Segunda semana do ano registra recorde de novos casos de Covid em SC, alerta o Necat

17/01/2022 10:17

O segundo número do Informe Semanal do Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) sobre a pandemia de Covid-19 em Santa Catarina traz dados que apontam uma “aceleração expressiva” do contágio no Estado. O informe do Necat analisou as informações referentes à semana de 8 a 14 de janeiro de 2022.

Neste período houve uma significativa mudança no cenário da pandemia no Estado. Foram notificado mais 38.894 casos da doença em apenas sete dias, o que representa um crescimentos de 103% em relação à primeira semana de 2022. “Isso significa uma média diária de 5.556 registros da doença, patamar superior as maiores médias verificadas no pico anterior da pandemia que ocorreu entre os meses de fevereiro e abril de 2021”, afirma o documento.

Essa situação se reflete no total de casos ativos da doença no Estado, que chegou a 45.915 no dia 14 de janeiro – crescimento de 208% em relação a 8 de janeiro. O aumento de novos casos e do total de casos ativos na semana não teve impacto no número de óbitos, que ficou praticamente estável em relação à primeira semana de janeiro. Ainda assim, mais 41 pessoas perderam a vida em apenas sete dias.

O recorde de novos casos da doença indica a ocorrência de um grande surto de contágio no estado, promovido pela variante Ômicron do coronavírus. Por isso, de acordo com o levantamento do Necat, ainda são necessárias ações das autoridades estaduais e municipais para reduzir a circulação do vírus, enquanto a população deve seguir as orientações sanitárias vigentes desde o início da pandemia (evitar aglomerações, cuidar da higiene e usar máscara).

O boletim é assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat.

A íntegra do Informe pode ser acessada aqui.

 

Tags: contágioCovid-19NecatUFSCUniversidade Federal de Santa Catarinavariante Ômicron

Boletim Necat alerta para explosão de casos ativos de COVID-19 na primeira semana do ano

11/01/2022 16:33

Desde o início da pandemia, o Núcleo de Estudos da Economia Catarinense (NECAT/UFSC) produziu análises semanais da evolução da COVID-19 no estado de Santa Catarina, as quais foram publicadas em 85 boletins. A partir de 2022 esses boletins terão periodicidade mensal.

O NECAT ainda manterá um informe semanal, mais resumido, que tratará apenas da evolução de alguns indicadores cruciais relativos ao comportamento da pandemia no estado, cujo cenário sofreu fortes alterações na passagem para o ano que se inicia. O boletim completo será publicado mensalmente.

O primeiro informe semanal do ano tem o título “A explosão dos casos ativos na primeira semana de 2022” e é assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do NECAT/UFSC. Confira o Informe Semanal completo aqui.

Tags: Covid-19NecatNúcleo de Estudos da Economia CatarinenseUFSC

Boletim Necat apresenta cenário da Covid-19 em Santa Catarina ao final de 2021

04/01/2022 13:37

Nesta terça-feira, 04 de janeiro, o Núcleo de Estudos da Economia Catarinense (NECAT/UFSC) publicou a 85ª edição do Boletim da Covid-19 em Santa Catarina. O título do novo número é Cenário da Covid-19 em Santa Catarina ao final do ano de 2021”.
(mais…)

Tags: Boletim NecatcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos da Economia CatarinenseUFSC

Covid-19 em SC: boletim aponta que casos ativos atingiram menor patamar desde maio de 2020

13/12/2021 16:22

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 13 de dezembro, a 83ª edição do boletim Covid-19 em SC. Intitulado Casos ativos atingiram menor patamar desde maio de 2020, o trabalho foi assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (3 a 10 de dezembro), foram registrados 2.941 novos casos e 48 óbitos – uma média de 420 casos e 7 mortes por dia. Ambos os indicadores apresentam tendência de queda. Já o número de casos ativos registrados no dia 10 foi de 3.342, o valor mais baixo desde maio de 2020. A última matriz de risco divulgada pelo governo estadual, no dia 11, também mostrou que o controle da pandemia continua apresentando resultados bastante positivos, uma vez que não foi registrada situação grave ou gravíssima em nenhuma região. 

A taxa de transmissão da doença, todavia, ainda é preocupante. O Rt ficou em 0.961, variando de 0.652 (Sul) a 0.986 (Grande Florianópolis). “Esses patamares estão indicando que em muitas regiões do estado a transmissão da doença ainda se encontra em um ritmo acelerado”, aponta o artigo.

