Projeto da UFSC recebe Chancela da Sociedade Brasileira de Computação

09/03/2017 16:10

O projeto “Computação na Escola”, coordenado pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (Incod/UFSC) em parceria com o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), foi um dos selecionados para receber Chancela da Sociedade Brasileira de Computação (SBC). O reconhecimento é dado à projetos que promovem o contato de crianças, adolescentes, idosos com a computação.

A iniciativa busca inserir o ensino de computação no Ensino Fundamental e Médio por meio da criação de unidades instrucionais de acordo com diretrizes de currículo e adequadas às respectivas faixas etárias. Dentre as atividades oferecidas pelas unidades de ensino do Computação na Escola estão: oficinas em família, com crianças de 7 a 14 anos, a fim de aumentar o incentivo e apoio dos pais de forma que também compreendam a importância da computação; integração interdisciplinar com disciplinas de outras áreas, como Artes, História e Língua Portuguesa, que permitem aos alunos uma experiência de computação através de diferentes campos de conhecimento; desenvolvimento de jogos, aplicativos e programação de robôs interativos com softwares de baixo custo e/ou software livre, como Arduino e Scratch, que promovem o acesso de alunos de baixa renda ao ensino de computação nas escolas públicas brasileiras.

unnamed

 

Tags: Computação na EscolaincodUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pesquisador da UFSC publica artigo na revista científica ‘Nature’

28/10/2015 15:57

O resultado do trabalho de doutorado do pesquisador Antônio Carlos Sobieranski, do Laboratório de Processamento de Imagens e Computação Gráfica (CTC/UFSC), realizado em parceria com o MIT, foi publicado esta semana pela revista científica Nature, em sua edição especial na área de pesquisas em Ciência da Luz e suas Aplicações – Nature: Light Science and Applications.

O trabalho, acessível neste link, que aborda a microscopia digital 4D de baixo custo utilizando holografia laser em linha, possui aplicações na área médica, em especial na da Telepatologia e Telemicrobiologia para Regiões Remotas. Pesquisas objetivando a geração de novas tecnologias em Telemedicina são um dos principais focos do INCoD.

Tags: Antônio Carlos SobieranskiCTCincodUFSC

Tecnologia de Telemedicina, desenvolvida por instituto da UFSC, é apresentada em inauguração do Sisfron

15/07/2015 10:36

O Sistema de Telemedicina Catarinense foi apresentado, dia 9 de julho, na inauguração do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON) em Dourados, Mato Grosso do Sul. A tecnologia de acesso e realização de exames médicos a distância, desenvolvida pelo Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina, possibilitará o suporte às atividades de defesa estratégica das Forças Armadas nas fronteiras do país, além de oferecer serviços de saúde a comunidades isoladas.

O evento que ocorreu na Base Militar de Guaicurus, sede da 4º Brigada de Cavalaria Mecanizada, contou com a presença do presidente da República em exercício Michel Temer, do comandante do Exército, General-de-Exército Humberto Villas-Boas e do comandante Militar do Oeste (CMO) General-de-Exército Paulo Humberto César de Oliveira, além do General de Brigada Rui Yutaka Matsuda, comandante da Base Gauicurus.

O professor Aldo von Wangenheim, do Departamento de Informática e Estatística, do Centro Tecnológico da UFSC, é o coordenador geral do INCoD e também coordenador do Projeto de Telemedicina junto à SES/SC. Aldo apresentou às autoridades as vantagens e possibilidades do emprego de um sistema similar ao desenvolvido em Santa Catarina no contexto do SISFRON. Nos mais de 16.000 km de fronteiras onde o SISFRON estará presente, a tecnologia deve otimizar e ampliar o atendimento e a oferta de exames médicos em regiões de difícil acesso do Brasil.

Foram também entregues a Michel Temer materiais explicativos sobre a Telemedicina e um DVD institucional. Em entrevista após a apresentação, o presidente destacou que por meio desta operação cívico-social, milhares de pessoas tiveram pela primeira vez a possibilidade de realizar um exame médico, e que esses são fatores que enaltecem o sistema”.

telemedicina

Aldo von Wangenheim explica o sistema a Michel Temer

Fonte: IncoD /UFSC

Tags: Aldo von WangenheimincodSisfronUFSC

Aplicativo de celulares apoia médicos do Telessaúde de Santa Catarina

05/01/2015 14:24

GooglePlay-Teleconsultoria_dtqO Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD), ligado à Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), lançou um aplicativo para celulares que irá apoiar a teleconsultoria entre médicos para o Telessaúde-SC; com isso, o portal do Núcleo de Telessaúde de Santa Catarina já pode ser acessado de tablets e smartphones.

