Imperialismo e Cultura na América Latina em debate nas Jornadas Bolivarianas

30/03/2011 14:48

Começa no dia 4 de abril, segunda-feira, às 18h30min, no Auditório da Reitoria,  na UFSC, a sétima edição das Jornadas Bolivarianas. O tema Imperialismo e Cultura na América Latina vai  ser esmiuçado em conferências de reconhecidos intelectuais de países como Venezuela, Cuba, Costa Rica, Brasil e Bolívia.  As Jornadas, realizadas pela sétima vez, são promovidas pelo Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA/UFSC), e têm tido,  em todas as edições, grande afluência e participação de público. Neste ano, o  evento conta com o apoio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), Centro Sócio-Econômico (CSE), Secretaria de Cultura e Arte (Secarte), Departamento e Pós-Graduação em Serviço Social, Departamento e Pós em Ciências Econômicas, Pós-Graduação em História e Sinergia – Sindicato dos Eletricitários de Florianópolis e Região. O evento  acontece até  7 de abril, no Auditório da Reitoria.

O fenômeno do imperialismo sempre foi bastante estudado. Algumas obras clássicas que diretamente remetem ao tema são Imperialismo: um estudo, de J.A. Hobson, Imperialismo: fase superior do capitalismo, de Lenin, e A era do imperialismo, de Harry Magdoff. Mais recentemente, em 2003, David Harvey publicou a obra O novo imperialismo, significativa  contribuição para o debate do tema. Mas, apesar dos reconhecidos aportes críticos, alguns autores, como os citados, acabaram por se limitar ao plano político-econômico, de modo que pouco se tratou do papel da cultura.  O colonialismo intelectual e mental a que são submetidos os povos na América Latina, por exemplo, ainda não recebeu o devido tratamento.

É sabido que a investida imperial consiste na ocupação, domínio e subordinação de terras alheias, mas não apenas no campo geográfico. Um dos aspectos mais importantes para a compreensão plena do imperialismo é o “edifício cultural” que o sustenta. Daí a importância de debater esse tema, que as Jornadas Bolivarianas propõem este ano. Participam das conferências o vice-ministro de Cuba, Fernando Rojas; um dos criadores da idéia da Telesur, Aram Aharonian; o escritor e presidente do Instituto de Estudios Latinoamericanos da Costa Rica, Rafael Molina; a socióloga aymara Silvia Cusicanqui, da Bolívia;  e o cineasta brasileiro Sérgio Santeiro.

Confira a programação:

04 a 07 de abril de 2011

Florianópolis – Brasil

04 de abril de 2011

– Noite – Auditório da Reitoria – UFSC

18h30 –  Abertura oficial das Jornadas Bolivarianas- 7ª edição

19h – Conferência – Cuba: do experimento neocolonial à liderança antiimperialista

Fernando Rojas – Cuba

Coordenação: Beatriz Paiva

05 de abril de 2011

– Manhã – Auditório da Reitoria – UFSC

9h – Conferência: O imperialismo na América Central

Rafael Cuevas Molina – Costa Rica

Coordenação: César Medeiros

– Tarde – Auditório da Reitoria – UFSC

14h30 – Apresentação de trabalhos

Coordenação: Vitor Hugo Tonin

– Noite – Auditório da Reitoria – UFSC

18h30 – Conferência: Imperialismo e cultura andina

Silvia Rivera Cusicanqui  – Bolívia

Coordenação: Fernando Correa Prado

Lançamento do livro “O Mapa da Crise”, organizado por Nildo Ouriques e Elaine Tavares

06 de abril de 2011

– Manhã – Auditório da Reitoria – UFSC

9h – Conferência: O cinema latino-americano e a indústria cultural

Sérgio Santeiro – Brasil

Coordenação: Nildo Ouriques

– Tarde – Auditório do CCE

14h30 às 18h – Reprodução de filmes de Fernando “Pino” Solanas –

– Noite – Auditório da Reitoria – UFSC

18h30 – Conferência: A mídia e o Imperialismo

Aram Aharonian – Venezuela

Coordenação: Elaine Tavares

07 de abril de 2011

– Manhã – Auditório da Reitoria – UFSC

9h – Mesa redonda: Imperialismo e cultura na América Latina

Aram Aharonian, Fernando Rojas, Rafael Cuevas Molina, Sérgio Santeiro e Nildo Ouriques

Coordenação: Waldir José Rampinelli

– Tarde – Auditório do CSE – UFSC e Hall da Reitoria

14h30 às 18h – Reprodução de filmes de Fernando “Pino” Solanas –

Noite

20h – Em frente à reitoria

Festa Latino-Americana

Atenção: As inscrições acontecem no local do evento e quem quiser o certificado deve sempre assinar a lista de presença.

