Estudo da UFSC indica que acupuntura pode atenuar males da fibromialgia

12/09/2023 09:46

Imagem de StockSnap por Pixabay

Uma doença de difícil tratamento, que atinge mulheres e, muitas vezes, as relega ao abandono familiar e à incapacitação para o trabalho. A fibromialgia atinge por volta de 3% da população brasileira, a maioria delas do sexo feminino, entre 30 e 50 anos de idade, e é objeto de uma investigação realizada na Universidade Federal de Santa Catarina que pode resultar em novas possibilidades de tratamento para pacientes.

A execução do estudo foi do pesquisador Marcos Lisboa Neves, sob a supervisão da professora Morgana Duarte da Silva, coordenadora do Laboratório de Neurobiologia da Dor e da Inflamação (Landi), que investiga estratégias terapêuticas para as diversas doenças que envolvem dor e inflamação.

Neves, que é fisioterapeuta, investiga os efeitos da estimulação do ramo auricular. De acordo com essa linha de estudos, a acupuntura é uma boa ferramenta terapêutica para o tratamento de pacientes com dor. No caso do nervo vago, estimulado para combater os males da fibromialgia, já existem evidências crescentes também no tratamento de outras condições como epilepsia, depressão e dor.

Em junho, o pesquisador defendeu sua tese com um estudo translacional – que busca minimizar o gap entre a produção do conhecimento nas instituições científicas e a aplicação prática, orientado também pela professora Morgana, no Programa de Pós-Graduação em Neurociências da UFSC. Ele pesquisou a acupuntura e a fibromialgia a partir de uma análise em roedores.

“As avaliações comportamentais se relacionavam prioritariamente à dor e secundariamente à depressão, ansiedade, sono, catastrofização, funcionalidade, qualidade de vida e variabilidade da frequência cardíaca. Como resultados, embora ainda não tão expressivos, já mostram um potencial do tratamento e sinalizam a viabilidade de realizar estudos maiores e assim com maior poder estatísticos, principalmente porque o estudo piloto demonstrou uma significativa redução na gravidade dos sintomas das pacientes”, comenta.

Ele explica que a fibromialgia é uma condição crônica caracterizada por dores articulares e musculares generalizadas, acompanhada de fadiga, alterações cognitivas, do humor e do sono. Como a causa ainda não é definida, algumas evidências recaem sobre alterações do sistema nervoso central, o que leva ao quadro disfuncional de percepção exacerbada de dor e dos demais sintomas, que influenciam também na saúde mental das pacientes.

Neves explica que o nervo vago é uma importante via de comunicação do corpo com sistema nervoso central, por isso os tratamentos com a estimulação indicam resultados promissores. No Brasil, a acupuntura é oferecida gratuitamente pelo SUS, como parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares. “São mais de 15 mil profissionais com capacitação para atuarem com essa prática, um recurso que facilita o acesso das pacientes em tratamento”, complementa.

“Fui muito beneficiada”

O objetivo do estudo conduzido na UFSC foi avaliar a eficácia da acupuntura sobre ramo auricular do nervo vago na redução da intensidade da dor e da gravidade dos sintomas gerais relacionados com a fibromialgia. As 50 mulheres diagnosticadas com fibromialgia foram divididas aleatoriamente em três grupos. Um recebeu uma intervenção por acupuntura auricular sobre o ramo auricular do nervo vago esquerdo (orelha esquerda); um segundo grupo recebeu a mesma intervenção, porém, na aurícula direita; e um terceiro grupo recebeu acupuntura simulada na aurícula esquerda.

As avaliações comportamentais se relacionavam prioritariamente à dor e secundariamente à depressão, ansiedade, sono, catastrofização, funcionalidade, qualidade de vida e variabilidade da frequência cardíaca. Como resultados, na comparação entre os três grupos, não houve diferença significativa na redução da dor, mas a acupuntura na orelha esquerda reduziu significativamente a gravidade dos sintomas gerais de mulheres com fibromialgia.“Os achados fornecem dados para viabilizar novos estudos clínicos randomizados controlados com maior população amostral, para melhorar as evidências para o uso da acupuntura auricular sobre o nervo vago”, assegura Neves.

