Últimos dias: inscrições para Educação do Campo e vagas suplementares a negros, indígenas e quilombolas

12/11/2018 14:30

A Comissão Permanente do Vestibular (Coperve) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou os editais referentes às inscrições aos processos seletivos para a licenciatura em Educação do Campo e para as vagas suplementares destinadas ao grupo etnicorracial negro, indígenas e quilombolas.

As inscrições para as vagas suplementares devem ser realizadas até esta terça-feira, 13 de novembro.

As inscrições para licenciatura em Educação do Campo devem ser realizadas até 21 de novembro.

Mais informações na página da Coperve.

 

 

Tags: coperveCurso de Licenciatura em Educação do CampoindígenasnegrosquilombolasUFSCvagas suplementares

Pesquisa inédita faz diagnóstico nacional de avanços e desafios no sistema de cotas brasileiro

14/05/2018 14:49

Joana Celia dos Passos, professora da UFSC. Foto: Ítalo Padilha/Agecom/UFSC

‘Enquanto o couro do chicote cortava a carne

A dor metabolizada fortificava o caráter

A colônia produziu muito mais que cativos

Fez heroínas que pra não gerar escravos, matavam os filhos

Não fomos vencidas pela anulação social

Sobrevivemos à ausência na novela, e no comercial

O sistema pode até me transformar em empregada

Mas não pode me fazer raciocinar como criada’

A música ‘Mulheres Negras’ de Yzalú foi recitada pela professora da UFSC Joana Celia dos Passos, na abertura do seminário de socialização da pesquisa nacional ‘Trajetórias de cotistas no ensino superior’.
(mais…)

Tags: ações afirmativascotasindígenasMECnegrospardospesquisa nacionaltrajetória cotas no ensino superiorUFSC

UFSC divulga resultado da reopção de curso e das vagas suplementares para negros

25/01/2018 12:03

A Comissão Permanente do Vestibular da Universidade Federal de Santa Catarina (Coperve/UFSC) divulgou, nesta quinta-feira, o resultado oficial da reopção de curso e das vagas suplementares para negros.

O resultado completo e o resultado por curso da reopção estão disponíveis na página do Vestibular UFSC 2018. O resultado das vagas suplementares para negros está disponível na página Suplementares Negros 2018.

Mais informações pelos telefones (48) 3721.9200 / (48) 3721.9951 / (48) 3721.9953

Tags: Comissão Permanente do Vestibularcopervenegrosreopção de cursoresultadoresultado oficialUFSCvagas suplementaresVestibular UFSC 2018

UFSC abre inscrições às vagas suplementares para negros, quilombolas e indígenas

09/11/2017 07:30

A Comissão Permanente do Vestibular (Coperve) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou o edital nº 8, referente às inscrições ao processo seletivo para as vagas suplementares destinadas ao grupo etnicorracial negro, relativas ao ano letivo de 2018.

Também declaram abertas as inscrições ao edital nº 9 para as vagas suplementares para indígenas e quilombolas para o ano de 2018, a todos os que concluíram ou estão em vias de concluir o Ensino Médio (curso de 2º Grau ou equivalente).

As inscrições para as vagas suplementares devem ser realizadas no período de 17 de outubro a 13 de novembro de 2017.

Mais informações estão disponíveis na página da Coperve.

 

Tags: coperveindígenas e quilombollasnegrosprocesso seletivoUFSC

Secretaria de Ações Afirmativas recepciona estudantes negros, quilombolas e indígenas

02/08/2017 17:46

Na noite de terça-feira, 1º de agosto, a Secretaria de Ações Afirmativas (Saad) da UFSC promoveu uma recepção aos calouros indígenas, negros e quilombolas que ingressaram por vagas suplementares. Além de receber os estudantes, o encontro teve como objetivo divulgar e esclarecer dúvidas em relação a alguns serviços e ações da universidade, como o acesso às bolsas de auxílio, moradia estudantil, uso do Restaurante Universitário e da Biblioteca.

A cerimônia foi realizada no auditório do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) e teve início com a fala do reitor Luiz Carlos Cancellier de Olivo, que deu as boas vindas aos estudantes e lembrou da importância da implementação das ações afirmativas na UFSC, desde 2008, e da criação da Saad. O reitor reconhece que o programa tem alguns problemas, mas avalia de maneira positiva o desenvolvimento da Saad. “Estamos aprendendo ainda a fazer a execução da política pública, só existimos há um ano, mas a experiência tem sido boa”, defende Cancellier.

Graziela de Souza ao lado da filha que a acompanhou na recepção. Foto: Henrique Almeida

A estudante de Administração Graziela Salete de Souza comemora a entrada na universidade pelas vagas suplementares para negros. Ela e os dois filhos mais velhos ingressaram juntos no ensino superior neste ano. Um de seus filhos também entrou na UFSC por meio das vagas suplementares. “Eu tenho 41 anos e há pelo menos 15 anos eu tento entrar na faculdade. Se não fosse dessa forma eu nunca teria entrado”. Graziela trabalha como auxiliar administrativa e acredita que o ingresso no curso de Administração vai auxiliar muito na sua carreira. “Quero agarrar essa oportunidade com unhas e dentes”, ela conclui.

O evento contou ainda com a presença do diretor de Assuntos Estudantis da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), Ruy Tadeu Mambrini Ribas; da Coordenadora de Avaliação e Apoio Pedagógico, Soraia Selva da Luz; da secretária de Ações Afirmativas, Francis Tourinho; e dos coordenadores dos cursos de Medicina, Pedagogia, Licenciatura Intercultural Indígena, Administração e Relações Internacionais.

