Programa de Pós-Graduação em Engenharia Têxtil prorroga inscrições para o mestrado

22/02/2021 14:45

Programa de Pós-Graduação em Engenharia Têxtil (PGETEX) prorrogou, até 28 de fevereiro, as inscrições para sua seleção de mestrado. Ao todo são 15 vagas oferecidas e as inscrições deverão ser realizadas exclusivamente online pelo link https://adm.blumenau.ufsc.br/pgetex/.

O programa possui uma área de concentração (Desenvolvimento de processos e produtos têxteis), subdividida em três linhas de pesquisa (Engenharia de processos e produtos têxteis; Têxteis técnicos, inteligentes e funcionais; e Sustentabilidade no setor têxtil) – para saber mais, clique aqui.

A pós-graduação oferecida pela UFSC Blumenau é gratuita e, neste ano, traz uma novidade: a reserva de percentual de vagas para o público compreendido nas políticas de ações afirmativas do ensino superior (pretos, pardos, indígenas, pessoas com deficiência, pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica). Os (as) candidatos (as) devem ler atentamente as disposições do edital que normatiza a seleção.

> Clique aqui para ler o edital

O resultado final será divulgado em 12 de março e as aulas iniciam em 05 de abril, ainda em sistema remoto, em razão da pandemia de Covid-19. Informações podem ser obtidas na secretaria de pós-graduação do Campus Blumenau pelo e-mail pgetex.bnu@contato.ufsc.br ou telefones (48) 3271-3336 (WhatsApp) e (47) 3232-5136.

Camila Collato/Serviço de Comunicação UFSC Blumenau

 

Tags: editalEngenharia Têxtilinscriçãomestradopós-graduaçãoUFSCUFSC Blumenau

Pós em Jornalismo abre seleção para mestrado e doutorado com vagas de ações afirmativas

18/02/2021 10:55

O Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR/UFSC) lançou, em 15 de fevereiro, o edital do processo seletivo 2021 para novos estudantes de mestrado e doutorado. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 12 de março. O processo terá três etapas: avaliação de projetos e currículos, prova escrita e entrevista. Todas as fases serão a distância, respeitando as orientações sanitárias impostas pela pandemia da Covid-19. Requisitos, datas e detalhes da disputa constam do edital, inclusive declarações adicionais a serem apresentadas por candidatos das ações afirmativas e um modelo de projeto de pesquisa a ser submetido.

O Programa oferece 15 vagas para mestrado, e 11 vagas para doutorado. Metade das vagas disponíveis serão destinadas às ações afirmativas. Quatro grupos sociais são contemplados: pessoas negras (pretas, pardas, quilombolas e indígenas), pessoas com deficiência, travestis e transsexuais, e pessoas refugiadas.

A escolha desses grupos se baseou em estudo de uma comissão de especialistas que discutiu o tema. “Por mais que o PPGJOR não cobre taxas de inscrição nem mensalidades, receba alunos de todas as regiões brasileiras e venha criando novas oportunidades de ingresso, ainda estamos distantes de atender esses grupos sociais se considerarmos a sua presença na população brasileira”, explica o coordenador do Programa, Rogério Christofoletti.

Ao longo de 2020, a comissão de especialistas fez um diagnóstico do programa e indicou ações para ampliar os incentivos de entrada desses contigentes. A Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (Saad/UFSC) compôs a comissão e acompanhou todo o processo de elaboração do edital, que está amparado à legislação brasileira e à recente resolução da pós-graduação sobre o tema.

“Estamos abrindo 15 vagas para mestrado e 11 para doutorado. Metade será destinada às ações afirmativas, o que significa dizer que 13 vagas poderão ser preenchidas por pessoas de grupos sociais historicamente à margem na pós-graduação”, completa Christofoletti. “Estamos muito empenhados neste processo que vai tornar nosso programa ainda mais democrático, plural e inclusivo”.

O PPGJOR surgiu em 2007 e é um programa dedicado a investigar o jornalismo e a formar pesquisadores e professores na área. Seus 16 professores estão distribuídos em três linhas de pesquisa: Cultura e Sociedade; Tecnologias, Linguagens e Inovação; e Conhecimento e Profissão. O programa é um dos únicos do país a oferecer Mestrado e Doutorado em Jornalismo. Os cursos são inteiramente públicos e gratuitos, e tem nota 4 no sistema de avaliação da Capes.

Mais informações:
https://ppgjor.posgrad.ufsc.br/

Tags: doutoradojornalismomestradopós-graduaçãoPrograma de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pós em Engenharia Têxtil na UFSC de Blumenau abre inscrições para mestrado

18/02/2021 10:00

Foto: Eduardo Amorim/UFSC

O Programa de Pós-graduação em Engenharia Têxtil (PGETEX) está com inscrições abertas, para 15 vagas em nível Mestrado, até o dia 21 de fevereiro, pelo link https://adm.blumenau.ufsc.br/pgetex/. O programa possui uma área de concentração (Desenvolvimento de processos e produtos têxteis), subdividida em três linhas de pesquisa (Engenharia de processos e produtos têxteis; Têxteis técnicos, inteligentes e funcionais; e Sustentabilidade no setor têxtil) – para saber mais, clique aqui.

A pós-graduação oferecida pela UFSC Blumenau é gratuita e, neste ano, traz uma novidade: a reserva de percentual de vagas para o público compreendido nas políticas de ações afirmativas do ensino superior (pretos, pardos, indígenas, pessoas com deficiência, pessoas em situação de vulnerabilidade socioeconômica). Os (as) candidatos (as) devem ler atentamente as disposições do edital que normatiza a seleção.

> Clique aqui para ler o edital

O resultado final será divulgado em 10 de março e as aulas iniciam em 5 de abril, ainda em sistema remoto, em razão da pandemia de Covid-19. Informações podem ser obtidas na secretaria de pós-graduação do Campus Blumenau pelo e-mail Esta imagem contém um endereço de e-mail. É uma imagem de modo que spam não pode colher. ou telefones (48) 3271-3336 (whatsapp) | (47) 3232-5136.

(Camila Collato/Serviço de Comunicação UFSC Blumenau)

Tags: Engenharia Têxtilpós-graduaçãoUFSCUFSC Blumenau

Pós-graduação em Nanociência do campus de Blumenau abre inscrições para mestrado

17/02/2021 14:30

Estão abertas as inscrições para a seleção de candidatos para o Mestrado Acadêmico em Nanociência, Processos e Materiais Avançados da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no Campus de Blumenau. O candidato deverá realizar sua inscrição online (no endereço https://adm.blumenau.ufsc.br/ppgnpmat/) de 17 de fevereiro até 19 de março de 2021. A seleção dos candidatos será realizada totalmente online por meio de: proposta de pesquisa (Peso: 50% – Caráter eliminatório e classificatório) e análise curricular (Peso: 50% – Caráter classificatório).

O mestrado do PPGNPMat contempla uma área de concentração (Nanociência, Processos e Materiais Avançados) e duas linhas de pesquisa (Materiais, Processos e Transformações e Nanociência e Nanotecnologia), que visam ampliar as discussões e a compreensão do conhecimento na interface entre Física, Química, Ciência e Engenharia dos Materiais.