O Teleconsultoria é um aplicativo para Android e iOS que permite a profissionais da área da saúde utilizar o serviço de teleconsultoria do Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde, possibilitando-lhes direcionar dúvidas a especialistas, que as visualizarão e responderão. Além disso, ele abre acesso ao acervo de material que o Núcleo de Telessaúde de Santa Catarina disponibiliza frequentemente.
(mais…)

Tags: CCSincodtelessaúdeUFSC

Projeto Brasil 4D Brasília recebe SET Prêmio 2014

28/08/2014 17:49

set-1024x511O Projeto Brasil 4D Brasília, realizado em parceria entre a Empresa Brasil de Comunicação (EBC)/TV Brasil e o INCoD/INE/UFSC, recebeu nesta segunda, 25 de agosto, o SET Prêmio 2014,  na categoria “Projeto de Interatividade para Televisão”, durante a SETEXPO 2014 – Broadcast and New Media Technology – Trade Show and Conference, congresso e exposição anual organizados pela Sociedade Brasileira de Engenharia e Televisão (SET).

 

 

Tags: 10º Encontro Catarinense de Saúde MentalEBCincodUFSC

TV digital é tema da milésima defesa da pós em Ciência da Computação

19/09/2013 13:59

O estudante Juliano de Souza Krieger defendeu nesta quarta-feira, 18 de setembro, sua dissertação de mestrado junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UFSC, na qual propõe uma ferramenta para criar conteúdos interativos para TV digital. É a milésima defesa do programa, que foi criado em 1992. A dissertação foi orientada pelo professor Eros Comunello, é resultado da pesquisa desenvolvida junto ao Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD) e recebeu apoio do CNPq.
(mais…)

Tags: CTCEADincodINETV DigitalTV interativaUFSC

Projeto que mede usabilidade em aplicativos de celulares conquista terceiro lugar em prêmio nacional

26/06/2013 15:22

Para definir o questionário, equipe avaliou 247 aplicativos de celulares. Na foto, Paulo Battistella, Juliane V. Nunes, professor Adriano F. Borgatto, Caroline Krone, professora Christiane Gresse von Wangenheim e Thaisa C. Lacerda. Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

O projeto “Match – Customização de Heurísticas de Usabilidade para Celulares Touchscreen” conquistou o terceiro lugar de uma das principais premiações sobre qualidade de software no Brasil, o Prêmio Dorgival Brandão Júnior promovido pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A entrega do prêmio será em Salvador, no dia 2 de julho. O diferencial do projeto é colocar à disposição de desenvolvedores de aplicativos de celulares um questionário que possibilita medir a usabilidade, ou seja, saber se o software é fácil e simples de usar.

Coordenado pelos professores Christiane Gresse von Wangenheim e Adriano F. Borgatto, o projeto foi desenvolvido pelo Grupo de Qualidade de Software do Instituto Nacional para Convergência Digital (GQS/INCoD/INE), da Universidade Federal de Santa Catarina. Além dos professores, participam estudantes de graduação, bolsistas de iniciação científica (Pibic), uma estudante em fase de trabalho de conclusão de curso de graduação e também um doutorando (veja a lista de participantes no final da notícia).

Iniciado em março de 2012, o projeto teve como desafio criar um questionário conciso que permite medir avaliar nove aspectos relacionados à usabilidade de aplicativos de celulares touchscreen. A ferramenta pode apoiar a melhoria da qualidade nesta área que cresce a cada dia e que representa muitos desafios para os desenvolvedores. “Os aplicativos para celulares são diferentes dos computadores: a tela é menor, muitos usuários sofrem para digitar e clicar nos botões, além dos fatores do ambiente de uso que podem interferir, como barulho, luz e outros estímulos” explica a professora Christiane. “Tudo isso são aspectos que interferem no uso e que transformam a boa usabilidade em um fator ainda mais importante”.

