Plínio de Arruda Sampaio Filho discute questão agrária em seminário

02/12/2011 12:47

Plínio de Arruda Sampaio Filho

A palestra de abertura do seminário nacional “A questão agrária no desenvolvimento brasileiro contemporâneo” aconteceu nesta quinta-feira, dia 1º, no auditório do Centro Sócio-Econômico (CSE) da UFSC, com o professor Plínio de Arruda Sampaio Filho, do Instituto de Economia da Unicamp, que discutiu os problemas de formação da conjuntura social brasileira em relação à “contra reforma agrária. O economista levantou a discussão sob os conceitos e estudos de Caio Prado Júnior, importante historiador e estudioso das causas sociais do Brasil. Para a palestra de abertura foi convidado o seu pai, Plínio de Arruda Sampaio, ex-candidato a presidente nas eleições de 2010 e ativista político brasileiro, que por problemas de saúde não pode comparecer ao evento.

Plínio de Arruda Sampaio Filho, mais conhecido como “Plininho”, começou a exposição destacando os problemas de formação do Brasil desde a chegada dos colonizadores portugueses. Segundo ele, o Brasil tem problemas de formação na construção social, que é estrutural e provocado pela burguesia capitalista – que não soluciona o problema da miséria da população e da distribuição de terras -. Plininho ressaltou as principais questões que privam o Brasil de ficar independente da pobreza. “Os problemas do Brasil estão na sua formação, o que unifica todo o pensamento brasileiro. Os grandes problemas do Brasil são a dependência econômica externa e a desigualdade extrema”.

O palestrante percorreu a história do país através de livros e exposições de Caio Prado. Explicou que se deve resgatar o estudo dos autores clássicos brasileiros com afastamento. “O importante não é canonizar os autores, o importante é resgatá-lo numa perspectiva crítica para entender a cabeça de Caio Prado”.

Plininho salientou os motivos para que a reforma agrária não tenha acontecido no Brasil. Para ele, a burguesia brasileira enxerga a distribuição de terras como uma ameaça para a o capital financeiro e a produção industrial. “A questão agrária deixa de ser um fator estratégico para o desenvolvimento do capital. Para a burguesia capitalista é importante perpetuar a pobreza do campo”, ao explicar que os sem-terras tornaram-se um problema de segurança pública para a organização política brasileira e a importância da exploração do trabalho para a manutenção do lucro das indústrias. “A questão agrária se reproduz porque o problema de formação do Brasil não foi resolvido”, comentou.

“Talvez a pobreza não seja problema da burguesia brasileira, mas seja necessária para o desenvolvimento do capitalismo brasileiro”. Com essa frase, Plininho encerrou sua palestra.

O seminário é uma realização da Cátedra-IPEA, sob a coordenação do professor Lauro Mattei e do NECAT-UFSC. Outras informações com o professor Lauro pelos telefones (48) 3721-9896 e 9908-6210 ou pelo endereço http://caleufsc.blogspot.com/2011/11/seminario-nacional-questao-agraria-no.html.

Por Ricardo Pessetti / Bolsista de Jornalismo da Agecom

Tags: Plínio de Arruda Sampaio Filhoquestão agráriaseminárioUFSC

7º Seminário de Cidades Fortificadas

28/11/2011 10:35

Representantes do Brasil,(São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Santa Catarina) participam de 29 de novembro a 1º de dezembro do “7º Seminário de Cidades Fortificadas” e do “2º Encontro Técnico de Gestores de Fortificações” que, serão realizados simultaneamente em Bertioga, litoral de São Paulo. A programação completa está em www.cidadesfortificadas.ufsc.br/programacao/.

Tags: cidadesseminário

CEPED/UFSC participa de seminário sobre mudanças na legislação de proteção civil no Brasil

09/11/2011 15:46

Seminário reúne autoridades em gestão de risco e desastre para discutir as propostas do relatório feito pela Comissão Especial de Medidas Preventivas diante de Catástrofes Climáticas

Desde o desastre da região serrana do Rio de Janeiro, no início de 2011, a Comissão Especial de Medidas Preventivas diante de Catástrofes Climáticas, formada por 48 deputados federais, vem trabalhando para melhorar a legislação brasileira sobre desastres.

Em maio, um grupo de deputados federais que compõe a Comissão veio a Florianópolis para conhecer o trabalho do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres da Universidade Federal de Santa Catarina (CEPED/UFSC). Durante a visita, o grupo solicitou a ajuda da instituição para as discussões que, ao longo deste ano, permearam a elaboração do relatório.

No dia 8 de novembro, o relatorista e deputado Federal Glauber Braga entregou o relatório pronto em reunião da Comissão. Ele destacou a necessidade da criação do Estatuto de Proteção Civil, que será debatido durante o seminário “Proteção Civil – Perspectivas para o Brasil”, a ser realizado em Brasília, na Câmara de Deputados, no auditório Nereu Ramos nos dias 10 e 11 de novembro.

O seminário conta com a presença de autoridades políticas, pesquisadores e representantes de órgãos que trabalham com gestão de risco e desastre, entre eles o CEPED/UFSC, que vai apresentar a metodologia do diagnóstico para a redução de risco de desastre em áreas urbanas. Essa metodologia é utilizada e aprimorada pelo Centro para aplicação em áreas de risco. A apresentação será feita pela pesquisadora Sarah Cartagena, no dia 10 de novembro, pela tarde, conforme a programação do seminário. Confira a programação aqui.

Dentre as discussões do seminário, uma vem sendo comentada no contexto de defesa civil há algum tempo. É a mudança do termo Defesa Civil para Proteção Civil. O novo nome seria mais condizente com a mudança de perspectiva no cenário brasileiro de gestão de risco e desastre, cuja tendência é priorizar a percepção de riscos e as etapas de preparação e prevenção de desastres.

Outras informações pelos telefones (48) 3223-5467, 3224-9088, 3226-1704 e 3235-2359 ou pelos e-mails e .

Fonte: CEPED/UFSC, 09/11/2011.

Tags: brasíliacepedseminárioUFSC

Seminário sobre as Ações Afirmativas na UFSC discute a cultura acadêmica

31/10/2011 10:21

A primeira parte do Seminário Ações Afirmativas na UFSC, quarta-feira dia 26 de outubro, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas, reuniu uma variedade de representantes para discutir a política de cotas na universidade e no sistema de educação brasileiro. Presentes na mesa de abertura a Pró-reitora de Pós Graduação Maria Lúcia de Barros Camargo, o representante da Pró-reitoria de Ensino de Graduação Carlos José de Carvalho Pinto, a Diretora de Educação Superior da Secretaria do Estado de Educação (SED) Mariléia Gastaldi, do Núcleo de Estudos Negros Joana Célia dos Passos, do Movimento Negro Unificado Maria de Lurdes Mina, do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) a representante da Coordenadoria no estado Taís Garone, da Coordenadoria Municipal de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial (Coppir) Ana Paula Cardoso, e o Representante da Comissão de Ações Afirmativas da UFSC Marcelo Romano. Na mediação da mesa a professora Ilza Scherer-Warren.

A mediadora iniciou a mesa explicando que as Ações Afirmativas iniciaram-se na UFSC em 1997, e que em 2012 terminará o prazo estipulado para vigência dessa política de inclusão, por isso o seminário representa um momento de reflexão para todos sobre esse tema. Mariléia Gastaldi, da SED, foi a primeira a discursar. Ela disse que a secretaria quer se apresentar como parceira da UFSC, e que espera que essas políticas possam reduzir as grandes diferenças no país. “Temos que dar conta dessas injustiças sociais, pois o tempo em que vivemos, a pós-modernidade, exige isso”, completou.