Outras informações no IELA/UFSC (www.iela.ufsc.br).

Telefone (48) 3721-4938

Fonte: IELA/UFSC

Tags: IELAJornadas Bolivarianassétima edição

Nova temporada de “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny” no Teatro da UFSC

30/03/2011 11:28

Dias 2, 3, 8, 9, 10 e 15, 16,17 de abril, sempre às 21h, no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha. Gratuito e aberto à comunidade. É preciso retirar os convites no DAC, às quintas e sextas-feiras, das 14h às 18h, ou na bilheteria do Teatro, meia hora antes do espetáculo (sujeito à disponibilidade de lugares).
(mais…)

Tags: Carmen FossariMahagonnyTeatro da UFSC

Antropólogo italiano propõe o estupor na relação entre as culturas

30/03/2011 10:43

Se fosse para sintetizar o pensamento de Massimo Cavenacci, o oposto do dito popular “quem gosta de velharia é museu” exprimiria bem o que prega o antropólogo italiano. Não há nada mais atual do que colecionar as relíquias do contemporâneo. Ao falar sobre Os desafios do museu no século XXI, o catedrático da Universitá di Roma La Sapienza e professor convidado do Departamento de Psicologia da UFSC defendeu a polifonia dos museus, a exposição de acervos museais em espaços dinâmicos da cidade e a apropriação das tecnologias digitais para a autorrepresentação das culturas e identidades.  Em suma, o museu contemporâneo deve se constituir na mobilidade da vida urbana, incorporar as novas tecnologias e estar atento à pluralidade das culturas. A conferência atraiu uma plateia de cerca de cem pessoas, entre alunos, professores e comunidade em geral para o pequeno auditório do Museu Universitário na tarde da terça (29), abrindo o primeiro evento do ciclo de debates O Pensamento do Século XXI e da série Museu em Curso deste ano.

Fotos: Paulo Noronha/Agecom

Lançador de instigantes neologismos conceituais como “multivíduo performático” e “desnativização” o autor de A cidade polifônica – Ensaios sobre a antropologia da comunicação urbana mostrou que as posturas e performances de corpo são objetos privilegiados das coleções museológicas do presente e propôs que o museólogo suspenda o conceito de nativo, à medida que traduz um olhar colonialista em relação ao outro. “O museu deve favorecer a multiplicação da subjetividade”, afirmou. Dentro desse contexto, é fundamental repensar sua função na sociedade. E para isso, Massimo defende que “a identidade da cultura não pode ser só das raízes”, lembrando a expressão “from roots to routes” (de raízes para rotas): “O museu contemporâneo precisa mudar, de raízes para itinerários. As raízes bloqueiam a cultura, enquanto que os itinerários favorecem as subjetividades”. A artista plástica brasileira Nele Azevedo, de acordo com o antropólogo, exemplifica essa ideia. Criadora de mil homenzinhos de gelo que foram colocados na escadaria da sala de concertos da Gendarmenmarkt, em Berlim, para uma campanha da WWF sobre o aquecimento global realizada em 2009, viu sua obra durar cerca de meia hora. “É interessante pensar na força de um tipo de arte que, descongelando, vira água. Acredito que uma parte do museu deve ser temporária, pois assim ele sempre se renova”.

A renovação dos espaços que abrigam a arte contribuiria para que os espectadores – ou os “performáticos”, que seriam os observadores que interagem mais ativamente com as obras – pudessem experimentar diante do outro, do estranho e do diferente o “estupor”, definido pelo dicionário português Priberam como “efeito, geralmente imobilizante, de grande espanto ou surpresa”. Massimo afirma que o som da palavra o agrada, preferindo relacioná-la ao espanto, mas acredita que essa significação ainda não seja a mais adequada. “A arte precisa modificar a identidade das pessoas. Não posso ser o mesmo depois de interagir com ela”. Mas para que essa transformação possa acontecer, é necessário que o performático se permita se entregar ao estupor. “É o posicionamento corporal em relação ao que é desconhecido e que desejo encontrar. É um momento antes da contemplação, e meu corpo precisa se abrir – boca, olhos, nariz, ouvidos – para absorver a obra de arte”.