Estão sendo ofertadas 7 vagas para matrícula no 1º semestre letivo de 2021 do PPGNPMat, que terá início no mês de abril deste ano. Para se candidatar às vagas, é necessário ter curso de graduação completo, ou ter previsão de conclusão durante o semestre letivo 2021.1 do Programa (a ser divulgado em breve no site do PPGNPMat). O edital conta com vagas reservadas no sistema de cotas (Política de Ações Afirmativas).

Edital e maiores informações, acesse: http://ppgnpmat.blumenau.ufsc.br/

Contato: ppgnpmat@contato.ufsc.br / (48) 3721-3336 (Telefone e WhatsApp)

Tags: campus de blumenauNanociênciapós-graduaçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação de Engenharia de Automação e Sistema lança revista de divulgação científica

29/10/2020 11:44

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Automação e Sistemas da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) lançou da primeira edição de sua revista digital de divulgação científica. A Revista PPGEAS é um periódico semestral com o objetivo de publicar as atividades, notícias e artigos científicos do interesse da comunidade de engenharia e áreas afins.

Em sua primeira edição, a Revista PPGEAS traz a história do curso de engenharia de controle de automação da UFSC, e também do programa de pós-graduação, além de expor pesquisas e trabalhos científicos desenvolvidos pelos professores e estudantes do programa.

Acesse a revista aqui.

Tags: Engenharia de Automação e Sistemaspós-graduaçãoRevista PPGEASUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Conselho Universitário aprova por unanimidade política de ações afirmativas na pós-graduação

28/10/2020 12:26

O Conselho Universitário (CUn) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) aprovou por unanimidade, em reunião nesta terça-feira, 27 de outubro, a minuta de Resolução Normativa criando a Política de Ações Afirmativas para negros, indígenas, pessoas com deficiência e outras categorias de vulnerabilidade social nos cursos de pós-graduação lato sensu (especialização) e stricto sensu (mestrado e doutorado). A medida já havia sido aprovada na Câmara de Pós-Graduação no dia 1º de outubro. Com a normatização, todos os programas de pós-graduação da Universidade deverão reservar 28% de suas vagas para as cotas.

O processo das Políticas de Ações Afirmativas (PAA) na pós-graduação foi relatado pela professora Miriam Furtado Hartung. Ela destacou no seu parecer que as políticas de ações afirmativas “mudaram consideravelmente o conjunto de estudantes nas instituições de ensino públicas brasileiras”. Na UFSC, a adoção de cotas na graduação também produziu efeitos positivos, tornando-a “uma universidade mais plural, mais inclusiva, seja na composição de sua comunidade, seja no leque de conhecimentos aqui produzidos”. Neste sentido, a extensão das ações afirmativas para a pós-graduação é considerada um “próximo passo” para a UFSC no seu esforço de combate às desigualdades.
(mais…)

Tags: ações afirmativasações afirmativas na pós-graduaçãoconselho universitáriocotas na pós-graduaçãoCUndoutoradomestradoPAApolítica de ações afirmativaspolítica de cotaspós-graduaçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pesquisa de doutoranda da UFSC é destaque no 58º Congresso Brasileiro de Educação Médica

19/10/2020 12:35

Uma pesquisa desenvolvida pela doutoranda Cristina Sant’Anna, da pós-graduação em Ciências Médicas da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), foi escolhida como melhor trabalho entre cerca de 4 mil enviados ao 58º Congresso Brasileiro de Educação Médica (Cobem), que ocorreu virtualmente de 12 a 18 de outubro. A pesquisa buscou avaliar os resultados da Prática Deliberada (treinamentos de alto desempenho) no ensino da disciplina de Histologia. O trabalho contou com a parceria das professoras Cláudia Almeida de Albuquerque e Sara Baraúna e teve a orientação do professor Getúlio Rodrigues de Oliveira Filho.

A Prática Deliberada é uma metodologia utilizada nas áreas da música e esportes há muito tempo e mais recentemente vem sendo usada na área de educação médica, explica a doutoranda. “O professor Getúlio já utilizava esta metodologia para treinar residentes em Anestesiologia. Para o meu projeto de doutorado, resolvemos testá-la com a Histologia, área que eu lecionava”, afirmou Cristina.

O trabalho foi desenvolvido na UFSC e ofertado durante dois semestres como curso de extensão para estudantes de medicina da Universidade Regional de Blumenau (FURB). “O trabalho reúne os três pilares da universidade. Envolve ensino (de Histologia), pesquisa (estudo prospectivo, randomizado e cego) e extensão (para os estudantes contou como um curso)”, ressalta Cristina. A pesquisa foi aprovada no Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos e os estudantes assinaram um termo de consentimento para participar.
(mais…)

Tags: ciências médicasHistologiapesquisapós-graduaçãoPremioUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação em Aquicultura abre inscrições para mestrado e doutorado

05/10/2020 09:32

O Programa de Pós-Graduação em Aquicultura (PPG-AQI) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está com as inscrições abertas para a seleção nos cursos de mestrado e doutorado, para ingresso no 1º semestre de 2021. O prazo de inscrições é até o dia 20 de outubro e as inscrições podem ser feitas pelo site.

Os editais completos e demais informações estão disponíveis na página do programa.

Tags: Aquiculturapós-graduaçãoprocesso seletivoUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC aprova ingresso por cotas nos programas de pós-graduação

02/10/2020 12:22

A Câmara de Pós-Graduação da UFSC aprovou nesta quinta-feira, 1º de outubro, a Resolução Normativa que regulamenta a Política de Ações Afirmativas para negros, indígenas, pessoas com deficiência e outras categorias de vulnerabilidade social nos cursos de pós-graduação lato sensu (especialização) e stricto sensu (mestrado e doutorado) da UFSC. A Resolução deverá ainda ser aprovada no Conselho Universitário (CUn). Após a publicação da Resolução no Boletim Oficial da UFSC, todos os programas deverão reservar 28% de suas vagas para as cotas. A aprovação ocorreu por maioria absoluta, houve apenas um voto contrário.

Os programas de pós-graduação da UFSC deverão destinar, anualmente, 20% das vagas para candidatos pretos, pardos e indígenas, sendo válida a autodeclaração com validação posterior por meio de uma banca a ser constituída pela Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (Saad), e 8% para pessoas com deficiência, e outras categorias de vulnerabilidade social nos cursos de pós-graduação, a serem identificadas pelos cursos, que poderão incluir, por exemplo: estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica, quilombolas, estrangeiros e refugiados humanitários, professores da rede pública, travestis, transexuais e transgêneros, estudantes beneficiários do Programa Universidade para Todos (Prouni), entre outros. No caso em que os percentuais das vagas definidas resultarem em um número fracionado, o arredondamento será feito para cima.

“É uma grande conquista”, ressalta a pró-reitora de Pós-Graduação, Cristiane Derani. “Atualmente muitas instituições internacionais de renome, nos Estados Unidos, Europa, Canadá, oferecem cotas raciais, econômicas, de gênero, entre outras. No Brasil também já temos universidades que aplicam de maneira normativa. É uma mudança necessária, defendida mundo afora onde se observa que a diversidade traz qualidade. Assim podemos ampliar o nosso sucesso e abrir portas para que mais pessoas possam compartilhar este espaço de excelência na UFSC”.