Joana Célia dos Passos, do Núcleo de Estudos Negros, foi a próxima a pedir palavra, ressaltando que as Ações Afirmativas mexem na cultura acadêmica. “As salas de aula e o campus da universidade não são mais os mesmos, e a política de igualdade faz parte de um projeto diferenciado de uma nação”, finalizou.

A pró-reitora de Pós Graduação da UFSC, Maria Lúcia de Barros Camargo, ratificou que a universidade mudou com a política de Ações Afirmativas, mas é preciso ressaltar que não só o acesso, mas a permanência e as condições dadas também mudaram. “Nós temos que criar condições para acesso qualificado à universidade, para que possamos transformar essa condição diferenciada. O desafio não é só acesso e sim criar condições de formação qualitativa”. A pró-reitora complementou dizendo que as políticas de Ações Afirmativas são o resgate de uma dívida social para com as comunidades menos assistidas.

Por José Fontenelle/bolsista de Jornalismo na Agecom

Candidatos à reitoria da UFSC apoiam a manutenção das Ações Afirmativas

A programação do “Seminário: Ações Afirmativas na UFSC” contou ainda com um debate sobre o sistema de cotas entre os cinco candidatos à reitoria da Universidade. A pergunta feita a todos foi “qual a sua posição, avaliação e proposta de manutenção das Ações Afirmativas caso seja eleito ou eleita”, e os cinco participantes responderam serem favoráveis ao programa. Cada um teve 15 minutos para defender a questão por ordem de fala definida através de sorteio. A UFSC adotou as cotas para alunos de instituições públicas de ensino, negros e indígenas em 2007, e vai discutir o futuro do programa em 2012.

O primeiro a discursar foi Dilvo Ristoff, que citou alguns dados sobre o ensino e os percentuais de negros e brancos no Brasil. Dilvo disse que as pessoas costumam pensar que a “Universidade reflete a sociedade”, mas afirmou que “dados mostram que os cursos de graduação hipertrofiam as desigualdades da sociedade brasileira”. Segundo o candidato, o campus distorce significativamente os percentuais da população do país. Ainda acrescentou que as políticas de expansão e a democratização do acesso e permanência no ensino superior podem mudar a situação nas universidades. Com isso, Dilvo acredita que é necessário “adotar uma política muito mais agressiva” para realmente refletir os dados da sociedade brasileira.

Em seguida, Carlos Alberto Justo da Silva (Paraná) começou sua fala avaliando a gestão do atual reitor, Alvaro Prata, e expôs sua plataforma de gestão. As propostas apresentadas pelo candidato foram: ampliação da parceira com a Comissão Permanente do Vestibular (Coperve) para maior divulgação das cotas; financiamento de projetos de pesquisa sobre as Ações Afirmativas para posterior discussão e maior aprofundamento do tema; intenção de aumentar o número e o valor das bolsas permanência; reestruturação do programa de apoio psicossocial aos alunos cotistas; e criação de eventos para discutir e divulgar as Ações Afirmativas na UFSC.

A palavra foi passada para Irineu Manoel de Souza. Para ele, a universidade é elitista e a sociedade não sabe o que é produzido dentro dela. O candidato afirmou que sua proposta de gestão vai além da dimensão administrativa, sendo dividida em mais três grupos: acadêmico, humano e político-social. Na administração, Irineu propõe flexibilizar a estrutura universitária para incluir a sociedade; no campo acadêmico, analisar o Reuni para ampliar as vagas da universidade; no aspecto humano, valorizar as ações das pessoas, pois “sem pessoas não há inclusão”; e, por fim, na área da política social, defende a ampliação das cotas, a institucionalização da Coperve e a implantação do vestibular gratuito.

A candidata Roselane Neckel criticou a falta de gestão administrativa interna em relação às Ações Afirmativas: “quando tivermos oportunidade de apresentar os dados das nossas pesquisas e discutir os resultados, aí sim, poderemos alcançar um ganho realmente significativo”. Para Roselane, as universidades devem ter uma abertura ainda maior, oferecendo vagas exclusivas para negros e indígenas, sem considerar a avaliação socioeconômica. Em sua proposta, defende a ampliação das políticas de permanência e assume o compromisso de otimizar os recursos da universidade para fortalecer e ampliar as políticas afirmativas.

Por último, falou Fernando Kinoshita, que ressaltou a discriminação dentro da própria UFSC, entre os alunos de diferentes cursos de graduação. Ele defende as Ações Afirmativas, mas acredita que o programa não deve ser permanente, e sim, circunstancial, devido à vulnerabilidade que os povos beneficiados sofreram no passado. Sua plataforma de gestão inclui campanhas de divulgação das Ações Afirmativas para que todos tenham acesso a elas. Além disso, propõe a implantação da interdisciplinaridade na UFSC como existe em vários países – para que estudantes e pesquisadores possam validar seus diplomas na volta de intercâmbios -. O candidato finalizou afirmando que é necessário promover uma reflexão profunda dentro da universidade, pois “hoje tudo está muito material, capitalista demais”.

Por Nayara Batschke/Bolsista em Jornalismo na Agecom

 

Tags: ações afirmativasseminário

UFSC marca presença no “Fronteiras do Pensamento” em Florianópolis

12/09/2011 10:48

Com o apoio da UFSC, via Agência de Comunicação – Agecom -, a RBS realiza dias 27, 28 e 29 de setembro, diariamente a partir das 20 horas, no Centro de Eventos da FIESC, o seminário internacional Fronteiras do Pensamento. Pela primeira vez em Santa Catarina, esta edição vai contar com a participação da jornalista e escritora norueguesa Asne Seierstad, a oceanógrafa americana e colaboradora da National Geographic Sylvia Earle, além do ex-ministra da Educação da França e filósofo Luc Ferry. Organizado desde 2006, o ciclo de altos estudos é uma referência nacional e já passou por Porto Alegre, Salvador e São Paulo. Os ingressos podem ser adquiridos pelo site www.blueticket.com.br, e na UFSC, na Livraria Livros e Livros, no Centro de Cultura e Eventos, local que provavelmente sediará o próximo “Fronteiras” em 2012.
(mais…)

Tags: Fronteirasseminário

“Fronteiras do Pensamento” em Florianópolis

02/09/2011 12:14

Com o apoio da UFSC, via Agência de Comunicação – Agecom -, a RBS realiza dias 27, 28 e 29 de setembro, diariamente a partir das 20 horas, no Centro de Eventos da FIESC, o seminário internacional Fronteiras do Pensamento. Pela primeira vez em Santa Catarina, esta edição vai contar com a participação da jornalista e escritora norueguesa Asne Seierstad, a oceanógrafa americana e colaboradora da National Geographic Sylvia Earle, além do ex-ministra da Educação da França e filósofo Luc Ferry. Organizado desde 2006, o ciclo de altos estudos é uma referência nacional e já passou por Porto Alegre, Salvador e São Paulo. Os ingressos vão estar à disposição a partir do próximo dia 5, segunda-feira, para compra no site www.blueticket.com.br, e na UFSC, na Livraria Livros e Livros, no Centro de Cultura e Eventos.