Etapas da pesquisa

Como ponto de partida, a equipe realizou um levantamento sobre o que pesquisadores têm recomendado para tornar mais simples e fácil o uso de aplicativos em celulares. Entre os trabalhos mais recorrentes estão os de Jakob Nielsen. Foram as heurísticas de usabilidade de Nielsen, juntamente com outras pesquisas específicas sobre celulares, que se tornaram o fundamento para o questionário. As heurísticas de usabilidade para celulares touchscreen reúnem as recomendações do que já se sabe que funciona, como por exemplo, atenção ao tamanho de fontes, distância entre botões, significado dos ícones, entre outros. “As heurísticas são uma solução de ‘baixo custo’ que ajudam a identificar o que aumenta a aceitação e a usabilidade em termos técnicos”, explica a professora Christiane. O outro método disponível são os testes de usabilidade que, por envolver a participação de pessoas durante o uso de softwares, são mais caros e demorados.

Ao reunir as heurísticas de usabilidade, os pesquisadores chegaram a 92 itens passíveis de avaliação. A grande quantidade de itens levou a equipe a se questionar se todos eles contribuem para avaliar, ou seja, se realmente medem o que se pretende medir. A ideia era minimizar o número de questões e enfocar nas perguntas essenciais. Para isso, a estratégia foi utilizar um método estatístico chamado Teoria de Resposta ao Item. “É a mesma utilizada no pré-teste do ENEM com o objetivo de detectar e consequentemente excluir questões que não contribuem para medir a habilidade desejada” explica Adriano. “No nosso caso, eliminamos as questões que não ajudavam a discriminar aplicativos com usabilidade alta ou baixa. Um exemplo do que excluímos foram perguntas referente a ajuda (help). Ainda que eles sejam importantes para ajudar as pessoas usar o aplicativo, não contribuem para medir e separar os aplicativos que têm boa usabilidade dos que não têm”, completa.

Imagem do questionário desenvolvido pela equipe do GQS/INCoD/INE. A previsão é que até o final de julho esteja disponível no site http://www.gqs.ufsc.br. Imagem: divulgação.

A etapa seguinte envolveu muito trabalho. Com a ajuda do professor Adriano Borgatto, que orientou na aplicação da Teoria de Resposta ao Item, os pesquisadores definiram o questionário inicial com as 92 questões. Depois, identificaram os aplicativos de celulares que avaliaram a qualidade do instrumento, via TRI. Só assim seria possível validar as próprias questões. No total, foram avaliados 247 aplicativos, das mais variadas áreas, como jogos infantis, bancos, viagens, revistas, e-mail, jornais, redes sociais. A partir dessa base de dados foi possível chegar às 48 questões consideradas essenciais para medir a usabilidade.

Outro resultado foi a elaboração de uma escala de medida do grau de usabilidade. São quatro graus cumulativos, ou seja, as escalas mais altas englobam também os requisitos dos níveis anteriores. Os aplicativos classificados no nível mais baixo atendem principalmente requisitos mínimos de ‘Consistência e Padrões’, enquanto aqueles que estão no nível mais elevado estão possuem maior probabilidade de atender a todas as questões, contidas também em heurísticas como: ‘Visibilidade do status do sistema’, ‘Legibilidade e layout’, ‘Flexibilidade e eficiência de uso’ e ‘Controle e liberdade do usuário’. “Ao responder o questionário, o desenvolvedor poderá saber qual nível de usabilidade o software está, no entanto ainda não é possível indicar especificamente em que ponto é preciso melhorar”, explica a professora Christiane. “A recomendação é que, a partir de um baixo desempenho no questionário, o desenvolvedor realize um teste de usabilidade, para identificar de forma mais aprofundada os problemas de usabilidade do seu aplicativo”, completa.

Entre os próximos passos da equipe, um deles já está sendo encaminhado, que é disponibilizar o questionário na internet, possibilitando que qualquer desenvolvedor de software possa medir rapidamente o nível de usabilidade do seu aplicativo para celulares touchscreen. A previsão é que até o final de julho o questionário esteja disponível gratuitamente no site do projeto: http://www.gqs.ufsc.br. Outro passo será comparar um caso medido pelo questionário com um teste de usabilidade envolvendo usuários, para verificar se as duas avaliações chegam a resultados semelhantes. Outro objetivo é atualizar o questionário continuamente. “A cada dia sempre surgem novos tipos de dispositivos e aplicativos, por isso a avaliação precisa acompanhar esta dinâmica”, finaliza a professora.

Sobre o prêmio

O Prêmio Dorgival Brandão Júnior da Qualidade e Produtividade em Software é uma iniciativa do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade – PBQP Software, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). O objetivo é destacar os projetos voltados para a melhoria da qualidade e produtividade do software brasileiro, em sete categorias ou estratégias. Este ano o prêmio será entregue durante o Simpósio Brasileiro de Qualidade de Software (SBQS) no dia 2 de Julho de 2013 em Salvador/BA.

