TV UFSC exibe encontro de reitores neste domingo

01/12/2010 18:17

No dia 9 de junho deste ano foi realizado, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), o Encontro de Reitores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O evento, organizado pela Comissão Executiva dos 50 anos em parceria com a TV UFSC, com o apoio da Agência de Comunicação (Agecom) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Convergência Digital (INCoD), representou um grande momento do calendário de comemorações do cinquentenário da Universidade. A TV Universitária exibe o programa neste domingo, dia 5 de dezembro, às 22 horas.

Estavam presentes na gravação os seguintes reitores: Ernani Bayer, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, Bruno Rodolfo Schlemper Júnior, Antônio Diomário de Queiroz, Lucio José Botelho e Alvaro Prata. Os dois primeiros gestores, João David Ferreira Lima e Roberto Mundell de Lacerda, já falecidos, foram homenageados. O terceiro reitor, Caspar Erich Stemmer, que não pode comparecer devido a problemas de saúde, foi representado por seu filho, também professor da Universidade, Marcelo Stemmer, do Centro Tecnológico.

A escolha do local de gravação, o TAC, não foi ao acaso. Na década de criação da UFSC, muitas solenidades foram realizadas no teatro, entre as mais importantes está a cerimônia de instalação da Universidade, no dia 12 de março de 1962. O evento foi marcado por muitas lembranças. Durante o encontro, os reitores comentaram os principais destaques de suas gestões, relembraram momentos difíceis, vitórias e, é claro, não poderiam deixar de falar do futuro da Instituição.

Esse importante momento histórico você acompanha na TV UFSC, domingo, dia 5 de dezembro às 22 horas, no canal 15 da NET. O programa será reapresentado em duas quintas-feiras, dias 9 e 16 de dezembro, e em dois sábados, dias 11 e 18 do mesmo mês, sempre às 22 horas.

Mais informações sobre a programação no site www.tv.ufsc.br.

Por Mayara Vieira/bolsista de Jornalismo na TV UFSC

Tags: encontro reitoresTACTV UFSC

Divulgada a relação dos indicados para o Prêmio Amigo da UFSC 2010 Edição Especial – 50 anos, 50 amigos

29/11/2010 18:15

Os 50 amigos da UFSC 2010 receberão a homenagem em solenidade festiva, no dia 14 de dezembro, às 18h30min, no auditório Garapuvu, no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Confira a relação:

50 ANOS 50 AMIGOS

SEQ

NOMES DOS INDICADOS

UNIDADE

1

Téc.-Adm. Lúcia Maria Loch Góes

CAMPUS ARA

2

Prof. Sérgio Peters

CAMPUS ARA

3

Téc.-Adm. Dalton Barreto

CAMPUS CBS

4

Prof. Darci Odílio Paul Trebien

CAMPUS CBS

5

Téc.-Adm. Dalto Nascimento dos Santos

CAMPUS JVL

6

Prof. Edison da Rosa

CAMPUS JVL

7

Téc.-Adm. Carlos Roberto Silva

CCA

8

Prof. Lineu Schneider

CCA

9

Téc.-Adm. Paulo Roberto Cardoso Villalva

CCB

10

Prof.ª Yara Maria Rauh Müller

CCB

11

Téc.-Adm. Aldanei Luci Corrêa

CCE

12

Prof.ª Susana Maria Fontes

CCE

13

Téc.-Adm. Maria Angélica Barcelos da Silva

CCJ

14

Prof.ª Olga Maria Boschi Aguiar de Oliveira

CCJ

15

Téc.-Adm. Mário César Ferreira

CCS

16

Prof. Cleo Nunes de Sousa

CCS

17

Téc.-Adm. Olavo Carneiro da Cunha Brito

CDS

18

Prof. Elenor Kunz

CDS

19

Téc.-Adm. Maria Madalena Gonçalves

CED

20

Prof.ª Nilcéa Lemos Pelandré

CED

21

Téc.-Adm. Maria de Lourdes Vargas.

CFH

22

Profª Mara Coelho de Souza Lago

CFH

23

Téc.-Adm. Silvia D’Ávila Fernandes

CFM

24

Prof. Ivan Gonçalves de Souza

CFM

25

Téc.-Adm. Vilma da Silva Luiz

CSE

26

Prof. João Nilo Linhares

CSE

27

Téc.-Adm. Eugênio Luiz Gonçalves

CTC

28

Prof. Augusto Humberto Bruciapaglia

CTC

29

Téc.-Adm. Elci Terezinha de Souza Junckes

GR

30

Prof. Lucio José Botelho

GR

31

Téc.-Adm. Francisco Carlos Fermiano

HU

32

Prof. Antonio Carlos Ferreira da Cunha

HU

33

Téc.-Adm. Elza de Sousa

PRAE

34

Prof. Cláudio José Amante

PRAE

35

Téc.-Adm. Rita de Cássia Knabben

PRDHS

36

Prof. Narbal Silva

PRDHS

37

Téc.-Adm. Vanderli Vandresen

PREG

38

Prof. Rodi Hickel

PREG

39

Téc.-Adm. Nicolau Jorge Haviaras

PROINFRA

40

Prof. João Carlos dos Santos Fagundes

PROINFRA

41

Téc.-Adm. Heliete Nunes

PRPE

42

Prof. Washington Portela de Souza

PRPE

43

Téc.-Adm. Rosangela Gomes da Silva

PRPG

44

Prof. José Antonio Bellini da Cunha Neto

PRPG

45

Téc-Adm. Clóvis Werner

SECARTE

46

Prof.ª Maria de Lourdes Alves Borges

SECARTE

47

Téc.-Adm. José Fernandes Matos

SEPLAN

48

Prof. Tuing Ching Chang

SEPLAN

49

Téc.-Adm. Zulmira da Silva

SINTER

50

Prof. Carlos Alberto de Campos Selke

SINTER

Outras informações no site www.amigo2010.ufsc.br.

Tags: 50 indicadosAmigo da UFSC 2010evento 50 anos UFSC

Gestão das unidades de conservação no Brasil em debate nesta quinta às 19h

29/11/2010 15:58

A médica veterinária Luisa Lopes,  analista ambiental do ICMBio – Estação Ecológica Carijós, ex-gestora de unidades de conservação federais em Rondônia e Rio Grande do Sul fará uma exposição sobre o tema Problemática da gestão das unidades de conservação no Brasil – unidades de pesquisa. Nesta quinta, dia 2 de dezembro, no auditório do Departamento de Ciências da Administração 1º andar  do CSE . Informações e 3721-9374 ramal 227

Tags: gestão ambientalSeminários ord/ciriec

Professor da UFSC ganha Prêmio Cientista do Ano

29/11/2010 10:20

Walter Oliveira é presidente da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme) e chefe do Departamento de Saúde Pública da UFSC

Quando ganhou o prêmio Cientista do Ano, concedido pela University for Peace Foundation, em setembro, o documento para Walter Ferreira de Oliveira dizia: “em reconhecimento a uma vida dedicada à Psiquiatria Cultural e à História da Medicina, por meio de trabalho interdisciplinar, ensino, pesquisa e educação, sempre com uma brilhante liderança e entusiasmo”. A homenagem internacional não é a primeira que o professor do Departamento de Saúde Pública da UFSC recebe – pelo menos mais seis prêmios e títulos reconhecem seu trabalho na área da saúde.

Apesar do Lattes extenso, é o próprio currículo online que indica o trabalho do médico para além da formação acadêmica. “Não basta trabalhar com informação”, diz Oliveira. Formado em 1976 pela Escola de Medicina e Cirurgia, ligada à da Federação das Escolas Federais Isoladas do Estado do Rio de Janeiro (atual Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro), especializou-se em psiquiatria e o interesse pela medicina social o fez se aproximar das artes. Na Escola de Teatro Martins Pena, estudou corpo, expressão e compartilhou as ideias de Augusto Boal, dramaturgo brasileiro que entende o teatro como instrumento que atinge também a saúde mental, a educação e o sistema prisional. A formação complementar o influenciou para que fizesse parte dos projetos Terapeutas da Alegria e Humanizarte.

A defesa de que os profissionais da saúde devem encurtar as distâncias entre pacientes e colegas de trabalho é aplicada em outras áreas de ensino. Oliveira é professor em cursos de Administração e dá aula de Transpessoalidade. A disciplina trata das palavras-chave que rodeiam o ser humano: amor, ódio, ciúme, sexo. “A Administração é uma ciência humana. Para ser um bom gestor, antes da técnica, o administrador precisa se relacionar bem”.

O contato com a Administração não se deu ao acaso. Oliveira é presidente da Associação Brasileira de Saúde Mental (Abrasme) e chefe do Departamento de Saúde Pública da UFSC, onde está desde 2002. As atividades administrativas dividem espaço com os projetos de pesquisa, as orientações de mestrado, as avaliações de projetos junto ao Ministério da Saúde, onde é consultor, e com os trabalhos de extensão.