Tags: Fronteiras do Pensamentoseminário

Seminário sobre prevenção ao assédio moral no trabalho começa nesta quinta

24/08/2011 15:22

O 2º Seminário Catarinense de Prevenção ao Assédio Moral no Trabalho será realizado nos dias 25 e 26 de agosto, no Canto da Ilha Hotel, em Ponta das Canas, Florianópolis. A palestra de abertura terá como tema “Contexto do assédio moral e saúde do trabalhador no Brasil”, ministrada pela professora Margarida Barreto, da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Voltado para trabalhadores, gestores e acadêmicos, o evento tem como objetivo divulgar e discutir o assédio moral no trabalho. Para Thiago Soares Nunes, pesquisador do Núcleo de Estudos do Trabalho e Constituição do Sujeito (NETCOS/UFSC) e coordenador Científico do seminário, é importante primeiro conhecer o assunto, as características e os efeitos sobre a vida dos empregados. E, a partir disso, desenvolver medidas de prevenção e combate contra essa prática dentro das empresas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pelo endereço http://www.assediomoral.ufsc.br. As vagas são limitadas.

O evento é uma parceira entre UFSC, Unisul, Ministério Público do Trabalho, Ministério do Trabalho e Emprego, Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (FUNDACENTRO), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Força Sindical, Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).

Mais informações pelo telefone (48) 3721-8577 (período da tarde) ou pelo site http://www.assediomoral.ufsc.br.

Confira a programação:

PROGRAMAÇÃO DO DIA 25
SALA HORÁRIO ATIVIDADE
Auditório ETHCI 8:30 – 9:00 Abertura Evento
(MTE – SRTE – MPT – UFSC – UNISUL – CUT)
Auditório ETHCI 9:00 – 10:45 Palestra: Contexto do assédio moral e saúde do trabalhador no Brasil
(Margarida Barreto)
10:45 – 11:15 (Intervalo)
Auditório ETHCI 11:15 – 12:15 Mesa Redonda: Atuação quanto ao Assédio Moral no Trabalho
(Representantes de Trabalhadores e Empregadores)
12:15 – 13:30 (Almoço)
Auditório ETHCI 13:30 – 15:15 Palestra: Sofrimento Psíquico no Trabalho e Assédio Moral: Riscos, Consequências e Propostas de Intervenção
(Alvaro Roberto Crespo Merlo)
15:15 – 15:45 (Intervalo)
Auditório ETHCI 15:45 – 17:15 Mesa Redonda: Atuação Quanto ao Assédio Moral no Trabalho
(MPT – SRTE – TRT)
PROGRAMAÇÃO DO DIA 26
SALA HORÁRIO ATIVIDADE
Auditório Mata Atlântica 8:30 – 9:30 Mesa Redonda: Atuação Quanto ao atendimento do Assédio Moral no Trabalho
(UNISUL – SUS/CAPES – INSS)
Auditório ETHCI 8:30 – 9:30 Mesa Redonda: Estratégias de Prevenção do Assédio Moral no Trabalho
(UFSC – SRTE – ACAT – Assessor Jurídico da Comissão de Constituição e Justiça ALESC)
9:30 – 10:00 (Intervalo)
Auditório Mata Atlântica 10:00 – 11:30 Relatos de Investigação Científica e/ou Casos e Experiências
Centro de Documentação 10:00 – 11:30 Relatos de Investigação Científica e/ou Casos e Experiências
Sala Jacarandá 10:00 – 11:30 Relatos de Investigação Científica e/ou Casos e Experiências
Sala Manacá 10:00 – 11:30 Relatos de Investigação Científica e/ou Casos e Experiências
Sala Jatobá 10:00 – 11:30 Relatos de Investigação Científica e/ou Casos e Experiências
Sala Jequitibá 10:00 – 11:30 Relatos de Investigação Científica e/ou Casos e Experiências
Auditório ETHCI 11:30 – 12:30 Reunião aberta para discutir propostas e implementação de políticas conjuntas –
Planejamento 2º Semestre e 2012

Por Margareth Rossi/Jornalista da Agecom

Tags: assédio moralsemináriotrabalhoUFSC

Seminário na UFSC debaterá o papel dos Colégios de Aplicação

19/08/2011 10:48

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) sediará o VII Seminário de Institutos, Escolas e Colégios de Aplicação de Universidades Brasileiras (SICEA) de 26 a 29 de outubro, no Centro de Cultura e Eventos. O tema desta edição é “A que(m) se aplica? O papel dos Colégios de Aplicação no processo educacional contemporâneo”.

Podem participar professores, estudantes de graduação, pós-graduação e de educação básica. As inscrições no evento e para apresentação de trabalhos vão até o dia 31 de agosto, e devem ser feitas no endereço http://www.ca.ufsc.br/inscricoes-vii-sicea/. Os minicursos serão realizados no dia 29 de outubro, das 8h às 12h, no Colégio de Aplicação (CA).

Após essa data somente serão aceitas inscrições como ouvinte e, apenas, no primeiro dia do evento. No mesmo período ocorrerá o II Encontro Nacional de Estudantes de Colégios de Aplicação.

Outras informações pelo telefone (48) 3721-9561, http://www.ca.ufsc.br/sicea/ ou pelo e-mail .

Margareth Rossi/Jornalista da Agecom

Tags: Colégio de AplicaçãoseminárioSICEAUFSC

1º Seminário dos Alunos da Pós-Graduação em Literatura debaterá pesquisas em literatura e crítica

05/08/2011 11:27

O 1º Seminário dos Alunos da Pós-Graduação em Literatura (PGL) da UFSC será realizado nos dias 16, 17 e 18 de agosto, no auditório Henrique Fontes, Centro de Comunicação e Expressão (CCE). O evento pretende proporcionar o encontro entre todos os estudantes do Programa, em suas diversas áreas, e favorecer a conversa, a reflexão e a socialização das pesquisas realizadas. O seminário será uma oportunidade para mestrandos e doutorandos compartilharem conhecimentos e pensarem questões relativas ao trabalho de pesquisa em literatura e crítica.

O evento será aberto, às 9h30, pela pró-reitora de Pós-Graduação professora Maria Lúcia de Barros Camargo e com a conferência “A pesquisa como desejo de vazio”, proferida pelo professor Raúl Antelo (Departamento de Língua e Literatura Vernáculas/UFSC). Na programação, mesas de comunicação com mestrandos e doutorandos da PGL. O encerramento do seminário será feito pelo professor Luiz Costa Lima (UERJ/PUC-RJ), às 18h, com a conferência “A História e a Teoria Literárias entre nós”, e o lançamento de seu livro Escritos de Véspera, publicado pela Editora da UFSC.

A programação completa, o resumo das conferências e das comunicações podem ser conferidos no endereço http://seminalitufsc.wordpress.com/.

Os participantes receberão certificados (de apresentação e de frequência) e alguns dos textos completos serão selecionados para publicação após a realização do evento.

