Reconhecimento e gratidão pelo Dia do Professor

13/10/2017 11:06

A Administração Central da UFSC expressa, pela passagem do Dia do Professor, 15 de outubro, sua gratidão e reconhecimento ao trabalho dos docentes da UFSC que tanto contribuíram e contribuem para traduzir a educação como um valor cidadão. E que perseguem cotidianamente os objetivos de transformar a sociedade por meio de seus exemplos e atitudes.

Parabéns a todas e todos que defendem a justiça, o respeito às diferenças e a serenidade, em busca de um mundo cada vez mais tolerante e solidário.

Parabéns, professoras e professores.

Alacoque Lorenzini Erdmann
Reitora da UFSC, em exercício

Tags: Administração CentralAlacoqueDia do ProfessorreitoraUFSC

Homenagens ao Dia do Professor

17/10/2016 10:30
Tags: Dia do ProfessorUFSC

Dia do Professor: estudantes destacam a importância dos professores em sua formação

14/10/2016 18:09
Professora Eneida Oto Shiroma, do curso de Pedagogia da UFSC. Foto: Daniela Caniçali.

Professora Eneida Oto Shiroma, do curso de Pedagogia. Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

Em homenagem ao Dia do Professor, perguntamos a alunos de diversos cursos da UFSC sobre os professores que marcaram suas vidas. Esses depoimentos reafirmam o importante papel que os profissionais da educação cumprem na sociedade.

Bruno Senra Sinésio e Silva, Letras – Inglês

“José Roberto Basto O’Shea foi um professor incrível! Ele é excelente, leva o trabalho muito a sério, é extremamente dedicado. Todos os professores e alunos do curso gostam muito dele. Ele tem muito conhecimento e ótima didática. Fiz apenas duas matérias com ele, infelizmente. Tive outros professores muito bons mas, para mim, ele é realmente o melhor. Ele me ensinou a nunca desistir. Sua trajetória de vida é a prova de que, se você se esforçar, você consegue conquistar seus objetivos.”

Arthur Ardino Dobler, Artes Cênicas

“Aprendi muito com a professora Elisana De Carli, nas disciplinas Teoria das Artes Cênicas I e II. Ela tem um domínio enorme da teoria e é muito verdadeira na forma de ensinar. Quando não sabe de algo, ela diz ‘não sei, tenho que pesquisar’ e depois nos indica as melhores leituras. As aulas dela foram muito boas. Ela me ensinou que é importante continuar averiguando sempre, pois muitos fatos são na verdade especulações. Devemos ter em mente, como pesquisador, que não é possível dizer que temos 100% de certeza. Isso me motivou a considerar as coisas como algo que ‘está por enquanto’, pois futuramente posso mudar totalmente de ideia. É importante estar aberto ao conhecimento sempre.”

Professor Werner Kraus, do curso de Engenharia Elétrica. Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC.

Professor Werner Kraus, do curso de Engenharia Elétrica. Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Giovana Barros Gomes, Filosofia

“A professora Marina dos Santos, que ensinou Ética, Ontologia e História da Filosofia I foi muito importante para mim. Ela ensina com clareza, mostra a importância da matéria e nos faz realmente compreender o assunto. Ela trata os alunos de igual pra igual, quase como se fosse uma amiga, ao mesmo tempo em que é nossa professora.”

Lucas Ozéias, 22 anos, Enfermagem

“A professora que mais marcou minha graduação foi Susane Lopes, de Histologia, na primeira fase do curso. Ela demonstrava saber como é ser aluno, ela se importava, se colocava no nosso lugar.”

 Yeo Jim Kinoshita Moon, 21 anos, Farmácia

“Alessandra Smaniotto, que me deu aula de Química Analítica Teórica, foi a melhor professora que tive. O pessoal da Farmácia tem muita dificuldade com contas. Ela não só ensinava bem, mas repetia quantas vezes fosse preciso. As aulas eram muito boas, ela sentava ao nosso lado e perguntava se tínhamos entendido. Nenhum outro professor foi tão atencioso com os alunos quanto ela.”

