TV digital é tema da milésima defesa da pós em Ciência da Computação

19/09/2013 13:59

O estudante Juliano de Souza Krieger defendeu nesta quarta-feira, 18 de setembro, sua dissertação de mestrado junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação da UFSC, na qual propõe uma ferramenta para criar conteúdos interativos para TV digital. É a milésima defesa do programa, que foi criado em 1992. A dissertação foi orientada pelo professor Eros Comunello, é resultado da pesquisa desenvolvida junto ao Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD) e recebeu apoio do CNPq.
(mais…)

Tags: CTCEADincodINETV DigitalTV interativaUFSC

Link dá acesso a livro sobre avanços na política pública de comunicação no Brasil

03/10/2012 11:55

O professor Itamar Aguiar, do Departamento de Sociologia e Ciência Política da UFSC, disponibilizou link para consulta gratuita e leitura em PDF de seu livro “TV Brasil – Algo novo no ar – Políticas públicas de comunicação no governo Lula” no site da Biblioteca Universitária (http://portalbu.ufsc.br). Na obra, ele faz uma comparação do sistema de comunicação pública na União Europeia e no Brasil, analisa as políticas para esta área a partir do primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva e detalha os bastidores da implantação da TV Brasil, em 2007 – um passo importante na direção da democratização ao acesso à informação no país. Clique neste link para acessar o livro.

O trabalho de Itamar Aguiar se insere no empenho dos movimentos sociais que lutam pela democratização da comunicação no Brasil e é resultado de um relatório de pesquisa elaborado no Departamento de Sociologia e Ciência Política da Universidade Federal de Santa Catarina. “Na Europa, a sociedade da informação foi objeto de discussões nos anos 80 e 90, mas aqui ainda é novidade”, explica o autor. Na virada do século, o Parlamento Europeu já discutia as implicações das questões relativas à tecnologia e à linguagem digital, demonstrando a intenção de criar um espaço de resistência ao domínio cultural americano na área da comunicação. “Era uma maneira de se impor perante o imperialismo dos Estados Unidos e preservar os valores culturais próprios, ameaçados pela onda liberalizante em voga”.

Ao contrário da Europa, no Brasil a mídia já nasceu privada, o que exigiu a discussão de um modelo que contemplasse a comunicação pública – que não quer dizer estatal. O debate foi facilitado pela disposição do governo Lula de incluir esse tema no debate das prioridades nacionais a partir de sua posse, em 2003. No livro, Itamar analisa o conceito de pluralismo, faz um histórico da radiodifusão brasileira, aborda a mudança de paradigmas na comunicação social de uma década para cá e acompanha os avanços que culminaram na implantação da TV digital.

A TV Brasil, ponto culminante dessa evolução, entrou no ar em dezembro de 2007 e, apesar de sua importância, em vista da predominância de elementos da cultura brasileira na programação, ainda atinge um público restrito devido à falta de retransmissoras no território nacional. Este, contudo, é um processo em curso, que já superou obstáculos como as campanhas de parte da mídia comercial e de setores conservadores do parlamento contra a criação da Empresa Brasileira de Comunicação (EBC), responsável pela articulação da Rede Nacional de Comunicação Pública.

Graduado em Jornalismo pela UFSC e com mestrado e doutorado em Sociologia Política, Itamar publicou o livro “Violência e golpe eleitoral: Jaison e Amin na disputa pelo governo catarinense” (1995) e foi membro da comissão organizadora estadual e delegado na Conferência Nacional de Comunicação (Confecon), em 2009, que discutiu o estabelecimento de mecanismos democráticos de formulação, monitoramento e acompanhamento das políticas públicas para o setor da comunicação.