I Seminário dos Alunos da Pós‐Graduação em Literatura da UFSC
PROGRAMAÇÃO COMPLETA 16/08 – TERÇA-FEIRA
9:30 – 10:30
Auditório Henrique Fontes
ABERTURA:
Profª. Drª. Maria Lucia de Barros Camargo (Pró-Reitora da Pós-Graduação-UFSC)
10:45 – 12:00
Auditório Henrique Fontes
CONFERÊNCIA:
A pesquisa como desejo de vazio
Prof. Dr. Raúl Antelo (UFSC)
14:00 – 15:45
Auditório Henrique Fontes
Mesa 1. Modernismo brasileiro: Mário de Andrade e Oswald de Andrade
 Oswald de Andrade: condenado pelo Barroco (? ) – Ana Lucia Matiello (M)
 Aspectos sonhadores e delirantes na obra O turista aprendiz de Mário de Andrade – Cristiano Mello de Oliveira (M)
 A questão do lirismo na poesia moderna – Maiara Knihs (M)
 Ética e (an)estética em Mário de Andrade – Tiago Hermano Breunig [coord.] (D)
Sala Drummond
Mesa 2. Prosa brasileira: Clarice Lispector e Hilda Hilst
 Alegorias do inconsciente: uma leitura psicanalítica do texto de Clarice Lispector – Djulia Justen (M)
 Para uma Zoogramatologia Literária em A Maçã no Escuro, de Clarice Lispector – Rodolfo Piskorski (M)
 O porco/corpo e o unicórnio: Narrativa entre escatologias de Hilda Hilst – Luciana Tiscoski (D)
 A linguagem enquanto corpo “excrito” nas narrativas de Hilda Hilst – Rubens da Cunha [coord.] (D)
16:00 – 17:45
Auditório Henrique Fontes
Mesa 3. Poesia brasileira contemporânea
 Vida-caleidoscópio: o gesto biográfico em Paulo Leminski – Elisa Helena Tonon (D)
 Abecês da Poesia Leminskiana – Lizaine Weingärtner Machado (M)
 “Minha fama de mau”, “Chacal fa-tal, Chacal le-gal” e “Meu nome não é Chacal”: os três lados da moeda da crítica literária brasileira – Renata Gonçalves Gomes (M)
 Entre o público e o privado, a poesia de Francisco Alvim – Laíse Ribas Bastos [coord.] (D)
Sala Drummond
Mesa 4. Literatura brasileira e a cidade
 O subúrbio nos prefácios a Lima Barreto – José Carlos Mariano do Carmo (D)
 A literatura urbana – Patrícia Floriani Sachet (M)
 Monteiro Lobato: contista e editor – Juliana Cristina Garcia (M)
 Drummond: na estranha ordem geométrica de tudo – Daniel Soares Duarte [coord.] (D)
Sala Hassis
Mesa 5. Teopoética
 O Encarnado: de Maligno a Enganado – Estela R. S. de Oliveira (M)
 O Diabo na Literatura Brasileira Contemporânea – José Monteiro (M)
 Sagrado Pulmão de Jesus: a paródica realização literária do inferno alegórico cristão – Raphael Novaresi Leopoldo (M)
 A religiosidade na Guerra do Contestado – Marjorie Nunes Miranda da Rocha [coord.] (D)
17/08 – QUARTA-FEIRA
10:00 –12:00
Sala Drummond
Mesa 6. Ecos da Itália
 Entre sombra e luz: Dante e Montale em perspectiva – Anna Fracchiolla (D)
 Algumas aparições de Dante nas Galáxias. Para além das dicções e gramaticalizações de um fantasma – Diego Cervelin (M)
 Leonardo Sciascia: diálogos entre a literatura e a história – Maria Amelia Dionisio (M)
 Pier Paolo Pasolini e Murilo Mendes: inquietar-se diante das imagens – Vinícius Nicastro Honesko [coord.] (D)
Sala Hassis
Mesa 7. Literatura, discurso e hipertextualidade
 As vozes de/em Obama: a construção de uma narrativa a serviço da legitimação de um sujeito/candidato – Tiago Costa Pereira (M)
 Literatura em meio digital: um olhar sobre o leitor das narrativas hipertextuais – Emanoel Cesar Pires De Assis (D)
 Desfiar mais que bordar: o percurso de transgressão de Yarina – Gabriela C. Carvalho (M)
 Personagens em trânsito nas fabulações do inumano – Raquel Wandelli [coord.] (D)
14:00 –15:45
Sala Hassis
Mesa 8. Literatura e crítica brasileira
 João Grilo: o arlequim de Suassuna – Égide Guareschi (M)
 A idéia quando ginga: meneios da malandragem na ensaística de José Miguel Wisnik – Simone do Rocio Cit (D)
 Refúgio de onça: a escrita selvagem em “Meu Tio o Iauaretê”, de Guimarães Rosa – Ana Paula Pizzi (M)
 Guimarães Rosa, Bogotá: “Uma hipótese imaginária” – Byron Vélez [coord.] (D)
Sala Drummond
Mesa 9. Infância, HQ e educação
 Corpo, poesia e performance na infância – Rosetenair Feijó Scharf (D)
 Literatura brasileira contemporânea e a formação do leitor no Ensino Médio- Bianca Buse (M)
 Algo, nada, algo: poesia e histórias em quadrinhos – Rafael Soares Duarte (D)
 Políticas da imagem em histórias em quadrinhos – Alexandre Linck Vargas [coord.] (D)
16:00 –18:00
Sala Drummond
Mesa 10. Literatura, performance e dramaturgia
 O máximo com o mínimo: a cena minimalista de Samuel Beckett – Fernando Mesquita de Faria (D)
 O percurso do grupo teatral Living Theatre pelo Brasil – Roberta Cantarela (D)
 Erotismo e exílio no Retrato de La lozana andaluza- Marcos Mendes – (M)
 Uma análise da palavra como agente parasitário na literatura de William Burroughs – Alexsandre Adir de Souza (Aleph Ozuas) [coord.] (D)
Sala Hassis
Mesa 11. Estética e filosofia
 Gonçalo M. Tavares: escrita, ensaio e corpo alterado – Júlia Studart (D)
 Uma perspectiva nietzscheana para a poesia de Roberto Piva – Ibriela Bianca Berlanda (D)
 Nômade – pós-moderno ou intempestivo? – Giórgio Zimann Gislon (M)
 A dança no Mundo Perdido de Flavio de Carvalho – Larissa da Mata [coord.] (D)
18/08 – QUINTA-FEIRA
9:00 – 10:30
Auditório Henrique Fontes
Mesa 12. Crônicas
 A voz da escrita: relações entre texto e voz na irradiação das crônicas de Osmar Silva – Bruno Henrique Nichel (M)
 Brasilidade de Euclides da Cunha, segundo o jornal de província – Caroline Gonzatto (M)
 Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua! – Marta Eymael Garcia Scherer [coord.] (D)
Sala Hassis
Mesa 13. Música
 Há muitas e muito poucas palavras: a poética de Arnaldo Antunes em As Coisas – Fabiana Carmen Carneiro (M)
 Música popular: a invenção e contravenção do Brasil – Gabriel Veppo de Lima (M)
 Euforia civilizada: a experiência da modernidade na lírica da bossa nova – André Rocha Leite Haudenschild [coord.] (D)
10:45 –12:00
Auditório Henrique Fontes
Mesa 14. Periodismo cultural
 Escrínio, de Andradina de Oliveira, um periódico feminino no Rio Grande do Sul – Rosa Cristina Hood Gautério (D)
 Arquivo Revista do Livro: primeiras escolhas – Fernando Floriani Petry (D)
 Das páginas da Revista Orpheu aos projetos literários de Fernando Pessoa e Mário de Sá –Carneiro – Jair Zandoná [coord.] (D)
Sala Hassis
Mesa 15. Literatura e arte argentinas
 Ferreira, Ferrari: ficções do exílio – Artur de Vargas Giorgi (D)
 Desejo/Invenção/Traição: o jogo de Roberto Arlt. Uma re-leitura de “El juguete rabioso”- Gastón Cosentino (M)
 A incompletude do homem na perspectiva do axolotl – Ana Carolina Cernicchiaro [coord.] (D)
14:00 –15:45
Auditório Henrique Fontes
Mesa 16. Memória e Inventário
 O inventário como provocação à história da literatura – Kelvin Falcão Klein (D)
 A escritura de um “Compilador” – Raquel Cardoso de Faria e Custódio (D)
 Saudade do quando: no tempo das “memórias inventadas” – Adris A. de Almeida (M)
 Paramnésia, ou o outrora como ausência no presente: Macedonio Fernández – Davi Pessoa Carneiro [coord.] (D)
Sala Drummond
Mesa 17. Literatura e cultura africanas
 Pura mistura: Alteridentidades Lusafricanas – Sandro Brincher (M)
 “Na minha casa todo mundo é bamba”: polifonia diaspórica e atlântico negro na obra de Martinho da Vila (1969 – 2010) – Edelu Kawahala (D)
 As margens da experiência: Os miúdos e os mais-velhos na narrativa de Ondjaki – Jane Rocha (M)
 Entre tralhas e traumas de guerra: O gesto testemunhal da escritora Paulina Chiziane – Tiago Ribeiro dos Santos [coord.] (D)
16:00 – 17:45
Auditório Henrique Fontes
Mesa 18. Guerra e ditaduras
 Espiritualismo e militância na revista “A Ordem” – Leonardo D’Avila de Oliveira (D)
 Do campo institucional ao campo de produção cultural: periódicos brasileiros em tempos de Ditadura – Regiane Regis Momm (D)
 Os partigiani de Beppe Fenoglio – Leonardo Rossi Bianconi (M)
 Máscaras, recalques e memórias de guerra – George França [coord.] (D)
Sala Hassis
Mesa 19. Cinema e televisão
 Terra em Transe e Tropicália: um diálogo entre Glauber e Caetano – Bruna Machado Ferreira (M)
 Margens e imagens acreanas em Amazônia… (Uma leitura da minissérie Amazônia: De Galvez a Chico Mendes) – Maria de Nazaré Cavalcante de Sousa (D)
 O que há de sadiano no cinema – Edson Burg (M)
 Rio de Janeiro e Paris: imagens cinematográficas da periferia – Giovana Aparecida Zimermann [coord.] (D)
18:00 –20:00
Auditório Henrique Fontes
CONFERÊNCIA:
A História e a Teoria Literárias entre nós
Prof. Dr. Luiz Costa Lima (UERJ/ PUC-RJ)
Apresentação: Prof. Dr. Sérgio Medeiros (UFSC)
Lançamento do livro Escritos de Véspera, de Luiz Costa Lima, pela Editora da UFSC.
Tags: PGLseminário

