Professor da UFMG fará palestra de abertura no simpósio sobre práticas pedagógicas

26/11/2013 10:41

Começa nesta quinta-feira, 28 de novembro, o II Simpósio “Formação de Professores e Práticas Pedagógicas” e um dos destaques será a palestra de abertura com o professor Júlio Emílio Diniz-Pereira, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). O  tema é “A Prática como Componente Curricular na Formação de Professores”. A palestra começa às 14h30min e será no auditório do Colégio de Aplicação da UFSC.

(mais…)

Tags: CEDColégio de AplicaçãoII Simpósio Formação de ProfessoresMENpráticas pedagógicasUFSC

Visita virtual ao Atlas pelos alunos do Colégio de Aplicação

18/11/2013 08:20

Nesta segunda-feira, 18 de novembro, às 9h, alunos das terceiras séries do Ensino Médio do Colégio de Aplicação da UFSC farão uma visita virtual ao Atlas, do CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), em Genebra na Suíça. A atividade, que faz parte da disciplina de Física do professor Alfredo Müllen da Paz, será coordenada pela professora Gabriela Kaiana Ferreira e auxiliada pelo bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), Kleber Briz Albuquerque.

A vista pode ser acompanhada ao vivo no link: http://atlas-live-virtual-visit.web.cern.ch/atlas-live-virtual-visit/.
(mais…)

Tags: AtlasCERNColégio de AplicaçãoUFSC

Evento sobre formação de professores e práticas pedagógicas recebe inscrições de trabalhos

14/11/2013 13:38

O II Simpósio de Formação de Professores e Práticas Pedagógicas, que será realizado nos dias 28 e 29 de novembro de 2013, no Colégio de Aplicação da UFSC, recebe inscrições de trabalhos até 18 de novembro, pelo endereço http://simposioformacao2013.blogspot.com.br/p/inscricoes.html.

O evento é gratuito e direcionado a estudantes das licenciaturas e professores de ensino superior e de educação básica. Os participantes receberão certificados.
(mais…)

Tags: Colégio de AplicaçãoSimpósio de Formação de Professores e Práticas PedagógicasUFSC

Colégio de Aplicação recebe inscrições para sorteio de vagas até 13 de novembro

13/11/2013 12:25

Inscrições para o Colégio de Aplicação estão abertas até o dia 13 de novembro

Estão abertas, até 13 de novembro, as inscrições para o sorteio de candidatos para ingresso no ano letivo de 2014 do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina. As regras estão descritas no edital publicado no dia 8 de outubro de 2013 e as inscrições podem ser feitas pelo site www.ca.ufsc.br.http://noticias.paginas.ufsc.br/wp-includes/js/tinymce/plugins/wordpress/img/trans.gif

Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição. Para as famílias que não têm acesso à internet, o Colégio disponibilizará equipamentos no horário das 7h30min às 18h30min, durante o período de inscrições.
(mais…)

Tags: Colégio de Aplicaçãosorteio de vagasUFSC

Colégio de Aplicação promove Semana da Consciência Negra

06/11/2013 08:40

O grupo Integração de Saberes em Pesquisa na Educação Básica, do Colégio de Aplicação da UFSC (CA), promove nos dias 8 e 9 de novembro a Semana da Consciência Negra. A segunda edição do evento, intitulada “Nada contra os caras”, faz parte do Projeto Baobás e contará com apresentações culturais e artísticas, mostras de fotografia e vídeo, e oficinas, oferecidas a alunos comunidade. O objetivo do evento é combater o racismo e todas as formas de preconceito no ambiente escolar, além de criar um espaço inclusivo, possibilitando o diálogo com a comunidade.
(mais…)

Tags: Colégio de AplicaçãoGeorge FrançaSemana da Consciência NegraUFSC

Colégio de Aplicação recebe inscrições para sorteio de vagas até 13 de novembro

31/10/2013 08:22

Estão abertas até 13 de novembro as inscrições para o sorteio de candidatos para ingresso no ano letivo de 2014 do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina. As regras estão descritas no edital publicado no dia 8 de outubro de 2013 e as inscrições podem ser feitas pelo site www.ca.ufsc.br.
(mais…)

Tags: Colégio de Aplicaçãosorteio de vagasUFSC

Colégio de Aplicação recebe inscrições para sorteio de vagas

18/10/2013 13:57

Inscrições para sorteio começam no dia 14 de outubro e vão até 13 de novembro. Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Estão abertas até 13 de novembro as inscrições para o sorteio de candidatos para ingresso no ano letivo de 2014. do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina. As regras estão descritas no edital publicado no dia 8 de outubro de 2013 e as inscrições podem ser feitas pelo site www.ca.ufsc.br.

Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição. Para as famílias que não têm acesso à internet, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos no horário das 7h30min às 18h30min, durante o período de inscrições.

(mais…)

Tags: Colégio de Aplicaçãosorteio de vagasUFSC

Colégio de Aplicação recebe inscrições para sorteio de vagas

16/10/2013 10:58

Inscrições para sorteio começam no dia 14 de outubro e vão até 13 de novembro. Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina divulgou no dia 8 de outubro de 2013, o edital para sorteio de candidatos para ingresso no ano letivo de 2014. As inscrições podem ser feitas até 13 de novembro, pelo site www.ca.ufsc.br.

(mais…)

Tags: Colégio de AplicaçãoEdital de sorteio

Mostra ‘Fotografia é linguagem’ apresenta trabalhos de estudantes do Colégio de Aplicação

23/08/2013 09:10

“Fotografia é linguagem” e como qualquer linguagem, para dominá-la, é necessário tornar-se leitor e autor. Os sétimos anos do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA-UFSC), na disciplina de Língua Portuguesa, dedicam-se a esse domínio desde o início de 2013. Dentro de um projeto disciplinar sobre jornal impresso, foram estudadas a notícia e as fotografias que muitas das vezes são mais, ou tão, importantes quanto. A exposição “Fotografia é linguagem”, coordenada pela professora de Língua Portuguesa Arlyse Ditter, começou no dia 21 de agosto e vai até o dia 6 de setembro. A mostra expõe, no Espaço Estético do CA, 49 trabalhos: fotografias jornalísticas, contextualizadas por uma notícia sobre o cotidiano do CA e distribuídas em uma página simulando a de um jornal.