Equipe do Projeto MATCH – Measuring Usability of Touchscreen Phone Applications – Customização de Heurísticas de Usabilidade para Celulares Touchscreen

Coordenadores:
Profa. Christiane Gresse von Wangenheim
Prof. Adriano F. Borgatto

Estudantes:
A. Talita Witt (aluna de TCC do INE)
Juliane V. Nunes (bolsista do GQS)
Thaisa C. Lacerda (aluna do INE – bolsista do GQS)
Luiz H. Salazar (aluno do INE – bolsista PIBIC 2011-2012)
Caroline Krone (aluno do INE – bolsista PIBIC 2012-2013)
Laís de Oliveira (aluno do INE – bolsista PIBIC 2012-2013)
Paulo Battistella (doutorando do PPGCC – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação)


Mais informações:
– Website do projeto: http://www.gqs.ufsc.br/match-measuring-usability-of-touchscreen-phone-applications/
– Professora Christiane Gresse von Wangenheim: 

 

Laura Tuyama / Jornalista da Agecom / UFSC

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC  e imagens de divulgação do projeto.

Tags: CTCGQSincodINEPrêmio Dorgival Brandão JúniorQualidade e Produtividade de SoftwareUFSC

UFSC recebe visita do presidente do Conselho Federal de Medicina

29/10/2012 16:19

Roberto d´Avila e Aldo von Wangenheim

A equipe do Laboratório de Segurança em Computação (LabSEC) da UFSC exibiu para o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto Luiz d’Avila, um trabalho desenvolvido sobre segurança digital na emissão de laudos médicos e consulta a prontuários de pacientes.O convidado esteve na Universidade na manhã desta segunda-feira, dia 29 de outubro, e visitou o Instituto Nacional para Convergência Digital (INCoD).

(mais…)

Tags: Conselho Federal de MedicinaincodLabSECRoberto d´Avila

INCOD promove palestra sobre redes de sensores sem fio

02/10/2012 16:50

O Instituto Nacional para Convergência Digital (INCoD) promove na próxima sexta-feira (05/10), às 10h, no auditório do INE/UFSC, palestra com professor Jó Ueyama,  do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP São Carlos.

Com o título “Integrando Redes de Sensores sem Fio, VANTs e Smartphones: a nossa Experiência em São Carlos”, Ueyama apresentará as principais linhas de pesquisa desenvolvidas pelo grupo coordenado por ele na área de redes sem fio, com destaque para o avanço do protótipo em redes de sensores sem fio para o monitoramento de rios urbanos.

Serviço:
Palestra com o Jó Ueyama, do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC)/ USP São Carlos
Local: Auditório do INE (Departamento de Informática e Estatística) – CTC
Data: Sexta-feira (05/10)
Hora: 10h
Mais informações com Nathalie ou Camile pelo telefone: (48) 3721 4715 ou pelo e-mail:

Tags: incodINEUFSC

INCoD promove palestra sobre modelagem do Sistema Cardiovascular Humano

19/09/2012 17:22

O Instituto Nacional para Convergência Digital (INCoD) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove na próxima quinta-feira, dia 27 de setembro, às 10h, no auditório do Departamento de Informática e Estatística (INE), palestra com Daniel Golbert, do Laboratório Nacional de Computação Científica (INCC – http://www.lncc.br/).

Com o tí­tulo “Modelagem do Sistema Cardiovascular Humano: Atividades de P&D no grupo HeMoLab” (Laboratório Associado ao INCT-MACC –  Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Medicina Assistida por Computação Cientí­fica – http://macc.lncc.br/), Golbet apresentará as principais linhas de pesquisa desenvolvidas dentro do grupo HeMoLab voltadas para aplicação em medicina.

O grupo trabalha na modelagem do sistema cardiovascular humano (SCVH), atuando nas áreas de processamento de imagens médicas, modelagem e simulação do escoamento sanguí­neo no SCVH e desenvolvimento de métodos numéricos robustos, visando implementações eficientes.

Serão apresentados também os resultados da paralelização do método de Lattice-Boltzmann na modelagem do escoamento sanguíneo feita em clusters com mais de 1.000 processadores e em placas GPU com mais de 300 processadores.