“Portanto, o comportamento do conjunto de indicadores analisados neste boletim, mesmo que bastante favorável, ainda não permite nenhum relaxamento em relação às medidas de prevenção e de controle da doença. Por isso, entendemos que ainda é necessário manter as principais medidas preventivas até que o percentual da população vacinada atinja um patamar capaz de evitar a contínua propagação do novo coronavírus”, conclui o estudo.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também são encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Estudante da UFSC vence 23º Prêmio Catarinense de Economia

01/12/2021 09:58

Vicente Loeblein Heinen é pesquisador do Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Foto: Divulgação)

O estudante Vicente Loeblein Heinen, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), foi o vencedor da categoria Acadêmica: Monografia de Graduação do 23º Prêmio Catarinense de Economia (PCE) 2021, promovido pelo Conselho Regional de Economia (Corecon-SC). Não houve vencedores nas categorias Artigo Científico, dirigida a profissionais, e Resenha, aberta a profissionais e acadêmicos.

Vicente Heinen apresentou o trabalho “Superpopulação relativa no Brasil: tamanho e composição entre 2012 e 2020” e receberá R$ 2 mil pela primeira colocação. Técnico em Informática pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e graduado neste ano em Ciências Econômicas pela UFSC, Heinen há quatro anos é pesquisador do Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat/UFSC), que acompanha e analisa indicadores econômicos, pesquisas amostrais, registros administrativos como Caged e Rais, e censo demográfico.

A solenidade de premiação será virtual e ocorrerá dia 13 de dezembro, às 18h30, em conjunto com a 12ª e última sessão ordinária do Corecon-SC.

Em segundo lugar na categoria Acadêmica ficou Jordana Menezes, com o trabalho “Desigualdade de gênero após a Reforma Trabalhista Brasileira de 2017: uma análise da decomposição salarial de Oaxaca-Blinder com base numa Recentered Influence Function”; e em terceiro, Carolina Fernandes Custódio, com “Uma aplicação do pacote Blinder-Oaxaca Decomposition em R para estimar o prêmio salarial STEM” . Ambos são acadêmicos da Udesc e receberão, respectivamente, R$ 1,5 mil e R$ 1 mil. Confira a íntegra dos trabalhos em corecon-sc.org.br.

O Prêmio Catarinense de Economia tem o objetivo de incentivar a investigação econômica em geral e estimular economistas e estudantes de Ciências Econômicas a desenvolverem pesquisas voltadas para o conhecimento e o desenvolvimento da economia catarinense.

Texto da Assessoria de Comunicação do Corecon-SC

 

Tags: CoreconEconomiaNecatUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19 em SC: boletim alerta que não é o momento de flexibilizar medidas de prevenção

03/11/2021 10:53

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou na última segunda-feira, 1º de novembro, a 77ª edição do boletim Covid-19 em SC. Intitulado Ainda não é o momento para se flexibilizar as medidas de prevenção contra a Covid-19, o trabalho foi assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (23 a 29 de outubro) foram registrados 5.802 novos casos – uma média de 829 casos diários, que revela uma tendência de aumento do indicador em relação aos últimos 14 dias. Houve também registro de mais 85 mortes no período, com média de 12 óbitos por dia.

O estudo aponta que, apesar de a última matriz de risco divulgada pelo governo estadual mostrar que o controle da pandemia apresenta resultados bastante positivos nas últimas semanas, o comportamento de alguns indicadores revelaram um cenário de expansão da média semanal móvel de novos casos, bem como uma estabilidade dos casos ativos acima do patamar de 6 mil pessoas contaminadas. Destaca-se ainda que, em muitas regiões do estado, a transmissão da doença se encontra em ritmo acelerado. O índice Rt vai de 0,94 (Grande Oeste) a 0,99 (Grande Florianópolis). 

“Em síntese, o comportamento do conjunto de indicadores analisados neste boletim, mesmo que bastante favorável, ainda não permite nenhum relaxamento em relação às medidas de prevenção e de controle da doença, especialmente no quesito ‘flexibilização do uso de máscaras’, equipamento que é extremamente eficaz no sentido de inibir a circulação do vírus. Por isso, entendemos que ainda são necessárias medidas preventivas para achatar a curva de contágio com o objetivo de se estabelecer as condições adequadas para reduzir o próprio coeficiente de mortalidade, que ainda permanece num patamar elevado no estado”, conclui o artigo.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também são encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Arrefecimento da pandemia não permite relaxar prevenção, alerta boletim do Necat

19/10/2021 12:45

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou o número 75 do Boletim Covid-19 em SC, intitulado “Mesmo com queda dos principais indicadores da Covid-19, ainda é cedo para flexibilizar medidas preventivas”. O boletim analisa o comportamento da pandemia na semana compreendida entre 9 e 15 de outubro, período em que o Estado registrou 4.760 novos casos e 88 novos óbitos.

