Veleiro de expedições oceanográficas construído pela UFSC será lançado em outubro

29/08/2017 17:13

O Veleiro ECO, que está sendo construído pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ficará pronto no início de setembro. Este é o primeiro veleiro de expedições e pesquisas oceanográficas do Brasil, sendo o primeiro e único veleiro projetado e construído por uma universidade brasileira. O lançamento está previsto para outubro, na Marina de Itajaí, localizada no litoral norte de Santa Catarina. O destino serão as ilhas de Trindade e São Pedro e São Paulo, pertencente ao Espírito Santo e Pernambuco, respectivamente.

O projeto iniciou em 2012 com o objetivo de aprimorar e expandir as pesquisas oceanográficas do país. A embarcação é projetada para a excelência das pesquisas. Em cada expedição, uma equipe de pesquisadores estará a bordo e poderá trabalhar em um laboratório construído no interior do veleiro, para que as primeiras análises sejam feitas imediatamente.

Com 60 pés e 5,3m de largura, o Veleiro ECO terá capacidade de hospedar comodamente até dez pessoas, entre pesquisadores e tripulantes. Possui características de segurança e navegabilidade, permitindo expedições científicas de grande porte, incluindo as polares, particularmente a Antártica. A quilha retrátil permitirá ainda a navegação em águas rasas de mangues e estuários de rios, áreas poucos exploradas pela ciência nacional e internacional.

Neste sentido, encontra-se em elaboração um convênio com a Comunidade Econômica Europeia, liderado pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Educação Superior de Portugal e MCTIC do Brasil, para o desenvolvimento de projetos focados nos problemas relacionados a mudanças climáticas e ao lixo no Oceano Atlântico. Com esse foco está em formação uma rede de pesquisa cuja governança está centrada no Centro de Pesquisa dos Açores, denominado Atlantic Interactions Research (AIR). Representantes de Portugal estiveram recentemente no Brasil para conhecer o projeto e firmar parcerias.

O Veleiro ECO irá ampliar e aprimorar a pesquisa marítima brasileira, incluindo soluções em robótica, estudos sobre as mudanças climáticas no oceano, tecnologias na área de óleo e gás, monitoramento e apoio à exploração sustentável da biodiversidade e contribuições para a preservação da Amazônia Azul. Todo o trabalho de campo será realizado a bordo do veleiro com uma equipe de pesquisadores de universidades nacionais e internacionais, das áreas de Oceanografia, Biologia, Ecologia e Engenharia.

As expedições do Veleiro passarão por importantes ecossistemas marinhos brasileiros como estuários, ressurgências, recifes de corais, unidades de conservação, ilhas oceânicas, entre outros. O Veleiro está sendo construído nas instalações do Instituto do Petróleo, Gás e Energia (INPETRO/UFSC), no Sapiens Parque, em Florianópolis.

O projeto, concebido e coordenado pelo professor Orestes Alarcon, tem recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Mais informações no site do Veleiro Eco ou pelo Facebook.

Tags: expedições oceanográficaslançamentooceanografiaSapiens ParqueUFSCveleiroVeleiro ECO

Pós-Graduação em Oceanografia promove palestra sobre dados de clima de ondas

21/08/2017 09:52

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografia (PPGOceano) da UFSC promove a palestra “Um método para a construção do clima de ondas do Século 21: aplicação e uso na Nova Zelândia” nesta quinta-feira, 24 de agosto, com o professor João Albuquerque (University of Auckland, Nova Zelândia). O encontro será realizado na sala CFM002, Blocos Modulados. As inscrições podem ser realizadas aqui.

Resumo: Dados de clima de ondas são fundamentais para uma série de estudos. Essa apresentação descreve uma técnica do estado da arte que será utilizada na construção de uma projeção do clima de ondas da Nova Zelândia para o Século 21. Os resultados obtidos serão usados em estudos de morfodinâmica costeira, avaliação de risco e planejamento de contingências, permitindo que pesquisadores avaliem os potenciais impactos das mudanças climáticas na zona costeira da Nova Zelândia.

Mais informações pelo telefone (48) 3721-3527 ou na página do programa.