A câmera dentro da câmera dentro da câmera

O professor mostrou fotos feitas dos chamados nativos, em que são retratados de maneira inferior aos colonizadores, podendo criar um tipo de deslocamento ou de invasão – “e se pensarmos na definição de ´nativo`, que ´provém de determinado lugar´, um índio seria nativo na Europa?” – defendendo seu direito à autorrepresentação e à desnativização. “Fui convidado pelos Bororos, no início dos anos 1990, a participar do ritual de furação de orelhas, que acontece a cada sete anos. Cheguei com câmeras, e me deparei com três deles gravando a atividade. Meu papel clássico, então, estava em crise; eles precisavam ser os sujeitos que davam sentido ao próprio ritual. Coloquei, nesse momento, minha câmera atrás das deles, enquadrando-as, para registrar o contexto”.

Além dessa multiplicidade cognitiva, que é potencializada também pela internet, Massimo já disse, em entrevista ao blog overmundo, que gosta de ”utilizar o artigo no singular, e o pronome no plural, isto é, o eus”. “O conceito de multivíduo, para mim”, continua, “é um conceito mais flexível, mais adequado à contemporaneidade. Por que significa que multivíduo é uma pessoa, um sujeito, que tem uma multidão de eus na própria subjetividade”. Esse eus também foi representado através de imagem que mostrava uma mulher se despindo da própria pele abrindo zíperes que tinha espalhados pelo corpo, revelando outras camadas epidérmicas. “Como o museu enfrenta o pós-humano, isto é, a arte digital? Que tipo de experiências podemos desenvolver? Quantas peles a gente tem? Há um número limitado? Quais as diferenças entre corpo e tecnologia?”, questiona.

Museu & cinema

Tahuany Coutinho, de 24 anos, é caloura de Museologia e assistiu à palestra. “Gosto da possibilidade de perceber o museu não simplesmente como um espaço onde as obras são expostas, mas sim como oportunidade de transformação através do contato com a arte”. A estudante conta que alguns professores do curso defendem o ponto de vista do antropólogo, e ressalta que o “museu não deve ser para alguém e sim com alguém”. Quase formada em Artes Cênicas, Tahuany veio de São Paulo com a intenção de se graduar em Cinema, mas acabou optando por Museologia por causa do viés antropológico do curso. No entanto, vê semelhanças entre os dois, quando pensa na importância do museu se valer de recursos, como os audiovisuais – como fazem os museus paulistas da Língua Portuguesa e do Futebol -, para envolver os performáticos.

Os projetos ´O Pensamento no Século XXI` e ´Museu em Curso` foram concentrados em torno dessa conferência para evidenciar os desafios das instituições museológicas hoje. Na continuidade do projeto Museu em Curso, a cada mês, será realizada uma palestra voltada para as diversas áreas da teoria e da prática museológica.

Mais informações: 48 3721-8604 ou 9325 ou .

Por Cláudia Schaun Reis/Jornalista na Agecom e
Raquel Wandelli/Jornalista na SeCArte

Tags: antropologiacomunicaçãomuseologia

Processo seletivo para professor substituto

30/03/2011 08:22

Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto
Estão abertas até 1º de abril de 2011 as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto – Edital 17/DDPP/2011. Serão nove vagas distribuídas entre o CCS e o CED.

Estão abertas de 29 de março a 6 de abril de 2011 as inscrições para o Processo Seletivo Simplificado para Professor Substituto – Edital 19/DDPP/2011.

Tags: concurso públicoprofessor substituto

Parceria inovadora assegura exames médicos no campus da UFSC

29/03/2011 11:19

Fotos: Paulo Noronha / Agecom

A Universidade Federal de Santa Catarina e a Unimed Florianópolis lideraram e construíram uma parceria que está servindo de modelo para outras instituições no Estado e no país. A conquista desse novo patamar no campo da saúde, dentro de uma visão preventiva, foi comemorada pelos seus dirigentes na noite desta segunda-feira (28/03), na inauguração informal do espaço para a realização periódica dos exames médicos dos servidores técnico-administrativos e docentes da Universidade.

