Site Cotidiano ganha prêmio de jornalismo Online

04/04/2011 15:31

O site Cotidiano ( www.cotidiano.ufsc.br) recebeu o primeiro lugar da região Sul no 3º Prêmio ESMPU de Jornalismo Universitário pela reportagem Trabalho escravo não é trabalho. Publicada no dia 17 de dezembro do ano passado, a matéria té um especial sobre o trabalho escravo, em especial em Santa Catarina, com foco na atuação do Ministërio Público Federal.

A professora Maria José Baldessar, orientadora do projeto, destaca a importância do esforço em equipe: “Historicamente o jornalismo sempre foi uma profissão caracterizada pelo trabalho em equipe. Proporcionar  essas experiências, ajudam o aluno a compreender esse tipo de trabalho, ouvir a equipe, trocar idéia, valorizar o conhecimento de cada um”.
O concurso, organizado pela Escola Superior do Ministério Público da União, avaliou produtos publicados em mídias-laboratórios de todo o país que divulgassem a atuação do Ministério Público (MP) ou algum de seus ramos. De acordo com o portal da premiação, os materiais foram julgados pela atualidade do tema, relevância, profundidade da abordagem, qualidade técnica e precisão. O objetivo é levar ao público informações sobre a instituição e seu papel social.
O prêmio, de cinco mil reais, será utilizado em parte utilizado para comprar novos equipamentos para o Cotidiano.

Fonte: Professora Maria José Baldessar

Tags: Site Cotidiano ganha prêmio

Novos armários e mais espaço na BU

01/04/2011 18:58

O setor de Periódicos da Biblioteca Universitária (BU) tem novidades na parte estrutural e virtual neste início de semestre. Para a parte física – localizada no térreo do prédio – foram adquiridos armários deslizantes que comportam mais de 7.500 títulos. Já o Portal de Periódicos UFSC tem um novo design, a fim de facilitar o acesso dos cerca de 6.300 visitantes diários da página.

Os armários deslizantes facilitam o uso: a partir de um sistema com trilhos e manípulos – uma espécie de leme -, os armários móveis liberaram quase 200 metros quadrados da BU, que puderam ser ocupados com cadeiras e mesas. “Com a mudança, este espaço está sendo utilizado por quem frequenta a Biblioteca, além deste tipo de tecnologia ajudar na conservação dos livros que têm menos contato com ar e poeira”, diz Andréa Grants, Chefe do serviço de Periódicos.

Na página virtual, a versão digital dos Periódicos (criada em 2007 e coordenada pela BU desde 2008) agora tem um novo desenho. Os mais de 190 mil visitantes mensais do Portal podem consultar de forma mais rápida e moderna as 42 publicações científicas produzidas pela UFSC e disponibilizadas na página.

Por Lucas Inácio/ Bolsista de Jornalismo na BU

“Ascensão e queda da cidade de Mahagonny” tem nova temporada no Teatro da UFSC

01/04/2011 18:48

O espetáculo é ambientado ao universo do cinema mudo, inserindo imagens e áudio visual resgatando os anos 30 e 40

O espetáculo é ambientado ao universo do cinema mudo, inserindo imagens e áudio visual resgatando os anos 30 e 40

Depois da estreia no fim do ano passado, volta ao palco do Teatro da UFSC nos dias 2,3,8,9,15,16 e 17 de abril a peça “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny, adaptada da obra do dramaturgo Bertolt Brecht, com direção de Carmen Fossari. Brecht é um dramaturgo cuja visceralidade contribui na formação dos estudantes de Teatro, atores e atrizes novatos, na formação de plateias e aos atores e públicos que já percorrem o universo teatral. A peça, que bem poderia nesta montagem ser denominada”O que Florianópolis tem a ver com Mahagonny”, é um texto da obra didática de Brecht da metade do século XX . As apresentações acontecem sempre às 21h, e são gratuitas e abertas à comunidade. Os convites devem ser retirados no DAC, às quintas e sextas-feiras, das 14h às 18h, ou na bilheteria do Teatro, meia hora antes do espetáculo (sujeito à disponibilidade de lugares).

A obra teatral do dramaturgo revolucionava e chocava o público teatral, acostumado a um teatro ‘bem comportado’. Na montagem original de ‘Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny’ aquele público encontrava cenas de aparentes insultos, atrevimento, com recursos didáticos, repleta de cartazes, e reveladora de como as cidades, dentro do sistema capitalista, são ‘uma arapuca’.

Mahagonny, onde tudo é permitido

Brecht coloca seus personagens construindo uma cidade onde tudo é permitido desde que se tenha muito ouro. O preço de não ter ouro é a impossibilidade de sobreviver na cidade de Mahagonny.

Com composições de Kurt Weill o texto original é uma obra de Teatro Musical, nesta encenação trata-se de uma obra de caráter não musical, embora mantida a belíssima composição tema da peça.

