Pesquisadores da UFSC implantam projeto piloto de prevenção ao uso de drogas no Colégio de Aplicação

17/08/2015 10:49

Um projeto desenvolvido por pesquisadores do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) já está em implantação no Colégio de Aplicação (CA) desde o início do segundo semestre. O programa contempla cerca de 80 alunos do 8º ano, na faixa etária dos 13 anos de idade, em atividades desenvolvidas por 15 profissionais (professores, psicólogos, pedagogos e bolsistas) capacitados para atuar no âmbito do projeto.

O programa envolve o Ministério da Saúde e o Escritório das Nações Unidas para Drogas e Crimes (UNODC), além de outras universidades. O projeto implantado no CA já foi introduzido em oito cidades brasileiras, em escolas públicas. Sua metodologia segue programas preventivos previamente aplicados em outros países, trazida para o Brasil sob o título #tamojunto. Os pesquisadores envolvidos atuam no Núcleo de Pesquisas em Clínica da Atenção Psicossocial (Psiclin), no Laboratório de Psicologia Escolar e Educacional (Lapee) e no Laboratório de Psicologia Ambiental (Lapam).
(mais…)

Tags: alunosCAdrogasLapeeMoradia EstudantilpilotoprevençãoProfessoresProjetoPsiclinUFSCUNODC

Curso sobre prevenção ao uso de drogas desafia educadores a pensarem novas abordagens

19/12/2014 13:37

Mais de cinco mil pessoas participaram da 6ª edição do curso “Prevenção Escolar ao Uso de Drogas para Educadores de Escolas Públicas” – promovido pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), em parceria com o Ministério da Educação (MEC). Este ano é a primeira vez que a atividade é executada pelo Núcleo Multiprojetos de Tecnologia Educacional (Nute) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A capacitação é gratuita e oferecida na modalidade a distância.

A oferta do curso foi descentralizada, e cada instituição parceira ficou responsável por uma região do país. A UFSC, por intermédio do Nute, recebeu inscrições de educadores do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Antes, a atividade era desenvolvida apenas pela Universidade de Brasília (UnB), a qual ainda produz o material didático utilizado. A psicóloga e coordenadora geral do curso, Daniela Ribeiro, explica que essa mudança foi feita para facilitar a troca de informações sem que as particularidades de cada região fossem ignoradas. Ela acrescenta ainda que a modalidade a distância é um fator que propicia o acesso e o desenvolvimento das atividades.

O principal objetivo do curso é formar profissionais de escolas públicas para atuarem coletivamente na prevenção ao uso de drogas no âmbito estudantil. O contato cada vez mais precoce de jovens com as drogas é uma das razões que evidenciam a importância da discussão do tema. “O intuito é fazer com que o educador tenha um olhar mais crítico, mais sistêmico em relação ao sujeito e ao contexto em que este vive”,  explica Ribeiro.
(mais…)

Tags: Curso antidrogasdrogasNUTEprevenção drogasSenadUFSC

Abertas as inscrições para tutoria do curso de prevenção ao uso de drogas

28/04/2014 17:37

Estão abertas as inscrições para contratação de Tutores, Monitores e Supervisores de Tutoria para a 6ª edição do Curso de Prevenção dos Problemas Relacionados ao Uso de Drogas – Capacitação para Conselheiros e Lideranças Comunitárias.

TUTORES: Serão contratados para o período de julho à novembro de 2014 e serão responsáveis pelo acompanhamento das atividades e orientação aos estudantes durante o curso. A contratação será através de bolsa com carga horária de 20 horas semanais, no valor de R$ 800,00.

Podem se candidatar graduandos ou pós-graduandos da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, regularmente matriculados nos cursos: Psicologia, Medicina, Ciências Sociais, Serviço Social, Direito, Ciências Biológicas, Pedagogia, Química, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Fonoaudiologia, Odontologia, Antropologia e Filosofia.