Professor da UFSC abre 1º Seminário em Gestão de Educação Linguística de Fronteira no Mercosul

07/07/2011 16:05

Fotografia: Wanderley Pessoa - retirada do site do Ministério da Educação (MEC)

O 1º Seminário em Gestão de Educação Linguística de Fronteira no Mercosul (GELF) será realizado nos dias 20, 21 e 22 de julho, na cidade de Foz do Iguaçu, no Campus da UNIOESTE. As discussões contarão com profissionais da Espanha, Estados Unidos, México, Uruguai, Paraguai e Brasil que atuam na área da educação e da cultura. Questões ligadas ao plurilinguismo, à interculturalidade e à gestão da educação linguística da fronteira vão pautar o três dias do evento.

O professor Gilvan Müller, do Departamento de Língua e Literatura Vernáculas (DLLV) da Universidade Federal de Santa Catarina, e atual diretor executivo do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) fará a palestra de abertura sobre o tema “As Fronteiras do Mercosul e a sua dinâmica sociolinguística”.

Outras informações pelo site www.seminariogelf.blogspot.com.

PROGRAMAÇÃO

20 DE JULHO, QUARA-FEIRA

8h – Abertura

8h30 – 12h30 – As Fronteiras do MERCOSUL e a sua dinâmica sociolinguística

Professor Gilvan Müller (Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e Instituto Internacional da Língua Portuguesa – IILP)

14h – 18h – Bilinguismo e Interculturalidade: aspectos teóricos e realidades Latino-Americanas

Professor Hainer Enrique Hamel (Universidad Autónoma Metropolitana – Unidad Iztapalapa – México)

21 DE JULHO, QUINTA-FEIRA

8h30 – 12h30 – As práticas do ensino bilíngue: Guarani/espanhol e espanhol/português

Professora Lilian Pritz Nilsson (Ministério de Cultura e Educacíon de Misiones – Argentina)

Professor John Lipski (The Pennsylvania State University)

Gabriela Clara Casal (Departamento de Segundas Lenguas e Lenguas Extrangeiras do CEIO – Consejo de Educacíon Inicial y Primaria – Uruguay)

Professor Lino Trindad Sanabria (Universidad Nacional de Asuncíon – Paraguay)

14h – 18h – Intercompreensão Românica e sua potência para o MERCOSUL

Professora Dolores Alvarez (Direção da promoção e ensino das línguas – União Latina)

Manuel Tost (Universidad Autónoma de Barcelona – Espanha)

22 DE JULHO, SEXTA FEIRA

8h30 – 12h30 – A educação na fronteira e as Escolas Interculturais Bilíngues: modelo, funcionamento e potencialidade no quadro do SEM

Professora Rosângela Morello (Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Linguística – IPOL e Universidade de Sul de Santa Catarina – UNISUL)

14h – 17h – Mesa-redonda

I) Elementos para uma Gestão do Plurilinguismo de Fronteira

Professores Dolores Alvarez, Gilvan Muller de Oliveira e Rosângela Morello

II) Síntese com análise estratégica pelos participantes

17h – Encerramento

Tags: educação linguísticaGELFmercosulseminário

Seminário discute a lei de direitos autorais

08/06/2011 08:39

O Grupo de Estudos de Direito Autoral e Informação (GEDAI) da UFSC realiza no próximo dia 13 de junho, às 9h30min, na sala 301 do Programa de Pós-Graduação em Direito, Centro de Ciências Jurídicas (CCJ), o seminário sobre Direitos Autorais e Culturais com o tema “Por que revisar a Lei de Direitos Autorais?”. Participação dos professores Gonzaga Adolfo, Marcos Wachowicz e José Isaac Pilati.

A Lei atual foi editada sob o impacto das políticas ditadas pelos acordos comerciais da Organização Mundial do Comércio (OMC) criada em 1994, época na qual, ainda era incipiente o surgimento da Internet.

O objetivo do evento é que a sociedade e a comunidade acadêmica reflitam sobre o direito de autor, dentro do contexto da Revolução da Tecnologia da Informação. As obras intelectuais na Sociedade da Informação ganharam novos espaços, novas dimensões. É isso que deve ser repensado quando se quer buscar uma tutela adequada para o bem intelectual na Sociedade da Informação.

O processo de Revisão da Lei Autoral que o país vivencia será analisado pelos palestrantes, bem como se buscará uma consolidação de todos os estudos, pareceres e trabalhos realizados pelo GEDAI para ao final ser publicado, como forma de contribuição ao debate.

Informações pelos fones (48) 3721-9287 e 3721-6746 ou www.cpgd.ufsc.br e www.direitoautoral.ufsc.br.

Tags: direito autoralseminário

1º Seminário de Pesquisa do Grupo Tradução & Corpora (TraCor)

25/05/2011 13:14

Com o objetivo de divulgar as pesquisas que estão sendo realizadas sobre os temas “Estudos da Tradução” e “Tradução e Corpora”, será realizado nos dias 2 e 3 de junho o 1º Seminário de Pesquisa do Grupo Tradução & Corpora (TraCor) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo endereço http://www.tracor.ufsc.br/seminario/inscricao. As vagas são limitadas. O evento dará certificado de participação mediante inscrição prévia e assinatura do participante.