Os estudantes receberam materiais com instruções sobre os serviços da Coordenadoria de Avaliação e Apoio Pedagógico, como as bolsas monitorias e o Programa Institucional de Apoio Pedagógico aos Estudantes (Piape). Aqueles que ingressaram agora podem ser monitores das disciplinas a partir da segunda fase, pois o pré-requisito é ter cursado a disciplina da qual será monitor. O Piape oferece aulas de conteúdo básico nos quais os estudantes demonstram mais dificuldade, como elaboração de textos e matemática básica.

Além dessas orientações, os alunos receberam a cartilha “Rede de Atenção e Serviços – Município de Florianópolis” que traz um guia de lugares que oferecem serviços de saúde, assistência social, lazer, cultura, arte, educação, direitos humanos, oportunidades de estágio e de emprego.

Giovanna Olivo/Estagiária de Jornalismo/Agecom/UFSC

Tags: ações afirmativasindígenasnegrosPRAEquilombolasSaadUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC realiza recepção de indígenas, quilombolas e negros das vagas suplementares

28/07/2017 10:27

A Universidade Federal de Santa Catarina e a Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD) irão realizar a recepção dos calouros das vagas suplementares Indígenas, Quilombolas e Negros do segundo semestre de 2017. O evento ocorrerá no Auditório do Centro de Ciências Jurídicas na próxima terça-feira, 1º de agosto, às 18h.

O reitor Luiz Luiz Carlos Cancellier de Olivo; o pró-reitor de Graduação, Alexandre Marino Costa; o pró-reitor de Assuntos Estudantis, Pedro Luiz Manique Barreto; e a secretária de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD), Francis Solange Vieira Tourinho, estarão presentes. Os coordenadores e professores das fases iniciais também foram convidados à participar da recepção.

Os estudantes receberão as boas-vindas e serão orientados quanto a assuntos acadêmicos, procedimentos, auxílios permanência, locais de assistência, além de assistirem uma apresentação da Universidade de forma geral.

Mais informações na SAAD.

 

 

Tags: diversidadeindígenasnegrosquilombolassecretaria de ações afirmativas e diversidadesUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Sorteio definirá reserva de vagas do próximo concurso para docente na UFSC

21/07/2017 16:18

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Prodegesp/UFSC) realizará um sorteio, no dia 26 de julho, quarta-feira, às 14 horas, para definir os campos de conhecimento que receberão reserva de vagas do próximo concurso público da UFSC, para a carreira do magistério superior. As vagas serão destinadas para candidatos com deficiência e candidatos negros.

O sorteio ocorrerá na Sala Calêndula, localizada no 3º andar do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, e será transmitido por webconferência na página de conferências da Prodegesp. A capacidade da sala virtual é de 100 (cem) acessos simultâneo.

edital de chamada pública está disponível aqui.

Mais informações na página da Prodegesp.

Tags: candidatosconcurso públicodeficiênciamagistério superiornegrosreserva de vagasUFSC

Congresso dos Pesquisadores Negros da Região Sul prorroga inscrições

10/04/2017 09:47

As inscrições para apresentação de trabalho (Comunicação Oral, Pôster, Oficinas e Minicurso) no III Congresso dos Pesquisadores Negros da Região Sul – III Copene Sul  foram prorrogadas para o dia 23 de abril. Com o tema “Negras e negros no sul do Brasil: desenvolvimento, patrimônio e cultura afro-brasileira”, os participantes podem escolher entre os 20 eixos temáticos aqueles que dialogam com suas pesquisas.

O congresso será realizado de 10 a 13 de julho no Centro de Ciências da Educação (CED) da UFSC.

Mais informações no site do Congresso.

Tags: CEDCentro de Ciências da EducaçãoCongresso dos Pesquisadores Negros da Região SulnegrasnegrosUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Vestibular 2017: UFSC divulga resultado das vagas remanescentes

27/03/2017 05:39

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), por meio da Comissão Permanente do Vestibular (Coperve), divulgou o resultado de vagas remanescentes do Vestibular 2017 e das vagas suplementares para negros, na tarde desta quarta-feira, 22 de março de 2017. Os candidatos classificados deverão comparecer nas coordenadorias de Curso nos dias 27 e 28 de março de 2017, das 8h às 12h e das 14h às 18h, para realizar as matrículas.

 

Mais informações:
Site da Coperve
Site do Vestibular 2017
Site do Vestibular 2017 – Vagas Suplementares para Negros
Portaria Nº 8/Prograd/Saad/UFSC (normas, período e local de realização da matrícula inicial dos candidatos às Vagas Remanescentes do Concurso Vestibular UFSC/2017)

Portaria Nº 7/Prograd/Saad/UFSC (normas, período e local de realização da matrícula inicial dos candidatos às Vagas Remanescentes para as vagas suplementares destinadas ao grupo etnicorracial negro)

Tags: negrosUniversidade Federal de Santa Catarinavagas remanescentesVestibular

UFSC sedia Congresso de Pesquisadores Negros da Região Sul em julho

20/03/2017 15:40

Copene SulO III Congresso de Pesquisadores Negros da Região Sul (Copene Sul) será realizado de 10 a 13 de julho, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). As inscrições para apresentação de trabalho (comunicação oral, pôster, oficina e minicurso) vai até 9 de abril. Com o tema “Negras e negros no sul do Brasil: desenvolvimento, patrimônio e cultura afro-brasileira”, os participantes podem escolher entre os 20 eixos temáticos aqueles que dialogam com suas pesquisas.