MONITORES: Serão contratos para o período de junho à novembro de 2014, tendo como atividade principal acompanhar e oferecer suporte aos estudantes por meio de ligações telefônicas através do 0800, emails, SMS e pelo Ambiente Virtual de Ensino Aprendizagem (AVEA). A carga horária de trabalho é de 20 horas semanais, contratação CLT, remuneração de R$ 600,00 + VT + VA.

Podem se candidatar pessoas com Ensino Superior completo em qualquer área de formação ou no mínimo, estar matriculado em uma Instituição de Ensino Superior.

SUPERVISORES: Serão contratados para o período de junho à novembro de 2014, sendo responsáveis por acompanhar e apoiar o trabalho de um grupo de tutores e seus estudantes. A carga horária de trabalho é de 25 horas semanais, com  remuneração de R$ 1.300,00.

Os candidatos a supervisão devem, no mínimo, ter nível superior completo, nos seguintes cursos de graduação: Psicologia, Medicina, Ciências Sociais, Serviço Social, Direito, Ciências Biológicas, Pedagogia, Química, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Fonoaudiologia, Odontologia, Antropologia e Filosofia.

As inscrições para Tutoria, Monitoria ou Supervisão de Tutoria, podem ser realizadas por meio do site até o dia 22 de maio.

A 6ª edição do Curso de Prevenção dos Problemas Relacionados ao Uso de Drogas – Capacitação para Conselheiros e Lideranças Comunitárias tem o objetivo capacitar pessoas para a atuação na prevenção do uso de crack, álcool e outras drogas. Como novidades, esta edição traz um novo material didático e a construção coletiva ao longo do curso de um Projeto de Intervenção nas comunidades. O curso é oferecido na modalidade de educação a distância a 40 mil Conselheiros e Lideranças Comunitárias de todo o Brasil.

Informações e inscrições: http://conselheiros6.nute.ufsc.br/?p=180.

 

Tags: cursodrogasinscriçõestutoria

TV UFSC transmite teleconferência sobre prevenção do uso de drogas nesta quarta

02/10/2013 07:50

TV UFSC exibe teleconferência sobre prevenção do uso de drogas


A TV UFSC transmite nesta, quarta, 2, às 14 horas, a segunda teleconferência “Redes em Articulação na Prevenção do Uso de Drogas”, que terá como tema as redes sociais significativas e virtuais como fatores de risco e de prevenção do uso de drogas. As redes significativas compreendem a família, os amigos e a escola. Já as redes virtuais englobam games online e mídias sociais.
(mais…)
Tags: drogasTeleconferênciaTV UFSC

UFSC sedia neste sábado simpósio sobre álcool e outras drogas

10/05/2013 20:23

O Simpósio “Álcool e outras Drogas – Formação Profissional e Práticas de Atenção” – será realizado no dia 11 de maio, sábado, a partir das 8h30min, no Auditório da Reitoria da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O público-alvo é composto de estudantes e profissionais das áreas da saúde, assistência social, educação e segurança pública. As vagas são limitadas, a entrada é gratuita, e as inscrições serão feitas no local. 

(mais…)

Tags: álcoolCRRdrogasUFSC

Centro Regional de Referência da UFSC tem aula inaugural hoje

06/03/2013 10:41

Será realizada hoje, às 13h30min, na sala 201 do novo Espaço Físico Integrado – Bloco I, localizado próximo ao Colégio de Aplicação, atrás do Centro de Ciências Físicas e Matemáticas (CFM) e do Centro de Ciências Biológicas (CCB), a aula inaugural do primeiro curso oferecido pelo Centro Regional de Referência – CRR/UFSC, implementado com financiamento do Ministério da Justiça, através da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad). No CRR, profissionais que atuam no Poder Judiciário, Ministério Público e Segurança Pública, além de profissionais das áreas de saúde e assistência social, receberão cursos para lidar com usuários de crack e outras drogas. Mais do que receber formação apenas na prevenção ou tratamento, o objetivo é entender quais os efeitos e consequências das drogas e saber como ajudar pessoas nessas condições.
(mais…)

