Administração Central da UFSC emite nota sobre desdobramentos da operação Ouvidos Moucos

18/11/2020 16:06

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina comunica que tomou ciência, com indignação, da notícia sobre o recebimento de denúncia contra os 13 membros de sua comunidade, que seguem sendo citados por envolvimento na chamada operação “Ouvidos Moucos”.

Neste momento, queremos externar nosso total apoio e solidariedade aos servidores que já sofreram abuso de autoridade e aguardam há 1.158 dias a oportunidade de se defenderem juridicamente. Todos são inocentes até prova em contrário, e esperamos que nossos colegas sejam tratados com base nesse princípio constitucional e na Lei Cancellier, a Lei nº 13.869/2019, que coíbe o abuso de autoridade.

A comunidade universitária ainda se recupera dos momentos trágicos que viveu em 2017, vítima de uma operação baseada no abuso de autoridade e que significou uma ruptura com o Estado Democrático de Direito. A cada nova etapa, a UFSC reafirma seus compromissos com a verdade e segue de portas abertas reforçando a transparência e lisura de seus processos.

Assim como acolhemos os membros da nossa comunidade em seu retorno após meses de afastamento de suas funções, os apoiamos e oferecemos todas as condições para que possam se defender dessas infundadas acusações.

Administração Central da UFSC

 

Tags: Administração CentralAdministração Central da UFSCnota da administração centralUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

“Nosso plano é de longo prazo”, afirma Administração Central da UFSC

08/06/2020 12:42

O chefe de gabinete da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Aureo Mafra de Moraes, fez, nesta sexta-feira, 5 de junho, um novo balanço dos trabalhos dos subcomitês, e prevê para a próxima semana a finalização das primeiras propostas, decisões que o Conselho Universitário deverá votar. Na segunda-feira, 8 de junho, haverá a apresentação das conclusões do Subcomitê Científico para o Conselho Universitário e entre 10 e 12 de junho, os relatórios dos demais comitês serão concluídos, para serem votados até o prazo máximo de 30 de junho.

>> Assista aqui ao vídeo com as declarações do chefe de Gabinete

Pelo menos é a previsão para a tomada de decisão sobre a primeira etapa, ou o primeiro ciclo de enfrentamento à Covid-19. Os demais ciclos demandarão mais trabalho dos comitês, mas haverá subsídios para tomar as decisões iniciais sobre atividades não presenciais.

O plano, explica Aureo, é para que a UFSC consiga “desenvolver um projeto que seja perene, que permita à Universidade não apenas enfrentar o imediato e o urgente, mas aquilo que vai nos acompanhar como instituição e como sociedade para além do mês de junho, do mês de julho”. “Isso vai até dezembro. E nós precisamos ter um projeto consistente, e é isso que está sendo elaborado”.

Aureo salientou que é importante que os docentes, técnicos e estudantes respondam ao questionário sobre atividades acadêmicas. “Nós queremos ouvir essa comunidade para saber qual é o tamanho da demanda que nós temos que atender para que nenhum estudante de graduação, de pós-graduação, nenhum técnico, nenhum docente, fique sem conseguir desenvolver as suas atividades no modelo alternativo que for: remoto, com apoio digital”.

Três ciclos

O primeiro relatório do Subcomitê Científico virá com um plano de funcionamento em três ciclos: um primeiro que prevê o isolamento social, trabalho remoto e atividades de ensino por meios digitais; um segundo ciclo que depende de alguns requisitos epidemiológicos para permitir algumas atividades presenciais e outras remotas; e um terceiro ciclo que será colocado em prática quando a pandemia estiver sob controle, de acordo com parâmetros científicos. O detalhamento desse plano será apresentado nesta segunda-feira, ao Conselho Universitário, com transmissão ao vivo pelo YouTube.

“Para esse primeiro ciclo, já saiu inclusive um edital para financiar pelo menos 20 projetos voltados à produção de material didático, à formação de professores, para nos preparar para esse primeiro momento na oferta de ensino por meios digitais”, conta. E esse primeiro ciclo de atividades remotas, ele esclarece, “vai durar o tempo necessário para o nosso comitê científico dizer: ‘Olha, já podemos avançar mais um degrau. Os casos diminuíram, o risco de contaminação diminuiu, os óbitos diminuíram’ e aí a Universidade vai poder começar a trabalhar numa volta gradativa à atividade presencial naquilo que for possível”, complementa.

Para o terceiro ciclo, é impossível estimar quando ele poderá ser implementado, pois prevê que a pandemia esteja controlada. “Mas a Universidade vai estar preparada para isso. Ela vai estar estudando hoje já quais são as possibilidades para que quando chegar o momento”, complementa o gestor.

Mais uma vez, Aureo garantiu que qualquer decisão será comunicada com tempo hábil para que os estudantes que retornaram para as casas de seus familiares possam se organizar, mesmo que seja para as soluções de acesso às tecnologias digitais.

>> Assista aqui ao vídeo com as declarações do chefe de Gabinete

Painel do Grupo de Risco

Aureo também destacou a nova ferramenta de gestão lançada nesta semana – o Painel do Grupo de Risco. Ele demonstrou como funciona o instrumento de trabalho, disponível às chefias, para visualizar um acompanhamento diário da situação da saúde de cada um dos técnicos e docentes lotados na Unidade Acadêmica ou Administrativa.

“Esse tipo de informação, esse tipo de ferramenta, é resultante desse esforço, desse trabalho, dessa dedicação de técnicos, de docentes, de pesquisadores, de trabalhadores desta Universidade para que a gente possa ter soluções não imediatas, mas que nos permitam monitorar o tempo todo a situação de saúde das pessoas e achar soluções perenes que sirvam durante todos os ciclos de combate à pandemia”, concluiu.

>> Saiba mais sobre o Painel do Grupo de Risco na UFSC

Veja abaixo o vídeo completo com as declarações do chefe de Gabinete, Aureo Moraes.

Tags: Administração CentralAureo Mafra de MoraesComitê de Combate à Pandemia da Covid-19coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC segue com atividades suspensas e estipula prazo para decisão sobre o calendário acadêmico

29/05/2020 16:21

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta sexta-feira, 29 de maio,  uma nova prorrogação da suspensão de atividades presenciais de ensino e trabalho administrativo. A Portaria Normativa nº 364/2020/GR prorroga por tempo indeterminado a suspensão das atividades, mas estipula um prazo máximo de 30 dias para decisões sobre a continuidade do semestre e redimensionamento de atividades.

“Nossa intenção é seguir os decretos estaduais e federais, por isso a prorrogação por prazo indeterminado”, explica o reitor Ubaldo Cesar Balthazar. “No entanto, temos urgência nas decisões sobre o calendário acadêmico, nossa comunidade espera respostas, e por isso, o prazo máximo de 30 de junho para termos definições no Conselho Universitário, e eu espero que essas decisões cheguem antes desse prazo”.

O prazo inclui a conclusão de diagnósticos, coleta de informações e produção de indicadores, que apontem condições plenas de oferta de alternativas a atividades de ensino, em todos os níveis e modalidades, em todas as unidades da UFSC, ouvidos os Comitês e Subcomitês, com produção de normativa a ser apreciada pelas instâncias correspondentes e aprovada pelo Conselho Universitário, até 30 de junho.

Segundo a portaria, estão suspensas por prazo indeterminado, as atividades de ensino em todos os níveis e modalidades, exceto as atividades de ensino já realizadas integralmente a distância (cursos 100% EaD). Estão suspensas também qualquer atividade acadêmica presencial, como bancas, concursos, reuniões, entre outras, além do expediente presencial nas atividades técnicas e administrativas em todas as unidades da UFSC, exceto nos setores de saúde, segurança e nas situações de caráter inadiável e essencial.

Tags: Administração CentralcoronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central publica nota sobre atividades de ensino de Pós-Graduação

27/05/2020 18:56

O reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Ubaldo Cesar Balthazar e a pró-reitora de Pós-Graduação, Cristiane Derani, divulgaram nota oficial acerca das atividades de ensino da pós-graduação na Universidade.