Para os que residem fora de Florianópolis, a Comissão Executiva está organizando hospedagem solidária.

Mais informações no site do Copene Sul.

Tags: BrasilCopene SulCopene SulO III Congresso de Pesquisadores Negros da Região SulinscriçõesnegrasnegrosUFSC

UFSC lança editais para preenchimento de 191 vagas remanescentes

10/03/2017 17:11

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) lançou dois editais para o preenchimento de 191 vagas remanescentes (95 delas para candidatos autodeclarados negros) dos processos seletivos Vestibular e das vagas suplementares para negros. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas de 10 a 17 de março.

Para concorrer a uma das 96 vagas do Vestibular, os candidatos devem ter participado do Vestibular UFSC 2017, ter tido sua redação avaliada e obtido nota igual ou superior a 3,00 (na escala 0,00 a 10,00) nessa avaliação; ou ter participado do ENEM 2014, 2015 ou 2016, tendo obtido no mínimo 300 pontos na disciplina de redação e pontuação correspondente à nota mínima do ENEM acrescida de 10%, em cada uma das seguintes disciplinas: Ciências Humanas e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias, Linguagens e códigos e suas tecnologias e Matemática e suas tecnologias. O site para inscrição é o www.vestibular2017.ufsc.br

Para concorrer a uma das 95 vagas suplementares, poderão inscrever-se candidatos pertencentes ao grupo etnicorracial negro, oriundos de qualquer percurso escolar, que tenham concluído o Ensino Médio e que tenham participado de pelo menos uma das edições do ENEM realizadas em 2014, 2015 ou 2016 e obtido a pontuação mínima especificada no edital. O site para inscrição é o www.suplementaresnegros2017.ufsc.br

Confira os editais, com as vagas disponíveis:

Vagas remanescentes do Vestibular.

Vagas suplementares para negros.

 

Tags: inscrições gratuitasnegrosprocesso seletivosuplementaresUFSCUniversidade Federal de Santa CatarinaVestibular

UFSC divulga nova chamada de calouros do Vestibular 2017 e vagas suplementares

08/02/2017 10:17

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou a terceira chamada do Vestibular 2017 e a segunda das vagas suplementares para negros, quilombolas e indígenas. Os candidatos aprovados devem realizar matrícula on-line nesta quarta e quinta-feira, 8 e 9 de fevereiro, junto às coordenadorias de curso.

A matrícula presencial é realizada das 8 às 12h e das 14 às 18h, munidos da documentação exigida pelas Portarias 001/Prograd, 003/Prograd e 004/Prograd, conforme o processo seletivo. Nelas estão todas as informações sobre documentação exigida e cronograma de matricula presencial e das comissões de validação de renda.

A confirmação da etapa on-line da matrícula deve ser realizada pelo site http://simig.sistemas.ufsc.br.

A comprovação de renda dos candidatos cotistas deverá ser realizada durante o período de matrícula presencial.

Mais informações com o Departamento de Administração Escolar (DAE) nos contatos:

e-mail:

Fones: (48) 3721-7402/ 3721-7405

Tags: indígenasnegrosquilombolasUFSCUniversidade Federal de Santa Catarinavagas suplementaresVestibular

Matrículas nas vagas suplementares para negros, indígenas e quilombolas de 2 a 5 de fevereiro

31/01/2017 12:34

A Comissão Permanente do Vestibular (Coperve) da UFSC divulgou os resultados dos processos seletivos destinados às vagas suplementares para negros e para indígenas e quilombolas.

Vagas suplementares para negros

Para esta categoria foram inscritos 533 candidatos e foram selecionados pela nota obtida na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). A UFSC ofereceu 204 vagas para esta categoria (duas para cada curso) das quais 147 foram ocupadas. Confira o resultado neste link.

Mais informações sobre as matrículas e a relação da documentação exigida na Portaria de Matrícula.

Vagas suplementares para indígenas e quilombolas

Foram inscritos 324 candidatos indígenas e preenchidas 22 vagas. Os candidatos quilombolas inscritos foram 41, sendo nove selecionados.

A seleção dos candidatos ocorreu por meio da análise do Histórico Escolar do Ensino Médio. Confira o resultado neste link.

Mais informações sobre as matrículas e a relação da documentação exigida na Portaria de Matrícula.

Matrículas dos classificados nos dias 2, 3, 4 e 5 de fevereiro

Os classificados, independentemente do semestre letivo de 2017 em que iniciarão o curso, deverão realizar a matrícula inicial obrigatoriamente em duas etapas – online e presencial -, sendo a primeira nos dias 2, 3, 4 e 5 de fevereiro de 2017, na página da Coperve (http://www.suplementares2017.ufsc.br/) ou no site simig.sistemas.ufsc.br – com sua senha individual, mediante preenchimento das autodeclarações e dos formulários específicos, bem como, preenchimento do termo de opção de antecipação para o primeiro semestre (para candidatos classificados para o segundo semestre letivo), imprimindo-os e assinando-os para entrega nas coordenadorias dos respectivos cursos, juntamente com os demais documentos exigidos.

Mais informações no site das vagas suplementares.

