Site Cotidiano volta a ser atualizado

21/03/2011 16:43

O site de jornalismo www.cotidiano.ufsc.br volta a ser atualizado a partir desta segunda-feira, dia 21. O site, uma iniciativa do Núcleo de Televisão Digital Interativa da UFSC e vinculado ao Departamento de Jornalismo, é um projeto de extensão para a experimentação de novos formatos em jornalismo online. A proposta é utilizar os recursos da hipermídia, reunindo texto, áudio e vídeos para veiculação de informações ligadas à UFSC e de interesse da comunidade universitária.

Na nova fase, o Cotidiano vai privilegiar a produção de hipermídias especiais, bem como estender a cobertura fotográfica de fatos e notícias. O projeto é coordenado pelos professores Maria José Baldessar e Samuel Pantoja Lima, com a participação de seis estagiários do Curso de Jornalismo.

Outras informações pelo e-mail ou pelo telefone (48) 3721-9529.

Acompanhe no Twitter: @cotidianoufsc

Tags: site CotidianoUFSC

Documentário ‘Identidade Jovem’ no Teatro Álvaro de Carvalho

21/03/2011 15:00

Será lançado no dia 24 de março, quinta-feira, às 19h30min, no Teatro Álvaro de Carvalho, o filme documentário “Identidade Jovem: A Formação Humanista dos Jovens como Garantia de Sustentabilidade, Identidade e Protagonismo Civil”. O projeto prevê lançamentos e exibições em diversas cidades brasileiras. A entrada é gratuita.

O projeto foi realizado com o apoio da Lei de Incentivo à Cultura do Ministério da Cultura. O documentário é uma provocação sobre a importância da função dos líderes, educadores e genitores na formação do jovem e uma proposta de formação humanista que possa dar resposta ao jovem que busca encontrar e atuar a sua identidade. Apresenta entrevistas com importantes nomes do cenário da educação, como o senador Cristovam Buarque, o representante da UNESCO no Brasil Vincent Defourny e o diretor-geral adjunto da UNESCO para educação, além de jovens, pais e educadores do Brasil e do mundo.

Outras informações pelo endereço www.tac.sc.gov.br/ ou pelo e-mail .

Tags: documentárioidentidade jovemTAC

Pós em Nutrição abre inscrições para mestrado

21/03/2011 10:46

A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Nutrição da UFSC abriu nesta segunda-feira, dia 21, as inscrições para o processo de seleção de candidatos às vagas de mestrado com início em agosto de 2011. Podem se inscrever profissionais com graduação universitária, bacharelado ou licenciatura plena, de acordo com os critérios estabelecidos pelo Programa. O edital está disponível em http://ppgn.ufsc.br/inscricao-e-selecao/.

As inscrições devem ser feitas até 20 de abril, na secretaria do Programa de Pós-Graduação em Nutrição, Centro de Ciências da Saúde (CCS), no andar térreo, das 8h30min às 11h30min e das 14h às 16h30min, ou via entrega postal rápida (Sedex ou similar) endreçado à Coordenadoria do Programa de Pós-Graduação em Nutrição – CCS – Universidade Federal de Santa Catarina. Campus Universitário, Trindade, Florianópolis-SC, CEP 88040-970.

Informações: http://www.ppgn.ufsc.br, ou (48) 3721-5138.

Tags: inscriçõesmestradonutrição

Pós em Literatura promove aula inaugural com o português Hélder Macedo

21/03/2011 10:19

O Programa de Pós-Graduação em Literatura da UFSC promove na próxima segunda-feira, dia 28, às 14h, no auditório Henrique Fontes, CCE/B, aula inaugural com Hélder Macedo, poeta, romancista, ensaísta, crítico e investigador literário, sobre o tema “Leituras de Cesário Verde e Fernando Pessoa”. Na terça, dia 29, às 16h, no auditório Aroeira, Centro de Eventos da UFSC, será realizado o Colóquio “Helder Macedo e as Viagens do Olhar” com os professores Jane Tutikian (URGS), Laura Padilha (UFF), Maria Lúcia Dall Farra (UFS), Stélio Furlan (UFSC) e Teresa Cristina Cerdeira (UFRJ). Às 17h,  serão lançadas as revistas Travessia e Outra Travessia; e às 17h30, o romance Natália,  na Livraria Livros e Livros, no Centro de Cultura e Eventos.
(mais…)

Tags: aula inauguralHelder Macedo

II Semana Simbiosis

21/03/2011 08:46

A Simbiosis Empresa Júnior de Ciências Biológicas promove de 28 de março a 1º de abril, auditório do Centro de Ciências da Educação, a II Semana Simbiosis, que tem como principal objetivo divulgar as práticas, realizações e conquistas da empresa. As inscrições são gratuitas (os primeiros 60 inscritos ganham camisetas) e podem ser feitas na sede da empresa, terceiro andar da Farmacologia, prédios novos do CCB. Mais informações @simbiosisEJ, http://www.facebook.com/simbiosis, www.simbiosis.ufsc.br.


Tags: empresa júniorsemanaSimbiosis

UFSC vai participar da Semana Municipal do Livro Infantil

18/03/2011 19:45

Entre os dias 12 e 18 de abril serárealizada, em Florianópolis, a Semana Municipal do Livro Infantil, promovida pela Secretaria Municipal da Capital. Dentre os parceiros do evento, está a UFSC, que irá sediar, no dia 15 de abril, o 4° Seminário de Literatura Infantil e Juvenil:  “A leitura literária e a formação de leitores e mediadores de leitura”, no auditório do Centro de Ciências da Educação (CED) . No evento, a professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Glória Kirinus, fará a palestra “Quando os poetas pensam a Educação”, às 9h. O Seminário contemplará, também, a apresentação do Projeto Clube da Leitura: a gente catarinense em foco, da Secretaria de Educação de Florianópolis, às 14h.

Duranteo toda a Semana Municipal do Livro estão previstos lançamentos de obras, varal literário, diversas oficinas, espetáculos musicais e de contação de histórias, além de teatro.

O evento foi instituído em 2010, pela lei 8.125, para ser realizado na semana que abranger o dia 18 de abril, Dia Nacional do Livro e Dia do Nascimento do Escritor Monteiro Lobato. As escolas básicas e desdobradas da rede municipal de ensino estarão recebendo espetáculos promovidos pelo SESC. Um exemplo é o “Baú de histórias infantis”, formado por pequenos contos, histórias e poemas intercalados com músicas. Outra atração será “Estórias do meu planetinha”, que contempla contos com reflexões sobre o cuidado com o meio ambiente e o futuro dos seres vivos. No SESC Prainha haverá várias apresentações artístico-culturais pela manhã e à tarde, com entrada gratuita para as unidades educativas.

A Praça XV de Novembro será palco de um varal literário com poemas e crônicas. Os textos serão produzidos por crianças, adolescentes e profissionais das unidades educativas do município. Haverá também um varal literário na região do continente, promovido pela Biblioteca Pública Municipal Barreiros Filho, com produções das crianças que participarem das atividades no local durante a Semana.