Confira, abaixo, na íntegra:

Nota à Comunidade Universitária

O Reitor, Ubaldo Cesar Balthazar, e a Pró-Reitora de Pós-Graduação, Cristiane Derani, esclarecem que, com relação à deliberação da Câmara de Pós-Graduação (CPG), aprovada nesta quarta-feira, 27 de maio, não há nenhuma decisão de retorno imediato às atividades de ensino nos Programas de Pós-Graduação da UFSC. Foi aprovada a possibilidade de utilização de ensino remoto em consonância com as futuras decisões da Administração Central.

Destacam ainda, que há uma Portaria Normativa vigente até 31 de maio, que suspende todas as atividades de ensino, em todos os níveis e modalidades, em virtude da pandemia de Covid-19. Atualmente está em pleno funcionamento, na UFSC, um modelo de governança, formado por subcomitês, para avaliar, planejar e propor alternativas a todas as atividades – administrativas e acadêmicas – da Universidade neste momento crítico.

Portanto, foi aprovado na CPG um instrumento de identificação das condições de oferta e demanda de acesso a estudantes e docentes, além da possibilidade de “uso de Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para a realização de atividades de ensino remoto na pós-graduação stricto sensu, durante o período de suspensão das atividades presenciais na UFSC, em virtude da pandemia de Covid-19″.

Antes de publicar essa Resolução, o documento será apresentado para avaliação de subcomitês e sua aplicação efetiva dependerá, ainda, da Portaria Normativa do Reitor, a ser publicada nesta sexta-feira.

Por fim, alertamos toda a comunidade que a UFSC não admitirá notícias levianas e irresponsáveis que imputem à instituição qualquer decisão precipitada.

Ubaldo Cesar Balthazar
Reitor da UFSC

Cristiane Derani
Pró-Reitora de Pós-Graduação da UFSC

Tags: Administração CentralCâmara de Pós-GraduaçãoComitê de Combate à Pandemia da Covid-19coronavírusPró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central informa sobre mudanças em próxima folha de pagamento

15/05/2020 14:06

A Administração Central da UFSC encaminhou, nesta quinta-feira, 14 de maio, um Ofício Circular aos servidores docentes e técnico-administrativos em Educação, bem como aos sindicatos das duas categorias – Sintufsc e Apufsc-Sindical – esclarecendo procedimentos que serão tomados na próxima folha de pagamento. Serão medidas que afetam o pagamento dos benefícios de auxílio transporte, adicionais ocupacionais, adicional noturno e serviço extraordinário aos servidores que estejam executando suas atividades remotamente ou que estejam afastados de suas atividades presenciais.

As medidas são do Ministério da Economia, que editou, em 26 de março, a Instrução Normativa nº 28/2020, vedando o pagamento desses auxílios. A próxima folha de pagamento, relativa ao mês de maio, virá com o desconto para todos os servidores da UFSC que percebiam esses benefícios. O desconto referente aos meses de março e abril, no entanto, será aplicado apenas a um grupo de servidores, graças à concessão de tutela de urgência, por parte da Justiça Federal, em uma ação movida pelo Sintufsc. A Apufsc-Sindical aguarda a análise de um pedido de liminar no Tribunal Regional Federal da 4ª Região para sustar os efeitos e a aplicação da Instrução Normativa. O sindicato busca, além da suspensão da norma, a eventual devolução em folha em caso de desconto dos benefícios.

Receberão o desconto referente a maio, abril e março os docentes da UFSC que não são filiados ao Sintufsc. A categoria dos técnicos administrativos e docentes filiados ao Sintufsc receberão apenas o desconto referente a maio. A folha de pagamento foi processada e o desconto já aparece na prévia do contracheque. A Prodegesp fará contato individualizado com cada servidor que terá o benefício descontado.

O juiz federal Diógenes Tarcísio Marcelino Teixeira escreveu que “Mesmo na hipótese de a Administração ter pago equivocadamente as rubricas em comento aos servidores (ponto que não é discutido nesta ação), a aparência de legalidade e de boa-fé dos substituídos (nada indica o contrário) consolidam a situação e obstam a imposição administrativa de ressarcimento. Ante o exposto, defiro a tutela de urgência para determinar que a ré se abstenha de realizar descontos nas remunerações dos substituídos referentes às rubricas auxílio-transporte, adicional de insalubridade, adicional de irradiação ionizante, adicional de periculosidade e gratificação de raio-x, pagas nos meses de março e abril de 2020”.

>> Leia a íntegra da concessão de tutela de urgência

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (Prodegesp) informa que aguarda o parecer da força executória da Procuradoria Federal do Estado de Santa Catarina. Com base nesse documento, a Prodegesp irá notificar o Ministério da Economia.

Dados

A Administração Central informa, semanalmente, ao Ministério da Economia, os dados sobre o número de servidores que estão em trabalho remoto, assim como sobre os efetivamente contaminados com o vírus e, inclusive, os que se encontram em situação de isolamento por suspeita ou qualquer outro tipo de medida de precaução.

 

Mais informações: 
https://prodegespcoronavirus.ufsc.br/

 

[Matéria atualizada em 18 de maio, às 18:25 com informações da Apufsc-Sindical e Prodegesp]

Tags: Administração CentralApufsc-SindicalcoronavírusMinistério da EconomiaPró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas (PRODEGESP)SintufscUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central debate calendário acadêmico e assistência estudantil em audiência pública

09/05/2020 14:19

Uma audiência pública on-line, convocada pelas entidades estudantis reuniu membros da Administração Central da UFSC, do Diretório Central dos Estudantes (DCE/UFSC) e da Associação de Pós-Graduandos (APG/UFSC) nesta sexta-feira, 8 de maio. Foi a segunda audiência pública voltada ao público estudantil desde o início da suspensão de atividades devido à pandemia de Covid-19. Em pauta, as consequências da pandemia no orçamento da UFSC, na alimentação dos estudantes e no andamento do calendário acadêmico.

A audiência foi transmitida ao vivo e teve a duração de mais de duas horas e meia. O vídeo da audiência na íntegra está disponível no YouTube.

A gestão da UFSC foi representada pelo pró-reitor de Assuntos Estudantis (Prae), Pedro Manique Barreto, o pró-reitor de Graduação (Prograd), Alexandre Marino Costa, o secretário de Planejamento e Orçamento (Seplan), Fernando Richartz, e o chefe de Gabinete da Reitoria, Áureo Moraes. O reitor Ubaldo Cesar Balthazar participou de parte da reunião, mas teve problemas técnicos e precisou retirar-se. A APG foi representada pela estudante Paola Villa e o DCE, por Danielle Braz. 

Orçamento e Auxílio Emergencial

O primeiro tópico abordado, após a leitura de duas cartas das entidades estudantis, foi a questão orçamentária. O secretário da Seplan apresentou os números atualizados do orçamento da UFSC, e trouxe informações sobre o pagamento do auxílio emergencial pago aos estudantes de graduação em situação de vulnerabilidade. O auxílio, no valor de R$ 200, foi pago em março e abril, e haverá um novo edital em maio. Richartz esclareceu que não é possível aumentar esse valor, conforme reivindicam os estudantes, visto que não haveria recursos para tal. 

A UFSC, com os campi fechados, não está arrecadando recursos que são usados no orçamento de assistência estudantil, explicou o secretário. Com a suspensão de atividades, a Universidade manteve os pagamentos aos terceirizados, e as bolsas estudantis, PIBE, de pesquisa e de extensão. Ao mesmo tempo, deixou de arrecadar valores que iriam diretamente para a alimentação dos estudantes, como a venda de passes dos Restaurantes Universitários (receita aproximada de R$ 729 mil mensais) e os aluguéis de espaços para restaurantes e lanchonetes. A Universidade também doou aos estudantes os alimentos que haviam sido comprados no início do semestre, e precisará de recursos para efetuar uma nova compra quando for retomar as atividades.

“Na última audiência pública nós não tínhamos condições de visualizar o impacto orçamentário com a suspensão. Agora sabemos que o mês de abril teve queda de arrecadação própria de R$ 3 milhões,” explicou o secretário. 

A Administração Central assumiu o compromisso de disponibilizar informações sobre o orçamento da UFSC no site da Seplan. Também comprometeu-se a manter o auxílio emergencial em editais mensais, enquanto perdurar a suspensão. Richartz esclareceu que a suplementação orçamentária que a UFSC recebeu do Ministério da Educação para o pagamento dos auxílios será suficiente para cobrir os custos do edital de maio, mas que caso seja necessário manter o pagamento em meses subsequentes, os recursos sairão do orçamento da instituição. 

