Pós-Graduação em Ciência da Informação promove Seminário de Integração

22/02/2011 17:55

O Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação realizará no dia 28 de fevereiro, segunda-feira, com início às 9h, o Seminário de Integração Turma 2011. O evento acontece no auditório do Centro de Ciências da Educação (CED) e marca o primeiro dia de aula do mestrado do Programa. O Seminário é voltado aos alunos do curso e as palestras são abertas à comunidade.

Programação:

9h – Abertura – Profª Lígia Café – Coordenadora do PGCIN

9h20. – Profª Nair Kobashi (USP) – Palestra: A Capes e a Avaliação dos Programas de Pós-Graduação.

10h – Intervalo

10h30 – Prof.  Alvaro Toubes Prata – Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina – Palestra: A pesquisa e a Pós-Graduação na UFSC e no Brasil.

11h45 – Almoço

14h – Profª Lígia Café – Apresentação do PGCIN

15h – Profª Lígia Café – Apresentação dos novos alunos e orientadores

15h30 – Intervalo

16h – Programação discente

Mais informações: www.cin.ufsc.br/pgcin ou 3721-8516.

Tags: Ciência da Informaçãopós-graduação

Pós-Graduação em Geografia divulga datas de defesa de trabalhos

22/02/2011 17:23

O Programa de Pós-Graduação em Geografia divulgou as datas das defesas dos trabalhos de seus alunos. No total,  sete dissertações de mestrado e uma tese de doutorado serão apresentadas entre fevereiro e março.

Doutorando: Luiz Fernando de Novaes Vianna

Título: Seleção de Áreas para Maricultura: Métodos e Conceitos Aplicados para Análise Espacial em Sistemas de Informação Geográfica – SIG.

Data: 25/02/2011                               Horário: 14:00 horas

Local: LOC/ Auditório da Estação de Pesquisas da UFSC, Barra da Lagoa

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Jarbas Bonetti Filho (Orientador-GCN/UFSC)

Profa. Dra. Marinez Eymael Garcia Scherer (Membro-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Marcus Polette (Membro-UNIVALI-Itajai)

Prof. Dr. Paulo Roberto Armanini Tagliani (Membro-FURG/RS)

Prof. Dr. Philip Scott   (Membro-Univ. Santa Ursula-RJ)

Mestrando: Maycon Neykiel Bastos

Título:  Municipio de Lages no cenário econômico industrial da Região Serrana de Santa Catarina.

Data: 22/02/2011                               Horário: 14:00 horas

Local: Sala de Usos Múltiplos/GCN/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. José Messias Bastos (Orientador-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Armen Mamigonian (Membro-UFSC/USP)

Prof. Dr. Fabio Napoleão (Membro-UDESC)

Prof. Flavio José Simioni (Suplente-UDESC)

Mestranda: Giselli Ventura de Jesus

Titulo: Formação e Dinâmica Sócio Espacial do Distrito de Santo Antonio de Lisboa (Florianópolis/SC),

Data: 11/03/2011                            Horário: 14:30 horas

LocaL: Sala de Usos Múltiplos/GCN/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. José Messias Bastos (Orientador-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Nazareno José de Campos (Membro-GCN/UFSC)

Profa. Dra. Raquel Ma. F. do A. Pereira (Membro-UFSC/UNIVALI)

Prof. Dr. Fabio Napoleão (Membro-UDESC)

Mestrando: Thiago Farias Amaral

Título: Origem e evolução da atividade industrial da cidade do Rio Grande-RS: do último quartel do século XIX aos meados da década de 1960.

Data: 18/03/2011                               Horário: 14:00 horas

Local: Sala de Usos Múltiplos/GCN/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. José Messias Bastos (Orientador-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Marcos Aurélio da Silva (Membro/GCN/UFSC)

Profa. Dra. Marcia Fernandes Rosa Neu (Membro-UNISUL)

Mestrando: Anderson de Freitas Vietro

Título: A Indústria Confeccionista no Norte do Paraná

Data: 25/02/2011                               Horário: 14:00 horas

Local: Sala de Usos Múltiplos/GCN/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. José Messias Bastos (Orientador-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Marcos Aurélio da Silva (Membro/GCN/UFSC)

Profa. Dra. Isa de Oliveira Rocha (Membro-UDESC)

Profa. Dra. Tânia Maria Fresca (Membro-UELondrina)

Mestrando: Moises Savian

Titulo: Agricultura familiar em Ponte Alta, SC: desenvolvimento econômico e sucessão geracional.

Data:   28/02/2011                             Horário: 14:00 horas

Local: Sala 331/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Nazareno José de Campos (Orientador-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Ademir Antonio Cazella (Membro-UFSC)

Prof. Dr. João Fert Neto (CAV/UDESC)

Prof. Dr. Clecio Azevedo da Silva (Suplente-GCN/UFSC)

Mestrando: Armenio Neves da Silva

Titulo: Dinâmica socioespacial e produção habitacional na periferia da cidade de Maputo- Moçambique, a partir da década de 1970: Destaque para os Bairros  Polana Caniço “A” e “B”.

Data: 02/03/2011                            Horario: 15h00

Local: Sala de Usos Múltiplos/GCN/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Ewerton Vieira Machado (Orientador-GCN/CFH)

Prof. Dr. Elson Manoel Pereira (Membro-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Silvio Marcos de Souza Correa (Membro-PPHST/UFSC)
Mestrando: Vinicius Tavares Constante

Titulo: Rancho Queimado: uma periferia de amenidade na Região da Grande Florianópolis

Data:  11/03/2011                                       Horário: 15:00 horas

Local: Sala de Usos Múltiplos/GCN/CFH

Banca Examinadora:

Prof. Dr. Ewerton Vieira Machado (Orientador-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Clecio Azevedo da Silva (Membro-GCN/UFSC)

Prof. Dr. Paulo Roberto Rodrigues Soares (Membro-PGEA/UFRGS)

Profa. Dra. Margareth de Castro A. Pimentsa (Suplente-ARQ/UFSC)

Mais informações: (48) 3721-9412, www.ppggeo.ufsc.br ou 

Tags: bancadoutoradomestrado

Egressos da UFSC publicam carta na Nature

22/02/2011 10:59

Dois egressos do curso de Biologia da UFSC, Carlos André Zucco e Gustavo de Oliveira Santos, atualmente doutorandos em Ecologia  na UFRJ, mas desenvolvendo pesquisa para a tese no Pantanal Sul-Matogrossense, junto à Embrapa de Corumbá, publicaram uma carta na seção de correspondências da prestigiada revista científica Nature. A publicação é uma das mais antigas e reconhecidas revistas científicas do mundo.

Na correspondência Carlos e Gustavo relacionam os trágicos acontecimentos ocorridos, neste início de ano, na região serrana do Rio de Janeiro, com a expansão sem planejamento de cidades e atividades urbanas sobre áreas de preservação permanente, como topo e encostas de morros e em áreas de drenagem. Os autores advertem para o risco da mudança do Código Florestal, com relaxamento da proteção legal conferida às áreas de preservação permanente, e indicam que estas mudanças vão na direção oposta às necessárias para garantir a segurança social e ambiental da população brasileira.