As informações analisadas mostram que a circulação do vírus em Santa Catarina continua em patamar elevado. “Segundo a última matriz de risco divulgada pelo governo estadual em 16.10.21, o número de reprodução efetivo (Rt) – indicador que mede a taxa de transmissão do vírus na população – ficou em 0.96, sendo que nas diversas regiões esse indicador variava entre 0.96 a 1.0”, alerta o documento. O número de reprodução efetivo deve ser menor que 1.0 para indicar a tendência de controle da pandemia.

O documento registra a queda continuada da média móvel semanal de mortes diárias: caiu de 17 mortes diárias no final de setembro para 13 óbitos por dia na semana considerada – recuo de 23% em relação à média dos últimos 14 dias. Para efeito de comparação, no mês de outubro de 2020 a média de mortes foi de nove ocorrências diárias. Em decorrência, o número de óbitos diários faz com que Santa Catarina apresente o 13º maior coeficiente de mortalidade no país a cada 100 mil habitantes.

“Em síntese, o comportamento do conjunto de indicadores analisados neste boletim, mesmo que bastante favorável, ainda não permite nenhum relaxamento em relação às medidas de prevenção e de controle da doença, especialmente em função da circulação também em Santa Catarina da nova variante (Delta)”, registra o documento, que é assinado pelo coordenador geral do Necat, professor Lauro Mattei.

 

Tags: coronavírusNecatpandemiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Boletim Covid-19 em SC aponta média de mortes em patamar elevado, mas forte tendência de queda de novos casos

21/09/2021 08:12

A 71ª edição do Boletim Covid-19 em SC, publicada na última segunda-feira, 20 de setembro, pelo Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat), informa que a média de mortes pela doença se mantém em patamar elevado no estado. No entanto, de acordo com a publicação, uma taxa semanal de crescimento de 0,2% no agregado estadual e uma média semanal móvel de 293 novos casos diários revelam uma forte tendência de queda dos novos casos.

“A última matriz de risco divulgada pelo governo estadual no dia 18.09.2021 mostrou novamente que o controle da pandemia no estado vem apresentando melhoras consideráveis nas últimas semanas. Tal situação foi corroborada em nossa análise semanal pelo comportamento de diversos indicadores considerados”, traz o boletim.

O Necat analisou os números da pandemia na semana compreendida entre os dias 11 a 17 de setembro, período em que Santa Catarina registrou 2.050 novos casos e mais 148 óbitos. Ao todo, cerca de 1,17 milhão de pessoas já foram contaminadas no estado e 19.055 delas morreram. “Em função disso, Santa Catarina se manteve no 2º lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes e, em termos absolutos, o 6º estado como maior número de casos e o 10º estado com maior número de mortes”.

O coeficiente de incidência da doença em Santa Catarina, a cada 100 mil habitantes, é 1,63 vezes o coeficiente verificado no Brasil e 3,26 vezes maior que o índice do estado em melhor situação, o Maranhão.

> Confira a íntegra do documento neste link.

Tags: coronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)pandemiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19 em SC: boletim destaca que número de casos ativos é o menor desde setembro de 2020

13/09/2021 18:00

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 13 de setembro, o 70º boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulada Casos ativos atingiram o menor patamar desde o mês de setembro de 2020, a edição foi assinada por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (4 a 10 de setembro), Santa Catarina registrou 6.289 novos casos e 133 óbitos. A média móvel ficou em 898 casos e 19 mortes por dia. Ao final do período avaliado, o número de casos ativos (pessoas que continuavam contaminadas) era de 8.050, patamar 26% inferior ao verificado nos últimos 14 dias, sinalizando uma tendência de queda. O valor também se aproxima do registrado ao final de setembro de 2020 (7 mil).

Apesar de alguns indicadores favoráveis e mesmo diante de certo alívio no funcionamento do sistema de saúde, o estudo alerta que o número de óbitos diários permanece elevado. A média semanal móvel de mortes apresentou uma queda de 8% em relação aos últimos 7 dias e de 13% em relação aos últimos 14 dias, configurando uma situação de estabilidade, “porém em um patamar ainda elevado comparativamente àquele verificado após o final do surto anterior da doença ocorrido nos meses de julho e agosto de 2020, quando eram registrados entre 8 a 10 óbitos ao dia”. O artigo também aponta que ainda não é o momento de relaxar as medidas de prevenção e controle da doença, especialmente em função da circulação da variante Delta, mais contagiosa que as anteriores.

