Comemorações dos 270 anos da chegada dos açorianos em Santa Catarina iniciam-se nesta quinta-feira

21/02/2018 11:57

Em 1748, o primeiro grupo de pessoas vindas do Arquipélago dos Açores, em Portugal, chegou à Ilha de Santa Catarina. Para comemorar, o Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC (NEA), a Direção Regional das Comunidades do Governo Regional dos Açores, a Casa dos Açores de Santa Catarina, a Fundação Cultural de Florianópolis “Franklin Cascaes”, com apoio da Secretaria de Cultura e Arte da UFSC (SeCArte), e da Secretaria de Cultura, Esporte e Juventude de Florianópolis, estarão promovendo várias atividades culturais e cerimônias alusivas à Chegada dos Açorianos à Santa Catarina.

As celebrações dos 270 anos da chegada dos Açorianos em Santa Catarina iniciam nesta quinta-feira, dia 22 de fevereiro com a Sessão Oficial de Abertura na Câmara de Vereadores de Florianópolis. Em seguida na Rua dos Ilhéus, esquina com Rua Anita Garibaldi será feito o Descerramento da Placa alusiva aos 270 anos do desembarque dos primeiros 461 açorianos em Santa Catarina ocorrido no dia 22 de fevereiro de 1748, depois segue cortejo pelas ruas do centro até o Mercado Público com o grupo folclórico da Casa dos Açores de Santa Catarina, casais festeiros do Espírito Santo, rendeiras, banda filarmônica e autoridades. As atividades do primeiro dia encerra com a abertura da exposição Turismo dos Açores na Galeria de Arte do Mercado Público Municipal de Florianópolis.

Programação

22  de  fevereiro de 2018 

16h – Sessão oficial de abertura do Ano dos Açores em Florianópolis: comemorativo dos 270 anos de presença açoriana em Santa Catarina
Local: Câmara de Vereadores de Florianópolis
Endereço: Rua Anita Garibaldi, nº 35. Centro. Florianópolis, SC
17h30 – Descerramento da Placa alusiva aos 270 anos do desembarque dos primeiros 461 açorianos em Santa Catarina no dia 22 de fevereiro de 1748.
Local: Rua dos Ilhéus, esquina com Rua Anita Garibaldi. Centro. Florianópolis, SC.
17h45 – Cortejo pelas ruas do centro até o Mercado Público (grupo folclórico da Casa dos Açores de Santa Catarina, casais festeiros do Espírito Santo, rendeiras, banda filarmônica e autoridades)
18h – Abertura da exposição: Turismo dos Açores
Local: Galeria de Arte  do Mercado Público Municipal de Florianópolis
Rua Deodoro S/Nº, esquina com Rua Francisco Tolentino (Arco Superior Sul do Mercado Público). Centro. Florianópolis, SC 

23 de fevereiro de 2018 

14h30 – Reunião do Conselho Deliberativo do NEA, com Conferência “Acores e Diáspora”, pelo Diretor Regional das Comunidades, do Governo dos Açores, Dr. Paulo Teves (evento aberto a todos os públicos).
Local: Avenida Francisco Severiano dos Santos, 137, Bairro Vila Nova, Porto Belo/SC.
19h30 – Lançamento do livro “Penha – Relicário do Divino”, de Maria do Carmo Ramos Krieger.
Local: Restaurante Pirão D’Agua, Av. São João, 854, Praia de Armação do Itapocorói, Penha/SC. 