A secretária de Ações Afirmativas e Diversidades, Francis Solange Vieira Tourinho, aponta que a aprovação da Resolução é “um marco histórico na luta pelo direito a uma educação plural, democrática e inclusiva. Esperamos que a UFSC, enquanto instituição pública de ensino superior, com esta ação, tenha cada vez mais uma maior inclusão étnico-racial, de gênero, de pessoas com deficiência e outros grupos sociais vulnerabilizados. Espero que tenhamos cada vez mais pessoas engajadas e dispostas ao diálogo, uma postura mais aberta e receptiva da comunidade que contribua com a sensibilização institucional necessária para a consolidação da política desconstruindo a imagem de espaço reservado para a meritocracia, e abrindo as janelas do ensinar e aprender para um horizonte que construa novas realidades para as populações marginalizadas no Brasil, transformando a educação em contextos que minimizem as iniquidades e vulnerabilidades”, ressaltou.

A UFSC possui diversos programas de pós-graduação lato sensu e stricto sensu que apresentam vagas destinadas para ações afirmativas em seus editais de seleção: Antropologia Social, Direito, Ecologia, Educação, Educação Científica e Tecnológica (mestrado e doutorado); Enfermagem (mestrado e doutorado profissional); Engenharia de Sistemas Eletrônicos, Estudos da Tradução, Filosofia, Interdisciplinar de Ciências Humanas, Saúde Pública, Serviço Social, Oceanografia (mestrado). Até junho de 2020, em notícia apurada pela Agecom, cinco programas de mestrado e doutorado acadêmico estão em fase de estudo acerca do oferecimento dessas cotas: Enfermagem, Inglês, Nutrição, Psicologia e Biologia de Fungos, Algas e Plantas.

Mesmo assim, dados de cor/raça dos estudantes matriculados em 2020 nos programas de pós-graduação da UFSC demonstram que 73,8% deles se declaram brancos, 10,94% pardos, 4,09 pretos, 0,95% amarelos, 0,25% indígenas e 10,6% não declaram cor/raça. Segundo o Censo do IBGE, a distribuição da população do Estado de Santa Catarina por cor ou raça é 79,9% brancos, 16,5% pardos, 3% pretos, 0,5% amarelos ou indígenas.

A doutoranda Kamylla Santos da Cunha, quando tomou posse como enfermeira na Prefeitura Municipal de Biguaçu. (Foto: Arquivo Pessoal)

A doutoranda Kamylla Santos da Cunha, do Programa de Pós-graduação em Enfermagem, aplaudiu a decisão. Estudante da UFSC desde a graduação, ela sente racismo e discriminação nos ambientes acadêmicos e profissionais. “Durante a minha graduação, fui única nos espaços. Hoje, no hospital, sou uma das únicas negras em posição de gestão. Enquanto enfermeira do Pronto Atendimento, sou eu e mais duas, num quantitativo de quase 20. No Programa de pós, as pesquisas não têm transversalidade que discutam questões de diversidade. Na Enfermagem, entre graduação e pós-graduação, é um aproximado de 60 professores, sendo que desses, duas são pretas, porém de pele clara,” ressalta. “Isso em um curso de saúde, é bem preocupante. Fazemos atendimento às pessoas, atendemos o SUS, que tem em um dos seus princípios a equidade … equidade e acesso que muitos dos próprios profissionais não conseguem entender. Na pós-graduação, como cientistas, se não temos acesso, interesse em discutir e mudar esse projeto, as pesquisas vão continuar sendo restritas, não conseguindo atender as necessidades de todos”.

Kamylla atualmente trabalha em um hospital particular e na Prefeitura de Biguaçu. Sua tese aborda a gestão dos programas de pós-graduação em enfermagem stricto sensu no contexto das políticas públicas, analisando instituições do sul do Brasil. “Nossas referências na pós-graduação são brancas. Consumimos tudo o que é da branquitude. A referência que temos na Enfermagem é Florence Nightingale, porém diversas mulheres negras no âmbito nacional e internacional que contribuíram para a profissão são silenciadas, como a Ivone Lara, que é conhecida como sambista, mas era enfermeira, e teve importante papel na luta pela saúde mental, antimanicomial. Ingressos e egressos de enfermagem não têm contato com essas histórias”, reforça Kamylla.

Sua trajetória, explica a estudante, foi permeada de dificuldades. “Nós temos que ser três, cinco vezes melhores para conseguir uma vaga. Sempre temos que provar que somos capazes. Eu já fui acusada de plágio. Hoje sou uma das alunas que mais publicou, que mais contribui em quantidade e qualidade no meu programa. Ter que sempre mostrar força, resiliência, isso acaba com a saúde mental e repercute na nossa escrita também”, conclui a aluna.

Anahí Guedes de Mello é doutora pela UFSC. Ela é surda e sua tese recebeu uma menção honrosa no Prêmio Capes de Tese 2020. (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma das alunas que se destacou no Prêmio Capes de Tese 2020Anahí Guedes de Mello, defendeu a tese Olhar, (não) ouvir, escrever: uma autoetnografia ciborgue, no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. A antropóloga e pesquisadora é surda desde a infância e identifica-se como ativista, feminista, lésbica. É referência nos Estudos Críticos da Deficiência na América Latina, e seus principais aportes apontam à necessidade de reconhecer o capacitismo como categoria interseccional que frequentemente gera violências dirigidas às pessoas com deficiência. Em uma entrevista publicada em agosto, Anahí aponta que “uma possível explicação para as disparidades educacionais encontradas na população com deficiência deve-se à precariedade do atendimento a essas pessoas desde as primeiras fases da educação, além da falta de informação e capacitação dos diretores, professores e demais funcionários das escolas, o que reflete, por conseguinte, no fato de que as políticas públicas de inclusão nas escolas costumam atacar as consequências e não as causas”.

“A acessibilidade do espaço físico e às comunicações, bem como as condições didático-pedagógico-tecnológicas oferecidas pela escola, igualmente podem influenciar decisivamente no desempenho escolar dos alunos com deficiência”, explica. Na pós-graduação não é diferente. “Em todos os níveis de ensino deve ser garantido o acesso. O meu programa, PPGAS, já chegou a ter uma comissão interna de acessibilidade quando eu estava no mestrado, quando as ofertas da CAE [Coordenadoria de Acessibilidade Educacional] não eram suficientes no meu caso. Diria que não exatamente dificultavam meus estudos porque eu conseguia contornar por esforço próprio, mas com certeza facilita muito mais se tiver à disposição serviços de acessibilidade”, pontua Anahí.