(mais…)

Tags: CAColégio de AplicaçãoEspaço EstéticofotojornalismoUFSC

Laboratório de Brinquedos do Colégio de Aplicação firma parceria com universidade francesa

03/07/2013 16:57

Laboratório de Brinquedos do Colégio de Aplicação (LabrinCA).
Foto: Wagner Behr/Agecom/UFSC

O Laboratório de Brinquedos do Colégio de Aplicação (LabrinCA), projeto de extensão da UFSC inaugurado há dez anos, firmou parceria com a Université Paris 13, na França. A criadora do projeto, Leila Lira Peters, viajará, em setembro deste ano, à capital francesa e passará um ano realizando estudos sobre a inserção de jogos eletrônicos na brinquedoteca. A pesquisadora conta que a intenção é acompanhar a modernização das brincadeiras com jogos educativos, alternativos aos tradicionais, e oficinas de criação de jogos eletrônicos.
(mais…)

Tags: Colégio de AplicaçãoLaboratório de BrinquedosLeila Lira PetersndiUFSCUniversité Paris 13

Professora do Colégio de Aplicação é selecionada por escola de Física na Suíça

27/06/2013 13:37

A professora de Física Gabriela Kaiana Ferreira, do Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), foi escolhida para participar de curso da Escola de Física da Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, conhecido como CERN, em Genebra na Suíça. É um dos maiores laboratórios de pesquisa no mundo que, em 2009, recolocou em funcionamento o grande colisor de prótons Large Hadron Collider (LHC). O curso será realizado de 1º a 7 de setembro de 2013 e objetiva divulgar as pesquisas de ponta em Física no acelerador de partículas.

(mais…)

Tags: Colégio de AplicaçãoEscola de FísicaGabriela Kaiana FerreiraGenebraUFSC

Projeto Arte na Escola oferece curso sobre relação de Design e Arte Visual

15/05/2013 18:00

Professor Richard Perassi é o ministrante do curso sobre Design e Arte Visual

O projeto Arte na Escola, coordenado pelo Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), oferecerá o curso “Relação entre Design e Arte Visual”, que tem como objetivo distinguir e aproximar as áreas de arte e design. Com início no dia 22 de maio, as aulas são direcionadas aos professores de arte, artistas, profissionais e estudantes de áreas afins e têm uma carga horária de 22 horas, encerrando no dia 26 de junho. O curso é gratuito e oferece 20 vagas.

Os encontros semanais nas quartas-feiras, das 14h às 17h30min, têm como proposta fazer considerações sobre arte, arte aplicada e design, realizando a proposição de aspectos e processos distintivos. Os participantes também aprenderão sobre os princípios para conceituações e atividades práticas específicas.

O ministrante será o professor doutor do Departamento de Expressão Gráfica do Centro de Comunicação e Expressão da UFSC, Richard Perassi Luiz de Sousa. A dinâmica das aulas será composta por apresentação audiovisual, leitura e discussão de textos e práticas manuais.

Para inscrever-se, basta enviar um email com número do CPF para . Ao fim do curso os participantes receberão certificado.

Ministrante

O professor Richard Perassi Luiz de Sousa é doutor em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Sousa também é mestre em Educação e graduado em Artes e Desenho e Propaganda.

Sobre o Programa Arte na Escola

O Programa Arte na Escola – Polo UFSC, implantado em uma parceria do Departamento Artístico Cultural (DAC) e do Colégio de Aplicação da UFSC, atual coordenador do projeto, faz parte da Rede Arte na Escola, uma organização que articula instituições brasileiras de ensino superior (IES), culturais e educacionais com o Instituto Arte na Escola, cujo objetivo é qualificar o professor de Artes por meio de parcerias locais. Reúne esforços a fim de disponibilizar meios e materiais múltiplos ao ensino de arte. Propicia também condições para formação continuada do professor do ensino básico da rede oficial de ensino. A Rede Arte na Escola está presente em mais de 20 estados brasileiros, desenvolvendo suas ações através dos programas Educação Continuada, Midiateca e Prêmio Escola Cidadã.

O programa Arte na Escola tem a participação do Colégio de Aplicação desde 1992, com pesquisas, relatos de experiências, produção de materiais pedagógicos e publicações, utilizando a sala de aula como espaço de investigação e aprendizagem para professores e alunos.

A DVDteca do Arte na Escola – Polo UFSC possui títulos de filmes que, além de serem utilizados em cursos e Grupos de Estudos, podem ser emprestados para professores, pesquisadores e estudantes de Arte cadastrados na Biblioteca do CA/UFSC.

SERVIÇO

O QUÊ: curso do Projeto Arte na Escola sobre a Relação entre Design e Arte Visual
QUANDO: de 22/05 à 26/06, nas quartas-feiras, das 14h às 17h30
ONDE: na sala do Arte na Escola no Colégio de Aplicação da UFSC
QUANTO: gratuito
INSCRIÇÃO: até terminarem as 20 vagas, enviar e-mail com número do CPF para .