24 de fevereiro de 2018 

14h –  Conferência: Experiência de um genealogista através das famílias do antigo Império Português. Jorge Forjaz  (evento gratuito)
16h – Oficina: Fazer genealogias hoje em Portugal. Jorge Forjaz (evento gratuito)
Local: Provincialado da Sociedade da Divina Providência. Rua Hermann Blumenau, Nº 102, Centro. Florianópolis, SC
20h – Jantar por adesão com associados e amigos da Casa dos Açores de Santa Catarina com o Dr. Paulo Teves (reservas com Sérgio Ferreira pelo telefone/WhatsApp, 55 48 99965 0483)
Local: Churrascaria Meu Cantinho (antiga Quinta dos Açores), Rodovia José Carlos Daux (SC 401), Nº 10.060. Recanto dos Açores, Santo Antônio de Lisboa, Florianópolis, SC

O ano de 2018 foi declarado “Ano dos Açores em Santa Catarina” pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina, pela Câmara Municipal de Florianópolis e por outros municípios de SC, como São José, Bombinhas, Porto Belo, Garopaba, Palhoça, Itapema, Penha.

Tags: Núcleo de Estudos Açorianos (NEA)Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Carnaval nos Açores: Espaço Cultural NEA recebe mostra fotográfica

07/02/2018 11:00

De 8 de fevereiro a 30 de março o Espaço Cultural do Núcleo de Estudos Açorianos (NEA) recebe a mostra fotográfica Carnaval nos Açores. A mostra retrata a festa popular na Ilha portuguesa de onde veio grande contingente de imigrantes para colonização do Brasil meridional.

Sobre a mostra

A mostra fotográfica é comemorativa os 270 anos do povoamento açoriano em Santa Catarina que comemoramos no ano 2018. Foi um grande projeto da Coroa Portuguesa de transferência em massa de gente do arquipélago dos Açores para ocupar o Brasil Meridional, os primeiros imigrantes chegaram a Ilha de Santa Catarina, vila de Nossa Senhora Desterro em 06 de janeiro der 1748, após terem realizado uma viagem de quase três meses embarcados.

Esta exposição é o resultado de uma maratona de fotográfica chamada “Gestos e Gente no Carnaval Terceirense” que aconteceu no carnaval dos Açores e foi organizado pela Presidência do Governo Regional dos Açores através da Direcção Regional das Comunidades. A proposta era fotografar o carnaval da Ilha Terceira nos Açores, que é uma coisa atípica. Convidaram para participar deste projeto fotógrafos do Brasil, Canadá e EUA onde encontramos imigração açoriana muito forte. Do Brasil foram fotógrafos do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Sul e o terceiro foi Joi Cletison, trabalhador da UFSC, representando Santa Catarina.

A proposta foi fotografar durante os quatro dias de carnaval os “Bailinhos” que acontecem somente na Ilha Terceira nos Açores. Na Ilha Terceira temos duas cidades Angra do Heroísmo e Praia da Victoria.

O que são os bailinhos?

Cada freguesia (bairro) organiza o seu próprio grupo que compõe uma música (letra e arranjos), montam uma coreografia, criam um figurino próprio e depois ensaiam. Nas noites de carnaval se apresentam em sua localidade e depois percorrem as diversas comunidades da Ilha fazendo apresentações.

O fotógrafo Joi Cletison viveu intensamente esta experiência nos quatro dias de carnaval de 2006, fotografando tarde, noite e nas madrugadas de sábado a terça feira de carnaval, tem mais de 900 imagens deste grande festival. Para Joi “é impressionante em todos os aspectos […] funciona perfeitamente sem que ninguém seja responsável pela organização sai um Grupo e entra outro, o público é fiel permanece ali o tempo todo mantendo os teatros lotados. Cada grupo cuida do tema, letra, música, figurino, transporte e recursos financeiros para montagem. A comunidade oferece apenas o espaço para apresentação e um lanche depois da apresentação. Cada grupo chega a fazer 8 apresentações durante a noite em locais diferentes. Usam como tema os acontecimentos corriqueiros do dia a dia como a política e outros ”.

A apresentação da exposição é do escritor e poeta açoriano Álamo de Oliveira, compositor de diversas marchas para este carnaval e também responsável por várias montagens teatrais e diversos bailinhos de carnaval.