Anahí ingressou na UFSC como estudante do curso de Química. “Em 1998 comecei a militância no campo da deficiência ainda enquanto estudante de Química, pautando questões de acessibilidade comunicacional, do meu acesso ao conhecimento enquanto surda não usuária da língua brasileira de sinais (Libras). Estava insatisfeita com o modo como a questão da surdez era pensada política e teoricamente, com uma perspectiva hegemônica que impunha a comunicação por meio da língua de sinais brasileira como o único modo ‘legítimo’ de ser surda, quando se sabe que as pessoas surdas compõem um grupo social muito heterogêneo. Ou seja, há muitas maneiras ou modos de ser surda”, conta. Após ter contato com textos sobre os processos de exclusão das pessoas com deficiência, os estudos feministas da deficiência, Anahí decidiu seguir sua trajetória acadêmica nas Ciências Sociais, terminando o bacharelado em 2009 e a licenciatura em 2011. Em seguida, conquistou seu mestrado em 2014, e o doutorado em 2019. Todos os processos seletivos dos quais ela fez parte na Universidade aconteceram antes de haver cotas para pessoas com deficiência. “Sou um ponto fora da curva, o que não quer dizer que elas [as  cotas] não devam existir”.

Equipamentos e serviços, explica a doutora, são uma “extensão do corpo” da pessoa com deficiência. Sua tese, inclusive, é uma autoetnografia, um estudo sobre suas próprias experiências. “É também uma tese sobre a surdez, a minha surdez.”

Processo e decisão

O processo de aprovação da Política começou em 2018, quando foi nomeada uma comissão para elaborar a proposta de Resolução, formada pela pró-reitora, Cristiane Derani (PROPG/UFSC), pela secretária de Ações Afirmativas e Diversidades, Francis Solange Vieira Tourinho (Saad/UFSC), pela professora do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, Carmen Sílvia Rial (PPGICH/UFSC), pela professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social, Vania Zican Cardoso (PPGAS/UFSC) e pelo representante da Associação de Pós-Graduandos, lgor Luiz Rodrigues da Silva (APG/UFSC). A Resolução também passou por consulta pública, e ampla discussão na Câmara.

Em agosto de 2020, a Minuta foi encaminhada para apreciação dos conselheiros, e foi escolhida a relatora, professora Ariane Zamoner, do Programa de Pós-Graduação em Bioquímica (PPGBQA). “O instrumento aprovado é muito relevante como medida de reparação de assimetrias históricas, garantindo o acesso e a permanência de negros(as), indígenas, pessoas com deficiência e outras categorias de vulnerabilidade social nos cursos de pós-graduação da UFSC. A aprovação dessa minuta foi realizada em uma reunião muito tranquila, sem resistências por parte dos conselheiros, num debate bastante positivo. Esse é mais um exemplo do protagonismo UFSC, uma Universidade à frente de seu tempo, que vem atuando pela democratização do acesso ao ensino superior e à pós-graduação. Hoje, a CPG reiterou o compromisso com a superação das desigualdades no âmbito da Pós-Graduação da UFSC”, declarou.

Em seu parecer, a relatora reforçou o caráter de promoção dos valores democráticos e de respeito à diferença e à diversidade socioeconômica, regional, étnico-racial e de acessibilidade que as Ações Afirmativas representam. Além do ingresso de estudantes, a Resolução prevê mecanismos de permanência desses grupos nos cursos de pós-graduação da UFSC. A relatora apresentou parecer favorável à aprovação da Resolução, e justificou: “Cabe à instituição a criação, planejamento, implementação, acompanhamento e avaliação de políticas de acesso a pós-graduação em igualdade de oportunidades e condições com as demais pessoas. Caberá à instituição assegurar, criar, desenvolver, implementar, incentivar, acompanhar e avaliar o acesso aos cursos de pós-graduação em igualdade de oportunidades e condições com as demais pessoas”.

Durante o debate na Câmara, o Grupo de Estudos e Pesquisas em Diferenças, Arte e Educação (Alteritas) leu uma Nota de Apoio. A Câmara também discutiu o assunto durante reunião em 2 de julho, com a participação dos professores José Alexandre Filizola Diniz Filho e Luiz Mello de Almeida Neto, ambos da Universidade Federal de Goiás (UFG), que compartilharam a experiência da universidade como a primeira a normatizar as políticas de ações afirmativas na pós-graduação, em 2015.

Legislação

O tema das políticas de ações afirmativas na pós-graduação faz parte da legislação vigente. Em 2016, o Ministério da Educação publicou a Portaria Normativa nº 13, de 11 de maio de 2016, que incentiva a política de cotas para negros, indígenas e pessoas com deficiência em cursos de pós-graduação nas universidades federais. A norma amplia para além da graduação a política de ações afirmativas (PAA) estabelecida pela Lei nº 12.711, mais conhecida como Lei de Cotas, criada em 2012. O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, tentou revogar a Portaria, porém o ato ministerial foi revogado.

A promoção do ingresso e permanência de pessoas com deficiência também se apresenta necessário na legislação, pela Lei Nº 13.146/2015, que versa que “a educação constitui direito da pessoa com deficiência, assegurados sistema educacional inclusivo em todos os níveis e aprendizado ao longo de toda a vida, de forma a alcançar o máximo desenvolvimento possível de seus talentos e habilidades físicas, sensoriais, intelectuais e sociais, segundo suas características, interesses e necessidades de aprendizagem.”

A acessibilidade educacional na UFSC, para estudantes com deficiência é trabalhada pela CAE, por meio de cursos para docentes (Docência Acessível – Profor/Prograd) e para técnicos-administrativos (Acessibilidade no Ambiente Universitário – CCP/Prodegesp). Desenvolve também reuniões de assessoramento aos cursos de graduação e pós-graduação nos quais há estudantes com deficiência matriculados; a participação em disciplinas dos cursos de graduação para trabalhar o tema; a elaboração de documentos institucionais acerca da acessibilidade; o apoio à promoção de acessibilidade aos estudantes com deficiência por meio de bolsas de estágio não-obrigatório; e o suporte institucional para organização de ações voltadas às pessoas com deficiência.

 

 

Notícias relacionadas:

Programas de Pós-Graduação da UFSC têm autonomia para adoção da política de ações afirmativas

Tags: ações afirmativasAções Afirmativas na universidadeCâmara de Pós-Graduaçãopós-graduaçãoPró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG)Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação em Física da UFSC promove seminário sobre poeira interestelar

31/08/2020 10:29

O programa de Pós Graduação em Física (PPGFSC)  da Universidade Federal de Santa Catarina promove nesta sexta-feira, 4 de setembro, o seminário on-line “A poeira interestelar e o gás difuso das galáxias”, com a professora Natália Vale Asari, do Departamento de Física da UFSC. A docente foi vencedora do prêmio Carolina Nemes 2019, que é concedido pela Sociedade Brasileira de Física. A atividade começa às 10h15 e será transmitida no canal do PPGFSC da UFSC.

“Resumo da palestrante: Estrelas enriquecem as galáxias. Foram processos de núcleossíntese estelar que formaram quase todos os elementos químicos mais pesados do que o hélio e o hidrogênio no Universo. Contarei algumas evidências da ligação entre a história de formação de estrelas e o enriquecimento químico de uma galáxia. Explicarei o trabalho de recenseamento de galáxias a partir de grandes bases de dados, e como só conseguimos saber a química das galáxias graças à mecânica quântica. Por fim, mostrarei alguns resultados dos meus trabalhos mais recentes, nos quais demonstramos o papel importante (mas frequentemente ignorado) da poeira interestelar e do gás difuso em estudos de galáxias”.

Este evento é de presença obrigatória para a disciplina Seminários, da Pós em Física.