O pró-reitor de Assuntos Estudantis, Pedro Manique Barreto, falou sobre o cadastro socioeconômico, simplificado para abranger mais pessoas neste momento de necessidade. Segundo ele, uma nova atualização no sistema de cadastro será implementada, com melhorias para incluir mais beneficiários. A Prae já possibilita o cadastro de calouros, e abrirá a possibilidade de cadastro também para aqueles que não eram considerados público-alvo, mas em consequência da pandemia, entraram em vulnerabilidade socioeconômica. “Estamos fazendo mudanças para que a interface com os estudantes fique mais amigável,” salientou.

Questionado sobre a possibilidade de incluir também os estudantes da Pós-Graduação, Manique explicou que essa medida da Prae tem como público-alvo os estudantes de graduação presencial, e que esta é uma limitação legal.

Distribuição de Alimentos

Os estudantes também questionaram a Administração Central sobre a distribuição dos alimentos doados e entregues ao DCE. O pró-reitor relatou como foi o contato, feito com a Frente Estudantil de Segurança Alimentícia (FESA) e o DCE, para oferecer alimentos que estavam estocados no RU. Os estudantes indagaram sobre a dificuldade em distribuir os produtos alimentícios. “Nunca nos eximimos da responsabilidade, procuramos a FESA e o DCE para doar alimentos uma vez que a distribuição já vinha sendo feita”, esclareceu.

Parte dos alimentos doados ao DCE foi distribuída a comunidades carentes de Florianópolis, em uma iniciativa com o Movimento Nacional de Luta pela Moradia. No momento não há mais alimentos no estoque do RU. Manique explicou que só é possível uma das opções – ou se implementa o apoio emergencial, ou se faz a doação de alimentos daqui por diante. 

O chefe de Gabinete, Áureo Moraes, disponibilizou às entidades o transporte e os equipamentos de proteção individual (EPIs) para a entrega de alimentos, mas pediu que as solicitações sejam feitas com antecedência, de modo planejado. Moraes explicou que os motoristas da UFSC estão afastados do serviço por estarem em grupo de risco para a Covid-19.

Calendário Acadêmico

As entidades também pediram um esclarecimento sobre o andamento do calendário acadêmico com mais de 50 dias de suspensão, com a grande probabilidade de ser estendido por ainda mais tempo. A APG e o DCE são favoráveis à suspensão do semestre letivo, no entanto, sem nenhum tipo de prejuízo aos estudantes. O posicionamento das entidades também é contrário ao uso de Ensino a Distância (EaD) como substituição às aulas presenciais.

O chefe de Gabinete pediu cautela. Ressaltou que as aulas presenciais estão suspensas, e as aulas em EaD que já eram dessa modalidade estão mantidas, mas não há decisão sobre a adoção de ensino remoto emergencial. “Lidamos com variáveis complexas, uma Universidade deste tamanho, as nossas decisões irradiam para a sociedade como um todo,” disse. Os levantamentos sobre possibilidades de ensino remoto estão acontecendo nos departamentos, como forma de estudar todas as opções possíveis.

O pró-reitor de Graduação, Alexandre Marino Costa, disse que as medidas que estão sendo tomadas no momento são as de planejamento e estudo, principalmente com a criação de comitês e subcomitês anunciada no início da semana e na entrevista do reitor à TV UFSC. Marino mencionou um parecer do Conselho Nacional de Educação, que autoriza atividades não-presenciais de ensino, e pressões da sociedade por alguma resposta, que esteja fundamentada em dados concretos. 

“É muito claro para a gente que não temos condições de fazer atividades não presenciais com aulas que seriam práticas, como as aulas de campo, laboratoriais. Mas isso temos que dizer por números, sem achismos. Existe a possibilidade de ter conteúdos não-presenciais, nas disciplinas teóricas? Precisamos perguntar aos professores, e aos estudantes dessas disciplinas,” disse Marino. “Estamos no momento das perguntas, teremos um subcomitê acadêmico e outros comitês, para tomar decisão com a representatividade também das entidades. A sociedade, o MPF, podem nos questionar que dados temos para tomar as decisões que tomamos. Então vamos tomar decisões quando tivermos as informações, e aí as submetemos aos órgãos colegiados”, complementou o pró-reitor.

Sobre a suspensão ou o cancelamento do semestre, o chefe de Gabinete acrescentou que se avalia todas as possibilidades. O Departamento de Administração Escolar (DAE) já preparou três cenários possíveis para a reposição do semestre 2020.1. Considera-se a suspensão de 30, 60 e 90 dias. Até o limite de 90 dias de suspensão, no entendimento da Administração Central, será possível ajustar o calendário para que o semestre não seja cancelado.

Áureo explicou que, se for o caso, seria feita uma suspensão do semestre, e não um cancelamento, que geraria consequências no pagamento de bolsas, realização de formaturas,  etc. “Todo dia a gente avalia a situação deste dia e projeta o dia seguinte. A única decisão firmada é que a Universidade irá respeitar bases científicas para a sua decisão. Esta é uma oportunidade para que a gente possa conhecer as realidades da UFSC. Nos tira o sono as pessoas preocupadas com aluguel, subsistência. Só peço pra vocês: tenham cautela”, salientou Áureo. 

Áureo também lembrou que está vigente o Decreto Estadual nº 587/2020, que suspende, por tempo indeterminado, “as aulas nas unidades das redes pública e privada de ensino, municipal, estadual e federal, incluindo educação infantil, ensino fundamental, nível médio, educação de jovens e adultos (EJA), ensino técnico e ensino superior, sem prejuízo do cumprimento do calendário letivo, o qual deverá ser objeto de reposição oportunamente”. 

O chefe de Gabinete concluiu dizendo que a Administração Central da UFSC terá que preparar um planejamento de ações e trazer respostas às indagações sobre o Ensino até o final do mês de maio, quando expira o prazo de suspensão da atual portaria da UFSC. 

Tags: Administração CentralAPGcoronavírusDCEGabinete da ReitoraPró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE)Pró-reitoria de Graduação (Prograd)Secretaria de Planejamento (Seplan)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central da UFSC anuncia medidas e comitês para nortear retorno às atividades

04/05/2020 12:24

O reitor Ubaldo Cesar Balthazar divulgou, nesta segunda-feira, 4 de maio, um vídeo no qual afirma haver chegado o momento de “avaliar, planejar e propor medidas que permitam à UFSC verificar as condições de continuidade ou retomada de suas atividades, diante da nova realidade”. O plano, segundo detalha a Administração Central, é formar comitês para planejar os diferentes aspectos de uma retomada, ainda sem data para acontecer.

>> Assista aqui ao vídeo do reitor Ubaldo Cesar Balthazar

O reitor, no vídeo, ressaltou o importante papel que a UFSC vem conduzindo no enfrentamento à Covid-19, destacando mais de 200 matérias publicadas pela Agecom, resultado do “trabalho de nossos docentes, técnicos e estudantes, em ações de solidariedade, produção de insumos e equipamentos que ajudaram e continuam ajudando no combate à Covid -19”, disse. “Nossos trabalhadores do Hospital Universitário – que aliás, completou 40 anos – fizeram toda a diferença: acolhendo, atendendo, cuidando da vida das pessoas e valorizando ainda mais o sistema público de saúde. Tudo isso nos deixa muito orgulhosos”, salientou.

As medidas a serem tomadas pela UFSC serão norteadas pela ciência, afirma o chefe de Gabinete Áureo Moraes. “As premissas para o retorno às atividades presenciais derivam de um exaustivo e rigoroso estudo já realizado por um grupo de pesquisadores (das áreas de Engenharia, Infectologia, Matemática, Física, Estatística), que vêm fornecendo elementos objetivos e de apoio a decisões”, salienta. Outros pesquisadores poderão fazer parte desse comitê para dar embasamento científico às decisões.

>> Confira aqui algumas das diretrizes científicas para a tomada de decisão da UFSC

Nas últimas semanas, pró-reitores, secretários e equipe do Gabinete da Reitoria tem estudado o perfil epidemiológico da Covid-19, com auxílio dos pesquisadores, e confrontado as recomendações da ciência para este momento com estudos sobre a UFSC: infraestrutura, questões acadêmicas e dos discentes e o panorama administrativo, entre outras questões. A resposta será, segundo aponta a Administração Central, um processo de planejamento de ações, encaminhamento de propostas para a devida normatização de procedimentos e rotinas, nas diferentes instâncias deliberativas da instituição.