Serviço:

Local: Espaço Cultural do NEA, campus Trindade da Universidade Federal de Santa Catarina

Período: 05/02 a 30/03/2018

Visitação: Segunda à sexta feira das 9h as 12h e das 14h às 17h

Promoção da exposição:

Universidade Federal de Santa Catarina – SECARTE

Governo Regional dos Açores – DRC

Realização: Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC

Contato:

(48)3721.8605

E mail   

Tags: mostra fotográficaNúcleo de Estudos Açorianos (NEA)UFSC

Arquipélago dos Açores é tema de nova exposição fotográfica na UFSC

18/09/2017 12:19

Para comemorar os 260 anos da chegada dos imigrantes açorianos no sul do Brasil, em especial ao Estado de Santa Catarina, a exposição fotográfica “Açores” traz imagens que retratam várias ilhas do arquipélago dos Açores. O evento tem sua inauguração nesta terça-feira, 19 de setembro, e vai até o dia 12 de novembro, na praça de alimentação do Centro de Cultura e Eventos da UFSC.
(mais…)

Tags: AçoresCentro de Cultura e Eventos da UFSCNúcleo de Estudos Açorianos (NEA)Secretaria de Cultura e Arte da UFSCUFSC

Exposição ‘Brincadeira de Criança’ abre nesta quinta-feira, no NEA

17/08/2016 08:22

ConviteO Espaço Cultural do Núcleo de Estudos Açorianos (NEA), da Universidade Federal de Santa Catarina, abre dia 18 de agosto, às 18h30, a exposição “Brincadeira de Criança”, de Berenice Queiroz. A proposta da exposição é mostrar as brincadeiras tradicionais da Ilha de Santa Catarina e proporcionar ao visitante da exposição a oportunidade de reviver momentos lúdicos de sua infância. O acervo fica disponível para visitação até 14 de outubro.

“A proposta é resgatar as histórias da infância.  As peças eternizadas em cerâmica, contam as peraltices e brincadeiras de uma adorável infância em nossa ilha.  Algumas parecem tomar vida quando vistas por pessoas que relembram, em grupos de bate papos, momentos de grande alegria. Sorrindo, parecem ouvir o som do bate-bate, do bilboquê, das rodinhas do rolimã, que em poucos lugares com calçamento, faziam um som eletrizante.  Da inseparável e afetiva boneca de pano. Do imaginário cata-vento que, subjetivamente, parecia levantar voo, assim como a pipa que rebolava majestosa no céu.  Dos pequenos equilibristas ganhando altura sobre o pé de lata, e as criativas conversas no telefone sem fio. E tantos outros que se fizeram presentes na infância”, conta a artista, Berenice Queiroz.

A exposição marca as comemorações do Dia do Folclore, celebrado em 22 de agosto. A Universidade Federal de Santa Catarina promove o evento por meio da Secretaria de Cultura e Arte, com apoio do Governo Regional dos Açores, por intermédio da Direção Regional das Comunidades.

 

Local:

Espaço Cultural do Núcleo de Estudos Açorianos (NEA)
Universidade Federal de Santa Catarina

Abertura:

18 de agosto às 18h30

Visitação:

18 de agosto a 14 de outubro de 2016
Segunda a sexta-feira das 9 às 12h e das 14 às 17h

Informações:

(48) 3721.8605 / 

 

 

 

Tags: NEANúcleo de Estudos Açorianos (NEA)UFSC

Exposição fotográfica apresenta festejos do Espírito Santo no litoral de Santa Catarina

07/07/2016 16:45

joi2A exposição fotográfica O culto do Espírito Santo no Brasil Meridional, em cartaz de 11 de julho a 31 de agosto na Casa da Memória de Florianópolis, traz 18 imagens capturadas em diversas festas do Divino que acontecem no litoral de Santa Catarina. A mostra, de autoria do historiador Joi Cletison, ressalta a devoção da comunidade do litoral catarinense no Espírito Santo, bem como os cortejos, a coroação, os peditórios, as novenas, entre outras manifestações culturais e religiosas.