 

Tags: físicapós-graduaçãoseminárioUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC começa a distribuir computadores e paga primeiro lote de auxílio para acesso à internet

24/08/2020 12:55

O estudante de Agronomia Clésio Henrique Cardoso já foi retirar seu equipamento no Centro de Ciências Agrárias da UFSC nesta segunda-feira, 24 de agosto. (Foto: Aline Cardozo/CCA/UFSC)

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), por meio da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) e outras pró-reitorias e secretarias da Administração Central, inicia nesta semana o pagamento de auxílios para acesso à internet para mais de 1.300 estudantes que fizeram o seu registro prévio. Os solicitantes receberão auxílio no valor de R$ 100 mensais. Um segundo lote será pago em seguida.

Além dos pedidos de auxílio para compra de pacotes de internet, as solicitações de computadores também estão sendo processadas. Até 20 de agosto, 1.377 estudantes solicitaram equipamentos. A distribuição começou na última semana para os alunos do Colégio de Aplicação da UFSC e a logística para a distribuição aos demais estudantes está sendo preparada pelos Centros de Ensino. 

Estudantes que ainda não se inscreveram podem enviar sua solicitação por meio do link. Estudantes de graduação, de pós-graduação stricto sensu, e do ensino fundamental e médio do Colégio de Aplicação da UFSC podem participar do Programa.
(mais…)

Tags: coronavírusgestão coronavíruspós-graduaçãoPRAEprogradPrograma Emergencial de Inclusão DigitalUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC forma 265 mestres e 194 doutores durante pandemia de Covid-19

20/08/2020 12:37

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) formou 194 doutores e 265 mestres em programas de pós-graduação durante a pandemia de Covid-19 – de 11 de março, quando a Organização Mundial de Saúde elevou o estado de contaminação da doença, até 31 de julho. O número deve aumentar, já que alguns programas só inserem a informação quando o estudante entrega a documentação para expedição do diploma – por enquanto, são 459 defesas bem sucedidas na UFSC no período de pandemia.

Fonte: PROPG, 18/08/2020

De acordo com os dados da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG), todo o primeiro semestre de 2020 teve 1.014 bancas de 351 doutores e 663 mestres (confira a separação por curso ao final do texto).

No primeiro semestre de 2019, sem pandemia, a UFSC formou 438 novos doutores e 1.021 novos mestres (1.459 no total).

O Programa de Pós-Graduação em Engenharia do Conhecimento (PPGEGC) realizou sua primeira defesa on-line, da mestranda Graziela Bresolin, em 31 de março, seis dias após a assinatura da Portaria Normativa permitindo a participação de todos os membros da banca e do estudante por meio de sistema de áudio e vídeo em tempo real – no procedimento anterior isso era expressamente proibido. “Assim que a Portaria de bancas on-line da PROPG foi publicada, já estávamos com salas virtuais preparadas e com processos de secretaria remodelados. “Desde então foram 52 defesas, incluindo bancas de programas parceiros (Bioquímica, Ciência da Informação, Energia e Sustentabilidade, Engenharia Civil, Engenharia Elétrica, Engenharia Sanitária Ambiental, Farmácia, Nutrição, Perícias Criminais Ambientais, Sistemas de Transporte e Gestão Territorial)”, conta o coordenador do PPGEGC, Roberto Pacheco.

(mais…)

Tags: coronavírusgestão coronavíruspesquisa coronavíruspós-graduaçãoPPGEGCPrograma de Pós-Graduação em Jornalismo (PPGJOR)PROPGUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Tire suas dúvidas sobre a retomada do ensino na UFSC

31/07/2020 10:58

Após a aprovação do Conselho Universitário das atividades pedagógicas não presenciais na UFSC, a Resolução Normativa nº 140/2020/CUn, foi publicada com a regulamentação da volta das atividades de ensino, agora em formato não presencial.

Em primeiro lugar, é importante entender que o que foi resolvido foram as regras para o primeiro semestre de 2020, interrompido em março e que será retomado em 31 de agosto. Essa data é provável, porque a UFSC ainda definirá o Calendário Suplementar Excepcional oficializado com todas as datas e prazos. 

De qualquer forma, as atividades serão retomadas a distância, portanto, não haverá ainda a abertura dos campi para circulação presencial de pessoas, a não ser aquelas em trabalho essencial.

Os calouros que iniciariam seus estudos no semestre 2020.2 deverão aguardar a definição da nova data de início do semestre, possivelmente em janeiro de 2021. Também devem aguardar os vestibulandos, pois não há definições sobre os processos seletivos Vestibular 2020.2 e 2021, além do SiSU que ainda terão as novas datas divulgadas.

A legislação da UFSC também prevê que essas atividades pedagógicas e as condições epidemiológicas sejam avaliadas periodicamente

Tire suas dúvidas

A Agência de Comunicação da UFSC preparou este guia para que a comunidade universitária possa entender melhor o que foi decidido. Se você ainda tem dúvidas sobre o ensino de Graduação, acesse o Portal Prograd – Informação em tempos de pandemia, que reúne as perguntas frequentes e onde é possível enviar mais perguntas. 

A Comissão Permanente do Vestibular (Coperve) também tem um site para atender às dúvidas dos vestibulandos, assim como as questões sobre o Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI), o Colégio de Aplicação (CA) e os Programas de Pós-Graduação trazem as suas informações específicas em seus sites. 

Temos também um FAQ neste site, e  os contatos dos setores administrativos da UFSC estão aqui, caso necessário.

 

Como fica o Calendário?

Ainda depende de uma regulamentação específica, mas já sabemos que:

  • O Calendário Suplementar Excepcional terá a duração de 16 semanas, com início previsto para 31 de agosto e final estimado para a semana de 14 de dezembro;
  • As semanas antes do início serão destinadas à preparação, com definições de colegiados de curso e departamentos sobre os planos de ensino, disciplinas, cancelamento ou redimensionamento de vagas ou de oferta de novas turmas, oportunidades de capacitação para uso das tecnologias de informação e comunicação, políticas de acesso, etc.;
  • Ficará em vigor somente enquanto durar a suspensão do calendário acadêmico 2020 e prevê apenas atividades pedagógicas não-presenciais, com poucas exceções;
  • Contará com uma fase de ajuste de matrícula na qual os estudantes poderão solicitar o trancamento ou destrancamento do semestre, o cancelamento de disciplinas e também matricular-se em novas disciplinas e/ou atividades complementares;
  • Todos os estudantes, inclusive os da primeira fase, terão direito ao trancamento de matrícula do curso e/ou cancelamento de disciplinas;
  • Caso o estudante opte por trancar sua matrícula, esse trancamento não será computado no limite máximo de 4 (quatro) semestres previstos pela Resolução 017/CUn/97;
  • O ano letivo de 2020 não será considerado no cômputo do prazo máximo de integralização curricular, bem como os semestres não presenciais seguintes;
  • Durante o Calendário Suplementar Excepcional os estudantes serão dispensados da realização de carga horária total mínima semestral do curso, sem nenhum prejuízo;
  • O período de intercâmbio internacional de Graduação poderá ser ampliado de dois para quatro semestres, desde que o plano de atividades seja reapresentado à Secretaria de Relações Internacionais (Sinter) e ao coordenador do respectivo curso.