Frankolino

Mesclando teatro de animação, contação de história e música, o espetáculo Causos do Frankolino entrelaça realidade e ficção para levar ao público histórias do imaginário popular relacionadas às crenças e costumes da herança cultural açoriana.

Durante a Semana do Livro, o espetáculo, baseado nas pesquisas do professor e folclorista Franklin Cascaes, será apresentado gratuitamente no Terminal de Integração do Centro (Ticen) e na Praça XV de Novembro. A promoção é da Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes. A narrativa é conduzida pelo boneco Frankolino, manipulado pela atriz e arte-educadora Andréa Rihl, e conta com apoio da atriz e musicista Carina Scheibe, do grupo de teatro Jabuti de Florianópolis.

Barca dos Livros

Na Lagoa da Conceição, a Biblioteca Barca dos livros receberá estudantes para sessões de leitura e narração de histórias. No local haverá ainda Oficina de Soldadinho de Papel e grupos de conversação em inglês, francês, espanhol, italiano, e alemão.

Calçada da Criança

Ao lado Catedral Metropolitana, a Rua Padre Miguelinho será transformada na Calçada da Criança, no dia 14 de abril, à tarde. Neste espaço lúdico haverá oficina de montagem de personagens em argila, a partir da obra Brincadeiras
Infantis na Ilha de Santa Catarina, da escritora Telma Piacentini.

Lançamento de livros

Na Câmara Municipal de Vereadores serão lançados dois livros. “É Tempo de Pão por Deus”, de Eliane Debus, marcado para o dia 14 de abril.  Com tradução de Tabajara Ruas e ilustração de Jandira Lorenz, no dia 18 de abril, será relançado “O Perseverante Soldadinho de Chumbo”, de Hans Christian Andersen.

Oficinas

O Núcleo de Tecnologia Municipal, ligado á Secretaria de Educação, estará realizando três oficinas para educadores de todas as redes de ensino. Uma delas é sobre Histórias em Quadrinhos e outra a respeito de Radionovela com base na literatura infantil.  A terceira oficina é de Brinquedos Óticos. As inscrições devem ser feitas pelo telefone 2106-5909 ou pelo endereço eletrônico: .

A Biblioteca Central da SME também realizará oficina de Contação de Histórias, com 25 vagas para bibliotecários, professores, auxiliares de ensino e auxiliares de sala. As Inscrições pelo telefone 2106-5907.

Na Biblioteca Municipal Barreiros Filho, no Bairro de Fátima, ocorrerá diversas atividades: exposição de livros e fotos, contação de histórias, varal literário, cinemateca, confecção de livros e teatro de fantoches.

O SESC de Santa Catarina é correalizador do evento. São parceiros da iniciativa a Fundação Franklin Cascaes, Barca dos Livros, Universidade Federal de Santa Catarina, Biblioteca Municipal Barreiros Filhos e unidades educativas.

Mais informações: Heliete S. Millack (Coordenadora da Semana Municipal do Livro): 2106-5911 e 9118-3923 ou na página do evento.

Tags: Florianópolisinfantillivrosemana municipal do livro

Representação de servidores técnico-administrativos no Conselho Universitário

18/03/2011 19:25

A Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (PRDHS) divulgou o Edital nº 001/PRDHS/2011 que convoca e abre inscrições para eleição dos representantes dos servidores técnico-administrativos em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no Conselho Universitário.

As inscrições dos candidatos devem ser feitas na Secretaria Geral dos Órgãos Deliberativos Centrais, no térreo da Reitoria, até 29 de março, das 8h às 12h e das 14h às 18h, sendo no dia 29/3 até às 17 horas. A eleição ocorre no dia 5 de abril.

Mais informações: (48) 3721-9030 ou  .

Chega às bancas Ecos no Porão, obra maior de Silveira de Souza

18/03/2011 19:03
Florianópolis é o cenário para uma legião de homenzinhos fazendo cooper com calções esdrúxulos, tristes velhos pederastas, velhinhos trovadores, desempregados, avozinhas, solteironas, aposentados, enfim, habitantes da vizinhança da Ilha onde pulsa um coração decrépito, murchando para a vida, que pode ser acordado de súbito por um pequeno incidente, a fuga de um canário ou uma rajada de vento. Mas Florianópolis não é mero pretexto para o quase octogenário escritor Silveira de Souza descrever o local onde nasceu e viveu. Mais do que isso, a Ilha é o “mundinho” onde se constituem essas “figurinhas ridículas” e apaixonantes do grotesco que vão ganhar dramaticidade e lirismo em Ecos no Porão, o segundo volume da antologia de contos de Silveira, que a Secretaria de Cultura e Arte e a Editora da Universidade Federal de Santa Catarina lançam na próxima terça-feira, dia 22 de março, às 10 horas, com a presença do autor, durante a Feira de Livros da UFSC e Liga das Editoras Universitárias, na Praça da Cidadania.

Esses habitantes ao mesmo tempo ordinários e excêntricos dos porões da ficção de Silveira, que podem estar no café, na Beira-Mar, na Praça XV, no Calçadão ou em quarto de hotel, carregam um traço em comum: todos experimentam o vazio da existência. Mas ao longo das 137 páginas são surpreendidos no automatismo banal do seu dia a dia urbano por sutis acontecimentos que anunciam possibilidades de passarem do mundinho para o “mundão” e conhecerem uma dimensão mais sublime da vida. E o que produz o acesso ao mundão? Uma sinfonia de Bethoven, um sonho ou um pesadelo, uma emoção inesperada, uma cena da memória, um abalroamento de carro, enfim, interferências mais ou menos perceptíveis que alteram o estado de coisas e, como em um poema hai kai, sugerem uma revelação.

Nem sempre os seres da Ilha percebem essas epifanias cujo deslinde o autor deixa a cargo da perspicácia e prazer do leitor, como anota bem o editor da obra, Sérgio Medeiros Vieira. “Em geral essas mudanças provocam os personagens momentaneamente, levando-os para a absoluta estranheza, mas não chegam a arrancá-los em definitivo do seu mundinho”, diz o diretor da Editora, que chama atenção para a delicadeza e a sofisticação da obra. É como se as possibilidades de sair do vazio estivessem por toda parte, mas os habitantes não se dispusessem a enxergá-las.

A exemplo do primeiro volume, Ecos no Porão II traz na capa a ilustração de um grande artista plástico catarinense, neste caso uma instalação de Fernando Lindote. Em papel pólen, a obra reúne três seleções do próprio autor dos livros Canário de assobio (1985), Relatos escolhidos (1988), Contas de vidro (2002) e ainda cinco contos inéditos, entre eles a narrativa metalinguística “Ecos no porão”, que dá nome à obra e traduz uma metáfora de Silveira para as deformações estilísticas da leitura dos escritores clássicos que inundam seu imaginário desde os dez anos de idade. Vendidas com desconto de 50% durante a Feira EdUFSC/LEU (R$ 15,00), que se estende até o dia 8 de abril, na Praça da Cidadania, os dois volumes apresentam-se, assim, no crivo do escritor e do editor, como o melhor da safra de Silveira.