A mostra já esteve exposta em Porto Alegre durante o 2º Congresso Internacional das Festas do Divino Espírito Santo e no Palácio dos Capitães Generais na cidade de Angra do Heroísmo nos Açores/Portugal. Outra coleção idêntica a esta está itinerando pelas ilhas do Arquipélago dos Açores, Canadá e nos EUA.

Mais informações:

(48) 9982-8930 ou  
(mais…)

Tags: AçoresJoi CletisonNúcleo de Estudos Açorianos (NEA)UFSC

Núcleo promove exposição ‘Herança Cultural Açoriana: arte e sustentabilidade’

31/05/2016 09:20

O Núcleo de Estudos Açorianos (NEA) apresenta, em exposição, a herança da cultura açoriana que os ilhéu deixaram a partir de sua chegada no século XVIII. A abertura será no dia 2 de junho, às 18h30, no Espaço Cultural do NEA, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), ao lado do Museu de Arqueologia e Etnologia. A exposição funciona de 3 de junho a 1º de julho, de segunda a sexta-feira, das 9 às 12h e das 14 às 17h.
(mais…)

Tags: açorianoNEANúcleo de Estudos Açorianos (NEA)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Exposição retrata herança açoriana em Florianópolis

15/04/2016 15:09

O Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC (NEA/UFSC) realiza a exposição Herança Açoriana na Ilha de Santa Catarina, do fotógrafo e coordenador do NEA Joi Cletison, de 8 de abril a 8 de maio no Museu Histórico Emilio da Silva, em Jaraguá do Sul – SC.  A exposição contém 24 fotografias ampliadas que retratam a herança da colonização açoriana na arquitetura, no artesanato, no folclore e na religiosidade florianopolitanos. A visitação ocorre de segunda a sexta segundo os horários de funcionamento do museu.

As fotos exibem construções arquitetônicas luso-brasileiras, danças folclóricas, o festejo do Terno de Reis, as Romarias – ou peregrinações religiosas – e elementos artesanais como a renda de bilro, a tapeçaria e a cerâmica.

 

 

 

Tags: Herança Açoriana na Ilha de Santa CatarinaNúcleo de Estudos Açorianos (NEA)UFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Florianópolis recebe mostra inédita do cinema açoriano

17/06/2015 11:55

Dois diretores açorianos trazem seus filmes para Florianópolis em parada extraoficial no caminho de volta para Portugal. Através da parceria com o Núcleo de Estudos Açorianos (NEA) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), será exibido na sexta-feira, dia 19 às 19h, o filme “Partilha-O Império de João do Bom”, de Tiago Rosas, e no sábado dia 20, o longa-metragem “O Livreiro de Santiago”, de José Medeiros (Zeca). A mostra será realizada na Casa da Memória, no centro da cidade. Entrada franca.

“O Livreiro de Santiago”, de José Medeiros, foi exibido no 17º Festival de Cinema Europeu, em Santiago do Chile, de onde os diretores estão retornando. Após as sessões, haverá debate sobre os filmes com os responsáveis por sua produção. Joi Cletison é diretor do NEA e foi quem entrou em contato com Zeca em ocasião da premiação que o núcleo recebeu em Portugal. “O filme do Zeca foi muito comentado no evento. Conversei com ele e consegui fazer com que viesse para Florianópolis com o filme”, conta Joi. A mostra em Florianópolis pretende apresentar um pouco da produção audiovisual que está ganhando força nos Açores.

Realizado pelo NEA em parceria com a Secretaria de Cultura de Florianópolis, o evento busca promover um intercâmbio cultural na área de produção cinematográfica açoriano, que também vem sendo fomentado com a realização de eventos locais, para divulgar a produção artística no arquipélago e criar espaços de debate e reflexão sobre o fenômeno das migrações e da interculturalidade.