Os integrantes do TraCor são professores/pequisadores, graduandos, mestrandos e doutorandos interessados no uso de ferramentas de corpus para a investigação de fenômenos tradutórios, pesquisa terminológica e elaboração de atividades para a formação do tradutor.

Programação:

Dia 2 de junho de 2011

Local: Sala Hassis – CCE – B

14h – ABERTURA – Professor Lincoln Fernandes (PGET/PGI – UFSC)

14h20 – Grupo de Discussão 1: Estudos da Tradução: terminologia, legendagem, outras tecnologias e uso de corpus

Professora Comentarista: Ina Emmel (UFSC)

Duas traduções brasileiras da peça Pygmalion de Bernard Shaw: desafios da linguagem cockney – Luciane dos Santos Fortes (PGET); Criando um corpus paralelo bilíngue a partir de legendas de DVD – Thaís Collet (Mestranda PGET); Façanhas e Limitações da Tradução de Canção: Um estudo a partir de versões de Garota de Ipanema em quatro idiomas – Natanael França Rocha (PGET); Developing Corpus-Based Tools and Activities for Translator Education – Carlos Eduardo da Silva (PGI); A Representação de Termos da Área Legal em Legendas do Seriado Law and Order – Special Victims Unit: uma Análise à Luz dos Estudos Descritivos da Tradução – Eduardo Francisco Pereira (PGET).

15h40 – INTERVALO

16h – PALESTRA: Lilian Jurkevicz Fleuri

Professora Comentarista: Maria Lúcia de Barbosa Vasconcellos (PGET/PGI – UFSC)

Dia 3 de junho de 2011

Local: Auditório CSE

9h – Grupo de Discussão 2: Abordagens Textuais da Tradução e o Uso de Corpus

Professora Comentarista: Maria Lúcia de Barbosa Vasconcellos (PGET/PGI – UFSC)

A voz do tradutor interferindo na representação da personagem Jane Eyre: uma análise comparativa entre duas traduções para o português brasileiro do romance de Charlotte Brönte – Jerusa Regina dos Santos (PGET); Linguistics and The Language of Translation: Traduzido e Comentado – Rafael Martins (PGET); Context-based Text Typology Curriculum: a Pilot Study of Brazilian Portuguese Text Type – Edelweiss Vitol Gysel (PGET).

10h – INTERVALO

10h20 – Grupo de Discussão 3: O Uso de Corpus no Estudo de Literatura infanto-juvenil traduzida

Professor Comentarista: Markus Johannes Weininger (PGET – UFSC)

A tradução de intertextos na série Mundo de Tinta: um enfoque sobre a leiturabilidade – Adriana Maximino dos Santos (PGET); As gírias e expressões idiomáticas da série Harry Potter traduzidas: um estudo baseado em corpus – Caroline Reis Vieira Santos (PGET); Estudos da Tradução sobre Literatura Infantil: a retextualização de Flicts em Língua Inglesa – Danielle Amanda Raimundo da Silva (PGET); O dialeto caipira nos quadrinhos do Chico Bento – a ferramenta de corpus como suporte à tradução comentada. – Elisângela Liberatti (PGET); A Voz da Tradutora como Presença Discursiva na Tradução de ‘The Secret Garden’ – Jacinta Vivien Soares (PGET).

12h – ALMOÇO

14h – PALESTRA: Corpora as a Resource for Investigating the Linguistic Behavior of Professional Translators

Professora Convidada: Mona Baker (University of Manchester)

15h40 – ENCERRAMENTO

O Projeto TraCor (Tradução e Corpora), que se encontra ainda em fase de desenvolvimento, tem por objetivo principal oferecer corpora eletrônicos online que venham dar suporte empírico na investigação de fenômenos tradutórios. Além disso, o TraCor atua na produção de conhecimento científico e tecnológico que possa ser utilizado como ferramenta de auxílio à tradução, principalmente, no que se refere à formação de tradutores aprendizes.

Promoção do seminário:

Departamento de Língua e Literatura Estrangeiras (DLLE)
Programa de Pós-Graduação em Estudos da Tradução (PGET)
Programa de Pós-Gradução em Inglês (PPGI)

SERVIÇO:

Datas e horário: 2 de junho (14h às 18h) e 3 de junho (9h às 12h e das 14h às 16h)

Local: 2 de junho (Sala Hassis – Térreo – CCE B) e 3 de junho (auditório do CSE).

Informações: www.tracor.ufsc.br ou .

Tags: seminárioTraCortradução

BU promove I Seminário Anual CrossRef

25/05/2011 12:06

A Biblioteca Universitária realiza nesta quinta-feira (26), às 9 horas, o I Seminário Anual CrossRef  no auditório da Biblioteca Central. O objetivo do evento é promover o intercâmbio entre os usuários do sistema DOI® – importante sistema internacional na identificação de produção científica – em todas as regiões do país, ligando seus usuários aos conteúdos acadêmicos, além de difundir a gestão de informação cientifica on-line.
(mais…)

Tags: BUCrossRefseminário

Seminário “Mídia, Educação e Subjetividade” na UFSC

23/05/2011 11:47

Durante os dias 26 e 27 de maio o auditório da Reitoria vai sediar o I Seminário “Mídia, educação e subjetividade”. O evento é organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, PPGEGC, da UFSC. As inscrições para participação nas palestras são gratuitas, mas limitadas, e podem ser feitas pelo site http://www.egc.ufsc.br/seminario .
(mais…)

Tags: mídiasemináriosubjetividade

1º Seminário Brasil-Argentina de Pesquisa e Investigação em Jornalismo

11/05/2011 08:12

Estão abertas a partir de hoje, 11 de maio, as inscrições para o 1º Seminário Brasil-Argentina de Pesquisa e Investigação em Jornalismo. O evento será nos dias 09 e 10 de junho na Universidade Federal de Santa Catarina. As inscrições, gratuitas e limitadas a 150 vagas, podem ser feitas através do site www.bapijor.ufsc.br, onde também estão disponíveis mais informações e a programação completa.
(mais…)

Tags: éticajornalismoseminário

Seminário internacional apresenta projeto de apoio à gestão da costa

05/05/2011 08:05

O Programa de Pós-Graduação em Geografia e o Laboratório de Oceanografia Costeira da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promovem o Seminário Internacional Metodologias e Ferramentas de Apoio à Gestão da Costa (Integração Brasil – Espanha), no dia 13 de maio, das 8h30 às 12h, no auditório do Centro Sócio-Econômico (CSE).

O evento tem como objetivo divulgar o projeto estabelecido na cooperação técnica internacional entre o Brasil e a Espanha. O projeto é baseado na transferência de metodologias e ferramentas numéricas de modelagem de terreno para o gerenciamento costeiro brasileiro, utilizando a ferramenta SMC – Sistema de Modelagem Costeira.

Busca também alcançar outras instituições acadêmicas brasileiras, além das que já estão no projeto, bem como instituições públicas responsáveis pela gestão da costa no Brasil, a fim de ampliar as parcerias brasileiras e de se construir um arranjo institucional para o fomento, manutenção e difusão.

Palestras

8h30min – 9h – El Instituto de Hidráulica Ambiental de la Universidad de Cantabria (IH-Cantabria) (IHC- prof. Raúl Medina)

9h10min – 10h – Sistema de Modelagem Costeira Brasileiro SMC- Brasil (IHC- prof. Mauricio González)

10h – 10h30min – Intervalo

10h30min – 11h10min – Experiencia española en obras de protección costera y actuaciones en la costa (MMA/España – Dr. Jordi Galofré)

11h20min – 12h – Futuros retos de investigación en zonas costeras: Avaliação do Impacto das Mudanças Climáticas. Avaliação da periculosidade e risco de derrames de hidrocarbonetos, Energías renovables (IH-Cantábria – prof. Raúl Medina)

Outras informações pelo telefone (48) 3721-9286.