O espetáculo é ambientado ao universo do cinema mudo, inserindo imagens e áudio visual resgatando os anos 30 e 40. Esta opção realiza, em parte, um utópico sonho da diretora e adaptadora do texto, de ter visto um dia Sir Charles Chaplin e Bertolt Brecht sentados numa mesa de bar conversando sobre suas obras: o filme Tempos Modernos e a Peça Na Selva das Cidades.

Brecht, sua dramaturgia e enunciados estão “vivos” em suas ideias ainda tão necessárias num mundo dividido em classes sociais, ricos e pobres, cultos e analfabetos, os que tudo podem e os que nada têm.

Um espetáculo que lança um olhar poético e mordaz sobre o nascimento e queda de uma cidade, movida pelo ouro.

A peça conta com alunos do Curso de Artes Cênicas do CCE, através da disciplina optativa Montagem, e com alunos da Oficina Permanente de Teatro, DAC- SeCArte, e produção do Grupo Pesquisa Teatro Novo, do DAC, que são setores da UFSC.

Elenco

Alexandre Borges (Joseph), Ana Paula Lemos (Jenny), Douglas Maçaneiro (Um tal Bert Brecht), Eduardo Stahelin (Coro Masculino), Iris Karapostolis (Maysa Trindade, Cantora), Jacque Kremer (Leokadja Begbick), Flora Moritz Silva (Procuradora), Laura Gill Petta (Coro Feminino), Luis Tinoco (Jackob), Márcia Cattoi (Coro Feminino), Neivania Theodoro (Coro Feminino), Neusa Borges (Coro Feminino), Priscila de Souza Serafim (Chaplita), Roberto Moura (Heidrich), Robson Walkowski (Paul).

* Segundo a diretora desta montagem, alguns nomes foram trocados para nomes similares em Português. O Procurador e Willy são, nesta encenação, interpretados por mulheres e transformados em personagens femininos. Chaplita e Bert Brecht são criações para a dramaturgia desta encenação.

Técnica

Figurino: O Grupo

Cenário: O Grupo

Operador de Som: Anderson Barbosa

Cartaz: Márcia Cattoi

Fotolito: Michelle Millis

Impressão: Imprensa Universitária da UFSC

Operador de Audiovisual: Ivana Fossari

Sonoplastia: Calu

Apoio: Letícia Costa

Mixagem Som: Sérgio Bessa

Preparação de Canto: Ive Luna

Fotografia: Marcelo Pereira e Calu

Iluminação e Direção Geral: Carmen Fossari

O Teatro da UFSC faz parte do Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

SERVIÇO:

O QUÊ: Peça “Ascensão e queda da cidade de Mahagonny”.

QUANDO: Dias 2, 3 – 8, 9,10 e 15, 16,17 de abril de 2011, sempre às 21h.

ONDE: Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha. Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis-SC.

QUANTO: Gratuito e aberto à comunidade. É preciso retirar convites no DAC, às quintas e sextas-feiras, das 14 às 18 horas, ou na bilheteria do Teatro, meia hora antes do espetáculo (sujeito à disponibilidade de lugares).

CONTATO: DAC / Teatro da UFSC (48) 3721-9348 e 3721-9447 – www.dac.ufsc.br

Fonte: Patricia Siqueira – Acadêmica de Jornalismo – Assessoria de Imprensa do DAC: SECARTE: UFSC, com material do grupo.

Tags: Brechtteatro

Cuba é destaque nas Jornadas Bolivarianas que começam dia 04 de abril

01/04/2011 15:57
Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

O vice-ministro da cultura de Cuba é o conferencista que faz a abertura das Jornadas Bolivarianas, neste dia 04 de abril, às 18h30min, no Auditório da Reitoria. Considerando os 500 anos de dominação e o quase completo colonialismo mental que toma conta das cabeças pensantes na América Latina, ouvir a experiência cubana será muito importante no marco do debate do imperialismo cultural. Depois da revolução de 1959, a ilha do Caribe decidiu investir fortemente no processo de socialização da cultura, possibilitando aos cubanos a expressão de todas as artes.

Com isso, abriu espaço para a criação de um pensamento próprio, coisa bastante rara na América Latina. A feira do Livro de Havana já é um evento mundial, e permite o encontro com escritores de todas as partes do mundo, além de livros extremamente baratos. A música cubana também é reconhecida mundo afora, a arte plástica, o muralismo, o cinema, a literatura, enfim, um modo de ser que sai do modelo colonial e consegue criar uma linguagem bastante singular, típica de Cuba.

Essa experiência de mais de 50 anos de construção de uma cultura local, mas nem por isso menos universal, é o que se poderá ouvir na conferência de Fernando Rojas, vice ministro da Cultura.

Também estarão nas jornadas o escritor da Costa Rica, Rafael Molina, a socióloga aymara, Silva Cusicanqui, o criador da Telesur, Aram Aharonian e o cineasta brasileiro Sérgio Santeiro.