Os personagens velhos passeiam por grande parte dos contos, mas assumem uma expressividade absoluta em “Vidraças partidas”, onde a decrepitude ganha um lirismo refinado na tentativa de sublimar o vazio através do amor sexual por um jovem. Todavia, em “O olho de Deus”, uma carta assinada aos efebos por mais um velho – funcionário público – aturdido pelo vazio, Silveira alcança um domínio da linguagem que fica à altura da ironia de Franz Kafka no conto “Convenção à Academia”.

Volta e meia Paulo, uma espécie de superego do autor passeia pelas narrativas. Ele mesmo um senhor de baixa estatura e calvo, e conversa franca e elevada, como o homenzinho de “olhinhos afiados” e “face rechonchuda” do conto “He, He, He, He!”, da coletânea Contas de vidro. Como se acometido de uma inspiração sublime, o baixote interrompe a reunião de engravatados executivos encafifados com o planejamento publicitário da empresa para contar um episódio bizarrísimo envolvendo os índios e índias tupinambás e Jean de Léry, missionário francês que narrou sua visita ao país por volta de 1557 na obra Le voyage au Brésil. Em seu relato aparentemente nonsense, o homenzinho exalta “um canto sublime, de extraordinária beleza”, que se produz inicialmente de um murmurante “he, he, he” entre os varões da tribo e contagia o coro das mulheres até assumir a proporção de um canto catártico. O personagem é calado pela perplexidade desdenhosa dos executivos, que retomam sua reunião sem se dar conta do caráter revelador da intempestiva história.

E assim, com sua habilidade inigualável com a língua, uma boa dose de humor e ironia e um olhar lírico para o grotesco, Silveira parece rir-se baixinho ao final de cada história onde reside uma possibilidade de revelação que nunca se entrega sem esforço do leitor… E é como se ouvíssimos os ecos longínquos do seu “he, he, he…” por trás de cada um dos 28 contos.

ENTREVISTA

A Ilha e seus habitantes na ficção de Silveira de Souza

Considerado pelo escritor Salim Miguel um dos maiores contistas brasileiros da atualidade, Silveira publicou O cavalo em chamas (Ática 1981) e Janela de varrer (Bernúncia, 2006). Como contista e tradutor de autores universais, participou ativamente do Grupo Sul, movimento que trouxe o Modernismo para Santa Catarina nos anos 40 e 50.  Aposentado do serviço público, desenvolveu sua carreira literária em meio à rotina de diversas funções, de professor de matemática do Instituto Estadual de Educação e da Escola Técnica Federal de Santa Catarina, a diretor da Divisão de Informação e Divulgação do Departamento de Extensão Cultural da UFSC. Também atuou no setor de editoração da Fundação Catarinense de Cultura como coordenador das Edições FCC. De mãos ágeis e tão falantes quanto seus contos, mais falantes do que ele próprio, Silveira, concedeu esta entrevista:

O que norteou esta seleção de contos do segundo volume de  Ecos no Porão e o que a diferencia do anterior?

— O plano geral que norteou a preparação de Ecos no Porão, volumes I e II, foi proporcionar uma seleção dos que considero meus melhores textos publicados em livros, desde 1960 até o presente. A única pequena diferença que existe no segundo volume, em relação ao primeiro, é que ele contém alguns relatos inéditos e outros que fizeram parte de coletâneas com outros autores.

Percebe-se em todos os contos uma consciente localização do cenário de Florianópolis que vai muito além do mero retrato ou panorama da cidade pelo escritor. Em que tipo de intenção estética se inscreve essa presença geográfica de Florianópolis na sua ficção?

— De fato, Florianópolis é o cenário de todos os relatos. Por não se tratar de um guia turístico, mas de um livro de ficção literária, o leitor não vai encontrar descrições pormenorizadas ou exaltações entusiásticas a respeito de suas paisagens e recantos pitorescos. O que existe são apenas brevíssimas indicações dessa geografia, integradas à ação e à mente dos personagens. Foi minha intenção que esses personagens se comportassem como habitantes de uma ilha, que a ilha fosse, indireta ou inconscientemente, um componente importante de sua psicologia. Creio que isso diferencia um tanto os meus relatos dos relatos de autores de outros estados.

Alguns elementos naturais marcantes de Florianópolis também são recorrentes na narrativa, como o vento, o mar, as aves. Parece que você dá aos elementos inumanos uma vida e uma participação muito mais específica e marcante do que a de mero cenário para expressão do universo humano…

— Pode ser algo ilusório, mas sempre achei que as ilhas, e em especial a nossa Ilha de SC, propiciam uma aproximação maior do universo humano com outros universos, como o universo de seres inumanos (o mar, os ventos) e o universo de outros viventes, como os peixes, as aves, os insetos, os pássaros, as árvores e os bosques.

Apesar da aparente banalidade de suas vidas, os personagens sempre ganham a possibilidade de uma anunciação ou de uma revelação. Nem sempre se dão conta dessas possibilidades e nem sempre elas têm a força de arrancá-los do seu mundinho… O que você diz sobre isso?

— Na verdade não sei se a minha vida é banal, ou se o mundo de minha literatura é banal. Faz algum tempo que deixei de qualificar as coisas. Quando às vezes tento fazer uma retrospectiva da minha vida até o momento, me dou conta que ela foi pontilhada de fases diversas e até mesmo contraditórias; uma, extremamente tumultuada, com muita bebida, fumaça, cortinas vermelhas e anarquias boêmias; outra (como na infância) cheia de descobertas maravilhosas; outra, tediosa e presa às obrigações sem muito sentido, que eu precisei encarar para poder comprar, como disse certa vez Tom Jobim, “o uisquinho das crianças”; e ainda outra (como presentemente), tranquila e voltada para o estudo e a meditação. Mas, banal ou não, houve algo em todas essas fases que me salvou de um mergulho na mediocridade absoluta: um interesse pela criação literária, que me acompanha desde a infância. Quanto a meus relatos literários os personagens em geral vivem nesse mundinho, sem heroísmos, sendo muitas vezes surpreendidos por (para eles) estranhas ocorrências que podem despertá-los para uma dimensão de suas vidas antes desconhecida.

Ainda que voltado para as delicadezas da existência e da alma, os contos sempre iniciam com cenas concretas, personagens que têm vida corpórea própria, para que depois se deem as abstrações e possibilidades de reflexões filosóficas. Está aí uma escolha estética consciente?

No meu caso, não houve escolha. O modo como escrevo os meus relatos foi nascendo naturalmente, seja como resultado de constante exercício, seja como uma visão muito pessoal do mundo (e da criação literária ou da criação de modo geral), que foi nascendo com a vivência e com as impressões causadas no contato com obras de grandes ficcionistas, com pinturas, músicas, revistas diversas, cinema, paisagens, pessoas, bichos, mil coisas.