O boletim completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontradas as edições anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Estudo aponta que média semanal de casos de covid-19 atingiu o menor patamar desde outubro de 2020

08/09/2021 11:51

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou na última segunda-feira, 6 de setembro, o 69º boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulada Média móvel semanal de casos atingiu o menor patamar desde outubro de 2020, a edição foi assinada por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (28 de agosto a 3 de setembro), Santa Catarina registrou 7.952 novos casos e 146 óbitos – uma média de 1.136 casos e 21 mortes por dia. O estudo destaca que a média semanal móvel de casos apresentou uma redução de 22% em relação aos últimos sete dias e de 23% em relação aos últimos 14 dias, configurando uma tendência de queda. O patamar está próximo ao observado em meados de outubro de 2020. 

Mesmo assim, o artigo salienta que a situação ainda permanece grave diante do comportamento de outros indicadores, com destaque para o número de óbitos diários e para o Rt geral do estado, que subiu para 0,97, variando entre as diferentes mesorregiões – de 0,95 (Sul) a 1,04 (Grande Oeste). Esses dados indicam que, em muitas regiões do estado, a transmissão da doença ainda se encontra em ritmo acelerado. 

“Em síntese, o comportamento do conjunto de indicadores analisados não permite nenhum relaxamento em relação às medidas de prevenção e de controle da doença, especialmente em função da circulação também em Santa Catarina da nova variante (Delta), que é de caráter muito mais contagioso que a variante atual (Gama)”, conclui o texto.

O artigo completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Covid-19 em SC: boletim aponta que casos ativos permanecem em patamar elevado

30/08/2021 16:54

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 30 de agosto, o 68º boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulada Casos ativos no estado permanecem em patamar elevado, a edição foi assinada por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (21 a 27 de agosto), Santa Catarina registrou 10.145 novos casos e 151 óbitos – uma média de 1.449 casos e 22 mortes por dia, “indicadores que revelam a continuidade da gravidade da pandemia no estado”. O número de casos ativos era de 12.934 no último dia 27, patamar 8,5% superior ao verificado no início do mês. O dado evidencia que o nível de contágio se mantém em ritmo acelerado e sinaliza a possibilidade de novas sobrecargas no sistema estadual de saúde.

“Depois de sofrer altas nos meses de maio e junho, os casos ativos tiveram quedas importantes durante o mês de julho, fazendo com que esse indicador ficasse ao redor de 12 mil pessoas com a doença na data considerada. Todavia, observou-se que nas últimas semanas esse indicador voltou a se expandir, atingindo uma parcela ainda elevada da população catarinense”, informa o estudo. 

O artigo completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Média de casos de covid-19 volta a subir em SC, indica estudo

23/08/2021 17:44

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 23 de agosto, a 67ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado Média semanal móvel de novos casos voltou a subir, o número foi assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (13 a 20 de agosto), Santa Catarina registrou 10.260 novos casos e 166 óbitos – uma média de 1.466 casos e 24 mortes por dia. O estudo destaca que a média móvel de casos apresentou um aumento de 3% em relação à semana anterior e de 8% em relação aos últimos 14 dias, configurando uma tendência de estabilidade. O patamar, contudo, é considerado crítico, uma vez que o melhor desempenho desse indicador após o primeiro surto da pandemia foi verificado em setembro de 2020, quando essa média ficou ao redor de 900 casos diários.

A quantidade de casos ativos também voltou a se expandir, atingindo a marca de 12.619 pessoas contaminadas. Os indicadores, de acordo com o texto, revelam “que o nível de contágio da população catarinense ainda permanece em ritmo acelerado, configurando uma situação grave”. Salienta-se também “a possibilidade de novas sobrecargas no sistema estadual de saúde, mesmo considerando-se o fato de que na data de elaboração do boletim não existiam mais pessoas aguardando na fila de espera por um leito de UTI Covid-19”.

O artigo completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Necat publica novo boletim sobre a evolução da pandemia de Covid-19 em SC

02/08/2021 19:05

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) publicou nesta segunda-feira, 2 de agosto, o número 64 do Boletim Covid-19 em SC, com o título de “Novos casos caíram expressivamente em julho/21 com a expansão da imunização”.

O boletim traz informações positivas, como a de que o número de pessoas que continuavam contaminadas em 31 de julho (13.523) foi 10% menor do que o verificado na semana anterior e de que a semana final de julho foi a terceira, desde o mês de março, em que não há pacientes em fila de espera em por um leito de UTI.

Mesmo com essas comparações positivas em relação ao mês anterior ou aos últimos 14 dias, o boletim evidencia que não há razões para relaxar nos cuidados com relação à pandemia. Na semana analisada pelo boletim, de 23 a 30 de julho, Santa Catarina registrou 11.373 novos casos e 234 novos óbitos. Na semana anterior (de 16 a 23 de julho), o Estado havia registrado 12.079 novos casos e 206 óbitos. Ou seja, o número de novos casos teve uma pequena redução, mas número de óbitos foi maior do que na semana anterior.