Margareth Rossi/Jornalista da Agecom

Tags: gestão da costaseminário

Seminário gratuito reúne especialistas para debater energia limpa

01/04/2011 09:47

Fontes alternativas na matriz energética da América Latina; novos desafios com a Política Nacional de Resíduos Sólidos e as possibilidades de uso da energia solar na Copa de 2014 estão entre os assuntos que serão debatidos durante o Seminário Energia Limpa: Conhecimento, Sustentabilidade e Integração – Ideias energéticas e ambientais para o futuro da América Latina. O encontro será realizado nos dias 4 e 5 de abril, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. As inscrições são gratuitas.

Além de mesas-redondas, palestras e debates, está previsto o lançamento da terceira edição do concurso de monografias sobre Energias Renováveis e Eficiência Energética – Eco_Lógicas. O evento é aberto ao público e as inscrições poderão ser feitas nos dias do seminário, no próprio Centro de Cultura e Eventos, a partir das 17 horas. Será fornecido certificado, totalizando 14 horas de atividade de extensão.

A promoção é do Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina (Instituto Ideal), entidade com sede em Florianópolis, que busca fomentar as energias renováveis junto ao poder público, meio acadêmico e empresarial. A direção técnica é da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Mais informações: (48) 3234-1757, ou http://www.institutoideal.org.

Confira a programação:

Dia 4 de abril – Abertura (19h)

– Mesa-redonda Fontes alternativas na matriz energética da América Latina: já estamos preparados?
Ricardo Baitelo, coordenador da campanha de energia do Greenpeace Brasil
Cícero Bley, superintendente de Energias Renováveis da Itaipu
Regina Migliori, consultora em Cultura de Paz da Unesco e coordenadora do Núcleo de pesquisas do Cérebro e da Consciência vinculado ao Instituto Migliori
Américo Tunes, diretor de Florestas e Vice-Presidente do IBAMA

Moderação: Paula Scheidt (GIZ)

Dia 5 de abril – Manhã (9h)

– Conhecimento, Sustentabilidade e Integração na América Latina
Prof. Enio Luiz Pedrotti, secretário de relações institucionais e internacionais da UFSC, representando a Associación de Universidades Grupo Montevideo
Carmelo Benitez, do Parlamento do Mercosul
Federico Gomensoro, secretário-geral do Centro de Formação para Integração Regional (CEFIR) do Uruguai
Representante do Escritório Regional de Ciência da UNESCO para América Latina e Caribe
José Baltazar S. Andrade Guerra, coordenador do Consórcio de Universidades Européias e Latino-Americanas em Energias Renováveis (JELARE) – UNISUL – Brasil
Mauro Passos, presidente do Instituto Ideal

11h 45min – Lançamento do Concurso ECO_lógicas

14h – Fechando o ciclo da produção: menos consumo, menos lixo e mais energia
Palestra Lixo: novos desafios com a Política Nacional de Resíduos Sólidos – consultor em desenvolvimento sustentável, Walfrido de Assunção Ataíde

Palestra A experiência de Maldonado na geração de biogás em aterro sanitário – engenheiro da prefeitura municipal de Maldonado (Uruguai), Sebastián Bajsa

·Palestra Consumo Consciente – Ações individuais para o bem do planeta – consultor do Instituto Akatu, Carlos Alberto de Faria Gaspar

16h30min – Geração Fotovoltaica, a luz que falta na nossa matriz energética

Palestra Sol: vamos fazer uma Copa Brilhante? – Professor do LabSolar/UFSC, Ricardo Rüther
Palestra Eletricidade solar aqui e agora – Projeto Megawatt Solar – Engenheiro da Eletrobras Eletrosul , Rafael Takasaki

19h Palestras de encerramento Energia Eólica, a bola da vez das fontes alternativas
Projetos de geração eólica na prática: a experiência da Eletrobras Eletrosul – Ronaldo Custódio, diretor de engenharia da Eletrobras Eletrosul

Ventos: panorama e perspectivas para a geração eólica no país – Lauro Fiuza, vice-presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica)

Tags: energia limpaInstituto Idealseminário

Educação Intercultural e Infância Indígena é tema de seminário

25/11/2010 17:40

O Núcleo de Estudos de Povos Indígenas (NEPI) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove de 29 de novembro a 3 de dezembro o Seminário de Educação Intercultural e Infância Indígena. O evento visa oportunizar o debate e a troca de experiências entre pesquisadores com estudos e experiências de campos diferentes no Brasil e na Argentina. O seminário é aberto ao público acadêmico, professores e interessados na temática indígena, especialmente na educação da criança indígena.

Inscrições e informações podem ser obtidas pelo e-mail . O certificado de participação tem carga horária de 20 horas e será entregue das 18h ás 19h, no Hall de Entrada do CFH, Bloco D.

Programação:

Dia 29/11 – segunda-feira

Das 19h às 21h

Local: Sala 325 – CFH

Aula Aberta: Sílvio Coelho dos Santos e a Antropologia no Sul do País

Ministrante: Maria José Reis – UNIVALI – NEPI/UFSC

Coordenação: Edviges Oiris – NEPI/UFSC

Dia 30/11 – terça-feira

Das 12h às 14h

Local: NEPI – Sala 313 – Departamento de Antropologia

Inscrições: Luisa Bonetti e Fernando Moura

Das 14h às 18h

Local: Sala 111 – CFH – Bloco D

Aula Aberta do PPGAS: Questões atuais dos estudos de infância indígena no Brasil

Ministrante: Antonella Tassinari – NEPI/PPGAS/UFSC

Colaboradora: Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires

Dia 1/12 – quarta-feira

Das 14h às 16h

Local: Sala Carolina Bori – CFH/Psicologia

Mesa-Redonda: Educação Cultural e Diversidade Lingüística

Palestrantes Convidadas:

Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires: Educación Intercultural Bilingue en Argentina

Cristiana Tramonte – MOVER/UFSC: Educação Intercultural e Diversidade Linguística no Brasil

Debatedora: Beleni Salete Grando – COEDUC/UNEMAT – PPGAS/NEPI/UFSC

Das 16h30 às 18h30

Mesa-Redonda: Experiências em Educação Intercultural Indígena

Palestrantes Convidados:

Marcos Alexandre Albuquerque – NEPI/UFSC: Consenso e Dissenso: os Pankararu e a Educação Intercultural na Cidade de São Paulo.