Em 2008, com alunos da graduação e de pós-graduação, participou de um trabalho com moradores do bairro Pantanal sobre o sistema de lixo da comunidade. A quantidade de lixo jogado nas ruas e nos terrenos refletia a falta de consideração dos moradores pelo bairro – uma questão mais complexa do que a falta de educação.  A atividade teve duas intervenções no Pantanal. Hoje, o Laboratório de Saúde Comunitária e Atenção Psicossocial, onde são realizadas as atividades de extensão, está aberto a novas iniciativas.

Entre seus sete projetos de pesquisa em andamento, um deles continua um estudo que Oliveira iniciou no mestrado e deu sequência no doutorado, sobre moradores de rua.  O projeto Educação Social de Rua busca coletar, analisar e publicar dados sobre a Pedagogia Social de Rua, em caráter internacional. Se dessa vez a pesquisa é mais acadêmica, entre 1990 e 1994, quando realizou o doutorado na University of Minnesota, a pesquisa foi a campo. Oliveira frequentou por um ano e meio as ruas de São Paulo, conviveu com os seus moradores e com os representantes de instituições como a Pastoral do Menor e Fundação CASA, antiga Febem. “Foi um momento muito intenso da minha vida”, lembra o professor.

Outras duas pesquisas estão ocupando Oliveira e alunos da graduação. Eles estão interessados em identificar e entender quais os motivos que levam as pessoas a tomarem tantos medicamentos para transtorno mental, especialmente as crianças. O trabalho desenvolvido desde 2008  indica a importância do tema na atualidade e pode, no futuro, propor caminhos para alterar essa problemática.

Saiba Mais:

Prêmios/títulos registrados no Lattes:

1993 – Mac Arthur Predissertation Fieldwork Grant, Mac Arthur Foundation for Peace and International Cooperation.
1990 – Presidential Leadership Award, University of Minnesota.
1990 – Certificate of Appreciation, Lotus Delta Coffman.
1986 – Recognition Award, Minnesota Awareness Project.
1985 – Hubert H. Humphrey Fellowship, Institute of International Education.
1983 – Council for International Program Fellowship, United States Information Agency.

Mais informações:  / Telefone: (48) 3721-9388

Por Claudia Mebs Nunes / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: PremioPremio Cientista do AnoWalter Oliveira

Projeto 12:30 recebe banda Habitantes de Zion nesta quarta e quinta

29/11/2010 10:02
Grupo se apresenta também no Projeto 12:30 Acústico, nesta quinta-feira

Grupo se apresenta também no Projeto 12:30 Acústico, nesta quinta-feira

O Projeto 12:30 desta quarta-feira, 1º/12, recebe a banda de reggae Habitantes de Zion. O show acontece às 12h30min, na Concha Acústica da UFSC. É gratuito e aberto à comunidade.

A banda também se apresenta no Projeto 12:30 Acústico desta quinta-feira, 2/12, às 12h30min, no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha. Assim como o anterior, o espetáculo é gratuito e aberto à comunidade.

A banda de Reggae Habitantes de Zion foi fundada em meados de 2004 em Florianópolis por Maurício Zion, o ‘Mister Roots’, com alguns companheiros de filosofia e trouxe para o ritmo quente do reggae as suas composições – letras inspiradas nos princípios de amor, liberdade e paz, bandeiras da nova era. Foi o encaixe perfeito, pois o reggae, originário da Jamaica, nasceu do anseio da juventude em libertar-se do jugo do preconceito e das barreiras sociais e econômicas, tornando-se, mais tarde, o mais forte louvor de fé daquele povo em um Deus Libertador.

Com um som sem regras e um ritmo contagiante, misturado a letras de mensagens claras e reflexivas, os Habitantes de Zion vêm conquistando público e expressão. Em sua trajetória musical, a banda já dividiu palco com artistas de projeção, como os grupos Jah Live (DF), Mato Seco (SP), Namastê (PR) e as internacionais Israel Vibration (Jamaica), Groundation (Califórnia – EUA) e Midnite (St. Croix – Ilhas Virgens); além dos cantores Ras Bernardo (SP), Professor Dionísio (RS), Dada Yute (SP), Fauzi Beydoun (MA), entre outros. Tudo sempre com muita competência e profissionalismo.

Fiéis ao seu compromisso em propagar mensagens positivas e músicas de conteúdo e qualidade, a banda conta hoje com o respeito e admiração de grandes nomes da música brasileira e da reggae music.Mais informações como músicas, fotos, vídeos sobre a banda são encontrados no link www.myspace.com/habitantesdezion

Os integrantes:

Mister Roots (vocal), Meg Roots e Bia Lits (backing vocal), Davizerah (baixo) , Jean Zion (bateria), Rodrigo Mustafa (teclados), Vinicius (percussão), Ras Keko (guitarra base) e Bruno HDZ (guitarra solo).

Serviço:

O QUÊ: Show com a banda de Reggae Habitantes de Zion

QUANDO E ONDE: Dia 1º de dezembro de 2010, quarta-feira, às 12h30 na Concha Acústica, Praça da Cidadania, Campus Universitário.

Dia 02/12 às 12h30 no Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, na Praça Santos Dumont. Trindade, Florianópolis.

QUANTO: Gratuito, aberto à comunidade.

CONTATO: DAC: – www.dac.ufsc.br – BANDA: e-mail: ou

‘Mister Roots’ Maurício Zion: (48) 3233-0791 ou (48) 8417-7438

Luz de Zion Produção (48) 3269-7835

Fonte: Patrícia Siqueira – Acadêmica de Jornalismo, Assessoria de Imprensa do DAC: SeCArte: UFSC, com material institucional e da banda.

Tags: culturaProjeto 12:30

Grupo de Estudos de Astronomia comemora 25 anos com programação especial no Auditório do Planetário

29/11/2010 09:46

Em comemoração aos 25 anos do Grupo de Estudos de Astronomia (GEA), o planetário da UFSC estenderá suas atividades até a primeira semana de dezembro com três dias de programação especial. A ideia é comemorar o aniversário do grupo e o Dia Internacional da Astronomia (02/12) com temas de interesse do público em geral.

Entre as palestras que serão ministradas por integrantes do GEA estão “História da Astronomia”, por Adolfo Stotz, “Estrelas, Constelações e Planetas”, por Alfredo Martins e “Cosmologia”, por Antonio Lucena.

“Não podemos deixar essas datas passarem em branco”, diz José Geraldo Mattos, secretário da atual diretoria do GEA. Por isso, no dia 3 de dezembro, acontecerá também uma festa de confraternização de fim de ano às 20h na Associação dos Servidores do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem (Asder).

O Anfiteatro do Planetário da UFSC, onde acontecem as palestras, tem capacidade de 45 lugares e não é necessária a inscrição prévia.

25 anos de Estudos Astronômicos

Há 25 anos, todas as sextas-feiras, às 20h, acontecem no Planetário da UFSC palestras abertas ao público com temas diversos relacionados à astronomia e a ciências afins. Além das palestras, são oferecidas à comunidade nos meses de maio e setembro cursos compostos por aulas expositivas, sessões de planetário e observação em telescópio. O Grupo foi criado no dia 2 de dezembro de 1985, e desde então  realiza também reuniões e eventos astronômicos, como a Festa das Estrelas no município de Alfredo Wagner, com observação de eclipses e cometas em locais públicos.

Programação de aniversário:

01/12 – quarta
18h – Sessão de DIGISTAR – Tânia Maris
19h – História da Astronomia – Adolfo Stotz
20h – Estrelas, Constelações e Planetas – Alfredo Martins
21h – Galáxias – Gustavo La Torre

02/12 – quinta
19h – Astronomia Moderna – Frederico Taves
20h – Cosmologia – Antonio Lucena
21h – Vida no Universo – Adolfo Stotz

03/12- sexta
20h – Festa de Confraternização de Fim de ano ASDER

Mais informações: www.gea.org.br

Por Ana Luísa Funchal/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: astronomiagrupo de estudos de astronomia

Instituto de Estudos Latino-Americanos inaugura nova sede

26/11/2010 18:27

marca do Instituto de Estudos Latino-Americanos

O Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA)  inaugura nesta quarta-feira, 1º/ 12, às 18h, sua nova sede no primeiro andar do bloco D do CSE. O IELA é uma organização de pesquisa, ensino e extensão dedicada não só ao conhecimento da realidade da América Latina, como também das suas contradições. Foi concebido 2004 como um grupo de estudos, mas só se tornou instituto a partir de 2006. “Antes nós funcionávamos em uma salinha; agora, com espaço maior, poderemos acolher melhor os estudantes e professores”, ressalta a jornalista, Elaine Tavares.

Além dos eventos organizados pelo grupo, entre eles as “Jornadas Bolivarianas”, que debatem a cada edição temas referentes à realidade da maioria dos países latinos, o IELA também promove projetos de pesquisa que englobam diversos departamento e centros da universidade, entre eles o CSE, CDS, CTC, CCJ e CED, inclusive o Colégio de Aplicação. “É fundamental essa integração dentro da Universidade, para que possamos estudar de maneira mais ampla a América Latina. Nós, brasileiros, não conhecemos o que acontece nos demais países”, completa Elaine.