O reitor assegurou que os comitês, que serão “um comitê central e um comitê assessor; e cinco comitês temáticos: científico, de comunicação, administração e infraestrutura, um acadêmico e um de assistência” terão a participação “de gestores e representantes das entidades de docentes, técnicos e estudantes”. 

“A hora é de estarmos, todos juntos, para pensar a Universidade, com participação e colaboração de todos e todas”, salientou o reitor em seu vídeo. 

Premissas e propostas

A intenção neste momento, segundo o chefe do Gabinete da Reitoria, Áureo Moraes, é ter uma base sobre a qual começar a planejar o retorno às atividades. Mas, ele ressalta, é preciso ter flexibilidade, pois a situação da pandemia ainda é incerta. “Não estamos trabalhando com uma data de retorno, apesar de termos uma portaria em vigor que estipula a suspensão até 31 de maio”, salienta. “Toda e qualquer decisão deve considerar que o processo em torno da doença está em andamento, não se esgota no curto prazo, e as medidas adotadas devem considerar essa transitoriedade, assumindo sempre o caráter de reversibilidade”, complementa.

“As condições de retorno devem ser consideradas numa perspectiva inteiramente inédita: não é possível voltar ao normal! Há que se estabelecer um ‘novo’ normal: adaptado, adequado e inserido em outra realidade. É necessário que se entenda a situação como um marco na cultura organizacional e nos ambientes de trabalho”, explica Áureo. 

A UFSC deverá trabalhar seu planejamento em fases: uma transição inicial, a consolidação das atividades neste novo panorama e, aos poucos, a restituição desta “nova” normalidade. E todas as decisões deverão seguir o caráter científico e o papel dos pesquisadores no processo decisório.

Por isso será necessário estudar todos os aspectos da instituição. Em entrevista à Agecom, o pesquisador Oscar Bruna-Romero falou um pouco sobre a importância em se obter informações sobre todos os processos da instituição, para que, munidos de informação, os dirigentes possam tomar as decisões com embasamento. 

>> Confira vídeo da entrevista com o pesquisador Oscar Bruna-Romero

O estudo desses aspectos, explica o chefe de Gabinete, será delegado aos comitês e subcomitês que serão formados nos próximos dias. “Será um esforço que demandará uma ampla conformação de toda a comunidade universitária, associado ao diálogo institucional com prefeituras e governos – estadual e federal – permitindo que a retomada de atividades seja combinada com medidas externas à UFSC, sob pena de não ser possível estabelecer a nova normalidade como um todo”, salienta Áureo.

Nesta semana, o reitor voltará a reunir-se com sua equipe de gestão e outras instâncias para apresentar as propostas. Uma Portaria Normativa será apresentada com o detalhamento sobre o Comitê de Combate à Pandemia de Covid-19 e as atribuições dos subcomitês. 

 

 

Acompanhe as notícias sobre o combate ao Coronavírus na UFSC no site http://coronavirus.ufsc.br 

 

Tags: Administração CentralComitê de Combate à Pandemia da Covid-19coronavírusreitor Ubaldo Cesar BalthazarUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC seguirá orientações científicas para planejar retorno às atividades presenciais

04/05/2020 12:22

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) vai acompanhar atentamente a evolução da pandemia de Covid-19 e seguir recomendações científicas ao elaborar um plano de retorno das atividades presenciais. A decisão está sendo tomada pela Administração Central e discutida com os gestores e diretores dos Centros de Ensino da Universidade nas últimas semanas.

Nesta segunda-feira, 4 de maio, o reitor Ubaldo Cesar Balthazar declarou estar criando comitês específicos para tratar de temas relativos às atividades da UFSC durante a pandemia. Haverá um comitê central e um comitê assessor, e cinco comitês temáticos: científico, de comunicação, administração e infraestrutura, um acadêmico e um de assistência. O reitor anunciou que os comitês serão formados por gestores e representantes das entidades de docentes, técnicos e estudantes. 

>> Assista aqui, ao pronunciamento do reitor Ubaldo Cesar Balthazar

Será, necessariamente, um planejamento de longo prazo, com a adoção gradual de medidas. Cada medida tomada será monitorada por um certo tempo, podendo ser modificada ou mesmo revertida se tiver impacto que possa colocar em risco a saúde das pessoas envolvidas. Esse processo exigirá um levantamento detalhado de informações sobre a comunidade universitária, os processos e as atividades acadêmicas e administrativas da UFSC. Essas diretrizes, afirma a Administração Central, têm foco, em primeiro lugar, na preservação da integridade da comunidade universitária.

Os pressupostos e as diretrizes a serem consideradas na elaboração do plano de retomada das atividades presenciais foram definidos com base em estudos científicos, principalmente a assessoria de um grupo de engenheiros, matemáticos, físicos e outros profissionais da UFSC, Univille e Univali, com a participação do professor Oscar Bruna-Romero, do Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia (MIP/CCB) da UFSC, que desde o início de março tem municiado a instituição com informações epidemiológicas para a tomada de decisões. Esse grupo estuda e analisa o comportamento da pandemia em Santa Catarina por meio de modelagens matemáticas, e publica neste site suas análises, notas técnicas e metodologia. Parte desse grupo deverá compor o comitê científico a qual o reitor se refere no vídeo, porém há a possibilidade, ainda, de ampliar o escopo de análise, incrementando o comitê científico com pesquisadores de outras áreas da UFSC.

>> Assista aqui a um vídeo com trechos da entrevista com o professor Oscar Bruna-Romero

O reitor Ubaldo, em seu pronunciamento, fala de um “novo normal”, de uma construção da UFSC a partir da pandemia. O professor Bruna-Romero também aponta que planejar uma retomada não significa pretender uma volta à normalidade, a um estado de coisas como tínhamos antes da pandemia. Segundo o professor, as pessoas têm dificuldades de lidar com a temporalidade dessas doenças que se estendem por muito tempo. “A gente fica com uma ansiedade enorme de estar isolado no domicílio, de não poder fazer as coisas que a gente fazia antes”.

Nesta fase da pandemia, provavelmente teremos que enfrentar vários meses de restrições e limitações de atividades. Estudos indicam, ainda, que o mundo poderá enfrentar outros episódios (ondas) da Covid-19 durante dois ou três anos. “Existe a possibilidade de termos que entrar e sair em períodos de isolamento, alternadamente”. Por isso, o professor salienta que todos devem pensar numa “nova normalidade”, que considere as possibilidades de trabalho remoto, atividades em grupos menores e outras formas alternativas de trabalho. “Isso leva à necessidade de planejamentos de processos, planejamentos institucionais”.

Diretrizes

Em um documento apresentado à Administração Central da UFSC, o grupo de pesquisadores propõe a adoção de algumas diretrizes e pressupostos a serem considerados no planejamento do retorno. Pode ser que outras orientações sejam apresentadas também pelos comitês responsáveis pelo planejamento.

Faixa etária – O estudo destaca que grande parte dos contaminados pela Covid-19 concentram-se numa faixa etária que compreende jovens e adultos (76% no grupo entre 20 e 59 anos), mas que a letalidade é maior em pessoas mais idosas (67% entre as pessoas com mais de 60 anos). Esses dados indicam que a preferência de retorno presencial deve ser dada às pessoas mais jovens.

Comorbidades – São outras doenças preexistentes. Nestes casos, é necessário observar especialmente portadores de doenças pulmonares crônicas, como a asma, cardiopatas e pessoas com diabetes e pressão arterial elevada. Independentemente da idade, essas pessoas têm mais riscos de desenvolver a forma grave da doença, por isso devem ser preservadas e receber um tratamento diferenciado. Ressalta-se, também, que a Administração Central estuda outras necessidades especiais, como a coabitação com pessoas idosas ou com comorbidades, ou ainda, famílias com crianças em idade escolar que não podem voltar às escolas em razão da pandemia.