 

Sinopse dos filmes

Partilha – O Império de João do Bom

Marcado pela religiosidade, o documentário Partilha-O Império de João do Bom, dirigido por Tiago Rosas, com participação de Zeca Medeiros, será apresentado na sexta-feira (19), às 19 horas. Em 85 minutos, o filme mostra a Festa do Divino Espírito Santo na localidade de João do Bom, no Pilar da Bretanha, na Ilha de São Miguel, abrangendo desde os preparativos até o encerramento dos festejos com a cerimônia de coroação do imperador.

O documentário retrata o envolvimento popular na realização da Festa do Divino, que é uma das manifestações mais expressivas dos Açores, e que foi introduzida em Florianópolis pelos imigrantes açorianos, em 1748. Na capital catarinense a tradição é mantida em 14 comunidades, formando um ciclo festivo que vai de maio a setembro.

O Livreiro de Santiago

No sábado (20), o público poderá conferir a história do primeiro editor do escritor Pablo Neruda, no longa-metragem O Livreiro de Santiago, dirigido por Zeca Medeiros. Com uma hora e meia de duração, o filme traz no elenco, entre outros atores, o próprio Medeiros e a atriz Maria do Céu Guerra, que em 2012 participou do Floripa Teatro – Festival Isnard Azevedo, promovido pela Fundação Cultural de Florianópolis Franklin Cascaes.

Baseado em história real, O Livreiro de Santiago retrata a vida de Carlos Jorge Nascimento, considerado um dos maiores incentivadores da literatura chilena no século 20. Açoriano, nascido na pequena Ilha do Corvo, ele deixou a terra natal em 1905, aos 20 anos, para ganhar a vida na caça às baleias. Por diversas circunstâncias, o corvino acabou chegando ao Chile, onde foi morar com um tio, de quem comprou uma antiga livraria. Apaixonado pelo trabalho, Nascimento editou o primeiro livro do ainda desconhecido escritor Pablo Neruda. Em 1971, com várias obras publicadas, o poeta chileno conquistou o Prêmio Nobel de Literatura.

 

Sobre os diretores

José Medeiros

Natural da Ilha de São Miguel, nos Açores, José Medeiros é músico, ator, compositor e diretor de cinema. Conhecido no meio artístico como Zeca Medeiros, iniciou a carreira na música a bordo do navio Funchal, que fazia a ligação marítima entre as ilhas dos Açores e da Madeira. Tem vários discos lançados e algumas premiações na música, entre elas, o Prêmio Açores Música 2006.

Zeca Medeiros trabalhou na Rede de Televisão Portuguesa (RTP) em Lisboa por quase três décadas, onde passou por várias funções. Com a chegada das transmissões de TV aos Açores, retornou à terra natal onde passou a desenvolver projetos audiovisuais. Entre suas obras destacam-se as séries “Mau Tempo no Canal”, “Xailes Negros”, “Balada do Atlântico”, “O Barco e o Sonho”.

Tiago Rosas

Webdesigner por formação, Tiago Rosas é fundador da empresa Anfíbios – Atelier de Soluções Informáticas, e também do Portal Açores de divulgação do arquipélago na internet. A partir desses e de outros trabalhos, teve contato com elementos da linguagem do cinema e se apaixonou pelo universo da animação. Atualmente escreve textos para séries de televisão e atua também em produção e direção de filmes de animação, documentário e ficção.

Um dos seus trabalhos, o curta de animação “História dos Açores” foi premiado em 2013 no II Panazorean Film Festival, realizado em Ponta Delgada, na Ilha de São Miguel. Recentemente, produziu o longa-metragem Raízes. Além do cinema, Tiago atua na área de fotografia, tendo realizado vários trabalhos em parceria com José Medeiros.

 

Serviço

O quê: Mostra de Cinema Açoriano

Quando: Sexta-feira (19) – 19 horas: “Partilha – O Império de João do Bom”.

Quando: Sábado (20) – 16 horas:  “O Livreiro de Santiago”,.

Onde: Casa da Memória de Florianópolis. R Padre Miguelinho nº 58 – Centro.  (48) 3333-1322.