A evolução do número de casos também é distinta de acordo com as diferentes mesorregiões do Estado. Enquanto a média estadual de crescimento das contaminações ficou em 1%, as mesorregiões da Foz do Rio Itajaí e Planalto Norte e Nordeste apresentaram taxas de crescimento de 1,5%. Já a Grande Florianópolis e a Sul Catarinense (composta pelas microrregiões de Tubarão, Criciúma e Araranguá), apresentaram taxas de crescimento de 0,5%.

Esses dados são sustentados também pela taxa de reprodução efetiva (Rt), que mede a transmissão do vírus entre a população, e que estava em 0,94 na média estadual. “Esse coeficiente variava de 0.90 (Meio Oeste e Serra) até atingir seu valor máximo de 1.0 na região Foz do Rio Itajaí”, registra o boletim do Necat.

“Em síntese, o cenário atual representado pelo comportamento do conjunto dos indicadores acima mencionados revela que a pandemia ainda continua em uma situação grave no estado de Santa Catarina”, conclui o documento, que é assinado pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat.

A íntegra do boletim está publicada neste link.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusNecatpandemiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Boletim do Necat detecta queda consistente no número de mortes por Covid-19 em julho

26/07/2021 18:48

O Boletim Covid-19 em SC número 63, publicado nesta segunda-feira, 26 de julho, pelo Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat), traz a informação de que os óbitos pela Covid-19 no Estado apresentaram quedas consistentes no mês de julho de 2021. No entanto, de acordo com o boletim, os níveis de contaminação pela doença permanecem em patamares elevados na comparação com outros períodos da pandemia.

O Necat analisou os números da pandemia na semana compreendida entre os dias 16 e 23 de julho, período em que Santa Catarina registrou 12.079 novos casos e mais 206 óbitos. Com isso, mais de 1 milhão e 100 mil pessoas já foram contaminadas no Estado e 17.726 delas perderam suas vidas. “Em função disso, SC se manteve no 2º lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes e, em termos absolutos, o 6º estado como maior número de casos e o 10º estado com maior número de óbitos”.

Com isso, o coeficiente de incidência da doença em Santa Catarina, a cada 100 mil habitantes, é 1,65 vezes o coeficiente verificado no Brasil e 3,27 vezes maior que o índice do estado em melhor situação, o Maranhão.

A média semanal móvel de novos casos apresentou uma redução de 25% em relação aos últimos 14 dias. Porém, a média de 1.726 novos casos diários ainda pode ser considerada muito alta se comparada ao mês de setembro de 2020, quando ficou em torno de 900 casos diários.

Em relação ao número de óbitos, a média semanal móvel apresentou uma queda de 33% em comparação com os últimos 14 dias, com o registro de 29 óbitos diários no Estado. “Em síntese, o cenário atual representado pelo comportamento do conjunto dos indicadores acima mencionados revela que a pandemia ainda continua em uma situação grave no estado de Santa Catarina”, conclui o boletim, que é assinado pelo coordenador geral do Necat, professor Lauro Mattei.

Confira a íntegra do documento neste link.

 

 

 

Tags: coronavírusNecatpandemiaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Vacinação já apresenta efeitos benéficos na redução da mortalidade por Covid-19

09/07/2021 16:34

Embora a vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina não tenha atingido ainda um grande alcance – apenas 12% da população catarinense estava efetivamente vacinada ao final do mês de junho – já é possível perceber os efeitos benéficos da imunização, principalmente entre os mais idosos. A conclusão é de um artigo do professor Lauro Mattei, coordenador geral do Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat/UFSC).

“É fato que os efeitos da imunização contra a Covid-19 já são perceptíveis em várias faixas da população catarinense, especialmente das pessoas mais idosas que foram as primeiras a ser vacinadas a partir de meados de janeiro de 2021”, sustenta o artigo.

A boa notícia vem seguida de um alerta para a necessidade de manutenção dos cuidados, pois a faixa etária acima dos 80 anos de idade voltou a apresentar aumento no percentual de óbitos no mês de junho, em comparação com o mês de maio. “Esse cenário poderá se agravar ainda mais diante da iminência de uma nova expansão da doença impulsionada pela variante Delta”.

No estudo, o professor Mattei analisa a evolução de casos e óbitos mês a mês, tendo como referência o início da vacinação no País, em janeiro. A análise aponta que os percentuais divulgados oficialmente pelo governo estadual como redução de mortes de idosos podem estar distorcidos ao se tomar como comparação o mês de março de 2021, quando ocorreu uma explosão de casos e óbitos no País e no Estado.

