UFSC integra serviço pioneiro em exames de dermatologia a distância

13/05/2019 17:50

Santa Catarina é referência nacional na emissão de laudos a distância para exames de dermatologia, o que permite saber a gravidade de uma lesão antes do paciente ser encaminhado ao especialista. A tecnologia catarinense é ofertada a 100% do estado e está em expansão para todo o Brasil, com implantação já efetivada em municípios do Mato Grosso e da Bahia. A Teledermatologia, como é conhecida, é um serviço desenvolvido e implantado com recursos públicos, e é resultado do trabalho realizado em conjunto, desde 2008, entre a Secretaria de Estado da Saúde, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e o Ministério da Saúde, por meio do projeto Telessaúde SC.
(mais…)

Tags: DermatologiatelemedicinatelessaúdeUFSC

Pesquisadores da UFSC recebem ‘Medalha Exército Brasileiro’ por projeto com unidades de saúde

24/04/2018 10:32

Os pesquisadores do Projeto Sistema Integrado Catarinsense de Telemedicina e Telessaúde, vinculado ao Instituto Nacional para a Convergência Digital (INCoD) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Aldo von Wangenheim, Alexandre Savaris e Harley Wagner, receberam no dia 19 de abril a Medalha Exército Brasileiro em Cerimônia do Dia do Exército, no 63º BI de Florianópolis.

Imagem: Divulgação, INE/UFSC

A Medalha, instituída pela Portaria nº 219 de 14 de Março de 2016,  reconhece a contribuição dos pesquisadores ao desenvolverem o sistema que colabora com o Exército Brasileiro e tem conduzido, com sucesso, demonstrações interligando Unidades do Interior da Amazônia, como o Hospital de Guarnição de Marabá (HGuMba) e o 52º Batalhão de Infantaria da Selva, com unidades centrais como o Hospital Geral de Belém (HGeBe) e o Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB).
(mais…)

Tags: Exército BrasileiromedalhaMedalha Exército BrasileiropesquisaProjeto Sistema Integrado Catarinsense de Telemedicina e TelessaúdetelemedicinatelessaúdeUFSC

Instituto da UFSC desenvolve aplicativo ‘Meus exames’ para dispositivos móveis

21/10/2014 08:52

telemedicina2O Sistema de Telemedicina e Telessaúde (STT) de Santa Catarina lançou nesta semana o aplicativo “Meus exames”, disponível para dispositivos móveis (tablets e smartphones, nas plataformas Apple e Android). O programa permite que os pacientes tenham acesso a todos os exames médicos realizados no STT, disponibilizados em um banco de dados online.

A nova tecnologia foi desenvolvida pela equipe do Instituto Nacional para Convergência Digital (INCoD), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
(mais…)

Tags: telemedicinaUFSC

Telemedicina atinge 1 milhão de laudos online

12/11/2012 14:30

Sistema Catarinense de Telemedicina atinge 1 milhão de emissões de laudos online aos centros de saúdes dos municípios de Santa Catarina. O índice alcançado pelo Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN), órgão responsável pelas emissões, representa rapidez no tempo de acesso aos laudos e redução de custos.

Integrado à Telemedicina desde 2008, o LACEN trouxe agilidade no processo de entrega de resultados dos exames. Antes, os laudos eram feitos em Florianópolis e enviados pelo correio para os municípios do estado e os profissionais de saúde  aguardavam, em média, mais de um mês para ter acesso a um exame. Hoje, com o acesso via sistema pelas vigilâncias epidemiológicas de cada cidade esperam no máximo 15 dias.
(mais…)

Tags: CotidianositetelemedicinaUFSC

INCoD participa da entrega de equipamentos de telemedicina para eletrocardiogramas

30/03/2012 09:04

Nesta sexta-feira, 30, 18 municípios do sul de Santa Catarina recebem equipamentos de telemedicina para eletrocardiograma e para teletriagem em dermatologia. O evento tem início às 11h em Criciúma, no auditório da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC), com a presença de autoridades do Governo do Estado e da Secretaria de Saúde de Santa Catarina.

Segundo Harley Miguel Wagner, do Instituto nacional de Convergência Digital/UFSC, instituição parceira na implantação do projeto, os equipamentos de eletrocardiograma foram financiados pelo Governo do Estado e estão sendo desenvolvidos desde 2005, junto com o aperfeiçoamento da telemedicina. Já os para teletriagem em dermatologia são uma parceria da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com a Telessaúdede Brasil. A Rede de Telemedicina tem a meta de fornecer um equipamento de telemedicina para cada município de Santa Catarina. Na próxima sexta-feira, a região Sul do estado estará toda contemplada, com exceção de Orleans.

O Instituto Nacional de Convergência Digital da UFSC (INCoD) foi responsável por desenvolver todo o sistema de telemedicina utilizado nos eletrocardiogramas e também na teletriagem em dermatologia. As pesquisas em telemedicina iniciaram em 2005 e desde então vem sendo desenvolvidas em busca de melhorias. O conceito de telemedicina trata de telecomunicações para o auxílio do profissional de saúde. A telemedicina aplicada à cardiologia é a realização de exames com eletrocardiogramas e a emissão de laudos a distância através de um sistema de internet.