Leia mais sobre as Jornadas Bolivarianas:

Imperialismo e Cultura na América Latina em debate nas Jornadas Bolivarianas
Programação: http://jornadasbolivarianas.blogspot.com

Por Elaine Tavares/ Jornalista Iela

Tags: CubaIELAJornadas Bolivarianas

Seminário gratuito reúne especialistas para debater energia limpa

01/04/2011 09:47

Fontes alternativas na matriz energética da América Latina; novos desafios com a Política Nacional de Resíduos Sólidos e as possibilidades de uso da energia solar na Copa de 2014 estão entre os assuntos que serão debatidos durante o Seminário Energia Limpa: Conhecimento, Sustentabilidade e Integração – Ideias energéticas e ambientais para o futuro da América Latina. O encontro será realizado nos dias 4 e 5 de abril, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. As inscrições são gratuitas.

Além de mesas-redondas, palestras e debates, está previsto o lançamento da terceira edição do concurso de monografias sobre Energias Renováveis e Eficiência Energética – Eco_Lógicas. O evento é aberto ao público e as inscrições poderão ser feitas nos dias do seminário, no próprio Centro de Cultura e Eventos, a partir das 17 horas. Será fornecido certificado, totalizando 14 horas de atividade de extensão.

A promoção é do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Instituto Ideal), entidade com sede em Florianópolis, que busca fomentar as energias renováveis junto ao poder público, meio acadêmico e empresarial. A direção técnica é da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Mais informações: (48) 3234-1757, ou http://www.institutoideal.org.

Confira a programação:

Dia 4 de abril – Abertura (19h)

– Mesa-redonda Fontes alternativas na matriz energética da América Latina: já estamos preparados?
Ricardo Baitelo, coordenador da campanha de energia do Greenpeace Brasil
Cícero Bley, superintendente de Energias Renováveis da Itaipu
Regina Migliori, consultora em Cultura de Paz da Unesco e coordenadora do Núcleo de pesquisas do Cérebro e da Consciência vinculado ao Instituto Migliori
Américo Tunes, diretor de Florestas e Vice-Presidente do IBAMA

Moderação: Paula Scheidt (GIZ)

Dia 5 de abril – Manhã (9h)

– Conhecimento, Sustentabilidade e Integração na América Latina
Prof. Enio Luiz Pedrotti, secretário de relações institucionais e internacionais da UFSC, representando a Associación de Universidades Grupo Montevideo
Carmelo Benitez, do Parlamento do Mercosul
Federico Gomensoro, secretário-geral do Centro de Formação para Integração Regional (CEFIR) do Uruguai
Representante do Escritório Regional de Ciência da UNESCO para América Latina e Caribe
José Baltazar S. Andrade Guerra, coordenador do Consórcio de Universidades Européias e Latino-Americanas em Energias Renováveis (JELARE) – UNISUL – Brasil
Mauro Passos, presidente do Instituto Ideal

11h 45min – Lançamento do Concurso ECO_lógicas

14h – Fechando o ciclo da produção: menos consumo, menos lixo e mais energia
Palestra Lixo: novos desafios com a Política Nacional de Resíduos Sólidos – consultor em desenvolvimento sustentável, Walfrido de Assunção Ataíde

Palestra A experiência de Maldonado na geração de biogás em aterro sanitário – engenheiro da prefeitura municipal de Maldonado (Uruguai), Sebastián Bajsa

·Palestra Consumo Consciente – Ações individuais para o bem do planeta – consultor do Instituto Akatu, Carlos Alberto de Faria Gaspar

16h30min – Geração Fotovoltaica, a luz que falta na nossa matriz energética

Palestra Sol: vamos fazer uma Copa Brilhante? – Professor do LabSolar/UFSC, Ricardo Rüther
Palestra Eletricidade solar aqui e agora – Projeto Megawatt Solar – Engenheiro da Eletrobras Eletrosul , Rafael Takasaki

19h Palestras de encerramento Energia Eólica, a bola da vez das fontes alternativas
Projetos de geração eólica na prática: a experiência da Eletrobras Eletrosul – Ronaldo Custódio, diretor de engenharia da Eletrobras Eletrosul

Ventos: panorama e perspectivas para a geração eólica no país – Lauro Fiuza, vice-presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica)

Tags: energia limpaInstituto Idealseminário

Última semana da Feira de livros da UFSC prevê mais lançamentos

31/03/2011 16:51

Fotos: Paulo Noronha/Agecom

Uma teoria da adaptação, obra inédita de Linda Hutcheon que lança um novo conceito da pós-modernidade marca os lançamentos da próxima semana, que também incluem Shakespeare e Paul Claval. Prossegue até o final da próxima semana (8/4), na Praça da Cidadania da UFSC, a Feira de Livros da Editora da UFSC/LEU que oferece com descontos muito vantajosos 8.200 mil volumes de suas antigas e novas coleções.

(mais…)

Tags: feira de livros da UFSC

Debate público sobre o trânsito no entorno da UFSC

31/03/2011 16:07

O trânsito no entorno da UFSC está um caos! E eu com isso?

