Pesquisadores da UFSC recebem ‘Medalha Exército Brasileiro’ por projeto com unidades de saúde

24/04/2018 10:32

Os pesquisadores do Projeto Sistema Integrado Catarinsense de Telemedicina e Telessaúde, vinculado ao Instituto Nacional para a Convergência Digital (INCoD) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Aldo von Wangenheim, Alexandre Savaris e Harley Wagner, receberam no dia 19 de abril a Medalha Exército Brasileiro em Cerimônia do Dia do Exército, no 63º BI de Florianópolis.

Imagem: Divulgação, INE/UFSC

A Medalha, instituída pela Portaria nº 219 de 14 de Março de 2016,  reconhece a contribuição dos pesquisadores ao desenvolverem o sistema que colabora com o Exército Brasileiro e tem conduzido, com sucesso, demonstrações interligando Unidades do Interior da Amazônia, como o Hospital de Guarnição de Marabá (HGuMba) e o 52º Batalhão de Infantaria da Selva, com unidades centrais como o Hospital Geral de Belém (HGeBe) e o Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB).
(mais…)

Tags: Exército BrasileiromedalhaMedalha Exército BrasileiropesquisaProjeto Sistema Integrado Catarinsense de Telemedicina e TelessaúdetelemedicinatelessaúdeUFSC

Mutirão Verde na ilha de Araçatuba marca retomada de sítios históricos

21/08/2015 10:14

Um grupo de 120 voluntários ocupou a Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba para limpeza e conservação do sítio histórico, na quinta-feira, 20 de agosto. Parte das comemorações do Dia do Soldado, o “Mutirão Verde” integrou militares da Brigada Silva Paes, integrantes e bolsistas do projeto Fortalezas, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e interessados em ecologia, belas imagens, turismo e conservação histórica.

O evento também marcou a retomada, pelo Exército Brasileiro, dos sítios históricos da ilha de Araçatuba e do forte Marechal Moura de Naufragados, no sul da Ilha de Santa Catarina, para serem revitalizados e utilizados como centros culturais e históricos do Exército Brasileiro. Uma placa com instruções de visitação ao local (somente com autorização expressa do Exército) foi inaugurada durante a atividade. De acordo com o comandante da Brigada, general Richard Fernandez Nunes, é necessária “uma série de recomendações para impedir que a área seja degradada por uso indevido”.

O general afirmou que o Exército faz o planejamento para “preservação e criação de melhores condições de visitação nos dois locais a longo prazo, para que os turistas possam se aproximar. Queremos fazer o mesmo que outras fortificações históricas. Uma parceria como a de hoje é um bom sinal”.

Arquiteto do projeto Fortalezas, ligado à Secretaria de Cultura da UFSC, Roberto Tonera explica que é preciso reconstruir atracadouros nos dois locais. “Serão duas novas opções de turismo cultural e ecológico, e – o mais importante – recuperar as duas últimas fortificações da Ilha de Santa Catarina.” Tonera explica que Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba é uma das quatro fortalezas idealizadas pelo brigadeiro José da Silva Paes no século XVIII para proteção da Ilha de Santa Catarina, a única ao sul. As demais – Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa – são administradas pela UFSC.

A fortaleza de Araçatuba está incluída no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas com projetos de paisagismo, comunicação visual e consolidação de ruínas. “Como o Exército pretende transformar os locais, haverá a demanda de outros projetos de restauração para dar suporte à visitação, como sanitários, locais para administração, exposições, e se possível, uma cafeteria”, conta Tonera.

A principal dificuldade encontrada pelos participantes foi o desembarque e retorno para as embarcações da Marinha do Brasil e da empresa Scuna Sul (cedida em parceria com a Associação das Empresas de Transporte Náutico de Canasvieiras para transporte de voluntários). Um bote inflável do Corpo de Bombeiros e um pescador da região auxiliaram no transporte à ilha, através de uma piscina natural, que funcionou como atracadouro.

O lixo deixado por visitantes sem autorização continha colchões, materiais usados em churrasco, cadeiras. Tudo foi recolhido pelos voluntários e carregado para as embarcações para o descarte ambientalmente correto. Junto com a limpeza, militares e civis puderam desfrutar da paisagem e da história do local, com um tour apresentado pelo arquiteto da UFSC, autor do livro As defesas da Ilha de Santa Catarina e do Rio Grande de São Pedro em 1786.

Araçatuba chegou a integrar o projeto Fortalezas de 2001 a 2003, mas retornou para a jurisdição do Exército. “A UFSC iniciou o processo de restauro da área, com diversas pesquisas, levantamento histórico e cadastros físico e arquitetônico. Há projetos de atracadouro, para a ilha receber energia elétrica por cabo submarino, e até para dessalinização da água, pelo Departamento de Engenharia Sanitária.”

Os futuros projetos de reabilitação de Araçatuba serão definidos seguindo recomendações internacionais. “Para haver uma restauração completa, deve haver informação suficiente para isto. O edifício, mesmo em ruínas, conta coisas.” Em Araçatuba, algumas construções, como o paiol da pólvora estão em boas condições, incluindo até a cobertura. Em outras, há apenas indícios. “Os restauradores devem montar um quebra-cabeça com as informações, basearem-se em informações fidedignas, iconografias e fotos antigas que mostram detalhes.” Ele lembrou que há propostas polêmicas, como a de incorporar as ruínas em projetos contemporâneos. “As ruínas ficam como anexos de uma estrutura autônoma.”