Bruna Andrade – Acadêmica de Jornalismo, Estagiária no DAC: SECULT:UFSC

 

Tags: artes visuaisColégio de AplicaçãoDACdesignEGRUFSC

Vaga para estágio não-obrigatório no Colégio de Aplicação da UFSC

25/02/2013 10:13

O Colégio de Aplicação da UFSC está com vaga aberta para estágio não-obrigatório. Podem se candidatar acadêmicos dos cursos de Filosofia, Física, Geografia, História, Letras, Fonoaudiologia, Matemática, Pedagogia, Química e Biologia. As atividades dos estagiários incluem o acompanhamento e a mediação do processo ensino – aprendizagem de alunos com deficiência ou transtornos globais de desenvolvimento nas turmas do Ensino Fundamental (anos iniciais e finais) e Ensino Médio.

– Carga horária: 20h,  valor da bolsa: R$ 364, valor do vale-transporte: R$ 132, seguro pago pela UFSC, vagas matutinas e vespertinas.

Contato: Janete Lopes Monteiro e Evandra Castro Donatti – Telefone: (48)  3721-8713.

cadastro para Seleção-Bolsista-2013

Tags: Colégio de Aplicaçãovaga estágio não obrigatório

Colégio de Aplicação: inscrições para sorteio de novos alunos terminam nesta sexta-feira

16/11/2012 15:49

Inscrições terminam nesta sexta-feira, 16 de novembro, às 23h59min

As inscrições para concorrer ao sorteio de novos alunos no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA/UFSC), ano letivo de 2013, terminam nesta sexta-feira, dia 16 de novembro. Interessados devem preencher o formulário e enviar até as 23h59min  pelo site www.ca.ufsc.br, além de imprimir o comprovante de inscrição.

Confira todas as informações no Edital.

Durante o período de inscrições, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos para aqueles que não têm acesso à internet, nos horários de 7h30min às 18h.

Para o primeiro ano, serão sorteadas 57 vagas para pessoas sem deficiência e três vagas para pessoas com deficiência. Serão sorteadas também vagas para candidatos em lista de espera do ensino fundamental (1º ao 9º ano) e ensino médio (1º ao 3º ano). O edital assegura a reserva de 5% para alunos com deficiência, tanto para as vagas do sorteio quanto as de lista de espera em todas as séries.

Cada candidato pode se inscrever apenas uma vez. O sorteio será realizado no dia 4 de dezembro, em dois horários: às 10h da manhã para os anos iniciais e às 14h para os anos finais e ensino médio. Os resultados serão divulgados no dia 5 de dezembro no site e na portaria do Colégio. As matrículas estão marcadas para o período de 10 a 12 de dezembro de 2012. O candidato sorteado que não for matriculado neste prazo perderá o direito à vaga.

Mais informações:

Edital de Sorteio
Fone: (48) 3721-9527

Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: Colégio de AplicaçãoUFSC

Colégio de Aplicação lança edital de sorteio para novos alunos

29/10/2012 16:04

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA/UFSC) lançou edital de sorteio para novos alunos para o ano letivo de 2013. As inscrições vão até 16 de novembro de 2012 pelo site www.ca.ufsc.br. Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição. Confira todas as informações no Edital.  Durante o período de inscrições, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos para aqueles que não têm acesso à internet, nos horários de 7h30min às 18h.

(mais…)

Tags: Colégio de AplicaçãoEdital de sorteio

Colégio de Aplicação lança edital de sorteio para novos alunos

22/10/2012 16:15

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA/UFSC) lançou  edital de sorteio para novos alunos para o ano letivo de 2013. As inscrições vão até 16 de novembro de 2012 pelo site www.ca.ufsc.br. Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição. Confira todas as informações no Edital.

Durante o período de inscrições, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos para aqueles que não dispõem de acesso à internet, nos horários de 7h30min às 18h.

Para o primeiro ano, serão sorteadas 57 vagas para pessoas sem deficiência e três vagas para pessoas com deficiência. Serão sorteadas também vagas para candidatos em lista de espera do ensino fundamental (1º ao 9º ano) e ensino médio (1º ao 3º ano). O edital assegura a reserva de 5% para alunos com deficiência, tanto para as vagas do sorteio quanto as de lista de espera em todas as séries.

Cada candidato pode se inscrever apenas uma vez. O sorteio será realizado no dia 4 de dezembro, em dois horários: às 10h da manhã para os anos iniciais e às 14h para os anos finais e ensino médio. Os resultados serão divulgados no dia 5 de dezembro no site e na portaria do Colégio. As matrículas estão marcadas para o período de 10 a 12 de dezembro de 2012. O candidato sorteado que não for matriculado neste prazo perderá o direito à vaga.

Mais informações:

Edital de Sorteio
Fone: (48) 3721-9527

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: Colégio de AplicaçãoEdital de sorteionovos alunos

Colégio de Aplicação divulga edital de sorteio para novos alunos

17/10/2012 16:55

Sorteio das vagas para o Colégio de Aplicação da UFSC será no dia 4 de dezembro

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA/UFSC) divulgou o edital de sorteio para novos alunos para o ano letivo de 2013. As inscrições estão abertas e vão até 16 de novembro de 2012 pelo site www.ca.ufsc.br. Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição.

Durante o período de inscrições, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos para aqueles que não dispõem de acesso à internet, das 7h30min às 18h.  Confira todas as informações no Edital.

Para o primeiro ano, serão sorteadas 57 vagas para pessoas sem deficiência e três vagas para pessoas com deficiência. Serão sorteadas também vagas para candidatos em lista de espera do ensino fundamental (1º ao 9º ano) e ensino médio (1º ao 3º ano). O edital assegura a reserva de 5% para alunos com deficiência, tanto para as vagas do sorteio quanto as de lista de espera em todas as séries.

Cada candidato pode se inscrever apenas uma vez. O sorteio será realizado no dia 4 de dezembro, em dois horários: às 10h da manhã para os anos iniciais e às 14h para os anos finais e ensino médio. Os resultados serão divulgados no dia 5 de dezembro no site e na portaria do Colégio. As matrículas estão marcadas para o período de 10 a 12 de dezembro de 2012. O candidato sorteado que não for matriculado neste prazo perderá o direito à vaga.

