Centro de Filosofia e Ciências Humanas terá novo prédio

10/05/2016 08:27
Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Um prédio com sete andares e cerca de seis mil metros quadrados abrigará os blocos E, F e G do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Na sexta-feira, 6 de maio, ocorreu a solenidade de inauguração do novo edifício, que será ocupado, prioritariamente, pelos cursos de Geologia e Oceanografia. A construção teve o apoio da Petrobras, que viabilizou cerca de um terço dos recursos. A obra ainda não está finalizada e a previsão é que fique pronta em julho deste ano.

Oito autoridades discursaram na inauguração: a reitora Roselane Neckel; a vice-reitora Lúcia Helena Martins-Pacheco; o diretor do CFH Paulo Pinheiro Machado; a vice-diretora do CFH, Sônia Maluf; os coordenadores do Núcleo de Pesquisa Geológica Juan Antonio Flores e Edison Ramos Tomazzoli; a gerente de Sedimentologia e Estratigrafia da Petrobras, Helga Elizabeth Voelcker; o ex-gerente da Rede de Estudos Geotectônicos da Petrobras, Gilmar Vital Bueno. Entre o público, que lotou um pequeno auditório do novo prédio, também estavam presentes pró-reitores, diretores de unidades de ensino, chefes de departamentos, coordenadores de curso.

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A vice-diretora do centro, Sônia, ressaltou a importância do edifício para o pleno funcionamento do CFH, que passou por ampla expansão nos últimos anos. Foram criados quatro cursos de graduação – Antropologia, Geologia, Museologia e Oceanografia –, além da Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica e dos mestrados em Oceanografia e em Desastres Naturais. “Temos hoje dez cursos de graduação, nove pós-graduações, cerca de quatro mil alunos, 200 professores e 70 técnicos administrativos. Somos um dos maiores centros da UFSC e temos a maior produção acadêmica”, informou a professora.

O diretor do centro, Paulo, também observou que o CFH “dobrou de tamanho, mas continuou com a mesma infraestrutura”. Para o professor, um espaço físico maior será mais adequado para o desenvolvimento da ciência e cidadania. “Frequentemente, nós, das Ciências Humanas, trabalhamos em condições muito adversas. Por isso é importante marcar a inauguração desse prédio, que é resultado de um esforço conjunto e que beneficiará muitas pessoas”.

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A reitora Roselane Neckel aproveitou a ocasião para relembrar sua trajetória na UFSC, desde quando foi vice-diretora e depois diretora do CFH, até o momento atual, em que finaliza sua gestão na administração central. A professora recordou o tempo em que havia falta de professores, técnicos, equipamentos e “a grande ameaça era a exigência de pagamento do ensino nas universidades públicas. Nessa época, não havia esperança de criação de novos cursos no CFH”. Mas, ela observa, a realidade mudou com o programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), que supriu carêncais e possibilitou o crescimento e a qualificação do ensino superior no país: “Hoje a UFSC tem cerca de 5500 professores e técnicos e se tornou referência no Brasil e exterior”.

O processo de negociação com a Petrobras para a construção do prédio foi lembrado pela reitora. Ela descreveu a visita da comitiva da UFSC ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (Cenpes)  da Petrobras, em agosto de 2009, quando o projeto do curso de Geologia foi apresentado e a empresa decidiu apoiá-lo. Essa reunião também foi relatada pelo professor Edison, do curso de Geologia, que apontou a escassez de geólogos em Santa Catarina e a urgência de criação do curso: “Isso ficou evidente durante as enchentes de 2008, em Itajaí, quando não havia profissionais qualificados para atuarem no desastre”. A vice-reitora Lúcia Helena, além de agradecer a todos que participaram e se dedicaram à viabilização do edifício, afirmou que o momento era de celebração: “É o fim de uma obra, mas o começo de muitas possibilidades acadêmicas”.

Estrutura

Os novos blocos do CFH serão ocupados com laboratórios, coordenadorias de ensino, salas de reuniões, salas de profesores, PETs, núcleos de estudos, secretarias de departamentos, secretarias de pós-graduação, auditórios, centros acadêmicos, área de convivência.

Valor total R$ 18.778.697,04
Recursos da UFSC R$ 12.038.889,12
Recursos da Petrobras R$ 6.739.807,92
Início das obras Novembro/2013
Previsão de término Julho/2016

As fotos do acompanhamento das obras estão disponíveis aqui.

Mais informações no site da Coordenadoria de Fiscalização de Obras (CFO).

Daniela Caniçali/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: Bloco Ebloco FBloco GCFHgeologiainauguraçãonovo prédioobrasoceanografiaPetrobrassolenidadeUFSC