Lançada campanha educativa para sensibilizar a comunidade universitária para discutir e contribuir com sugestões sobre como melhorar o sistema viário no entorno da UFSC. As contribuições devem ser postadas pelo formulário eletrônico do site da campanha http://pare.paginas.ufsc.br. Também haverá um Debate Público dia 5/4, das 15h às 18h, no Auditório do Centro Tecnológico ( CTC). Período da campanha: 30/3 a 30/4.

(mais…)

Tags: campanha educativatrânsito entorno UFSC

Exposição Máscaras e Tramas, Tramas e Máscaras inaugura nesta sexta

30/03/2011 17:44

A artista plástica Ina Castro

A artista plástica Ina Castro apresentará seu trabalho a partir de sexta-feira, 1º de abril, na exposição “Máscaras e Tramas, Tramas e Máscaras”, no Espaço Estético do Colégio de Aplicação (CA) da UFSC. Serão exibidas 16 máscaras em papel machê, estruturadas em arame e pintadas com tinta automotiva, e seis pinturas abstratas, nas quais tramas em tricot são dispostas interagindo sobre as telas. A visitação, gratuita, ocorre até o dia 1º de maio, das 7h30 às 19h30.

Nas pinturas, a artista optou por uma fusão das quatro técnicas que sempre desenvolveu separadamente: a pintura, a colagem, a escultura e a trama em tricot, e entre os materiais usados estão areia de praia, pigmento e polímero vinílico. Nas máscaras, a característica decorativa é resultado da técnica “papel machê”, uma mistura de jornal picado, água e polímero vinílico (espécie de cola), que permite ao objeto trabalhado maior rigidez. A ideia surgiu do Movimento da Commedia dell’Arte do século XVI e foi adaptada para os estilos Afro e Vienense.

Ina Castro (Maria Regina Ziegler de Castro) é professora e artista plástica graduada pela Faculdade Bennett de Ensino do Rio de Janeiro. Sua primeira exposição, focada em esculturas, foi em 1973, ainda no Rio. O contato com o Colégio de Aplicação foi realizado através da participação da professora na Oficina Aberta Polo UFSC, como ministrante de cursos e como integrante do Programa Arte na Escola.

SERVIÇO:

O QUÊ: Exposição “Máscaras e Tramas, Tramas e Máscaras”

QUANDO: 1º de abril a 1º de maio

HORÁRIO: 7h30 às 19h30

LOCAL: Espaço Estético CA/UFSC

CONTATO: Professora Fabíola () e Helena ()

Fonte: Colégio de Aplicação da UFSC

Tags: CA/UFSCexposiçãoIna CastroMáscaras e TramasTramas e Máscaras

Palestra aborda a economia da China: de país pobre a maior economia mundial

30/03/2011 16:26

Foto: Antônio Barañano / TeleNews Torres

O Grupo de Pesquisas em Economia Política dos Sistemas-Mundo (GPEPSM) e o Centro Acadêmico de Relações Internacionais (CARI) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promovem a palestra “China: 1950/2020, de país pobre a maior economia mundial”, proferida pelo professor Vladimir Milton Pomar, geógrafo, empresário e editor das revistas “Negócios com o Brasil” e “Negócios com a China”.

O evento será realizado nesta sexta-feira, 1º de abril, às 14h, no auditório do centro Sócio-Econômico (CSE), com o objetivo de demonstrar como a China passou de economia mais pobre do mundo em 1949, segundo dados da ONU, para segundo maior em 2010 e com a perspectiva de se tornar a primeira economia mundial em 2020.

Mais informações pelo telefone (48) 3721-6627 ou pelo e-mail .

Tags: CARIChinaGPEPSMpalestraVladimir Milton Pomar

Antropólogo italiano propõe o estupor na relação entre as culturas

30/03/2011 10:43

Se fosse para sintetizar o pensamento de Massimo Cavenacci, o oposto do dito popular “quem gosta de velharia é museu” exprimiria bem o que prega o antropólogo italiano. Não há nada mais atual do que colecionar as relíquias do contemporâneo. Ao falar sobre Os desafios do museu no século XXI, o catedrático da Universitá di Roma La Sapienza e professor convidado do Departamento de Psicologia da UFSC defendeu a polifonia dos museus, a exposição de acervos museais em espaços dinâmicos da cidade e a apropriação das tecnologias digitais para a autorrepresentação das culturas e identidades.  Em suma, o museu contemporâneo deve se constituir na mobilidade da vida urbana, incorporar as novas tecnologias e estar atento à pluralidade das culturas. A conferência atraiu uma plateia de cerca de cem pessoas, entre alunos, professores e comunidade em geral para o pequeno auditório do Museu Universitário na tarde da terça (29), abrindo o primeiro evento do ciclo de debates O Pensamento do Século XXI e da série Museu em Curso deste ano.