Mais informações:

Edital de Sorteio
Fone: (48) 3721-9527

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: 2013Colégio de AplicaçãoSorteioUFSC

Colégio de Aplicação lança edital de sorteio para novos alunos

11/10/2012 18:58

Sorteio das vagas para o Colégio de Aplicação da UFSC acontece no dia 4 de dezembro

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA/UFSC) lançou nesta sexta-feira, 11 de outubro, o edital de sorteio para novos alunos para o ano letivo de 2013. As inscrições vão de 15 de outubro a 16 de novembro de 2012 pelo site www.ca.ufsc.br. Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição. Confira todas as informações no Edital.

Durante o período de inscrições, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos para aqueles que não dispõem de acesso à internet, nos horários de 7h30min às 18h.

Para o primeiro ano, serão sorteadas 57 vagas para pessoas sem deficiência e três vagas para pessoas com deficiência. Serão sorteadas também vagas para candidatos em lista de espera do ensino fundamental (1º ao 9º ano) e ensino médio (1º ao 3º ano). O edital assegura a reserva de 5% para alunos com deficiência, tanto para as vagas do sorteio quanto as de lista de espera em todas as séries.

Cada candidato pode se inscrever apenas uma vez. O sorteio será realizado no dia 4 de dezembro, em dois horários: às 10h da manhã para os anos iniciais e às 14h para os anos finais e ensino médio. Os resultados serão divulgados no dia 5 de dezembro no site e na portaria do Colégio. As matrículas estão marcadas para o período de 10 a 12 de dezembro de 2012. O candidato sorteado que não for matriculado neste prazo perderá o direito à vaga.

Mais informações:

Edital de Sorteio
Fone: (48) 3721-9527

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: Colégio de AplicaçãoUFSC

Colégio de Aplicação lança edital de sorteio para novos alunos

11/10/2012 14:13

Sorteio das vagas para o Colégio de Aplicação da UFSC acontece no dia 4 de dezembro

O Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina (CA/UFSC) lançou nesta sexta-feira, 11 de outubro, o edital de sorteio para novos alunos para o ano letivo de 2013. As inscrições vão de 15 de outubro a 16 de novembro de 2012 pelo site www.ca.ufsc.br. Interessados devem preencher o formulário e enviar pela internet para o Colégio de Aplicação, além de imprimir o comprovante de inscrição. Confira todas as informações no Edital.

Durante o período de inscrições, o Colégio de Aplicação disponibilizará equipamentos para aqueles que não dispõem de acesso à internet, nos horários de 7h30min às 18h.

Para o primeiro ano, serão sorteadas 57 vagas para pessoas sem deficiência e três vagas para pessoas com deficiência. Serão sorteadas também vagas para candidatos em lista de espera do ensino fundamental (1º ao 9º ano) e ensino médio (1º ao 3º ano). O edital assegura a reserva de 5% para alunos com deficiência, tanto para as vagas do sorteio quanto as de lista de espera em todas as séries.

Cada candidato pode se inscrever apenas uma vez. O sorteio será realizado no dia 4 de dezembro, em dois horários: às 10h da manhã para os anos iniciais e às 14h para os anos finais e ensino médio. Os resultados serão divulgados no dia 5 de dezembro no site e na portaria do Colégio. As matrículas estão marcadas para o período de 10 a 12 de dezembro de 2012. O candidato sorteado que não for matriculado neste prazo perderá o direito à vaga.

Mais informações:

Edital de Sorteio
Fone: (48) 3721-9527

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: Colégio de AplicaçãoUFSC

Lançado livro sobre etnografia em contextos educacionais

05/10/2012 18:33

As professoras Maria Inêz P. Lucena (Colégio de Aplicação e Pós-Graduação em Linguística) e Maristela Fritzem (FURB) lançaram nesta sexta-feira, 5 de outubro, o livro “O olhar da etnografia em contextos educacionais: interpretando  práticas de linguagens”, pela Editora da Furb (EdiFurb). O lançamento ocorreu durante o I Colóquio Nacional: Diálogos entre linguagem e  educação & VII Encontro do NEL, em Blumenau.

O livro reúne artigos de pesquisadoras vinculadas à Linguística Aplicada que buscam compreender práticas situadas de usos da linguagem na escola e suas implicações para a educação. Com uma postura de etnógrafos, as autoras discutem e problematizam o fazer pesquisa com o viés dessa atividade interpretativa. Além disso, ressaltam a preocupação com os princípios éticos e os desafios que se impõem ao pesquisador social durante o processo de investigação.

O livro é dividido em duas partes. A primeira trata de implicações teórico-metodológicas da etnografia, enquanto a segunda traz implicações práticas do fazer etnográfico. Em toda a obra as autoras chamam a atenção para a importância dessa tradição metodológica na construção do desenho da pesquisa que visa compreender contextos educacionais relacionados ao ensino e à aprendizagem de línguas e seus desdobramentos para a formação de professores e para a realidade escolar.

Mais informações:
Professora Inêz: 9962-1305 ou
http://www.furb.br/editora/conteudo/?id=11&livro=259

Tags: Colégio de AplicaçãoUFSC

Histórias e vivências marcam os 20 anos do Projeto Córdoba

05/10/2012 10:03

Projeto faz parte do Acordo de Cooperação Acadêmico Cultural Brasil-Argentina, criado a partir do convênio entre a UFSC e a Universidad Nacional de Córdoba

Há 20 anos adolescentes argentinos e brasileiros caminham pelas realidades de dois mundos tão próximos, tão distantes, e fazem valer o que disse Simón Bolívar sobre nosso ser latino-americano: “Para nosotros la patria es América, nosotros somos un pequeño género humano”. São meninos e meninas do Colégio de Aplicação da UFSC e da Escuela Superior de Comercio Manuel Belgrano que há duas décadas fazem viver o Acordo de Cooperação Acadêmico Cultural Brasil-Argentina (Projeto Córdoba), que acomuna os dois colégios, a partir do convênio firmado entre a Universidade Federal de Santa Catarina e a Universidad Nacional de Córdoba.