Uma das pacientes avaliadas, Carolina* conta que descobriu há pouco tempo sofrer de fibromialgia. As dores generalizadas impediam a sua rotina e a deixavam desanimada. “Eu não aguentava mais tomar medicação sem sucesso. Fiquei sem esperança de ter melhora”, relembra. As quatro sessões realizadas no estudo da UFSC, entretanto, tiveram um impacto positivo nas suas condições de vida.

A paciente conta que fisioterapia, medicação e infiltração eram algumas das estratégias utilizadas por ela no tratamento. “A pesquisa causou uma melhora na dor, passei a procurar ajuda psicológica e auxílio para emagrecer, o que começou a melhorar meu quadro de forma geral. O estudo foi o passo inicial para uma melhora considerável no meu quadro clínico”, conta.

Carolina também relata sua confiança na ciência e nos tratamentos integrativos. “Tratamentos integrativos demonstram a melhora considerável no meu caso. Acredito que com estudos mais profundos, um tratamento específico pode auxiliar na eficiência para tratar a dor constante. Acredito muito na ciência e fui muito beneficiada em participar deste estudo”, sintetiza.

Nervo vago tem papel central no estudo

Imagem de Mohamed Hassan por Pixabay

No doutorado, Neves realizou um estudo com roedores com uma condição similar à fibromialgia, em que o animal demonstra um comportamento de dor generalizada, além de um comportamento tipo depressivo. “A gente faz o tratamento primeiro no animal, que foi a nossa primeira fase de trabalho. Só depois partimos para o estudo piloto com pacientes humanos”.

Com os resultados positivos, o Landi passou a recrutar pacientes para a nova fase da pesquisa. “Nosso estudo tem esse viés de integração com a sociedade, porque esse é o momento em que a gente aproxima a sociedade da Universidade – o momento em que a gente começa a recrutar pessoas da sociedade que tem essa doença cujo tratamento é ainda bastante limitado”.

As limitações, conforme explica o cientista, ocorrem muitas vezes pela condução inadequada do tratamento, já que nem sempre um profissional tem a expertise de tratar uma condição tão complexa. Muitas vezes, o próprio paciente também não consegue aderir bem o tratamento.

“Houve bastante procura pelo estudo, a sociedade aderiu”, conta. As pacientes selecionadas passaram por quatro sessões, todas realizadas no espaço clínico situado em um dos prédios do Centro de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Santa Catarina. Elas passaram por um rigoroso acompanhamento, do início ao fim do processo, e receberam as devolutivas em uma apresentação em que também puderam se conhecer.

Neves aplicou a acupuntura nos ramos auriculares esquerdo e direito das pacientes. Ele explica que a técnica é uma leitura filosófica de estimular pontos que são virtuais no corpo, mas que, hoje, a neurociência reconhece que esses pontos são locais com uma certa especificidade, pois estimulam nervos importantes.

O nervo vagal, objeto do estudo, segundo ele, é cheio de ramificações. “Tem ramificação para o sistema cardiorrespiratório, sistema gastrointestinal, cérebro e para partes que compõem o que a gente chama de sistema límbico, que está relacionado com a nossa emocionalidade”, explica. Além disso, o nervo também atua como fonte de resposta das células do sistema imune.

A forma de verificar a resposta das mulheres ao tratamento, além de considerar o que elas próprias avaliavam sobre suas dores e estado físico e mental após as sessões, foi a leitura do comportamento cardíaco. Isso porque, conforme narra Neves, o nervo vago é importante para ativação do sistema parassimpático, que está relacionado com a recuperação do organismo, enquanto o sistema nervoso simpático serviria para nos deixar em alerta para desempenhar atividades

Um organismo saudável, de acordo com ele, possui uma alta variabilidade de frequência cardíaca porque é capaz de modular a atuação dos dois sistemas. Já o de pessoas com doenças crônicas apresenta uma baixa variabilidade da frequência. No estudo, foi possível verificar a variação, o que indica possibilidades promissoras. “É possível atuar estimulando a regulação do sistema nervoso por esse caminho”, diz Neves.

