Golpe no Paraguai e a formação da Marcha Patriótica na Colômbia são tema de debate

01/08/2012 11:43
.

Evento também é apoiado pelo Instituto de Estudos Latino-Americanos e Diretório Central dos Estudantes, ambos da UFSC

Apoiada por um conjunto de organizações sociais e políticas, a Associação Cultural José Martí de Santa Catarina promove debate com o tema “A contraofensiva do imperialismo e a resistência na América Latina: o golpe no Paraguai e a formação da Marcha Patriótica na Colômbia”. Os militantes de movimentos pelos direitos humanos Martin Almada (Paraguai) e Mauricio Avilez (Colômbia) vão ser os debatedores. A atividade acontece no dia 9 de agosto a partir das 19 horas, no auditório do Sinjusc, Centro de Florianópolis.

Além de debate, o evento vai ser um ato político contra ingerência direta do imperialismo na política e na economia latinoamericana, especialmente na Colômbia e no Paraguai, mas também nas tentativas de desestabilização dos governos de Hugo Chávez (Venezuela) e Rafael Correa (Equador) e no golpe frustrado contra o presidente da Bolívia, Evo Morales.

Martin Almada é um dos mais importante representante do movimento dos direitos humanos paraguaio, foi presidente da Associação de Educadores de San Lorenzo. Por suas atividades políticas foi sequestrado pela polícia política da ditadura e ficou três anos e meio preso (1974/1977). Durante a década de 1980 trabalhou como especialista em educação na Unesco/ONU, em Paris (França). Um dos temas que abordará no evento será a atualidade da Operação Condor.

Mauricio Avilez também é um lutador dos direitos humanos na Colômbia. Atualmente, está radicado em Porto Alegre (RS) por conta da repressão aos movimentos sociais e sindicais no país. Dois temas que tratará são a Agenda Colômbia  e a Marcha Patriótica.

A ACJM-SC conta com a participação de todos os militantes solidários, defensores dos direitos humanos e da autodeterminação dos povos.

A atividade é apoiada pelas seguintes organizações: Instituto de Estudos Latino-Americanos (IELA-UFSC), TV Floripa, Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário de SC (Sinjusc), Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Assessoramento, Perícia, Pesquisa e  Informações (Sindaspi), Associação dos Docentes do Ensino Superior de SC (Adessc), Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários (Seeb-Fpolis), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Diretório Central dos Estudantes da UFSC (DCE-UFSC), Consulta Popular, Psol, PCB, UJC, PCdoB, UJS, CCLCP, JCA e MAS.

Mais informações:

Tags: DCEIELA

Greve na UFSC: Manifestação em frente ao RU discute a paralisação do setor

19/06/2012 15:15

Restaurante Universitário (RU) está ocupado desde a noite desta segunda, dia 18, por servidores da UFSC em greve

Alunos, técnico-administrativos (STAs) e professores se reuniram na manhã desta terça-feira, dia 19 de junho, para discutir as circunstâncias da paralisação do Restaurante Universitário (RU), ocupado desde a noite de ontem por servidores em greve da UFSC. A manifestação foi mobilizada pelas redes sociais e ao final do ato foi decidido que haverá uma reunião com a reitora Roselane Neckel  nesta quarta-feira, às 12h, para buscar um acordo. Alguns alunos, em ato simbólico, entraram no RU e retiraram os cartazes e faixas em favor da greve.

Opiniões divergentes

O comando de greve defende a ocupação como uma forma de fortalecer o movimento e pressionar o Governo Federal. Segundo ele, a terceirização do setor põe em risco os serviços prestados a longo prazo, pois abre margem para a precarização do setor devido aos cortes de orçamento na Educação. Os STAs aceitam a manifestação dos estudantes e não têm a intenção de entrar em conflito com eles. O comando diz estar aberto para o diálogo, mas considera que a cobrança deveria se voltar para o Governo Federal e Reitoria.