Quanto: gratuito.

Mais informações: NEA.

convite

Tags: Casa da Memória de FlorianópolisJoi Cletison AlvesNEANúcleo de Estudos Açorianos (NEA)

Núcleo de Estudos Açorianos recebe reconhecimento internacional em Portugal

15/06/2015 18:05

O Núcleo de Estudos Açorianos (NEA) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) recebeu uma homenagem do presidente da Assembleia Legislativa da Região Autônoma dos Açores (Alraa), em Portugal, que, em conjunto com a Presidência do Governo da Região Autônoma dos Açores, outorgou-lhe a Insígnia Autonômica de Reconhecimento. A seção solene da Alraa, realizada no dia 25 de maio, contou com a presença de todos os deputados regionais e secretários de governo de Portugal. A cerimônia de outorga ocorreu na Ilha das Flores, na cidade de Lages das Flores.

Cumprimentos informais do diretor do NEA ao presidente atual dos Açores Vasco Alves Cordeiro. Foto de José Antonio Rodrigues

Cumprimentos informais do coordenador do NEA ao presidente atual dos Açores, Vasco Alves Cordeiro. Foto: José Antonio Rodrigues

O coordenador do NEA, o historiador Joi Cletison Alves, viajou ao arquipélago dos Açores especialmente para receber a insígnia em nome do Núcleo. Para Joi, “esta homenagem pertence a todas as instituições e pessoas que compõem o Conselho do Núcleo de Estudos Açorianos da UFSC”, pois o trabalho que o NEA faz, atuando em mais de 600 quilômetros de costa atlântica, só ocorre graças a essas parcerias. “O nosso trabalho só está sendo reconhecido em vários níveis graças a esta atuação conjunta, e com o mesmo objetivo de valorizar e preservar a herança cultural que os açorianos nos deixaram no século XVIII”, acrescenta.

Diretor do NEA cumprimenta o ex-presidente dos Açores (esquerda) Carlos Cezar e o atual, Vasco Alves Cordeiro. Foto de José Antonio Rodrigues

Coordenador do NEA cumprimenta o ex-presidente dos Açores (esquerda), Carlos Cezar, e o atual, Vasco Alves Cordeiro. Foto: José Antonio Rodrigues

O decreto legislativo regional nº 36/2002/A, de 28 de novembro 2002, instituiu a atribuição das Insígnias Honoríficas Açorianas para estimular a continuidade e emergência de feitos, méritos e virtudes com especial relevo na construção do patrimônio açoriano. Além disso, busca representar o reconhecimento público dos cidadãos ou instituições que contribuíram de para consolidar a identidade histórica, cultural e política do povo do arquipélago.

O NEA, que recebeu diversas homenagens em nível nacional, completou, em 2014, 30 anos de atuação com atividades de pesquisa, ensino e extensão, valorizando e preservando a identidade açoriana do litoral catarinense.

 

 

 

 

Insígnia Autonômica de Reconhecimento do ano de 2015

Receberam a distinção, juntamente com o NEA, as seguintes pessoas e instituições:

Adolfo Ribeiro Lima, Irmandade do Senhor Santo Cristo dos Milagres, João Gago da Câmara (título póstumo), João Urbano Melo Resendes, Anthímio José de Azevedo (título póstumo), Ana Maria Bettencourt, Vamberto Freitas, Roberto Amaral, Núcleo Estudos Açorianos da Universidade de Santa Catarina, Manuel Silva Bettencourt e João Luís Medeiros.

Mais informações: NEA.

Imagem da Insígnia Autonômica de Reconhecimento

Imagem da Insígnia Autonômica de Reconhecimento

Assista à  reportagem do Universidade Já – TV UFSC sobre  a Homenagem

 

Tags: Insígnia Autonómica de ReconhecimentoJoi Cletison AlvesNEANúcleo de Estudos Açorianos (NEA)UFSC