Mais informações:

Tags: EgressosNature

Abertas inscrições para bolsas extracurriculares de línguas estrangeiras para estudantes da UFSC

21/02/2011 17:30

Estão abertas de 21 de fevereiro a 4 de março  as inscrições para bolsas nos cursos extracurriculares de línguas estrangeiras oferecidos pelo Departamento de Língua e Literatura Estrangeira da UFSC para o primeiro semestre de 2011.O benefício é direcionado a estudantes da UFSC regularmente matriculados e frequentando curso de graduação com cadastro socioeconômico aprovado.
(mais…)

Tags: bolsas extracurriculares idiomas para alunos da UFSC

Editora da UFSC na Folha de S. Paulo

21/02/2011 11:37

A UFSC e a Editora tiveram grande destaque no jornal Folha de S. Paulo desse  domingo (20). No caderno “Ilustríssima”, o livro A Coisa Perdida: Agamben comenta Caproni, organizado e traduzido por Aurora Bernardini e publicado pela EdUFSC, foi destacado entre os melhores produtos culturais da semana. Na edição do dia 13 de fevereiro a Editora já havia sido indicada pela recomendação da obra 28 Desaforismos, coletânea de aforismos de Franz Kafka, inéditos em língua portuguesa, selecionados e traduzidos pelo contista catarinense Silveira de Souza. Os pensamentos foram considerados os mais transgressores e corrosivos dos 109 aforismos encontrados nos cadernos do escritor tcheco depois de sua morte, em 1924.

Na seção Arquivo Aberto; Memórias que viram histórias, do mesmo caderno, Sérgio Medeiros, diretor da Editora da UFSC, fala do índio xavante Jerônimo Tsawé, cujos grafismos, feitos aos cem anos de idade, ilustram a capa de seu novo livro de poesia, Figurantes, publicado em 2011 pela Iluminuras, de São Paulo.

Habitante da reserva de Sangradouro, no Estado do Mato Grosso, Jerônimo era o “wamaritede’wa”, o dono dos sonhos, como foi reconhecido por seu povo, a quem
confiou muitas visões proféticas que ajudaram a indicar os caminhos dos índios da aldeia. Sob o título “O dono dos sonhos adormecido”, Medeiros relata seu encontro com o “sonhador oficial” em 1988, quando preparava sua tese sobre narrativas xavantes.

Ainda na edição de domingo, na página Imaginação, contracapa do caderno “Ilustríssima”, Dirce Waltrick do Amarante, professora do curso de Artes Cênicas
da UFSC, traduz e apresenta uma peça sintética do dramaturgo futurista F. T. Marinetti. O artigo marca as comemorações de cem anos do teatro sintético.

Por Raquel Wandelli – jornalista na SeCArte

Tags: A Coisa Perdida: Agamben comenta CaproniEdUFSCFolha de São Paulo

UFSC perde dois professores e um técnico-administrativo

21/02/2011 09:51

Faleceu em Blumenau, cidade onde residia e foi sepultado, Milton Santangelo, professor de Implantodontia do Departamento de Odontologia/CCS. Nasceu em 02/10/1946, foi admitido em 13/08/1971 e aposentou-se em 13/9/1994.

A UFSC perdeu também o professor-doutor Osvaldo Ferreira de Melo, do curso de Direito da UFSC, atualmente aposentado e atuando como professor do CPCJ/UNIVALI. O velório aconteceu na Maçonaria da Serrinha e o corpo seguiu para Balneário Camboriú, onde foi cremado.

Faleceu ainda o  técnico-administrativo Valmir Camilo Pereira, do Departamento de Material e Serviços Gerais, que exercia a funçao de motorista. Valmir Camillo foi admitido na UFSC em 02/08/1985.

Joi Cletison mostra o carnaval nos Açores

21/02/2011 09:33

Fotos: Joi Cletison

O Espaço Cultural Casarão Gallotti, em Tijucas, apresenta até 15 de março a exposição de fotografias “Festival de Teatro Popular : O carnaval na Ilha Terceira – Açores”, com imagens de Joi Cletison Alves. A mostra é o resultado de uma maratona de fotográfica chamada “Gestos e Gente no Carnaval Terceirense” que aconteceu no carnaval dos Açores e foi organizado pela Presidência do Governo Regional dos Açores através da Direcção Regional das Comunidades. A proposta era fotografar o carnaval da Ilha Terceira nos Açores, que é uma coisa atípica. Convidaram para participar deste projeto fotógrafos do Brasil, Canadá e EUA onde encontramos emigração açoriana muito forte. Do Brasil foram fotógrafos do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul e o terceiro foi Joi Cletison Diretor do Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC representando Santa Catarina.
(mais…)

Tags: AçoresexposiçãofotografiasJoi Cletison

ACATE promove workshop com apoio da UFSC

21/02/2011 08:50

Para iniciar uma série de atividades em razão do ano Brasil-Alemanha de Ciência, Tecnologia e Inovação, será realizado em Florianópolis o workshop “Inovação e Tendências em Sistemas de Conhecimento para o Setor Empresarial”. O evento é uma promoção da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), com o apoio do Ministério da Educação e Pesquisa da Alemanha (BMBF) e da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), por meio do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC). Aberto ao público em geral, o workshop será realizado dia 24 de fevereiro, às 18 horas, no auditório Ático da ACATE.
(mais…)

Tags: Acateinovaçãoworkshop

CDS disponibiliza informações sobre atividades oferecidas à comunidade

17/02/2011 16:40

As  informações sobre as atividades esportivas oferecidas pelo Centro de Desportos da UFSC (CDS) à comunidade, para o primeiro semestre de 2011, estão disponíveis no site: www.cds.ufsc.br (Link: Extensão – Atividades Físicas para a Comunidade) e no mural da Coordenadoria de Extensão do CDS – sala 50 (entre os ginásios 1 e 2).

Tags: atividades esportivas. comunidadeCDS

Coral, Madrigal e Orquestra de Câmara da UFSC têm vagas abertas

16/02/2011 17:42

O Coral da UFSC, o Madrigal e a Orquestra de Câmara da UFSC abrem vagas para novos integrantes. Os candidatos aos grupos devem agendar entrevista a partir do dia 21/02 das 14 às 17 horas.  As entrevistas serão realizadas no período de 22 a 24/02, das 14 às 17 horas, na Igrejinha da UFSC, sede do Departamento Artístico Cultural (DAC). O agendamento da entrevista deve ser feito pelo telefone (48) 3721-6493.

Os grupos são coordenados pela maestrina Miriam Moritz e os ensaios iniciam em março. O coral é aberto à comunidade em geral, o madrigal destina-se a alunos de graduação da UFSC, que terão direito à bolsa de Extensão, e a orquestra é aberta à comunidade, sendo que alunos de graduação da UFSC também terão direito a bolsa de Extensão. Quando iniciarem os trabalhos, se houver vagas, novos candidatos poderão ser aceitos. A participação nos grupos é gratuita.

Coral da UFSC ensaia na Igrejinha

Coral da UFSC

O Coral da UFSC mantém suas atividades desde 1963 e hoje faz um repertório de música brasileira acompanhado de violão, baixo e percussão. Tem como objetivos promover e difundir o canto coral e  contribuir com a integração e a extensão cultural da nossa universidade. Pretende também levar a seus coralistas conhecimento teórico e prático, num processo de aprendizagem e valorização da arte musical através do canto.