Mariah Roussenq Bonelli Neves, 19 anos, Farmácia

“O professor que mais me marcou positivamente foi o Oscar Bruna Romero. Dava pra ver nos olhos dele que ele realmente gostava do que estava fazendo.”

Professor Mauro Titton, do curso de Pedagogia da UFSC. Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC.

Professor Mauro Titton, do curso de Pedagogia. Foto: Daniela Caniçali/Agecom/UFSC

Isabella Coelho, 20 anos, Farmácia

“O professor Flávio Reginatto, das aulas de Farmacognosia e Análise Farmacopeica, marcou minha graduação. Ele realmente tem o dom de ensinar, cativa os alunos de maneira descontraída e consegue ser amigo ao mesmo tempo em que ensina. As aulas dele são encantadoras. Ele é uma pessoa iluminada, sabe transferir com excelência o que sabe. A cada aula retomava os conteúdos ministrados nas aulas anteriores para relembrar os alunos e nos ajudar a memorizar o conteúdo. Tenho grande admiração por este professor, ele me inspira a querer ser uma boa profissional e ter o mesmo amor pela profissão que ele tem.”

Luiz Fernando Vieira Alves, 21 anos, Direito

“A Aline Beltrame de Moura é uma professora nova, que se esforça muito para que os alunos entendam a matéria. Ela é bem acessível, muito didática e carismática. As aulas dela são dinâmicas e ela sabe o momento de ser mais descontraída.”

Beatriz Clasen, 20 anos, Jornalismo

“Uma professora que me marcou foi a Valci Zuculoto. Ela tem milhares de coisas para fazer, mas sempre tem tempo para ajudar e ensinar um pouco de tudo que sabe, do jornalismo e da vida! O que aprendo com ela diariamente é muito importante e vai fazer diferença na minha vida.”

Tainan Toldo, 19 anos, Jornalismo

“Cárlida Emerim, sem dúvida! Ela me dava o ânimo que eu precisava toda semana. Eu podia estar me sentindo mal com tudo, mas quando chegava na aula dela, eu me esquecia dos problemas. Ela sabia me deixar focado naquilo será meu futuro.”

 Maria Julia Schweitzer, 22 anos, Ciências Contábeis

“Uma professora que marcou minha formação foi a Valdirene Gasparetto. Ótima profissional, com uma postura ética e séria em sala de aula, sempre centrada, desenvolvendo atividades de maneira didática, facilitando nosso aprendizado. Admiro ela por sua inteligência e dedicação.”

 Ion Neto, 20 anos, Ciência da Computação

“O professor que mais me marcou foi o Daniel Santana, da disciplina Introdução à Matemática Discreta. Desde o primeiro dia de aula, na primeira fase, ele incentivava o uso de softwares livres, reforçava o papel da universidade na construção de um conhecimento voltado para o nacional e não só para o exterior. Ele sempre incentivou os alunos a pensar na capacidade de excelência que a ciência da computação brasileira pode ter sem precisar ser somente um serviço para grandes potências.”

Anna Carolina Uhlemann, 20 anos, Engenharia Mecatrônica – Joinville

“Eu gosto das aulas da professora Viviane Lilian Soethe porque ela ensina com paixão e isso nos motiva muito. Ela conta sobre quando estava no nosso lugar e de como é importante se dedicar, fazer as coisas acontecerem para ter um bom resultado lá na frente. Ela fala a nossa língua, tenta sempre fazer com que a gente se interesse pelo que está ensinando. A relação não é só de professor-aluno, não tem aquele ar de superioridade. Ela conversa e tenta saber como a gente está, procura ter um feedback.”

Jéssica Zanella, 24 anos, História

“O que eu mais admiro nos meus professores é a força de vontade, a inteligência e principalmente a dedicação com a universidade, com as pesquisas, e com os alunos. Em alguns casos, eles ‘adotam’ os alunos, ajudando não só na vida acadêmica, mas nos seus problemas de vida. Ser professor na situação em que o Brasil se encontra é um ato revolucionário. É ir contra tudo e contra todos, para melhorar a situação de vida e buscar novos horizontes para várias pessoas. Isso deve ser muito gratificante, quando você pode contribuir para uma transformação na vida de alguém. Eu admiro esse dom que eles têm.”