O Instituto possui parcerias com diversas universidades brasileiras, entre elas UEL UEM UFES, UFJF, UFRGS e UFRJ, e também em países como Argentina, Chile, Bolívia, Haiti, Venezuela, Cuba, México, Estados Unidos e China.

Mais informações: www.iela.ufsc.br

Por Ana Luísa Funchal/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

HU fez 76 cirurgias plásticas de caráter tumoral durante a semana

26/11/2010 15:50

Com os quatro pacientes atendidos na manhã desta sexta-feira, dia 26, chegou a 76 o número de procedimentos realizados durante a Maratona de Cirurgias Plásticas do Hospital Universitário da UFSC, que começou segunda-feira. Desta forma, o HU zera a fila de pacientes de todo o Estado que esperavam por operações de reconstrução, todas de caráter tumoral, aproveitando que Florianópolis sediou, durante esta semana, o Congresso Brasileiro de Anestesiologia, evento que liberou parte das salas do centro cirúrgico da casa de saúde.

Vice-reitor Paraná (centro) com os médicos responsáveis pela Maratona: "Houve dias em que a equipe realizou 18 cirurgias, indo das 8h até à 1h da manhã”, afirmou o doutor Rodrigo d’Eça Neve. Foto: Paulo Noronha / Agecom

De acordo com o diretor do hospital, Felipe Felício, o mutirão foi comandado pelos cirurgiões Rodrigo d’Eça Neves, diretor do Serviço de Cirurgia Plástica, Jorge Bins Ely e Zulmar Accioli, que trabalharam ao lado de seis médicos residentes em três salas destinadas exclusivamente a este fim, durante cinco dias. “Houve dias em que a equipe realizou 18 cirurgias, indo das 8h até à 1h da manhã seguinte”, conta o diretor d’Eça Neves. Todas elas estavam previamente agendadas e os pacientes foram atendidos com o uso de anestesia local e liberados em seguida.

Agora, o material retirado será encaminhado para análise de laboratório e, se for o caso, os pacientes serão chamados para uma eventual reoperação. O diretor do Serviço de Cirurgia Plástica calcula que 15% dos casos vão requerer uma nova intervenção. De qualquer maneira, em seis meses os pacientes poderão saber se terão de voltar para realizar novo procedimento. Todo o processo, incluindo consulta e operação, é gratuito.

“Este é o único serviço de cirurgia plástica do Estado que forma novos especialistas”, diz o diretor. Como o HU funciona como escola, os cirurgiões gerais se especializam durante mais três anos para atuarem nesta área. A intenção é repetir a maratona em 2011, evitando que os pacientes de uma doença que pode progredir se submetam a uma fila de espera. “A própria Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica vem estimulando esses mutirões”, informa d’Eça Neves.

Segundo os médicos do HU, a maior parte dos pacientes são pessoas com mais de 40 anos e um histórico de muita exposição ao sol. São agricultores, pescadores, pessoas que trabalham ao ar livre ou que excederam as horas de sol na praia, na juventude.

O cirurgião Rodrigo d’Eça Neves diz que o fato de ter uma população de pele predominantemente clara, sobretudo no Vale do Itajaí, faz de Santa Catarina um Estado com elevada incidência de câncer. “O efeito maléfico do sol é somatório”, conta ele, informando que a quantidade de raios é que pode determinar o risco de desenvolver um tumor. Além da exposição ao sol de forma desregrada, o uso de recursos sem efeito comprovado para o bronzeamento da pele termina por gerar um novo fator de risco.

Pior ainda são as máquinas que bronzeiam, que podem provocar melanomas e que vêm sendo proibidas em quase todos os países. “A boa notícia é que aumentou a consciência acerca dos perigos e há mais informações disponíveis para que as pessoas evitem a exposição excessiva à luz solar”, conclui o médico.

Mais informações na direção do Hospital Universitário, fone (48) 3721-9136.

Por Paulo Clóvis Schmitz/ Jornalista na Agecom

Tags: cirurgias plásticasHUmaratonatumor

Grupo de Estudos de História do Conhecimento de Enfermagem e Saúde comemora 15 anos de fundação

26/11/2010 15:10
O Grupo de Estudos de História do Conhecimento de Enfermagem e Saúde (Gehces) comemorará no dia 7 de dezembro, a partir das 14h, no Plenarinho Deputado Paulo Stuart da Assembleia Legislativa de SC, seus 15 anos de fundação.

Além da mesa-redonda coordenada pela professora Maria Itayra Padilha, o evento também contará com as palestras “Compartilhando lembranças da prática e do cuidado de Enfermagem de uma época em Santa Catarina (1956-1963)” ministrada por Ottillie Hammes, “Uma viagem no tempo – Vivenciando ter sido enfermeira e professora do curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (1963-1992)” por Nelcy Terezinha Mendes e “A importância da Pesquisa Histórica e a produção de conhecimento para fortalecimento da profissão de Enfermagem” por Lygia Paim. A apresentação da produção do Gehces e o coquetel de confraternização encerrarão o evento.

A presença deve ser confirmada até a próxima terça-feira, dia 30, pelos telefones (48) 9123-0124 ou 8479-5876.

O Gehces pesquisa desde 1995 a história da enfermagem brasileira pré-profissional, a história das várias especialidades que compreendem as terapias implementadas nos diversos campos de conhecimento de enfermagem, discussões sobre a política de educação e institucionalização do ensino de enfermagem e a construção da identidade profissional da saúde. Além disso, o grupo também tem por objetivo preservar a memória da enfermagem brasileira a partir da construção de um acervo de documentação escrita e fontes iconográficas.

Por Ana Luísa Funchal/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Vestibular UFSC/2011: medicina continua curso mais concorrido

26/11/2010 12:20

Com índice geral de 66.31 candidatos por vaga, o curso de Medicina permanece o mais procurado da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Para candidatos que não optaram pelo Programa de Ações Afirmativas esse percentual chega a 77.77.

Na sequência das dez graduações mais concorridas da UFSC estão Arquitetura e Urbanismo (17.10); Direito – Diurno (14.59); Engenharia Civil (14.36); Direito – Noturno (13.12); Engenharia Química (12.60); Engenharia Mecânica (11.07); Oceanografia (10.83); Odontologia (9.86); Psicologia (9.71); e Jornalismo (9.52). Entre os menos procurados estão os cursos de Matemática e Computação Científica (0.73 candidatos por vaga); Letras – Língua Italiana (1.10) e Biblioteconomia (1.28). A relação candidatos-vaga completa está no endereço www.vestibular2011.ufsc.br/index.php.

Estão inscritos 34.910 estudantes no Vestibular UFSC/2011, que concorrerão a 5.881vagas. A Coperve alerta que os candidatos devem entrar no site www.vestibular2011.ufsc.br para conferir os locais onde farão as provas. As provas do Vestibular 2011 estão marcadas para ao dias 19 (Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Língua Estrangeira, Matemática e Biologia), 20 (História, Geografia, Física e Química) e 21 de dezembro (Redação e quatro questões discursivas), e serão realizadas em 13 cidades de Santa Catarina: Florianópolis, Araranguá, Blumenau, Camboriú, Canoinhas, Chapecó, Criciúma, Curitibanos, Itajaí, Joaçaba, Joinville, Lages e Tubarão.

Neste concurso, a UFSC oferece 83 graduações e habilitações, nos campi de Florianópolis, Joinville, Curitibanos e Araranguá. As provas serão realizadas entre 14h e 18h, mas os portões serão fechados às 13h45min. Uma das novidades deste ano são os dois novos cursos, ambos no campus de Araranguá – Engenharia da Computação e Fisioterapia –.

Os candidatos classificados no Concurso Vestibular UFSC/2011 para os 1º e 2º semestres letivos de 2011 efetuarão matrícula nos dias 10 e 11 de fevereiro, nos respectivos campi, exceto os candidatos classificados para o curso de Engenharia de Materiais, os quais deverão efetuar matrícula nos dias 27 e 28 de janeiro.

A UFSC e o Enem:

Como ocorreu no ano passado, a UFSC vai adotar a nota da prova objetiva do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como percentual de 20% no Vestibular 2011. Mas, caso a composição com o conceito do Enem prejudique o candidato, prevalecerá a nota do vestibular. A previsão é de que a lista dos aprovados seja divulgada no final de janeiro, após a publicação das notas do Enem.

Ações Afirmativas:

No Vestibular 2011 a UFSC permanece com seu Programa de Ações afirmativas, reservando 20% das vagas de cada curso para candidatos que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em instituições públicas de ensino. Além disso, 10% serão destinadas para candidatos autodeclarados negros, que tenham também cursado integralmente o ensino fundamental e médio em instituições públicas. Caso não sejam preenchidas dentro desse requisito, as vagas destinadas a candidatos autodeclarados negros poderão ser preenchidas por estudantes que tiveram outra trajetória acadêmica. Oito vagas serão destinadas para candidatos autodeclarados indígenas.