Vagas para o Coral da UFSC: vozes masculinas (tenor e baixo) e sopranos com experiência em canto, aberto à comunidade em geral. Os ensaios do coral são realizados terças e quintas-feiras das 20 às 22 horas.

Para este ano o Coral pretende desenvolver o projeto “Músicas de Carnaval”, preparando um trabalho que envolva o canto coral, acompanhamento instrumental e breves performances, possibilitando aos integrantes a experiência do canto em grupo, a expressão corporal e a vivência de valores culturais da música brasileira. Além dessas, outras músicas do repertório continuarão a ser trabalhadas.

Madrigal e Orquestra de Câmara - foto: Juliana Frandalozo

Madrigal e Orquestra de Câmara

Os projetos de extensão Madrigal da UFSC e Orquestra de Câmara da UFSC iniciaram em 2009 e têm por objetivo fomentar e difundir a música vocal e instrumental, proporcionando aos músicos em potencial, que fazem parte dos cursos de graduação da UFSC, um espaço para desenvolverem seus potenciais artístico-musicais. Os projetos também visam a divulgar a música erudita e popular, através de apresentações, e com isso incentivar a formação e a cultura local.

O Madrigal da UFSC é composto por 4 naipes vocais: soprano, contralto, tenor e baixo, e destina-se exclusivamente à participação de alunos de graduação da UFSC, com experiência em canto e leitura musical, que terão direito à Bolsa de Extensão. Na entrevista, os candidatos ao Madrigal deverão interpretar uma música erudita da sua escolha, a cappella, e uma música do seu repertório, que poderá ser acompanhada por instrumentista, a cargo do candidato.

Horário de ensaio do Madrigal: 2ª-feira, das 16 às 18h, geral; 5ª-feira, das 17h30 às 19h, naipe masculino; 5ª-feira, das 16h30 às 18h, naipe feminino.

A Orquestra de Câmara é composta por violinos, violas, violoncelo e contrabaixo. É aberta à participação de instrumentistas da comunidade em geral, que já toquem um instrumento de cordas e tenham o instrumento. Os integrantes que forem alunos de graduação da UFSC terão direito à Bolsa de Extensão. Na entrevista, os candidatos à Orquestra deverão interpretar uma música erudita da sua escolha, e uma música com leitura à primeira vista.

Horário de ensaio da Orquestra: 2ª-feira, das 13h30 às 15h30; 4ª-feira, das 16 às 17h30. Para os ensaios por naipe, horário a combinar.

Sobre a regente Miriam Moritz

Miriam Moritz formou-se em música pela Udesc em 1987, onde estudou flauta transversal, canto e canto coral. Em 2003, concluiu pós-graduação em musicoterapia pela Unisul. É mestranda em Literatura na UFSC, com pesquisa na área musical. Foi nomeada Regente do Coral da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, após concurso público realizado em fevereiro e março de 2004, dando início às suas atividades em maio do mesmo ano. Desenvolveu os Projetos “Reconstruindo a Escuta do usuário de Implante Coclear” com equipe multidisciplinar e “Canto para Comunidade” do Projeto Caeira 21, “Atividades Musicais para Pessoas com Doença de Parkinson” e Grupo de Canto para Iniciantes”. Além da regência do Coral, desenvolve os Projetos de Extensão Madrigal e Orquestra de Câmara da UFSC.

O Coral da UFSC, o Madrigal e a Orquestra de Câmara da UFSC fazem parte do Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

SERVIÇO:

O QUÊ: Abertas inscrições para novos integrantes ao Coral, Madrigal e
Orquestra de Câmara da UFSC.
QUANDO: Marcar entrevista a partir do dia 21/02 das 14 às 17 horas. Período para entrevista: de 22 a 24/02, das 14 às 17 horas
ONDE: DAC – Departamento Artístico Cultural, Igrejinha da UFSC, praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis
QUANTO: Gratuito, aberto à comunidade em geral ou a alunos de graduação da UFSC, conforme o grupo.
CONTATO: Para agendar entrevista: (48) 3721-6493 – Outras informações: – Visite: www.dac.ufsc.br

Fonte: [CW] DAC: SECARTE: UFSC

O Coral da UFSC, o Madrigal e a Orquestra de Câmara da UFSC abrem vagas para novos integrantes. Os candidatos aos grupos devem agendar entrevista a partir do dia 21/02 das 14 às 17 horas.  As entrevistas serão realizadas no período de 22 a 24/02, das 14 às 17 horas, na Igrejinha da UFSC, sede do Departamento Artístico Cultural (DAC). O agendamento da entrevista deve ser feito pelo telefone (48) 3721-6493.

Os grupos são coordenados pela maestrina Miriam Moritz e os ensaios iniciam em março. O coral é aberto à comunidade em geral, o madrigal destina-se a alunos de graduação da UFSC, que terão direito à bolsa de Extensão, e a orquestra é aberta à comunidade, sendo que alunos de graduação da UFSC também terão direito a bolsa de Extensão. Quando iniciarem os trabalhos, se houver vagas, novos candidatos poderão ser aceitos. A participação nos grupos é gratuita.

Coral da UFSC

O Coral da UFSC mantém suas atividades desde 1963 e hoje faz um repertório de música brasileira acompanhado de violão, baixo e percussão. O Coral da UFSC tem como objetivo principal promover e difundir o canto coral, bem como contribuir com a integração e a extensão cultural da nossa universidade. Pretende também levar a seus coralistas conhecimento teórico e prático, num processo de aprendizagem e valorização da arte musical através do canto.

Vagas para o Coral da UFSC: vozes masculinas e sopranos com experiência em canto, aberto à comunidade em geral. Os ensaios do coral são realizados terças e quintas-feiras das 20 às 22 horas.

Para este ano o coral pretende desenvolver o projeto “Músicas de Carnaval”, preparando um trabalho que envolva o canto coral, acompanhamento instrumental e breves performances, possibilitando aos integrantes a experiência do canto em grupo, a expressão corporal e a vivência de valores culturais da música brasileira. Além dessas, outras músicas do repertório do grupo continuarão a ser trabalhadas.

Madrigal e Orquestra de Câmara

Os projetos de extensão Madrigal da UFSC e Orquestra de Câmara da UFSC iniciaram em 2009 e têm por objetivo fomentar e difundir a música vocal e instrumental, proporcionando aos músicos em potencial, que fazem parte dos cursos de graduação da UFSC, um espaço para desenvolverem seus potenciais artístico-musicais. Os projetos também visam a divulgar a música erudita e popular, através de apresentações, e com isso incentivar a formação e a cultura local.

O Madrigal da UFSC é composto por 4 naipes vocais: soprano, contralto, tenor e baixo e destina-se exclusivamente à participação de alunos de graduação da UFSC, com experiência em canto e leitura musical, que terão direito à Bolsa de Extensão. Na entrevista, os candidatos ao Madrigal deverão interpretar uma música erudita da sua escolha, a cappella, e uma música do seu repertório, que poderá ser acompanhada por instrumentista, a cargo do candidato.

Horário de ensaio do Madrigal: 2ª-feira, das 16 às 18h, geral; 5ª-feira, das 17h30 às 19h, naipe masculino; 5ª-feira, das 16h30 às 18h, naipe feminino.