 

Tags: clima de ondasoceanografiaondasPrograma de Pós-Graduação em OceanografiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Curso para gestores e pesquisadores públicos atuantes na gestão costeira ocorre na UFSC entre os dias 10 e 14

06/07/2017 09:47

O curso de capacitação de gestores e pesquisadores públicos atuantes na gestão costeira, que ocorre na UFSC entre os dias 10 e 14 de julho, é promovido pelo professor Antonio Henrique da Fontoura Klein, docente do curso de Graduação e Pós-Graduação em Oceanografia da UFSC. A capacitação é voltada aos gestores e pesquisadores públicos de órgãos como a Defesa Civil, a Fundação Municipal do Meio Ambiente de Florianópolis (Floram), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o Ministério do Meio Ambiente.

Durante os cinco dias de atividade, será abordado o Sistema de Modelagem Costeira do Brasil (SMC-Brasil) e a dinâmica básica costeira. O curso é decorrente do Projeto SMC – Brasil, o qual tem como objetivo as adaptações e melhorias dos modelos numéricos incluídos no Sistema de Modelagem Costeira espanhol (SMC), com a incorporação de bases de dados da costa brasileira para criação de um Sistema de Modelagem Costeira para o Brasil, a ser difundido para uma rede de agentes públicos beneficiários atuantes na gestão costeira.

Mais informações pelo e-mail .

 

Tags: Antonio Henrique da Fontoura Kleincurso de capacitaçãogestão costeiragestores e pesquisadores públicosoceanografiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na mídia: Escola do Mar e UFSC promovem ações para preservar animais marinhos

16/06/2017 15:43

A Escola do Mar, projeto da Secretaria de Educação de Florianópolis, participa da Jornada, que acontece esta semana, sobre Acidificação dos Oceanos. O evento, que discute as origens e as conseqüências do aumento da acidez nas águas, foca também na compreensão dos problemas globais associados ao oceano, como a sobrepesca e a deficiência de estratégia de conservação. Estes temas estão sendo debatidos igualmente na ONU, Organização das Nações Unidas, para promover um desenvolvimento sustável.

No último sábado, numa atividade da Escola do Mar e do curso de Oceanografia da UFSC, universitários e professores receberam a comunidade para divulgar os temas da Jornada e quantificar o lixo flutuante. A bordo do barco-escola, utilizado pela Escola do Mar, também foram coletadas amostras de água e de sedimentos da Baía Norte para análise dos contaminantes derivados de petróleo e provenientes do uso de remédios (como hormônios das pílulas e os anti-inflamatórios), que são liberados no ambiente pelos esgotos domésticos.
(mais…)

Tags: acidificaçãoáguaEscola do MarOceanooceanografiaUFSCufsc na mídia

Empresa Júnior de Oceanografia da UFSC promove atividade de limpeza na Praia Mole no sábado

07/06/2017 12:19

Em comemoração ao Dia Nacional do Oceanógrafo, ao Dia Mundial dos Oceanos e a Semana Nacional do Meio Ambiente, a Empresa Júnior de Oceanografia UFSC (Tétis) promove o ”Limpa, Oceano!”. A atividade objetiva mostrar a importância da preservação e conscientização para manter as praias limpas.

O ”Limpa, Oceano!” é um projeto idealizado pelo Oceano à Vista, com o objetivo principal de integrar todas as universidades que possuem o curso de Oceanografia e impulsionar a divulgação do curso e da profissão. Com isso, o projeto tem como foco uma limpeza de praias simultânea, em todos os locais onde há cursos de Oceanografia no Brasil, no próximo sábado, dia 10 de junho. Em Florianópolis, o evento será realizado na Praia Mole, das 8h30 às 12h30.

Tags: 24ª Semana Nacional de OceanografiaLimpaOceanooceanografiaUFSC

Veleiro de Expedições Científicas Oceanográficas da UFSC será lançado ao mar em agosto

07/06/2017 10:42

A construção do Veleiro de Expedições Científicas Oceanográficas – ECO UFSC60, está em fase de finalização e já tem data marcada para lançamento ao mar: agosto deste ano. O projeto é liderado pelo professor Orestes Alarcon do Departamento de Engenharia Mecânica e conta com a participação de professores, pesquisadores e alunos da graduação e pós-graduação dos Departamentos de Engenharia Mecânica e Materiais, Oceanografia, Ecologia, Zoologia, Geociências e Botânica da UFSC.