Paulo Clóvis Schmitz / Jornalista da Agecom / UFSC

Tags: CFHpolítica pública de comunicaçãoPós-Graduação em Sociologia PolíticaTV DigitalUFSC

Eventos esportivos são destaque no último dia do Congresso de TV Digital

29/06/2011 15:29

O I Congresso de Televisão Digital do Mercosul encerrou na manhã desta quarta-feira, dia 29, a sua programação. Neste último dia de evento, três palestrantes apresentaram suas experiências em relação à nova tecnologia e também sobre as oportunidades de geração de riqueza do Brasil por sediar os dois maiores eventos esportivos do mundo: Copa (2014) e Olimpíadas (2016).

Depois de uma introdução do professor do Departamento de Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC, Tarcísio Vanzin, que retratou aspectos importantes estudados nos programas como hipermídia, foi a vez de Marco Antônio Munhoz da Silva fazer a sua apresentação onde abordou de forma detalhada o Projeto “TV Digital Social”, desenvolvido pela Dataprev – INSS, na qual é colaborador desde 1989. O projeto tem como objetivo disponibilizar serviços públicos interativos para os brasileiros através do Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre, contribuindo para o processo de inclusão digital. O programa permite, por exemplo, que o cidadão marque o atendimento em uma agência do INSS pelo televisor, sem precisar sair de casa para realizar o agendamento.  O intuito é que até 2014, ano da Copa, cerca de 100 milhões de brasileiros tenham acesso à TV Digital e possam fazer uso de recursos como interatividade, multiprogramação e mobilidade.

Para falar sobre o Instituto Nacional de Convergência Digital (INCoD) o convidado foi Mathias Weber que ressaltou que convergência é um fenômeno que integra comunicação, entretenimento e computação. Ele apresentou ainda projetos desenvolvidos no INCoD e lembrou que há um conjunto de grupos que pesquisam e desenvolvem produtos e processos convergentes e são parceiros do Instituto como a UFSC, Univali, Unifesp, Fiocruz e TV UFSC.

A terceira e última palestra foi a do professor Eduardo Costa, da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) que enfatizou o importante momento do Brasil para a criação de ideias inovadoras, principalmente pelo fato do país ser sede da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas no Rio de Janeiro em 2016. Eventos que, segundo o professor, oferecem um campo de possibilidades enorme já que o mundo estará de olho na nação brasileira. A estimativa é que 3,3 bilhões de pessoas, ou metade da população do planeta, assistam ao menos a um jogo da Copa daqui a três anos. Com uma audiência tão significativa, a televisão é um instrumento para a geração de lucros e para a construção de uma imagem positiva do país e para isso deve contar com uma eficiente e estratégica produção de conteúdo.

O I Congresso de Televisão Digital do Mercosul foi promovido pelo projeto TVD Sambaqui – Grupo de Pesquisa em TV Digital do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC e em seus três dias de programação teve como tema: Criando, Gerindo e Disseminando Conteúdos e Serviços em TVD.  Todas as atividades foram exibidas na TV LED e estão disponíveis no endereço tvled.egc.ufsc.br/biblioteca.

Por Claudia Xavier/ Jornalista LED/UFSC

Leia mais:

Congresso discute implantação da TV Digital no Brasil

Tags: congressomercosulTV DigitalUFSC

Multiplataformas são tema do I Congresso de Televisão Digital

28/06/2011 14:37

O segundo dia do I Congresso de Televisão Digital do Mercosul iniciou com a apresentação do professor Dr. Fernando José Spanhol, vice-reitor da Universidade Estadual do Tocantins, professor do Departamento de Engenharia e Gestão do Conhecimento da UFSC e subcoordenador do TVD Sambaqui. O projeto TVD Sambaqui, tema da apresentação do professor Spanhol, é um grupo de pesquisa em TV Digital do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento e tem como missão produzir e disseminar conhecimentos por meio de conteúdos e serviços para a TV Digital. Para contribuir nos processos de desenvolvimento e inovação de ferramentas e metodologias, os pesquisadores desenvolvem artigos, teses e dissertações que pretendem ampliar e aprimorar a gestão, produção e geração de conteúdos para a nova tecnologia. Mais informações sobre o projeto TVD Sambaqui, as suas iniciativas e como fazer para participar do grupo estão disponíveis pelo endereço tvdi.egc.ufsc.br.