Após reunião e entrega de placa de reconhecimento à direção da Unimed no gabinete do reitor, os representantes das duas instituições conheceram as instalações do novo serviço no Centro de Cultura e Eventos. A visita foi acompanhada pela administração central da UFSC e pelos gestores da empresa.

Implementado sob orientação e coordenação da Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social da UFSC (PRDHS), o espaço foi viabilizado pela Unimed e, até o momento, já beneficiou mais de mil servidores. Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento e Atenção Social e à Saúde, Marcelo Fontanella Webster, foram atendidos o Hospital Universitário (HU), parte do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) e está em andamento a convocação dos servidores e professores do Centro Tecnológico (CTC). Todos os servidores serão agendados via carta individual e específica.

O pró-reitorde Desenvolvimento Humano e Social, Luiz Henrique Vieira e Silva, ressaltando a parceria como um avanço concreto na saúde preventiva, deixou claro que esse serviço nada tem a ver com o Plano de Saúde da UFSC e que, portanto, não significará ônus algum para os usuários. Os exames periódicos, esclarece, colocam em prática o decreto federal nº. 6.856, em 2009, determinando exames clínicos, laboratoriais e de imagem para todos os servidores públicos federais.

O reitor Alvaro Prata classificou a parceria com a Unimed de inovadora, “porque, na prática, prioriza e manifesta a preocupação com a saúde e não com a doença”. Ao entregar a placa de reconhecimento ao diretor de Gestão Comercial e Marketing, Octavio R. Lebarbenchon Neto, o reitor frisou que a parceria vem se mostrando boa para os dois lados, suprindo, na sua opinião, de forma adequada as necessidades e demandas da comunidade universitária.

O vice-reitor Carlos Alberto Justo da Silva (o Paraná) aproveitou para sustentar a importância da qualidade do serviço. Para ele, os resultados do modelo de parceria derrubam preconceitos e resistências. “A Unimed mais perto dos usuários ajuda a construir uma relação de confiança e produz uma avaliação positiva no conjunto da Universidade”, assinalou.

Lebarbenchon Neto, prestigiado no ato por mais três gestores da Unimed, constatou na parceria com a UFSC uma mudança de paradigma. “Saímos do modelo tradicional. A inovação é total, porque mudamos para uma parceria direta, deslocando-nos para onde os fatos acontecem”, resumiu. Ele estava escudado pelo gerente do Departamento de Relacionamento Corporativo, Ricardo Tiago Deeke, pelo gestor corporativo Luiz Messias Neto e pelo supervisor de relacionamento corporativo Eduardo Pedrini.

O pró-reitor Luiz Henrique Vieira e Silva entende que a Unimed, ao adotar uma postura pró-ativa, deu uma nova face ao campus. A exemplo de outros eventos, a equipe da Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social da UFSC compareceu em peso, sendo seu trabalho e dedicação referenciados pelo reitor Alvaro Prata.

Luiz Henrique ainda fez questão de salientar a integração com a Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), através do Departamento de Cultura e Eventos, que cedeu espaço para a saúde.  Na estimativa dos dirigentes da Unimed, “o contrato com a UFSC dá conta de 13 mil vidas”. A instalação de um Centro de Pronto Atendimento no bairro da Trindade, onde fica a UFSC, faria parte da estratégia de atender melhor à comunidade universitária. A Unimed sonha inaugurar o novo serviço ainda no primeiro semestre.

Mais informações: (48) 3721-9030

Por Moacir Loth / Diretor da Agecom

Tags: exames periódicosPRDHSUnimed

Produção orgânica de frutas é tema de workshop na quinta-feira

29/03/2011 08:50

Será realizado nesta quinta-feira, dia 31 de março, entre 9h e 12h, o Workshop Sistemas de Produção Orgânica de Frutas. O encontro acontece no Auditório do Bloco B do Centro de Ciências Agrárias da UFSC, localizado no bairro Itacorubi. Durante o evento serão ministradas duas palestras: ´Sistema de produção orgânica de frutas na Itália` (com o professor Moreno Toselli da Università di Bologna, de Bologna, Itália) e ´Sistema de produção orgânica de frutas no Brasil: avanços e desafios` ( com o pesquisador George Wellington Bastos de Melo, da Embrapa Uva e Vinho, de Bento Gonçalves (RS)).