O projeto é apoiado por cinco instituições de fomento à pesquisa – a Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP),  a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Trata-se de um veleiro de Alumínio Naval – Liga 5083 H116, de 60 pés, fabricado com tecnologia de soldagem TIG e MIG de última geração, feito por métodos automáticos de soldagem desenvolvidos pelo professor Jair Dutra e equipe do Instituto de Soldagem e Mecatrônica (LabSolda) do Departamento de Engenharia Mecânica. Terá capacidade de hospedar comodamente até dez pessoas, entre pesquisadores e tripulantes em expedições oceânicas. No caso de navegações mais curtas, em águas costeiras, que serão realizadas com alunos dos cursos de Oceanografia e de Ciências Biológicas, poderão embarcar cerca de 20 tripulantes, estágios embarcados ou para o desenvolvimento de projetos de pesquisa.
(mais…)

Tags: Engenharia Mecânicaoceanografiaveleiro

Pesquisa analisa riscos da contaminação de mexilhões na Praia do Matadeiro

29/05/2017 08:39

Um projeto de pesquisa de mestrado irá verificar possíveis riscos de contaminação de um tipo de cianobactéria tóxica em mexilhões da Praia do Matadeiro. Densas populações desta espécie, Cylindrospermopsis raciborskii, foram registradas na Lagoa do Peri desde a década de 1990 e, nos últimos 20 anos, são monitoradas pela Casan. As concentrações de saxitoxina, produzida pela cianobactéria, ainda são baixas e o sistema de tratamento de água da Casan consegue remover a contaminação, principalmente pelos filtros e cloro. Porém, o Canal do Sangradouro leva água da Lagoa do Peri ao Atlântico, entre Armação e Matadeiro, onde há costões rochosos, habitat de mexilhões, além de organismos comestíveis enterrados na areia.

Cianobactérias tóxicas são analisadas em laboratório. Foto: Henrique Almeida/Diretor de Fotografia da Agecom/UFSC

“Se a carga tóxica de lagoa do Peri está constantemente sendo lançada na praia do Matadeiro, o que se pode esperar da contaminação de mexilhões que por ali vivem ou que por ventura sejam ali cultivados?”, questiona Leonardo Rörig, líder do Grupo de Pesquisa do CNPq Biologia, Cultivo e Biotecnologia de Microalgas e orientador da mestranda Tanise Klein Ramos. Séries de amostragens e análises serão realizadas a fim de testar estas hipóteses, explica Rörig. “Dependendo dos resultados, medidas de gestão deverão ser tomadas para impedir o consumo de frutos do mar oriundos de alguns setores da Praia do Matadeiro. Consequentemente, o cultivo de mexilhões na área deveria ser impedido, haja vista o risco de contaminação com consequências a saúde pública”.

Para recreação na Lagoa do Peri, maior corpo de água doce da Ilha de Santa Catarina, não há complicações atualmente, confirma Rörig. “Dificilmente a pessoa que engolir a água vai ter problemas. Hoje, a água da lagoa é limpa, as algas só vão crescer mais se houver água mais suja”. 
(mais…)

Tags: algaalgal bloomArmaçãobloomCanal do SangradouroCasanCianobactériacultivo de ostraLagoa do Perimexilhãomexilhõesoceanografiapraia do MatadeirosaxitoxinaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC na Mídia: Estudo discute origem de algas flutuantes que invadiram a costa brasileira

23/05/2017 10:28

Surpreendidos pela aparição inédita de um imenso tapete de algas flutuantes na costa brasileira, entre 2014 e início de 2015, pesquisadores de diversas instituições e países se uniram para investigar as causas, as origens e os possíveis impactos do fenômeno.

Os primeiros resultados do estudo, que contou com apoio da FAPESP, foram divulgados no dia 10 de março na revista Phycologia. A versão impressa do artigo, que foi destaque na capa do periódico, acaba de ser publicada.

Segundo os autores, esse tipo de alga parda pertencente ao gênero Sargassum é muito comum no Atlântico Norte, em uma região do Caribe cercada por correntes oceânicas. Lá formam o chamado mar de Sargaço, que serve de santuário para muitas espécies vegetais e animais. Resultados do trabalho, no entanto, indicam que a biomassa que chegou ao Brasil não teria vindo do Caribe, como a princípio se imaginou.

“No Brasil, existem algumas espécies de Sargaço que vivem fixas ao substrato marinho. Mas o tipo flutuante nunca havia sido observado nas praias antes de 2014. Existia um único registro na costa brasileira, mas em alto mar, feito pela Marinha em 2011 [ Veja mais informações em http://www.checklist.org.br/getpdf?NGD002-12]”, contou Marina Sissini, doutoranda da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e primeira autora do artigo.
(mais…)

Tags: algas flutuantesoceanografiasargaçoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pós-graduação em Oceanografia promove palestra com pesquisador da Colômbia

11/05/2017 16:19

O programa de Pós-graduação em Oceanografia (PPGOceano/UFSC) promove a palestra “Seven hazard tales from the Caribbean coast of Colombia”, com o pesquisador Nelson Guillermo Rangel Buitrago, da Universidad del Atlántico, Colômbia. O evento ocorrerá na terça-feira, 16 de maio, às 15h30, no auditório do Centro Socioeconômico (CSE/UFSC).