Serviço:
O quê?:
Palestra com Daniel Golbert do INCC
Local
: Auditório do INE (Departamento de Informática e Estatística) – CTC
Data: Quinta-feira (27/09)
Hora
: 10h

Outras informações com Nathalie ou Camile pelo telefone (48) 3721 4715 ou pelo e-mail: .

Tags: Daniel GolbertincodINEUFSC

TV UFSC recebe equipamentos do transmissor digital

05/09/2012 17:48

Emissora será sintonizada no canal 63, em parceira com a TV Brasil

Na manhã desta quarta-feira, dia 5 de setembro, a TV UFSC recebeu os equipamentos do transmissor digital. A instalação começa no final do mês. A emissora será sintonizada no canal 63, em parceira com a TV Brasil, e terá operação no prédio da UFSC, no Centro, e transmissão no Morro da Cruz. A aquisição foi feita pelo Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD).

Outras informações com Fernando Crócomo, diretor da TV UFSC, pelo telefone (48) 9672-0303.

Foto: TV UFSC

 

 

 

 

Tags: incodTV UFSC

INCoD lança manual para medição de software

26/06/2012 11:36

O Grupo de Qualidade de Software (GQS) do Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD) da UFSC lançou, na última semana, o livro Medição de Software – Guia Prático, pela Editora Bookess. Além de especialistas que queiram ampliar suas experiências, o livro também poderá ser utilizado por pessoas inexperientes em busca de conhecimento básico, pois mostra sistematicamente como coletar, analisar e interpretar dados para a monitoração de projetos.

(mais…)

Tags: GQSincodlivroMedição de SoftwareUFSC

UFSC e Epagri fazem parceria na previsão de catástrofes em Santa Catarina

05/06/2012 10:45

Realidade Aumentada

O Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) juntamente com o Laboratório de Processamento de Imagens e Computação Gráfica (LAPIX) está elaborando um protótipo de grande potencial para a previsão de catástrofes. A plataforma vem de uma parceria entre a universidade, a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e a Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc).

(mais…)

Tags: incodlapixprevisão de catástrofesUFSC e Epagri

Instituto catarinense passa a ter papel chave na padronização mundial em imagens médicas

17/02/2012 08:16

Professor Aldo von Wangenheim, coordenador do INCoD

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD), sediado na UFSC, foi aceito oficialmente como primeiro representante brasileiro da área de ciência, tecnologia e inovação (C&T&I) no Comitê do DICOM, sigla para Digital Imaging and Communications in Medicine (Imagem Digital e Comunicação em Medicina). O DICOM é o orgão responsável por desenvolver os padrões mundiais para armazenamento e comunicação de imagens médicas. Segundo Aldo von Wangenheim (currículo lattes), professor da UFSC e coordenador do INCoD, o padrão DICOM deve obrigatoriamente ser seguido por todos os fabricantes de software e equipamentos de imagens médicas, como tomografia, ultrassom e ressonância magnética, além de software para telemedicina.

A experiência dos pesquisadores catarinenses com o padrão DICOM vem desde 1995, com os projetos desenvolvidos por meio do Cyclops, grupo que fundou e que gerencia o INCoD. O Cyclops é pioneiro em serviços de telemedicina no Brasil: em 2005 desenvolveu a infraestrutura tecnológica que se transformou no atual Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde (STT/SC). O STT/SC permite o envio de exames e emissão de laudos a distância por especialistas em locais diferentes do paciente no estado de Santa Catarina. O volume de exames armazenados já ultrapassou a marca de 1,3 milhão e engloba eletrocardiogramas, exames dermatológicos, análises clínicas, tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom, raio-X, dentre outros.

Uma das contribuições do INCoD para os padrões internacionais para telemedicina será a sua experiência em visualização web das imagens médicas. “O comitê DICOM espera que o INCoD possa trazer novas visões sobre a utilização do padrão e participar de seu desenvolvimento levando em consideração a realidade e a experiência de redes de telemedicina em países emergentes”, explica Richard Augusto Schafer de Martini (currículo lattes), pesquisador do INCoD.

O processo para tornar-se membro do Comitê começou a partir de um convite informal do DICOM em outubro de 2010, durante a participação do INCoD como observador em uma reunião de um dos grupos de trabalho. No primeiro semestre de 2011 o instituto enviou sua submissão para participar do comitê, que avaliou a experiência do INCoD, a relevância dos trabalhos na área de imagem médica e as contribuições que podem ser oferecidas para o desenvolvimento do padrão.