Tags: coperveEnemindígenas e quilombolasnegrosUFSCvagas suplementares

Inscrições até dia 17 a vagas suplementares para negros, indígenas e quilombolas

08/11/2016 15:25

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) abriu inscrições, até 17 de novembro, para as vagas remanescentes do processo seletivo para vagas suplementares destinadas ao grupo étnico-racial negro, e para o processo seletivo para vagas suplementares destinadas a indígenas e quilombolas.

Processo seletivo para vagas suplementares ao grupo étnico-racial negro

O resultado é válido para ingresso no ano letivo de 2017, nos cursos presenciais de graduação oferecidos nos campi da UFSC (Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville), conforme o quadro no edital.

Para realizar a inscrição, o candidato deve acessar o site www.suplementaresnegros2017.ufsc.br, preencher integralmente o requerimento de inscrição e enviá-lo (via internet) para a Coperve/UFSC até as 23h59 do dia 17 de novembro. As informações prestadas são de total responsabilidade do candidato, que deve imprimir e guardar o comprovante.

Poderão inscrever-se neste processo seletivo candidatos oriundos de qualquer percurso escolar, que tenham concluído ou venham a concluir o Ensino Médio até a data de matrícula na UFSC e que tenham participado de pelo menos uma das edições do Enem realizadas em 2014, 2015 ou 2016 e obtido a pontuação mínima especificada no item 3.2 deste edital.

Mais informações no edital do processo seletivo.

Processo seletivo para vagas suplementares a indígenas e quilombolas

O resultado é válido para ingresso no ano letivo de 2017, nos cursos presenciais de graduação oferecidos nos campi da UFSC (Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville).

Para realizar a inscrição, o candidato deve acessar o site http://suplementares2017.paginas.ufsc.br/, preencher integralmente o requerimento de inscrição e enviá-lo (via internet) para a Coperve/UFSC até as23h59 do dia 17 de novembro. Além disto, deve enviar os documentos solicitados pela Coperve até 10 de janeiro. As informações prestadas são de total responsabilidade do candidato, que deve imprimir e guardar o comprovante.

Poderão inscrever-se neste processo seletivo candidatos pertencentes aos povos indígenas residentes no território nacional e transfronteiriços e comunidades quilombolas oriundos de qualquer percurso escolar e que tenham concluído ou venham a concluir o Ensino Médio até a data da matrícula na UFSC.

Serão oferecidas 22 vagas suplementares para candidatos pertencentes a comunidades indígenas e nove vagas suplementares para candidatos pertencentes a comunidades quilombolas. Essas vagas serão preenchidas de acordo com a classificação geral desses candidatos, observado o limite máximo de três vagas por curso.

Mais informações no edital do processo seletivo.

Tags: coperveindígenas e quilombolasnegrosUFSCvagas suplementares

UFSC abre inscrições até 17 de novembro a vagas suplementares para negros

26/10/2016 09:15

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) abriu inscrições, até 17 de novembro, para as vagas remanescentes do processo seletivo para vagas suplementares destinadas ao grupo étnico-racial negro. O resultado é válido para ingresso no ano letivo de 2017, nos cursos presenciais de graduação oferecidos nos diversos campi da UFSC (Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville), conforme o quadro no edital.

Para realizar a inscrição, o candidato deve acessar o site www.suplementaresnegros2017.ufsc.br, preencher integralmente o requerimento de inscrição e enviá-lo (via internet) para a Coperve/UFSC até as 23h59 do dia 17 de novembro. As informações prestadas são de total responsabilidade do candidato, que deve imprimir e guardar o comprovante.

Poderão inscrever-se neste processo seletivo candidatos oriundos de qualquer percurso escolar, que tenham concluído ou venham a concluir o Ensino Médio até a data de matrícula na UFSC e que tenham participado de pelo menos uma das edições do Enem realizadas em 2014, 2015 ou 2016 e obtido a pontuação mínima especificada no item 3.2 deste edital.

Mais informações no edital do processo seletivo.

 

 

Tags: Enemnegrosprocesso seletivoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarinavagas suplementaresvagas suplementares para negros

UFSC abre inscrições até 15 de março a vagas suplementares para negros

08/03/2016 15:00

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) abriu inscrições, até 15 de março, para as vagas remanescentes do processo seletivo para vagas suplementares destinadas ao grupo étnico-racial negro. O resultado é válido apenas para ingresso no primeiro ou no segundo período do ano letivo de 2016, nos cursos presenciais de graduação oferecidos nos diversos campi da UFSC (Araranguá, Blumenau, Curitibanos, Florianópolis e Joinville), conforme o quadro abaixo.

Estão aptos todos os que concluíram o ensino médio e que participaram do Enem 2013, 2014 ou 2015, obtendo no mínimo 300 pontos na redação e pontuação correspondente à nota mínima exigida pela UFSC nas demais disciplinas.

Para realizar a inscrição, o candidato deve acessar o site www.suplementares2016.ufsc.br, preencher integralmente o requerimento de inscrição e enviá-lo (via internet) para a Coperve/UFSC até as 23h59 do dia 15 de março. As informações prestadas são de total responsabilidade do candidato, que deve imprimir e guardar o comprovante.

Poderão inscrever-se candidatos pertencentes ao grupo étnico-racial negro, oriundos de qualquer percurso escolar, que tenham concluído o ensino médio e participado de pelo menos uma das edições do Enem realizadas em 2013, 2014 ou 2015, obtendo a pontuação mínima especificada no edital.

Mais informações no edital do processo seletivo.