Mais informações na página do PPGOceano, pelo e-mail ou pelo telefone (48) 3721-3527.

Tags: ColômbiaCSEoceanografiapalestraPPGOceanoPrograma de Pós-Graduação em OceanografiaUFSC

Pós-Graduação em Oceanografia promove palestra sobre ‘turbulência’

08/05/2017 17:02

“Turbulência – o que é?” é o tema da palestra promovida pelo programa de pós-graduação em Oceanografia (PPGOceano/UFSC) nesta sexta-feira, 12 de maio, às 14h. O evento ocorre no mini-auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC) e é aberto a todos.

A turbulência é um fenômeno difícil de descrever, mas notadamente mais fácil de reconhecer. Nessa palestra, o professor Juan Pablo L. C. Salazar apresentará uma visão geral dos principais aspectos que caracterizam a turbulência, ressaltando a importância da turbulência para processos naturais e artificiais. Serão abordadas também estratégias para investigar a turbulência, usando como exemplos pesquisas na área. “A turbulência é muito mais do que a soma de suas partes. O objetivo da palestra é introduzir o tópico ao público leigo e fornecer uma ponto de vista alternativo aos especialistas”, afirma o professor.

Mais informações na página do PPGOceano.

Tags: CFHoceanografiapalestraPPGOceanoTurbulênciaUFSC

Pós em Oceanografia promove palestra sobre mergulho com polvos nesta quarta

17/04/2017 09:42

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografica (PPGOceano) promove a palestra “Mergulhando com os polvos: o uso do mergulho científico na oceanografia biológica” nesta quarta-feira, 19 de abril. Parte do Projeto Cephalopoda, o encontro será realizado no Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas a partir das 10 horas. 2017-04_Projeto_Cephalopoda.001

Mais informações pelo telefone (48) 3721-3527.

Tags: oceanografiaPolvosUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Palestra na UFSC discute o processo de ordenamento do espaço marinho

27/03/2017 08:43

O Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo) da UFSC, em colaboração com a pós em Oceanografia (PPGOceano) promove a palestra “O processo do ordenamento do espaço marinho”, proferida pelo pesquisador Bernhard Heinrichs.

O encontro será no dia 28 de março, terça-feira, às 9h30, no Auditório do C entro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC. 2017-03_Berhhard_Heinrichs.001

 

 

Tags: espaço marinhogeografiaoceanografiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Projeto de monitoramento ambiental da UFSC conclui três anos de coleta de dados

16/03/2017 19:24
Integrantes do projeto MAArE durante última expedição oceanográfica.
Integrantes do projeto MAArE durante última expedição oceanográfica

O Projeto de Monitoramento Ambiental da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e Entorno (MAArE/UFSC) está concluindo suas atividades e em breve disponibilizará um banco de dados e um livro com os resultados de todo o trabalho de campo desenvolvido ao longo de três anos. Coordenado pelas professoras Bárbara Segal Ramos e Andrea Santarosa Freire, do Departamento de Ecologia e Zoologia (ECZ/UFSC), o projeto teve início em junho de 2013 e contou com uma equipe de cerca de 80 pessoas (entre pesquisadores, técnicos, bolsistas e pessoal de apoio).

A Reserva Biológica Marinha do Arvoredo é uma área de 17.600 hectares de superfície, situada ao norte da Ilha de Santa Catarina, entre Florianópolis e Bombinhas. A região abrange as Ilhas do Arvoredo, Deserta, Galé, Calhau de São Pedro e a área marinha que circunda esse arquipélago. Por ser considerado um espaço de grande importância biológica, em 12 de março de 1990 a reserva foi decretada unidade de conservação federal, de proteção integral. Nesse contexto, o MAArE foi criado com o objetivo de realizar o monitoramento ambiental da região, através da amostragem de diferentes indicadores biológicos para a avaliação da conservação do ecossistema marinho. Entre esses indicadores estão peixes, algas, crustáceos, invertebrados e plâncton. Outra finalidade era verificar a ocorrência de espécies invasoras, como o coral sol, que pode gerar danos no ecossistema.
(mais…)