Na mesma data, aproveitando a presença do professor Moreno Toselli, será firmado um acordo bilateral entre a Facoltà di Agraria da Università di Bologna e a UFSC, que facilitará o intercâmbio de estudantes de graduação, pós-graduação e professores-pesquisadores.

Serviço:

Evento: Workshop: Sistemas de produção orgânica de frutas

Data: 31 de março, 9h às 12h

Local: Auditório do Bloco B (CCA/UFSC)

Inscrições: Gratuitas, no dia e local do evento

Público-alvo: Estudantes de graduação, pós-graduação, professores e pesquisadores da área de Ciências Agrárias e afinidade com o tema do evento.

Contato: Secretaria do Departamento de Engenharia Rural, telefone 3721-5426 (entre 13h30min e 18h)

Promoção: Departamento de Engenharia Rural, Departamento de Fitotecnia, Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas e Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos e Vegetais

Tags: CCAEngenharia RuralSistemas de Produção Orgânica de Frutas

Bolsas para pós-graduação na Alemanha

28/03/2011 14:48

Os candidatos devem enviar a documentação para o escritório do DAAD  ( Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico), no Rio de Janeiro, até 31 de julho de 2011, ou encaminhar os documentos para o DAAD em Bonn até 31 de agosto ou ainda diretamente para as universidades, com data de chegada até 15 de outubro. As  inscrições  são para a seleção de bolsistas para o Programa de Pós-Graduação em Temas com Relevância para Países em Desenvolvimento 2012-2014. A lista completa, tanto dos cursos oferecidos quanto dos pré-requisitos exigidos, pode ser conferida no site brasileiro do DAAD: http://rio.daad.de/shared/pos_graduacao.htm

(mais…)

Tags: Bolsas pós-graduação AlemanhaDAAD

Novo bloco melhora condições da pós-graduação na área da saúde

28/03/2011 13:03

A Universidade Federal de Santa Catarina inaugurou na manhã desta segunda-feira, dia 28, o bloco H do Centro de Ciências da Saúde, onde funcionarão os cursos de pós-graduação em Odontologia, Farmácia, Nutrição, Saúde Coletiva, Enfermagem e Ciências Médicas. Com 2.500 metros quadrados, o prédio de quatro pavimentos terá seis salas de aula, laboratórios, instalações para grupos de pesquisa e um auditório.
(mais…)

Tags: CCS. novo blocopós-graduação

Princípio de incêndio é controlado no CCE

28/03/2011 10:17

Um incêndio de pequenas proporções atingiu as instalações do Centro Acadêmico de Artes Cênicas, localizado no prédio do Centro de Comunicação e Expressão (CCE), na manhã desta segunda-feira, dia 28. Acionado, o Departamento de Segurança Física e Patrimonial da UFSC chamou o Corpo de Bombeiros. Antes da chegada das viaturas, um vigilante terceirizado fez a primeira contenção, evitando a propagação do fogo.

Quando chegaram, os bombeiros retiraram o material que poderia continuar queimando e a prefeitura do Campus providenciou o corte da energia elétrica. O diretor do Departamento de Segurança Física e Patrimonial, Leandro Luiz de Oliveira, disse que o forro da sala, de cerca de 12 metros quadrados, além de papéis e bebidas, foram atingidos pelo fogo.

“Agora, os bombeiros vão fazer o laudo para apontar as causas do acidente”, afirmou Oliveira. Pessoas que acompanharam a ação acreditam que o princípio de incêndio pode ter sido provocado por um curto-circuito ou por uma xepa de cigarro. No entanto, no momento em que a fumaça começou a se espalhar não havia ninguém na sala, que estava com as portas fechadas.

Por Paulo Clóvis Schmitz/Jornalista na Agecom

Foto: Paulo Roberto Noronha/Agecom

Incêndio no CCE

Fogo sob controle

Tags: bombeirosCCEIncêndio

Lançamentos em Brasília

28/03/2011 10:06

O professor Lauro Mattei, do Departamento de Economia da UFSC , participa como um dos autores e organizadores de dois livros que serão lançados em Brasília nesta terça, dia 29: “Nunca antes na história desse país…Um balanço das políticas do Governo Lula”; e “Pobreza rural: concepções, determinantes e proposições para agenda de políticas públicas”.