Fotos: Paulo Noronha/Agecom

Lançador de instigantes neologismos conceituais como “multivíduo performático” e “desnativização” o autor de A cidade polifônica – Ensaios sobre a antropologia da comunicação urbana mostrou que as posturas e performances de corpo são objetos privilegiados das coleções museológicas do presente e propôs que o museólogo suspenda o conceito de nativo, à medida que traduz um olhar colonialista em relação ao outro. “O museu deve favorecer a multiplicação da subjetividade”, afirmou. Dentro desse contexto, é fundamental repensar sua função na sociedade. E para isso, Massimo defende que “a identidade da cultura não pode ser só das raízes”, lembrando a expressão “from roots to routes” (de raízes para rotas): “O museu contemporâneo precisa mudar, de raízes para itinerários. As raízes bloqueiam a cultura, enquanto que os itinerários favorecem as subjetividades”. A artista plástica brasileira Nele Azevedo, de acordo com o antropólogo, exemplifica essa ideia. Criadora de mil homenzinhos de gelo que foram colocados na escadaria da sala de concertos da Gendarmenmarkt, em Berlim, para uma campanha da WWF sobre o aquecimento global realizada em 2009, viu sua obra durar cerca de meia hora. “É interessante pensar na força de um tipo de arte que, descongelando, vira água. Acredito que uma parte do museu deve ser temporária, pois assim ele sempre se renova”.

A renovação dos espaços que abrigam a arte contribuiria para que os espectadores – ou os “performáticos”, que seriam os observadores que interagem mais ativamente com as obras – pudessem experimentar diante do outro, do estranho e do diferente o “estupor”, definido pelo dicionário português Priberam como “efeito, geralmente imobilizante, de grande espanto ou surpresa”. Massimo afirma que o som da palavra o agrada, preferindo relacioná-la ao espanto, mas acredita que essa significação ainda não seja a mais adequada. “A arte precisa modificar a identidade das pessoas. Não posso ser o mesmo depois de interagir com ela”. Mas para que essa transformação possa acontecer, é necessário que o performático se permita se entregar ao estupor. “É o posicionamento corporal em relação ao que é desconhecido e que desejo encontrar. É um momento antes da contemplação, e meu corpo precisa se abrir – boca, olhos, nariz, ouvidos – para absorver a obra de arte”.

A câmera dentro da câmera dentro da câmera

O professor mostrou fotos feitas dos chamados nativos, em que são retratados de maneira inferior aos colonizadores, podendo criar um tipo de deslocamento ou de invasão – “e se pensarmos na definição de ´nativo`, que ´provém de determinado lugar´, um índio seria nativo na Europa?” – defendendo seu direito à autorrepresentação e à desnativização. “Fui convidado pelos Bororos, no início dos anos 1990, a participar do ritual de furação de orelhas, que acontece a cada sete anos. Cheguei com câmeras, e me deparei com três deles gravando a atividade. Meu papel clássico, então, estava em crise; eles precisavam ser os sujeitos que davam sentido ao próprio ritual. Coloquei, nesse momento, minha câmera atrás das deles, enquadrando-as, para registrar o contexto”.

Além dessa multiplicidade cognitiva, que é potencializada também pela internet, Massimo já disse, em entrevista ao blog overmundo, que gosta de ”utilizar o artigo no singular, e o pronome no plural, isto é, o eus”. “O conceito de multivíduo, para mim”, continua, “é um conceito mais flexível, mais adequado à contemporaneidade. Por que significa que multivíduo é uma pessoa, um sujeito, que tem uma multidão de eus na própria subjetividade”. Esse eus também foi representado através de imagem que mostrava uma mulher se despindo da própria pele abrindo zíperes que tinha espalhados pelo corpo, revelando outras camadas epidérmicas. “Como o museu enfrenta o pós-humano, isto é, a arte digital? Que tipo de experiências podemos desenvolver? Quantas peles a gente tem? Há um número limitado? Quais as diferenças entre corpo e tecnologia?”, questiona.

Museu & cinema

Tahuany Coutinho, de 24 anos, é caloura de Museologia e assistiu à palestra. “Gosto da possibilidade de perceber o museu não simplesmente como um espaço onde as obras são expostas, mas sim como oportunidade de transformação através do contato com a arte”. A estudante conta que alguns professores do curso defendem o ponto de vista do antropólogo, e ressalta que o “museu não deve ser para alguém e sim com alguém”. Quase formada em Artes Cênicas, Tahuany veio de São Paulo com a intenção de se graduar em Cinema, mas acabou optando por Museologia por causa do viés antropológico do curso. No entanto, vê semelhanças entre os dois, quando pensa na importância do museu se valer de recursos, como os audiovisuais – como fazem os museus paulistas da Língua Portuguesa e do Futebol -, para envolver os performáticos.

Os projetos ´O Pensamento no Século XXI` e ´Museu em Curso` foram concentrados em torno dessa conferência para evidenciar os desafios das instituições museológicas hoje. Na continuidade do projeto Museu em Curso, a cada mês, será realizada uma palestra voltada para as diversas áreas da teoria e da prática museológica.

Mais informações: 48 3721-8604 ou 9325 ou .

