Criptomoedas é tema do novo episódio do podcast UFSC Ciência

27/06/2019 14:10

A Agência de Comunicação (Agecom) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) publicou nesta quinta-feira, 27 de junho, o quinto episódio do podcast UFSC Ciência. O assunto do último programa deste semestre são as criptomoedas. Foram entrevistados para falar sobre o tema os professores Jean Everson Martina, do Departamento de Informática e Estatística do campus Florianópolis da UFSC, e Martin Augusto Vigil, do Departamento de Engenharia da Computação do campus Araranguá.

Podcasts são arquivos de áudio disponíveis para o usuário escutar a hora que quiser. Os episódios serão quinzenais e estarão em diversas plataformas, como Spotify e iTunes. A próxima edição do programa retorna no segundo semestre, a partir de agosto.

A iniciativa é uma realização da Agência de Comunicação da UFSC para divulgar o trabalho de alunos, professores e pesquisadores da instituição. A gravação e edição dos episódios contam com apoios fundamentais de dois setores da UFSC: o Laboratório de Radiojornalismo, do Departamento de Jornalismo, que cede um espaço semanal para a gravação de entrevistas e áudios; e o Laboratório de Gravação e Edição de Som, do Departamento de Artes, onde os materiais são editados e há gravação de pequenos trechos complementares.

Mais informações na página UFSC Ciência.
> Ouça através do player abaixo:

Download | iTunes | Feed | Spotify

Tags: AgecomblockchaincriptomoedasDivulgação Científicainformáticapodcastpodcast UFSC CiênciaUFSC Ciência

Simpósio internacional aproxima literatura e artes das tecnologias

24/10/2012 09:31

O impacto das novas tecnologias nas artes, na literatura e na comunicação está muito longe de ser suficientemente compreendido. De 20 a 22 de novembro, no auditório Henrique Fontes, do Centro de Comunicação e Expressão da UFSC, estudiosos de vários países do mundo vão compartilhar suas pesquisas acerca das relações entre literatura e informática durante o I Simpósio Internacional e V Simpósio Nacional de Literatura e Informática. Também analisarão as mudanças nos processos de leitura e escrita provocadas pela difusão dos suportes digitais.

As inscrições, gratuitas, para ouvintes ou apresentadores de comunicações no simpósio, estão abertas até o dia 10 de outubro pelo site http://simposioliteraturainformatica.ufsc.br.

Promovido pelo Núcleo de Pesquisa em Informática, Literatura e Linguística (Nupill/UFSC) com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o evento reunirá pesquisadores renomados da Espanha, França, Portugal e Brasil. Já estão confirmadas as presenças de Philippe Bootz (Paris 8) para a conferência de abertura; Clemente Padin, artista visual do Uruguai, que falará sobre Criação Poética e Meio Digital; Lucia Santaella (PUC-SP), que abordará o tema Estética e Meio Digital e Lucio Agra (PUC-SP), discutindo o tema Performance Digital.

O desafio de compreender cientificamente o papel das tecnologias na reinvenção da leitura e da escrita mobiliza alunos, profissionais e professores de diversas áreas do conhecimento. Além das Letras, participam do congresso estudiosos de design, biblioteconomia, ciência da computação, linguística, entre outros campos que têm proposto o fim da demarcação entre literatura, ciência e tecnologia. “Com esse simpósio, pretende-se de vez deixar clara a necessária relação entre essas áreas e a inovação, apostando-se na superação de preconceitos de muitas décadas que legitimam a divisão estanque dessas dimensões indissociáveis do conhecimento”, esclarece o coordenador do Nupill, Alckmar Luiz dos Santos, que é também coordenador do evento e professor do Curso de Pós-Graduação em Literatura da UFSC.

As comunicações apresentadas devem girar em torno das diversas implicações teóricas, práticas e artísticas das relações entre informática e literatura, acrescenta o professor Cristiano Salles, da comissão de organização. O congresso discutirá a especificidade dos meios digitais, dando ênfase ao processamento informático e à análise automatizada de linguagens e textos literários. Essa abordagem inclui o trabalho realizado por bibliotecas e bancos de dados digitais de literatura; ferramentas de suporte à leitura, ensino e aprendizagem em meio digital; criação literária e artes em meio digital; tratamento informático de textos literários e periódicos literários digitais.

O Brasil será representado por estudiosos da UFSC, UEL, USP, UFMG, UFBA, UPF, Ulbra/SP, PUC/SP, UFPI, UFMF e Universidade Presbiteriana Mackenzie. Do exterior, pesquisadores da Université de Paris 8 e Universidade Sophia Antipolis – Nice, na França; da Universidade Fernando Pessoa, de Portugal, e Universidad Complutense de Madrid, na Espanha, participarão do evento, que tem apoio na divulgação da Secretaria de Cultura da UFSC.

Informações e contatos:


Núcleo de Pesquisas em Informática, Literatura e Linguística
Campus Universitário da Trindade – CCE/UFSC – Prédio B – sala 515
Fone: 48-37216590

Raquel Wandelli/Assessora de Comunicação da Secretaria de Cultura da UFSC

Tags: informáticaliteraturaNupillUFSC

Simpósio internacional aproxima literatura e artes das tecnologias

09/10/2012 13:12

O impacto das novas tecnologias nas artes, na literatura e na comunicação está muito longe de ser suficientemente compreendido.