Depoimentos coletados por Bruno Rosa, Gabriel Daros, Giovanna Olivo, Manuella Mariani, Matheus Pereira / Estagiários de Jornalismo da Agecom/UFSC

Tags: alunosdepoimentosDia do ProfessorestudantesUFSC

Dia do Professor: homenagem aos fundadores do ensino superior em Santa Catarina

14/10/2016 17:32

DestaqueOs bustos, muitas vezes, não merecem a atenção dos que passam. Muitos desconhecem aqueles rostos estáticos em meio ao movimento frenético da vida moderna. A solidez dos traços não expressam as ações pioneiras dos personagens ali esculpidos. Para que suas identidades não sejam esquecidas, nem suas realizações, a série “Nossos Monumentos” traz alguns recortes da história por trás dessas obras de arte na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

A representação de uma pessoa tem por finalidade recriar a sua fisionomia o mais próximo possível da realidade. Esse estilo acadêmico, inspirado nas escolas europeias, não é mais tão usual. No Campus Florianópolis da UFSC, bairro Trindade, há três esculturas do tipo em homenagem a três ilustres catarinenses: José Arthur Boiteaux, Henrique da Silva Fontes e João David Ferreira Lima. A de Boiteaux encontra-se no Centro de Ciências Jurídicas (CCJ); as outras duas, na Praça da Cidadania, em frente à Reitoria.

Fazenda Assis Brasil - atual campus universitário - foto acervo UFSC

Fazenda Assis Brasil, atual Campus Florianópolis. Acervo UFSC

Os bustos são uma forma de eternizar a atuação desses três professores, com formação em Ciências Jurídicas, que foram os alicerces da educação superior em Santa Catarina. São nomes igualmente importantes para o nascimento e a trajetória da UFSC.

A história deixa lacunas, inevitavelmente. A memória da instituição, em seus primeiros passos, deve ser resgatada e fielmente registrada, pois as conquistas alcançadas por cada um, cada qual no seu tempo e possibilidades, tornaram possível o surgimento de uma instituição federal, pública e gratuita – a primeira do estado. E mais, foram os responsáveis no passado, por a Universidade ser, no presente, referência dentro e fora do país.
(mais…)

Tags: Dia do ProfessorHenrique da Silva FontesJoão David Ferreira LimaJosé Arthur Boiteauxnossos monumentosUFSC

Dia do Professor: mensagem do Reitor

14/10/2016 17:30

Dia do Professor - Destaque-01A Administração Central da UFSC reconhece, no trabalho de seus docentes, o esforço para transformar conhecimento em soluções, educação em cidadania, ensinamentos em exemplos, atitudes em qualidade de vida, num ambiente plural e democrático.

No Dia do Professor, manifestamos o nosso orgulho por dirigir uma instituição que conta com pessoas que fazem do dia a dia um exercício constante na busca por uma sociedade tolerante, solidária e colaborativa.

Parabéns, professoras e professores.

Luiz Carlos Cancellier de Olivo
Reitor da UFSC

Tags: Dia do ProfessorMensagem do reitorUFSC

Dia do Professor: entrevista com entidades sindicais

14/10/2016 16:55

As organizações sindicais que representam os professores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – o Sindicato dos Professores das Universidades Federais de Santa Catarina (Apufsc) e a Seção Sindical do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes/UFSC) – responderam às perguntas sobre o Dia do Professor.

Presidente da Apufsc, professor Wilson Erbs

apufsc1 – Como a Apufsc comemora a data do dia 15 de outubro? Alguma programação especial para este ano?

