Curso de extensão sobre ética animal recebe inscrições até 30 de julho

22/07/2019 18:30

O curso de extensão “Uma introdução ao debate sobre a consideração moral dos animais não humanos”, oferecido pela primeira vez na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), recebe inscrições até 30 de julho. A atividade é gratuita, aberta a todos, e será fornecido certificado de participação. As aulas são presenciais e ocorrem de 6 de agosto a 3 de dezembro, às terças-feiras, das 9h10 às 11h. As inscrições devem ser feitas aqui.

“A maior parte de nossas decisões afeta, direta ou indiretamente, os animais não humanos. O objetivo é discutir as implicações disso e introduzir os conceitos centrais sobre ética animal, tanto as abordagens clássicas, quanto as mais atuais”, explica Carlos Roberto Zanetti, um dos coordenadores do curso e professor do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP/CCB/UFSC). A atividade está sendo organizada em parceria com o pesquisador Luciano Cunha, da ONG Ética Animal, que ministrará as aulas.

Ao longo do semestre serão apresentados os conceitos de especismo e senciência; argumentos a favor da consideração moral dos animais; diferentes perspectivas teóricas éticas em relação aos animais; diferenças entre a consideração pelos animais e o ambientalismo, entre outros tópicos.

As inscrições devem ser feitas aqui.

Mais informações pelo e-mail ou pelo Facebook.

Tags: curso de extensãoDepartamento de Microbiologia Imunologia e ParasitologiaDireitos animaisÉtica AnimalinscriçõesMIPUFSC

Como camundongos e coelhos transformaram a trajetória de um cientista

04/07/2019 16:20

Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC.

Carlos Roberto Zanetti, professor titular do departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da Universidade Federal de Santa Catarina (MIP/CCB/UFSC), escolheu a Biologia por gostar de animais e plantas. “Adorava estar na natureza. Um avô, que foi meu grande incentivador, sabia o nome de tudo quanto é árvore, tudo quanto é passarinho, o que cada um comia… Eu ficava fascinado com tudo aquilo”, recorda. Hoje, aos 58 anos e há 22 como docente da universidade, essa admiração e respeito pelos bichos permanece. Zanetti tornou-se referência nacional na difusão de métodos alternativos ao uso de animais na ciência. Sua enorme contribuição ao campo da Bioética é fruto de um longo caminho que inclui, paradoxalmente, amplo uso de animais em atividades acadêmicas.
(mais…)

Tags: animaisCarlos ZanettiCCBDepartamento de Microbiologia Imunologia e ParasitologiaMIPpesquisaraivaUFSC

Obesidade desregula células especializadas do tecido adiposo, aponta pesquisa

10/04/2019 09:00

Capa do Journal of Experimental Medicine com imagem da pesquisa realizada pelo Laboratório de Imunobiologia da UFSC em parceria com a New York University e a Rockefeller University.

A caracterização detalhada de uma população de macrófagos (células de limpeza do organismo) presentes no tecido adiposo e como ela se adapta às condições de obesidade induzida por dieta, incluindo sua desregulação. Uma imagem desta pesquisa, realizada por pesquisadores do Laboratório de Imunobiologia da UFSC, em colaboração com a New York University e Rockefeller University, ilustra a capa do Journal of Experimental Medicine, onde o artigo sobre as descobertas foi publicado. Vinculados ao Laboratório de Imunobiologia da UFSC André Báfica, Gabriela Flavia Rodrigues-Luiz, Daniel Augusto G.B. Mendes e Daniel Santos Mansur integraram o estudo.

O trabalho, Vasculature-associated fat macrophages readily adapt to inflammatory and metabolic challenges, apresenta uma descrição ampla das células presentes no tecido adiposo. “Há vários tipos de macrófagos nos tecidos e nós encontramos uma população no tecido adiposo, que é regulada rapidamente, tanto quando há excesso de gordura como em situações de jejum”, explica André Báfica, professor do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP). “No ensino médio, a gente aprende que os macrófagos são as ‘células de limpeza’ do organismo. Os macrófagos são encontrados em qualquer tecido do corpo e se você é exposto a infecções ou a produtos como proteínas e carboidratos, eles ‘comem’ praticamente tudo”, diz Báfica, lembrando que o processo é chamado de fagocitose.