Veja a íntegra do artigo neste link:

 

Tags: coronavírusCovid-19NecatUFSCUniversidade Federal de Santa Catarinavacinação

Boletim faz síntese da pandemia de Covid-19 em Santa Catarina

05/07/2021 18:41

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 5 de julho, a 60ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado Síntese da pandemia em Santa Catarina até o mês de junho/21, o número foi assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração.

Na semana em análise (25 de junho a 2 de julho), o estado registrou 16.683 novos casos de Covid-19 e 326 óbitos – uma média de 2.383 casos e 47 mortes por dia. A média semanal móvel de casos apresentou redução de 14% em relação à semana anterior e de 17% em relação aos últimos 14 dias, enquanto a média semanal móvel de óbitos apresentou uma queda de 4% em relação aos últimos 14 dias. Os indicadores, contudo, ainda estão bastante elevados, destaca o estudo.

“Em síntese, o cenário atual representado pelo comportamento do conjunto dos indicadores acima mencionados revela que a pandemia continua em uma situação ainda gravíssima no estado de Santa Catarina. A continuidade de alguns desses indicadores em situação crítica na semana considerada evidencia que ainda são necessárias medidas restritivas para se achatar a curva de contágio e, com isso, reverter parte da tragédia humana que também se abateu sobre Santa Catarina, uma vez que o estado já superou o patamar de 17 mil vidas perdidas pela COVID-19”, conclui o texto.

O artigo completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19Necatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Estudo indica que registros diários de Covid-19 continuam elevados em SC

21/06/2021 16:55

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 21 de junho, a 58ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título Novos registros diários da Covid-19 continuam elevados em Santa Catarina, o artigo foi assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFSC.

Na semana em análise (11 a 18 de junho), o estado registrou 20.107 novos casos e 344 óbitos – uma média de 2.872 casos e 49 mortes por dia. “O patamar extremamente alto desses dois indicadores revela que o nível de contágio da população catarinense permanece em ritmo bastante acelerado, fato que configura uma situação da pandemia ainda muito grave no estado”, aponta o estudo. 

O texto também chama atenção para o fato de que, apesar de a média semanal móvel de casos ter reduzido 8% em relação à semana anterior, ela apresenta 28% de aumento em relação aos últimos 14 dias. O número de casos ativos, que superou a marca de 23 mil pessoas, também indica uma elevada contaminação da população e “a possibilidade concreta de geração de sobrecarga no sistema estadual de saúde. Tanto é assim que na data de elaboração do boletim aproximadamente 45 pessoas ainda aguardavam na fila de espera por um leito de UTI Covid-19”.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Artigo do Necat analisa superávit das contas do governo estadual em 2020

10/06/2021 13:15

Dois pesquisadores vinculados ao Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) acabam de publicar um artigo analisando o superávit obtido pelo governo do estado de Santa Catarina no ano de 2020. Ao contrário das contas nacionais, que registraram no ano passado um déficit primário da ordem de R$ 743 bilhões (equivalente a cerca de 10% do PIB), Santa Catarina encerrou o ano com um superávit de R$ 1,86 bilhão.

O resultado foi comemorado pelo governo estadual e atribuído a “medidas de austeridade dos gastos públicos” e ações para minimizar os impactos da pandemia de Covid-19 e da queda na arrecadação de impostos. O artigo evidencia, porém, que a maior parte do superávit decorreu das transferências de recursos da União para o Estado para ações de enfrentamento à pandemia de Covid-19 e também da suspensão do pagamento de dívidas.

“É importante registrar que, diante da crise sanitária e econômica, o governo catarinense recebeu um expressivo auxílio financeiro do Governo Federal para mitigar os efeitos da pandemia”, afirma o artigo. Tal auxílio foi da ordem de R$ 1,78 bilhão.

Além disso, o Estado foi beneficiado por repasses decorrentes da Lei Aldir Blanc, Tesouro Estadual e devolução de recursos pelos outros poderes (Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas). “Todas essas demais fontes totalizaram R$ 104,47 milhões, que agregados aos repasses anteriores atingiram o montante global de R$ 1,87 bilhão, ou seja, no ano 2020 o governo estadual recebeu quase R$ 2 bilhões para fazer o enfrentamento da crise sanitária e econômica provocada pelo novo coronavírus”.
(mais…)

Tags: combate à pandemiaNecatsuperávit estadualUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Cai o número de óbitos de idosos acima de 80 anos por Covid, aponta boletim do Necat

08/06/2021 09:38

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou no último domingo, 6 de junho, a 56ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título “Caíram os óbitos por Covid-19 dos idosos acima de 80 anos”, o texto foi assinado pelo coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei, professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC e Programa de Pós-Graduação em Administração da instituição.