>> Veja o calendário disponível no Anexo da Resolução Normativa nº 140/2020/CUn.

 

Que tipo de ensino teremos?

Neste novo período, expressões como atividades pedagógicas não presenciais ou ensino remoto são algumas das formas que usaremos em referência a esse novo momento da UFSC. É importante lembrar que isso tudo é diferente de ensino a distância (EaD), que são atividades de ensino integralmente pensadas de um outro modo que essas atividades emergenciais, provocadas pela pandemia.

Nesse modelo de ensino em caráter excepcional:

  • A UFSC terá atividades disponibilizadas aos estudantes, no Ambiente Virtual de Ensino e Aprendizagem Moodle, síncronas (com a presença de alunos e professor ao mesmo tempo no ambiente virtual) e assíncronas, utilizando tecnologias de informação e comunicação;
  • As atividades pedagógicas não presenciais síncronas não deverão ser realizadas fora do horário estabelecido na grade horária, a não ser com a concordância de todos os alunos e professores;
  • O resultado das avaliações nos semestres excepcionais não deverá ser considerado para fins de apuração do Índice de Aproveitamento Escolar dos alunos;
  • Os estudantes aprovados em processos seletivos de ingresso na graduação, na pós-graduação e na Educação Básica no semestre 2020.1 serão chamados a realizar suas matrículas e iniciar os cursos independentemente deles serem oferecidos presencialmente ou não presencialmente.

>> Veja as informações completas na Resolução Normativa nº 140/2020/CUn.

 

Como será a Graduação?

Matrículas

  • Os alunos que não puderem acompanhar as aulas mas não desejarem trancar o semestre, para não perder o acesso a benefícios, poderão se matricular em uma “disciplina coringa”. A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd) deverá criar a disciplina GRA0001, que não exigirá pré-requisitos nem contará com número de créditos, servindo para manter a matrícula;
  • Será possibilitada a matrícula em disciplinas com superposição de horário condicionada à anuência (concordância) dos docentes, desde que respeitada a carga horária máxima permitida no semestre.

Disciplinas e turmas

  • Ficará a critério dos cursos e com concordância do docente, estabelecer quais disciplinas e turmas e/ou quais atividades pedagógicas e a forma como serão ofertadas no curso e o limite de matrículas correspondentes;
  • As disciplinas obrigatórias canceladas deverão ser ofertadas nos períodos letivos seguintes com um número de vagas suficiente para matricular todos os alunos;
  • Alunos formandos, cuja conclusão de curso dependa do cumprimento de apenas uma disciplina obrigatória, poderão requisitar à coordenação do curso a oferta da disciplina;
  • Em caso de alunos ingressantes, cujas turmas possuem grande número de estudantes matriculados, novas turmas da mesma disciplina poderão ser ofertadas;
  • A quebra dos pré-requisitos em disciplinas teóricas poderá ser decidida pela coordenação do curso;
  • Estágios e disciplinas práticas apenas poderão ser realizadas de modo não presencial, com atenção especial àquelas que afetam os formandos.

Menção P

Em lugar da menção “I”, usada atualmente em alguns casos em que o aluno deixa de realizar avaliações previstas no plano de ensino, o Conselho Universitário adotou a menção “P” para ser usada durante o período de pandemia.

  • Os alunos matriculados nas disciplinas práticas e teórico-práticas que não serão realizadas durante este calendário poderão receber a menção “P”;
  • A menção “P” lançada no ano de 2020 estará devidamente justificada pela pandemia e será válida para quaisquer disciplinas e poderá ser usufruída enquanto durarem os efeitos da pandemia;
  • Alunos que estiveram impedidos de cursar disciplinas em 2020.1 terão prioridade na matrícula no semestre seguinte ou em turmas extras a serem ofertadas.

Planos de ensino

Os planos de ensino das disciplinas deverão ser redimensionados e aprovados novamente nos departamentos e nos colegiados dos cursos.

  • A bibliografia principal das disciplinas deverá ser pensada a partir do acervo digital disponível na Biblioteca Universitária. Se isso não for possível, os professores deverão disponibilizar versões digitais dos materiais exigidos;
  • Todo material utilizado, como apresentações, slides, vídeos, referências e entre outros deverão ser disponibilizados pelos professores posteriormente, garantindo o acesso do estudante a material adequado;
  • Os novos planos também deverão redefinir a forma de avaliação e de registro da frequência, com flexibilização de prazos para realização de avaliações.

Estágios e bolsas

  • As Coordenadorias de Estágio, em conjunto com o Colegiados do Curso, Núcleos Docentes Estruturantes (NDEs) e Departamentos deverão analisar a possibilidade de continuidade das atividades de Estágio Obrigatório e não Obrigatório, e outras atividades de natureza semelhante;
  • As coordenações de curso e coordenações de estágios deverão estabelecer regras para o Estágio de forma não presencial, respeitadas as particularidades e a legislação de cada campo de atuação profissional;
  • O estágio dos estudantes em ambiente externo à UFSC deve seguir o regramento específico da instituição, respeitando a capacidade de disponibilização de EPIs pela UFSC e levando em consideração as dificuldades no deslocamento do estudante até o campo de estágio;
  • Os planos de trabalho dos bolsistas PIBE deverão ser ajustados durante o calendário suplementar, conforme orientações da unidade administrativa concedente;
  • Os estágios da área de Saúde e do Direito constituem-se exceções e devem seguir o disposto em normativa da UFSC. A Prograd editou as Portarias Normativas Nº 004/2020/PROGRAD e 003/2020, que autorizam, em caráter excepcional, as atividades remotas de acompanhamento de processos judiciais sob a responsabilidade do Núcleo de Prática Jurídica (CCJ), com algumas ressalvas; e as atividades presenciais de estágios curriculares obrigatórios, para os cursos ligados ao atendimento na área da Saúde, desde que aprovados pelos respectivos Colegiados e Direção de Unidade;
  • Os planos de trabalho dos bolsistas de Monitoria, PIBIC, PROBOLSAS, e outras formas de bolsas acadêmicas cujo recurso é proveniente da UFSC, deverão ser ajustados durante este calendário, conforme orientações da unidade administrativa concedente, com a renovação do contrato de trabalho e sem ultrapassar a carga horária previamente acordada;
  • É vedado o corte de bolsas cujo recurso provém da UFSC durante a vigência do Calendário Suplementar Excepcional.

>> Veja as informações completas na Resolução Normativa nº 140/2020/CUn.

 

Como será a Pós-Graduação?

Disciplinas e turmas

  • Ficará a critério do Colegiado do Programa de Pós-Graduação estabelecer quais disciplinas, turmas e/ou atividades formativas e de pesquisa serão ofertadas no curso;
  • As disciplinas obrigatórias canceladas deverão ser ofertadas nos períodos letivos subsequentes ou condensadas no recesso escolar com um número de vagas o suficiente para matricular todos os alunos;
  • As disciplinas teóricas ofertadas e atividades formativas e de pesquisa deverão ser ministradas de forma não presencial durante o período do calendário suplementar;
  • Os Programas de Pós-Graduação poderão aumentar a oferta de turmas e de vagas, com a anuência do docente;
  • Os alunos matriculados nas disciplinas teórico-práticas cuja parte prática não for realizada na vigência do calendário poderão receber a menção “P”, que será válida para quaisquer disciplinas;
  • A menção “P” lançada no ano de 2020 estará devidamente justificada pela pandemia e será válida para quaisquer disciplinas e poderá ser usufruída enquanto durarem os efeitos da pandemia;
  • Alunos que estiveram impedidos de cursar disciplinas em 2020.1 terão prioridade na matrícula no período subsequente ou em turmas extras a serem ofertadas.