Uma das descobertas importantes do artigo é a proximidade dos macrófagos com o sistema vascular. “Quando nosso grupo olhamos a gordura mais a fundo, o macrófago está bem íntimo com esse vaso, todo enrolado nele”, conta Báfica. A regulação dos processos é realizada rapidamente, aponta o estudo.  “Se você ingere proteína, cinco minutos depois, as proteínas já estão dentro destes macrófagos chamados VAMs (Vasculature-associated macrophages, do inglês). Observamos também que eles são importantes na defesa contra alguns tipos de bactérias. Se tem bactéria circulando no sangue, eles fagocitam rapidamente”.
(mais…)

Tags: Departamento de Microbiologia Imunologia e ParasitologiaLaboratório de ImunobiologiaMIPUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Grupo de estudos em evolução da UFSC promove ciclo de seminários

24/05/2017 09:40

O Grupo de Estudos em Evolução  promove, nos dias 30 e 31 de maio, e 01, 06, 07 e 08 de junho, o ciclo de seminários com o objetivo de divulgar e gerar discussões sobre temas relacionados à evolução biológica, pensamento sistêmico e complexidade.

Os temas foram escolhidos de acordo com as leituras feitas pelo Grupo ao longo de mais de um ano de estudos e abordarão diferentes aspectos deste paradigma científico.

Os seminários ocorrerão sempre às 12h15, na sala MIP002, do departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP) do Centro de Ciências Biológicas (CCB).

Programação

30/05 – Discutindo paradigmas evolutivos
31/05 – Sistemas e níveis de organização
01/06 – Auto-organização e autopoiese
06/06 – Nova síntese evolutiva expandida
07/06 – Homologia profunda
08/06 – Biologia sintética

Mais informações no Facebook.

Tags: CCBCentro de Ciências BiológicasDepartamento de MicrobiologiaDepartamento de Microbiologia Imunologia e Parasitologiaevolução biológicaGrupo de EstudosGrupo de Estudos em EvoluçãoMIPUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na mídia: o surto do Zika e o combate ao Aedes aegipty

03/02/2016 12:49

O professor Carlos Brisola Marcondes, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia da UFSC, falou ao New York Times e à Science News sobre a proliferação do Zika, o combate à reprodução do Aedes aegipty e as consequências neurológicas para os fetos quando o vírus infecta mulheres grávidas.

O texto do New York Times fala de novas estratégias para o enfrentamento do mosquito, com recursos de engenharia genética. Menciona também a recomendação a que mulheres evitem ir a áreas infestadas se estiverem grávidas, e a reavaliação a respeito do uso do inseticida DDT, após este ter sido banido em vários países por seus danos ao meio ambiente. Marcondes alerta para a gravidade da situação atualmente.

Na matéria da Science News, ele observa que a possibilidade de o Zika causar danos cerebrais em fetos não surpreende, dados os efeitos observados em laboratório e, ocasionalmente, em adultos infectados. Reafirma também que, para o país se livrar do Zika, Chukungunya, dengue e febre amarela – é fundamental se livrar do mosquito. A reportagem classifica o presente surto do Zika como possivelmente o mais assustador a ser causado por um vírus tropical, por causa da ligação com a microcefalia.

Matéria do New York Times: “Nova Arma para combater o Zika: o Mosquito”.

Matéria da Science News: “Rápida propagação do vírus Zika nas Américas desperta alarme”.

Tags: Aedes aegyptiCarlos Brisola MarcondesDepartamento de Microbiologia Imunologia e ParasitologiaNew York TimesScience NewsUFSCufsc na mídiazika