 

Caetano Machado/Jornalista da Agecom/DGC/UFSC

Fotos: Caetano Machado e Poliana Dallabrida Wisentainer/Estagiária de Jornalismo do Projeto Fortalezas/UFSC

Tags: Exército BrasileiroFortaleza de Nossa Senhora da Conceição de AraçatubaNaufragadosProjeto FortalezasRoberto ToneraUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Mutirão Verde no espaço cultural ‘Sítio Histórico Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba’

12/08/2015 11:41

Comando do Exército Brasileiro em Santa Catarina, a 14ª Brigada de Infantaria Motorizada de Florianópolis, Brigada Silva Paes, promove o “Mutirão Verde no espaço cultural Sítio Histórico Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba”, para limpeza e conservação da fortificação e da ilha de mesmo nome, ao sul de Florianópolis. A ação será realizada no dia 20 de agosto, a partir das 8 horas.

O comandante da Brigada Silva Paes, general Richard Fernandez Nunes, também irá anunciar a criação do “Sítio Histórico Fortaleza de Nossa Senhora da Conceição de Araçatuba” e do “Sítio Histórico Forte Marechal Moura de Naufragados” – junto ao Farol de Naufragados, no sul da Ilha de Santa Catarina –, para serem revitalizados e utilizados como centros culturais e históricos do Exército Brasileiro.

O evento, que integra o calendário de festividades do Dia do Soldado, conta com o apoio da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Marinha do Brasil (Capitania dos Portos de Santa Catarina), Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, Associação das Empresas de Transporte Náutico de Canasvieiras, Scuna Sul, além de voluntários que tiverem interesse em se engajar na ação.

A atividade consiste num mutirão de limpeza – corte de vegetação e recolhimento de lixo – e na instalação de uma placa com informações sobre visitas à Ilha de Araçatuba, somente autorizadas pelo Exército Brasileiro, proprietário da fortaleza e responsável por ela. O “Mutirão Verde” será realizado pelos militares da 14ª Brigada e voluntários do projeto “Fortalezas” da Secretaria de Cultura (SeCult) da UFSC.

Atualmente, não existem atracadouro nem passeios regulares nessa fortificação, atualmente em ruínas. As medidas buscam interromper a degradação progressiva do monumento histórico, provocada pela visitação não assistida, irregular e depredatória ocorrida na ilha nos últimos anos.

A nova destinação de uso, coordenada com a Diretoria do Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, permitirá acelerar o processo de revitalização completa da Fortaleza de Araçatuba (parcialmente em curso no PAC das Cidades Históricas) e do Forte de Naufragados (também sob a jurisdição da 14ª Brigada). Especialistas avaliam que, restauradas e revitalizadas, as fortificações podem se tornar os mais significativos espaços culturais do Exército Brasileiro no Sul do Brasil.

 

Turismo

Além de atuar como propulsor do resgate e recuperação das duas últimas fortificações do antigo sistema defensivo catarinense ainda não restauradas, a criação dos novos espaços culturais do Exército transformará o perfil do circuito de visitação às fortificações na Ilha de Santa Catarina, com ganhos sociais, econômicos e culturais para toda a região (Florianópolis, Palhoça e parte significativa do Sul do estado).  Trata-se de uma iniciativa de interesse também do trade turístico local – que poderá, no mínimo, duplicar o número de passeios marítimos, atualmente realizados apenas para as fortalezas da Baía Norte, com ganhos para a preservação dos respectivos monumentos – e do turismo cultural e educativo focado no patrimônio cultural fortificado catarinense.

A iniciativa da criação desses dois novos espaços culturais do Exército dará também uma nova dimensão aos atuais trabalhos em curso de revitalização e valorização desses monumentos nacionais, que têm sido realizados no âmbito do PAC das Cidades Históricas, coordenados pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional do Ministério da Cultura (Iphan/MinC), e que necessitarão serem agora redimensionados e ampliados para contemplar as duas novas destinações de uso, dotando a cidade e a região com dois novos polos de cultura, lazer e turismo.

 

Voluntários

A escuna que realizará o transporte dos participantes do mutirão até a Ilha de Araçatuba – cedida pela empresa Scuna Sul, em parceria com a Associação das Empresas de Transporte Náutico de Canasvieiras – tem disponibilidade de 30 lugares adicionais gratuitos para voluntários que desejarem se engajar nessa ação social e cultural.

Os participantes devem levar lanche individual próprio, e haverá bebidas na escuna para aquisição. Os interessados devem enviar e-mail contendo nome, CPF e telefone para até o dia 17 de agosto.

 

Serviço

O quê: mutirão de limpeza na Fortaleza de Araçatuba, ao sul da Ilha de Florianópolis.

Onde: saída e retorno no trapiche da empresa Scuna Sul, no final da Beira-Mar Norte, quase embaixo da ponte Hercílio Luz.

Quando: 20 de agosto, das 8 às 17 horas.

Quanto: gratuito, com vagas limitadas.
Mais informações:

14ª Brigada: (48) 9101-6628 /

Projeto Fortalezas da SeCult/UFSC: (48) 3721-8302 /

 

Revisão: Claudio Borrelli/Revisor de Textos da Agecom/DGC/UFSC

Tags: Brigada Silva PaesExército BrasileiroFortaleza de Nossa Senhora da Conceição de AraçatubaMutirão VerdeProjeto Fortalezas