PRAE – De acordo com a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Beatriz Augusto de Paiva, a Reitoria busca um diálogo com os grevistas para discutir as demandas do movimento e garantir os serviços essenciais dos estudantes, reduzindo os efeitos da paralisação.  A Reitoria tomou providências em relação à alimentação dos estudantes que possuem isenção das refeições pela Coordenação de Serviço Social (COSS/PRAE). Informações: 3721-8226

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFSC apoia a greve dos servidores, mas não tomou posição quanto a ocupação do RU. Segundo membros do DCE, a responsabilidade por manter a alimentação subsidiada de todos os estudantes é da Reitoria. Após a manifestação, que não foi organizada por entidades de representação dos alunos, o DCE realizou uma assembleia aberta para tomar uma posição sobre a paralisação. Membros do diretório manifestaram insatisfação com o comunicado emitido pela Reitoria que, segundo o DCE, defende o funcionamento do RU em meio à greve. Esta medida, para o diretório, vai contra o direito de greve e põe os estudantes contra os servidores. A pró-reitora de Assuntos Estudantis, Beatriz Augusto de Paiva, defende dizendo que o comunicado é contra a interrupção abrupta dos serviços e busca uma solução para atender às demandas essenciais dos estudantes.

A manifestação foi marcada por posições distintas dos participantes e momentos de conflito e agitação. Em favor da paralisação, o argumento de que não há greve sem a interrupção dos serviços essenciais e que as medidas visam a melhoria na qualidade da educação. Já os pontos contra o movimento são a dificuldade de muitos alunos para se alimentar sem o serviço subsidiado pelo Restaurante Universitário e a falta de diálogo entre grevistas e estudantes. O evento foi divulgado pelo facebook, no qual cerca de 2.000 pessoas confirmaram a participação.

 

Por Mateus Vargas/Bolsista em Jornalismo na Agecom

Tags: DCEGreveRUUFSC

Voz Ativa assume DCE nesta terça-feira

14/05/2012 16:34

Está marcada para terça-feira, 15 de maio, às 19h, no auditório da Engenharia de Produção e Sistemas, a posse da chapa Voz Ativa para a gestão 2012 do Diretório Central dos Estudantes (DCE).  A transmissão dos cargos será feita pela atual gestão, Rosa dos Ventos.

Relembrando:

26/4/2012 – Com uma diferença de mais de mil votos, a chapa 2 – Voz Ativa venceu as eleições para o DCE da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Tags: DCEposseVoz Ativa

Voz Ativa vence eleições para DCE da UFSC

26/04/2012 14:42

A Comissão Eleitoral divulgou o resultado final da eleição da nova diretoria do DCE/UFSC. A apuração, ocorrida no Hall da Reitoria, teve término às 05h35 do dia 26/04/2012 e apresentou o seguinte resultado que foi registrado em ata e assinado pelos membros da Comissão Eleitoral e fiscais das chapas Polifonia e Voz Ativa presentes durante o processo:

 

Urna

Eleitores Aptos

Votos

Abstenção

Chapa 1 – Polifonia

Chapa 2 – Voz Ativa

Brancos

Nulos

CCA

537

314

41%

38

271

2

3

CCB

674

138

79%

62

75

0

1

CCE

2.982

505

83%

192

300

1

12

CCJ

1.006

211

79%

58

150

1

2

CCS

2.822

469

83%

294

170

1

4

CDS

625

157

74%

19

131

1

6

CED

1.101

306

72%

23

282

0

1

CFH

2.832

731

33%

255

457

3

16

CFM

1.643

223

86%

29

193

0

1

CSE

4.062

659

83%

245

391

2

21

CTC

5.241

650

87%

377

257

4

12

CAp

278

87

68%

42

41

0

4

ARA

803

243

69%

106

136

0

1

CBS

546

149

72%

80

67

1

1

JOI

1.301

194

85%

91

100

1

2

ARQ

506

218

56%

18

196

2

2

EQA

568

42

92%

19

23

0

0

Total

27.527

5.296

80%

1.948

3.240

19

89

 Fonte: Alggeri Hendrick/ Comissão Eleitoral


 

Tags: DCEDCE-UFSCeleiçõesUFSC

Começa disputa para nova gestão do Diretório Central dos Estudantes

24/04/2012 11:26

Estudantes devem apresentar documento com foto nos locais de votação. Fotos: Brenda Thomé / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Começou nesta terça-feira, 24 de abril, o primeiro dos dois dias de eleição para o Diretório Central dos Estudantes da UFSC. São eleitores os alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação presencial dos campi de Florianópolis, Araranguá, Curitibanos e Joinville. Estudantes secundaristas do Colégio de Aplicação também têm direito ao voto.

Duas chapas disputam a eleição para o Diretório: Polifonia 1 e Voz Ativa 2. Os estudantes devem levar documento com foto aos locais de votação.