Quadro geral de cursos

Código do Curso Nome do Curso Campus Vagas Suplementares
1º Período 2º Período Total
3 QUÍMICA – BEL/BEL EM QUÍMICA TECNOLÓGICA  FLORIANÓPOLIS  – 1 1
110 CIÊNCIAS BIOLÓGICAS – LIC NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
205 QUÍMICA – LICENCIATURA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1 2
213 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ELÉTRICA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1 2
214 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1 2
215 ENGENHARIA DE ALIMENTOS – DIURNO  FLORIANÓPOLIS  – 1 1
220 ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO  FLORIANÓPOLIS 1 1 2
222 MATEMÁTICA E COMPUT. CIENTÍFICA – BEL  FLORIANÓPOLIS 1  – 1
223 MATEMÁTICA – LICENCIATURA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 2  – 2
224 MATEMÁTICA – LICENCIATURA – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS  – 2 2
225 FÍSICA – LICENCIATURA – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 2  – 2
230 METEOROLOGIA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 2 2
234 ENGENHARIA DE AQÜICULTURA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS  – 1 1
235 ENGENHARIA ELETRÔNICA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
302 CIÊNCIAS CONTÁBEIS – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
309 SERVIÇO SOCIAL – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
324 BIBLIOTECONOMIA – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
327 HISTÓRIA – BEL/LIC – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS  – 2 2
328 FILOSOFIA – BEL/LIC – VESPERTINO/NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 2  – 2
329 FILOSOFIA – BEL/LIC – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 1  – 1
332 GEOGRAFIA – BEL/LIC – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
337 ANTROPOLOGIA – BEL – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
338 MUSEOLOGIA – BEL – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
342 CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO – BEL – DIURNO/NOT  FLORIANÓPOLIS 2 2
421 LETRAS – ALEMÃO – BEL/LIC – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 2  – 2
423 LETRAS – ESPANHOL – BEL/LIC – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 2 2
424 LETRAS – FRANCÊS – BEL/LIC – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1  – 1
426 LETRAS – PORTUGUÊS – BEL/LIC – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS  – 1 1
427 LETRAS – ITALIANO – BEL/LIC – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1  – 1
428 LETRAS – PORTUGUÊS – BEL/LIC – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1 2
429 SECRETARIADO EXECUTIVO – BEL – NOTURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
440 LETRAS – LIBRAS – LIC – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
441 LETRAS – LIBRAS – BEL – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
455 ANIMAÇÃO – BACHARELADO DIURNO/NOTURNO  FLORIANÓPOLIS  – 1 1
502 ZOOTECNIA – DIURNO  FLORIANÓPOLIS 1 1
503 CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS  FLORIANÓPOLIS 1 1
552 MEDICINA VETERINÁRIA (CURITIBANOS)  CURITIBANOS 1  – 1
553 ENGENHARIA FLORESTAL (CURITIBANOS)  CURITIBANOS 1 1 2
555 AGRONOMIA (CURITIBANOS)  CURITIBANOS 1 1 2
601 BACHAREL. INTERDISCIPLINAR EM MOBILIDADE  JOINVILLE 1 1 2
604 ENGENHARIA FERROVIÁRIA E METROVIÁRIA  JOINVILLE 1 1 2
605 ENGENHARIA MECATRÔNICA  JOINVILLE 1 1
607 ENGENHARIA DE INFRAESTRUTURA  JOINVILLE 1 1
652 TEC DA INFO. E COMUNICAÇÃO (ARARANGUÁ)  ARARANGUÁ 1 1 2
653 ENG. DE ENERGIA – VESP/NOT (ARARANGUÁ)  ARARANGUÁ 1 1 2
654 FISIOTERAPIA – BEL – DIURNO (ARARANGUÁ)  ARARANGUÁ 1  – 1
655 ENG.DE COMPUTAÇÃO – VESP/NOT (ARARANGUÁ)  ARARANGUÁ  – 1 1
751 MATEMÁTICA – LIC. – NOTURNO (BLUMENAU)  BLUMENAU  – 2 2
752 QUÍMICA – LIC. – NOTURNO (BLUMENAU)  BLUMENAU 1 1 2
753 ENGENHARIA MATERIAIS – DIURNO (BLUMENAU)  BLUMENAU  – 1 1
754 ENG.DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO (BLUMENAU)  BLUMENAU  – 1 1
755 ENGENHARIA TÊXTIL – DIURNO (BLUMENAU)  BLUMENAU  – 1 1
756 MATEMÁTICA – LIC. – DIURNO (BLUMENAU)  BLUMENAU 2  – 2
 – TOTAL 39 37 76
Tags: grupo etnicorracial negronegrosUFSCUniversidade Federal de Santa Catarinavagas suplementaresvesitbularVestibular UFSCVestibular UFSC 2016

Escultura Negra, de Carl Eistein, é novidade brasileira na Bienal Internacional do Livro

15/08/2012 16:28
.

A obra integra a Coleção Visuais e é apoiada pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFSC

Tradução publicada pela EdUFSC, Negerplastik revoluciona a visão sobre a arte produzida pelos povos africanos

A Editora da Universidade Federal de Santa Catarina (EdUFSC) está apresentando na 22ª  Bienal Internacional do Livro de São Paulo uma obra fundamental no campo da crítica de arte: Negerplastik (Escultura Negra), do alemão Carl Einstein, cuja obra, segundo Liliane Meffre, da Universidade de Bourgogne (França), “permanece mais atual do que nunca”. A obra integra a Coleção Visuais e é apoiada pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFSC (PRPG). A bienal acontece até o dia 19 deste mês no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Publicado pela primeira vez em 1915, Negerplastik revoluciona a visão sobre a arte africana e desperta nos europeus o interesse e a valorização do patrimônio artístico daquele continente.