Por Cláudia Schaun Reis/Jornalista na Agecom e
Raquel Wandelli/Jornalista na SeCArte

Tags: antropologiacomunicaçãomuseologia

Eleições para o CUn

30/03/2011 10:35

A  Comissão Especial Eleições para Representantes dos Servidores Técnico-Administrativos  junto ao Conselho Universitário divulgou a relação dos candidatos inscritos para o pleito (Edital 001/CE/2011), com ordem na cédula segundo sorteio realizado na Secretaria dos Conselhos.

1- Geraldo Botelho Lage – Titular/HU
Edílson da Silva – Suplente/PRAE

2- Otávio Pereira – Titular/CFH
Pedro Candido Machado Filho – Suplente/CTC-EPS

3- Francisco Carlos da Silva – Titular/DMSG
Miguel Arcângelo Broering – Suplente/PREG
4- Luciano Ferreira Farias – Titular/PRDHS
Francisco Felipe da Silva Jr – Suplente/PRDHS

Tags: CUneleiçõesrepresentantes

Inscrições para representação no Conselho Universitário

29/03/2011 11:45

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (PRDHS) divulgou o Edital nº 001/PRDHS/2011 que convoca e abre inscrições para eleição dos representantes dos servidores técnico-administrativos em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no Conselho Universitário.

As inscrições dos candidatos devem ser feitas na Secretaria Geral dos Órgãos Deliberativos Centrais, no térreo da Reitoria, até esta terça-feira, 29 de março (8h às 12h e das 14h às 17h). A eleição ocorre no dia 5 de abril.

Mais informações: (48) 3721-9030 ou  .

Tags: PRDHSRepresentação no CUNSTAs

Parceria inovadora assegura exames médicos no campus da UFSC

29/03/2011 11:19

Fotos: Paulo Noronha / Agecom

A Universidade Federal de Santa Catarina e a Unimed Florianópolis lideraram e construíram uma parceria que está servindo de modelo para outras instituições no Estado e no país. A conquista desse novo patamar no campo da saúde, dentro de uma visão preventiva, foi comemorada pelos seus dirigentes na noite desta segunda-feira (28/03), na inauguração informal do espaço para a realização periódica dos exames médicos dos servidores técnico-administrativos e docentes da Universidade.

Após reunião e entrega de placa de reconhecimento à direção da Unimed no gabinete do reitor, os representantes das duas instituições conheceram as instalações do novo serviço no Centro de Cultura e Eventos. A visita foi acompanhada pela administração central da UFSC e pelos gestores da empresa.

Implementado sob orientação e coordenação da Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social da UFSC (PRDHS), o espaço foi viabilizado pela Unimed e, até o momento, já beneficiou mais de mil servidores. Segundo o diretor do Departamento de Desenvolvimento e Atenção Social e à Saúde, Marcelo Fontanella Webster, foram atendidos o Hospital Universitário (HU), parte do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) e está em andamento a convocação dos servidores e professores do Centro Tecnológico (CTC). Todos os servidores serão agendados via carta individual e específica.

O pró-reitorde Desenvolvimento Humano e Social, Luiz Henrique Vieira e Silva, ressaltando a parceria como um avanço concreto na saúde preventiva, deixou claro que esse serviço nada tem a ver com o Plano de Saúde da UFSC e que, portanto, não significará ônus algum para os usuários. Os exames periódicos, esclarece, colocam em prática o decreto federal nº. 6.856, em 2009, determinando exames clínicos, laboratoriais e de imagem para todos os servidores públicos federais.

O reitor Alvaro Prata classificou a parceria com a Unimed de inovadora, “porque, na prática, prioriza e manifesta a preocupação com a saúde e não com a doença”. Ao entregar a placa de reconhecimento ao diretor de Gestão Comercial e Marketing, Octavio R. Lebarbenchon Neto, o reitor frisou que a parceria vem se mostrando boa para os dois lados, suprindo, na sua opinião, de forma adequada as necessidades e demandas da comunidade universitária.

O vice-reitor Carlos Alberto Justo da Silva (o Paraná) aproveitou para sustentar a importância da qualidade do serviço. Para ele, os resultados do modelo de parceria derrubam preconceitos e resistências. “A Unimed mais perto dos usuários ajuda a construir uma relação de confiança e produz uma avaliação positiva no conjunto da Universidade”, assinalou.

Lebarbenchon Neto, prestigiado no ato por mais três gestores da Unimed, constatou na parceria com a UFSC uma mudança de paradigma. “Saímos do modelo tradicional. A inovação é total, porque mudamos para uma parceria direta, deslocando-nos para onde os fatos acontecem”, resumiu. Ele estava escudado pelo gerente do Departamento de Relacionamento Corporativo, Ricardo Tiago Deeke, pelo gestor corporativo Luiz Messias Neto e pelo supervisor de relacionamento corporativo Eduardo Pedrini.

O pró-reitor Luiz Henrique Vieira e Silva entende que a Unimed, ao adotar uma postura pró-ativa, deu uma nova face ao campus. A exemplo de outros eventos, a equipe da Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social da UFSC compareceu em peso, sendo seu trabalho e dedicação referenciados pelo reitor Alvaro Prata.