No final da pesquisa, e após a análise dos dados, as voluntárias foram convidadas para uma palestra de apresentação dos resultados e das principais diretrizes clínicas para o manejo da fibromialgia. Este evento foi realizado na UFSC e contou com a presença de familiares, que tiraram suas dúvidas sobre a doença, sobre os tratamentos disponibilizados, falaram sobre seus problemas e sobre os benefícios da terapêutica proposta.

*Nome substituído para preservar a identidade da paciente

Amanda Miranda/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: acupunturaFibromialgiaLaboratório de Neurobiologia da Dor e da InflamaçãoneurobiologiaNeurociênciaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

UFSC sediará I FloripaNeuro – Congresso Internacional em Neurociências

14/12/2022 08:59

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) irá sediar, entre os dias 8 e 10 de fevereiro de 2023, a primeira edição do FloripaNeuro – Congresso Internacional em Neurociências (I International FloripaNeuro Congress). O evento é voltado a estudantes de graduação e pós-graduação, pesquisadores e profissionais das áreas da bioquímica, biologia, medicina, biomedicina, farmacologia, toxicologia, fisioterapia e áreas afins, interessados em conhecer, adquirir ou compartilhar experiências no estudo da Neurociência e/ou Neuroquímica e das novas opções terapêuticas para o tratamento das doenças do sistema nervoso.

> Confira a programação do FloripaNeuro

A professora Patricia de Souza Brocardo, coordenadora do laboratório de Neuroplasticidade da UFSC, é parte da comissão organizadora. De acordo com a docente, o conhecimento na área das Neurociências tem avançado rapidamente nos últimos anos e esta área “é uma grande promessa para aumentar nossa compreensão e eventual abordagem terapêutica das mais diversas doenças do sistema nervoso central. De particular interesse, a região Sul carece de eventos internacionais na área de Neurociências que possam englobar as pesquisas cientificas realizadas por pesquisadores do Brasil e do exterior”.

A programação do evento está disponível neste site. O congresso será realizado no Auditório Garapuvu, do Centro de Eventos da UFSC, e contará com keynote lectures de pesquisadores internacionais, mini simpósios, apresentações orais e de pôsteres produzidos por alunos inscritos. Os estudantes para as apresentações orais serão previamente selecionados pela comissão cientifica do evento e terão 10 minutos para realizar sua apresentação, com 5 minutos de discussão ao final. Além disso, ao final do evento, o melhor trabalho oral apresentado e o melhor pôster serão premiados.

Mais informações em floripaneuro.org.

Tags: FloripaNeuroNeurociêncianeuroquímicaUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Pós-Graduação em Neurociências abre seleção para mestrado

29/06/2022 17:13

O Programa de Pós-Graduação em Neurociências da Universidade Federal de Santa Catarina divulgou, nesta quarta-feira, 29 de junho, o início do processo de seleção e admissão de estudantes para o curso em nível de mestrado. São ofertadas até sete vagas, para ingresso em agosto de 2022. As inscrições para o processo seletivo podem ser realizadas por formulário de inscrição, a partir de 1º de julho, até as 18 horas do dia 15 de julho. edital está disponível para consulta Para esclarecimentos de dúvidas quanto ao processo seletivo, os candidatos deverão contatar a Secretaria Integrada de Pós-Graduação do Centro de Ciências Biológicas da UFSC.

O processo de seleção é uma prova de conhecimento, que consistirá de questões discursivas e objetivas integrando conhecimentos e conceitos sobre Neurofisiologia, Neuromorfologia, Neuroquímica e Neurofarmacologia, de análise do Curriculum Vitae e de Arguição do candidato e da proposta de projeto. A proposta do programa é multidisciplinar e tem como missão integrar pesquisadores atuantes na área de Neurociências e formar recursos humanos qualificados para a docência, pesquisa e extensão, abrangendo principalmente a seguintes áreas: Neurobiologia Celular e Molecular, Neuroquímica, Psicobiologia, Neurofarmacologia, Neurofisiologia e Neurociências Aplicadas.