 Obra Mestra
– Carl Einstein ficou na memória de seus contemporâneos como o autor de Negerplastik, e mesmo hoje em dia é a este título que se evoca seu nome. Esse texto denso e inovador, de algumas páginas apenas, foi uma revelação para muitos e permanece uma das obras mestras do século XX, sublinha Liliane Meffre na apresentação da obra traduzida pela EdUFSC e socializada, pela primeira vez, em língua portuguesa.

Carl Einstein elevou à condição definitiva de arte os objetos indecifráveis e indatáveis que os viajantes do Velho Continente “colecionavam” em suas excursões pela África subsaariana. O próprio autor mantinha uma pequena coleção que “vendeu” durante uma crise financeira. O ensaio “bombástico” do crítico alemão, que fez história também na França e na Espanha, e mudou a ideia e o conceito de arte primitiva, é acompanhado de 111 esculturas (cabeças, postes funenários, bustos, máscaras, relicários, estatuetas, entre outras representações).

Capa dura, miolo em papel de gramatura especial, o livro tem 302 páginas, com 220 exibindo figuras da arte africana. Com tradução de Inês de Araújo e Fernando Scheibe, Negerplastik é enriquecido pela apresentação da historiadora Liliane Meffre e por uma resenha do professor Roberto Conduru, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, inserida no livro como anexo. A orelha é assinada pelo professor da UFSC, Raul Antelo. E a capa tem a marca da designer Maria Lúcia Iaczinski, da equipe da EdUFSC.

Raul Antelo salienta que “a inovadora proposta teórica de Carl Einstein pretendia pensar a história da arte sob um ponto de vista bem mais amplo que o convencional, não só como simples dimensão antropológica, mas também com um enfoque concentrado nas singularidades formais que só uma análise visual específica permitiria detectar. Einstein ensaiou, assim, uma fenomenologia da aura em que o absoluto das formas nada deve à integração idealizadora de suas partes”.

Quebrando tabus
No seu texto, ao analisar “artefatos provenientes da África como obras de arte”, Carl Einstein alerta, de saída, que “não há, talvez, nenhuma outra arte que o europeu encare com tanta desconfiança quanto a arte africana”.

Assinala que o negro infelizmente “sempre foi considerado ser inferior que poderia ser discriminado, e tudo por ele proposto era imediatamente considerado como insuficiente”, acrescentando que “a maior parte das opiniões expostas sobre os africanos repousa sobre preconceitos”. O diagnóstico é definitivo: “finalmente, nossa ausência de consideração pelo negro corresponde apenas à ausência de conhecimento ao seu respeito, o que só serve para oprimi-lo injustamente”.

Na época, lembra Carl Einstein, “os conhecimentos sobre a arte africana” eram, no seu conjunto, “parcos e imprecisos”. O ensaio foi um divisor de águas. “O que antes parecia desprovido de sentido, encontrou sua significação nos mais recentes esforços dos artistas plásticos “. Advertiu que “é preciso desfazer-se do preconceito de supor que os processos psíquicos podem ser afetados por signos contrários e que a reflexão sobre a arte é oposta à que se refere à criação artística”. Freud concordou com a assertiva.

Carl Einstein, que depois da publicação virou referência na área, lança uma reflexão aos leitores. “A incompreensão habitual do europeu pela arte africana está à altura da força estilística desta última: essa arte, entretanto, não representaria um caso notável de visão plástica”?

 

.

O autor defende a indissociabilidade entre arte, crítica e história

“Deus
A arte negra, na opinião do autor, é, antes de tudo, determinada pela religião. “As obras esculpidas são veneradas tal como foram por todos os povos da Antiguidade. O executante realiza sua obra como se ela fosse a divindade ou seu guardião”, atesta Carl Einstein.

A lição da arte negra, ao contrário da europeia, por razões formais e também religiosas, só tem uma interpretação possível. “Ela nada significa e não é um símbolo; ela é o deus que conserva sua realidade mítica fechada, na qual ele inclui o adorador, transformando-o também em ser mítico e abolindo sua existência humana”. Enfim, “a obra de arte europeia tornou-se justamente a metáfora do efeito, que incita o espectador à indolente liberdade. A obra de arte negra religiosa é categórica e possui essência penetrante que exclui toda limitação”. A escultura negra, conclui Carl Einstein, representa clara fixação pela visão plástica pura. Eis, a “lição da arte negra”…

Defesa intransigente
O professor Roberto Conduru faz a defesa da publicação e da difusão do pensamento de Carl Einstein em português, enfatizando que ele produziu “textos ora classificados como crítica, ora como História, e também poemas, romance, peça teatral e roteiro cinematográfico”. Destaca ainda o seu trabalho como jornalista, editor e tradutor.

Os cubistas corroboram, de forma decisiva, para mudança de opinião sobre a arte africana. Conduru recorre ao autor: “certos problemas que se colocam para a arte moderna provocaram uma abordagem mais escrupulosa da arte dos povos africanos”.

Carl Einstein articula crítica, história e teoria da arte em suas reflexões. Pois, frisa Conduru, “Negerplastik é um livro de teoria da arte, especialmente da teoria da escultura, assim como é o problema da forma nas artes plásticas”. O autor defende a indissociabilidade entre arte, crítica e história.