E qual o lugar da velhice nos seus contos. Pode comentar que traço há em comum nesses personagens aparentemente reféns da solidão e da decrepitude?

O velho do conto Vidraças partidas (que considero o meu  conto melhor realizado) é um caso especial. Ele existiu, costumava passear pela Felipe Schmidt, de terno e gravata, nos anos 1960, usando um chapéu de feltro. Pensei nele, na sua figura, quando pintou o tema do relato, uma experiência de extrair algo lírico de um comportamento que normalmente se julga degradante.

Você  faz uma literatura ao mesmo tempo densa e econômica, como poucos contistas. Como chegou a essa síntese e que autores o influenciaram nessa escolha estética?

— Harold Bloom escreveu que toda a escritura é uma espécie de releitura. Se ele estiver certo, devo dizer que leio desde os dez anos de idade (estou hoje beirando os 78). Em todo esse tempo, passei por períodos de leitura em que determinado autor, às vezes determinados autores, monopolizavam a minha preferência. Posso citar alguns deles: Monteiro Lobato e Hans Christian Andersen, lá entre os dez e 12 anos. Depois, com o tempo, foram surgindo: Machado de Assis, Anton Checov, Dostoievski, Clarice Lispector, Kafka, Dyonélio Machado, Joseph Conrad, James Joyce, Thomas Mann, William Faulkner, Guimarães Rosa, Cortazar, Jorge Luis Borges, H.P. Lovecraft e mais alguns outros. Nem vamos falar de poetas, de compositores, de alguns desenhistas e pintores, e de alguns diretores de cinema. É provável que todos eles, de algum modo, tenham deixado alguma marca, numa frase, na estruturação de uma determinada estória, na caracterização de um dado personagem. Mas essa é uma praia para os críticos literários.

Alguns escritores, como Salim Miguel, o consideram o maior escritor catarinense da atualidade e um dos melhores contistas do Brasil. O que pensa disso?

— Não tenho como responder a isso. Mas devo dizer que, desde 1960, quando publiquei O Vigia e a Cidade, até agora, o propósito real ao escrever os meus relatos foi conseguir realizar algo que me satisfizesse interiormente, do ponto de vista de uma criação estético-literária. Nunca me interessou ser, como autor, maior ou menor, principalmente num momento em que Santa Catarina tem, residindo aqui e fora daqui, um conjunto de poetas e escritores de primeira linha, como o próprio Salim.

Texto e entrevista: Raquel Wandelli – assessora de comunicação da SeCArte/UFSC

e

Fones: 37219459 e 99110524

www.secarte.ufsc.br e www.ufsc.br

Tags: EdUFSCliteratura catarinense

Mostra de Documentários In (ter) disciplinados

18/03/2011 17:49

Primeira sessão exibirá o filme Jogo de Cena, de Eduardo Coutinho. Quinta, 24/03, às 18h30, no Auditório do CFH, com entrada franca. A Mostra é realizada pelo Núcleo de Antropologia Visual e Estudos da Imagem (Navi) e pelo Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPGICH) da UFSC.

Informações: 3721-9890.

Educação e identidade cultural dos pataxós é tema de exposição

18/03/2011 17:18

As fotos, feitas por Sonny Thoresen, estão vinculadas ao projeto de pesquisa “Índios no Sul da Bahia”, coordenado por Augusto Oliveira, doutorando no PPGAS da UFSC

Abre nesta segunda-feira, 21 de março, na Galeria da Ponte do CFH, a exposição fotográfica Ser pataxó: educação e identidade cultural, de Sonny Thoresen e Augusto Oliveira, doutorando no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social (PPGAS) da UFSC. A exposição é resultado da dissertação de mestrado de Augusto Oliveira.

As fotos, feitas pelo fotógrafo sueco Sonny Thoresen, estão vinculadas  ao projeto de pesquisa “Índios no Sul da Bahia”, coordenado por Augusto. A Aldeia Indígena Nova Vida-Fazenda Bahiana,  localizada a cerca de 18 km da sede do município de Camamu, é fruto de uma dissidência, ou cissiparidade, ocorrida na Reserva Caramuru-Paraguaçu para sair da violência a que estavam submetidos os indígenas na região dos municípios baianos de Itaju do Colônia, Pau Brasil e Camacã.

O processo histórico vivenciado pelo povo Pataxó pós-criação da Reserva Caramuru-Paraguaçu efetivou-se com a fusão de diversas etnias (grupos Baenã, Borun, Kamakã-Mongoyó, Kiriri-Sapuyá, Pataxó e Tupinikim) e mesmo de miscigenação com elementos étnicos não-indígenas mesclados como um único povo. Sua trajetória histórica comum caracteriza-se por uma postura de resistência e de sobrevivência física e cultural, em face à sociedade dominante e ao extermínio imposto pelo conquistador através de processos genocidas e/ou da convivência forçada com instituições nacionais voltadas para promover a segurança do processo colonizador, e edificação da sociedade e do território brasileiros como um todo homogêneo ou, noutras palavras, voltados para a política da integração nacional.

A Reserva foi criada pelo Decreto número 4081 de 19 de setembro de 1925, e pela Lei número 1916 de 09 de agosto de 1926, que lhe assegurava 50 léguas quadradas para gozo dos índios, e que menciona como tendo direito às terras os Tupinambá e Pataxó ou outros ali habitantes, fossem  Macro-Jê ou Tupi, compreendendo  o primeiro as etnias Baenã, Borun, Kamakã-Mongoyó, Kiriri-Sapuyá e Pataxó, e o segundo, a etnia Tupinikim. Cabe salientar que acreditava-se na possibilidade de haver outros grupos indígenas arredios ainda não conhecidos.

A exposição Ser pataxó: educação e identidade cultural é promovida pelo Núcleo de Antropologia Visual e Estudos da Imagem (Navi) e pelo PPGAS.

A Galeria da Ponte, localizada no segundo andar do prédio do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), é um espaço destinado a exposições fotográficas provenientes do trabalho de campo de pesquisadores.

Serviço:
Exposição fotográfica Ser pataxó: educação e identidade cultural
Local: Galeria da Ponte – CFH/UFSC
Visitação: de 21 de março a 22 de abril
Mais informações: Augusto Oliveira:

Tags: antropologiaíndios

Teatro da UFSC recebe reestreia da peça “Quatro”

18/03/2011 16:05

O Teatro da UFSC recebe a reestreia da peça “Quatro”, nos dias 18, 19, 20, 25, 26, 27 de março, de sexta-feira a domingo, sempre às 20 horas. Quatro é um texto escrito pelo dramaturgo catarinense Márlio Silveira da Silva, montado na década de 1990 pelo Grupo A, que reestreia este ano pelo Grupo Círculo com direção de Christiano Scheiner.