A Orquestra de Câmara é composta por violinos, violas, violoncelo e contrabaixo. É aberta à participação de instrumentistas da comunidade em geral, que já toquem um instrumento de cordas e tenham o instrumento. Os integrantes que forem alunos de graduação da UFSC terão direito à Bolsa de Extensão. Na entrevista, os candidatos à Orquestra deverão interpretar uma música erudita da sua escolha, e uma música com leitura à primeira vista.

Horário de ensaio da Orquestra: 2ª-feira, das 13h30 às 15h30; 4ª-feira, das 16 às 17h30. Para os ensaios por naipe, horário a combinar.

Sobre a regente Miriam Moritz

Miriam Moritz formou-se em música pela Udesc em 1987, onde estudou flauta transversal, canto e canto coral. Em 2003, concluiu pós-graduação em musicoterapia pela Unisul. É mestranda em Literatura na UFSC, com pesquisa na área musical. Foi nomeada Regente do Coral da UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, após concurso público realizado em fevereiro e março de 2004, dando início às suas atividades em maio do mesmo ano. Desenvolveu os Projetos “Reconstruindo a Escuta do usuário de Implante Coclear” com equipe multidisciplinar e “Canto para Comunidade” do Projeto Caeira 21, “Atividades Musicais para Pessoas com Doença de Parkinson” e Grupo de Canto para Iniciantes”. Além da regência do Coral, desenvolve os Projetos de Extensão Madrigal e Orquestra de Câmara da UFSC.

O Coral da UFSC, o Madrigal e a Orquestra de Câmara da UFSC fazem parte do Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

SERVIÇO:

O QUÊ: Abertas inscrições para novos integrantes ao Coral, Madrigal e
Orquestra de Câmara da UFSC.
QUANDO: Marcar entrevista a partir do dia 21/02 das 14 às 17 horas. Período para entrevista: de 22 a 24/02, das 14 às 17 horas
ONDE: DAC – Departamento Artístico Cultural, Igrejinha da UFSC, praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis
QUANTO: Gratuito, aberto à comunidade em geral ou a alunos de graduação da UFSC, conforme o grupo.
CONTATO: Para agendar entrevista: (48) 3721-6493 – Outras informações: – Visite: www.dac.ufsc.br

Fonte: [CW] DAC: SECARTE: UFSC

Tags: coralextensãomúsica

Governo libera contratação em federais

16/02/2011 15:54

O governo federal poderá preencher vagas em novas universidades e escolas técnicas sem a necessidade de promover concursos públicos para a contratação de professores efetivos. Medida provisória editada pela presidente Dilma Rousseff coloca a expansão das instituições de ensino federais, uma das principais promessas da presidente, na categoria de “excepcional interesse público”.
(mais…)

Tags: contrataçãogoverno federalProfessores

Capes WebTV traz informações sobre instituições federais e a própria UFSC

16/02/2011 14:40

Foi inaugurada na segunda quinzena de dezembro, na Biblioteca Universitária, a Capes WebTV, mídia exclusiva criada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para a divulgação de conteúdo noticioso dentro dos campi universitários. A UFSC foi a segunda universidade federal a adotar o sistema, que disponibiliza informações sobre editais de fomento à pesquisa, cooperação internacional, avaliação de cursos, bolsas no exterior e outros assuntos de interesse da comunidade acadêmica.

De acordo com a diretora da Biblioteca Universitária, Narcisa Amboni, 28 pontos (25 dentro do campus de Florianópolis e um em cada novo campi, em Joinville, Araranguá e Curitibanos) oferecerão, por meio de monitor de TV, a possibilidade de acessar esses dados, além de notícias da Capes e da UFSC, informações científicas e dados sobre treinamentos dos usuários. No campus da Trindade, haverá monitores na reitoria, no Centro de Cultura e Eventos, na Agecom, nos centros de ensino, nas bibliotecas setoriais e em outros locais estratégicos.

Participaram da inauguração os responsáveis pela implementação da ferramenta na Biblioteca, autoridades representando o Ministério da Educação, a diretora da BU, o reitor Alvaro Prata, o chefe de gabinete José Carlos Cunha Petrus e a pró-reitora de Pós-Graduação, Maria Lúcia de Barros Camargo. Em seus pronunciamentos, eles destacaram a importância da Capes WebTV na difusão do conhecimento para a comunidade universitária e externa e também a participação da Agência de Comunicação (Agecom) e da TV UFSC como parceiras da iniciativa.

O sistema foi apresentado em setembro de 2010 a reitores e pró-reitores de pós-graduação, em evento realizado em Brasília, e está sendo implantado em 21 instituições que manifestaram oficialmente o interesse pelo uso da ferramenta. Entre os programas inicialmente veiculados estão o “Por Dentro da Capes”, “Capes Notícias”, “Capes Oportunidades”, “Portal de Periódicos” e “Acontece no Campus”. Na BU, o monitor está instalado no primeiro piso, próximo ao Espaço Cultural.

O sistema da WebTV não emite sons, utilizando-se de legendas, de forma similar às TVs instaladas em aeroportos. Os serviços serão disponibilizados durante 24 horas, nos sete dias da semana.

Leia mais:

Capes WebTV recebe primeiras adesões

Tags: Capes WebTv

Desligamento da Central Telefônica

16/02/2011 13:53

A SeTIC (Superintendência de Governança Eletrônica e Tecnologia da Informação e Comunicação) comunica que haverá desligamento da central telefônica principal da UFSC no dia 16/02/2011 entre 19:00 e 23:00 horas para execução de procedimentos de atualização de software. Neste período os ramais conectados diretamente a esta central ficarão indisponíveis. Informações pelo fone 3721-6331.

Tags: central telefônicadesligamentoUFSC

Estudantes podem solicitar isenção para o Restaurante Universitário

15/02/2011 17:25

A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) informa que está recebendo requerimentos de isenção para o Restaurante Universitário (RU). Os interessados devem apresentar os seguintes documentos: requerimento disponível no site da PRAE ou da Coordenadoria do Serviço Social (CoSS); atestado de matrícula do semestre 2011.1; e cadastro socioeconomico aprovado anteriormente à entrega do requerimento. Outras informações pelo telefone (48) 3721-9341 ou pelo e-mail .

Tags: pedido de isençãoPRAERU

Curso Superior de Magistério indígena abre Universidade para todos

14/02/2011 20:43

Eles vieram de territórios localizados em Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, São Paulo e Espírito Santo atrás do antigo sonho de cursar uma faculdade específica para professores indígenas. Alguns casais deixaram os filhos com parentes nas aldeias e trouxeram os menores de colo para a sala de aula. Várias alunas ainda estão amamentando. O primeiro dia de aula mostrou que os 120 alunos Guarani, Kaingáng e Xokleng aprovados no Vestibular do Curso Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica, iniciado na tarde de segunda, 14, na Universidade Federal de Santa Catarina, estão dispostos a enfrentar todas as dificuldades para completar sua formação como professores e ajudar seus povos na luta pelas condições de sobrevivência e pela defesa da sua cultura.