Divisão em grupos – Essa proposta, baseada na experiência de alguns países que estão iniciando um processo de retorno às atividades econômicas e sociais, sugere a divisão dos grupos em subgrupos de 1/3. Nesta proposta, aplicada às aulas, um terço teria atividades presenciais pela manhã, um terço à tarde e um terço ficaria em casa, realizando atividades de forma remota. Essas proporções podem ser adaptadas à realidade da UFSC (um terço por semana, um terço por dia, a depender das características de cada curso ou setor). Pode-se inclusive adotar outras proporções, como 1/4 ou até menores. “Cada atividade deverá encontrar a melhor forma de divisão, mas continuarão em vigor as demais precauções, como o distanciamento entre as pessoas, a ventilação dos ambientes”, alerta o professor Bruna-Romero.

Passaporte de imunidade – Por falta de evidências científicas até o momento, os pesquisadores recomendam que a Universidade não adote o chamado “passaporte de imunidade” para dar preferência a essas pessoas no retorno às atividades. Em muitas doenças, os pacientes curados adquirem imunidade ao agente infeccioso. Mas isso não está comprovado para a Covid-19. Segundo o professor Bruna-Romero, apenas uma parte da população que enfrentou a doença adquire os anticorpos para ficar imune. “Observa-se que há pacientes reinfectados ou que se reativa neles a infecção poucas semanas após terem passado pela primeira”. Como não há dados confiáveis sobre o contágio e não é possível dimensionar a parcela da população que realmente ficou imune, o chamado “passaporte de imunidade” deve ser desconsiderado.

Informação – Segundo o professor Bruna-Romero, as pessoas que estão sujeitas à contaminação precisam saber a todo momento qual é a situação da doença. “A UFSC deverá se comunicar com seus membros de maneira intensa e extensa, para que eles saibam qual é o risco e como a Universidade está agindo a respeito disso”. Para isso, a UFSC deverá usar de recursos de comunicação e criar grupos para responder às dúvidas da comunidade. “Transparência e comunicação serão fundamentais para envolver a comunidade no retorno”.

Transição

O caminho até a nova normalidade deverá seguir três fases, segundo propõe o professor. Nas primeira fase, a de transição inicial, será preciso adaptar processos. “Não podemos mudar de hoje para amanhã todo o procedimento do que estava instituído na UFSC”, diz o professor, citando que existem planos de ensino, semestres a serem cumpridos e exigências legais e normativas que precisam ser observadas. “Temos que considerar o que já existe, absorver isso e adaptar para chegar à nova normalidade. Isso exigirá de todos altas doses de planejamento, vai requerer uma flexibilidade que às vezes não estamos acostumados”.

Após as adaptações, o estudo sugere uma fase de consolidação das atividades, um período para verificar se as adaptações dos processos e atividades acadêmicas e administrativas funcionam no novo formato, e recertificar as mudanças feitas. Se constatado que tudo isso funciona e atende às exigências e requisitos, isso será a nova normalidade.

Para a elaboração de um planejamento consistente será necessário “dissecar” a Universidade, segundo Bruna-Romero. “Nestes momentos de transição e consolidação a gente vai precisar conhecer a Universidade muito melhor do que a gente conhece na atualidade”, afirma. As atividades de cada um, de cada Centro de Ensino, cada matéria, cada tipo de especialidade, cada tipo de pesquisa terão que ser conhecidos em detalhes. Além disso, o planejamento deverá levar em conta o estado geral da saúde das pessoas da comunidade universitária, suas debilidades. “A universidade, por definição, é um universo de possibilidades, e a gente não conhece todas elas”.

Qualquer ação de retomada de atividades presenciais exigirá articulação com outras instituições e com as diferentes esferas de governo. O professor Bruna-Romero cita a relação de interdependência entre a UFSC e as cidades que abrigam seus campi. Haverá a necessidade de diálogo com as administrações dessas cidades a respeito do funcionamento dos transportes coletivos, das estratégias de alimentação da comunidade universitária, entre outros pontos. “Podemos precisar de várias adaptações no ambiente onde a Universidade está, e essas adaptações dependem da  colaboração das prefeituras”, destaca o pesquisador.

Uma das tarefas mais complexas do plano será estabelecer prazos e cronogramas, mas é certo que o planejamento deverá ter um horizonte de vários meses. Será necessário definir quanto tempo se levará nesse processo de retorno às atividades presenciais e também qual será o momento adequado para iniciar este retorno. Esse momento de início do retorno deverá ser definido primordialmente pelo risco à saúde das pessoas. “Não sabemos em que momento poderemos marcar a data inicial de retorno. Só poderemos marcar a data quando tivermos conhecimento suficiente para afirmar que não estamos colocando em risco a vida dos membros da UFSC”, ressalta o pesquisador. Para isso será preciso acompanhar a evolução da pandemia.

Aulas

Em relação às aulas e outras atividades acadêmicas, o retorno às atividades presenciais deverá cercar-se de vários cuidados. O distanciamento entre as pessoas é uma medida que deverá estar presente no cotidiano da Universidade durante muito tempo ainda, por isso deve-se evitar qualquer atividade que represente uma aglomeração. “Não poderemos ter aulas presenciais com a mesma quantidade de alunos juntos no mesmo espaço; não poderemos ter o Restaurante Universitário com a mesma quantidade de pessoas almoçando ou jantando junto ao mesmo tempo. A mesma coisa para a Biblioteca Universitária, festas e solenidades”, destaca o professor.

Além do distanciamento entre os alunos e destes com os professores, várias outras coisas devem ser consideradas para retorno às aulas presenciais, tais como a ventilação adequada das salas, a necessidade ou não do uso de máscaras por alunos e professores, a necessidade do uso de microfones, a forma de apresentação de perguntas. “Existem mecanismos de todo tipo para evitar o contágio dessa doença e deverão ser todos considerados”. 

Outro fator muito importante é o estado de saúde de todos os que estarão participando das aulas presenciais. Será necessário adotar medidas e cuidados para que nenhuma pessoa doente possa estar em sala de aula. “O conjunto de medidas deverá ser suficiente para a proteção de todos que estejam assistindo ou ministrando as aulas”.

Vídeo

A equipe da Agecom editou os principais trechos da entrevista, via internet, com o professor Oscar Bruna-Romero. Confira abaixo.

 

Saiba mais:
Site Covid-19 SC/Brasil

 

 

Luís Carlos Ferrari / Agecom / UFSC

Tags: Administração CentralcoronavírusCovid-19Covid-19 em Santa CatarinaOscar Bruna-Romeroreitor Ubaldo Cesar BalthazarUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

HU 40 anos: reitor e vice-reitora da UFSC homenageiam Hospital Universitário

02/05/2020 07:44

O Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU/UFSC), completa neste sábado, 2 de maio, 40 anos de atividade. Nesta data, o reitor Ubaldo Cesar Balthazar e a vice-reitora Alacoque Lorenzini Erdmann, divulgam notas oficiais comemorativas à excelência do HU, sua história e importância acadêmica e social.

O reitor Ubaldo salienta o orgulho de fazer parte da história do HU, e a relevância e profissionalismo do Hospital para enfrentar a crise de saúde pública que o mundo enfrenta no momento. “Tenho certeza que estamos preparados para estes tempos difíceis que atravessamos, graças às últimas quatro décadas de história e profissionalismo. Parabéns à família do HU, pela determinação, profissionalismo e garra, que estão sendo mostrados agora. Vamos em frente, sempre com a história como inspiração.”, destaca em seu texto o reitor Ubaldo.

A vice-reitora Alacoque, gestora a qual o Hospital está vinculado administrativamente na UFSC, e profissional e pesquisadora da área da saúde, ressalta o prestígio e qualidade acadêmica, bem como a missão do HU. “Nestes 40 anos viabilizamos a formação de expressivos números de profissionais da saúde. Graduamos enfermeiros, farmacêuticos, fonoaudiólogos, médicos, nutricionistas e odontólogos. Residentes, especialistas, mestres, doutores pesquisadores dos cursos de graduação e dos 11 programas de pós-graduação, com destaque para o primeiro doutorado profissional criado na UFSC”, enumerou. Alacoque também agradece em seu texto aos usuários assistidos, aos trabalhadores da saúde, gestores e demais servidores, juntamente com a gestão da Ebserh. 

A nota do reitor e da vice-reitora podem ser lidas na íntegra, abaixo.

Na última quinta-feira, 30 de abril, o HU divulgou uma nota de seu Colegiado Executivo, além de um vídeo institucional, com depoimentos de Pedro Ilton Costa, paciente do Hospital, que passou por um transplante de fígado, e a equipe que o atendeu. Além disso, apresenta fotos históricas da instituição, recuperadas do acervo do hospital e da Agência de Comunicação (Agecom) da UFSC.