A teletriagem em dermatologia é mais recente. Foi em 2008 que o Instituto começou o estudo nessa área e somente no ano passado a tecnologia foi para testes. São realizações de exames para detectar doenças de pele (hanseníase, psicoríase e neoplasia) com laudos emitidos a distância pelo sistema de web.

Num conceito mais amplo, o Sistema Catarinense de Telemedicina em Telessaúde (STT) para as áreas de cardiologia e dermatologia, são um conjunto de exames médicos realizados presencialmente, mas que são analisados à distância pelo médico que poderá avaliar o quadro do paciente através da internet, sem que haja a necessidade do mesmo  estar presente em hospitais ou clínicas, por exemplo.

Para mais informações:

Agendamento de entrevista: Rafaela Blacutt (Estagiária de Jornalismo do INCoD) – (47) 9999-3663 / (48) 3721-9529 / .

Para entrevistas e informações mais detalhadas: Professor Aldo von Wangenheim (Coordenador do INCoD) – (48) 3721-9516 / .

Informações sobre o evento: Harley Miguel Wagner – (48) 3212-1678.

Fonte: Rafaela Blacutt

Tags: convergênciatelemedicinaUFSC

Instituto catarinense passará a ter papel chave na padronização mundial em imagens médicas

27/01/2012 11:30

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD), sediado na UFSC, foi aceito oficialmente como primeiro representante brasileiro da área de ciência, tecnologia e inovação (C&T&I) no Comitê do DICOM, sigla para Digital Imaging and Communications in Medicine (Imagem Digital e Comunicação em Medicina). O DICOM é o orgão responsável por desenvolver os padrões mundiais para armazenamento e comunicação de imagens médicas. Segundo Aldo von Wangenheim (currículo lattes), professor da UFSC e coordenador do INCoD, o padrão DICOM deve obrigatoriamente ser seguido por todos os fabricantes de software e equipamentos de imagens médicas, como tomografia, ultrassom e ressonância magnética, além de software para telemedicina.

Professor Aldo von Wangenheim, coordenador do INCoD

A experiência dos pesquisadores catarinenses com o padrão DICOM vem desde 1995, com os projetos desenvolvidos por meio do Cyclops, grupo que fundou e que gerencia o INCoD. O Cyclops é pioneiro em serviços de telemedicina no Brasil: em 2005 desenvolveu a infraestrutura tecnológica que se transformou no atual Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde (STT/SC). O STT/SC permite o envio de exames e emissão de laudos a distância por especialistas em locais diferentes do paciente no estado de SC. O volume de exames armazenados já ultrapassou a marca de 1,3 milhão e engloba eletrocardiogramas, exames dermatológicos, análises clínicas, tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom, raio-X, dentre outros.

Uma das contribuições do INCoD para os padrões internacionais para telemedicina será a sua experiência em visualização web das imagens médicas. “O comitê DICOM espera que o INCoD possa trazer novas visões sobre a utilização do padrão e participar de seu desenvolvimento levando em consideração a realidade e a experiência de redes de telemedicina em países emergentes”, explica Richard Augusto Schafer de Martini (currículo lattes), pesquisador do INCoD.

O processo para tornar-se membro do Comitê começou a partir de um convite informal do DICOM em outubro de 2010, durante a participação do INCoD como observador em uma reunião de um dos grupos de trabalho. No primeiro semestre de 2011 o instituto enviou sua submissão para participar do comitê, que avaliou a experiência do INCoD, a relevância dos trabalhos na área de imagem médica e as contribuições que podem ser oferecidas para o desenvolvimento do padrão.

Criado em 1993, o DICOM é gerenciado pela Associação Estadunidense de Fabricantes de Aparelhos Eletro-Eletrônicos (NEMA) e seu comitê é formado por pouco mais de 50 membros de vários países. Além do INCoD, o outro representante brasileiro no DICOM é o Colégio Brasileiro de Radiologia, que faz parte do grupo de usuários médicos do Comitê.

Sobre o INCoD

Apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC) e pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD) possui experiência significativa na área de tecnologias, conteúdos e serviços para cidadãos e profissionais da área de saúde. A criação do INCoD foi uma iniciativa do Grupo Cyclops, da UFSC, em parceria com laboratórios e centros de pesquisas de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. O INCoD também desenvolve projetos para o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Interativa.

Saiba mais

DICOM –  lista de membros: http://medical.nema.org/members.pdf

INCoD: http://www.incod.ufsc.br/

 

Por Laura Tuyama, jornalista na Agecom.