Tags: editalinscriçõesmestradoNeurociênciaNeurofarmacologiapós-graduaçãoUFSC

Projeto NEUROTalks promove live sobre carreira internacional para cientistas brasileiros

11/11/2020 16:12

O projeto NEUROTalks recebe, nesta quinta-feira, dia 12 de novembro, às 19h, a pesquisadora Danielle Beckman, da Universidade da Califórnia, para conversar sobre oportunidades internacionais disponíveis para pesquisadores e cientistas brasileiros. Ela apresentará um guia prático para viajar e adquirir conhecimento e experiência no exterior.

O projeto tem como objetivo oferecer à comunidade conteúdos sobre neurociências em linguagem acessível. As transmissões ocorrem pelo canal do YouTube “A culpa é do cérebro”, gerenciado pelo professor Andrei Mayer, do Departamento de Ciências Fisiológicas.

Danielle é Farmacêutica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), mestre em Biofísica e doutora em Química Biológica, ambos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Desde 2017, cursa pós-doutorado na Universidade da Califórnia. Foi contemplada com o Dale Schenk Alzheimer’s Association Research Roundtable Award 2020 por desenvolver um projeto para utilização de primatas não-humanos como plataforma para geração de novas terapias para a doença de Alzheimer e outras demências.

Os interessados que participarem da transmissão ao vivo receberão certificado. Para isso, a orientação é que façam um print (foto) da tela no início (até 19h15) e no final da transmissão (após 20h). Durante a live, serão repassadas orientações sobre o envio dos prints.

Serviço:

NEUROTalks  – “Como construir uma carreira internacional sendo um cientista brasileiro?”

Data: 12 de novembro

Horário: às 19h

Link: https://www.youtube.com/watch?v=IjQhOE_4LP0

Tags: carreira internacionalcientistas brasileirosNeurociênciaNEUROTalks

NEUROTalks debate sistema endocanabinoide dia 10, quinta-feira

09/09/2020 13:37

O projeto NEUROTalks promove nesta quinta-feira, 10 de setembro, a partir das 18h, a palestra Sistema endocanabinoide e as escolhas para uma vida de qualidade, com Ricardo Reis, professor e pesquisador da Universidade Federal de Janeiro (UFRJ). O evento será transmitido ao vivo no canal do Youtube A culpa é do cérebro, do professor Andrei Mayer, do Departamento de Ciências Fisiológicas (CFS) do Centro de Ciências Biológicas (CCB) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), disponível no link abaixo:

Canal YouTube A culpa é do cérebro

 

Tags: EndocanabinoideNeurociênciaNEUROTalksUFSCUniversidade Federal de Janeiro (UFRJ)Universidade Federal de Santa Catarina

Palestra ‘qual o segredo da criatividade’ ocorre nesta quinta, 16 de julho

15/07/2020 15:29

O projeto NEUROTalks promove nesta quinta-feira, 16 de julho, a partir das 18h, a palestra intitulada Qual é o segredo da criatividade?, com Daiane Golbert, artista e pesquisadora do Instituto do Cérebro, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O evento será transmitido ao vivo no canal do Youtube A culpa é do cérebro, do professor Andrei Mayer, do Departamento de Ciências Fisiológicas (CFS) do Centro de Ciências Biológicas (CCB) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), disponível no link abaixo:

Canal YouTube A culpa é do cérebro

Tags: criatividadeliveNeurociênciaNEUROTalksUFSCUniversidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Simpósio Integrado em Neurociências tem inscrições abertas até 15 de novembro

08/11/2018 08:15

O Programa de Pós-graduação em Neurociências (PPGNEURO/UFSC) do Centro de Ciências Biológicas promove o Simpósio Integrado do PPG em Neurociências 2018 (SIPNEURO 2018). O simpósio ocorrerá no dia 7 de dezembro, das 08 às 18h30, no Auditório da Biblioteca Central (Elke Hering), contando com diversas palestras, apresentação de trabalhos selecionados e exibição de pôsteres. As inscrições e submissões de resumos podem ser realizadas até 15 de novembro através do site www.sites.google.com/view/sipneuro2018, sendo que a participação é aberta à comunidade interna e externa e dará direito a certificado de 8 horas.