Para celebrar esta maioridade, nesses primeiros dias de outubro, estudantes e seus professores se encontram em Florianópolis, durante uma semana comemorativa que definem em um princípio: “A integração começa por nós”. As atividades, que prosseguem até esta sexta, dia 5, no Colégio de Aplicação, incluem debates, exposição, apresentação de trabalhos de pesquisa de intercambistas argentinos e brasileiros. Há muito que festejar, principalmente as intensas trocas de duas décadas entre mais de 400 intercambistas, suas famílias e educadores, um patrimônio afetivo e de conhecimentos. Do projeto frutificaram feitos importantes, como a inclusão, desde 1996, do Espanhol, e desde 2003, da disciplina de Estudos Latino-Americanos, no currículo do Colégio de Aplicação da UFSC, primeira iniciativa de ensinar, de forma permanente, conteúdos sobre a vida de ‘Nuestra América’ em uma escola pública brasileira.

O projeto tem a marca do pioneirismo, pois já buscava contribuir para a integração latino-americana, muito além de trocas comerciais, antes mesmo da assinatura do tratado que instituiu o Mercosul. Os professores que coordenam os trabalhos lembram que o acordo se oficializou no ano das ditas “comemorações” pelos 500 anos do descobrimento da América, espaço temporal de uma massiva expropriação das riquezas de Abya Yala (”tierra en plena madurez”), nome original de ‘Nuestra América’. Para assinalar aquele momento histórico de reflexões e protestos, as duas instituições estabeleceram, em 1992, um pacto para avizinhar vidas que pulsam nos dois países, com o intuito de superar desconfianças, divergências, preconceitos, e de gerar novos paradigmas para uma América Latina possível.

Força da juventude

É precisamente a ideia da recuperação de uma identidade comum que tem permitido irmanar estudantes brasileiros e argentinos, que trocam valiosas experiências de vida e estudos nos dois países, além de se envolverem em pesquisas relacionadas a temas como meio ambiente, impactos do turismo de massa, ditadura na América Latina, transporte urbano, hábitos da juventude, movimentos sociais. Como dizem os professores, são os jovens que fazem e refazem este projeto. “A cada ano as suas experiências recriam a nossa experiência. Seus depoimentos são intensos, provavelmente porque são ímpares. Todos nós estamos de passagem, mas é pela retina do estudante que este projeto de insere nos espaços da cidade, da sala de aula e de casa.”

Foram vários os educadores argentinos e brasileiros que ao longo dos anos trabalharam para que o Córdoba chegasse à maioridade. Atualmente o projeto é coordenado, no Aplicação,   por Danusa Meneghello, professora de Geografia; Fabíola Teixeira Ferreira, do Espanhol; Ivan Brognoli, da disciplina de Biologia. Também participa de tudo, desde o início, Rodolfo Pantel, professor de História aposentado mais ativo do que nunca. Na sala que o Córdoba conquistou dentro do colégio, Rodolfo se sente em casa. Fala do projeto como um pai cuidadoso, que sabe de todos os passos do filho, conhece os momentos difíceis que atravessou e reconhece seu crescimento humano.

“É uma atividade coletivamente gratificante e fundamental em termos institucionais, porque fazemos algo diferente em uma escola pública”. Enquanto Rodolfo fala, entra na sala o estudante do terceiro ano do ensino médio, Paulo Remus Gregório, que em 2011 participou do intercâmbio. Após passar dois meses na Escuela Manuel Belgrano, ele diz que mudou bastante sua visão de mundo. “Hoje me sinto mais desprendido. Antes me importava com o modo de vir vestido ao colégio, tinha que ser de calça jeans… Agora venho assim, de agasalho, como estou agora. Perdi aquela visão burguesa…” Em Córdoba, Paulo pôde se acercar do movimento estudantil e percebeu o quanto são politizados os estudantes argentinos. “Se eles se manifestam por algum motivo sério, tomam o colégio e nem o diretor entra. São muito solidários uns com os outros. Os formandos cuidam dos pequenos naturalmente”.

Nesses 20 anos, mais de 400 estudantes participaram de intercâmbios

Dialogando com Paulo sobre a participação política estudantil no país vizinho, Rodolfo lembra que é comum em colégios públicos argentinos o “paro” (paralisação) com tomada da escola. Isto acontece porque os estudantes quando paralisam não ficam em casa, mas fazem greve de ocupação, com assembleias enormes, em que discutem seriamente os problemas e possíveis saídas. São comuns também “paros” de solidariedade. Isso acontece quando os estudantes param as atividades e se mobilizam por problemas que podem estar acontecendo até mesmo em províncias distantes, onde estudantes enfrentam problemas como sucateamento de escolas e ameaças de privatização do ensino, por exemplo.

O professor lembra que a Escuela Manuel Belgrano, que pertence à Universidad Nacional de Córdoba, tem uma história de resistência e luta que em grande parte justifica seu presente. Nascida em 1938 como uma escola para filhos de operários, viveu de forma trágica o período da ditadura na Argentina. Aqueles anos foram muito difíceis, pois a instituição sofreu as consequências da intervenção na universidade, além da expulsão e perseguição de alunos que até hoje figuram nas listas de desaparecidos.