Assista ao vídeo dos 40 anos:

Confira as fotos históricas na página do HU 40 anos

(mais…)

Tags: Administração CentralcoronavírusHospital UniversitárioHUUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Coronavírus: UFSC prorroga suspensão de atividades presenciais até 8 de abril

31/03/2020 16:32

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), por meio da Portaria nº 356/2020/GR, prorroga por mais sete dias a suspensão do expediente presencial na instituição, adiando a data de possível retorno das atividades administrativas presenciais para 8 de abril. As atividades de ensino (aulas presenciais e a distância) seguem suspensas de acordo com portaria anterior.

A medida faz-se necessária mediante as ações do governo Federal e Estadual frente à pandemia Covid-19 e o combate à proliferação do Coronavírus em Santa Catarina. As atividades que permanecem são aquelas nos setores de saúde, segurança e nas situações de caráter inadiável e essencial.

As aulas foram suspensas em 18 de março, pela Portaria Normativa da UFSC, nº354/2020, que determinou “a suspensão, por 30 (trinta) dias, das atividades de ensino, em todos os níveis e modalidades e em todas as unidades da UFSC”.

Para mais informações sobre as medidas contra o Coronavírus na UFSC, acesse o site.

Para mais informações sobre as medidas do Governo do Estado de Santa Catarina, acesse o site.

Tags: Administração CentralcoronavírusCovid-19UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Reitor da UFSC faz balanço de primeiras medidas contra a Covid-19

30/03/2020 17:38

“A UFSC não está parada. Pelo contrário: está muito viva e em defesa intransigente da vida”. A frase é do reitor Ubaldo Cesar Balthazar, ao fazer uma avaliação das últimas duas semanas. O sentimento e a participação ativa da Universidade Federal de Santa Catarina neste momento de crise aparece em inúmeras ações espontâneas na comunidade universitária desde que foram adotadas as medidas de enfrentamento à pandemia de Coronavírus pela Instituição.

Logo na primeira semana de março, antes ainda do início das aulas, a Universidade constituiu um comitê com gestores e especialistas que tem orientado as medidas. Desde as informações iniciais de cuidados e prevenção, passando pela suspensão de eventos e aglomerações, a UFSC avançou rapidamente até a suspensão das aulas, no dia 16 de março. A partir dessa data também Prefeituras e o Governo do Estado adotaram medidas semelhantes de isolamento social.

O reitor reconhece que há um “papel essencial das esferas municipais e estadual”, e destaca que há, em comum com a UFSC, “a preocupação com a saúde das pessoas e com o respeito às orientações dos especialistas”. “Foi a partir de manifestação de pesquisadores e de respostas, por exemplo ao Ministério Público Estadual, sobre os impactos de flexibilizar o isolamento, que a Universidade apoiou decisões e, claro, manteve as suas medidas”, explica Ubaldo.

Além disso, inúmeras iniciativas de grupos, gestores e pesquisadores mostram que o enfrentamento à pandemia passa, necessariamente, pelas Instituições Públicas. “Desde o apoio à realização de exames, produção de equipamentos médicos de emergência, e equipamentos de proteção como máscaras e álcool 70 líquido e em gel, ações solidárias, apoio a estudantes vulneráveis, as Instituições Federais de Ensino Superior (IFES) têm protagonizado o espaço que lhes é próprio”, salienta o reitor.

Ubaldo lembra que as atividades administrativas seguem funcionando, essencialmente por trabalho remoto, à exceção das áreas de saúde e segurança. “Mas nem por isso as demandas deixam de ser atendidas”, ressalta.

O reitor anunciou que, nesta terça-feira, 31 de março, será publicada nova Portaria Normativa que irá prorrogar por mais uma semana a suspensão das atividades, conforme decretos de prefeituras e do Governo do Estado. As aulas seguem suspensas conforme Portaria anterior, que estipulou um prazo de 30 dias de suspensão. Também nesta terça o reitor se reunirá, via videoconferência, com a sua equipe de gestão, pela manhã, e com diretores dos Centros de Ensino à tarde. Em pauta estará o balanço das primeiras medidas e uma avaliação de futuras ações.

Assista ao vídeo que o reitor Ubaldo gravou com uma mensagem à comunidade acadêmica:

Tags: Administração Centralcoronavírusreitor Ubaldo Cesar BalthazarUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC prorroga suspensão do expediente presencial por mais sete dias

24/03/2020 12:41

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), considerando as medidas tomadas pelo governo Federal e Estadual frente à pandemia Covid-19 e o combate à proliferação do Coronavírus em Santa Catarina, prorrogou, por mais sete dias, a suspensão da maioria das atividades presenciais na instituição.

O reitor Ubaldo Cesar Balthazar assinou a Portaria Normativa nº 355/2020 nesta terça-feira, 24 de março. A medida prorroga, até 1º de abril, a suspensão do expediente presencial nas atividades técnicas e administrativas em todas as unidades da UFSC, exceto nos setores de saúde, segurança e nas situações de caráter inadiável e essencial.

Na segunda-feira, 23 de março, o governo do Estado de Santa Catarina publicou o Decreto nº 525/2020, que, dentre outras medidas, prorroga por mais sete dias as determinações de restrição do convívio social no Estado.

Para mais informações sobre as medidas contra o Coronavírus na UFSC, acesse o site.

Para mais informações sobre as medidas do Governo do Estado de Santa Catarina, acesse o site.

 

Tags: Administração CentralcoronavírusCovid-19UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central anuncia medidas de contingência na UFSC em razão da pandemia de Covid-19

13/03/2020 11:09

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) anunciou, no final desta quinta-feira, 12 de março, várias medidas a serem tomadas a partir da próxima segunda-feira, dia 16. Entre elas estão a suspensão de eventos como formaturas e solenidades, além de um protocolo para a comunidade universitária em caso de viagens e contato com pessoas contaminadas.

Por ora, a decisão é não suspender a realização de aulas. “Acreditamos que, com medidas como a suspensão de eventos e a comunicação de viagens e contatos com casos confirmados, será possível prevenir que pessoas que tenham algum sintoma frequentem as salas de aulas. Outro fator importante é focar no perfil dos mais vulneráveis, como os idosos. O perfil da maioria dos nossos estudantes não se enquadra nesse grupo de vulneráveis. Isso não impede que as pessoas, estudantes, técnicos ou docentes que apresentem algum sintoma dirijam-se a um serviço médico e observem o protocolo recomendado de permanecer em suas casas,” salienta o reitor Ubaldo Cesar Balthazar.

Ubaldo lembra, ainda, que os dados da pandemia serão considerados diariamente, e observando piora da situação, as aulas e atividades presenciais poderão ser substituídas por aulas on-line, caso necessário. O reitor ressalta que é necessário que as unidades acadêmicas e administrativas planejem-se previamente para a possibilidade de execução dessas ações.

Leia a nota, na íntegra, abaixo.

Nota Oficial

Considerando:

1. O aumento diário de casos provocados pelo Covid-19, no mundo, no Brasil e a recente confirmação de 2 (dois) casos em Santa Catarina;
2. As recomendações das autoridades do Ministério da Saúde, OMS e OPAS;
3. A classificação de grupos vulneráveis (idosos, cardiopatas, pneumopatas, nefropatas, diabéticos, oncológicos, e imunossuprimidos em geral);
4. A necessidade de ações que, inicialmente, evitem a circulação de agentes transmissores do Covid-19 entre a comunidade universitária e, em um segundo momento, limitem a propagação;

A UFSC adota, em todos os campi, a partir de 16 de março de 2020, as seguintes medidas:

a) Suspensão de solenidades marcadas para auditórios e espaços com grande concentração de pessoas, como formaturas, eventos, shows, palestras, seminários etc.;
b) Suspensão das atividades do Núcleo de Estudos da Terceira Idade (Neti);
c) Adiamento da Sepex;
d) Suspensão de viagens de docentes, técnicos administrativos (TAEs) e discentes;
e) Comunicação por parte de discentes, docentes e TAEs às Coordenações de Curso e/ou Chefias imediatas, no caso de retorno de viagem (nacional ou internacional);
f) Comunicação por parte de discentes, docentes e TAEs às Coordenações de Curso e/ou Chefias imediatas, de eventual contato com casos confirmados; 
g) Nas duas situações anteriores deve ser cumprido um período de afastamento das atividades de, no mínimo, 5 (cinco) dias, mesmo nos casos assintomáticos. Tal comunicação deve ser acompanhada das devidas comprovações, de modo a justificar a ausência;
h) Reforço nas ações de orientação, prevenção, etiquetas de contato e respiratória, além das medidas de higienização amplamente divulgadas.