Durante o Simpósio serão apresentadas as diferentes áreas de pesquisa atualmente em desenvolvimento no PPGNeuro e assuntos relacionados à área de neurociências, além de contar com exposição de pôsteres, apresentações orais de trabalhos selecionados e, ainda, a seleção de uma logomarca para o Programa de Neurociências e com direito a premiação para o vencedor.
(more…)

Tags: NeurociênciaPPGSimpósio Integrado do PPG em NeurociênciasUFSC

Ciclo de palestras da neurociência discute o papel do hipocampo em doenças do sistema nervoso

05/11/2018 09:03

O ciclo de palestras do “II dia do Hipocampo: O papel do hipocampo nas doenças do sistema nervoso” ocorre no dia 23 de novembro, no Anfiteatro do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC. A atividade discute o papel do hipocampo em doenças do sistema nervoso e contará com pesquisadores nacionais e internacionais, apresentando estudos que comprovam o papel dessa estrutura em diferentes processos patológicos. O evento é destinado a estudantes e professores de graduação e pós-graduação interessados pela área de neurociência. As inscrições podem ser realizadas até 21 de novembro, pelo link.
(more…)

Tags: Anfiteatro do Centro de Filosofia e Ciências HumanasII dia do Hipocampo: O papel do hipocampo nas doenças do sistema nervosoNeurociênciasistema límbicosistema nervosoUFSC

Pós em Neurociências divulga editais para seleção de mestrado e doutorado

07/01/2016 10:48

O Programa de Pós-Graduação em Neurociências do Centro de Ciências Biológicas (CCB) divulgou os editais para seleção de mestrado e doutorado. As informações completas estão disponíveis no site http://ppgneuro.posgrad.ufsc.br.

Mestrado

Inscrição: até 24 de fevereiro.

Data da prova: 29 de fevereiro.

Horário: 8 às 12h.

Arguição dos candidatos: 2 de março. (Horário definido após classificação dos candidatos na prova escrita. A arguição será realizada aos candidatos classificados na prova escrita.)

Doutorado

Inscrição: até 24 de fevereiro de 2016.

Data da exposição oral dos projetos de pesquisa e arguição pela banca: 3 e 4 de março.

Horário: 9h.

 

Mais informações pelo e-email ppgneuro@contato.ufsc.br ou pelos telefones (48) 3721-9970 (secretaria) e 3721-4685 (professor Adair Roberto S. do Santos – coordenador do programa).

Tags: doutoradomestradoNeurociêncianeurociênciasPrograma de Pós-Graduação em NeurociênciasseleçãoUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Neurocientista francês Stanislas Dehaene participa de eventos na UFSC

09/07/2012 09:39

Dedicado ao estudo das neurociências cognitivas, o pesquisador também lançará na UFSC o livro Os neurônios da leitura

A UFSC recebe nesta sexta-feira, 13 de julho, o matemático e neurocientista francês Stanislas Dehaene. Membro da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos e do Conselho de Administração da Rede Sarah (dedicada à reabilitação e ao tratamento de deformidades, traumas, doenças do aparelho locomotor e problemas do neurodesenvolviment), Dehaene ministra na Universidade a palestra Os neurônios da Leitura (Reading in the Brain). O encontro será realizado no auditório da Reitoria da UFSC, a partir de 14h.

Dedicado ao estudo das neurociências cognitivas, o pesquisador também lançará na sexta-feira, a partir de 17h30min, o livro Os neurônios da Leitura, que ganhou edição brasileira este ano com tradução da professora aposentada da UFSC Leonor Scliar-Cabral. Os participantes terão direito a certificado emitido pela UFSC, que é uma das promotoras dos eventos. Dehaene visitará Rio, Brasília e Florianópolis. Os organizadores solicitam que os interessados se inscrevam para os encontros na UFSC, que incluem também um colóquio, no link http://neuroniosdaleitura.blogspot.com.br/p/inscricoes.html

Neurociências
As neurociências são um amplo campo de pesquisas, com impacto em diferentes áreas, em especial na saúde e no comportamento. Com estudos mais recentes, a educação, processos de alfabetização e letramento também se beneficiam das mais recentes descobertas. Stanislas Dehaene virá ao Brasil para falar sobre os mais recentes avanços nesta área.