O professor da Universidade Palermo na Argentina, Luis Valle, foi o segundo palestrante da manhã. Valle contou a trajetória da TV Digital no país vizinho embasada nas políticas públicas e nos avanços conquistados desde 2008, quando a nova tecnologia deu os primeiros passos. Desde então, iniciativas governamentais vêm ampliando o sistema naquele país, entre eles destaca-se o “Plano LCD para todos” que tem como um dos objetivos promover um maior acesso à TV Digital, e o “Plano Nacional de Telecomunicações – Argentina Conectada” que busca expandir em cinco anos a banda larga e a TV Digital para toda a população hermana.

Encerrando as atividades desta terça-feira, o sócio-diretor da Sábia Experience S.A., Demetrius Ribeiro, apresentou detalhadamente o Estúdio Brasil, uma plataforma de produção e gestão de conteúdos digitais interoperáveis em web, TV Digital e Mobile. “Hoje todos somos produtores de conteúdo e não somente consumidores”, lembrou Demetrius. A Sábia Experience desenvolve experiências vivenciais interativas com uso de ambientes e dispositivos multi-toques que proporcionam interatividade e socialização.

O I Congresso de Televisão Digital do Mercosul segue até o dia 29 de junho, no Centro de Eventos da UFSC. O evento, realizado pelo TVD Sambaqui, traz na programação do último dia as palestras de Mathias Weber, professor da Univali, Marco Antônio Munhoz da Silva, da Dataprev – INSS – e Eduardo Costa, da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Todas as atividades da programação são transmitidas pela TV LED no endereço www.tvled.ufsc.br. Mais informações: (48) 3721-7128 / 8466-7939.

Por Claudia Xavier/ Jornalista LED/UFSC

Leia mais:

Congresso discute implantação da TV Digital no Brasil

Tags: TV Digital

Congresso de TV Digital do Mercosul reunirá palestrantes nacionais e internacionais

21/06/2011 07:56

Com o tema “Criando, gerindo e disseminando conteúdos e serviços em TVD”, será realizado o 1° Congresso de TV Digital do Mercosul em paralelo ao FAM 2011 – Florianópolis Audiovisual Mercosul. O evento acontece de 27 a 29 de junho, no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), e contará com palestrantes nacionais e internacionais.

Além de debates sobre assuntos como produção de conteúdos digitais, multiplataformas e modelos de negócios, haverá apresentações de pesquisas e trabalhos mais relevantes do Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC) da UFSC. As inscrições são gratuitas.

Inscrições e programação: http://tvdi.egc.ufsc.br/index.php/ctvdm

Informações: , http://tvdi.egc.ufsc.br e  http://audiovisualmercosul.blogspot.com.

PROGRAMAÇÃO:

27/6 – Abertura e Produção de Conteúdos

9h – 9h45 – Ronaldo dos Anjos – Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS)

9h45 – 10h – Café

10h – 12h – Mesa-redonda: Cosette Castro (Univ. Católica de Brasília), Silvio Da-Rin (TV Brasil) e Eva Piwowarski (TV Digital Argentina).

28/6 – Experiência Multiplataformas no Mercosul

9h – 10h – SAMBAQUI (EGC/UFSC)

10h – 10h15 – Café

10h15 – 12h – Mesa-redonda: Luiz Valle (Univ. Palermo – Argentina) e Demetrius Ribeiro (Sabiax).

29/6 – Modelos de negócios, serviços e financiamentos

9h – 10h40 – Mesa-redonda: Palestrante (TOTVS ou BravaITV), Gunter Herweg (Forum SBTVD e HxD) e Marco Munhoz (Dataprev – INSS).

10h40 – 11h – Café

11h – 12h – Palestra – Eduardo Costa (FINEP)

Margareth Rossi/Jornalista da Agecom

Tags: TV Digital