Florianópolis, 12 de março de 2020.

Leia também:

UFSC prepara anúncio de medidas de combate ao Coronavírus

Capes orienta bolsistas sobre viagens internacionais

UFSC Entrevista: médica infectologista orienta e tira dúvidas sobre Coronavírus

UFSC orienta comunidade universitária sobre o novo coronavírus

Tags: Administração CentralcoronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC prepara anúncio de medidas de combate ao Coronavírus

12/03/2020 17:44

Reunião do comitê de prevenção ao Coronavírus. Foto: Dayane Mayer/Agecom/UFSC

O comitê multiprofissional criado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) para adoção de medidas visando evitar a propagação do novo Coronavírus entre a comunidade universitária reuniu-se novamente nesta quinta-feira, 12 de março. Do encontro resultaram novas medidas, que serão anunciadas pela Reitoria até o final do dia. As ações tornam-se necessárias após a confirmação de dois casos de Covid-19 em Florianópolis.

As novas ações de combate ao coronavírus são voltadas para eventos com grande concentração de pessoas e que reúnam grupos mais vulneráveis ao Covid-19. Haverá também orientações e determinações sobre as atividades acadêmicas
(mais…)

Tags: Administração CentralcoronavírusHospital UniversitárioUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central publica portaria normativa sobre afastamentos e concessão de diárias e passagens

21/01/2020 10:36

O Boletim Oficial da UFSC desta segunda feira, dia 20 de janeiro, traz a publicação da portaria Portaria Normativa 344, que atende à Portaria 2227/2019/MEC, de 31 de dezembro do ano passado. O documento do MEC, determina aos órgãos vinculados, a elaboração, em até 60 (sessenta) dias, de regulamentação própria a fim de orientar os procedimentos internos à “concessão de diárias e passagens sob sua competência”. Além disso, a portaria estabelece também que “fica vedada a emissão de diárias e passagens pelas entidades até a publicação da regulamentação”.

No âmbito da UFSC, foi criada uma Comissão no início de janeiro, que concluiu a elaboração da Portaria 344/2020, assinada pelo reitor na manhã de segunda-feira.

A publicação permitiu que a Secretaria de Planejamento e Orçamento (SEPLAN) liberasse às unidades – acadêmicas e administrativas – os recursos das rubricas de diárias e passagens relativos ao mês de janeiro. “Apesar de ser o primeiro mês do ano, havia diversas demandas esperando a liberação, especialmente de servidores com afastamentos já programados para os primeiros dias de janeiro”, explicou o Reitor Ubaldo Cesar Balthazar.

Tags: Administração CentralPortaria NormativaUFSC

UFSC publica resolução de reposição de atividades afetadas por paralisação estudantil

10/10/2019 18:25

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publica, nesta sexta feira, 11, a Resolução Normativa que dispõe sobre procedimentos para garantir a reposição das atividades de ensino de graduação e de pós-graduação, do Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI) e do Colégio de Aplicação (CA), no âmbito da UFSC em decorrência da paralisação de estudantes. O documento é resultado do trabalho de uma comissão, criada pelo Conselho Universitário (CUn) na sessão do último dia 30 de setembro, em que foram acolhidas pelo órgão deliberativo superior da instituição duas propostas, unificadas e ajustadas pela comissão e incorporadas ao documento assinado na tarde desta quinta-feira, 10 de outubro.

A Resolução Normativa foi assinada ad referendum pelo reitor Ubaldo Cesar Balthazar, após parecer favorável da Procuradoria Federal junto à UFSC. No parecer, está explícito que “(…) A matéria é de alçada da UFSC, conforme o regime autonomia previsto no Art. 53, § 1º, da LDB [Lei de Diretrizes e Bases]. A forma escrita é adequada e há competência do CUn (Art. 17, I e XVII, Estatuto da UFSC). Há finalidade e motivo explicitamente invocados, os quais são lícitos. O objeto – a reposição das atividades de ensino de graduação e de pós-graduação, no âmbito da UFSC – é igualmente lícito”.

Depois de consultar Diretores de Unidades e a partir de manifestações de outros membros do Conselho Universitário, o reitor decidiu pela publicação da Resolução, considerando que o documento reuniu o conteúdo de duas minutas que já eram do conhecimento do Conselho. Após o encerramento da paralisação, o Conselho Universitário será convocado para apreciar a aprovação ad referendum.
(mais…)

Tags: Administração CentralConselho Universitário (CUn)resolução normativaUFSC

Administração Central de UFSC divulga manifestação sobre o programa ‘Future-se’

22/07/2019 09:08

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), considerando o anúncio do Programa Institutos e Universidades Empreendedoras e Inovadoras – Future-se –, manifesta-se preliminarmente no seguinte sentido:

1 – Dos três eixos apresentados – Ensino, Pesquisa e Extensão –, as instituições federais de ensino superior (IFES) já desenvolvem atividades relativas a essas áreas;

2 – São as universidades públicas brasileiras as principais responsáveis pela pesquisa, pelo desenvolvimento e pela inovação presentes no País em todas as áreas do conhecimento;

3 – A quase totalidade dos projetos inovadores nascem a partir de iniciativas das IFES e de seus pesquisadores, com intensas parcerias, seja com o setor público ou com o setor privado nacional;

4 – Em termos de internacionalização, também as IFES mantêm, há muito tempo, convênios, acordos e parcerias com instituições do mundo todo, promovendo mobilidade de docentes, técnicos e estudantes, com transferência de conhecimento e troca de experiências enriquecedoras;

5 – No campo da governança e gestão, igualmente as IFES já utilizam mecanismos atualizados e em consonância com as normativas dos órgãos de controle (TCU, CGU, AGU e MPF), de modo a construir e aprimorar boas práticas de gestão;

6 – Cada vez mais iniciativas associadas a ações empreendedoras são estimuladas em todas as áreas do conhecimento por meio do apoio institucional a empresas júniores, a startups, a equipes de competição e a eventos acadêmicos.

Nesse sentido, o “Future-se” não traz elementos diversos daqueles já presentes no cotidiano de nossas instituições. Faz-se necessário avaliar com cautela e profundidade, por meio de comissão específica e representativa da comunidade universitária, as proposições que digam respeito à criação de organizações sociais e fundos, bem como os impactos de tal cenário sobre o financiamento público da educação brasileira.

A autonomia constitucional das IFES deve ser plenamente mantida, tanto quanto seu caráter público, gratuito e inclusivo.

Florianópolis, 19 de julho de 2019

Tags: Administração CentralUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Vestibular UFSC 2019: Administração Central visita locais de prova

09/12/2018 18:25

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) acompanhou a realização das provas do Vestibular UFSC 2019. Estiveram nos locais de prova o reitor Ubaldo Cesar Balthazar, a vice-reitora Alacoque Lorenzini Erdmann, o pró-reitor de Graduação Alexandre Marino Costa e a secretária de Ações Afirmativas e Diversidades Francis Tourinho. O objetivo foi acompanhar, junto à Coperve e às coordenadorias dos setores de aplicação das provas, toda a movimentação do vestibular e dar apoio às equipes que trabalharam durante o concurso.

Confira as imagens das visitas.

Sábado, 8 de dezembro – Alexandre Marino Costa (Prograd) e Francis Tourinho (Saad)

Fotos: Pipo Quint/Agecom/UFSC e arquivo pessoal

Domingo, 9 de dezembro – Alacoque Lorenzini Erdmann (vice-reitora)

Fotos: Henrique Almeida/Agecom/UFSC e arquivo pessoal

Segunda-feira, 10 dezembro – Ubaldo Cesar Balthazar (reitor) e Alvaro Guillermo Rojas Lezana (diretor-geral do Gabinete da Reitoria).