Tags: aulaCRRdrogasUFSC

UFSC irá implementar Centro de Referência de combate às drogas

20/08/2012 16:24

A UFSC foi uma das instituições públicas selecionadas para a implementação de um Centro Regional de Referência (CRR), com financiamento do Ministério da Justiça, através da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad). No CRR, profissionais que atuam no Poder Judiciário, Ministério Público e Segurança Pública, além de profissionais das áreas de saúde e assistência social, receberão cursos para lidar com usuários de crack e outras drogas. Mais do que receber formação apenas na prevenção ou tratamento, o objetivo é entender quais os efeitos e consequências das drogas e saber como ajudar pessoas nessas condições.

Partindo do Ministério da Justiça, o projeto de implementação do Centro Regional de Referência une os três segmentos do poder público envolvidos no combate às drogas: saúde, justiça e ação social. O diferencial do segundo edital publicado pelo Ministério é a inclusão de profissionais de outras áreas, não apenas da saúde. “Entender e lidar com usuários de drogas envolve outros segmentos da sociedade. É importante que profissionais de áreas como a Segurança Pública também estejam preparados para isso”, defende o professor do Departamento de Clínica Médica e um dos coordenadores do CRR na UFSC, Marcos Antonio Lopes.

Com experiência em tratamento de usuários, Marcos Antonio Lopes faz parte de uma equipe multidisciplinar que conta com os professores Tadeu Lemos, do Departamento de Farmacologia (CCB) e Daniela Schneider, do Departamento de Psicologia (CFH). Unindo conhecimentos médicos, biológicos e sociais, Marcos Antonio Lopes ressalta a importância de políticas públicas embasadas em dados acadêmicos. “O uso de drogas é um problema interdisciplinar. Fomentar a participação da universidade é uma forma de contribuir com o desenvolvimento social”.

Aumento de consumo

Pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid), entre os anos de 2001 e 2004 em 107 cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes, aponta a diferença de valores, em porcentagem, das drogas mais comuns no país. Um exemplo é o crack, que passou de 0,4% em 2001, para 0,7% em 2005. Além do aumento no consumo de crack, a pesquisa alerta também para outros números: o aumento de consumo de drogas por mulheres, principalmente com mais de 26 anos.

Um dado que segue atual é o quadro geral do usuário de droga no Brasil: jovem, envolvido com o crime, afastado do contato familiar e com grande dependência. Esse é um estereótipo comum, mas que vem sendo afastado da delinquência para ser tratado como doença. O usuário de drogas é um paciente que precisa de atenção diferenciada. “É preciso trabalhar na linha de abordagem ao usuário. Esse tipo de paciente não segue a forma tradicional do médico, requerendo conhecimentos médicos e também sociais”, completa Marcos Lopes.

No Brasil o combate às drogas ganhou atenção especial desde a criação do Plano Integrado de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas, lançado em 2011 pela Presidência da República. Ações de combate e tratamento e formação de profissionais destoam em relação a ações policiais pontuais, como as realizadas pelo governo estadual e municipal de São Paulo na região conhecida como Cracolândia.“Apesar dos avanços, o Brasil ainda está atrasado no que se refere ao diagnóstico e tratamento de viciados. Apenas com um diagnóstico amplo é que pode ser escolhida a melhor abordagem. Precisamos chegar à melhor recuperação possível para cada paciente”, destaca Marcos Lopes.

Uma alternativa para recuperação de usuários é o conceito de redução de danos. Em vigor em todo o mundo, a redução de danos é uma prática que busca minimizar os problemas relacionados ao uso de drogas no âmbito social, econômico e de saúde. Um exemplo é o europeu. Em algumas regiões, como na dos Países Baixos, a maconha é descriminalizada, tirando o usuário do contato com o crime. Outro exemplo, encontrado no Brasil, é o “Consultório de Rua”, que vai até o local onde existam pessoas viciadas e em condições de vulnerabilidade social, facilitando o acesso do usuário aos recursos oferecidos pelo poder público.