Dez cursos mais concorridos no Vestibular UFSC/2011

Índice geral de candidatos/vaga:

Medicina: 66.31

Arquitetura e Urbanismo: 17.10

Direito – Diurno: 14.59

Engenharia Civil: 14.36

Direito – Noturno: 13.12

Engenharia Química: 12.60

Engenharia Mecânica: 11.07

Oceanografia: 10.83

Odontologia: 9.86

Psicologia: 9.71

Jornalismo: 9.52

Relação candidatos/vaga para candidatos que não optaram pelo Programa de Ações Afirmativas

Medicina: 77.77

Arquitetura e Urbanismo: 19.00

Direito – Diurno: 16.83

Engenharia Civil: 15.25

Engenharia Química: 14.37

Direito – Noturno: 13.57

Engenharia Mecânica: 12.96

Oceanografia: 11.81

Odontologia: 10.36

Relações Internacionais: 10.05

Relação candidatos/vaga para candidatos de escolas públicas

Medicina: 52.95

Arquitetura e Urbanismo: 17.44

Engenharia Civil: 16.82

Direito – Noturno: 15.94

Psicologia: 13.00

Odontologia: 12.40

Direito – Diurno: 12.06

Oceanografia: 11.83

Engenharia Química: 11.60

Nutrição: 11.56

Relação candidatos/vaga para candidatos negros

Medicina: 12.70

Psicologia: 4.89

Jornalismo: 4.83

Direito – Noturno: 4.33

Direito – Diurno: 4.00

Nutrição: 3.60

Geologia: 3.33

Engenharia Civil: 3.27

Enfermagem: 3.25

Arquitetura e Urbanismo: 3.13

Mais informações no site www.vestibular2011.ufsc.br e também junto à Coperve pelo fone (48) 3721-9200.

Por Margareth Rossi/Jornalista da Agecom

Tags: relação candidatos/vagavestibular 2011

Resultado da eleição para Comissão Permanente de Pessoal Docente

26/11/2010 10:33

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação comunica o resultado das eleições para escolha dos representantes da Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD).  A comissão foi constituída para assessorar aos Órgãos Deliberativos Centrais da UFSC na formulação, aperfeiçoamento  e  modificação  da  política  de  pessoal docente .

Resultdo da eleição:

a) Magistério Superior
– 1º Antônio Carlos Alves (membro) – FIT/CCA – 262 votos,
– 2º Hélio Ademar Schuch (membro) – JOR/CCE – 258 votos,
– 3º Sinésio Stefano Dubiela Ostroski (membro) – CAD/CSE – 253 votos,
– 4º Fernando Augusto da Silva Cruz (membro) – INE/CTC – 250 votos,
– 5º Vera Lúcia Teixeira (membro) – DIR/CCJ com 249 votos,
– 6º Murilo José Nunes de Abreu Junior (membro) – ODT/CCS – 246 votos,
– 7º Félix Pedro Quispe Gómez (suplente) – MTM/CFM – 210 votos,
– 13 votos brancos
– 12 votos nulos

b) Magistério Educação Básica, Técnica e Tecnológica
– 1º Márcia Vieira Cardoso (membro) – CA – 40 votos
– 2º Marcos Vinícius Mocellin Ferraro (membro) – CA – 31 votos,
– 1 voto em branco
– 2 votos nulos

Tags: Comissão Permanente de Pessoal DocenteCPPDeleições

Morre em La Paz o presidente do Instituto Histórico e Geográfico

26/11/2010 09:18

Na foto o presidente está entre o professor Rodolfo Pinto da Luz e o filho do professor João David Ferreira Lima, Paulo Ferreira Lima

A historiografia catarinense perdeu na quarta-feira, dia 24, um de seus representantes mais ativos e respeitados. Morreu em La Paz, capital da Bolívia, onde se encontrava em missão cultural, o historiador Carlos Humberto Corrêa, presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina. Professor aposentado da UFSC, ele escreveu livros importantes, como “Santa Catarina – Um Estado entre Duas Repúblicas”, “Os Governantes de Santa Catarina de 1739 a 1982” e “Jerônimo Coelho – Um Liberal na Formação do Segundo Império”. Também pertencia à Academia Catarinense de Letras.

Aos 69 anos, o presidente do IHGSC estava em La Paz para, entre outras coisas, tomar posse como membro sócio-correspondente da Academia Boliviana de História no Estado de Santa Catarina. Segundo informações, após a solenidade ele decidiu percorrer as imediações do hotel onde estava hospedado, quando sofreu um infarto fulminante, por volta das 17h locais (19h de Brasília). Seu corpo será transladado para Florianópolis, onde será enterrado.

Carlos Humberto Corrêa podia ser encontrado diariamente na sede do Instituto Histórico e Geográfico, localizado no andar térreo do Palácio Cruz e Sousa, no centro da capital catarinense. Entre as características de sua obra estão o estilo coloquial dos textos e o interesse por personagens importantes da política catarinense nos últimos três séculos. Em vista de sua morte, a Assembleia Legislativa do Estado cancelou a homenagem que faria aos 90 do IHGSC na próxima terça-feira, dia 30.

Mais informações: Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina / Telefone (48) 3222-5111

Tags: Carlos Humberto Corrêanota de falecimento

Espetáculo O Bosque dos Sonhos será encenado no dia 4 de dezembro

26/11/2010 08:30

O Palco do Bosque da UFSC recebe no dia 4 de dezembro, às 17h30min, o espetáculo “O bosque dos sonhos”, trabalho dos alunos do grupo de dança dos projetos coordenados pela professora Vera Pardo, do Colégio de Aplicação.

O projeto existe desde o ano de 2003 na sala de dança do Colégio de Aplicação da UFSC e atende alunos do Colégio Aplicação, Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI), Centro de Educação Infantil Flor do Flor do Campus e comunidade universitária.

A iniciativa contempla uma nova proposta de ensino. “Não se pretende formar bailarinos, mas proporcionar ao aluno um contato mais efetivo e intimista com a possibilidade de se expressar criativamente através do movimento”, explica a professora Vera.

Segundo ela o trabalho busca de uma prática pedagógica mais coerente com a realidade escolar, na qual a dança prepara o corpo dos alunos a fim de que se exercitem de acordo com suas necessidades, desenvolvendo a destreza, a agilidade e a autonomia, estimulando os movimentos espontâneos e a precisão do gesto. “Nesse processo é indispensável, portanto, desenvolve a consciência crítica, pois o movimento expressivo é antes de tudo, um movimento consciente”, complementa.

O espetáculo:

No Bosque dos Sonhos moram os personagens do mundo da fantasia. Ali vivem uma vida normal. Cada vez que uma criança vai sonhar, eles são convocados para entrar no sonho daquela criança, e só aí executam as histórias que a gente conhece.

O espetáculo musical baseado na peça de Oswaldo Montenegro conta as aventuras de seus personagens de maneira alegre e divertida, deixando fluir a emoção do texto, através da música, dança e do diálogo. Com mais de 50 bailarinos no palco, o Bosque dos Sonhos é na expressão mais simples um “musical para gente grande”.

Serviço:

O QUÊ: Espetáculo de dança “O bosque dos sonhos”

QUANDO: Dia 4/12, sábado, às 17h30min

ONDE: Palco do Bosque da UFSC

QUANTO: Gratuito, aberto à comunidade.

CONTATO:

Tags: cultura

Centro de Ciências Biológicas homenageia João Batista Calixto com Prêmio Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos

26/11/2010 08:01

O professor do Departamento de Farmacologia será homenageado no dia 16 de dezembro

No final da década de 1960, quando a Faculdade de Medicina do Estado de Santa Catarina foi integrada à Universidade Federal de Santa Catarina, a Farmacologia se tornou uma disciplina vinculada ao Departamento de Patologia. Na década de 1970, os esforços para fazer crescer a UFSC, instalada há poucos anos, levaram à implantação da Coordenadoria  de Farmacologia. Com o objetivo de qualificar o ensino e com a visão sobre a importância de incentivar a pesquisa nesse campo, o então reitor, professor Carpar Erich Stemmer, buscou em outros estados professores que o ajudassem.

O biólogo João Batista Calixto estava em São Paulo, concluindo seu mestrado em Farmacologia pela Universidade Federal de São Paulo (Escola Paulista de Medicina, atualmente Unifesp) e foi convidado para fazer parte dessa história. Ele nem conhecia Florianópolis. “Na época poucos aviões vinham para a cidade ainda bem pequena. Foi ai que descobri que Florianópolis era uma ilha e achei muito interessante”, lembra.

Era um desafio para o recém-mestre que via outras oportunidades. Mas a opção foi por Santa Catarina, onde foi acolhido e contratado como professor visitante da UFSC. Um ano depois fez concurso e passou a integrar uma equipe que hoje é responsável por um dos melhores cursos de Pós-Graduação em Farmacologia do país, conceito máximo 7 na avaliação Trienal 2010 da Capes (nota seis, também de excelência, desde 2000). Sua perseverança e dedicação foram fundamentais nesta trajetória que serão homenageadas no dia 16 de dezembro com o Prêmio Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos, às 11 horas, na Sala 13 do Departamento de Farmacologia, Bloco D da Ala Nova do Centro de Ciências Biológicas (CCB).