“Por meio da educação vamos superar o paternalismo dos órgãos indigenistas para conquistar nossa autonomia e defender nossa cultura”, sentenciou Getúlio Tójfa, coordenador pedagógico da Escola Cacique Vanhkre, em Ipuaçu, ao discursar em nome dos Cainkáng na cerimônia de recepção dos calouros e abertura do curso no auditório do Centro de Filosofias Humanas. O auditório lotado e multicolorido com a presença das lideranças das três etnias, dos representantes da rede de departamentos que integram o curso e das diversas entidades ligadas à promoção do índio fez dessa conquista pedagógica um momento de comemoração e também um ato político na defesa de uma educação inclusiva. Sobre a importância de realizar a primeira graduação específica em licenciatura indígena direcionada para professores das três etnias dos territórios do Sul e Sudeste do País, o reitor Álvaro Prata pontuou: “a UFSC assume sua condição de universidade dessa grande nação brasileira, que é não é somente dos brancos, mas sobretudo dos nativos”.

Com duração de quatro anos, o curso superior contempla alunos de Santa Catarina e de outros estados do sul e sudeste que não dispõem desse tipo de formação. Seguindo o método da pedagogia da alternância, que prevê o aprendizado teórico em sala e períodos de aplicação prática nas escolas das aldeias, os alunos-professores devem permanecer em torno de duas semanas hospedados em um hotel em Florianópolis e depois retornam aos seus territórios para reiniciar as aulas dois meses depois. O tempo de estudo na comunidade prevê pesquisas orientadas, estágios, projetos de intervenção comunitária nas escolas das aldeias.  Como conquista da luta das comunidades indígenas, de professores e pesquisadores da área, a graduação foi concebida pela Comissão Interinstitucional de Educação Superior Indígena (CIESI) em conjunto com representantes indígenas, a partir de projeto aprovado pelo Programa de Licenciatura Indígena do Ministério da Educação, explica a coordenadora do curso Ana Lúcia Vulfe Nötzold, do Departamento de História. O Prolind financia hospedagem e alimentação para docentes especialistas nas temáticas.

São 120 alunos aprovados no Vestibular, 40 de cada etnia. A maioria já atua em escolas de aldeias, mas há jovens indígenas recém-egressos do ensino médio e lideranças comunitárias e também índios formados em faculdades não específicas, de português e história, principalmente. É o caso de Keli, formada em Letras-Português pela Unasselvi, que veio com o marido Eduardo Tuquê e trouxe dois dos quatro filhos, um de quatro e outro de dois. Com dificuldades de se concentrar na aula e dar atenção aos filhos, eles pretendem conseguir alguém para levar as crianças de volta à aldeia Xokleng, em Ibirama, mas não querem desistir: “A gente precisa desse conhecimento na nossa língua específica para ajudar a fortalecer nossa cultura nas aldeias”, diz Keli. A índia Eunice Antunes, professora da Escola Itaty, do Morro dos Cavalos, que também discursou em nome do povo Guarani, ainda não acredita que a luta pela graduação se concretizou: “Parece que estou sonhando acordada! E todas as entidades e nós alunos demos o máximo para estar aqui. Não é um privilégio, é uma conquista!”

Com habilitação geral em Licenciatura da Infância e ênfase no ensino fundamental comum a todos, a formação desses alunos-professores será voltada para o eixo norteador Territórios Indígenas: Questão Fundiária e Ambiental no Bioma Mata Atlântica. A coordenadora Ana Lúcia lembra que a questão territorial está ligada ao direito do indígena de existência enquanto povo. “Quando se fala em acesso à cidadania, um dos direitos fundamentais é o de poder existir, que está ligado à questão da identidade e do território tão prementes hoje para esses povos”, enfatiza.  Até o quinto período, os acadêmicos estarão separados por etnia, cursando disciplinas específicas. Na sequência, optarão por uma das três terminalidades, que são: Licenciatura das Linguagens, com ênfase em Línguas Indígenas; Licenciatura em Humanidades, com ênfase em Direitos Indígenas e Licenciatura do Conhecimento Ambiental, com ênfase em Gestão Ambiental.

Os parceiros na UFSC incluem os departamentos de Antropologia (que vai ministrar disciplina de mitologia indígena), de Metodologia de Ensino, de Direito, de Engenharia Sanitária e Ambiental, entre outros, além do Museu Universitário, ligado à Secretaria de Cultura e Arte, que atuará com professores e infra-estrutura para atividades pedagógicas, científicas e culturais, conforme Maria Dorothea Darella, pesquisadora do Laboratório de Etnologia Indígena. Como parceiros externos, a Secretaria da Educação firmou um termo de cooperação para dar apoio pedagógico aos alunos que são também professores da educação indígena das rede pública estadual e flexibilizar o seu horário nas aldeias. A Funai financiar o deslocamento dos índios dos seus territórios para Florianópolis. Entidades como a Capi (Comissão de Apoio aos Povos Indígenas), CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e Comin (Conselho de Missão entre Índios) participaram de todas as decisões de modo a preservar as especificidades e interesses das etnias.

Em Santa Catarina, 9.200 pessoas integram a população indígena, 2.812 pertencentes à faixa etária escolar entre um a 14 anos. Oferecendo formação superior pública e gratuita, o projeto cumpre a Lei de Diretrizes e Bases de 96, que determina a graduação dos professores de escolas indígenas. Em todo sul e sudeste do Brasil, somente a Unochapecó oferece um curso específico para Kaingángs e atendendo apenas professores de Santa Catarina.

Por Raquel Wandelli/ Jornalista na SeCArte

Fotos: Cláudia Schaun Reis/Jornalista na Agecom

Tags: Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica

Matrículas para cursos extracurriculares de línguas iniciam em março

14/02/2011 14:37

As matrículas para os cursos serão efetuadas exclusivamente pela internet e por ordem de acesso. Vagas limitadas. As matrículas para alunos antigos que realizaram os cursos extracurriculares de línguas estrangeiras oferecidos pela UFSC em 2010.1 ou 2010.2 (exceto nível 1) serão feitas nos dias 14 e 15 de março, no bloco B, Centro de Comunicação e Expressão (CCE).

As inscrições para os testes de nivelamento dos alunos novos (somente para quem não quer entrar no nível 1) serão realizadas no dia 14 de março através do site www.cce.ufsc.br/extra, das 8h às 17h. As vagas são limitadas.

Pessoas que não tiverem acesso à internet devem procurar a sala de suporte do Departamento de Língua e Literaturas Estrangeiras (DLLE) nesse mesmo dia e horário. As datas de realização dos testes de nivelamento estão disponíveis abaixo ou no endereço http://www.cce.ufsc.br/extra.

MATRÍCULA 2011.1

Informações relativas às matrículas para alunos antigos, que cursaram o extra em 2010.1 ou 2010.2:

14/3 (2ª feira) – Matrícula de inglês para alunos antigos das 14h às 20h (exceto nível 1)

15/3 (3ª feira) – Matrícula de outros idiomas para alunos antigos das 8h às 14h (exceto nível 1)

15/3 (3ª feira) – Continuação da matrícula para os alunos antigos das 14h às 20h (exceto nível 1)

Matrículas para alunos novos:

Testes de Nivelamento (somente para quem não quer entrar no nível 1)

14/3 (2ª feira) – Inscrição para os testes, acessando o site www.cce.ufsc.br/extra das 8h às 17h (vagas limitadas)

Obs.: As pessoas que não tiverem acesso à internet devem procurar a sala de suporte do DLLE nesse mesmo dia e horário.