A Apufsc sempre comemora o Dia do Professor em todos os campi da UFSC onde o Sindicato mantem sedes: Florianópolis, Araranguá, Curitibanos e Joinville. Em Florianópolis, este ano, a comemoração acontece dia 21 de outubro, às 21h, com um coquetel dançante no Lagoa Iate Clube (LIC). A festa já é uma tradição e é realizada todos os anos com uma participação expressiva de professores. Em Araranguá, a homenagem será no dia 19 de outubro, às 19h, com um coquetel na sede local da Apufsc. No dia 28 de outubro, às 18h30, ocorre a celebração em Joinville, com um churrasco na sede local do Sindicato. A comemoração em Curitibanos foi no dia 7 de outubro, com um churrasco na sede campestre do Pinheiro Tênis Clube.

2 –Na atual conjuntura brasileira, como está a valorização e o reconhecimento profissional do professor?

Os problemas dos professores no Brasil são antigos, como a falta de reconhecimento por parte dos governantes, salários baixos, condições precárias de trabalho e baixa valorização do trabalho.  Mas podemos dizer, também, que tivemos alguns ganhos nos últimos anos, como, por exemplo, a recente aprovação da lei nº 13.325/2016, que dispõe sobre reajuste e reestruturação das carreiras dos servidores públicos da Educação, incluindo os professores do Magistério Superior (MS) e do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (EBTT), com reajuste salarial de 5,5% em agosto de 2016 e de 5,0% em janeiro de 2017, além de aumentos nos benefícios, como auxílio-alimentação, assistência à saúde e assistência pré-escolar.

A lei também trata temas específicos como a progressão e promoção funcionais nas carreiras devidas, a partir da conclusão dos interstícios, desde que cumpridos os requisitos necessários pelo professor e o fim da exigência de conclusão do estágio probatório para a mudança de regime de trabalho, entre outros ganhos. Especificamente aqui na UFSC, a Apufsc vem lutando pelos direitos à progressão funcional dos professores. Depois de encontros entre dirigentes sindicais e a Reitoria, a Universidade publicou portaria afirmando que as datas das progressões e promoções serão aquelas em que ocorrer o fechamento de seus interstícios aquisitivos. O sindicato também ingressou, em abril de 2015, com ação coletiva visando a assegurar aos docentes os efeitos financeiros – inclusive retroativos – e funcionais das progressões a partir do preenchimento dos requisitos legais.

3 – Qual é a principal pauta que o sindicato defende para a categoria docente na UFSC?

A Apufsc defende, de maneira intransigente, as conquistas e os direitos dos professores. Também luta pela melhoria da carreira e dos salários dos docentes do ensino superior e do EBTT. Outro ponto é com relação ao empenho do sindicato pelas melhorias das condições de trabalho dos professores, além de atuar de forma permanente na assistência jurídica e na promoção da saúde dos seus afiliados.

4 – Qual a mensagem do sindicato para os professores da Universidade?

A Apufsc estará sempre presente na defesa da valorização dos professores das universidades federais de Santa Catarina, que precisam ter seu trabalho reconhecido, pois somos profissionais agentes de transformação da sociedade catarinense e brasileira. Para o sindicato, é um orgulho ter em seu quadro de afiliados pessoas tão qualificadas e que colocam a UFSC no topo das melhores instituições de ensino.

Por isso, a pauta constante da Apufsc é por uma remuneração justa, com expectativa de futuro, condições físicas e humanas para o trabalho e um um bom plano de carreira, itens fundamentais para o necessário reconhecimento dos professores, que são os principais responsáveis pelo sucesso da UFSC. Conclamamos, ainda, que os professores se unam ao sindicato, que é uma das formas de lutar pelos direitos da categoria.

 

Presidente da Seção Sindical Andes/UFSC, professora Célia Regina Vendramini

andes1 – Como a seção sindical do Andes-SN na UFSC comemora a data do dia 15 de outubro? Alguma programação especial para este ano?

Considerando a desvalorização dos professores em curso e os brutais ataques à educação brasileira, neste ano a comemoração do dia do professor será com luta e resistência, em defesa da universidade pública e do trabalho docente.

2 – Na atual conjuntura brasileira, como está a valorização e o reconhecimento profissional do professor?