Destaque na bibliografia internacional
Nascido em Coromandel, município do estado de Minas Gerais, João Batista Calixto graduou-se em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (UnB), em 1973. Em 1976 tornou-se mestre em Farmacologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e em 1984 defendeu o doutorado em Farmacologia na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, ligada à Universidade de São Paulo (USP). Tem registrados em seu longo currículo Lattes mais de 300 artigos publicados em revistas especializadas de nível internacional.

O professor é um dos pesquisadores brasileiros mais citados na bibliografia internacional (mais de seis mil citações), um dos mais respeitados currículos da área médico-científica no país. É uma autoridade no estudo de princípios ativos de plantas, na pesquisa básica sobre dor e inflamação e sistema cardiovascular. É responsável pela formação de recursos humanos de alto nível: já orientou 35 dissertações, 24 teses e 18 pós-doutorandos, além de dezenas de alunos de iniciação científica.

O professor foi por duas vezes presidente da Sociedade Brasileira de Farmacologia Terapêutica Experimental, coordenador da área de Ciências Biológicas II da Capes e, também por duas vezes, membro do comitê assessor do CNPq. É atualmente editor de duas revistas internacionais, faz parte do corpo editorial de várias revistas científicas internacionais e participa como consultor de dezenas de revistas científicas.

Pesquisa com a indústria
Referência na pesquisa colaborativa com a indústria farmacêutica, coordenou a produção do primeiro medicamento totalmente produzido no país. O antiinflamatório Acheflan foi desenvolvido em parceria com os Laboratórios Aché, a partir dos princípios ativos da planta erva-baleeira, também conhecida como maria-milagrosa.

“Todo medicamento de hoje já foi pesquisa básica no passado”, faz questão de lembrar o professor. Pesquisador nível IA do CNPq, membro da Academia Brasileira de Ciências, tem documentados em seu currículo registros de 18 patentes e o desenvolvimento de outros dois produtos que estão no mercado, além do antiinflamatório Acheflan: o Cronos Flavonoide de Passiflora (creme antirrugas desenvolvido em parceria com a Natura) e o Sintocalmy (fitomedicamento indicado para controle da ansiedade, tensão e distúrbios do sono). Outros produtos investigados por seu grupo de pesquisa estão em fase de testes clínicos e deverão chegar ao mercado nos próximos anos.

Pesquisador reconhecido na academia e no setor produtivo, João Batista Calixto coordena a implantação no Sapiens Parque, em Florianópolis, do Centro de Referência em Farmacologia Pré-Clínica. Construído com recursos do Ministério da Saúde e do Ministério da Ciência e Tecnologia e do governo do Estado de Santa Catarina, o Centro vai abrigar também a pesquisa básica, mas deve ser principalmente dedicado à na busca de inovações, estimulando a integração entre a indústria e a academia.

“O desenvolvimento de uma política nacional que possibilite o crescimento e a estruturação da cadeia produtiva no setor de fármacos e medicamentos é de fundamental importância para o Brasil, não somente em termos financeiros, mas por se tratar de uma área de extrema relevância para a soberania nacional”, defende o pesquisador que com seu trabalho incansável colaborou para que a Universidade Federal de Santa Catarina “atravessasse” a ponte da Ilha de Santa Catarina e se tornasse nacional e internacionalmente reconhecida na área de Farmacologia.

O Prêmio Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos será entregue ao professor a partir de 11h do dia 16 de dezembro. O local ainda não foi definido.

Mais informações com professor Calixto: / (48) 3721-9491, ramal 229

Mais informações sobre o Prêmio Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos:

Professor Jorge Mário Campagnolo – Diretor de Projetos de Pesquisa
Fone: (48) 3721-9437
E-mail:

Professor Ricardo Rüther – Diretor do Núcleo de Apoio e Acompanhamento
Fone: (48) 3721-9846
E-mail:

Saiba Mais:

Veja o professor na série Eu Faço Parte dessa História

Homenagens já recebidas pelo professor João Batista Calixto:

2010 – Prêmio Gaspar Stemmer de Inovação, categoria protagonista da Inovação (primeiro lugar), conferido pelo governo do Estado de Santa Catarina, FAPESC.

2008 – Prêmio de Inovação Tecnológica Natura Campus, Natura.

2007 – Prêmio SCOPUS, SCOPUS/CAPES.

2007 – Young Investigators Award, International Association of Inflammation Societies (IAIS).

2006 – Membro da Comissão técnica de Medicamentos – CATEME – Resolução RDC no.24 de 10/02/06, ANVISA.

2006 – Premio FINEP de Inovação Tecnológica da Região Sul, 2006, FINEP.

2006 – Reconhecimento e homenagem de Centro de Ciências Biológicas – 30 anos, UFSC.

2005 – Membro do Comitê Gestor do Fundo de Biotecnologia, Ministério da Ciência e Tecnologia.

2003 – Prêmio “Jovem Investigador” Prof. Dr. José Ribeiro do Valle – 1o. colocado, XXXV Congresso Brasileiro de Farmacologia – SBFTE.

2002 – Prêmio José Ribeiro do Valle – segundo colocado, XXXIV Congresso Brasileiro de Farmacologia e Terapêutico Experimental – SBFTE.

2002 – Prêmio Mérito Universitário conferido pela Universidade Federal de Santa Catarina, Universidade Federal de Santa Catarina.

2002 – Classe de Comendador da Ordem, Ordem Nacional do Mérito Científico. Conferido pelo Presidente da República Fernando H. Cardoso.

2001 – Prêmio José Ribeiro do Valle – 2o. colocado, FESBE.

2000 – Prêmio José Ribeiro do Valle – 3o. colocado, XVI Latinamerican Congress of Pharmacology – ALF.

2000 – Membro Titular da Academia Brasileira de Ciências, Academia Brasileira de Ciências.

1999 – Prêmio José Ribeiro do Valle – 2o. colocado, XIV Reunião Anual da FESBE.

1998 – Prêmio José Ribeiro do Valle XIII – 1o colocado., XIII Reunião Anual da FESBE.

1998 – Prêmio José Ribeiro do Valle – 3o. colocado, XIII Reunião Anual da FESBE.

1998 – Prêmio José Ribeiro do Valle – 4o. colocado, XIII Reunião Anual da FESBE.

1979 – Prêmio Nacional da Sociedade Brasileira de Anestesiologia e Laboratório Parke-Davis -1º colocado., Brazilian Society of Anesthesiology.

1978 – Prêmio Nacional da Sociedade Brasileira de Anestesiologia e Laboratório Parke-Davis – 2º colocado., Brazilian Society of Anesthesiology.

Prêmio Destaque Pesquisador

É um reconhecimento da Universidade Federal de Santa Catarina a docentes da instituição por suas contribuições para o avanço do conhecimento e formação de recursos humanos. A atividade faz parte da agenda de comemoração dos 50 anos da UFSC, tem promoção da Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão e apoio da Agecom.

De março a dezembro, 11 professores, coordenadores de importantes estudos em suas áreas, representantes dos 11 centros da instituição, receberão a distinção. Professores homenageados até novembro:

– Raul Antelo (Centro de Comunicação e Expressão)
– Wagner Figueiredo (Centro de Ciências Físicas Matemáticas)
– Markus Vinícius Nahas (Centro de Desportos)
– Ivete Simionatto (Centro Sócio-Econômico)
– Luiz Fernando Scheibe (Centro de Filosofia e Ciências Humanas)
– Antônio Carlos Wolkmer (Centro Ciências Jurídicas)
– Jaime Fernando Ferreira (Centro de Ciências Agrárias)
– Alacoque Lorenzini Erdmann (Centro de Ciências da Saúde)
– Leda Scheibe (Centro de Ciênciasda Educação)

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

Tags: pesquisapremio destaque pesquisador

Pré-Vestibular da UFSC realiza Aulão da Solidariedade sobre os livros do Vestibular 2011

25/11/2010 18:06

No próximo domingo, dia 28 de novembro, acontecerá a 8ª edição do “Aulão da Solidariedade” dos livros do Vestibular UFSC 2011. O Aulão é realizado pelos professores Cláudia Regina Silveira, Sérgio Machado e Otavio Augusto Auler em parceria com a Companhia de Teatro Vanguarda e o Pré-Vestibular da UFSC.

O evento traz de forma lúdica os textos que serão abordados no Vestibular UFSC 2011 e será realizado no Centro de Cultura e Eventos da Universidade, com início às 8h30min até o final da tarde. Haverá intervalo de 1h para almoço.

Os ingressos estão à venda nas unidades do Pré-Vestibular da UFSC da Grande Florianópolis, das 19h às 22h,  e também na Cia Vanguarda. As inscrições podem ser feitas online pelo endereço www.prevestibular.ufsc.br/site2/index.php?link=aulaoliteratura2011.html.

Podem participar alunos e comunidade em geral pelo valor de R$10. No dia do Aulão, além do ingresso, os participantes deverão entreguar 1kg de alimento não-perecível ou R$ 3.