Tags: biologiaCCBICMBioMAArEoceanografiaProjeto de Monitoramento Ambiental da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e Entornoreserva biológica marinha do arvoredoUFSC

Pesquisadores da UFSC instalam primeira boia meteo-oceanográfica em Santa Catarina

09/03/2017 13:22

REBIO_ARVOREDOUma boia meteo-oceanográfica, a SiMCosta SC-01, está fundeada desde o dia 22 de fevereiro nas proximidades da Ilha do Arvoredo, interior da Reserva Biológica (Rebio) Marinha do Arvoredo, em Florianópolis. A instalação e manutenção da boia instrumentalizada é fruto de uma parceria entre o Sistema de Monitoramento da Costa Brasileira (SiMCosta), a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). “Esta parceria é fundamental para o sucesso do programa de monitoramento de longo prazo na Rebio Marinha do Arvoredo”, salienta o coordenador nacional do SiMCosta e pesquisador do programa de pós-graduação em Oceanografia da UFSC (PPGOceano), Carlos Alberto Eira Garcia.

De acordo com Ricardo Castelli Vieira, chefe da Rebio do Arvoredo, “os dados obtidos pela boia servirão para dar continuidade ao monitoramento de parâmetros oceanográficos realizado pela UFSC ao longo de 2014, 2015 e 2016, no âmbito do Projeto de Monitoramento Ambiental da Rebio Arvoredo e entorno (MAArE)”. Andrea Freire, coordenadora da área de Oceanografia do MAArE, reforça a importância da instalação da boia para o desenvolvimento da pesquisa em oceanografia no estado: “Santa Catarina tem sido um lugar de muitas ocorrências de desastres naturais, todos relacionados à variabilidade oceanográfica e meteorológica. Agora teremos a possibilidade de observar essas variações.”

A pesquisadora salienta que a instalação da boia SiMCosta SC-01 é inédita: “É a primeira vez que o estado tem uma boia tão eficiente. Já existiam boias com essas características em vários lugares, mas não em Santa Catarina.” Outra vantagem, segundo Andrea, é o fato de o equipamento estar instalado dentro de uma reserva biológica. “Nenhuma outra boia está instalada dentro de uma unidade de conservação no Brasil. Os dados coletados serão muito importantes.” A reserva Biológica Marinha do Arvoredo (Rebio do Arvoredo), onde atuou o MAArE, está localizada na região central do litoral catarinense, incluindo quatro ilhas — Arvoredo, Deserta, Galés e Calhau de São Pedro — e o ambiente marinho associado. A reserva engloba águas dos municípios de Florianópolis, Governador Celso Ramos, Porto Belo, Bombinhas e Tijucas, em Santa Catarina. É a única Rebio marinha existente nas regiões Sul e Sudeste do País.

Na boia estão acoplados vários instrumentos e sensores que fornecem dados meteorológicos (vento, pressão atmosférica, temperatura, radiação solar, precipitação, umidade relativa e concentração de CO2) e oceanográficos (temperatura, salinidade, turbidez, concentração de CDOM, concentração de clorofila-a, oxigênio dissolvido e pH). Os dados obtidos pela SiMCosta SC-01 são transmitidos via satélite (meteorológicos) e por telefonia celular (oceanográficos), numa frequência horária, para servidor localizado na Universidade Federal do Rio Grande (Furg), instituição coordenadora do SiMCosta. Em seguida, os dados são disponibilizados on-line e gratuitamente no Portal SiMCosta.

Sobre o SiMCosta

O SiMCosta é um projeto que visa o monitoramento contínuo de propriedades meteorológicas e oceanográficas para fornecer informações ambientais e, ao longo do tempo, prover dados para estudos de impactos das mudanças climáticas ao longo da costa brasileira. O SiMCosta é coordenado pela Subrede Zonas Costeiras da Rede Clima e INCT para Mudanças Climáticas, com sede na Furg, e financiado pelo Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima), Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Mais informações no site do SiMCosta e do ICMBio ou pelos telefones (48) 37213530 | (48) 37218517

Tags: boia meteo-oceanográficaICMBioMAArEoceanografiaPPGOceanoSiMCostaUFSC

Pós em Oceanografia promove seminário sobre Gestão de Sistemas Costeiros e Oceânicos

23/02/2017 10:11

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografia, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizará no dia 14 de março o 3º Seminário de Dinâmica e Gestão de Sistemas Costeiros e Oceânicos. O evento será no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).