Tags: brasíliaLivrosMattei

Cátedra FENAJ /UFSC de Jornalismo para a cidadania retorna à universidade

28/03/2011 09:20

O curso de Jornalismo volta a desenvolver a Cátedra FENAJ/UFSC de Jornalismo para a cidadania. Neste primeiro semestre de 2011, ela será retomada por meio de uma disciplina/atividade extraclasse dedicada especialmente à produção do programa radiofônico “Jornalismo em Debate”, sob a supervisão da professora Valci Zuculoto. O programa será veiculado quinzenalmente na Rádio Ponto UFSC, a web emissora do curso, em formato de debate radiofônico, para discussão e análise da cobertura jornalística brasileira de grandes temas que estão na pauta do dia.

A Cátedra FENAJ/UFSC de Jornalismo para a Cidadania é uma parceria do curso com a Federação Nacional dos Jornalistas e destinada a produzir palestras/debates/cursos/programas radiofônicos/seminários/publicações  e/ou outros formatos, sobre temas relativos ao exercício da cidadania ( por exemplo, história contemporânea, instituições políticas, análise econômica, temas sociais, avaliação de conjuntura, entre outros ) e à prática responsável do jornalismo ( ética, rigor na apuração, censura econômica e política etc.).

O Jornalismo da UFSC foi o primeiro do país a implantar a Cátedra, programa da FENAJ para parceria com cursos do país aprovado no Congresso Nacional dos Jornalistas de 2000. Naquele mesmo ano, com coordenação do professor Francisco Karam, o cursoiniciou a parceria e desenvolveu o projeto até 2003. Também já implementaram a Cátedra FENAJ as escolas de jornalismo da UFAL – Universidade Federal de Alagoas e a UNAMA – Universidade da Amazônia, de Belém do Pará.

Na retomada da Cátedra neste semestre, além de ter como foco principal a produção do programa radiofônico “Jornalismo em Debate”, nas edições quinzenais veiculadas pela Rádio Ponto UFSC, a turma da atividade extra-classe eventualmente organizará e/ou participará de promoções dos outros formatos previstos no projeto.

“Jornalismo em Debate”, além da transmissão na emissora virtual do Curso de Jornalismo, ficará disponível em áudio e texto no site da webestação (www.radio.usfc.br ) para audição e leitura a qualquer momento. Também poderá ser disponibilizado por outros sites e rádios interessadas em veiculá-lo.

O programa de estreia começa a ser veiculado em 7 de abril, marcando a passagem do Dia Nacional do Jornalista. Abordará o tema “Liberdade de Expressão e Liberdade de Imprensa: o Brasil tem ou não?” Em breve, as chamadas deste primeiro programa de “Jornalismo em Debate” informarão mais detalhes sobre a edição de estreia e também sobre como retransmitir a produção.

Fonte: Curso de Jornalismo

Tags: Cátedra FenajCátedra FENAJ/UFSCjornalismorádio

Conferência e exposição fotográfica traz impressões sobre a África

25/03/2011 18:49

Um pouco da visão de Osíris Duarte sobre o continente africano será compartilhada nesta terça, 29/03, às 18h30, no Auditório do Sintufsc: o seminário Nosso eu Africano – Uma viagem particular pela realidade da África sintetiza os vinte e dois dias em que o jornalista e fotógrafo visitou Senegal, Cabo Verde e Guiné Bissau.

O objetivo da viagem, segundo Osíris, era bem claro: contar histórias através de cobertura jornalística do Fórum Social Mundial de 2011 para sindicatos catarinenses. “A África é um continente com uma das maiores diversidades do planeta, em termos étnicos, culturais e religiosos. Sendo assim, seria impossível não trazer na bagagem, além das fotos e souvenirs, um monte de histórias curiosas, peculiares, interessantes e informativas”, atesta.