Unidades da Grande Florianópolis

Santo Amaro da Impetriz

EEB Nereu Ramos

Palhoça

EEB Irmã Maria Teresa

São José

EEB Profª Maria José Barbosa Vieira

Biguaçu

EEM Profª Mª da Glória Viríssimo de Faria

Florianópolis – Centro

Instituto Estadual de Educação

Florianópolis – Trindade

Campus da UFSC – Centro de Ciências da Saúde

Outras informações pelo telefone (48) 3721-8319.

Cia Vanguarda

Rua: Victor Meirelles, 78 – Centro – Florianópolis – Santa Catarina

Fone: (48) 3028-4221/3025-5021/8428-6906

Tags: aulão da solidariedadelivros 2011pré-vestibular UFSC

Educação Intercultural e Infância Indígena é tema de seminário

25/11/2010 17:40

O Núcleo de Estudos de Povos Indígenas (NEPI) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove de 29 de novembro a 3 de dezembro o Seminário de Educação Intercultural e Infância Indígena. O evento visa oportunizar o debate e a troca de experiências entre pesquisadores com estudos e experiências de campos diferentes no Brasil e na Argentina. O seminário é aberto ao público acadêmico, professores e interessados na temática indígena, especialmente na educação da criança indígena.

Inscrições e informações podem ser obtidas pelo e-mail . O certificado de participação tem carga horária de 20 horas e será entregue das 18h ás 19h, no Hall de Entrada do CFH, Bloco D.

Programação:

Dia 29/11 – segunda-feira

Das 19h às 21h

Local: Sala 325 – CFH

Aula Aberta: Sílvio Coelho dos Santos e a Antropologia no Sul do País

Ministrante: Maria José Reis – UNIVALI – NEPI/UFSC

Coordenação: Edviges Oiris – NEPI/UFSC

Dia 30/11 – terça-feira

Das 12h às 14h

Local: NEPI – Sala 313 – Departamento de Antropologia

Inscrições: Luisa Bonetti e Fernando Moura

Das 14h às 18h

Local: Sala 111 – CFH – Bloco D

Aula Aberta do PPGAS: Questões atuais dos estudos de infância indígena no Brasil

Ministrante: Antonella Tassinari – NEPI/PPGAS/UFSC

Colaboradora: Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires

Dia 1/12 – quarta-feira

Das 14h às 16h

Local: Sala Carolina Bori – CFH/Psicologia

Mesa-Redonda: Educação Cultural e Diversidade Lingüística

Palestrantes Convidadas:

Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires: Educación Intercultural Bilingue en Argentina

Cristiana Tramonte – MOVER/UFSC: Educação Intercultural e Diversidade Linguística no Brasil

Debatedora: Beleni Salete Grando – COEDUC/UNEMAT – PPGAS/NEPI/UFSC

Das 16h30 às 18h30

Mesa-Redonda: Experiências em Educação Intercultural Indígena

Palestrantes Convidados:

Marcos Alexandre Albuquerque – NEPI/UFSC: Consenso e Dissenso: os Pankararu e a Educação Intercultural na Cidade de São Paulo.

Beleni Saléte Grando – COEDUC/UNEMAT – PPGAS/NEPI/UFSC: Para além do Esporte: práticas corporais e educação nos Jogos dos Povos Indígenas

Debatedora: Edviges Ioris – NEPI/PPGAS/UFSC

Dia 2/12/ – quinta-feira

Das 14h às 16h

Local: Carolina Bori – CFH – Depto de Psicologia

Mesa-Redonda: Criança Indígena e Educação Escolar

Palestrantes Convidadas:

Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires: Niñez, socialización y cambio lingüístico en niños indígenas de contextos urbanos

Antonella Maria Imperatriz Tassinari – NEPI/PPGAS/UFSC: A Sociedade contra a escola

Debatedor: Gabriel Coutinho Barbosa – PPGAS/UFSC

Das 16h30 às 18h30

Mesa-Redonda: Experiências em Educação Indígena

Palestrantes Convidados:

Melissa Santana de Oliveira – ISA – NEPI/UFSC: Entre Estrelas e Pimentas: projetos de educação indígena no Rio Negro

José Antonio Kelly Luciani – PPGAS/UFSC: A escola como socialidade adicional: algumas reflexões sobre o lugar da escola entre os yanomami da Venezuela

Debatedora: Evelyn Martina Schuler Zea – NEPI/PPGAS/UFSC

Dia 3/12/10 – sexta-feira

Das 14h às 18h

Local: sala 111 – CFH – Bloco D

Aula Aberta do PPGAS: Niñez y Alteridad. Problemáticas Contemporáneas en los estudios con niños indígenas de Argentina

Ministrante: Ana Carolina Hecht – Univ. Buenos Aires

Tags: Brasil e ArgentinaNEPIpovos indígenasseminárioUFSC

Relações Internacionais da UFSC abre inscrições para primeira turma de Mestrado

25/11/2010 16:24

Estão abertas as inscrições para o primeiro processo seletivo do Mestrado em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). São oferecidas até  20 vagas. As inscrições serão realizadas no período de 25 de novembro a 17 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h, na Secretaria do Programa, no Centro Sócio-Econômico (CSE), térreo, Sala da Coordenadoria de Cursos.

A seleção será feita em duas etapas: uma prova escrita e uma entrevista. Teoria das relações internacionais e conhecimento geral são os conteúdos da prova, que será realizada no dia 18 de fevereiro e tem caráter eliminatório. O resultado será divulgado no dia 21 de fevereiro, e os aprovados deverão realizar a entrevista entre os dias 23 e 25 de fevereiro. As aulas iniciam em março do ano que vem.

O edital completo está no endereço www.ppgri.ufsc.br/files/2010/11/Edital001_ppgri_20102.pdf.

Surgimento

O projeto de criação do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais foi aprovado no dia 7 de julho deste ano, pela Câmara de Pós-Graduação da UFSC. O curso conta inicalmente com 18 professores e tem três linhas de pesquisa: Economia Política Internacional; Comércio e Desenvolvimento e Sociedade e Instituições Internacionais

Mais informações através do e-mail

Marília Marasciulo / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: inscriçõesmestradorelações internacionaisUFSC

Ascensão e queda da cidade de Mahagonny de 4 a 6 de dezembro no Teatro da UFSC

25/11/2010 11:22

Peça Ascensão e queda da cidade de Mahagonny

Ascensão e queda da cidade de Mahagonny, peça adaptada da obra do dramaturgo  Bertolt Brecht, com direção de Carmen Fossari, será exibida no Teatro da UFSC,  de 4 a 6 de  dezembro, às 21h, com entrada  liberada e gratuita.  O público deve chegar 30 minutos antes.

Brecht é  um dramaturgo cuja visceralidade contribui na formação dos estudantes de Teatro, atores e atrizes novatos , na formação de plateias e  aos atores e públicos que já percorrem o universo teatral. Portanto, é sempre salutar estarmos diante de um texto de Brecht.

Este que agora encenamos, Ascensão e queda da cidade de Mahagonny  que bem poderia na nossa montagem ser denominado O que Florianópolis tem a ver com  MAHAGONY, é um texto da obra DIDÁTICA de Brecht da metade do século XX . A obra teatral do dramaturgo revolucionava e chocava o público teatral , acostumado a um teatro “bem comportado” . Na montagem original de Ascensão e Queda da Cidade de Mahagonny aquele público encontrava uma a cena de aparentes insultos, atrevimento , com recursos didáticos, repleta de cartazes, e reveladora de como as cidades, dentro do sistema capítalista são “uma arapuca”.

Mahagonny onde tudo é permitido

Brecht coloca seus personagens construindo uma cidade onde tudo é permitido desde que se tenha muito ouro. O preço de não ter ouro é a impossibilidade de sobreviver na cidade de Mahagonny! Com composições de Kurt Weill o texto original é uma obra de Teatro Musical, na nossa encenação trata-se de uma obra de caráter não musical, embora mantida a belíssima composição tema da peça.

Optamos em ambientar o espetáculo ao universo do cinema mudo, inserindo imagens e áudio visual resgatando os anos 30 e 40. Esta opção realiza, em parte, um utópico sonho da diretora e adaptadora do texto, de ter visto um dia Sir Charles Chaplin e Bertolt Brecht sentados numa mesa de bar conversando sobre suas obras: o filme Tempos Modernos e a Peça Na Selva das Cidades.

Assim que foram inseridos na encenação uma personagem, o Narrador Brecht que entra em cena “costurando a dramaturgia” e outra, uma personagem que adentra na cena acompanhando Bert Brecht, sem, contudo dialogar com ele, realiza pantomimas clássicas do Carlitos. A esta segunda personagem  chamamos “Chaplita”. Na peça ao inserimos a fusão de linguagens teatro e audiovisual (imagens e pequenos vídeos do cinema mudo) tentamos nos aproximar do sempre moderno Brecht, adequando as quase sete décadas do texto escrito à montagem atual.