“Destacam-se as reduções importantes verificadas nas faixas etárias de 80 anos ou mais no mês de abril e, mais importante, uma redução bem mais expressiva nas faixas de 70 anos ou mais de idade a partir do mês de maio de 2021. Em grande medida, é possível creditar essas quedas no contágio dessas faixas de idosos aos efeitos do processo de imunização em curso”, traz a publicação.

No período analisado, entre 28 de maio e 4 de junho de 2021, Santa Catarina registrou 16.520 novos casos e 386 novos óbitos. Com isso, mais de 983 mil pessoas já foram contaminadas no estado, e 15.572 mortes foram registradas. Em função disso, SC passou para o 2º lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes e, em termos absolutos, para o 6º estado como maior número de casos e 10º estado com maior número de óbitos.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser encontrados os boletins anteriores.

Tags: coronavírusNecatpesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Núcleo de Estudo de Economia Catarinense divulga artigo sobre avanço do desemprego no estado

02/06/2021 12:49

O Núcleo de Estudo de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta quarta-feira, 2 de junho, um artigo sobre o avanço do desemprego em Santa Catarina. O trabalho é assinado pelo professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei, e pelo estudante de Ciências Econômicas Vicente Loeblein Heinen.

“Nele buscamos fazer um contraponto ao discurso ufanista do governo do estado, chegando-se ao ponto de se informar que foram criados 100 mil postos de trabalho. Mas na verdade está se acobertando o problema real: o desemprego cresceu muito no primeiro trimestre de 2021 no estado”, declara Lauro.

O texto informa que número de desempregados em Santa Catarina aumentou em 33 mil no período, chegando a 228 mil pessoas no total. Também se observou uma piora na condição do emprego: a população subocupada aumentou em 23 mil indivíduos, registrando alta de 34% em relação ao mesmo período de 2020. Além dos 101 mil subocupados, Santa Catarina conta ainda com 122 mil pessoas na força de trabalho potencial (desejariam estar trabalhando, mas não procuraram emprego ou não poderiam assumir), sendo 40 mil delas desalentadas (quando o motivo para a não procura por trabalho é a falta de perspectiva em encontrá-lo).

Leia o estudo completo no site do Necat.

Tags: desempregoEconomiaNecatNúcleo de Estudo de Economia CatarinenseUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Boletim destaca a elevada taxa de transmissão da Covid-19 em SC e a necessidade de novas medidas de contenção

31/05/2021 15:42

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta segunda-feira, 31 de maio, a 55ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Intitulado Rt acima de 1 em várias regiões do estado indica a necessidade de novas medidas de contenção da pandemia, o número foi assinado pelo professor do Departamento de Ciências Econômicas da UFSC e coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei.

Na semana de 21 a 28 de maio, Santa Catarina registrou 19.993 novos casos e 400 óbitos – uma média de 2.856 registros e 57 mortes por dia. As médias de casos e de óbitos aumentaram, respectivamente, 4,5% e 2% em relação à semana anterior. Ambas representam uma expansão de 12% em relação aos últimos 14 dias. Além disso, na data de elaboração do boletim, 22.337 pessoas continuavam contaminadas (patamar 2% acima da semana anterior e 11% maior que o dos últimos 14 dias), e 24 pessoas se mantinham na fila de espera por um leito de UTI.

O estudo também chama atenção para o fato de que o Rt – indicador que mede a taxa de transmissão do vírus na população – permanece em 1.0 para o conjunto do estado, porém variando entre as diferentes mesorregiões: de 0.91 (Grande Florianópolis) a 1.15 (Região de Xanxerê). “Este patamar está indicando que a transmissibilidade da doença em praticamente todas as regiões continua numa situação gravíssima, ao mesmo tempo em que requer a adoção de novas medidas restritivas efetivas para achatar a curva de contágio e, com isso, estabelecer as condições para se reduzir o coeficiente de incidência da doença no estado, que também se situa num patamar bastante elevado”, informa o artigo.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, no qual também podem ser conferidos os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusNecatNúcleo de Estudo de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Necat lança revista com pesquisas sobre o impacto da pandemia em SC

28/05/2021 14:43

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) lançou o terceiro dossiê especial sobre os impactos da Covid-19 em Santa Catarina. O material faz parte da revista eletrônica semestral editada pelo Núcleo, que nesta edição conta com estudos assinados por diversos professores e pesquisadores da UFSC – dentre eles, nove sobre a pandemia.

No editorial, assinado pelo professor Lauro Mattei, ele destaca que desde março do ano passado o Necat acompanha e analisa a evolução da doença no estado, por meio da elaboração de boletins semanais e de estudos específicos sobre os impactos econômicos e sociais da pandemia em SC. “Para tanto, a Revista NECAT já publicou dois dossiês especiais sobre a
temática no ano de 2020, correspondendo aos números 17 e 18. Dando continuidade a esse trabalho, apresenta-se o terceiro dossiê sobre o assunto, o qual contou com a contribuição de diversos pesquisadores do país que atuam em diferentes áreas”, assinala.