Programação:

8h30 às 9h30 : Dinâmica do manto e sua influência na superfície terrestre e marinha.

9h30 às 10h30 : Novos dados sobre um mega campo de pockmarks no talude sul-brasileiro: morfologia e sedimentação;

10h30 às 11h30 : Florestas submersas dos trópicos aos Pólos.

Tags: CFHoceanografiaUFSC

Primeira dissertação da Pós-Graduação em Oceanografia da UFSC analisa pesca e maricultura em Florianópolis

17/02/2017 10:45

A primeira dissertação a ser defendida no Programa de Pós-Graduação em Oceanografia da UFSC terá como tema uma análise detalhada dos modos de vida atingidos pela pesca na capital de Santa Catarina. A dissertação “Pesca e maricultura em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil: Análise exploratória dos modos de vida e da percepção dos usuários sobre as atividades”, apresentada pelo aluno Homero Destéfani, do curso de Oceanografia, será defendida na Sala de Usos Múltiplos do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), no dia 22, às 14h.

A decadência da pesca artesanal fez com que os pescadores buscassem alternativas para complementar sua renda. Entre essas atividades desenvolvidas, está a maricultura. A dinâmica institucional gera contextos de vulnerabilidade que afetam de diferentes formas os grupos de usuários dos recursos pesqueiros. A análise feita pela tese busca compreender como eles se sentem e respondem a esses contextos.

A pesquisa foi realizada em duas comunidades reconhecidamente pesqueiras da Ilha de Santa Catarina: Santo Antônio de Lisboa e Ribeirão da Ilha.

 

Matheus Pereira
Estagiário de Jornalismo da Agecom

Tags: oceanografiaPós-Graduação em OceanografiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pós em Oceanografia promove palestra na Barra da Lagoa

29/11/2016 11:09

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografia promove a palestra Towards a global methodology to assess coastal flooding impacts in view of climate change, com Michalis I. Vousdoukas (Joint European Research Center/Institute of Environment and Sustainability). O evento será realizado no LOC Barra da Lagoa, nesta quinta-feira, 1º de dezembro, às 10h.

2016-12_Michalis Vousdoukas.001

Tags: oceanografiaPrograma de Pós-Graduação em OceanografiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pós-graduação em Oceanografia promove palestra na segunda-feira

10/10/2016 16:05

2016-10_Ernesto_García-Mendonza.001O programa de pós-graduação em Oceanografia (PPGOceano/UFSC) promove, na segunda-feira, 17 de outubro, a palestra “Harmful algae blooms and phycotoxins at Baja California (Mexico) coasts”. A atividade será ministrada pelo professor mexicano Ernesto García-Mendoza (Cicese/México). O evento ocorre às 10h, na sala SIPG08, no Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP/CCB/UFSC).

Mais informações pelo telefone:  (48) 3721-9286.

Tags: oceanografiapalestraPPGOceanoPrograma de Pós-Graduação em OceanografiaUFSC

Inscrições para mestrado em Oceanografia iniciam-se dia 26

10/09/2016 12:49

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografia da UFSC publicou edital de abertura do processo seletivo 2017. O período de inscrições para ingressar no mestrado é entre os dias 26 de setembro e 28 de outubro de 2016.

Mais informações:

Edital de Seleção de Mestrado 2017

Etiqueta de Inscrição à Seleção

Modelo de Curriculum Vitae

Carta de Aceite de Orientação

Tags: mestradooceanografiaUFSC

Inscrições para curso gratuito de Python aplicado à Biologia e Oceanografia até 8 de setembro

29/08/2016 10:08

O Programa de Pós-Graduação em Oceanografia (PPGO) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promoverá, de 13 de setembro a 6 de outubro, o minicurso gratuito “Computação Científica com Python com aplicações à Oceanografia e à Biologia”. As aulas serão realizadas às terças e quintas, das 18h30 às 20h, no Laboratório de Informática do Centro de Filosofia e Ciência Humanas (CFH), na sala 327. As inscrições seguem até o dia 8 de setembro pelo e-mail Há 30 vagas disponíveis.

Introdução ao Python: instalação, con figuração e utilização do console; operações aritméticas e utilização de funções matemáticas básicas; vetores e matrizes usando SciPy e Numpy; tratamento de dados em arquivos; leitura e escrita em arquivos e utilização da biblioteca Pandas para tratamento estatístico de dados serão alguns tópicos abordados.