O DCE estava sob comando de uma comissão provisória desde dezembro do último ano, quando o Conselho das Entidades de Base (reunião dos Centros Acadêmicos e DCE) optou por adiar a eleição que aconteceria na mesma época do pleito à reitoria. Em 2007 as eleições para reitor e para o DCE ocorreram no mesmo período e 1.200 alunos votaram para o diretório. Nas eleições seguintes (2008, 2009 e 2010) o quórum aumentou para, em média, 4.000 alunos por ano.

A apuração dos votos será pública, na noite de quarta-feira, após o recebimento de todas as urnas na sede do Diretório Central dos Estudantes. A Comissão Eleitoral deve encaminhar o relatório conclusivo de suas atividades ao Conselho das Entidades de Base, que será convocado no máximo uma semana após a eleição para dar posse à chapa vencedora.

Segundo o regimento eleitoral, a apuração dos votos acontece se o número de assinaturas nas listas atingir o quórum mínimo de 10% do total de estudantes de graduação da UFSC (cerca de 2 mil alunos). Caso contrário, outra eleição será convocada pelo CEB.

Locais de votação:
CCA – na área coberta de acesso às salas, das 8h às 18h10min
CCB – no corredor térreo do MIP, das 8h às 22h10min
CFM – próximo ao antigo Xerox, das 8h às 22h10min
CCE – no varandão do CCE, das 8h às 22h10min
CSE – no hall das salas de aula, das 8h às 22h10min
CCS – em frente ao Xerox do CCS, das 8h às 22h10min
CTC – no hall do CTC, das 8h às 22h10min
ARQ – no pavilhinho da arquitetura, das 8h às 22h10min
CFH – no hall das salas de aula, das 8h às 22h10min
CED – no hall do CED, das 8h às 22h10min
CDS – no hall do CDS, das 8h às 18h10min
Colégio de Aplicação – no hall de entrada do ensino médio, das 8h às 13h
CCJ – na porta da sala 009 do CCJ, das 8h às 12h30min e das 18h às 22h10min
EQA – no hall do EQA, das 8h às 18h10min
Araranguá – no hall do prédio de salas de aula, das 8h às 22h10min
Curitibanos – no hall do prédio de salas de aula, das 8h às 19h30min
Joinville – no hall do prédio de salas de aula, das 8h às 19h30min.

Mais informações:
Comissão Eleitoral (48) 9621-4216 ou (49) 8436-4004

Por  Mateus Vargas/ Bolsita deJornalismo na Agecom

 

Tags: DCEeleiçõesUFSC

DCE marca eleições para abril

20/03/2012 18:06

Centros acadêmicos de diversos cursos da UFSC reuniram-se nesta terça-feira, 20 de março, no Conselho de Entidades de Base (CEB) para definir o processo eleitoral que irá escolher a nova direção do Diretório Central dos Estudantes (DCE). As eleições estão marcadas para 24 e 25 de abril. A reunião também serviu para definir a Comissão Eleitoral, que é quem passa a responder pelo DCE a partir de agora até a posse da nova gestão.

Desde o final do ano passado o DCE estava sem direção por decisão do Conselho das Entidades de Base em adiar a eleição para o início do semestre. Para fazer a tradicional recepção aos calouros, foi escolhida uma comissão executiva provisória, que agora deixa de responder pela entidade.

Na reunião de hoje, o CEB definiu o seguinte cronograma para as eleições :
20/03 a 04/04 – Formação de chapa
05/04 – Inscrição de chapa
06/04 a 23/04 – Campanha
24/04 e 25/04 – Eleições

Fazem parte da Comissão Eleitoral os acadêmicos Cristiano da Silva de Carli (Geografia),  Davi Machado Peres ( Serviço Social), Rodrigo Sartori (Direito) e Geovani de Souza Santos (Ciências Rurais). Ainda falta a definição de mais cinco integrantes. A comissão será formada por seis alunos do Campus Florianópolis e um de cada campi (Araranguá,  Curitibanos e  Joinville). A sede do DCE está localizada no térreo do Centro de Convivência.

Mais informações:
Contato com a Comissão Eleitoral do DCE:
– Cristiano da Silva de Carli: (48) 9621-4216
– Geovani de Souza Santos: (49) 8436-4004

Por Laura Tuyama, jornalista na Agecom.

 

Tags: DCEestudanteUFSC

Assembleia dos estudantes avalia movimento

07/09/2011 09:39

A 2ª Assembleia Geral dos Estudantes coordenada pelo Diretório Geral dos Estudantes (DCE) da UFSC foi realizada hoje no hall da Reitoria para dar sequência às atividades de reivindicações dos alunos.