 

Tags: convergência digitaldicomimagens médicasincodtelemedicinaUFSC

Santa Catarina é referência internacional em análises de imagens médicas

22/06/2011 12:20

Nesta semana, voltaram dos Estados Unidos os pesquisadores Richard de Martini e Thiago Coelho Prado, do grupo Cyclops da UFSC, que viajaram a convite para participar da reunião do Grupo Internacional de Padronização de Imagens Médicas. Os pesquisadores foram os únicos representantes brasileiros na reunião, que aconteceu na cidade de Arlington, estado da Virginia.
(mais…)

Tags: telemedicinatelessaúde

Rede de Telemedicina comemora marca de um milhão de exames em SC

23/05/2011 11:33

Será realizado no dia 24 de maio, terça-feira, às 14h, no auditório do Centro Administrativo do governo do Estado, o evento que comemora a marca de um milhão de exames realizados pelo Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde. A cerimônia contará com as presenças do vice-governador Eduardo Pinho Moreira, do secretário de Estado da Saúde, Dalmo Claro de Oliveira, do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Alvaro Toubes Prata, do vice-reitor Carlos Alberto Justo da Silva e de outras autoridades.
(mais…)

Tags: examestelemedicinatelessaúde

Rede de Telemedicina comemora marca de um milhão de exames em SC

20/05/2011 11:07

Será realizado no dia 24 de maio, terça-feira, às 14h, no auditório do Centro Administrativo do governo do Estado, o evento que comemora a marca de um milhão de exames realizados pelo Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde. A cerimônia contará com as presenças do vice-governador Eduardo Pinho Moreira, do secretário de Estado da Saúde, Dalmo Claro de Oliveira, do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Alvaro Toubes Prata, do vice-reitor Carlos Alberto Justo da Silva e de outras autoridades.

Criado com tecnologia desenvolvida em Santa Catarina, o sistema permitiu a formação da maior e mais avançada rede pública de Telemedicina do Hemisfério Sul e já está disponível em quase 100% dos municípios do Estado. São 287 as cidades – de um total de 293 – beneficiadas pelo sistema. Estes serviços vão de laudos à distância de eletrocardiogramas até o acesso a exames de análises clínicas e de alta complexidade, como tomografia e ressonância magnética.

O Sistema de Telemedicina é uma rede estadual baseada numa infraestrutura tecnológica especialmente criada para oferecer de maneira ágil serviços de atenção à saúde no contexto do SUS. Os exames, realizados em qualquer cidade catarinense cadastrada no sistema, são imediatamente disponibilizados para serem analisados por especialistas, sem limitação geográfica. Logo após o laudo, o resultado pode ser visualizado pelo médico e pelo próprio paciente na cidade onde se encontra.

Dessa forma, além de diminuir o tempo de acesso aos laudos, a Telemedicina possibilita a redução do custo desses exames e evita viagens desnecessárias. Tomando apenas os eletrocardiogramas digitais realizados até janeiro de 2011, estima-se que os pacientes atendidos tenham deixado de viajar mais de 13 milhões de quilômetros.

O Sistema Catarinense de Telemedicina começou em 2005, através de uma parceria entre a Secretaria do Estado da Saúde e a Universidade Federal de Santa Catarina. O primeiro eletrocardiograma digital foi instalado na cidade de Quilombo, na região Oeste, gerando o primeiro diagnóstico à distância através da rede. A infraestrutura tecnológica foi desenvolvida na íntegra no Estado pelo Instituto Nacional para a Convergência Digital (INCoD), parte do Departamento de Informática e Estatística do Centro Tecnológico da UFSC. Essa tecnologia é toda baseada em software livre, sem dependência de nenhum tipo de produto comercial, totalmente integrada aos processos do SUS e passível de ser adaptada e estendida de acordo com as necessidades do gestor de saúde.

A partir daí, hospitais públicos foram gradualmente incorporados à rede. O encaminhamento de soluções para diferentes problemas médicos, através do suporte a distância para resultados de exames de alta complexidade nos hospitais, trouxe grandes avanços para a saúde pública. “Eu uso a Telemedicina diariamente, de manhã, de tarde, de noite e de madrugada. Não só para os exames de rotina no Hospital Regional de São José, como para pacientes internados e de emergência. E nos sobreavisos e plantões a gente usa em casa, tendo acesso direto aos exames que são feitos no hospital, e de imediato já posso dar o laudo”, conta o médico neurorradiologista Daniel Chaves. Hoje já são 13 hospitais ligados à rede.

Outra conquista importante foi a integração à Telemedicina do Laboratório Central de Análises Clínicas, o Lacen, o que aconteceu em março de 2008. Antes, os laudos eram feitos em Florianópolis e enviados pelo correio para as outras cidades do Estado. Agora, as vigilâncias epidemiológicas de cada município têm acesso aos laudos via sistema. Dessa forma, os resultados chegam mais rapidamente à mão do paciente. Se antes os profissionais de saúde esperavam, em média, mais de um mês para ter acesso a um exame enviado, hoje aguardam no máximo duas semanas.

Mais informações com Marina Veshagem, pelo fone (48) 3721-8000 ou pelo e-mail  

Por Paulo Clóvis Schmitz – Jornalista na Agecom / UFSC

Tags: telemedicinaUFSC