinte e cinco anos depois de publicado, o livro agora é relançado pela editora Insular, que vem se destacando, entre outros apoios, a publicações específicas na área jornalística. O livro relançado agora integra a coleção Jornalismo a Rigor, produzida pelo Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina e coordenada pelo prof. Dr. Eduardo Meditsch.

Eduardo Meditsch realizou estágio sênior de pós-doutorado na University of Texas at Austin. Possui doutorado em Ciências da Comunicação/Jornalismo pela Universidade Nova de Lisboa (1997), mestrado em Ciências da Comunicação/Jornalismo pela Universidade de São Paulo (1990) e graduação em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1979). É professor da Universidade Federal de Santa Catarina (desde 1982), onde atua na Graduação e Pós-Graduação em Jornalismo, e pesquisador do CNPq desde o ano 2000. Como jornalista, atuou em rádios, jornais e tevês do Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. É autor, entre outros, dos livros “O Conhecimento do Jornalismo” e “O Rádio na Era da Informação”.

Felipe Pontes é doutorando em Sociologia Política pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre em Jornalismo pela UFSC com a dissertação “Teoria e história do jornalismo: desafios epistemológicos” e jornalista formado pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Atualmente desenvolve projeto de tese sobre Adelmo Genro Filho. Participou, no primeiro semestre de 2012, de grupo de estudos sobre a obra “O Segredo da Pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo”.

Jacques Mick é professor adjunto do Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina. Com graduação em Comunicação Social – Jornalismo pela UFSC (1992), tem mestrado e doutorado em Sociologia Política pela UFSC (1998, 2004). Nos últimos anos, acumulou experiência profissional e docente na área da Comunicação, e agora desenvolve pesquisas relacionadas ao Jornalismo. Coordena, atualmente, a pesquisa “Perfil profissional do jornalismo brasileiro”. É autor de vários livros e artigos nas áreas do jornalismo e da sociologia.

Sylvia Debossan Moretzsohn é jornalista formada pela UFRJ, mestre em Comunicação (UFF) e doutora em Serviço Social (UFRJ). Atuou como repórter em grandes redações do Rio de Janeiro ao longo dos anos 1980 e foi membro da Comissão de Ética do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, quando participou da organização do livro “Jornalistas pra quê? Os profissionais diante da ética”. É professora de jornalismo no curso de Comunicação Social da UFF desde 1993 e, mais recentemente, do Programa de Pós-Graduação em Justiça Administrativa, na mesma universidade. É autora dos livros “Jornalismo em ‘tempo real: o fetiche da velocidade” e “Pensando contra os fatos. Jornalismo e cotidiano: do senso comum ao senso crítico”. Em 2011, venceu o concurso Folha Memória com a pesquisa “O jornalismo além dos jornalistas: o papel dos motoristas de redação na produção da reportagem”, a ser publicada em 2013.

Fonte: Posjor/UFSC

Mais informações: www.adelmo.com.br e www.posjor.ufsc.br

Tags: jornalismoPOSJORsociologiaUFSC

Laboratório oferece cursos sobre Filosofia e Sociologia para professores do ensino médio

21/05/2012 16:38

O Laboratório Interdisciplinar de Ensino de Filosofia e Sociologia (LEFIS) oferece cursos e oficinas voltadas para professores dessas disciplinas que atuam no ensino médio da rede de ensino pública e privada. Também podem se inscrever alunos das licenciaturas de Ciências Sociais e de Filosofia tanto da Universidade Federal de Santa Catarina quanto de outras instituições. O LEFIS é resultado de ação interinstitucional da UFSC com a Secretaria da Educação do Estado de Santa Catarina.

As oficinas ocorrem ao longo deste ano e são organizadas em encontros semanais ou quinzenais, dependendo do curso. A programação é toda presencial e ocorre na sede do LEFIS, em Florianópolis, ou em cidades como Balneário Camboriú, Criciuma e Palhoça. Os participantes dos cursos e oficinas receberão certificados emitidos pela UFSC. As inscrições são gratuitas e ficam abertas até o início de cada curso. Para se inscrever, os interessados/as podem telefonar para (48) 3338-8357.

Veja a Programação.