 Planos de Ensino

  • Os planos de ensino das disciplinas vinculadas aos programas de pós-graduação deverão ser redimensionados;
  • A bibliografia principal das disciplinas e/ou atividades formativas e de pesquisa deverá ser pensada a partir do acervo digital disponível na Biblioteca Universitária.Se não for possível, os professores deverão disponibilizar versões digitais dos materiais exigidos;
  • Todo material utilizado, como apresentações, slides, vídeos, referências e entre outros deverão ser disponibilizados pelos professores posteriormente, garantindo o acesso do estudante a material adequado.

Matrículas

  • O Calendário de cada programa contará com uma fase de ajuste de matrícula;
  • Todos os estudantes de pós-graduação, inclusive os do primeiro período, poderão interromper seus estudos solicitando o trancamento de matrícula do programa de pós-graduação e/ou cancelamento de disciplinas;
  • As disciplinas e outras atividades deverão ser ofertadas novamente nos períodos seguintes, para contemplar estudantes com menção “P”;
  • Os cursos de pós-graduação vinculados à saúde humana e animal, e aqueles que desenvolvem pesquisas relacionadas ao combate à Covid-19, poderão requerer o retorno de algumas atividades acadêmicas presenciais.

>> Veja as informações completas na Resolução Normativa nº 140/2020/CUn.

 

Como será a Educação Básica?

Os alunos do Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI) e do Colégio de Aplicação (CA) têm particularidades que devem ser definidas em seu colegiado específico. 

  • O calendário acadêmico da educação básica não é definido pelo Conselho Universitário;
  • A decisão sobre a oferta de atividades pedagógicas não presenciais na Educação Básica (NDI e CA) serão de atribuição do colegiado de cada unidade e serão validadas pelo Conselho de Unidade do Centro de Ciências da Educação (CED);
  • A possibilidade de oferta de atividades pedagógicas não presenciais deverá considerar as especificidades da faixa etária das crianças e estudantes de cada etapa de ensino.

 

Documentação
Resolução Normativa nº 140/2020/CUn

 

Tags: conselho universitáriocoronavírusgestão coronavíruspós-graduaçãoprogradUFSCUniversidade Federal de Santa CatarinaVestibular

Pós em Saúde Coletiva promove diálogo ‘Saúde das pessoas privadas de liberdade e os desafios trazidos pela Covid-19’

16/06/2020 10:44

A Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove nesta quinta-feira, dia 18 de junho, às 14h, o diálogo Saúde das pessoas privadas de liberdade e os desafios trazidos pela Covid-19.

O evento integra o painel Saúde Coletiva face a face: diálogos e interfaces em tempos de pandemia e contará com a participação da professora Sheila Rubia Lindner, sanitarista e pesquisadora no campo da violência e saúde. A transmissão ocorrerá pela plataforma Webex (Cisco) e pode ser acessada neste link.

Tags: Covid-19pandemiapós-graduaçãosaúde coletivaUFSC

A UFSC quer ouvir você: pesquisa aponta opiniões da comunidade universitária sobre atividades não presenciais durante a pandemia

15/06/2020 14:23

O Subcomitê Acadêmico para o Combate à Pandemia do Covid-19 na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) apresentou os resultados da pesquisa realizada de 1º a 10 de junho, junto à comunidade acadêmica acerca das atividades não presenciais. 

“O objetivo com a Pesquisa é fomentar a discussão e planejamento dos subcomitês, e assim contribuir para um plano que preserve o compromisso da UFSC com o ensino público, gratuito, de qualidade, seguro e para todos”, ressaltou a Alexandre Marino Costa, coordenador do Subcomitê Acadêmico.

“É importante o caráter inclusivo da educação pública, por isso, precisamos olhar para aqueles que não têm condições de realizar as atividades não presenciais,” ressaltou o reitor Ubaldo Cesar Balthazar. “Esta pesquisa é um ponto de partida, precisamos levar em conta todos os cenários para não corrermos o risco de deixar alguém de fora deste processo de retomada. Para isso, estamos preparando, por meio do Subcomitê de Assistência Estudantil as propostas que garantirão equipamentos e auxílio para acesso à internet a todos”.

Responderam ao diagnóstico institucional 92% dos professores da UFSC (2.512 pessoas), 63% dos técnicos-administrativos em Educação (TAEs) (1.980 pessoas), e 63,5% dos estudantes (23.349 pessoas). O desdobramento dos estudantes respondentes ficou em 65% da Graduação; 58% da Pós-Graduação e 53% do Ensino Médio do Colégio de Aplicação.

>> Acesse aqui os resultados do Diagnóstico Institucional realizado pelo Subcomitê Acadêmico
(mais…)

Tags: Comitê de Combate à Pandemia da Covid-19conselho universitáriocoronavíruspós-graduaçãoprogradUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Prodegesp divulga resultado de processo seletivo para afastamento para pós-graduação

15/06/2020 09:04

O Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP) divulga o resultado final do Processo Seletivo para classificação de interessados em solicitar afastamento integral para participação em Programa de Pós-Graduação stricto sensu (mestrado, doutorado e pós-doutorado) de servidores docentes e técnico-administrativos em Educação da UFSC.

O resultado final está disponível em https://capacitacao.ufsc.br/processo-seletivo.

Mais informações 
processoseletivo.ccp@contato.ufsc.br.

Tags: afastamento integralCoordenadoria de Capacitação de Pessoas (CCP)Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP)pós-graduaçãoPró-Reitora de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (PRODEGESP)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Programa de Pós-Graduação em Química reabre inscrições para mestrado e doutorado

09/06/2020 11:44

O Programa de Pós-Graduação em Química (PPGQMC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) reabriu as inscrições para processo de seleção e admissão ao mestrado e doutorado. Os interessados podem se inscrever até o dia 19 de junho.

Estão disponíveis 20 vagas para admissão no mestrado e 20 vagas para doutorado, para ingresso no segundo semestre do ano de 2020.

Mais informações no endereço ppgqmc.ufsc.br

Tags: pós-graduaçãoPPGQMCquímicaUFSC

Prodegesp informa sobre interrupção de afastamentos para participação em programa de pós-graduação

22/05/2020 10:55

O Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP) da Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Prodegesp) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) informa, por meio do Ofício Circular nº 03/2020, sobre os procedimentos a serem adotados para solicitação de interrupção excepcional de afastamentos para participação em Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu no país, enquanto perdurar o período de excepcionalidade em virtude da pandemia da doença Covid-19.

Mais informações pelo e-mail ccp.ddp@contato.ufsc.br ou na página do Portal da Capacitação.