Daquela escola, 11 meninos que sonhavam vida boa e bonita foram arrancados de sua existência pelos artífices do terror que se instaurou na Argentina com o golpe militar de março de 1976. Essa história triste é contada pela jornalista e militante em direitos humanos, Ana Mariani, que narra, em seu livro “La Vida por Delante, la tragedia de los chicos del Colegio Manuel Belgrano”,  o ‘desaparecimento’ de alunos secundaristas daquela escola. Meninos que tiveram a promessa de uma longa vida esfacelada. Nenhum deles chegou a completar a maioridade. A vida lhes foi arrancada pelo regime que assassinou 30 mil pessoas, uma maioria de trabalhadores, artistas e intelectuais esmagados simplesmente por sua condição de “perigosos” militantes politizados. No livro, Ana Mariani conta a tragédia dos 11 secundaristas entregues pela próprio diretor do colégio aos carrascos da ditadura, horror que aconteceu  em outras escolas da Argentina, num cenário brutal que ficou conhecido como “la noche de los lápices”, ainda hoje lembrado em manifestações.

Herdeiros da reforma

Mas para entender o espírito deste colégio argentino, com mais de 2700 alunos, é importante também lembrar fatos anteriores à ditadura e que marcaram a história do continente. Pois a Manuel Belgrano é vinculada à instituição em que eclodiu um movimento sem precedentes na história latino-americana e que ficou para a história como “a reforma de Córdoba”. Primeira universidade da Argentina, nascida nos anos 1600, sob a tutela dos jesuítas, e a quarta mais antiga instituição universitária da América, hoje abrigando mais de 110 mil estudantes de 250 cursos de graduação e pós, a Universidad Nacional de Córdoba a partir de 1918 alcançou força inesperada.

Pois foi em junho daquele ano que a juventude universitária de Córdoba, antecipando em meio século o famoso Maio Francês (ou Maio de 68), decidiu “chamar todas as coisas pelo nome que têm”, batendo-se pela reforma universitária num movimento que soprou ventos novos e conquistou adeptos em todo o continente. As reivindicações dos estudantes eram por renovação das estruturas, novas metodologias de estudo e ensino, raciocínio científico diante do dogmatismo, livre expressão do pensamento, compromisso com a realidade social e participação estudantil no governo da universidade. Sustentavam a proposta de reforma,  bases programáticas como o co-governo estudantil, autonomia universitária, livre docência, liberdade de cátedra, concursos com júri estudantil, pesquisa como função da universidade, extensão universitária e compromisso com a sociedade.

E é por terem acesso a esse substrato histórico-político, durante o intercâmbio, que se nota uma mudança significativa entre meninos e meninas do Aplicação após o estágio de vivência. Além de estabelecerem laços fortes com outros companheiros e as famílias que os acolhem em Córdoba, os estudantes passam a compreender o que significa ser latino-americano, uma condição geralmente pouco percebida pela juventude brasileira.

Rodolfo Pantel explica que é vital na proposta do Projeto Córdoba o fato de ela se dar entre duas escolas públicas e estar baseada na ideia de reciprocidade: mesmo número de estudantes intercambiados nos dois colégios; famílias hospedeiras que abrigam os recíprocos filhos nas duas cidades; realização de projetos de pesquisa relacionados a temas relevantes nos dois países. Até para levar e trazer os meninos e meninas ao seu país de origem e vice-versa atua-se com reciprocidade. Os professores que acompanham os seus estudantes ao país vizinho trazem os novos visitantes ao seu país de origem.

O projeto nasceu para possibilitar a estudantes um período de vivência nos países vizinhos, experimentando-se o intercâmbio cultural como forma de mobilização e aprendizado. A permanência inicialmente era de dois meses nas escolas e famílias irmãs, mas houve uma fase em que se trabalhou com a ideia de “talleres”/oficinas em que os estudantes conviviam todos juntos, por um período de dez dias, para aprofundarem a discussão de uma temática previamente preparada. Com o passar do tempo, porém, os educadores perceberam que era preciso mais tempo de convivência para buscar a integração, a quebra de preconceitos e a desalienação. Resolveram então retornar para a vivência de dois meses, por entenderem que ela permitia o período de frequência às aulas, o aprendizado das duas línguas e o convívio por dentro das escolas e famílias, para se conhecer mais intimamente o povo irmão.

Também se caminhou na direção de levar os estudantes a aprofundar os estudos, através da realização de trabalhos de pesquisa no período de permanência no outro país. Só assim, como esclarece Rodolfo, atuando em várias frentes de imersão na vida do outro, o intercâmbio poderia colaborar para uma integração real e para estimular uma mudança de mentalidade, ampliando o conhecimento da juventude sobre a realidade latino-americana. Cada estudante é livre para fazer a escolha do tema que deseja pesquisar e conta com a ajuda de professores orientadores nas duas escolas. Alguns deles escolhem temáticas com grau de dificuldade maior, mas acabam conseguindo concluir belos trabalhos, avalia o professor. Já houve pesquisas que versaram sobre temas delicados como a ditadura militar argentina, a guerra das Malvinas e a presença do negro na sociedade argentina, a “guerra da catraca”, como ficaram conhecidas as lutas estudantis por transporte público em Florianópolis.

Mas até chegar o alegre dia da partida para os esperados dois meses nos colégios irmãos, estudantes, educadores e suas famílias têm que trabalhar duro. Muitos alunos até renunciam temporariamente a outras atividades, porque precisam participar de reuniões e preparar a viagem com muito cuidado. Tudo acontece a partir de um pacto de responsabilidade dividida, com a autorização e cooperação dos pais. Algumas situações de inadequação são em geral bem superadas, e, na maioria das vezes, as famílias acabam ganhando “novos filhos”.

“Um dorme na cama do outro na Argentina ou no Brasil, ajuda nas tarefas domésticas da outra família. Houve até o caso de um estudante nosso que ajudava, por prazer, em alguns momentos de tempo livre, a cuidar do pequeno comércio do ‘pai’ de Córdoba, que tinha um “quiosco” no centro da cidade”, conta Rodolfo. “Nunca nenhum dos estudantes se arrependeu de participar, e esta é a maior prova de que o intercâmbio teve um significado profundo na vida de cada um”. Nesses anos todos, houve casos de quem retornou para uma visita aos “pais” argentinos ou para passar dias de férias nos verões brasileiros. Pelo menos um caso de namoro iniciado na Argentina terminou em casamento.