A peça narra a trajetória metateatral de quatro personagens em busca de satisfazer seus desejos mais íntimos, que se entrecruzam num jogo cômico e surreal. De maneira irônica e absurda, é um texto que trata da perseguição dos desejos de cada um e o que isso pode os tornar. O autor, Márlio Silveira da Silva, mora atualmente em Amsterdã e é esperado nessa reestreia do seu espetáculo.

Grupo Círculo

A primeira formação do Grupo Círculo foi em 1999, época em que foi montada a peça “A fome em três atos” dirigida por Gláucia Grígolo, do autor Christiano Scheiner. Dessa formação, os artistas seguiram para outros grupos e cidades, inclusive o autor. Dez anos depois, Christiano Scheiner retoma o nome Grupo Círculo para sua primeira direção com o texto próprio Pequeno Monólogo de Julieta e com a atriz Gilca Rigotti, que estreou em 2009 e continua se apresentando nos palcos e espaços catarinenses.

O Grupo Círculo passou, então, a ter uma característica de reunir artistas diferentes em um mesmo projeto. Em 2010, é reunida nova formação para o projeto Quatro, em que o autor Márlio Silveira da Silva, apoiou solidariamente com o processo de montagem, correspondendo-se de Amsterdã com Christiano Scheiner, e foi reunido mais um elenco com os atores: Aline Maya e Murillo Magalhães formados em Artes Cênicas pela UDESC e Juliana Lourenção e Saulo França Rosa, estudantes de Cinema da UFSC que estreiam em seu primeiro espetáculo. Desta forma, outra característica que surge no Grupo Círculo, idealizado por Christiano Scheiner, é permanecer montando peças de autoria de catarinenses vivos.

Márlio Silveira da Silva mora desde 1992 em Amsterdã, mas mantêm contínuo contato com artistas de Santa Catarina, sobretudo aqueles que participaram do antigo Grupo A de Teatro, entre outros. Em Amsterdã produz projetos pessoais em vídeo tendo participado de vários festivais europeus de vídeo. Continua escrevendo poemas e peças teatrais. O espetáculo não conta com patrocínio, nem leis de incentivo, e foi realizado com recursos da própria equipe, porém teve o apoio do Supermercado Hippo e da ARCO Projetos em Arte.

Sobre Quatro

A peça conta a história de um funcionário público que quer alcançar a fama escrevendo peças de teatro para serem montadas pela Associação dos Jovens Católicos de Florianópolis de 1959. Ele conhece Nilza, que deseja simplesmente uma vida normal, ter filhos e sua casa. Nilza lhe empresta um livro para poder ajudá-lo na trama desenvolvida, com o personagem Vampiro da história que lê, o Ivan. Mauro coloca Ivan no enredo juntamente com sua personagem Aparecida, uma prostituta sem sorte na vida. No entanto, a peça não é aceita pela Associação e Mauro resolve galgar a vida subindo de promoção em promoção dentro do serviço público e fazer Nilza feliz casando-se com ele. Mauro se casa com Nilza, porém os personagens Ivan e Aparecida começam a interferir na vida do casal.

SERVIÇO:

O QUÊ: Apresentação da peça “Quatro”, com o Grupo Círculo.

QUANDO: Dias 18, 19, 20, 25, 26 e 27 março de 2011, de sexta-feira a domingo, sempre às 20 horas.

ONDE: Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha. Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis-SC.

QUANTO: Ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

CONTATO: Produção (48) 9977-9123

O Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, faz parte do Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina.

Fotos: Bruno Grandi

Tags: grupo círculoteatro

Simpósio reúne pesquisadores da Região Sul para discutir Jornalismo

18/03/2011 11:46

O Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) da UFSC e a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (FAPESC) realizam nos dias 24 e 25 de março, no auditório Henrique Fontes, Bloco A, Centro de Comunicação e Expressão (CCE), o 2º Simpósio de Pesquisa Avançada em Jornalismo da Região Sul. A programação inclui palestras que vão discutir temas relacionados aos desafios institucionais e técnico-metodológicos da pesquisa e ensino no campo jornalístico.

Destinado a professores, mestrandos e doutorandos, o evento é aberto a todos os interessados na temática. As inscrições são gratuitas e os certificados serão entregues no próprio local, no dia do evento.

O simpósio contará com a participação de pesquisadores em Jornalismo dos oito cursos de pós-graduação em Comunicação dos três estados do sul do país (UFRGS, PUC-RS, UFSM, Unisinos, UEL, UFPR, UTP e UFSC) e também com representantes da Associação Latino-Americana de Investigadores em Comunicação (ALAIC), da Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (INTERCOM), da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) e da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação (COMPÓS).

A conferência de abertura terá como tema “Inovação e renovação: chaves para a aprendizagem do jornalismo no século XXI” e será feita pelo jornalista e pesquisador colombo-americano Carlos Eduardo Cortés, gerente do Rádio Nederland Training Centre (RNTC)/América Latina (www.rntc.nl) e um dos coordenadores do projeto de fortalecimento organizacional da Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano.

A programação e outras informações estão no site www.posjor.ufsc.br.

Tags: jornalismo região sulpesquisa avançadaPOSJORsimpósio

UFSC celebra o Dia Mundial da Água

18/03/2011 10:59

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), através do Grupo Transdisciplinar de Pesquisas em Governança da Água e do Território (GThidro), da Empresa Júnior de Engenharia Sanitária e Ambiental (EJESAM) e do Núcleo de Educação Ambiental do Centro Tecnológico (NEAmb), realizará no dia 22 de março, às 10h, no auditório Luiz Antunes Teixeira -Teixeirão, um evento para celebrar o Dia Mundial da Água, com o tema “A água é de todos… todos pela água”.

A Organização das Nações Unidas (ONU) realizará no mesmo dia o evento oficial na cidade de Cape Town, na África do Sul, com o tema “Água para as Cidades – Respondendo aos Desafios Urbanos” (http://www.unwater.org/worldwaterday/events).

De acordo com a ONU, esta é a primeira vez na história da humanidade que a maioria de população mundial vive nas cidades: 3,3 bilhões de pessoas e a paisagem urbana continua crescendo. As populações das cidades estão aumentando mais rápido do que a infraestrutura, e 38% do crescimento é representado pela expansão de favelas.

O objetivo do Dia Mundial da Água 2011 é concentrar a atenção internacional sobre o impacto da rápida industrialização, o crescimento urbano da população e as incertezas provocadas pelas mudanças climáticas, os conflitos e as catástrofes naturais em sistemas urbanos de água.

Este ano pretende-se incentivar os governos, organizações, comunidades e indivíduos a participarem ativamente na resposta aos desafios da gestão das águas urbanas.

Durante o evento serão tratados assuntos pertinentes à vida, um panorama da água na cidade de Florianópolis, e na UFSC, além de discutir as iniciativas dentro da UFSC.

Outras informações pelos endereços www.gthidro.ufsc.br, www.ejesam.ufsc.br e www.neamb.ufsc.br.