Brecht e sua dramaturgia e enunciados estão “vivos” em suas ideias ainda tão necessárias num mundo dividido em classes sociais, ricos e pobres, cultos e analfabetos, os que tudo podem e os que nada têm. Um espetáculo que lança  um olhar poético e mordaz sobre o nascimento e queda de uma cidade, movida pelo ouro. A peça conta com do Curso de Artes Cênicas do CCE, através de uma disciplina optativa Montagem, com da Oficina Permanente de Teatro, DAC- SeCArte.

Produção Pesquisa Teatro Novo –DAC-UFSC ( Carmen Fossari)

Elenco

Alexandre Borges – Joseph

Ana Paula Lemos Jenny

Douglas Maçaneiro – Um tal Bert Brecht

Eduardo Stahelin – Coro Masculino

Giovana Ursini – Maysa Trindade

Iris Karapostolis – Cantora

Jacque Kremer – Leokadja Begbick

Kátia Maczewski-  Procuradora

Laura Gill Petta –Coro Feminino

Letícia Costa- Coro Femino

Luis Tinoco- Jackob

Márcia Cattoi- Coro Femino

Mel  Rezende- Coro Femino

Neivania Theodoro- Coro Femino

Neusa Borges- Coro Femino

Priscila de Souza Serafim- Chaplita

Roberto Moura – Heidrich

Robson Walkowski- Paul

Peça Ascensão e queda da cidade de Mahagonny

(* Alguns nomes foram trocados para nomes similares em Português. O Procurador e Willy, são nesta encenação, interpretados por mulheres e transformados em personagens femininos. Chaplita e Bert Brecht,  são criações para a dramaturgia desta encenação. C.F.)

Técnica
Figurino: O Grupo
Cenário: O Grupo
Operador de Som: Nei Perin
Cartaz: Márcia Cattoi
Fotolito: Michelle Millis
Impressão: Imprensa Universitária
Operador de Audio Visual: Ivana Fossari
Sonoplastia:  Calu
Mixagem Som : Sérgio Bessa
Preparação de Canto: Ive Luna
Fotografia : Marcelo Pereira e Calu
Iluminação , Direção Geral : Carmen Fossari

Promoção: Departamento Artístico Cultural (DAC)

Apoio SeCArte- UFSC 50 ANOS.
Informações: DAC (48) 3721-9348, das 14h às 18h
www.dac.ufsc.br
www.carmenfossari-armazemdapalavra.blogspot.com

Tags: Carmen Fossaripeça mahagonnyTeatro UFSC

Antropólogo Ricardo Gomes Lima, na terceira conferência do Museu em Curso

24/11/2010 14:51

Museu e Cultura Popular é o tema da conferência que o antropólogo Ricardo Gomes Lima, pesquisador do Centro Nacional de Cultura Popular e Diretor do Departamento Cultural da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) profere, no dia 25 de novembro, das 18h30 às 20h30, no auditório do Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral (M.U.), na UFSC. Na terceira palestra da série Museu em Curso, o antropólogo abordará entre outros pontos sua experiência como pesquisador no Museu de Folclore Edison Carneiro do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, órgão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A palestra é aberta ao público em geral, mas direcionada a estudantes, pesquisadores e funcionários das áreas de história, antropologia e museologia com direito a certificado e sem inscrição prévia. Empreender uma política de formação de pessoas que atuam em museus e proporcionar a discussão sobre temas relativos à memória cultural é o objetivo do projeto Museu em Curso, uma realização do Museu da UFSC em parceria com a Associação dos Amigos do Museu Universitário.

A programação prevê a realização de uma palestra mensal voltada às diversas áreas da teoria e da prática museológica que valorizam a pesquisa científica como função essencial a ser desenvolvida pelas instituições museológicas. “Como espaço de produção e difusão de conhecimento, os museus só se sustentam com pesquisa”, explica Teresa Fossari, diretora do M.U.  Todas as palestras giram em torno da concepção da UFSC sobre Museu: “um espaço de memória, antigas ou contemporâneas, com o objetivo de preservação, difusão e reflexão sobre os significados simbólicos da cultura”, conforme define a museóloga Viviane Wermelinger.

Quem é Ricardo Gomes Lima?

Bacharel e Licenciado em Ciências Sociais pelo Instituto de Ciências Humanas e Filosofia / UFF (1978). Mestre em Artes Visuais / Antropologia da Arte pela Escola de Belas Artes / UFRJ (1993). Doutor em Antropologia Cultural pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais / UFRJ (2006). Professor Adjunto do Instituto de Artes / UERJ (desde 1995), onde leciona na graduação e no Programa de Pós-Graduação em Artes, coordena o Núcleo de Cultura Popular e é co-editor da Revista Textos Escolhidos de Cultura Popular. Pesquisador do Centro Nacional de Cultura Popular / IPHAN / MinC (desde 1983), onde é Responsável pelo Setor de Pesquisa e Coordenador da Sala do Artista Popular. Realiza pesquisas sobre o universo da cultura popular, em especial o campo da arte e do artesanato populares. Assumiu a Direção do Departamento Cultural da UERJ em janeiro de 2008.

Sobre o Museu Universitário:

O Museu Universitário Prof. Oswaldo Rodrigues Cabral, pertencente a UFSC, tem sua origem no Instituto de Antropologia, criado em 1965. Na década de 70, o Instituto de Antropologia foi transformado em Museu de Antropologia e posteriormente denominado Museu Universitário. Em 1993, passou a ser denominado Museu Universitário “Prof. Oswaldo Rodrigues Cabral”, em homenagem ao seu idealizador, fundador e primeiro diretor.

Durante mais de 40 anos, o MU/UFSC vem pesquisando, produzindo e sistematizando conhecimento interdisciplinar sobre populações pré-coloniais, indígenas e descendentes de imigrantes europeus. A partir do seu acervo, desenvolve ações museológicas que promovem a reflexão crítica sobre a diversidade sociocultural, principalmente da região em que está inserido.

A formação do acervo do MU/UFSC está ligada à trajetória da instituição, precursora do ensino e da pesquisa no campo da Antropologia no Estado. Por ser proveniente de pesquisas científicas realizadas pelos integrantes e colaboradores do museu em diferentes partes do Estado e do país, o acervo encontra-se bem documentado e apresenta alto valor acadêmico. Compõe-se pelas seguintes coleções: etnográfica, indígena, arqueológica e de artes e ofícios. E ainda pelo seu caráter científico, destaca-se a Coleção Documental, resultante das pesquisas executadas pela equipe do MU/UFSC.

O espaço expositivo do MU vai ser muito incrementado com a construção de um arrojado edifício de 2.692 m2, destinado a abrigar exposições de longa duração, bem como exposições de curta duração. A edificação possuirá dois grandes pisos, dois mezaninos e um terraço na cobertura. Em termos funcionais, além dos espaços expositivos, vai comportar biblioteca, laboratórios, salas de atividades educativas e culturais, de descanso, de administração e de apoio – como instalações sanitárias, cafés e guarda-volumes. Nesse espaço, a instituição pretende mostrar a diversidade e o alcance da cultural dita local; aproximar o distante, estranhar o familiar, transcender objetos em direção a experiências e sensações que envolvem ambientes, relações, cosmologias e diferentes contextos.

Serviço:

O quê: Museu em curso, palestra com Ricardo Gomes Lima

Quando: 25 de novembro de 2010, das 18h30 às 20h30

Onde: Auditório do Museu Universitário

Quanto: Entrada franca

Informações: 48 3721-8604 ou 9325

Serão fornecidos certificados

Viviane Wermelinger – Museóloga
Tel. 48 8802-4521
Museu Universitário – UFSC
Campus Reitor João David Ferreira Lima -Trindade
Florianópolis – SC
CEP. 88040-970
Tel. 48 3721-8604

Fonte: Raquel Wandelli/ jornalista SeCarte/UFSC

Fones: 3721-9459 e 9911-0524

www.secarte.ufsc.br

Tags: Museu UniversitárioRicardo Gomes LimaUFSC

Professor Luiz Carlos Cancellier de Olivo é homenageado com a Comenda do Legislativo Catarinense

23/11/2010 17:17

Professor Cancellier e reitor Alvaro Prata

A Assembleia Legislativa realizou na noite de segunda-feira (22) sessão solene para entrega da Comenda do Legislativo Catarinense. Personalidades e entidades que realizaram ações relevantes e de destaque em Santa Catarina foram homenageadas na solenidade que contou com a presença de parlamentares, membros dos poderes executivo e judiciário e do reitor da UFSC, Alvaro Prata.

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) foi representada pelo chefe de Departamento do Curso de Direito, professor Luis Carlos Cancellier de Olivo, que recebeu a medalha condecorativa por indicação do deputado estadual Genésio Goulart.

O reitor Alvaro Prata manifestou a satisfação da UFSC por ter um de seus colaboradores homenageados pela Assembleia, no ano em que a Universidade comemora 50 anos de fundação. O presidente da Casa, deputado Gelson Merisio (DEM), disse que com essa homenagem o Parlamento reconhece “ações promovidas por personalidades e organizações que ajudam a formar um estado único, capaz de abrigar exemplos de dedicação e abnegação ao próximo, assim como de ousadia e inestimável visão empreendedora”.