14/3 (2ª feira) – Nivelamento para inglês níveis de 2 a 8 (18h30min)

14/3 (2ª feira) – Nivelamento para inglês níveis de 2 a 8 (20h)

15/3 (3ª feira) – Nivelamento para inglês níveis de 2 a 8 (12h)

15/3 (3ª feira) – Nivelamento para inglês níveis de 2 a 8 (16h30min)

15/3 (3ª feira) – Nivelamento para TOEFL, Inglês Avançado, Leitura e Conversação em nível Avançado (18h30min)

15/3 (3ª feira) – Nivelamento para Alemão, Espanhol, Francês, Italiano (18h30min)

15/3 (3ª feira) – Nivelamento para inglês níveis de 2 a 8 (20h)

16/3 (4ª feira) – Nivelamento para inglês níveis de 2 a 8 (10h)

17/3 (5ª feira) – Resultados dos testes de nivelamento estarão disponíveis na internet (www.cce.ufsc.br/extra) a partir das 16h.

Matrícula para alunos novos:

18/3 (6ª feira) – Matrícula nível 1 de inglês das 8h às 14h

18/3 (6ª feira) – Matrícula nível 1 de outros idiomas das 14h às 20h

21/3 (2ª feira) – Matrícula para os alunos classificados no teste de nivelamento de inglês (exceto nível 1) das 8h às 14h

21/3 (2ª feira) – Matrícula para os alunos classificados no teste de nivelamento de outros idiomas (exceto nível 1) das 14h às 20h

Obs.: As matrículas para os cursos serão efetuadas exclusivamente pela internet e por ordem de acesso. Vagas limitadas.

Português para Estrangeiros:

As inscrições serão feitas no DLLE, CCE, bloco B, 1º andar.

Matrícula Presencial:

14/3 a 16/3 (de 2ª a 4ª feira) – Matrícula e inscrição para nivelamento das 8h às 18h

16/3 (4ª feira) – Teste de nivelamento (14h)

18/3 (6ª feira) – Matrícula para os alunos classificados no teste de Português

Valor total do curso:

– Estudante universitário e estudante do Colégio de Aplicação: R$ 275 (munido de comprovante)

– Professor e servidor da UFSC: R$ 275 (munido de comprovante)

– Servidor público de outras instituições: R$ 340 (munido de comprovante)

– Comunidade: R$470

TOEFL: (Curso Preparatório)

– Estudante universitário e estudante do Colégio de Aplicação: R$ 360 (munido de comprovante)

– Professor e servidor da UFSC: R$ 360 (munido de comprovante)

– Servidor Público de outras instituições: R$ 450 (munido de comprovante)

– Comunidade: R$ 625

Outras informações pelos telefones (48) 3721-9288 e 3721-6607 ou e-mail .

Tags: cursos extracurricularesDLLEmatrícula 2011

Na Mídia: Agência Fapesp destaca projeto conjunto com Embraer que tem colaboração da UFSC

11/02/2011 09:51

Conforto nas nuvens

11/2/2011

Por Elton Alisson

Agência FAPESP – A partir de março, um grupo de pessoas habituadas a viajar de avião passará a se reunir periodicamente para apontar o que poderia mudar no interior de uma aeronave de modo a aumentar os níveis de conforto durante um voo.

Elas participarão de um estudo realizado pela Embraer em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), que visa a desenvolver cabines de aviões mais confortáveis.

Iniciada no segundo semestre de 2008, na pesquisa estão sendo analisados os fatores que influenciam a sensação de conforto dos passageiros de um avião, como vibração, temperatura, pressão e ergonomia, além de odores, materiais e iluminação.

Na primeira fase do projeto, financiado pela FAPESP por meio do programa Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE), os cientistas estudaram esses fatores de forma isolada por meio de testes com participantes treinados.

Agora, deverão iniciar os estudos desses diversos aspectos de maneira integrada, por meio de ensaios com cerca de 600 participantes que já viajaram de avião.

“Os participantes darão suas respostas baseadas unicamente em preferências pessoais. E, como é um teste com consumidor, eles só poderão participar uma única vez”, disse o coordenador do projeto, Jurandir Itizo Yanagihara, do Departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica (Poli) da USP, à Agência FAPESP.

Para realizar os testes, o interior do Laboratório de Engenharia Térmica e Ambiental (LETE) da Poli-USP será transformado em um aeroporto cenográfico.

Ao chegar ao prédio do laboratório, os participantes dos ensaios aguardarão em espaço semelhante ao de uma sala de espera de um terminal aeroportuário o momento de embarcar em uma viagem, com duração prevista de três a quatro horas, em um simulador de voo.

Segundo do gênero no mundo – o primeiro está localizado na Alemanha –, o equipamento reproduzirá todas as características do interior da cabine de aeronaves – no caso, modelos 170 e 190 da Embraer.

Representará também as condições de um voo real, como pressão, temperatura, ruído e vibração, para que os pesquisadores possam analisar esses fatores em conjunto e as influências de um sobre os outros.

“O simulador terá som, iluminação, poltronas e o que mais há em um avião. A ideia é que, passado certo tempo, os participantes fiquem tão imersos no ambiente reproduzido pelo equipamento que esqueçam que estão participando de um teste e pensem que realmente estão viajando em um avião”, explicou Yanagihara.

Previsto para ser concluído no fim de 2011, o projeto deverá resultar em critérios que os engenheiros da Embraer poderão priorizar nos projetos das aeronaves fabricadas pela empresa, além de softwares que permitirão prever o comportamento dos passageiros de um avião em diferentes momentos da viagem.

Com base nessas ferramentas, a fabricante brasileira de aviões poderá elevar os níveis de conforto das cabines de suas aeronaves e garantir o bem-estar dos passageiros durante suas viagens. “Os resultados da pesquisa deverão ter impactos diretos no projeto de todas as aeronaves civis fabricadas daqui para frente pela Embraer”, afirmou Yanagihara.

Ineditismo

De acordo com o professor da Poli, o desenvolvimento dessas ferramentas de pesquisa é inédito no hemisfério Sul e bastante recente no cenário mundial da aviação civil, uma vez que só nos últimos anos o conforto passou a ser uma prioridade nos projetos de aeronaves comerciais.

Nas décadas de 1950 e 1960, segundo ele, a principal preocupação no desenvolvimento de um modelo de avião era garantir a segurança. Em função disso, as primeiras aeronaves eram bastante desconfortáveis.

Já nas décadas seguintes, depois de o problema da segurança ser em grande parte solucionado, o foco passou a ser a economicidade das aeronaves. E só nos últimos cinco a dez anos o aspecto do conforto passou a ser considerado mais relevante.

“O atributo do conforto passou a ser reconhecido como um importante diferencial no mercado de aviação civil, e essa é a razão pela qual as grandes fabricantes do setor estão investindo nesse aspecto em seus projetos”, apontou Yanagihara.

Para sair na frente nessa corrida, empresas como Airbus e Boeing iniciaram pesquisas na área internamente ou por meio de consórcios, que contam com a participação de universidades e instituições de pesquisa europeias e norte-americanas. A partir de 2006, foram iniciadas discussões entre a Embraer e as universidades que resultaram no presente projeto de pesquisa.

Segundo Yanagihara, uma das principais diferenças apresentadas pela pesquisa que está sendo realizada em parceria com a empresa brasileira em relação às conduzidas por outros fabricantes de avião está no porte dos aviões analisados.