Tags: Dia Mundial da ÁguaEJESAMGTHIDRONEAmbONU

Ministro da Secretaria de Portos visita a UFSC

18/03/2011 10:21

Nesta quinta-feira, 17 de março, o ministro da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP), Leônidas Cristino, visitou a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e foi recebido pelo reitor Alvaro Toubes Prata. Na pauta, o Plano Nacional de Logística Portuária (PNLP), encomendado pela Secretaria de Portos, que está sendo desenvolvido por meio de um acordo de cooperação técnica entre as duas instituições federais. O PNLP, a ser concluído em setembro, irá apontar as diretrizes para o desenvolvimento dos portos públicos brasileiros até o ano de 2030. A agenda do ministro em Santa Catarina inclui visitas aos portos de Imbituba, Navegantes, Itajaí e São Francisco do Sul.

“O PNLP é de grande relevância, pois vai possibilitar ao governo investir nos portos com planejamento contínuo e assim direcionar os recursos para as demandas prioritárias”, disse Leônidas Cristino. “Por muito tempo não houve investimentos na área portuária, mas a situação está mudando”, disse o ministro, acrescentando que nos próximos anos serão aplicados recursos públicos e privados significativos nos portos estratégicos para o país. Uma das prioridades do governo federal é construir e ampliar portos nas regiões Norte e Nordeste, para facilitar o escoamento da safra de grãos do Centro-Oeste e assim desafogar os portos do Sudesde e Sul.

O coordenador geral do PNLP, Danilo Ramos, informou ao ministro sobre o andamento dos trabalhos. Ramos enfatizou a importância das revisões críticas periódicas, de maneira a facilitar a correção de rumos, a exemplo do que se faz no setor elétrico. O coordenador geral do Laboratório de Transportes e Logística (LabTrans/UFSC), professor Amir Mattar Valente, falou sobre o SIG-SEP, sistema de informações gerenciais desenvolvido pela UFSC para subsidiar o planejamento do setor portuário. A tecnologia inovadora oferece instrumentos para simulação de cadeias logísticas. É possível, por exemplo, inserir dados de diversas fontes para calcular e visualizar as rotas de menor custo entre os polos produtores e os terminais portuários. Outro produto desenvolvido pela UFSC para a SEP é o Webportos, um portal de informações sobre os portos brasileiros para dar suporte às decisões dos gestores do setor.

Outras informações pelo e-mail .

Tags: LabTransLeônidas CristinoPNLPSEPUFSC

Inscrições gratuitas para grupos de orientação profissional e aposentados

18/03/2011 10:06

O Laboratório de Informação e Orientação Profissional (LIOP) da UFSC está com inscrições abertas para grupos de orientação profissional, aposentados e pré-aposentados.

As inscrições, gratuitas, devem ser feitas no Serviço de Atenção Psicológica (SAPSI), no prédio novo do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), 2º andar.

Outras informações pelo telefone (48) 3721-4989.

GRUPOS DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL

Público-alvo: vestibulandos e estudantes em dúvida sobre a escolha profissional.

Informações:

PROGRAMA APOSENT-AÇÃO: Aposentadoria para ação

Público-alvo: Aposentados e pré-aposentados. Grupo com encontros semanais às segundas-feiras à noite, sob a coordenação de José Roberto e Marcos. Início: dia 11 de abril.

Informações: e

APOSENT-AÇÂO INTENSIVO e com imersão numa Pousada na Lagoa.

Público-alvo: preferencialmente pessoas já aposentadas e que continuam trabalhando.

Período: 8 a 10 de abril, com início às 18h (sexta-feira) e término às 18h (domingo). Para este atendimento, deverá ser paga uma taxa referente às despesas com hotel, alimentação e coffee break.

Informações:

Tags: aposentadosinscrições gratuitasLIOPorientação profissional

Colóquio abordará problemas fonéticos e fonológicos da segunda língua

18/03/2011 09:36

O Núcleo de Pesquisa em Fonética e Fonologia Aplicada à Língua Estrangeira (NUPFFALE) da UFSC promove no dia 4 de abril o colóquio “Second Language Speech: Phonetic and Phonological Issues”, em homenagem à professora aposentada Barbara Oughton Baptista, que atuou no Programa de Pós-Graduação em Língua Inglesa até 2010.

O evento será realizado das 9h às 12h, no Centro de Comunicação e Expressão (CCE-A), na sala 248. No encerramento do colóquio haverá o lançamento do livro The Acquisition of Second Language Speech.

As inscrições são gratuitas e podemser feitas pelo e-mail . Interessados em obter um certificado do colóquio devem enviar as seguintes informações na mensagem: nome completo e número do CPF.

Outras informações pelo telefone (48) 3721-9455.

Programação:

Título Autor
9h – 9h15 English-Portuguese Interphonology Research at UFSC Rosane Silveira (UFSC)
9h20 – 9h35 Variability in pretonic vowel reduction by Brazilian speakers of English Michael A. Watkins (UFPR)
9h40 – 9h55 Production of English sounds by native speakers of European and Brazilian Portuguese Andréia S. Rauber (UFPEL)
10h – 10h15 Studies on L2 perceptual training: An overview Denize de O. Nobre (IF-SC)
10h20 – 10h35 The effect of visual cues on the identification of word-final nasals /m-n/ by Brazilian speakers of English Denise C. Kluge (UFPR/Litoral)
10h40 – 10h55 As vogais nasais do PB e a produção de vogais nasais francesas por aprendizes de francês como língua estrangeira Izabel Christine Seara (UFSC)
11h Lançamento do livro: The Acquisition of Second Language Speech: Studies in honor of Professor Barbara O. Baptista (Andréia S. Rauber, Michael A. Watkins, Rosane Silveira and Rosana D. Koerich, 2010)
Tags: Barbara Oughton BaptistacolóquioNUPFFALE

Vice-reitor da UFSC ministra aula magna em Araranguá

17/03/2011 15:26

Aula magna campus Araranguá

Foi realizada na noite desta quarta-feira, dia 16 de março, a Aula Magna dos cursos de Fisioterapia e Engenharia de Computação no campus da UFSC em Araranguá, no sul de Santa Catarina. O palestrante foi o vice-reitor da Universidade, Carlos Alberto Justo da Silva, que estimulou os jovens acadêmicos a investirem no conhecimento e na diferenciação para se destacarem no mercado de trabalho. Ele também entregou brindes aos primeiros colocados no vestibular de 2011 em cada um dos quatro cursos do campus.