Os professores de todos os níveis de ensino estão sofrendo um dos maiores ataques da história deste país, por meio de um conjunto de medidas/ações de ajuste fiscal que afetam o seu reconhecimento profissional e as possibilidades de realização do seu trabalho. A começar pela PEC 241, que congela os gastos no serviço público por 20 anos – incluindo salários dos servidores, progressão na carreira, concursos e verbas –, os cortes orçamentários que afetam o funcionamento das atividades de ensino, pesquisa e extensão na Universidade e aceleram os processos de privatização; os projetos de lei em tramitação nos âmbitos federal e estadual em torno da “escola sem partido”, uma iniciativa ultraconservadora que visa cercear o trabalho do professor e ameaçar o ambiente acadêmico que se faz a partir do debate plural de ideias; a medida provisória 747, que, de forma autoritária, altera o ensino médio no que diz respeito ao currículo, disciplinas, carga horária, professores.

Nossos cursos de licenciatura serão diretamente afetados com o reconhecimento do “Notório Saber” (qualquer profissional não licenciado pode exercer o magistério) e a extinção da obrigatoriedade das disciplinas de Sociologia, Filosofia, Artes e Educação Física; por fim, a burocratização e o produtivismo acadêmicos que levam à precarização do trabalho docente.

3 – Qual é a principal pauta que o sindicato defende para a categoria docente na UFSC?

Defesa da carreira docente e valorização salarial, com estruturação da carreira segundo os regimes de trabalho, a titulação, os níveis e o desenvolvimento na carreira (progressões), e a relação destes com percentuais que geram a malha salarial; carreira única para os professores da educação básica e do ensino superior; progressão automatizada na UFSC; reposicionamento dos aposentados no nível relativo ao topo da carreira no momento da aposentadoria; condições objetivas de realização do trabalho docente, no que diz respeito à infraestrutura (salas de aula, laboratórios, equipamentos, livros, materiais pedagógicos, entre outros) e à organização institucional que combata o assédio moral, a burocratização de nossas atividades, o ambiente competitivo – os quais levam ao excesso de trabalho e ao adoecimento docente; defesa do caráter público e gratuito da Universidade.

4 – Qual a mensagem do sindicato para os professores da Universidade?

Convidamos os professores para as ações de mobilização e luta em defesa da universidade pública e pela valorização do trabalho docente. Dia 25 de outubro é o Dia Nacional de Luta dos Servidores Públicos e da Educação, com mobilização e paralisação. E, para enfrentarmos os ataques conservadores e privatistas em curso, temos como desafio a construção da greve geral dos trabalhadores dos setores público e privado, indicada para o dia 9 de novembro.

Somos uma categoria com grande responsabilidade social na formação humana de profissionais e pesquisadores; na produção de conhecimento comprometido com as necessidades de nosso país em todas as áreas do conhecimento; e na socialização mais ampla, para além dos setores privados, da ciência aqui produzida. Ensinar a pensar, criar e transformar faz parte de nossa atividade. E precisamos preservá-la.

 

 Agência de Comunicação da UFSC
/ (48) 3721-9601

Tags: Andes/UFSCApufscDia do ProfessorUFSC

Comunidade do CED promove atividades comemorativas do Dia do Professor

14/10/2014 11:40

A comunidade do Centro de Ciências da Educação (CED), composta pelos departamentos de Estudos Especializados em Educação (EED), de Metodologia de Ensino (MEN), de Ciência da Informação (CIN), pelo Colégio de Aplicação (CA) e pelo Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI), convida a comunidade universitária e geral para atividades de celebração, confraternização, políticas e culturais da Semana e Dia do Professor.
(mais…)

Tags: CEDDia do ProfessorUFSC

Evento no CED celebra o Dia do Professor

15/10/2013 17:32

Fotos: Jair Quint/Agecom/UFSC

O Centro de Ciências da Educação (CED) da UFSC promoveu, na tarde desta terça-feira, 15 de outubro, uma comemoração pelo Dia do Professor. Em seu quarto ano, o evento teve como objetivo celebrar essa data que homenageia esta classe tão importante, além de lembrar as condições precárias de trabalho enfrentadas pelos profissionais da educação.
(mais…)

Tags: CEDcomemoraçãoDia do ProfessorUFSC