Mais informações:

LEFIS – Laboratório Interdisciplinar de Ensino de Filosofia e Sociologia – UFSC e SED/SC
Local: Escola de Educação Básica Simão José Hess – Av. Madre Benvenuta, 463 – Trindade – Florianópolis – SC
Fone: (48) 3338-8357
Email:
Horário de atendimento: de 8h30min às 11h30min e de 13h30min às 17h30min.

Tags: ensino médiofilosofiasecretaria da educação do estado de santa catarinasociologiaUFSC

Sociólogos italianos fazem conferência na UFSC sobre migração, turismo e saúde

12/03/2012 13:57

Os sociólogos Umberto Melotti e Marxiano Melotti

Os sociólogos italianos Umberto Melotti e Marxiano Melotti estiveram na UFSC para falar sobre migração na Europa, turismo arqueológico na pós-modernidade e migração e saúde. Eles participaram do seminário “Sociedade e Cultura Política – Debates Contemporâneos”, no dia 29 de fevereiro. No dia 1º de março, o professor Umberto Melotti participou do seminário “Diálogos sobre Sociedade, Saúde e Cultura Política”.

Na primeira conferência, o professor Umberto Melotti, da Faculdade de Sociologia da Universidade de Roma La Sapienza, abordou o panorama da migração na Europa contemporânea. De acordo com o professor, a migração deve ser vista não apenas como um fenômeno econômico ou social, mas principalmente como um fenômeno político. Melotti falou sobre as diferentes políticas migratórias de quatro países: França, Alemanha, Reino Unido e Itália.

A França caracteriza-se pelo assimilacionismo etcnocêntrico, em que a integração busca assimilar os novos grupos à cultura local, com o objetivo de transformar o imigrante em cidadão francês. Hoje o país enfrenta problemas de integração social, decorrentes da contradição entre os problemas reais com esse projeto de assimilação, principalmente no caso de imigrantes muçulmanos, por exemplo.

Já a cultura do Reino Unido possui uma forte característica etcnocêntrica, na qual não existe o projeto de transformar o estrangeiro em britânico. Lá a solução foi aceitar as diferenças, com a constituição de comunidades étnicas culturais e suas particularidades. O problema ficou visível nos conflitos de 2005: os filhos de imigrantes, principalmente os muçulmanos do Paquistão, não se sentindo verdadeiramente britânicos, usaram espaços de ataques para afirmar sua identidade.

A Alemanha, embora com grande número de imigrantes, não se considerava um país de migração. Do ponto de vista político, os migrantes eram considerados uma força de trabalho temporária, destinada a voltar a seu país. Somente no ano 2000, o país mudou a lei para permitir que os nascidos no país pudessem ter a cidadania alemã, uma mudança profunda de impacto em políticas públicas de diferentes países.

Ao completar cem anos de fundação na década de 1950, a Itália viu uma crescente saída de sua população para outros países. Hoje é um dos países que mais recebe migrantes: são oficialmente 500 mil estrangeiros, cerca de 8% da população, que é de 60 milhões de habitantes. O professor Melotti explica que na Itália se fala mais retoricamente sobre abertura cultural e multiculturalismo, uma visão mais otimista, que valoriza a riqueza cultural trazida pelos imigrantes. Ainda que na prática não seja bem assim, pelo menos teoricamente o conceito é bem aceito. Ele acredita que posturas xenofóbicas são as formas mais agudas da experiência do contato com o migrante, mas com o tempo acabam sendo superadas.

Professor Umberto Melotti estuda a questão de migrações

“Quando se fala sobre migração, sempre se fala também sobre integração, o que não é algo fácil de definir. Para mim, integração é o desenvolvimento de relações sociais normais entre pessoas de origem diferente no que concerne à etnia, cultura, religião, orientação sexual e outras características”, afirma Melotti. O professor recomenda a leitura de Gilberto Freyre, que tem muitas lições importantes para o mundo de hoje, pois considera a diversidade como valor, um recurso, e não como um problema. Melotti acredita que as experiências brasileiras podem ser muito importantes para o mundo de hoje. “Uma coisa que me chamou a atenção foi chegar ao aeroporto brasileiro e ver um outdoor dizendo que ‘o Brasil é contra a discriminação social, racial, orientação sexual’. É o primeiro país em que vejo isso”, conta Melotti.