Luiz Henrique ainda fez questão de salientar a integração com a Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), através do Departamento de Cultura e Eventos, que cedeu espaço para a saúde.  Na estimativa dos dirigentes da Unimed, “o contrato com a UFSC dá conta de 13 mil vidas”. A instalação de um Centro de Pronto Atendimento no bairro da Trindade, onde fica a UFSC, faria parte da estratégia de atender melhor à comunidade universitária. A Unimed sonha inaugurar o novo serviço ainda no primeiro semestre.

Mais informações: (48) 3721-9030

Por Moacir Loth / Diretor da Agecom

Tags: exames periódicosPRDHSUnimed

Conferência e exposição fotográfica traz impressões sobre a África

25/03/2011 18:49

Um pouco da visão de Osíris Duarte sobre o continente africano será compartilhada nesta terça, 29/03, às 18h30, no Auditório do Sintufsc: o seminário Nosso eu Africano – Uma viagem particular pela realidade da África sintetiza os vinte e dois dias em que o jornalista e fotógrafo visitou Senegal, Cabo Verde e Guiné Bissau.

O objetivo da viagem, segundo Osíris, era bem claro: contar histórias através de cobertura jornalística do Fórum Social Mundial de 2011 para sindicatos catarinenses. “A África é um continente com uma das maiores diversidades do planeta, em termos étnicos, culturais e religiosos. Sendo assim, seria impossível não trazer na bagagem, além das fotos e souvenirs, um monte de histórias curiosas, peculiares, interessantes e informativas”, atesta.

Serviço:

O quê: Seminário: Nosso eu Africano – Uma viagem particular pela realidade da África
Quando: Terça-feira, dia 29 de março, às 18h30.
Onde: Auditório do Sintufsc, Rua R. João Pio Duarte da Silva, 241 – C.Postal 5130 – Córrego Grande – Florianópolis/SC – CEP 88040-970
Quem: Osíris Duarte é jornalista profissional, Bacharel em Comunicação Social com habilitação em jornalismo pela Universidade do Vale do Itajaí em 2005, fotógrafo, blogueiro e assessor de imprensa do Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região.

Informações: 3234-2822 e 3234-3154 e .

Massimo Canevacci abre série “Museu em Curso”

25/03/2011 15:32

O antropólogo italiano Massimo Canevacci abre, na terça-feira, 29, o primeiro evento do ciclo de debates  ´O Pensamento no Século XXI` e da série ´Museu em Curso` deste ano. A conferência “O Museu no Século XXI” ocorrerá das 16 às 18 horas, no auditório do Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral, na UFSC, em parceria com a Secretaria de Cultura e Arte (SecArte), Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) e Associação dos Amigos do Museu. Professor da Facultade Scienze della Comunicazione “La Sapienza”, de Roma, e professor visitante da UFSC, Canevacci abordará as possibilidades de apropriação das tecnologias digitais na representação da cultura urbana e na arquitetura contemporânea.

Referência internacional na área de comunicação museal, Canevacci atua desde 1984 no Brasil como pesquisador convidado para desenvolver pesquisas, conferências e cursos em universidades. Sua pesquisa, orientação didática e publicações se desenvolvem em torno da comunicação visual, arte digital, etnografia urbana e indígena, culturas da juventude, antropologia teórica e trocas entre antropologia e outras áreas do conhecimento. Atualmente coordena o projeto Carpe-Code, sobre metrópole comunicacional, design expandido, etnografia ubíqua e realidade aumentada.

Autor de A cidade polifônica, da Studio Nobel (1993), considerada uma obra fundamental para compreender a antropologia urbana através da mídia e da arquitetura, Canevacci dirigiu até 2001 a revista Avatar de etnografia, comunicação e arte visuais. Também publicou Comunicação Visual, pela Brasiliense, Fetichismos Visuais, da Ed. Atelier; Sincretismos, uma exploração das hibridações culturais, da Studio Nobel e Culturas Extremas, da DpA. Em processo de tradução no Brasil pela editora Annablume, escreveu La linea di polvere, publicado em Roma pela Meltemi (2007), como fruto de pesquisa que realizou sobre a cultura dos índios Bororo.

Os projetos ´O Ciclo Pensamento no Século XXI` e ´Museu em Curso` foram concentrados em torno dessa conferência para evidenciar os desafios das instituições museológicas hoje. “Vivemos um tempo em que as mídias e as identidades se multiplicam e modificam o espaço urbano, de modo que os registros de memória e de cultura precisam levar em conta processos de identidade cada vez mais sazonais e fragmentados”, lembra a secretária de Cultura e Arte Maria de Lourdes Borges. Na continuidade do projeto Museu em Curso, a cada mês, será realizada uma palestra voltada para as diversas áreas da teoria e da prática museológica.