Confira a edição na íntegra

Tags: NecatNúcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)revista NECAT

Covid-19: boletim indica crescimento da média semanal de casos

24/05/2021 17:09

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 54ª edição do boletim semanal Covid-19 em SC. Com o título Média semanal móvel de casos atual é maior que ao final do mês de abril, o texto foi assinado pelo professor do Departamento de Ciências Econômicas da UFSC e coordenador-geral do Necat, Lauro Mattei.

Na semana de 14 a 21 de maio, o estado registrou 19.104 novos casos e 391 óbitos, resultando em uma média de 2.729 casos e 56 mortes por dia. No período, Santa Catarina passou para o segundo lugar no ranking nacional dentre os estados com o maior número de registros da doença a cada 100 mil habitantes. Em termos absolutos, é o sexto com maior número de casos e o décimo com mais óbitos. Segundo o estudo, os indicadores demonstram que a pandemia continua em situação gravíssima e evidenciam a necessidade de medidas restritivas para achatar a curva de contágio.

O texto completo pode ser acessado no site do Necat, onde também podem ser conferidos os boletins anteriores.

Tags: boletim Covid-19 em SCcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Artigo do Necat mostra efeitos da pandemia sobre a renda das famílias

20/05/2021 19:05

Dois pesquisadores vinculados ao Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicaram um artigo abordando os impactos da pandemia de Covid-19 sobre a renda do trabalho e das famílias no Estado. O artigo, intitulado “Domicílios sem renda do trabalho cresceram cerca de 30% em Santa Catarina no ano de 2020”, mostra que a pandemia atinge os catarinenses provocando queda de rendimentos dos trabalhadores que conseguiram se manter ocupados e aumento do número de famílias sem renda do trabalho.

O estudo foi feito com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNADC). Em gráficos e números, mostra que a massa de rendimentos efetivamente recebida em todos trabalhos caiu 6,1% ao longo do ano de 2020, embora o rendimento médio efetivo tenha permanecido praticamente inalterado. “O afastamento de trabalhadores, a inviabilização de atividades e a queda no nível das atividades econômicas observadas ao longo de 2020 provocaram uma grande redução do número médio de horas efetivamente trabalhadas, que chegou a ficar 13% abaixo das jornadas habituais entre os meses de abril e junho de 2020”.

A contração de renda também está relacionada ao crescimento da desocupação. De acordo com o artigo, 6% de todas as pessoas que estavam ocupadas no Estado acabaram perdendo o emprego ou saíram do mercado de trabalho no decorrer do ano. “A renda per capita média das famílias catarinenses passou de R$ 1.453,37 no quarto trimestre de 2019 para R$ 1.317,92 no quarto trimestre de 2020, representando uma queda de 9,3%”.

O maior efeito da crise, de acordo com o artigo, foi o aumento das famílias sem renda. O número de domicílios sem renda do trabalho em Santa Catarina saltou de 544 mil no último trimestre de 2019 para 697 mil no quarto trimestre de 2020, um aumento de 28,2%. A principal causa apontada foi a perda de 220 mil ocupações remuneradas ao longo do ano passado.

O artigo é assinado por Vicente Loeblein Heinen, estudante de Economia da UFSC e bolsista do Necat; e Lauro Mattei, professor titular do curso de Economia e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFSC e coordenador geral do Necat.

Confira a íntegra do artigo neste link 

Tags: mercado de trabalhoNecatpandemiarenda das famíliasUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Boletim aponta que SC tem o 3º maior coeficiente de incidência de Covid-19 no país

17/05/2021 16:52

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou a 53ª edição do boletim Covid-19 em Santa Catarina. Com o título Santa Catarina detém o 3º maior coeficiente de incidência da Covid-19 do país, a edição foi assinada pelo professor Lauro Mattei, coordenador geral do Necat. 

> Acesse o boletim na íntegra

Segundo o estudo, na semana de 7 a 14 de maio, foi registrada uma média móvel de 2.558 casos e de 51 mortes por dia, indicadores que revelam a continuidade da gravidade da pandemia no estado, especialmente porque a média de casos aumentou 19% em relação à semana anterior. Os dados fazem com que SC detenha o terceiro maior coeficiente de incidência da doença a cada 100 mil habitantes do Brasil (12.904,8), valor 1,75 vezes maior que o verificado para o país (7.385,1).

Mais informações na página do Necat.

 

Tags: boletim do NecatcoronavírusCovid-19NecatNúcleo de Estudos da Economia Catarinense (Necat)pesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina
  • Página 1 de 4
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4