Beleni Saléte Grando – COEDUC/UNEMAT – PPGAS/NEPI/UFSC: Para além do Esporte: práticas corporais e educação nos Jogos dos Povos Indígenas

Debatedora: Edviges Ioris – NEPI/PPGAS/UFSC

Dia 2/12/ – quinta-feira

Das 14h às 16h

Local: Carolina Bori – CFH – Depto de Psicologia

Mesa-Redonda: Criança Indígena e Educação Escolar

Palestrantes Convidadas:

Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires: Niñez, socialización y cambio lingüístico en niños indígenas de contextos urbanos

Antonella Maria Imperatriz Tassinari – NEPI/PPGAS/UFSC: A Sociedade contra a escola

Debatedor: Gabriel Coutinho Barbosa – PPGAS/UFSC

Das 16h30 às 18h30

Mesa-Redonda: Experiências em Educação Indígena

Palestrantes Convidados:

Melissa Santana de Oliveira – ISA – NEPI/UFSC: Entre Estrelas e Pimentas: projetos de educação indígena no Rio Negro

José Antonio Kelly Luciani – PPGAS/UFSC: A escola como socialidade adicional: algumas reflexões sobre o lugar da escola entre os yanomami da Venezuela

Debatedora: Evelyn Martina Schuler Zea – NEPI/PPGAS/UFSC

Dia 3/12/10 – sexta-feira

Das 14h às 18h

Local: sala 111 – CFH – Bloco D

Aula Aberta do PPGAS: Niñez y Alteridad. Problemáticas Contemporáneas en los estudios con niños indígenas de Argentina

Ministrante: Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires

Tags: Brasil e ArgentinaNEPIpovos indígenasseminárioUFSC

Seminário Ciência Política Informada Historicamente

25/11/2010 16:03

O evento será realizado no miniauditório do Centro Sócio-Econômico (CSE), no dia 26 de novembro, em duas sessões: 10h30minh e 18h30. Promoção: Núcleo de Estudos do Pensamento Político (NEPP/PPGSP) e Curso de Ciências Econômicas. Gratuito e aberto ao público.

Programação:

Mesa 1 – 10h30min
Comparação, história e teoria
Renato Perissinotto (PPGCP/UFPR)

O modo teórico de produção teórica do marxismo estruturalista
Adriano Codato (PPGCP/UFPR)
Debatedor: Tiago Losso (NEPP/UFSC)

Mesa 2 – 18h30min

Esboço de uma disciplina em crise: a disputa metodológica na Ciência Política Norte-Americana
Christina Andrews (UNIFESP)

Teoria Política: um balanço provisório
Javier Amadeo (UNIFESP)

Debatedor: Ricardo Silva (PPGSP/UFSC)

Informações:

Tags: ciência políticaCSEseminárioUFSC

Florianópolis e Santo Amaro da Imperatriz sediam III Seminário Internacional de Gestão Social de Bacias Hidrográficas

23/11/2010 09:56

A Universidade Federal de Santa Catarina, através do Grupo Transdisciplinar de Pesquisas em Governança da Água e do Território – GTHIDRO, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental e do Comitê de Gerenciamento da Bacia do Rio Cubatão-Sul, promove nos próximos dias 25 e 26 o III Seminário Internacional de Gestão Social de Bacias Hidrográficas, em Florianópolis, no auditório Professor João Ernesto Castro (Engenharia de Produção), na UFSC e em Santo Amaro da Imperatriz,  no Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

O objetivo, segundo os organizadores, é o de apresentar às comunidades de Bacias novas idéias geradas no continente a partir de comunidades e grupos de pesquisas comprometidas com o avanço da efetividade da gestão social da água e do território, compreendidos como bens comuns da humanidade e bens públicos de sociedades nacionais. Neste Seminário vamos escutar jovens estudantes da Bacia do Rio Cubatão-Sul proporem a criação e implementação do primeiro instrumento para a Gestão Social da Água, a Rede de Educação Ambiental da bacia.

Os pesquisadores convidados vão compartilhar experiências sobre nova lei nacional de águas do Québec e a estrutura de governança local do Comitê do Rio Saint-François; o papel dos comitês sociais na governança de bens comuns, com base nas teorias de Elinor Ostrom, Prêmio Nobel de Economia de 2009; e a construção do espírito da Lei Brasileira de Águas pelo Comitê Cubatão e a proposição de hierarquização social dos instrumentos da Política Nacional de Recursos Hídricos. As inscrições são gratuitas.

Para programação acesse: http://www.gthidro.ufsc.br/iiisigsb/programacao

http://www.gthidro.ufsc.br/iiisigsb/iii-sigsb-inscricao

Mais informações com Thaianna Cardoso, fones (48) 9938-8798 / (48) 3721-7736.

Tags: bacias hidrográficasGTHIDROseminário

Seminário discute políticas de prevenção e respostas pós-enchente de 2008

22/11/2010 11:33

Acontece nesta segunda-feira, 22 de novembro, ”, no bloco J da (Furb). o seminário estadual “Sociedade e Meio Ambiente: ações e políticas de prevenção e respostas pós-desastre 2008A data marca dois anos da enchente ocorrida na região de Blumenau. O evento é promovido pela UFSC e Furb, as inscrições são gratuitas e podem ser realizadas no local no seminário.

A abertura oficial começa às 14h e apresenta exposições relacionadas à sociedade e ao meio ambiente. A professora Maria Lucia Hermann, do departamento de Geociências da UFSC, vai traçar um panorama dos desastres em Santa Catarina. Ainda sobre a mesma temática, os professores Rosana Freitas e Antônio Mattedi, da UFSC e Furb, respectivamente, vão expor sobre prevenção e respostas às situações de desastre e dimensão social do impacto de 2008.

Um debate encerra o primeiro tema e às 18h iniciam-se as apresentações sobre a “Trajetória da América Latina, Brasil e Santa Catarina frente às ações de prevenção e respostas às situações de desastres”. Discussão internacional e nacional sobre ações preventivas e de respostas, gestão de risco, demandas e desafios ao trabalho interdisciplinar são as exposições programadas para a segunda parte do evento.

Mais informações pelo e-mail , da professora Rosana de Carvalho Martinelli Freitas, ou pelo telefone do departamento de Serviço Social da UFSC, (48) 3721-9540.

Por Claudia Mebs Nunes / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: desabamentosdesastresdesastres naturaisenchentessemináioseminário

I Seminário Estadual de Política Municipal de Habitação de Interesse Social

22/11/2010 11:06

Será realizado nos dias 30 de novembro e 1° de dezembro o II Seminário Estadual de Política Municipal de Habitação de Interesse Social. O encontro acontece no Centro de Eventos de Florianópolis (Centro Sul), em paralelo ao  Congresso de Municípios de Santa Catarina. Entre as instituições que apóiam o evento está o Programa de Pós-Graduação em Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade (PGAU-Cidade) da UFSC.

A conferência de abertura será ministrada pela professora Erminia Maricato, no dia 30 de novembro, terça-feira, entre 17h e 18h, seguida de debates. Ermínia Maricato é arquiteta e urbanista, professora titular da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Foi Secretária de Habitação e Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo (gestão Luiza Erundina, 1989/1992), Ministra Adjunta das Cidades (gestão Olivio Dutra, 2003/2005), consultora ad-doc da Finep, Capes, CNPq, Fapesp e também de inúmeras prefeituras no Brasil e no exterior, além de ter formulado a proposta de criação do Ministério das Cidades.

A professora recebeu o Prêmio Juan Torres Higuerras da Federação Panamericana de Associações de Arquitetos, em 2006, o Prêmio Arquiteto do Ano 2007 da Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas. É membro do Human Settlemente Advisory Board – United Nation Habitat (2009).

O II Seminário Estadual de Política Municipal de Habitação de Interesse Social é promovido pela Federação Catarinense de Municípios (Fecam), Cohab/SC e pela CAIXA, com apoio da Federação das Associações de Moradores de Santa Catarina (Famesc), Instituto dos Arquitetos do Brasil-SC, Conselho Regional de Serviço Social e Programa de Pós-Graduação Urbanismo, História e Arquitetura da Cidade/ARQ/UFSC, Conselho Estadual das Cidades/SC e Associação dos Municipios-SC. Realização da Escola de Gestão Pública Municipal (EGEM).

Para mais informações e para efetuar a inscrição (gratuita e limitada), entre em: http://eventos.fecam.org.br/hotsite/home/index.php?cod_cliente=1&cod_evento=566

Tags: habitaçãoseminário