Serviço:

O quê: Museu em curso, palestra com Massimo Canevacci
Quando: 29 de março, das 16h às 18h
Onde: Auditório do Museu Universitário da UFSC
Quanto: Entrada franca
Informações: 48 3721-8604 ou 9325
e-mail:
Serão fornecidos certificados

Divisão de Museologia
Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral – UFSC
Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima – Trindade – CEP 88.040-900 – Florianópolis – Santa Catarina – Brasil
Telefones: 48 3721-8604 / 6473 / 9325

Por Raquel Wandelli/  Jornalista na SeCarte
(048) 37219459 e 99110524

Foto: Overmundo

Tags: antropologiacomunicação visualetnografia urbana e indígena

Representação de servidores técnico-administrativos no Conselho Universitário

25/03/2011 10:43

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (PRDHS) divulgou o Edital nº 001/PRDHS/2011 que convoca e abre inscrições para eleição dos representantes dos servidores técnico-administrativos em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no Conselho Universitário.

As inscrições dos candidatos devem ser feitas na Secretaria Geral dos Órgãos Deliberativos Centrais, no térreo da Reitoria, até 29 de março, das 8h às 12h e das 14h às 18h, sendo no dia 29/3 até às 17 horas. A eleição ocorre no dia 5 de abril.

Mais informações: (48) 3721-9030 ou  .

Tags: conselho universitárioeleição de representantestécnico-administrativos

Feira de Livros da UFSC promove novos lançamentos até 8 de abril

25/03/2011 10:17

Shakespeare, Linda Hutcheon, Paul Claval, Agamben, Silveira de Souza. Teatro, sociologia, geografia, filosofia, poesia, literatura. Livros de qualidade com até 70% de desconto.

Fotos: Paulo Noronha/Agecom

A Editora da UFSC lançará novos títulos de autores de importância universal até o final da Feira de Livros, que vai até o dia 8 de abril, na Praça da Cidadania da UFSC, em parceria com a Liga das Editoras Universitárias (LEU). As novidades incluem nomes de projeção universal, como Linda Hutcheon, Paul Claval, Shakespeare, além do catarinense Silveira de Souza, lançado na terça-feira (22). Aberta no dia 15 de março, a Feira está oferecendo com descontos vantajosos à comunidade o clássico “Farmacognosia”, de diversos pesquisadores brasileiros e estrangeiros, e “A Coisa Perdida: Agamben comenta Caproni”, organizado e traduzido do italiano por Aurora Bernardini, renomada tradutora e ensaísta.

Funcionando das 9h às 19 horas, exceto aos sábados e domingos, em uma tenda climatizada na Praça da Cidadania, a exposição comercializa livros com descontos entre 15 e 70% para a comunidade universitária e o público em geral. Os títulos cobrem diversos campos do conhecimento, da cultura e da arte. Fazem parte das prateleiras os melhores títulos e lançamentos de algumas das editoras universitárias de destaque do país que integram a LEU, como a EdUSP, Ed. da UFMG, da UFBA e da Unicamp.

O carro-chefe da nova safra de títulos da UFSC é o segundo volume da antologia do mestre catarinense do conto Silveira de Souza, sob o título “Ecos no Porão II”, que foi lançado como parte das comemorações do aniversário da cidade e está sendo inscrito nos Prêmios Jabuti e Brasil Telecom de Literatura como o melhor livro de contos do ano. Entre outras grandes novidades da UFSC estão “Do jeito que Você Gosta”, de Shakespeare, e “Corpo e Performances”, de Stephan Arnulf Baumgärtel, um estudo sobre as montagens dessa mesma peça, um clássico do século XX.

Na próxima semana, a EdUFSC lançará na feira “Epistemologia da Geografia”, uma obra definitiva de um dos maiores geógrafos da atualidade, o  francês Paul Claval. Na última semana, finalmente, lançará o aguardado estudo “Uma Teoria da Adaptação”, da ensaísta canadense Linda Hutcheon, uma das maiores especialistas da atualidade em cultura globalizada e pós-modernismo. “A feira não é mais uma queima de estoque, mas uma oportunidade de adquirir obras fundamentais com preços muito abaixo do mercado”, explica o diretor da EdUFSC, Sérgio Medeiros. Além dessas obras, a Editora está colocando à disposição do leitor, nesse espaço, praticamente todos os títulos do seu catálogo.

Contatos: (48) 9911-0524 – 3721-9459

Assessora de Comunicação da SeCArte/UFSC – www.secarte.ufsc.br

Tags: Feira de Livrosnovos lançamentos

Espetáculo Os Rinocerontes com desconto para servidores da UFSC

24/03/2011 08:20

O espetáculo Os Rinocerontes, de Eugène Ionesco, será encenado no Teatro da Ubro ( Escadaria da Rua Pedro Soares, 15, Centro – atrás do Colégio Coração de Jesus), de 24 a 27 de março, às 20h. Com adaptação e direção de Marcello Serra, a peça é uma realização do Núcleo de Oficinas da Cia. De Arte Irreversível e Mito Produções Artísticas. Ingressos: R$ 20,00  (inteira) e R$ 10,00 (estudantes, terceira idade e classe artística). Professores e STA´s da UFSC  R$ 8,00.

(mais…)

Tags: os rinocerontespeça desconto servidores UFSC