Tags: pandemiapós-graduaçãoProdegespUFSC

Relatório europeu, com participação de professora da UFSC, aponta soluções para um sistema alimentar sustentável

13/04/2020 18:03

A pró-reitora de Pós-Graduação da UFSC, Cristiane Derani, participou, em 2019, de um grupo de estudo científico na União Europeia, com a intenção de responder uma pergunta: “Como construir um sistema alimentar sustentável que também tenha uma justa e durável distribuição de alimentos?” O grupo concluiu seus trabalhos e publicou, recentemente, os resultados.

O material está disponível, em inglês, na página da Sapea (Science Advice for Policy by European Academies) – uma instituição que busca reunir cientistas de diversas áreas, de toda a Europa, para trazer experiências e aconselhar políticas públicas baseadas em conhecimento científico. As conclusões dos cientistas foram, em tradução livre, que “uma mudança radical está chegando na maneira como produzimos e distribuímos alimentos, para garantir a segurança alimentar e fornecer dietas saudáveis ​​para todos”.

A proposta, contida no novo relatório, apresenta evidências das ciências sociais sobre como essa transição pode ocorrer de maneira inclusiva, justa e oportuna. Intitulado “A Sustainable Food System for the EU” (‘Um sistema alimentar sustentável para a União Europeia’), o relatório argumenta que os principais passos para o novo modelo não são apenas reduzir o desperdício de alimentos e alterar nossos padrões de consumo – mas também recontextualizar como pensamos sobre os alimentos, em primeiro lugar.
(mais…)

Tags: CCJpós-graduaçãoUFSCUnião EuropeiaUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC permite realização de bancas de qualificação e defesa de pós-graduação online

01/04/2020 16:01

A Pró-reitoria de Pós-graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (Propg/UFSC) emitiu no dia 25 de março a Portaria Normativa nº 2 em que permite a realização de bancas de qualificação e defesa de trabalhos de conclusão de mestrado e doutorado na UFSC. A portaria tem vigência durante o período de emergência ante a pandemia em curso e permite que todos os integrantes da banca e os autores de dissertações e teses realizem a sessão integralmente à distância, desde que as gravações fiquem disponíveis nos respectivos Programas de Pós-graduação.

Confira a portaria na íntegra:

Portaria Normativa nº 2/2020/Propg

Tags: coronavíruspós-graduaçãoPró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Corte de mais de 600 bolsas de pós-graduação gera indignação e apreensão na UFSC

26/03/2020 15:08

O corte de 637 bolsas da Capes nos programas de pós-graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) gerou indignação e apreensão no meio acadêmico. Publicada em 18 de março, uma portaria da Capes alterou os critérios de distribuição definidos no Fórum Nacional de Pró-Reitores de Pesquisa e Pós-Graduação (FOPROP). O reitor da UFSC, Ubaldo Balthazar, e a pró-reitora de Pós-Graduação (PROPG), Cristiane Derani, assinaram manifestação contra os cortes de bolsas juntamente com representantes de programas e centros de ensino e da Secretaria Regional da SBPC em Santa Catarina (confira o inteiro teor do Ofício aqui).

A nova medida aumenta as perdas: são 25% de bolsas a menos para a UFSC – a diminuição prevista anteriormente era de 10%. A Capes mantém dois tipos de programas de bolsas: o Programa de Excelência (ProEx, que visa manter o padrão de qualidade dos programas de pós-graduação com nota 6 ou 7) e o Programa de Demanda Social (DS, que objetiva apoiar discentes de programas de pós-graduação stricto sensu por meio da concessão de bolsas de estudo).

No início de 2019, a UFSC dispunha 1.040 bolsas Capes-ProEx e 1.469 bolsas Capes-DS (2.509 no total). Com os cortes, a UFSC terá 1.872 bolsas (1.024 Capes-DS e 848 Capes-ProEx – confira a tabela abaixo, por curso).
(mais…)

Tags: capespós-graduaçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC perde 572 bolsas de pós-graduação com nova portaria da Capes

20/03/2020 16:52

A portaria 34 da Capes, que alterou os critérios de distribuição de bolsas para programas de pós-graduação, será sentida de forma drástica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Isso porque, segundo os cálculos da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação UFSC, serão cortadas 572 bolsas, o equivalente a 25% do total de bolsas da pós-graduação da universidade. No mestrado, serão  263 bolsas a menos e no doutorado a perda equivale a 309 bolsas.

Do total de 572 bolsas cortadas, 192 são bolsas CAPES PROEX de 20 Programas de Pós-Graduação de notas 6 e 7 (mestrado = 90 e doutorado = 102). Outras 380 bolsas CAPES DS foram cortadas nos 60 Programas de Pós-Graduação notas 3, 4 e 5 (mestrado = 173 e doutorado = 207).
(mais…)

Tags: Apufscpós-graduaçãoUFSC

Suspensa solicitação de afastamento integral para cursar pós-graduação

19/03/2020 17:52

O Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP) da UFSC informa a suspensão do Processo Seletivo de classificação dos interessados em solicitar afastamento integral para participação em programa de pós-graduação stricto sensu (mestrado, doutorado e pós-doutorado) de servidores docentes e técnico-administrativos em Educação.

A suspensão do Edital nº 34/DDP/PRODEGESP/2020 ocorrerá até o retorno das atividades administrativas da UFSC, quando novas orientações e cronogramas serão informados.

Tags: afastamento integralDDPpós-graduaçãoUFSC

Atividades de pós-graduação na UFSC estão suspensas

18/03/2020 14:22

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) comunicou nesta quarta-feira, 18 de março, a suspensão de todas as atividades relacionadas à pós-graduação na Universidade. A medida foi informada aos coordenadores de programas de pós-graduação através de ofício assinado pela pró-reitora Cristiane Derani e é válida até a reabertura dos campi da UFSC. Segundo o ofício, a suspensão ocorre “em virtude da divulgação do primeiro caso de transmissão comunitária do Covid-19 em Santa Catarina e do Decreto de Emergência do Governo do Estado” .

Anteriormente, a Coordenadoria de Internacionalização da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG) havia divulgado documento com orientações relacionadas ao Programa Institucional de Internacionalização (Print/Capes). O documento estabelece, entre outras medidas, que estão suspensas ações que implicam em mobilidade de estudantes e docentes nacionais e estrangeiros, atividades dos centros de aplicação de teste de certificado de línguas estrangeiras e, até que a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) se manifeste, o cronograma dos editais em andamento.

Tags: mestradopós-graduaçãoPROPGUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Processo Seletivo: afastamento integral para programa de pós-graduação

13/03/2020 15:35

O Departamento de Desenvolvimento de Pessoas (DDP) estará com as inscrições abertas a partir do dia 16 de março, às 9h, até 15 de abril, às 23h, para o Processo Seletivo de classificação dos interessados em solicitar afastamento integral para participação em programa de pós-graduação stricto sensu (mestrado, doutorado e pós-doutorado) de servidores docentes e técnico-administrativos em Educação da UFSC.

Mais informações no site capacitacao.ufsc.br/processo-seletivo.

Em caso de dúvidas, enviar e-mail para: processoseletivo.ccp@contato.ufsc.br.

Tags: afastamentoDDPpós-graduaçãoUFSC