A pesquisa está centrada em modelos de aviões menores, com os quais a Embraer se notabilizou no mercado internacional. Já os trabalhos feitos pela Boeing e Airbus estão relacionados a aviões de grande porte.

Em função dessa diferença, os resultados já começaram a chamar a atenção de cientistas estrangeiros, que realizam ensaios com aviões de grande porte.

“Certamente, várias observações que faremos durante a pesquisa serão inéditas, por estarmos trabalhando com aviões de menor porte, de apenas quatro passageiros por fileira, que voam a distâncias mais curtas e cujas características de vibração, ruído e pressão são diferentes das de aeronaves com fuselagens maiores”, comparou o cientista.

Decisões excludentes

Uma das constatações dos testes já realizados é que o nível de ruído dos aviões – produzido, entre outras fontes, pelas turbinas – é bastante alto. Por outro lado, para o passageiro é importante ouvir o ruído, por ser uma comprovação de que a aeronave está voando e de que suas turbinas estão funcionando.

“Se o passageiro não ouvir o ruído da turbina em uma aeronave, isso poderá causar muita apreensão. De qualquer forma, o ruído proveniente da turbina é mais difícil de ser mitigado e é de responsabilidade do fabricante do equipamento. Por outro lado, existem fontes importantes de ruído, como os sistemas ambientais, que têm sido objeto de maior atenção. É preciso levar em consideração todas essas questões no desenvolvimento de um projeto”, ressaltou Yanagihara.

Já em relação ao conforto térmico, segundo o pesquisador, é desejável que a umidade da cabine de uma aeronave não seja muito baixa. Mas, normalmente, todos os aviões trabalham com baixa umidade, em torno de 15%.

Se essa taxa for aumentada um pouco mais, o vapor d’água do ar se condensaria próximo à parede metálica da cabine da aeronave, que fica em contato com o ar frio externo, e ficaria aprisionado no material isolante do avião, aumentando seu peso em até 500 quilos, no caso de aviões de grande porte.

“Isso é algo que precisa ser analisado, se vale a pena ou não mudar em um projeto de aeronave. E é uma decisão que a Embraer poderá tomar de modo mais assertivo a partir dos resultados dessa pesquisa”, disse.

Os interessados em participar da pesquisa podem se cadastrar em www.lete.poli.usp.br/confortodecabine/inicio.html.

Leia também material produzido pela Agecom:
Especial Pesquisa: UFSC desenvolve projeto para reduzir vibrações e ruídos em aeronaves


Tags: acústica de aeronavesembraerpesquisa

Povos indígenas ganham primeira graduação em Licenciatura do sul do País

10/02/2011 10:07

Representantes de povos indígenas de Santa Catarina, Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo serão beneficiados pela licenciatura. Fotos: Jeniffer Silva

Povos Guarani, Kaingáng e Xokleng que vivem na região Sul da Mata Atlântica iniciam neste semestre, na Universidade Federal de Santa Catarina, a primeira  graduação em licenciatura para professores de educação indígena do Sul e Sudeste do País. O curso superior contempla alunos de Santa Catarina e de outros estados, como Espírito Santo, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo, que não dispõem desse tipo de formação. Seguindo o método da pedagogia da alternância, que prevê o aprendizado teórico em sala e períodos de aplicação prática nas escolas das aldeias, as aulas iniciam junto com as inscrições, nos dia 14 e 15 de fevereiro, no Departamento de História da UFSC.

Um total de 120 alunos aprovados no Vestibular, 40 de cada etnia, devem confirmar sua inscrição, matriculando-se no Curso Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica. A recepção dos calouros está programada para o dia 14 de fevereiro, às 14 horas, o auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Para que o curso fosse aproveitado em sua capacidade máxima, a UFSC realizou a segunda e a terceira chamada e todas as vagas foram preenchidas. A maioria já atua em escolas de aldeias, mas há também jovens indígenas recém-egressos do ensino médio e lideranças comunitárias. Os alunos devem apresentar comprovante de conclusão do segundo grau e declaração de pertencimento a uma comunidade indígena assinada pelo cacique e pelo aluno, cujo modelo se encontra na página do curso:licenciaturaindigena.ufsc.br.

 

Com duração de quatro anos, a formação desses alunos-professores será voltada para o eixo norteador Territórios Indígenas: Questão Fundiária e Ambiental no Bioma Mata Atlântica. Até o quinto período, os acadêmicos estarão separados por etnia, cursando disciplinas específicas para sua cultura. Nos últimos dois anos, eles se habilitarão em uma das quatro terminalidades, que são: Licenciatura da Infância, com ênfase no ensino fundamental; Licenciatura das Linguagens, com ênfase em Línguas Indígenas; Licenciatura em Humanidades, com ênfase em Direitos Indígenas e Licenciatura do Conhecimento Ambiental, com ênfase em Gestão Ambiental. O tempo de estudo será alternado entre o tempo na universidade, com aulas na UFSC, Museu Universitário e outros locais em Florianópolis, nos meses de fevereiro e maio, e o tempo na comunidade, quando serão realizados estudos orientados, estágios, projetos de pesquisa e de intervenção comunitária nas escolas das aldeias de origem dos graduandos.

Antigo sonho das comunidades indígenas, de professores e pesquisadores da área, o Curso foi implantado por uma comissão interinstitucional, a partir de um projeto do Departamento de História aprovado pelo Programa de licenciatura Indígena do Ministério da Educação, explica a coordenadora Ana Lúcia Vulfe Nötzold, do Departamento de História. O Pró-lind financiará, entre outras coisas, hospedagem e alimentação para os alunos. Os parceiros da UFSC incluem os Cursos de Antropologia (que vai ministrar disciplina de mitologia indígena) e de Engenharia Ambiental, além do Museu Universitário, ligado à Secretaria de Cultura e Arte, que cederá professores e infra-estrutura paraatividades pedagógicas, científicas e culturais, conforme Maria Dorothea Darella, pesquisadora do Laboratório de Etnologia Indígena. Como parceiros externos, a Secretaria da Educação flexibilizará o horário dos professores da rede pública e a Funai financiará o deslocamento dos índios das aldeias para Florianópolis. Entidades como a Capi (Comissão de Apoio aos Povos Indígenas), CIMI (Conselho Indigenista Missionário) e Conin (Conselho de Povos Indígenas) participaram de todas as decisões de modo a preservar as especificidades e interesses das etnias.

Em Santa Catarina, 9.200 pessoas integram a população indígena, 2.812 pertencentes à faixa etária escolar entre um a 14 anos. Oferecendo formação superior pública e gratuita, o projeto cumpre a Lei de Diretrizes e Bases de 96, que determina a graduação dos professores de escolas indígenas. Em todo sul e sudeste do Brasil, somente a Unochapecó oferece um curso específico para Kaingangs e atendendo apenas professores de Santa Catarina. Sobre o eixo norteador, a coordenadora lembra que a questão territorial está ligada ao direito do indígena de existência enquanto povo. “Quando se fala em acesso à cidadania, um dos direitos fundamentais é o de poder existir, que está ligado à questão da identidade e do território tão prementes hoje para esses povos”, enfatiza. Mais informações sobre o curso pelos fones 3721-4879 e 9122-8451, com Ana Lúcia Vulfe Nötzold; ou com Dorothea Post Darella, fones 3721-6472,  3721-9793 ou 9161-8201.