 

Palatável
Marco nos estudos de arte da África, o livro difundiu novos valores e conceitos. Com a colaboração de etnólogos e historiadores, defendida e adotada pelo próprio autor, Negerplastik ficou mais acessível e palatável para leigos e iniciados. Embora sucesso de crítica, a primeira edição foi pouco compreendida.

Roberto Conduru, elogiando a iniciativa da EdUFSC, garante que a obra é oportuna e de grande interesse para a sociedade brasileira. “O entrelaçamento das reflexões artísticas com a ação política de Einstein pode encontrar ressonâncias no Brasil”. Negerplastik, sublinha, “pode ajudar a tornar mais complexo e nítido o fraco debate existente no Brasil sobre a questão da forma na arte, contra a qual vigora um sentimento difuso, pouco refletido e monótono, porém potente”.

Adverte, finalmente, que a opção da EdUFSC também deve “contribuir para os estudos de certas manifestações e obras da cultura brasileira, assim como das relações com a África no Brasil, onde perdura um mal contido desinteresse e, muitas vezes, um verdadeiro horror pelo que é africano e afrodescendente”.
Mais clássico
Carl Einstein é um ícone da cultura universal. Daí a EdUFSC não frustrar os leitores brasileiros. Em breve, editará outro clássico do intelectual alemão: Die Kunst des 20 (A Arte do Século XX), publicado originalmente em 1926 e considerado como um dos primeiros livros de história da arte moderna.

Moacir Loth /Jornalista da Agecom/UFSC

Negerplastik (Escultura Negra)
Carl Einstein
Organização: Liliane Meffre
Tradução: Fernando Scheibe e Inês de Araújo
EdUFSC- 304 p. R$ 61,00
Informações:
Fones (48) 3721-9408 e 3721-9686
Fax (48) 3721-9680
site:www.editora.ufsc.br
e-mail:

 

Leia também:

Códices é uma das estrelas da Bienal Internacional do livro

Tags: ÁfricaEdUFSCnegrosUFSC

Reflexões sobre o 13 de maio

11/05/2012 15:30

O Coletivo Kurima – Estudantes Negros e Negras da UFSC promove nos dias 13 e 14 de maio “Reflexões sobre o 13 de maio”, para discutir a situação da população negra no Brasil e refletir sibre as condições e papeis  dos estudantes/negras na universidade.

No domingo 13 de maio, haverá feijoada no cardápio, conforme solicitado à direção do Restaurante Universitário.  No espaço externo do RU, acontecerá uma atividade artísitico cultural e a distribuição de materiais de divulgação do Coletivo Kurima e demais materiais relacionados com a temática “Ações Afirmativas” (nos dois dias de evento).

Na segunda, dia 14, a partir das 9h, no auditório da Reitoria, será realizada  uma Roda de Conversa com a participação de Roselane Neckel, a nova reitora da UFSC; Marcelo Tragtemberg, presidente da Comissão de Ações Afirmativas na UFSC e Ana Paula Cardozo da Silva, coordenadora municipal de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, da Prefeitura Municipal de Florianópolis.

Os assuntos abordados serão estudantes negros na universidade; cotas, reservas de vagas, o que são?; condições de permanência dos estudantes que ingressam/ ingressaram pelo Programa de Ações Afirmativas e Vestibular UFSC/2013, entre outros.

O evento tem o apoio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Restaurante Universitário, Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis da UFSC e Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial. Serão emitidos certificados.

Telefones para contato:

Renata Lima – 9909-2212 (Psicologia)
Constantino Nascimento – 9967-8994 (Direito)
Roberta Lira – 9914-2493(Artes Cênicas)
Bianca Suleiman – 9901-0892 (Psicologia)
Luís Souza – 9663-4766 (Serviço Social)
Guilherme Andrade – 8432-1780 (Direito)
Email:

Coletivo Kurima promove reflexões sobre o 13 de maio

 

 

Tags: KurimanegrosreflexõesUFSC

Fascículos dão visibilidade a comunidades quilombolas

14/03/2012 23:41
.

.

“Meu marido e eu plantávamos fumo. Criamos dez filhos. Assim, era vida de pobre, vendíamos. Não tinha estrada. Tudo era carregado na carroça. Ocorre que muitas vezes o fumo mofava. Nós não tínhamos muita escolha. Tínhamos engenho de farinha que era para o gasto. Pagavam a farinha muito baixo. Comprávamos peixe na praia quando não íamos pescar. Fazíamos a rosca de massa, curujá do polvilho. Isso era feito no forno”.  

 

O depoimento de Dona Margarida Jorge Leodoro, de 80 anos, conta um pouco da vida no Morro do Boi, comunidade quilombola situada a seis quilômetros de Balneário Camboriú (SC). Suas memórias e as de seus vizinhos – muitos deles seus parentes, como é comum em comunidades quilombolas – foram registradas no projeto Nova Cartografia Social dos Povos e Comunidades Tradicionais do Brasil, desenvolvido pelo Núcleo de Estudos de Identidade e Relações Interétnicas (NUER) da UFSC.

 

Dois fascículos impressos, integrantes do projeto – um referente àquela comunidade e outro sobre pescadores da Costa da Lagoa (bairro da Capital) – foram lançados nesta quarta, 14/03, no II Seminário Saberes Locais e Territorialidades, que aconteceu no auditório Henrique da Silva Fontes (CCE) e reuniu membros de diversas comunidades quilombolas catarinenses, como Caldas de Cubatão, Morro Fortunato e Comunidade da Aldeia, além de representantes do Incra, Ministério Público Federal, Movimento Negro Unificado e estudantes e professores.