(mais…)

Tags: aula magna ararangua

Sessões gratuitas de biodança

17/03/2011 10:58

Estão abertas no mês de março as inscrições para sessões gratuitas de biodança 1. Os encontros acontecem nas quintas-feiras, entre 9h e 11h30min, na sala de ginástica do Colégio de Aplicação da UFSC. Os encontros de biodança 2 serão realizados também na quinta, entre 14h e 16h, no Centro Comunitário do Córrego  Grande, rua Pio Duarte Silva 1415.  Informações e inscrições / / 3721-9712, r221 ou 9117-0808

Tags: biodança

Programa de pesquisas em manufatura apresenta resultados da primeira etapa

17/03/2011 09:46

Bernd Scholz-Reiter, diretor do Instituto de Produção e Logística da Universidade de Bremen, em reunião com o reitor Alvaro Prata. Fotos: Paulo Noronha / Agecom

Para discutir o andamento de um convênio de cooperação na área de produção e sistemas entre a UFSC e a Universidade de Bremen, na Alemanha, visitou o reitor Alvaro Toubes Prata, nesta quarta-feira ((16/3), o diretor do Instituto de Produção e Logística daquela universidade, Bernd Scholz-Reiter. As duas instituições participam do Programa Brasil-Alemanha para Pesquisa Colaborativa em Tecnologia de Manufatura (Bragecrim), que começou há dois anos e tem, no Brasil, o suporte da Capes, CNPq e Finep.

O programa envolve a participação de alunos, pesquisadores e docentes das duas universidades, e visa ao desenvolvimento de pesquisas em manufatura adiantada. A visita serviu para apresentar os resultados do trabalho realizado até agora, que o reitor Prata considerou bem sucedido. “Ele terá impacto importante não apenas no âmbito acadêmico, mas no setor industrial, com a agregação de novas tecnologias na gestão de pessoas e produtos”, disse o reitor.

O Bragecrim começou a ser discutido ainda em 2006 e tem como meta preparar a área de manufaturas da Alemanha e do Brasil para enfrentar a concorrência internacional, sobretudo da China, que tem por hábito se apropriar de tecnologias alheias. “A parceria pretende desenvolver coisas novas neste campo, para manter a dianteira e obter ganhos também na área da logística”, diz o professor Antonio Galvão Novaes, coordenador do subprojeto de logística do programa no Brasil.

O programa de cooperação envolve conhecimento, técnicas, processos e equipamentos utilizados não somente ao longo da cadeia produtiva, mas também ao longo do ciclo de vida do produto. A parceria busca o fortalecimento sustentável do setor industrial nos dois países por meio de pesquisa básica e aplicada no intercâmbio de conhecimentos e investigadores.

A manufatura é apenas um dos subprojetos da iniciativa, que concede passagens aéreas, diárias, bolsas de estudo e apoio para aquisição de equipamentos relacionados às atividades do projeto. Outras quatro universidades brasileiras estão envolvidas, totalizando 15 subprojetos de pesquisa, sempre com o apoio de agências financiadoras. Na UFSC, a publicação de papers tem sido um dos resultados da primeira etapa do programa, e agora começa a segunda fase, que pode gerar frutos mais palpáveis para a cadeia produtiva. “Até aqui, temos demonstrado um bom exemplo de entrosamento”, afirmou o professor Antonio Novaes.

Mais informações com o professor Antonio Galvão Novaes, pelo fone (48) 9116-3186.

Tags: manufaturaUniversidade de Bremen

Enfermagem discute laços de cooperação Brasil-Portugal

17/03/2011 09:29

O tema ´A enfermagem e os laços de cooperação Brasil-Portugal`  será debatido em seminário que será realizado no período de 21 a 25 de março na UFSC. A programação (veja abaixo) inclui no dia 24 de março a Aula Inaugural do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSC, além de plenária sobre a política de ciência e tecnologia da Fapesc, com o presidente da Fundação, Sérgio Luiz Gargioni. A realização é da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, com promoção da Rede de Promoção ao Desenvolvimento da Enfermagem (Repensul).

Programação:
21 de março (segunda-feira)
Recepção aos visitantes

22 de março (terça-feira)
Local: Sala dos Conselhos CCS
14h30min: Unidade de investigação e sua articulação com as unidades científico-pedagógicas da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra
– Manuel Rodrigues – Unidade de Investigação da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

16h30min – Mesa-redonda ´Linhas e prioridades de pesquisa da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra`
– Ainda Cruz Menezes / Vice-presidente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra e coordenadora da linha de investigação ´Bem-estar: saúde e doença`
– Manuela Frederico / Presidente do Conselho para a Qualidade e Avaliação

23 de março (quarta-feira)
– (Aniversário de Florianópolis – Feriado)
– Circuito Ilha de Santa Catarina com almoço típico

24 de março (quinta-feira)
– Local: Auditório do Centro de Ciências da Saúde
Aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da UFSC
16h: Abertura com a coordenadora do PEN/UFSC: Flávia Regina Souza Ramos

16h: Política de Ciência e Tecnologia da Fapesc
– Sérgio Luiz Gargioni / Presidente da Fapesc

17h: Política de pesquisa em enfermagem em Portugal
Maria da Conceição Bento / Presidente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra

15h45min: A estrutura organizacional da Enfermagem da UFSC e o Projeto Educativo da Graduação em Enfermagem
– Lúcia Amante / Chefe do Departamento de Enfermagem / UFSC
-Sayonara Barbosa / Coordenadora da Graduação em Enfermagem / UFSC

Tags: cooperaçãoenfermagemPortugal

Abertas inscrições para concurso de cartazes sobre transfobia, lesbofobia e homofobia nas escolas

17/03/2011 08:40

Estão abertas até o dia 6 de maio as inscrições para a terceira edição do concurso de cartazes realizado pelo Núcleo de identidades de Gênero e Subjetividades, ligado ao Laboratório de Antropologia Social da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O concurso faz parte das atividades desenvolvidas por meio do projeto de extensão “Papo Sério – Educação, Gênero e Sexualidades”, vinculado ao Departamento de Projetos de Extensão da UFSC com apoio do Núcleo de Educação e Prevenção da Grande Florianópolis (NEPRE), vinculado à Secretaria Municipal de Educação.

Na visão dos organizadores, a ausência da discussão sobre as violências de gênero em sala de aula pode perpetuar as possibilidades de situações discriminatórias na escola. Objetivo do concurso é estimular o debate sobre a transfobia, lesbofobia, homofobia, bem como outras expressões de violências presentes no ambiente escolar.

Podem participar do concurso alunos da rede pública de ensino da Grande Florianópolis. Os estudantes devem produzir cartazes que obedeçam à proposta do concurso, atuando sob orientação de professor ou profissional da educação de sua escola. Os interessados deverão enviar os cartazes obrigatoriamente em cartolina para o NIGS, com ficha de inscrição que está disponível no site do concurso. Os trabalhos serão avaliados quanto à criatividade, originalidade e comunicação.

Na semana de 9 a 13 de maio será realizada exposição no hall do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. A mostra será integrada às atividades referentes ao Dia Mundial de Combate à Homofobia, 17 de maio. Além de certificados de participação, os autores dos cartazes vencedores receberão uma coleção de livros sobre Gênero, Educação e Sexualidades para as bibliotecas de suas escolas.