Criado em 1993, o DICOM é gerenciado pela Associação Estadunidense de Fabricantes de Aparelhos Eletro-Eletrônicos (NEMA) e seu comitê é formado por pouco mais de 50 membros de vários países. Além do INCoD, o outro representante brasileiro no DICOM é o Colégio Brasileiro de Radiologia, que faz parte do grupo de usuários médicos do Comitê.

Sobre o INCoD

Apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC) e pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD) possui experiência significativa na área de tecnologias, conteúdos e serviços para cidadãos e profissionais da área de saúde. A criação do INCoD foi uma iniciativa do Grupo Cyclops, da UFSC, em parceria com laboratórios e centros de pesquisas de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. O INCoD também desenvolve projetos para o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Interativa.

Saiba mais

DICOM –  lista de membros: http://medical.nema.org/members.pdf

INCoD: http://www.incod.ufsc.br/

Por Laura Tuyama / Jornalista na Agecom

Tags: imagens médicasincod

Instituto catarinense passará a ter papel chave na padronização mundial em imagens médicas

27/01/2012 11:30

O Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD), sediado na UFSC, foi aceito oficialmente como primeiro representante brasileiro da área de ciência, tecnologia e inovação (C&T&I) no Comitê do DICOM, sigla para Digital Imaging and Communications in Medicine (Imagem Digital e Comunicação em Medicina). O DICOM é o orgão responsável por desenvolver os padrões mundiais para armazenamento e comunicação de imagens médicas. Segundo Aldo von Wangenheim (currículo lattes), professor da UFSC e coordenador do INCoD, o padrão DICOM deve obrigatoriamente ser seguido por todos os fabricantes de software e equipamentos de imagens médicas, como tomografia, ultrassom e ressonância magnética, além de software para telemedicina.

Professor Aldo von Wangenheim, coordenador do INCoD

A experiência dos pesquisadores catarinenses com o padrão DICOM vem desde 1995, com os projetos desenvolvidos por meio do Cyclops, grupo que fundou e que gerencia o INCoD. O Cyclops é pioneiro em serviços de telemedicina no Brasil: em 2005 desenvolveu a infraestrutura tecnológica que se transformou no atual Sistema Integrado Catarinense de Telemedicina e Telessaúde (STT/SC). O STT/SC permite o envio de exames e emissão de laudos a distância por especialistas em locais diferentes do paciente no estado de SC. O volume de exames armazenados já ultrapassou a marca de 1,3 milhão e engloba eletrocardiogramas, exames dermatológicos, análises clínicas, tomografia computadorizada, ressonância magnética, ultrassom, raio-X, dentre outros.

Uma das contribuições do INCoD para os padrões internacionais para telemedicina será a sua experiência em visualização web das imagens médicas. “O comitê DICOM espera que o INCoD possa trazer novas visões sobre a utilização do padrão e participar de seu desenvolvimento levando em consideração a realidade e a experiência de redes de telemedicina em países emergentes”, explica Richard Augusto Schafer de Martini (currículo lattes), pesquisador do INCoD.

O processo para tornar-se membro do Comitê começou a partir de um convite informal do DICOM em outubro de 2010, durante a participação do INCoD como observador em uma reunião de um dos grupos de trabalho. No primeiro semestre de 2011 o instituto enviou sua submissão para participar do comitê, que avaliou a experiência do INCoD, a relevância dos trabalhos na área de imagem médica e as contribuições que podem ser oferecidas para o desenvolvimento do padrão.

Criado em 1993, o DICOM é gerenciado pela Associação Estadunidense de Fabricantes de Aparelhos Eletro-Eletrônicos (NEMA) e seu comitê é formado por pouco mais de 50 membros de vários países. Além do INCoD, o outro representante brasileiro no DICOM é o Colégio Brasileiro de Radiologia, que faz parte do grupo de usuários médicos do Comitê.

Sobre o INCoD

Apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (FAPESC) e pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD) possui experiência significativa na área de tecnologias, conteúdos e serviços para cidadãos e profissionais da área de saúde. A criação do INCoD foi uma iniciativa do Grupo Cyclops, da UFSC, em parceria com laboratórios e centros de pesquisas de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. O INCoD também desenvolve projetos para o Sistema Brasileiro de Televisão Digital Interativa.

Saiba mais

DICOM –  lista de membros: http://medical.nema.org/members.pdf

INCoD: http://www.incod.ufsc.br/

 

Por Laura Tuyama, jornalista na Agecom.

 

Tags: convergência digitaldicomimagens médicasincodtelemedicinaUFSC