A assembleia reuniu por volta de 200 pessoas que tomaram pelo sistema de voto aberto as seguintes decisões: dar início a uma campanha com articulação nacional por contratação de professores e mais verbas na educação, lutar por democracia interna na universidade, marcar uma audiência pública com o Reitor Alvaro Prata para o mês de setembro sob as diretrizes do DCE e abrir e divulgar o espaço para a presença dos servidores da UFSC nas reuniões dos estudantes, assim como a dos estudantes nas reuniões dos servidores.

Essa assembleia estava marcada para quinta-feira passada (01), porém foi adiada pelo Conselho de Entidades de Base (CEB) – reunião dos Centros Acadêmicos (CA’s) dos cursos mais o DCE – por causa da desocupação da reitoria na semana passada e por isso, precisariam de mais tempo para a articulação do movimento.

Por Ricardo Pessetti/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: DCEGreve

Líderes estudantis fazem novas exigências para a Administração Central da UFSC

24/08/2011 10:26

Estudantes da UFSC, em vigília desde o dia 17 de agosto no prédio da Reitoria, fizeram novas exigências. Cobram  agora uma manifestação pública da Administração Central da universidade exigindo do governo federal a abertura da negociação com a Fasubra para o retorno dos serviços essenciais ao funcionamento da instituição; contratação imediata de professores e servidores para evitar novas propostas de corte de vagas e para que se restabeleçam as condições mínimas de ensino; plano e prazo de conclusão de todas as obras previstas no Reuni e reajuste da bolsa permanência conforme previsto na sua regulamentação.

As novas exigências se seguem a um ofício enviado pelo reitor Alvaro Prata em resposta à carta de reivindicações entregue pelo DCE ao Gabinete, argumentando que “somente a mobilização e pressão estudantil poderia avançar na conquista dos direitos, fundamentais para assegurar as condições de estudo e permanência adequados” (leia a resposta na íntegra na página do DCE).

O reitor apresenta como solução de um destes problemas, um Projeto de Lei tramitando no Congresso Federal que viabilizaria a contratação de mais 150 professores que ainda restavam do Reuni. Mas, para os alunos em vigília, se ainda restam professores do Reuni a ser contratados “este é um direito já acordado entre a UFSC e o governo e, portanto, não necessita de um Projeto de Lei que pode demorar meses e até anos para ser efetivado”. Além disso, pelos cálculos do DCE, seria necessária a contratação de pelo menos 600 professores.

Os estudantes criticam os novos prazos estabelecidos pela Administração para o Restaurante Universitário (setembro de 2011). Para eles, esses prazos já foram estabelecidos anteriormente e foram  todos descumpridos. Para a entrega no novo RU, por exemplo, já foram lançados três prazos diferentes, sendo que o primeiro era dezembro de 2008.  Afora isso, segundo os alunos,  vários outros prédios previstos no projeto inicial do Reuni sequer foram iniciados.

Para os estudantes, é necessário também que o reitor manifeste abertamente ao Governo Federal que a ausência dos serviços básicos está prejudicando gravemente a qualidade do ensino desta universidade, e exija a abertura imediata das negociações entre o governo e os servidores sobre o conteúdo e resultados destas negociações.

– É fundamental a Administração reconhecer que o valor estabelecido da bolsa permanência em 2007 e iniciado em 2008 de R$ 364,00 está defasado e é insuficiente para assegurar a própria função desta bolsa: a permanência dos estudantes sócio-economicamente vulneráveis, sublinha a carta.

Documento anterior assinado pelo reitor, e entregue ao DCE cinco dias após o início da vigília dos estudantes, especifica que não haverá redução de vagas no curso de graduação em Economia no próximo vestibular. Quanto à greve dos servidores técnico-administrativos, a administração da UFSC reafirma o seu apoio às reivindicações dos servidores técnico-administrativos e a disposição em continuar, através da Andifes, buscando negociações que permitam que os servidores se sintam contemplados e as universidades retornem ao seu pleno funcionamento. Já em relação às edificações, Alvaro Prata argumenta que as dificuldades associadas ao cronograma em atraso foram superadas e que as obras da terceira ala do RU serão finalizadas em setembro.

Tags: DCEestudantesvigília
  • Página 3 de 3
  • 1
  • 2
  • 3