 

Sueli Marlete Leodoro é a presidente da Associação Quilombola Morro do Boi. Ela conta que tanto o trabalho do NUER quanto os desenvolvidos pela Udesc – com a participação do professor Pedro Martins – e da Univali – com a discente na época e hoje docente Ana Elisa Schlickmann,  ambos presentes no evento -,  propiciaram que a comunidade se autorreconhecesse quilombola. “Por sermos todos primos, queríamos resgatar nossas origens. Quando nossos pais contavam histórias, eram só lembranças tristes. Quem queria ouvir aquilo? A gente dava as costas e ia embora. Tenho uma filha mais clara que não gostava de ser chamada de negra. Depois que o professor Pedro lhe contou histórias sobre a África, ela não quer ser chamada de outra coisa”.

 

A partir do processo de valorização de suas origens, o Morro do Boi criou a associação de moradores, que tem como sede provisória a casa de Dona Margarida, mãe de Sueli. Sua sala é o espaço para as reuniões, as missas, e tantas outras atividades de convívio da família, que, como conta a filha, recebe a todos com café e sorrisos, seja a hora ou o dia que for.

 

Vanda Pinedo, representante do Movimento Negro Unificado, sintetiza a luta das comunidades. “Em todos os estados desta nação há conflitos de terra com os quilombolas. Se os meios de comunicação não retratam essa realidade, é preciso que os espaços acadêmicos exponham a situação para que a sociedade esteja compromissada com a questão”. Raquel Mombelli, professora e pesquisadora do NUER, ilustra a questão, destacando que a comunidade do Morro do Boi, com a duplicação da BR-101, deixou de plantar banana e café, e a construção de túnel tem ameaçado as residências, que começaram a apresentar rachaduras. “Queriam transformar nossas terras em Área de Preservação Permanente, alegando que não conheciam ninguém que morasse lá. Mas nós pagamos IPTU com o endereço de lá”, complementa Sueli.

 

O antropólogo do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra/SC), Marcelo Spaloense, relembra que apenas em 2006 o Incra constituiu corpo técnico específico para cuidar da regularização das terras. “Em todo o Brasil são cerca de 1.100 processos só para reconhecimento de comunidades quilombolas”. Ele elogiou o projeto Nova Cartografia, já que “dá voz e torna visível diversas comunidades que foram omitidas da historiografia oficial”.

 

Os fascículos foram feitos em produção coletiva, pelas próprias comunidades, que definiram seus conteúdos e delimitaram os mapas. O do Morro do Boi foi distribuído oficialmente por Sueli, que entregou parte das histórias, dos afetos e das lutas de sua família aos participantes do evento, muitos dos quais têm trajetórias semelhantes para compartilhar.

 

Mais informações com o Núcleo de Estudos de Identidade e Relações Interétnicas (NUER): 3721-9890 – Ramal 21ou 
Por Cláudia Schaun Reis/ Jornalista na Agecom
Fotos: Wagner Behr/ Agecom

Leia mais:

– UFSC sedia Seminário sobre Comunidades Quilombolas e Unidades de Conservação

– Tesouros de terras e sementes

Tags: negrosNUERquilombolas

Encontro sobre escravidão tem inscrições abertas para ouvintes

18/04/2011 16:33

O V Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional, que acontece na UFRGS  (Porto Alegre) entre os dias 11 e 13/05, está com inscrições abertas para ouvintes. O evento ocorre a cada dois anos, reunindo pesquisadores que se dedicam aos temas da escravidão, da liberdade e da pós-emancipação na região sul do país, e neste ano terá 85 comunicações e cerca de 40 pôsteres, além de duas conferências, dois minicursos, uma oficina e uma mesa-redonda dedicada à discussão sobre os acervos históricos disponíveis para o estudo do tema.

Beatriz Gallotti Mamigonian e Henrique Espada Lima, professores do Departamento de História da UFSC e integrantes do Laboratório de História Social do Trabalho e da Cultura integram a organização do evento e destacam a importância que os encontros têm na qualificação dos estudos sobre escravidão e liberdade na região sul. “De 2003 para cá, as monografias, dissertações e teses refletem o amadurecimento metodológico e apresentam grandes contribuições historiográficas. A produção acadêmica dessa área vem contribuindo para os debates nacionais”.

A professora Andréa Ferreira Delgado, do Departamento de Metodologia de Ensino da UFSC, vai ministrar um dos minicursos, intitulado Configurações da Escravidão na História Escolar, discutindo a abordagem da escravidão nos livros didáticos de História e expor resultados da experiência no Estágio Supervisionado de História, em que os acadêmicos preparam materiais didáticos para ministrar temas de História da África, da escravidão no Brasil e de cultura afro-brasileira na educação básica. Alunos de mestrado e de graduação em História da Universidade, entre eles bolsistas do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (PIBIC) vão apresentar comunicações e pôsters no evento.

O evento vai contar também com a participação dos conferencistas convidados Joseph Miller, da Universidade da Virginia (EUA),  e Silvia Hunold Lara, da Universidade Estadual Paulista (Unicamp).

Informações: www.labhstc.ufsc.br/vencontro.htm ou com o Laboratório de História Social do Trabalho e da Cultura (coordenador Prof. Henrique Espada Lima, ramal 8611)

Veja a programação completa – inclusive com artigos disponíveis em pdf – aqui.

Tags: escravosnegros