Filhos do Projeto Córdoba

Projeto Córdoba deu origem a outras iniciativas de intercâmbio, como o Che-Mané, que promove a integração de alunos dos colégios de aplicação da UFSC e da UFRGS

Além da inclusão do Espanhol e dos Estudos Latino-Americanos no currículo do Colégio de Aplicação, o projeto tem dado outros frutos, entre eles a criação de um curso superior de Geografia na Universidad Nacional de Córdoba, depois de um seminário ministrado na cidade argentina por professores do Aplicação/UFSC. Além disso, o trabalho inspirou projeto de intercâmbio semelhante, que hoje acontece entre o Cefet de Minas Gerais e o Colégio Nacional de Montserrat, também pertencente à universidade cordobense. Outro filho do Córdoba é o Projeto “Che Mané”, que irmana os colégios de Aplicação da UFSC e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. O intercâmbio possibilita um breve e intenso período de convivência entre gaúchos e “manezinhos”, atuando de forma concreta contra o preconceito latente e muitas vezes explícito em relação a argentinos e gaúchos.

A história do projeto tem ainda reflexos inesperados como o de atrair estudantes que nem chegaram a ser intercambistas, mas admiram a trajetória do Córdoba a ponto de querer trabalhar dentro dele. Thiago Bilck, estudante de Geografia na UFSC e bolsista do projeto nos últimos seis meses, confessa que é suspeito para falar do assunto: “É que estive a vida toda aqui no campus da UFSC.” Ele é filho de uma trabalhadora da universidade e começou no NDI (Núcleo de Desenvolvimento Infantil da UFSC), depois foi para o Aplicação e hoje está na universidade. “Quando surgiu a oportunidade de uma bolsa de estudos, o primeiro lugar em que pensei trabalhar foi no Projeto Córdoba, com a Danusa e o Rodolfo, que foram professores muito importantes para mim, pela sabedoria e pela visão crítica que manifestam.”

Thiago não chegou a participar do Córdoba como aluno do Aplicação, mas na UFSC teve uma experiência de vivência latino-americana em outro projeto, tendo viajado para Montevideo. “Por isso entendo a importância deste projeto, que leva estudantes a conhecerem pessoas que se parecem tanto com a gente, mas que às vezes parecem tão distantes de nós. Além de fazer amigos, aprendemos a olhar com outros olhos a nossa realidade latino-americana”.

Um dos segredos para o Projeto Córdoba ter chegado à maioridade, deixando tantas ressonâncias ao longo da estrada, é que ele foi transformado em atividade permanente do Colégio de Aplicação. Mesmo assim, o tempo todo, os envolvidos têm que se empenhar para manter o projeto vivo e reconhecido pelas instituições universitárias a que os colégios são ligados, pois são elas que renovam a cada três anos o acordo de cooperação.

São iniciativas como esta que, no seu aparente pequeno fazer, trazem insuspeitas esperanças e nutrem o sonho de unificação de Simón Bolívar, que ainda não se cumpriu, mas permanece vivo, como um farol, a indicar um caminho a “nosotros” latino-americanos: “Nuestras repúblicas se ligarán de tal modo que no parezcan en calidad de naciones sino de hermanas, unidas por todos los vínculos que nos han estrechado en los siglos pasados, con la diferencia de que entonces obedecían a una sola tiranía, y ahora vamos a abrazar una misma libertad con leyes diferentes y aun gobiernos diversos; pues cada pueblo será libre a su modo, y disfrutará de su soberanía, según la voluntad de su conciencia”.

Raquel Moysés / Jornalista do IELA / UFSC

Fotos: acervo do Projeto Córdoba

Tags: Colégio de AplicaçãoProjeto CórdobaUFSC

Projeto Córdoba celebra 20 anos de integração latino-americana

28/09/2012 10:20

Não é todo dia que um projeto na universidade pode festejar a maioridade. E ainda mais quando ele é sediado em um colégio. Pois é o que vai acontecer de 2 a 5 de outubro, no Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Santa Catarina, onde vão ser celebrados,  com debates, apresentação de trabalhos de pesquisa, exposição e encontro de intercambistas, argentinos e brasileiros, os 20 anos do Acordo de Cooperação Acadêmico Cultural Brasil-Argentina (Projeto Córdoba).Vinculado desde 2006 ao Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA/UFSC), o projeto é desenvolvido por professores do Colégio de Aplicação/Centro de Educação (CED), dentro do acordo firmado em 1992 entre a UFSC e a Universidad Nacional de Córdoba, por meio do Colégio de Aplicação e a Escuela Superior de Comércio Manuel Belgrano.

O acordo faz 20 anos, mas, na verdade, já resulta de todo um trabalho anterior de intercâmbio entre técnicos, professores e estudantes, iniciado em 1986.  Foi essa cooperação contínua que permitiu alcançar resultados importantes, como a inclusão do Espanhol, a partir de 1996, e da disciplina  de Estudos Latino-Americanos, desde 2003, no currículo do Colégio de Aplicação da UFSC, primeira iniciativa de ensinar, de forma permanente,  conteúdos sobre a vida de ‘Nuestra América’ em uma escola pública brasileira.

A recuperação da ideia de uma identidade comum tem permitido irmanar estudantes brasileiros e argentinos, que trocam experiências de vida e estudos nos dois países, além de se envolverem em pesquisas sobre temas relacionados à problemática ambiental, aos impactos do turismo de massa, à ditadura na América Latina, ao transporte urbano, aos hábitos da juventude, só para citar alguns exemplos.