Segundo Dehaene, as investigações realizadas pela psicologia cognitiva experimental comprovaram o centro de reconhecimento da palavra escrita no cérebro. Essa descoberta afeta as metodologias empregadas nas escolas, que deverão rever suas abordagens. Na França isto já está ocorrendo e, na opinião do pesquisador, também deverá acontecer brevemento no Brasil.

Outro aspecto muito importante é quanto ao tratamento da dislexia, que afeta mais de 18 milhões de pessoas no país. Com o avanço da neurociência, o tratamento passa por uma fase revolucionária.

Neurônios da Leitura
Neurônios da Leitura é um livro que apresenta a lógica oculta da ortografia. Com exemplos práticos e os resultados de uma pesquisa pioneira, mostra como as línguas e o sistema da linguagem são processados. Uma das conclusões é que o cérebro possui uma força e uma capacidade inimaginável de se adaptar e de se transformar.

Os capítulos abordam como se dá o processo de leitura, o funcionamento do cérebro, como ocorreu a invenção da leitura e como o ser humano aprende a ler. Aprofunda-se, também, nas questões relacionadas com dislexia, leitura e simetria. O autor propõe a construção de uma “cultura dos neurônios”, com grande impacto na área de aprendizagem e educação.

Stanilas Dehaene
Nasceu na França, em 1965. É mestre em Matemática Aplicada (Universidade Paris VI) e Doutor em Ciências Cognitivas (Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales, Paris). Atualmente dedica-se a pesquisar as neurociências cognitivas. Seu livro Os neurônios da leitura (Reading in the Brain) conquistou o Grand Prix RTL-Lire, como melhor livro de ciência em 2007.

Outra obra – La Bosse des Maths – conquistou o prêmio Jean Rostand de melhor livro de divulgação científica. No Brasil, faz parte  do Conselho de Administração da Rede Sarah de Hospitais de Reabilitação.

É fundador e coorganizador com L. Cohen do clube parisiense de Neuropsicologia no Hôpital de la Salpêtrière. Atualmente é diretor-presidente da Inserm-CEA, Cognitive Neuroimaging Unit.

Entre seus prêmios, honrarias e participações estão:  membro da Academia Nacional de Ciências dos EUA; membro da American Philosophical Society; membro da Academia Europeia; prêmio Dr. AH Heineken para Ciências Cognitivas (2008); Ordem Nacional do Mérito Francês (2008);  Medalha de Ouro da Associação Arts-Sciences-Lettres (2007); Prêmio Louis D. Prize, Institut de France (com D . Le Bihan, 2003);   Medalha Pio XI, da Pontifícia Academia das Ciências (2002); prêmio Boehringer-Ingelheim, da Sociedade de Neurociências da Federação Europeia (2002); prêmio  Jean-Louis Signoret, Fundação IPSEN (2001); prêmioVillemot, da Academia Francesa de Ciências (2000); prêmio Fanny Emden Prize, da Academia Francesa de Ciências (1996) .

Serviço:
O quê: 
Palestra com Stanislas Dehaene – Os neurônios da leitura / Reading in the Brain
Quando: 
13 de julho de 2012, sexta-feira, 14h
Onde:
 Auditório da Reitoria, UFSC
Colóquio Neurociência na Região Sul
 (debatedor: Stanislas Dehaene): 16h
Lançamento do livro Os Neurônios da Leitura / Reading in the brain17h30min
Inscrições
http://neuroniosdaleitura.blogspot.com.br/p/inscricoes.html
Contato:
 eventoneuroniosdaleitura@gmail.com

Fonte: http://neuroniosdaleitura.blogspot.com.br/

 

Tags: NeurociênciaUFSC