Mais informações pelo telefone (48) 3721-2626.

 

Tags: biologiaCFHminicursooceanografiaPPGOPythonUFSC

Pesquisadores do projeto MAArE realizam última expedição oceanográfica para coleta de dados

12/08/2016 15:09

Pesquisadores do projeto de Monitoramento Ambiental da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo e Entorno (MAArE/UFSC) realizaram, nos dias 3, 4 e 5 de agosto, a última expedição oceanográfica para a coleta de dados. O projeto MAArE teve início em junho de 2013 e conta com uma equipe de cerca de 80 pessoas, entre coordenadores, pesquisadores, técnicos, bolsistas e pessoal de apoio. Seu objetivo é realizar o monitoramento ambiental, através da amostragem de diferentes indicadores biológicos relevantes para a avaliação da conservação do ecossistema marinho da região, tais como peixes, algas, corais, plâncton, clorofila, crustáceos e outros invertebrados. Também são caracterizadas as condições oceanográficas e meteorológicas, a avaliação sazonal de parâmetros físicos, químicos e físico-químicos. O projeto MAArE envolve um trabalho multidisciplinar, com a participação de diversos laboratórios de pesquisa da UFSC, nas áreas de Geociências, Biologia, Química e Engenharia Ambiental.

Confira o vídeo da última expedição oceanográfica:

Vídeo: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Tags: biologiaCCBexpedição oceanográficaoceanografiaProjeto de Monitoramento Ambiental da Reserva Biológica MarinhaProjeto MaareUFSC

Livro organizado por professor da UFSC apresenta estudos sobre praias brasileiras

27/07/2016 10:05

Brazilian Beach SystemsO livro Brazilian Beach Systems, organizado pelo professor da UFSC,  Antonio Henrique da Fontoura Klein, acaba de ser lançado pela editora Springer Link. A obra reúne 20 capítulos, apresentando os estudos de 55 autores de diferentes universidades brasileiras.

Mais informações no site da editora ou pelo e-mail: 

Tags: Brazilian Beach Systemslançamento de livrooceanografiaPrograma de Pós-Graduação em GeografiaUFSC

Jogo de tabuleiro gigante reúne diversão e aprendizado sobre Oceanografia

30/06/2016 19:00

Um jogo de tabuleiro gigante que envolve aprendizado e que tem no participante a “peça” essencial para sua execução. Esse é o Okeanos, que surgiu como projeto de uma matéria de extensão do curso de Oceanografia e esteve nesta terça (28) e quarta-feira (29) no Hall da Reitoria para receber participantes.

Foto: Ítalo Padilha / Agecom / UFSC

Foto: Ítalo Padilha / Agecom / UFSC

O projeto tem como realizadoras quatro estudantes do curso de Oceanografia: Bruna Alves, Marcieli Ribeiro, Jaqueline Ferreira e Brunna Simonetti, que contou um pouco mais dos objetivos da equipe com o Okeanos: “O curso de Oceanografia é pouco divulgado aqui dentro da Universidade, então o objetivo é transmitir para a população acadêmica e para a comunidade um pouco mais da nossa linha de ensino”.

Composto pelo tabuleiro e 60 cartas que trazem conteúdo das mais variadas áreas do curso em forma de curiosidades, questões ambientais e problemáticas relacionadas, o jogo busca trazer informações mais acessíveis do ramo da Oceanografia para os participantes.
(mais…)

Tags: oceanografiaokeanosUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Curso de Oceanografia promove dia de limpeza de praias

02/06/2016 08:11

13244128_1206313812713660_472506445083046691_oO Curso de Graduação em Oceanografia promove, no dia 4 de junho, sábado, a partir das 14h, um mutirão de limpeza na Praia da Armação, em Florianópolis. A iniciativa comemora o Dia Nacional do Oceanógrafo e Dia Mundial dos Oceanos, celebrado em 8 de junho.

Em atenção à data acontece, simultaneamente em todas as universidades que possuem o curso de Oceanografia, o projeto de limpeza de praias.

Mais informações:

Evento no Facebook.

Tags: limpeza de praiaoceanografiaUFSC

Centro de Filosofia e Ciências Humanas terá novo prédio

10/05/2016 08:27
Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Um prédio com sete andares e cerca de seis mil metros quadrados abrigará os blocos E, F e G do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH). Na sexta-feira, 6 de maio, ocorreu a solenidade de inauguração do novo edifício, que será ocupado, prioritariamente, pelos cursos de Geologia e Oceanografia. A construção teve o apoio da Petrobras, que viabilizou cerca de um terço dos recursos. A obra ainda não está finalizada e a previsão é que fique pronta em julho deste ano.