Uma medida que chama a atenção é o projeto de lei que tramita no Senado para a internação compulsória de viciados. Na opinião do professor Marcos Lopes, de maneira geral o tratamento não deve ser imposto, salvo casos em que exista risco para terceiros. É aí que o projeto de lei viabiliza a internação compulsória. O projeto de lei passa por revisão na Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal.

Na UFSC

Os profissionais que participarão dos cursos serão selecionas pelas prefeituras da Grande Florianópolis e secretarias de saúde e assistência social e de segurança pública da região. A previsão é que o CRR esteja funcionando na UFSC no 4º trimestre deste ano. O Centro Regional de Referência na UFSC já tem cursos definidos pela Senad.

Habilitações

– Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para profissionais atuantes no Programa de Saúde da Família – PSF, como médicos; enfermeiros, auxiliares de enfermagem; agentes comunitários de saúde; dentre outros e no Núcleo de Assistência à Saúde da Família – NASF, modalidade presencial, com carga horária de 60 (sessenta) horas, para 40 (quarenta) alunos;

– Curso de Atualização em Atenção Integral aos Usuários de Crack e outras Drogas para profissionais atuantes nos Hospitais Gerais, modalidade presencial, com carga horária de 60 (sessenta) horas, para 50 (cinqüenta) alunos;

– Curso de Atualização sobre Intervenção Breve e Aconselhamento Motivacional em Crack e outras Drogas para Agentes Comunitários de Saúde e Redutores de Danos, Agentes Sociais profissionais que atuam nos Consultórios de Rua, modalidade presencial, com carga horária de 60 (sessenta) horas – duas turmas, com 40 (quarenta) alunos cada uma, totalizando 80 (oitenta) alunos;

– Curso de Atualização em Gerenciamento de Casos e Reinserção Social de Usuários de Crack e outras Drogas para profissionais das Redes SUS e SUAS, modalidade presencial, com carga horária de 60 (sessenta) horas, para 50 (cinqüenta) alunos;

– Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para Agentes dos Sistemas Judiciário e Policial e do Ministério Público, modalidade presencial, com carga horária de 60 (sessenta) horas, para 40 (quarenta) alunos;

– Curso de Aperfeiçoamento em Crack e outras Drogas para Profissionais do Poder Judiciário, Ministério Público e entidades que atuam no atendimento/apoio a adolescentes em cumprimento de medidas sócio-educativas, com privação de liberdade, modalidade presencial, com carga horária de 60 (sessenta) horas, para 40 (quarenta) alunos.

Mais informações:
– Professor Tadeu Lemos (CCB) / / (48) 3721-9491, ramal 226
– Professor Marcos Lopes (CCS) / com / (48) 3721-9014

 

 

Veja reportagem da TV UFSC:

Poliana Dallabrida Wisentainer / Estagiária na Agecom / UFSC

Tags: drogasfarmacologiaUFSC

UFSC terá centro de formação de profissionais na prevenção a drogas

14/08/2012 17:23

A UFSC foi uma das instituições escolhidas para a implementação de um dos Centros Regionais de Referências (CRRs) para formação de profissionais de saúde, assistência social, segurança, agentes comunitários e agentes do sistema judiciário e policial em temas sobre a prevenção ao uso de crack e outras drogas. A escolha se deu por edital aberto pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça (SENAD/MJ). O Professor Marcos Antonio Lopes, do Departamento de Clínica Médica do Centro de Ciências da Saúde (CCS), coordena o projeto na UFSC, que também conta com a participação dos professores Tadeu Lemos, do Departamento de Farmacologia (CCB), e Daniela Schneider, do Departamento de Psicologia (CFH). O repasse federal pode chegar a até R$ 375 mil, dependendo do projeto, que deverá destinado ao custeio das bolsas de pesquisa.

Mais informações com o professor tadeu lemos: Tadeu Lemos: 3721-9491, ramal 226 e

Veja reportagem da TV UFSC

Tags: CCBCCSCFHdrogasfarmacologiaUFSC