No Seminário Diálogos sobre Sociedade, Saúde e Cultura Política, realizado na quinta feira dia 01/03, o professor  Umberto Melotti debateu sobre migrações e saúde. A migração provoca mudanças que têm consequências demográficas. Como a população europeia está envelhecendo, a migração ajuda a limitar as consequências desse processo. A média de idade dos migrantes é de 32 anos, enquanto dos italianos é de 44 anos. Outro fenômeno que ocorre é a baixa natalidade, que na Itália está em 1,29 filhos por mulher. Oficialmente o número de emigrantes na Itália é de 8% da população e eles contribuem com 14% dos novos nascidos.

A migração e a mobilidade trazem/levam doenças típicas dos países de origem que chegam à Europa. Na década de 1970, a Itália tinha erradicado a tuberculose e a sífilis. Essas doenças apareceram novamente no país. Médicos italianos não conheciam doenças tropicais como malária, que atinge tanto imigrantes quanto italianos que vão ao exterior.


Sociólogo Marxiano Melotti discute a
autenticidade relativa das experiências turísticas

O sociólogo Marxiano Melotti pesquisa o turismo e a cultura na pós-modernidade

Em sua palestra Marxiano Melotti, falou que o aspecto fundamental do turismo hoje é a sua autenticidade relativa, sobretudo nos EUA. O sociólogo é professor de Facoltà di Scienze della Formazione – Università delle Scienze Umane “Niccolò Cusano” (UNISU), de Roma. Sua palestra é uma interessante leitura sobre o turismo arqueológico e como é o nosso imaginário com o passado.

O professor apresentou vários exemplos, como a proposta do Hotel Luxor, de Las Vegas (EUA), que oferece um turismo de entretenimento com a temática egípcia. “O turismo aparece como descoberta, exploração, uma mistura de educação e entretenimento, em que o papel da cultura é divertir. A autenticidade não conta muito, basta a sensação de autenticidade”, explica Melotti.

O Museu Egípcio de Turium, Itália, passou por uma transformação em 2006, a partir da contratação de um light designer, que utilizou as mesmas obras e com a luz criou um novo clima para a exposição. O museu passou de 300 mil visitantes anuais para mais de 510 mil. Na Caverna de Altamira, Espanha, passou por uma reforma, com a construção de réplicas, e conseguiu ampliar o número de visitantes para mais de 275 mil anuais. “O contato visual com uma réplica representa um novo tipo de autenticidade”, explica. Outra experiência são as atrações turísticas em que a população local veste-se e age como povos de outras épocas, como os os vikings na ilha de Lofoten, Noruega.

O professor Melotti abordou também do uso de museu como cenário de mostras de caráter comercial. É o caso da exposição do estilista italiano Valentino, que mostrou sua coleção de moda no Museu Ara Pacis, de Roma. “Este é um ponto crítico, pois o público não está interessado na estátua exposta no museu. A dimensão histórica diminui em relação à força do mercado, do marketing”, explica.


Sobre os eventos

O Seminário Sociedade e Cultura Política – Debates Contemporâneos, de 29 de fevereiro, foi uma promoção conjunta dos programas de pós-graduação em Saúde Coletiva, Sociologia Política e Interdisciplinar em Ciências Humanas, através do Núcleo de Pesquisa em Bioética e Saúde Coletiva (NUPEBISC), Núcleo de Pesquisa em Ecologia Humana e Saúde (ECOS) e Núcleo de Estudos em Filosofia e Saúde (NEFIS).

O Seminário Diálogos sobre Sociedade, Saúde e Cultura Política, realizado no dia 1º de março, foi promovido pelo Núcleo de Pesquisa em Bioética e Saúde Coletiva (NUPEBISC) do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, e pelo Núcleo de Pesquisa e Estudos em Enfermagem, Quotidiano, Imaginário e Saúde (NUPEQUIS) do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.

Por Laura Tuyama, jornalista na Agecom. Fotos:  Wagner Behr

 

Tags: marxiano melottimigraçõessociologiaturismoUFSCumberto melotti

Laboratório de Sociologia do Trabalho comemora 12 anos e lança Editoria Em Debate

28/11/2011 16:15

Para comemorar 12 anos de atividades, o Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) da UFSC lança no próximo dia 6 de dezembro o projeto de extensão Editoria Em Debate. O evento acontece às 19h no Miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Serão lançados também sete livros, o número 6 da Revista Digital Em Debate e a Galeria Virtual.