Serviço:

O quê: Seminário: Nosso eu Africano – Uma viagem particular pela realidade da África
Quando: Terça-feira, dia 29 de março, às 18h30.
Onde: Auditório do Sintufsc, Rua R. João Pio Duarte da Silva, 241 – C.Postal 5130 – Córrego Grande – Florianópolis/SC – CEP 88040-970
Quem: Osíris Duarte é jornalista profissional, Bacharel em Comunicação Social com habilitação em jornalismo pela Universidade do Vale do Itajaí em 2005, fotógrafo, blogueiro e assessor de imprensa do Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região.

Informações: 3234-2822 e 3234-3154 e .

Massimo Canevacci abre série “Museu em Curso”

25/03/2011 15:32

O antropólogo italiano Massimo Canevacci abre, na terça-feira, 29, o primeiro evento do ciclo de debates  ´O Pensamento no Século XXI` e da série ´Museu em Curso` deste ano. A conferência “O Museu no Século XXI” ocorrerá das 16 às 18 horas, no auditório do Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral, na UFSC, em parceria com a Secretaria de Cultura e Arte (SecArte), Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) e Associação dos Amigos do Museu. Professor da Facultade Scienze della Comunicazione “La Sapienza”, de Roma, e professor visitante da UFSC, Canevacci abordará as possibilidades de apropriação das tecnologias digitais na representação da cultura urbana e na arquitetura contemporânea.

Referência internacional na área de comunicação museal, Canevacci atua desde 1984 no Brasil como pesquisador convidado para desenvolver pesquisas, conferências e cursos em universidades. Sua pesquisa, orientação didática e publicações se desenvolvem em torno da comunicação visual, arte digital, etnografia urbana e indígena, culturas da juventude, antropologia teórica e trocas entre antropologia e outras áreas do conhecimento. Atualmente coordena o projeto Carpe-Code, sobre metrópole comunicacional, design expandido, etnografia ubíqua e realidade aumentada.

Autor de A cidade polifônica, da Studio Nobel (1993), considerada uma obra fundamental para compreender a antropologia urbana através da mídia e da arquitetura, Canevacci dirigiu até 2001 a revista Avatar de etnografia, comunicação e arte visuais. Também publicou Comunicação Visual, pela Brasiliense, Fetichismos Visuais, da Ed. Atelier; Sincretismos, uma exploração das hibridações culturais, da Studio Nobel e Culturas Extremas, da DpA. Em processo de tradução no Brasil pela editora Annablume, escreveu La linea di polvere, publicado em Roma pela Meltemi (2007), como fruto de pesquisa que realizou sobre a cultura dos índios Bororo.

Os projetos ´O Ciclo Pensamento no Século XXI` e ´Museu em Curso` foram concentrados em torno dessa conferência para evidenciar os desafios das instituições museológicas hoje. “Vivemos um tempo em que as mídias e as identidades se multiplicam e modificam o espaço urbano, de modo que os registros de memória e de cultura precisam levar em conta processos de identidade cada vez mais sazonais e fragmentados”, lembra a secretária de Cultura e Arte Maria de Lourdes Borges. Na continuidade do projeto Museu em Curso, a cada mês, será realizada uma palestra voltada para as diversas áreas da teoria e da prática museológica.

Serviço:

O quê: Museu em curso, palestra com Massimo Canevacci
Quando: 29 de março, das 16h às 18h
Onde: Auditório do Museu Universitário da UFSC
Quanto: Entrada franca
Informações: 48 3721-8604 ou 9325
e-mail:
Serão fornecidos certificados

Divisão de Museologia
Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral – UFSC
Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima – Trindade – CEP 88.040-900 – Florianópolis – Santa Catarina – Brasil
Telefones: 48 3721-8604 / 6473 / 9325

Por Raquel Wandelli/  Jornalista na SeCarte
(048) 37219459 e 99110524

Foto: Overmundo

Tags: antropologiacomunicação visualetnografia urbana e indígena

A condição do homem moderno na obra de Hannah Arendt

25/03/2011 10:45

Palestra com o professor Adriano Correia, do Departamento de Filosofia da Universidade de Universidade Federal de Goiás (UFGO).

Tema: A condição do homem moderno na obra de Hannah Arendt.

No dia 29 de março, às 19h, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

Promoção do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas e Pós-Graduação em Filosofia.