De 20 a 22 de novembro, no auditório Henrique Fontes, do Centro de Comunicação e Expressão da UFSC, estudiosos de vários países do mundo vão compartilhar suas pesquisas acerca das relações entre literatura e informática durante o I Simpósio Internacional e V Simpósio Nacional de Literatura e Informática. Também analisarão as mudanças nos processos de leitura e escrita provocadas pela difusão dos suportes digitais.

As inscrições, gratuitas, para ouvintes ou apresentadores de comunicações no simpósio, estão abertas até o dia 10 de outubro pelo site http://simposioliteraturainformatica.ufsc.br.

(mais…)

Tags: informáticaliteraturaNupillUFSC

Palestra sobre hackerspaces

16/03/2012 10:18

Hoje, 16, às 19 horas, no Auditório do Departamento de Informática e Estatística da UFSC – INE, palestra sobre Hackerspaces e o projeto de fundação do Tarrafa Hacker Club. Na agenda, conceito de Hackerspaces (http://hackerspaces.org/): o que são, qual sua origem e função,  projeto de fundação do primeiro hackerspace de Florianópolis: o Tarrafa Hacker Club (http://auszug.com.br/hc/index.php) e uma discussão com os interessados em participar e contribuir com o projeto. Contato: http://auszug.com.br/hc/index.php e https://www.facebook.com/TarrafaHC.

Tags: Hackerspacesinformática

Telemedicina reforça parceria entre governo do Estado e Universidade

25/05/2011 10:27

Fotos: Pâmela Carbonari/Agecom

A exibição de exames feitos em Lages e Porto União pouco antes de uma cerimônia realizada no centro administrativo do governo do Estado, em Florianópolis, com a imediata emissão dos laudos médicos, foi o ato simbólico que marcou uma grande conquista do Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde. Embora o registro de um milhão de exames tenha sido alcançado em abril, foi nesta terça-feira, 24/05, que a façanha reuniu os protagonistas desse avanço – o governo estadual e a Universidade Federal de Santa Catarina – para comemorar o feito e consolidar uma parceria que rendeu bons frutos para a saúde dos catarinenses.

Por meio do sistema, os exames realizados nos municípios cadastrados são disponibilizados para análise imediata dos especialistas, nas cidades onde há estrutura para isso. Logo após o laudo, o resultado pode ser visualizado pelo médico e pelo próprio paciente no local de origem. Com isso, além de permitir ganho de tempo, a rede – baseada numa infraestrutura tecnológica desenvolvida na UFSC – possibilita a redução do custo dos exames e evita viagens desnecessárias. Os coordenadores do sistema estimam que somente com os eletrocardiogramas realizados de 2005 até janeiro de 2011 os pacientes deixaram de viajar 13 milhões de quilômetros.

Histórico dos pacientes – Na solenidade de terça-feira, o coordenador estadual do sistema, professor Aldo von Wangenheim, destacou que na maior parte dos municípios catarinenses é possível realizar eletrocardiogramas e exames de ressonância magnética sem obrigar os pacientes a viajarem para centros maiores, onde a oferta de serviços de saúde é mais completa.

“Mais de 20 mil pessoas deixaram de se deslocar, reduzindo substancialmente a ‘ambulancioterapia’ que é uma característica do Estado”, afirmou o professor. Ele ressaltou que o sistema está criando uma base de dados com o histórico dos exames de milhares de pacientes, implantando “um registro eletrônico de que nem as clínicas privadas de outros estados dispõem”.

Para o coordenador de Telemedicina da Secretaria da Saúde, Luiz Felipe Nobre, a grande vantagem do sistema é que ajudou a reduzir as filas nos hospitais dos grandes centros e permitiu, além da realização de exames, a educação de saúde a distância no Estado. “Hoje, contamos com um sistema de informações atualizado, que facilita o trabalho dos profissionais médicos de atuação básica no interior”, afirmou.

Papel social – O secretário de Estado da Saúde, Dalmo Claro de Oliveira, aproveitou a solenidade para reafirmar a disposição do governo de equipar os cerca de 100 municípios que ainda têm carências para realizar os exames, especialmente na questão da digitalização de imagens. Presente no ato, o governador em exercício, Eduardo Pinho Moreira, festejou a coincidência de estar respondendo pelo governo no lançamento do sistema, em 2005, no município de Quilombo, e também na comemoração de um milhão de exames, em 2011.

Já o reitor da UFSC, Alvaro Toubes Prata, falou sobre a “belíssima parceria” da instituição com o governo e afirmou que a universidade, sendo pública, utiliza o sistema para atender a sociedade numa área crucial como a saúde. Também esteve no centro administrativo, acompanhando o reitor, o vice-reitor Carlos Alberto Justo da Silva, que é médico e já foi diretor do Hospital Universitário.

Mais informações sobre o Sistema Catarinense de Telemedicina e Telessaúde com Marina Veshagem, pelo fone (48) 3721-8000 ou pelo e-mail

Por Paulo Clóvis Schmitz/Jornalista na Agecom

Tags: informáticamedicinasaúde