Raquel Wandelli

assessora de comunicação da SeCarte/UFSC

99110524 e 37219459

Recepção de boas vindas aos calouros de Licenciatura Intercultural Indígena

09/02/2011 14:56

Na próxima segunda, 14/02, às 14h, acontece a recepção de boas vindas aos calouros do curso de Licenciatura Intercultural Indígena do Sul da Mata Atlântica. Os alunos serão recebidos no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC.

Informações com a coordenadora do curso, Ana Lúcia Nötzold, 3721-4879 ou com a antropóloga Dorothea, 3721-6472 ou 3721-9793.

Horário de verão na UFSC

09/02/2011 14:20

A Administração Central publicou a Portaria nº 1491/ GR/2010 que determina: de segunda a quinta-feira a jornada de trabalho dos servidores docentes e técnico-administrativos será das 13h às 19h, e às sextas-feiras, das 7h às 13h,  de 20/12/2010 a 18/02/2011, em período único, salvo os serviços considerados essenciais. A compensação será efetuada em 2011, conforme as necessidades.

PORTARIA Nº 1491/GR/2010, DE 29 DE NOVEMBRO DE 2010.

O Reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, no uso das atribuições que lhe confere o artigo 26 do Estatuto da UFSC;

Considerando a necessidade de racionalizar o consumo de energia elétrica, água, serviços de telefonia e outros;

Considerando o interesse de compatibilizar a jornada de trabalho da UFSC com a dos órgãos públicos federais, estaduais e municipais, que adotam, igualmente, horário especial de verão,

R E S O L V E:

Art.1.º Estabelecer a jornada de trabalho dos servidores docentes e técnico-administrativos desta Universidade, de segunda a quinta-feira, das 13h às 19h, e sextas-feiras, das 7h às 13h, durante o período de 20/12/2010 a 18/02/2011, em período único, salvo os serviços considerados essenciais.

Art. 2.º A compensação do referido horário será efetuada no exercício de 2011, atendendo às necessidades de serviço, sob o acompanhamento da chefia imediata.

Prof. Alvaro Toubes Prata

Original firmado

Especial Pesquisa: Estudo busca alternativa para tratar tuberculose de forma mais rápida e menos tóxica

04/02/2011 10:02

A tuberculose é a doença infecciosa que mais mata no mundo. O Relatório para o Dia Mundial da Tuberculose, divulgado em  2010, alerta que 9,4 milhões de pessoas tinham a doença em 2008. No Brasil, 73 mil casos foram notificados no mesmo ano. Os medicamentos podem ser adquiridos de forma gratuita no país, porém os cerca de seis meses de cuidados, além dos efeitos colaterais causados pela medicação, faz com que muitas pessoas interrompam o tratamento. Uma pesquisa realizada na UFSC desde 2007 estuda uma nova maneira de tratar a tuberculose e pode reduzir o quadro de desistência durante esse processo.

Os estudos se concentram em uma das enzimas que a Mycobaterium tuberculosis libera dentro da célula humana, chamada de PtpA. Sem a liberação dessa enzima, a bactéria que causa a doença não consegue se desenvolver no corpo humano e acaba morrendo. Enquanto a maioria das pesquisas estuda novos antibióticos para matar a bactéria, um grupo da UFSC preocupou-se em encontrar e estudar compostos químicos que atuam como inibidores da enzima PtpA.

“Os antibióticos usados atualmente no combate à doença são tóxicos e o tratamento com eles muito longo. Vimos nos inibidores um potencial tratamento para a tuberculose”, explica o professor do Departamento de Bioquímica da UFSC e coordenador do Centro de Biologia Molecular Estrutural (Cebime), Hernán Terenzi. O trabalho é desenvolvido em colaboração com os professores Rosendo Yunes e Ricardo Nunes (Departamento de Química da UFSC), Javier Vernal (Cebime), pós-doutorandos, alunos de doutorado, mestrado e iniciação científica. Já foram testados mais de 200 potenciais inibidores.

Publicação internacional

Realizados a partir da técnica de ensaio in vitro, os experimentos indicam que cinco inibidores reagiram muito bem quando em contato com a enzima liberada por Mycobacterium tuberculosis. Em 2008, os resultados sobre os mais apropriados foram divulgados na revista científica Bioorganic & Medicinal Chemistry Letters. Mas o melhor ainda estava por vir.

Em 2009, a equipe composta por profissionais das áreas de Bioquímica e Química da UFSC entrou em contato com o pesquisador Yossef Av-Gay, do Canadá. Conhecido internacionalmente por suas pesquisas sobre o bacilo que causa a tuberculose, Av-Gay havia descoberto onde e como a enzima PtpA atua nos macrófagos, um tipo de célula que defende o corpo humano de organismos estranhos.

O contato entre os pesquisadores foi promissor. Pela primeira vez foram estudados inibidores para a PtpA e o professor canadense se interessou pela parceria. Yossef Av-Gay cultivava em laboratório os macrófagos e testou a reação deles com os inibidores indicados pelos brasileiros. A cooperação foi uma alternativa às condições de testes no Brasil.

A segunda etapa de experimentos rendeu outro artigo, publicado em abril de 2010 na revista Bioorganic & Medicinal Chemistry Os estudos focaram a produção de um modelo para a estrutura da enzima em contato com os inibidores, a fim de entender como o inibidor reage quimicamente com essa proteína liberada pela bactéria. O artigo também aborda o tempo de reação desses compostos químicos. O inibidor mais eficiente no combate ao bacilo matou, em três dias, quase a totalidade das bactérias nos macrófagos humanos.

Agora, o grupo está analisando detalhadamente a ligação entre inibidor e enzima para estudar mais a fundo suas interações. No artigo a equipe destaca os resultados positivos, que podem beneficiar, no futuro, o mundo inteiro: “Esses inibidores são facilmente obtidos, a baixo custo, têm estrutura simples e podem representar um potencial terapêutico no combate a tuberculose”, comemora o professor Terenzi.

Mais informações com o professor Hernán Terenzi, e-mail: / (48) 3721-9589

Por Cláudia Mebs / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: pesquisatuberculose

Especial Pesquisa: Projeto alerta que conhecimento ecológico tradicional está se perdendo em Santa Catarina

04/02/2011 09:35

Agricultores do oeste catarinense estão perdendo o conhecimento tradicional sobre as espécies nativas da região. Esse é um dos alertas de uma pesquisa reconhecida com o Prêmio Valorização da Biodiversidade de Santa Catarina, promovido pela Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc).
(mais…)

Tags: Prêmio Valorização da Biodiversidade de Santa Catarina

UFSC na Academia Brasileira de Ciências

04/02/2011 09:21

Será realizada no dia 3 de maio a posse de novos membros eleitos pela diretoria da Academia Brasileira de Ciências. Entre eles está o professor Adilson José Curtius, do Departamento de Química da UFSC. Com mais uma nomeação a Universidade passa a contar com quatro representações na entidade. Já faziam parte da Academia os professores João Batista Calixto (Departamento de Farmacologia), Faruk Nome e Ademir Neves (ambos do Departamento de Química).

Por Arley Reis / Jornalista na Agecom

Tags: Academia Brasileira de Ciências