Veja o edital do concurso

Mais informações pelo e-mail / fone (48) 8462-4283 / sites http://sites.google.com/site/concursonigs/ ou www.nigs.ufsc.br

Tags: concurso de cartazeshomofobialesbofobiaNIGStransfobia

Vestibular 2011: UFSC divulga quarta chamada de calouros e remanejamento

17/03/2011 08:08

O Departamento de Administração Escolar da UFSC divulgou os editais 11 (quarta chamada de calouros 2011 remanejados), 12 (quarta chamada de calouros 2011) e 13 (quarta chamada de calouros 2011 do Curso de Engenharia de Materiais).

Os 11 estudantes da quarta chamada de calouros 2011 remanejados devem se dirigir à coordenadoria do respectivo curso para  retirada do documento comprobatório de matrícula e início das aulas do primeiro semestre letivo de 2011.

A quarta chamada de calouros 2011 contempla 218 estudantes que devem realizar matrículas no período de 18 a 22 de março, munidos da documentação exigida e publicada na Portaria 03/PREG/2011 de 14/01/2011. A matrícula deve ser feita no campus correspondente à classificação do aluno e na respectiva coordenadoria do curso, entre 8h e 12h ou das 14h às 18h.

No caso da quarta chamada referente ao Curso de Engenharia de Materiais, os cinco acadêmicos listados no edital devem também procurar a coordenadora do curso, no campus da UFSC da Trindade, entre 18 e 22 de março, para realização da matrícula.

Mais informações pelo site www.dae.ufsc.br e pelos telefones do DAE (48) 3721-9707 / 3721-9331 / 3721-6553.

Por Arley Reis / Jornalista na Agecom

Tags: chamada de calourosDAEvestibular2011

Teatro da UFSC recebe reestreia da peça “Quatro”

16/03/2011 18:02

O Teatro da UFSC recebe a reestreia da peça “Quatro”, nos dias 18, 19, 20, 25, 26, 27 de março, de sexta-feira a domingo, sempre às 20 horas. Quatro é um texto escrito pelo dramaturgo catarinense Márlio Silveira da Silva, montado na década de 1990 pelo Grupo A, que reestreia este ano pelo Grupo Círculo com direção de Christiano Scheiner.

A peça narra a trajetória metateatral de quatro personagens em busca de satisfazer seus desejos mais íntimos, que se entrecruzam num jogo cômico e surreal. De maneira irônica e absurda, é um texto que trata da perseguição dos desejos de cada um e o que isso pode os tornar. O autor, Márlio Silveira da Silva, mora atualmente em Amsterdã e é esperado nessa reestreia do seu espetáculo.

Grupo Círculo

A primeira formação do Grupo Círculo foi em 1999, época em que foi montada a peça “A fome em três atos” dirigida por Gláucia Grígolo, do autor Christiano Scheiner. Dessa formação, os artistas seguiram para outros grupos e cidades, inclusive o autor. Dez anos depois, Christiano Scheiner retoma o nome Grupo Círculo para sua primeira direção com o texto próprio Pequeno Monólogo de Julieta e com a atriz Gilca Rigotti, que estreou em 2009 e continua se apresentando nos palcos e espaços catarinenses.

O Grupo Círculo passou, então, a ter uma característica de reunir artistas diferentes em um mesmo projeto. Em 2010, é reunida nova formação para o projeto Quatro, em que o autor Márlio Silveira da Silva, apoiou solidariamente com o processo de montagem, correspondendo-se de Amsterdã com Christiano Scheiner, e foi reunido mais um elenco com os atores: Aline Maya e Murillo Magalhães formados em Artes Cênicas pela UDESC e Juliana Lourenção e Saulo França Rosa, estudantes de Cinema da UFSC que estreiam em seu primeiro espetáculo. Desta forma, outra característica que surge no Grupo Círculo, idealizado por Christiano Scheiner, é permanecer montando peças de autoria de catarinenses vivos.

Márlio Silveira da Silva mora desde 1992 em Amsterdã, mas mantêm contínuo contato com artistas de Santa Catarina, sobretudo aqueles que participaram do antigo Grupo A de Teatro, entre outros. Em Amsterdã produz projetos pessoais em vídeo tendo participado de vários festivais europeus de vídeo. Continua escrevendo poemas e peças teatrais. O espetáculo não conta com patrocínio, nem leis de incentivo, e foi realizado com recursos da própria equipe, porém teve o apoio do Supermercado Hippo e da ARCO Projetos em Arte.

Sobre Quatro

A peça conta a história de um funcionário público que quer alcançar a fama escrevendo peças de teatro para serem montadas pela Associação dos Jovens Católicos de Florianópolis de 1959. Ele conhece Nilza, que deseja simplesmente uma vida normal, ter filhos e sua casa. Nilza lhe empresta um livro para poder ajudá-lo na trama desenvolvida, com o personagem Vampiro da história que lê, o Ivan. Mauro coloca Ivan no enredo juntamente com sua personagem Aparecida, uma prostituta sem sorte na vida. No entanto, a peça não é aceita pela Associação e Mauro resolve galgar a vida subindo de promoção em promoção dentro do serviço público e fazer Nilza feliz casando-se com ele. Mauro se casa com Nilza, porém os personagens Ivan e Aparecida começam a interferir na vida do casal.

SERVIÇO:

O QUÊ: Apresentação da peça “Quatro”, com o Grupo Círculo.

QUANDO: Dias 18, 19, 20, 25, 26 e 27 março de 2011, de sexta-feira a domingo, sempre às 20 horas.

ONDE: Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha. Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis-SC.

QUANTO: Ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia)

CONTATO: Produção (48) 9977-9123

O Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, faz parte do Departamento Artístico Cultural (DAC), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina.

Foto: Bruno Grandi

Fonte: [CW] DAC: SECARTE: UFSC com material do grupo.

Tags: Márlio Silveira da Silvapeça 'Quatro'Teatro UFSC

UFSC promove congressos nas áreas de Contabilidade, Controladoria e Finanças

16/03/2011 16:47

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) realizará de 18 a 20 de abril, simultaneamente, o 4º Congresso UFSC de Controladoria e Finanças e o 4º Congresso UFSC de Iniciação Científica em Contabilidade, no Centro de Cultura e Eventos, em Florianópolis. A palestra de abertura será sobre o tema “Desafios na Implantação da Nova Contabilidade Pública”, a ser ministrada pelo professor Lino Martins da Silva, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Os eventos visam reunir e favorecer o intercâmbio de experiências e conhecimentos entre profissionais, estudantes, professores e pesquisadores das áreas de Contabilidade, Controladoria e Finanças de todo o Brasil.

O público-alvo é composto por estudantes, pesquisadores e profissionais das áreas de contabilidade, administração, economia, engenharia de produção e direito, bem como de outras áreas afins. As inscrições com desconto podem ser feitas até o dia 21 de março.

As áreas temáticas e a programação dos eventos estão na página www.ccn.ufsc.br/congresso.

Outras informações pelos telefones (48) 3721-9383 e 3721-6620 ou pelos e-mails e .

Tags: congressocontabilidadecontroladoriafinançasIniciação CientíficaUFSC