Conforme enfatizou o professor Cancellier, “mais do que uma homenagem pessoal, a comenda do Legislativo é o reconhecimento do Poder Legislativo ao ensino de excelência da UFSC, que é reconhecida como a primeira universidade federal entre as instituições brasileiras no ranking das melhores instituições de ensino superior do mundo”.

Tags: Comenda Legislativo Catarinensehomenagem a Luiz Carlos Cancellier de Olivo

Inscrições abertas para duas turmas do módulo de Sistema de Controle de Processos Administrativos

23/11/2010 15:24

Abertas as inscrições para as duas últimas turmas a serem oferecidas neste ano do módulo de capacitação Sistema de Controle de Processos Administrativos (CPA), destinado aos servidores da UFSC.

Já implantado na UFSC, o sistema está agilizando a tramitação de correspondências e processos digitais e reduzindo consideravelmente a circulação de papel da nossa Instituição.

Inscrições pelo site: www.sgca.ufsc.br/web

Florianópolis e Santo Amaro da Imperatriz sediam III Seminário Internacional de Gestão Social de Bacias Hidrográficas

23/11/2010 09:56

A Universidade Federal de Santa Catarina, através do Grupo Transdisciplinar de Pesquisas em Governança da Água e do Território – GTHIDRO, do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental e do Comitê de Gerenciamento da Bacia do Rio Cubatão-Sul, promove nos próximos dias 25 e 26 o III Seminário Internacional de Gestão Social de Bacias Hidrográficas, em Florianópolis, no auditório Professor João Ernesto Castro (Engenharia de Produção), na UFSC e em Santo Amaro da Imperatriz,  no Sindicato dos Trabalhadores Rurais.

O objetivo, segundo os organizadores, é o de apresentar às comunidades de Bacias novas idéias geradas no continente a partir de comunidades e grupos de pesquisas comprometidas com o avanço da efetividade da gestão social da água e do território, compreendidos como bens comuns da humanidade e bens públicos de sociedades nacionais. Neste Seminário vamos escutar jovens estudantes da Bacia do Rio Cubatão-Sul proporem a criação e implementação do primeiro instrumento para a Gestão Social da Água, a Rede de Educação Ambiental da bacia.

Os pesquisadores convidados vão compartilhar experiências sobre nova lei nacional de águas do Québec e a estrutura de governança local do Comitê do Rio Saint-François; o papel dos comitês sociais na governança de bens comuns, com base nas teorias de Elinor Ostrom, Prêmio Nobel de Economia de 2009; e a construção do espírito da Lei Brasileira de Águas pelo Comitê Cubatão e a proposição de hierarquização social dos instrumentos da Política Nacional de Recursos Hídricos. As inscrições são gratuitas.

Para programação acesse: http://www.gthidro.ufsc.br/iiisigsb/programacao

http://www.gthidro.ufsc.br/iiisigsb/iii-sigsb-inscricao

Mais informações com Thaianna Cardoso, fones (48) 9938-8798 / (48) 3721-7736.

Tags: bacias hidrográficasGTHIDROseminário

PET Metrologia comemora 30 anos

23/11/2010 09:38

Será nesta sexta feira, 26, a solenidade de celebração de 30 anos do grupo PET – Metrologia e Automação e de 5 anos do grupo NEO Empresarial. Criado em novembro de 1980, o grupo PET-Metrologia e Automação foi um dos três primeiros grupos PET do país, e foi tutorado desde sua criação até recentemente pelo professor Carlos Alberto Schneider. Reunindo alunos de diversas engenharias, o grupo tem como objetivo complementar a formação técnica – através de projetos que são desenvolvidos com diversos laboratórios e centros da UFSC – e gerencial de seus integrantes.

Além disso, permite aos seus integrantes condições para a realização de outras atividades extracurriculares, possibilitando uma capacitação completa e avançada que estimule o aperfeiçoamento global do petiano, levando-o a desenvolver qualidades como empreendedorismo, liderança, comunicabilidade, desenvoltura no trabalho em grupo, auto-organização e planejamento pessoal.

Em 2000, o grupo firmou parceria com três grandes empresas da área de Mecânica, reconhecidas em âmbito nacional, passando a se chamar PET Empresarial Metrologia e Automação, com uma metodologia de trabalho voltada para o meio empresarial. No final de 2005 o grupo passou por novas mudanças, atendendo às exigências da SESu/MEC, órgão responsável pelo programa desde 1999, levando a divisão em dois novos grupos: PET Metrologia e Automação e NEO Empresarial. Segundo os responsáveis, os dois grupos vêm desde então mantendo excelência no desenvolvimento de projetos e na diferenciação da formação de seus integrantes.

A solenidade, que acontecerá na sala de eventos da Fundação CERTI – ao lado do Centro de Eventos da UFSC -, começará às 18h30min com uma breve apresentação da história dos grupos e agradecimentos aos parceiros, seguida, às 19h00min, de um coquetel comemorativo. Os interessados em participar do evento devem entrar em contato com o grupo PET através do email .

Para conhecer melhor o grupo acessar www.petma.ufsc.br.

Tags: 30 anosmetrologiaPET

Diálogos entre Filosofia e Literatura saem do café para o livro

23/11/2010 08:26

Filosofia e literatura sempre renderam bons diálogos em cafés, mesa de bar, congresso e livros. Das discussões mensais em torno do Projeto Café Filosófico, realizadas pela Secretaria de Cultura e Arte da UFSC desde 2008, nasceu o primeiro livro da série Café Filô. Oito ensaios resultantes desses cafés estão reunidos na obra Filosofia e Literatura, lançada pela Bernúncia Editora, de Florianópolis, e organizado pela filósofa Maria de Lourdes Borges e pelo professor de literatura José Roberto O´Shea. A obra tecida na costura dessas duas áreas do conhecimento que entrelaçam a verdade racional da ciência e a verdade simbólica e sensível da arte será lançada na quarta-feira, 24 de novembro, às 17 horas, na Livros e Livros, no Centro de Eventos da UFSC.Convite Projeto Café Filosófico

Com este número, a série Café Filô dá início à publicação de coletâneas de ensaios que buscam o diálogo da Filosofia com outras áreas do conhecimento e das artes, tais como cinema, literatura e teatro. Todos são originários de debates desenvolvidos pelo Café Filosófico na igrejinha da UFSC, que se tornou uma arena livre para filósofos e estudiosos de literatura explorarem a troca entre as disciplinas sem as amarras da academia. O próximo número versará sobre Filosofia e Cinema. “Queremos levar ao grande público os textos apresentados nessas conferências por filósofos, literatos e artistas, expostos em uma linguagem acessível ao não especialista”, explica Maria Borges, que é também secretária de Cultura e Arte da UFSC e especialista em Kant.

Escrita por professores de Filosofia e Literatura convidados, a obra começa com o artigo “John Cage e a poética do silêncio”, de Alberto Heller, que arma um diálogo entre filosofia e música, aproximando as composições de Cage dos pensadores Heidegger e Merleau Ponty. Alessandro Pinzani indaga sobre a relação entre filosofia e obra narrativa de ficção, particularmente, entre filosofia e romance. Seria possível um romance filosófico? – é a pergunta que norteia a investigação de Pinzani.

Delamar Dutra explora a filosofia de Habermas e Celso Braida tece sua própria filosofia, ao explorar o auto-engano na ilusão da análise e da técnica. Liliana Reales estabelece um interessante diálogo entre a Filosofia e o mundo imaginário de Jorge Luís Borges no mundo Tlön, do conto do autor argentino. Luiz Carlos Hebeche, por sua vez, aproxima filosofia e poesia, ao pensar a metafísica como a terra distante descrita por Gottfried Benn. Alguns optaram por utilizar a prosa filosófica como ferramenta de análise de alguma obra literária ou artística. É o caso de Raul Antelo sobre a Anfisbena, serpente com duas cabeças da mitologia. Por fim, Sérgio Medeiros propõe uma intertextualidade entre Maurice Blanchot e Mário Perniola em torno do sex appeal do inorgânico.

Este número da série Café Filô quer indagar sobre as identidades e diferenças dessas duas formas de pensamento. É possível fazer Filosofia através da Literatura? Há alguma distinção radical entre o discurso filosófico e o literário? Há algum espaço conceitual que possa ser coabitado pela Filosofia e Literatura? A busca dessas respostas é um convite à exploração literária e filosófica do leitor.  “Nosso objetivo é levar a filosofia e a literatura para um público amplo, deixando de lado aqui as especialidades estritamente acadêmicas de cada autor ou de cada campo do saber”, diz José Roberto O´Shea, tradutor especialista em Shakespeare, que acaba de lançar O Primeiro Hamlet.

Raquel Wandelli

Assessora de comunicação da SeCarte/UFSC

99110524 e 37219459

www.secarte.ufsc.br

Tags: Bernúnciacafefilosofia