Oito autoridades discursaram na inauguração: a reitora Roselane Neckel; a vice-reitora Lúcia Helena Martins-Pacheco; o diretor do CFH Paulo Pinheiro Machado; a vice-diretora do CFH, Sônia Maluf; os coordenadores do Núcleo de Pesquisa Geológica Juan Antonio Flores e Edison Ramos Tomazzoli; a gerente de Sedimentologia e Estratigrafia da Petrobras, Helga Elizabeth Voelcker; o ex-gerente da Rede de Estudos Geotectônicos da Petrobras, Gilmar Vital Bueno. Entre o público, que lotou um pequeno auditório do novo prédio, também estavam presentes pró-reitores, diretores de unidades de ensino, chefes de departamentos, coordenadores de curso.

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A vice-diretora do centro, Sônia, ressaltou a importância do edifício para o pleno funcionamento do CFH, que passou por ampla expansão nos últimos anos. Foram criados quatro cursos de graduação – Antropologia, Geologia, Museologia e Oceanografia –, além da Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica e dos mestrados em Oceanografia e em Desastres Naturais. “Temos hoje dez cursos de graduação, nove pós-graduações, cerca de quatro mil alunos, 200 professores e 70 técnicos administrativos. Somos um dos maiores centros da UFSC e temos a maior produção acadêmica”, informou a professora.

O diretor do centro, Paulo, também observou que o CFH “dobrou de tamanho, mas continuou com a mesma infraestrutura”. Para o professor, um espaço físico maior será mais adequado para o desenvolvimento da ciência e cidadania. “Frequentemente, nós, das Ciências Humanas, trabalhamos em condições muito adversas. Por isso é importante marcar a inauguração desse prédio, que é resultado de um esforço conjunto e que beneficiará muitas pessoas”.

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

A reitora Roselane Neckel aproveitou a ocasião para relembrar sua trajetória na UFSC, desde quando foi vice-diretora e depois diretora do CFH, até o momento atual, em que finaliza sua gestão na administração central. A professora recordou o tempo em que havia falta de professores, técnicos, equipamentos e “a grande ameaça era a exigência de pagamento do ensino nas universidades públicas. Nessa época, não havia esperança de criação de novos cursos no CFH”. Mas, ela observa, a realidade mudou com o programa de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni), que supriu carêncais e possibilitou o crescimento e a qualificação do ensino superior no país: “Hoje a UFSC tem cerca de 5500 professores e técnicos e se tornou referência no Brasil e exterior”.

O processo de negociação com a Petrobras para a construção do prédio foi lembrado pela reitora. Ela descreveu a visita da comitiva da UFSC ao Centro de Pesquisa e Desenvolvimento (Cenpes)  da Petrobras, em agosto de 2009, quando o projeto do curso de Geologia foi apresentado e a empresa decidiu apoiá-lo. Essa reunião também foi relatada pelo professor Edison, do curso de Geologia, que apontou a escassez de geólogos em Santa Catarina e a urgência de criação do curso: “Isso ficou evidente durante as enchentes de 2008, em Itajaí, quando não havia profissionais qualificados para atuarem no desastre”. A vice-reitora Lúcia Helena, além de agradecer a todos que participaram e se dedicaram à viabilização do edifício, afirmou que o momento era de celebração: “É o fim de uma obra, mas o começo de muitas possibilidades acadêmicas”.

Estrutura

Os novos blocos do CFH serão ocupados com laboratórios, coordenadorias de ensino, salas de reuniões, salas de profesores, PETs, núcleos de estudos, secretarias de departamentos, secretarias de pós-graduação, auditórios, centros acadêmicos, área de convivência.

Valor total R$ 18.778.697,04
Recursos da UFSC R$ 12.038.889,12
Recursos da Petrobras R$ 6.739.807,92
Início das obras Novembro/2013
Previsão de término Julho/2016

As fotos do acompanhamento das obras estão disponíveis aqui.

Mais informações no site da Coordenadoria de Fiscalização de Obras (CFO).

Daniela Caniçali/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: Bloco Ebloco FBloco GCFHgeologiainauguraçãonovo prédioobrasoceanografiaPetrobrassolenidadeUFSC
  • Página 2 de 3
  • 1
  • 2
  • 3