A Editoria Em Debate tem como meta desenvolver e aplicar recursos de publicação eletrônica que permitam o acesso irrestrito e gratuito aos trabalhos de autoria dos membros dos núcleos, laboratórios e linhas pesquisa da UFSC e de outras instituições. Pretende também editar, sob demanda, versões impressas do que for compatível com seus objetivos.

Muito do que é produzido na universidade não é publicado por falta de oportunidades editoriais, tanto em editoras comerciais como nas universitárias. Além de coibir o acesso a novos conhecimentos por parte de estudantes, pesquisadores e leitores em geral, essa situação traz prejuízos aos autores, visto a tendência de se pontuar a produção intelectual conforme as publicações.

A Editoria Em Debate quer contribuir para alterar essa realidade. O público ligado às ciências humanas, incluindo professores e alunos do Ensino Médio, tem nesse projeto um forte aliado para suas pesquisas e atualização científica.

No endereço eletrônico da Editoria Em Debate, a ser inaugurado no lançamento, será possível ver o que acontece na festa em tempo real: www.editoriaemdebate.ufsc.br

O projeto de extensão Editoria Em Debate é desenvolvido no Laboratório de Sociologia do Trabalho (www.lastro.ufsc.br), do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC.

Serviço:

O quê: Lançamento do projeto de extensão Editoria Em Debate. No evento serão lançados também sete livros, o número 6 da Revista Digital Em Debate e a Galeria Virtual.

Data: 6 de dezembro de 2011, terça-feira, 19 horas

Local: Miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), sala 328, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Florianópolis (SC)

Informações: e telefones (48) 3338-8357 ou 3234-1094.

 

Tags: laboratórioLASTROsociologiaUFSC

Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração é tema de colóquio

25/02/2011 09:57

Nos dias 24 e 25 de março, o Núcleo de Pesquisa em Organizações, Racionalidade e Desenvolvimento (ORD) realizará no auditório do Centro Socio-econômico (CSE) da UFSC, em Florianópolis, o 1º Colóquio de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração, oportunidade em que os pesquisadores poderão apresentar seus estudos, debater e participar do avanço do conhecimento nestes temas.

O tema central deste Colóquio será “Epistemologia e Sociologia da Ciência: rumo à consolidação científica da administração”. Além do tema central, o evento será pautado por quatro subtemas: Análise Epistemológica da Administração; Sociologia da Ciência da Administração; Racionalidade nas Organizações; Teoria das Organizações e Epistemologia.

As inscrições podem ser feitas pelo endereço www.coloquioepistemologia.tangu.com.br.

Outras informações pelo telefone (48) 3721-9374, pelo e-mail ou pelo blog

http://oficinadeepistemologia.blogspot.com.

Tags: ciência da administraçãocolóquioepistemologiaORDsociologia

I Colóquio de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração – chamada de trabalhos

08/12/2010 15:07

Nos dias 24 e 25 de março de 2011, o Núcleo de Pesquisa em Organizações, Racionalidade e Desenvolvimento – ORD realizará na UFSC, campus de Florianópolis, o I Colóquio de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração, oportunidade em que os pesquisadores poderão apresentar seus estudos, debater e participar do avanço do conhecimento nestes temas.

O tema central deste Colóquio será Epistemologia e Sociologia da Ciência: rumo a consolidação científica da administração. Além do tema central, o Colóquio será pautado por quatro subtemas: Análise Epistemológica da Administração; Sociologia da Ciência da Administração; Racionalidade nas Organizações; Teoria das Organizações e Epistemologia.

No dia 22/10/2010 inicia o período de inscrições para o evento e de submissões de resumos a serem apresentados no Colóquio, dentro dos subtemas supracitados.

A chamada de trabalhos para o evento está no seguinte link:

Chamada para submissão de resumos – I Colóquio de Epistemologia e Sociologia da Ciência da Administração

Acesse também o blog da Rede Oficina de Epistemologia da Administração.

Tags: ciência da administraçãocolóquioepistemologiasociologia