São os jovens, como dizem os professores que coordenam os trabalhos, que fazem e refazem este projeto. “Cada ano as suas experiências recriam a nossa experiência. Seus depoimentos são intensos, provavelmente porque são ímpares. Todos nós estamos de passagem, mas é pela retina do estudante que este projeto de insere nos espaços da cidade, da sala de aula e de casa.”

Programação

2 de outubro:
15h30min – Encontro dos ex-intercambistas. Local: auditório do CA.
17h – Abertura da exposição “20 anos de integração”. A mostra apresenta o material que foi utilizado e produzido durante esses 20 anos: reflexões, fotos, artigos, desenhos, e  objetos pessoais dos intercambistas e dos professores. Período de Visitação: 2 a 7.10.2012 de 7h30 às 18h. Local: Espaço Estético do CA.

3 de outubro:
14h – Apresentação dos trabalhos de pesquisa dos intercambistas cordobeses 2012. Local: auditório do CA.

4 de outubro:
17h30min – Solenidade comemorativa.
18h30min – Mesa redonda: Memórias do Projeto Córdoba e do Projeto Brasil. Local: auditório do CA.
20h – Jantar de confraternização. Local: Restaurante Universitário.

5 de outubro:
14h – Apresentação dos trabalhos de pesquisa dos intercambistas brasileiros 2012. Local: auditório do CA.

Confira mais informações no folder

Raquel Moyses / Jornalista do IELA / UFSC
 

Tags: Colégio de AplicaçãoProjeto CórdobaUFSC

Especial Jogos Educacionais: Outros olhares sobre a História Brasileira

20/09/2012 07:29

As ciências podem ser das mais variadas – humanas, exatas, da saúde – mas os professores em sala de aula têm a mesma preocupação: atrair a atenção e facilitar o entendimento dos conteúdos ministrados. Para isso, muitos deles se desdobram lançando mão da criatividade e, não raro, buscam no lúdico a alternativa para estimular a imaginação dos estudantes e auxiliar na fixação das matérias. A UFSC tem desenvolvido pesquisas sobre jogos educacionais e o Jornal Universitário n°429 trouxe algumas das tantas iniciativas desenvolvidas por seus professores e estudantes. As cinco matérias resumidas no JU estão sendo publicadas na íntegra no site da UFSC durante esta semana.

 

Outros olhares sobre a História Brasileira

.

Para Fernando, seria interessante que os professores pudessem indicar também os jogos como bibliografia complementar

“Meus professores reclamavam que não tínhamos tempo de estudar, mas que arranjávamos uma brecha durante o dia para jogar video-game”, relata Fernando Fernandes, de 18 anos. Vivendo desde pequeno num contexto em que a vida e os relacionamentos são naturalmente intermediados pela internet, Fernando utilizou, no ano passado, a bolsa de Iniciação Científica do Ensino Médio (Pibic-EM) do Colégio de Aplicação (CA) da UFSC para explorar o tema que lhe instiga tanto e provar que os jogos eletrônicos servem também para ensinar. “Eu mesmo aprendi o básico do inglês com os jogos”, atesta.

A ideia inicial era trazer, por meio da bolsa, um apanhado geral da história do vídeo-game, mas Fernando acabou mudando o foco da pesquisa: decidiu criar seu próprio jogo, que traz, em suas cinco fases, cinco eras da história brasileira: o descobrimento, o Brasil colônia, a Independência, a Proclamação da República e a Era Vargas.

Calouro de Arquitetura e Urbanismo na UFSC, Fernando almeja ser professor, e tem como uma de suas motivações inserir o vídeo-game nas pesquisas universitárias. “Hoje nos indicam livros e filmes para complementar os conteúdos ministrados em aula; seria legal indicarem jogos também”.

Durante o período de espera pelo início das aulas de Arquitetura, Fernando continuou a confecção do jogo, apesar da bolsa de 100 reais mensais do CA já ter acabado. A parte gráfica da primeira fase já está concluída – “tem que pensar em tudo: vestimentas, traços físicos, cenários”, e Fernando sabe que, utilizando uma ferramenta mais simples, como o RPG Maker 2003, não irá atingir resultados considerados profissionais. Mas a repercussão tem sido boa: durante a I Mostra de Projetos de Iniciação Científica do Aplicação, ocorrida em abril (onde 30 trabalhos como o de Fernando foram apresentados), o auditório onde o estudante compartilhou sua pesquisa ficou cheio. “As pessoas querem saber como fazer um video-game; acho que todo mundo tem na cabeça uma história que gostaria de transformar em filme ou jogo”, arrisca.

Em breve, Fernando terá a colaboração de um profissional importante: seu irmão, que está finalizando o curso de Música, fará a trilha sonora do game. O estudante pretende disponibilizar o jogo ao CA, a fim de que outros pontos de vista sejam explorados em sala de aula. “Quero trazer o modo de vida dos índios, e o que mudou com a colonização. A vinda dos portugueses não foi um descobrimento, e sim um confronto”.

Leia mais:

Bancando o detetive

Para conhecer o próprio lar

Humanos contra o lixo espacial

Outros olhares

Mais informações com Fernando:

Por Cláudia Schaun Reis / Jornalista da Agecom
Foto: Wagner Behr / Agecom

Tags: Colégio de AplicaçãoHistória do Brasiljogos educacionais

Colégio de Aplicação retorna as aulas nesta terça-feira conforme o calendário escolar

30/07/2012 15:54

A Direção do Colégio de Aplicação informa que o retorno as aulas se dará nesta terça-feira, dia 31/7, conforme calendário escolar. Ainda nesta terça-feira, às 18 horas, no anfiteatro do CA, professores e técnico-administrativos em educação do colégio fazem uma reunião para debater as questões relativas à greve dos dois segmentos.

Informações: 3721-9527.

Tags: Colégio de Aplicaçãoreinício semestre