Informações:

Tags: Adriano CorreiaHannah Arendtpalestra

Feira de Livros da UFSC promove novos lançamentos até 8 de abril

25/03/2011 10:17

Shakespeare, Linda Hutcheon, Paul Claval, Agamben, Silveira de Souza. Teatro, sociologia, geografia, filosofia, poesia, literatura. Livros de qualidade com até 70% de desconto.

Fotos: Paulo Noronha/Agecom

A Editora da UFSC lançará novos títulos de autores de importância universal até o final da Feira de Livros, que vai até o dia 8 de abril, na Praça da Cidadania da UFSC, em parceria com a Liga das Editoras Universitárias (LEU). As novidades incluem nomes de projeção universal, como Linda Hutcheon, Paul Claval, Shakespeare, além do catarinense Silveira de Souza, lançado na terça-feira (22). Aberta no dia 15 de março, a Feira está oferecendo com descontos vantajosos à comunidade o clássico “Farmacognosia”, de diversos pesquisadores brasileiros e estrangeiros, e “A Coisa Perdida: Agamben comenta Caproni”, organizado e traduzido do italiano por Aurora Bernardini, renomada tradutora e ensaísta.

Funcionando das 9h às 19 horas, exceto aos sábados e domingos, em uma tenda climatizada na Praça da Cidadania, a exposição comercializa livros com descontos entre 15 e 70% para a comunidade universitária e o público em geral. Os títulos cobrem diversos campos do conhecimento, da cultura e da arte. Fazem parte das prateleiras os melhores títulos e lançamentos de algumas das editoras universitárias de destaque do país que integram a LEU, como a EdUSP, Ed. da UFMG, da UFBA e da Unicamp.

O carro-chefe da nova safra de títulos da UFSC é o segundo volume da antologia do mestre catarinense do conto Silveira de Souza, sob o título “Ecos no Porão II”, que foi lançado como parte das comemorações do aniversário da cidade e está sendo inscrito nos Prêmios Jabuti e Brasil Telecom de Literatura como o melhor livro de contos do ano. Entre outras grandes novidades da UFSC estão “Do jeito que Você Gosta”, de Shakespeare, e “Corpo e Performances”, de Stephan Arnulf Baumgärtel, um estudo sobre as montagens dessa mesma peça, um clássico do século XX.

Na próxima semana, a EdUFSC lançará na feira “Epistemologia da Geografia”, uma obra definitiva de um dos maiores geógrafos da atualidade, o  francês Paul Claval. Na última semana, finalmente, lançará o aguardado estudo “Uma Teoria da Adaptação”, da ensaísta canadense Linda Hutcheon, uma das maiores especialistas da atualidade em cultura globalizada e pós-modernismo. “A feira não é mais uma queima de estoque, mas uma oportunidade de adquirir obras fundamentais com preços muito abaixo do mercado”, explica o diretor da EdUFSC, Sérgio Medeiros. Além dessas obras, a Editora está colocando à disposição do leitor, nesse espaço, praticamente todos os títulos do seu catálogo.

Contatos: (48) 9911-0524 – 3721-9459

Assessora de Comunicação da SeCArte/UFSC – www.secarte.ufsc.br

Tags: Feira de Livrosnovos lançamentos

Lançado Edital PROEXT 2011 MEC/SESu

24/03/2011 15:52

O Programa de Extensão Universitária (ProExt) tem o objetivo de apoiar as instituições públicas de ensino superior no desenvolvimento de programas ou projetos de extensão que contribuam para a implementação de políticas públicas. Criado em 2003, o ProExt abrange a extensão universitária com ênfase na inclusão social. Confira o PROEXT 2011 – MEC/SESu.

Tags: Proext 2011

Teste da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração

24/03/2011 12:39

Estão abertas até 17 de maio as inscrições para o Teste Anpad – Edição de junho de 2011. Criado em 1987 pela Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, o exame nacional avalia conhecimentos em língua portuguesa, língua estrangeira (inglês) e raciocínios lógico, quantitativo e analítico.

O teste tem sido utilizado por diversas instituições como parte dos processos de seleção de cursos de pós-graduação stricto sensu e de cursos profissionalizantes de Administração, Ciências Contábeis e áreas afins, além de requisito básico em processos seletivos de diversas organizações. A UFSC é uma destas instituições.

As inscrições devem ser feitas no site http://www.anpad.org.br/teste.php. Veja o Edital.

Tags: inscriçõesTeste Anpad