Fotos: Henrique Almeida/Agecom/UFSC 

Tags: Administração CentralUFSCUniversidade Federal de Santa CatarinaVestibularVestibular UFSC 2019

Administração Central emite nota sobre tumulto na madrugada de sexta-feira

02/11/2018 16:31

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foi informada de que houve tumulto na madrugada desta sexta-feira, 2 de novembro, logo após o fechamento dos bares no entorno da Universidade.

Esse tipo de situação tem ocorrido e levou, inclusive, a uma ação conjunta das polícias Militar e Civil, MPE e UFSC, a fim de buscar soluções entre todos os setores envolvidos.

Em situações em que haja ameaça à integridade física e ao patrimônio, as forças de segurança agem nos limites de suas atribuições. Todos os fatos serão devidamente apurados.

Administração Central

Universidade Federal de Santa Catarina

Tags: Administração CentralUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC manifesta-se em defesa da universidade pública, gratuita, autônoma e plural

31/10/2018 18:06

Em defesa da Universidade Pública, Gratuita, Autônoma e Plural

A Administração da Universidade Federal de Santa Catarina, passado o processo das eleições em todos os níveis, reitera seu compromisso histórico e institucional em defesa das Instituições Públicas de Ensino – laicas, republicanas e autônomas – além do posicionamento intransigente no sentido do pleno respeito à Democracia. Superadas as questões político partidárias, a Universidade posiciona-se em favor da manutenção de um ambiente saudável, seguro, em que prevaleçam o respeito às diferenças e o convívio harmonioso e tolerante entre as pessoas. Ainda reiteramos o caráter intocável da Liberdade de Cátedra e da ampla autonomia no exercício da docência, em todas as esferas de Educação, a fim de que a formação cidadã se dê nas bases Legais, morais e éticas, sem admitir qualquer tipo de cerceamento ou ameaça à atuação de professoras e professores. Por fim, acreditamos firmemente no papel de cada cidadão e cidadã, das instituições, dos governos, e na força do ensino, da pesquisa e da extensão, como ferramentas essenciais na construção de uma nação livre, democrática e diversa.

Florianópolis, 31 de outubro de 2018

A Administração da UFSC

Tags: Administração CentraldemocraciaensinoextensãoLiberdade de CátedrapesquisaUFSCuniversidade pública

Administração Central da UFSC divulga nota em homenagem ao Dia do Servidor Público

28/10/2018 07:00

Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulga nota pelo Dia do Servidor Público:

Aos Servidores e Servidoras da UFSC

Cumprimentamos os servidores e servidoras docentes e técnico-administrativos em educação da Universidade Federal de Santa Catarina pela passagem do dia 28 de outubro, Dia do Servidor Público. Categorias profissionais que fortalecem, dia a dia, a importância do investimento da sociedade na construção e consolidação de um Estado livre, inclusivo, democrático, plural, e na formação constante de cidadania.

Nossa homenagem e nossa gratidão. Parabéns.

Ubaldo Cesar Balthazar e Alacoque Lorenzini Erdman, Reitor e Vice-Reitora da UFSC

 

Confira a programação das atividades desta segunda-feira, 29, em comemoração ao Dia do Servidor Público.

Tags: Administração CentralDia do Servidor Públiconotaservidor públicoUFSC

Administração Central esclarece mensagem estranha à UFSC distribuída por meio eletrônico

03/10/2018 18:25

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina informa à comunidade acadêmica que é falsa a atribuição à UFSC de autoria quanto à mensagem eletrônica que tem sido enviada a endereços cadastrados na Universidade, referente a suposta “ANÁLISE DOS CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA E SUAS POSIÇÕES”.

Trata-se de mensagem enviada por endereço eletrônico externo e estranho à instituição e que, obviamente, não representa nenhuma manifestação oficial e, sequer, verdadeira.

Recomendamos que seja ignorada e informamos que serão acionadas as instâncias devidas de modo a apurar as responsabilidades pela autoria da mensagem.

Administração Central da UFSC

Tags: Administração CentralEleições 2018UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Administração Central informa sobre retorno das aulas na segunda-feira, dia 4

01/06/2018 16:44

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina, considerando as informações que apontam para um processo de reabastecimento e retorno gradual da normalidade, informa que, a partir de segunda-feira, dia 4 de junho, serão retomadas as aulas na UFSC, suspensas desde a última segunda-feira, dia 28 de maio.

No caso particular dos Restaurantes Universitários, ainda há condições especiais que podem provocar ajustes no fornecimento de alimentação, o que implica, se for o caso, em retorno ainda parcial de alguns serviços.

Orienta-se as Unidades Administrativas e Acadêmicas para o gerenciamento de possíveis particularidades e situações de excepcionalidade, recomendando ainda prudência na retomada das atividades, sobretudo em questões que estão relacionadas à presença e cobrança de trabalhos e avaliações.

Reitera-se que as circunstâncias continuam sob constante monitoramento e que qualquer alteração será objeto de novas avaliações com imediata divulgação das informações à comunidade universitária e à sociedade.

Florianópolis, 1º de junho de 2018.

Tags: Administração CentralAulasretornoUFSC

Administração Central apresenta mudanças no acesso ao Restaurante Universitário

23/01/2018 14:09

A Administração Central da UFSC apresentou na manhã do desta terça, 23, o novo sistema de acesso aos Restaurantes Universitários (RU). Os passes em papel serão extintos e em breve os usuários dos RU de todos os campi ingressarão para suas refeições a partir do uso de cartões de identificação unificada.

A novidade foi apresentada  em reunião entre a atual gestão da reitoria da UFSC e representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE). O encontro tinha como objetivo debater três itens: apresentação de relatório das refeições realizadas no RU do Centro de Ciências Agrárias (CCA); exposição do novo sistema de acesso e venda de passes para os RU de todos os campi; e, finalmente, exibição do andamento das reformas do RU do campus central, local da reunião.

Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Avaliação do RU do CCA

A reunião iniciou com a avaliação da realização das refeições de todos os estudantes de Florianópolis no RU do CCA. Desde 9 de dezembro todos os estudantes que fazem suas refeições nos RU de Florianópolis passaram a realizá-las no CCA, localizado no bairro do Itacorubi, devido às reformas no RU da Trindade.

O pró-reitor de Assuntos Estudantis, Pedro Manique, apresentou os dados de refeições servidas, o aumento da demanda no período e as dificuldades sentidas quando do comprometimento da subestação da Celesc devido às fortes chuvas dos primeiros dias de 2018. Os estudantes que se manifestaram apontaram para a existência de problemas no princípio, mas afirmaram também que houve rápida solução destes e que há adequado andamento das atividades desde a oferta de ônibus próprio da universidade para o transporte nos horários das refeições.

Novo sistema de acesso e compra de passes dos RU da UFSC

O atual sistema de acesso ao maior RU da UFSC, o do campus central, possui a seguinte forma de funcionamento: o usuário dirige-se a um setor de compra de passes localizado ao lado do restaurante e adquire a quantidade de tíquetes que deseja. O pagamento é feito em dinheiro e conforme o valor de cada passe (estudantes, servidores e membros da comunidade externa pagam valores distintos). O passe é impresso em papel e, após a sua compra, o usuário o entrega a um trabalhador terceirizado na entrada do restaurante.
(mais…)

Tags: Administração CentralCampus AraranguáCampus Blumenaucampus joinvillecampus TrindadeCCACentro de Ciências Agrárias (CCA)restaurante universitárioRU CCAUFSC

Nota da Administração Central da UFSC sobre procedimentos para lista tríplice

31/10/2017 12:11

A Administração Central da UFSC informa que a vice-reitora Alacoque Lorenzini Erdmann estará a partir desta data em licença para tratamento de saúde.

Em função da vacância do cargo de reitor, do afastamento da vice-reitora e do pedido de dispensa das funções de alguns pró-reitores, secretários e assessores, o diretor do Centro de Ciências Jurídicas da UFSC, professor Ubaldo Cesar Balthazar, decano entre os membros do Conselho Universitário, assume a sua presidência com convocação do CUn para esta quarta-feira, dia 1º de novembro.

A pauta da sessão ordinária será a apreciação dos procedimentos para organização de lista tríplice para nomeação do reitor em decorrência da vacância do cargo.

Tags: Administração CentralAlacoquenomeaçãoreitorUFSC
  • Página 1 de 3
  • 1
  • 2
  • 3