Equipe da UFSC disputa etapa Regional Sul do campeonato de Baja SAE

22/11/2012 16:45

Os universitários são responsáveis por projetar os protótipos que
participam da competição

A décima edição do Baja SAE Brasil Regional Sul acontece entre os dias 23 e 25 de novembro, na cidade de Gravataí, Rio Grande do Sul. Em torno de 20 equipes apresentarão os seus protótipos de carros off-road, projetados por estudantes de engenharia. A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) é uma das instituições que competirá com dois carros, nomeados carinhosamente pela equipe de Jaguar e Puma.

O Baja Regional Sul ocorre desde 2003, sempre no fim do ano, e funciona como uma preparação para o campeonato nacional que acontece no início do ano seguinte. Durante a competição as equipes interagem, mas se mantém o clima de competitividade. O capitão da equipe UFSC BAJA, Thiago Rios, fala “No baja sul, o clima é bastante ‘caseiro’, as equipes são próximas. É uma excelente oportunidade para trocar experiências, procuramos nos relacionar bem com todo mundo, mas, claro, sem perder de vista o nosso foco, que é vencer a competição”.
(mais…)

Tags: Baja SAE BrasilCTCSulUFSC

Seminário “Modelagem, Identificação e Controle de uma Aeronave Quadrirotor

31/10/2012 16:30

O Grupo de Discussão em Robótica do Departamento de Automação e Sistemas (DAS) da UFSC realizará nesta quinta-feira, 1º de novembro, às 14h, o seminário “Modelagem, Identificação e Controle de uma Aeronave Quadrirotor”, que será proferido pelo pesquisador Marcelo De Lellis. O evento será na Sala PGEAS1 (1º andar) do Departamento de Automação e Sistemas, Centro tecnológico (CTC). 
(mais…)

Tags: CTCDASGrupo de Discussão em RobóticaMarcelo De Lellis

UFSC na Mídia: Barco solar desperta em alunos interesse por novas tecnologias

30/10/2012 15:49

Protótipo de barco movido a energia solar estimula imaginação dos jovens. Barco vai navegar na Amazônia e transportar produção de comunidades ribeirinhas.

“Com o modelo que conhecemos aqui podemos produzir outras coisas. Se fizermos uma réplica da invenção que nos demonstraram e colocarmos um computador para gerar movimentos, eles poderiam ser conduzidos por programação específica. É possível produzir até robôs”, diz Davi Gomes Milanês, de apenas 11 anos, que já faz planos sobre sua carreira profissional. “Quero ser um cientista na área da medicina”, afirma o jovem visitante da 9ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em Brasília.

A invenção de Davi surgiu durante a visita ao barco solar em tamanho real, exposto no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade (ExpoBrasília), onde está sendo realizada a semana do Distrito Federal. O barco solar faz parte do projeto Energia Solar Fotovoltaica Aplicada ao Transporte e a Atividades Produtivas na Amazônia, desenvolvido em parceria entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Com capacidade para transportar 22 pessoas e meia tonelada de carga, o barco tem o objetivo de possibilitar a geração de renda para comunidades amazônicas. Antes de ser entregue à comunidade no primeiro trimestre de 2013, o protótipo vai ser submetido a testes finais durante um mês, no Rio de Janeiro (RJ).

Perguntado sobre seu interesse pelo barco, Artur Rodrigues Ribeiro da Silva, 12 anos, também revelou ser bastante criativo. “É interessante porque cultura é sempre bom. Desperta o desejo de conhecer mais e produzir novas invenções que os cientistas ainda não fizeram”. Ele disse que pretende ser biólogo marinho.  Avaliou de forma positiva a postura dos guias durante a visita: “eles ensinam bem, são muito profissionais”.

Estrutura solar – O projeto Energia Solar Fotovoltaica Aplicada ao Transporte e a Atividades Produtivas na Amazônia conta ainda com outras iniciativas voltadas para a geração de renda da comunidade do Furo do Nazário, beneficiária do protótipo do barco, e localizada em uma ilha próxima a Belém (PA). O barco será responsável pelo escoamento da produção da comunidade, cuja atividade produtiva baseia-se na pesca e na colheita do açaí, comercializados naquela capital.

A estrutura que servirá de base para a implantação de uma oficina comunitária voltada para atividades produtivas de homens e mulheres da comunidade já está sendo construída. No local, serão instaladas máquinas de costura para confecção de roupas e produção de artesanato pelas mulheres e equipamentos de conserto e reparo naval para os homens. A oficina contará com subsistema fixo da tecnologia fotovoltaica para geração de energia elétrica a partir da radiação solar. O sistema é semelhante ao desenvolvido para a unidade fluvial, que conta com um subsistema móvel.

O barco possui um espaço refrigerado para transporte do gelo e dos alimentos, assegurando a qualidade dos produtos que movimentam a economia local”, ressalta o pesquisador da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Lucas Nascimento. “Por ser um projeto piloto, a comunidade deve ter infraestrutura para que seja bem acompanhado e garanta a geração de renda associada ao desenvolvimento sócio econômico.

Na comunidade será instalado um ponto de recarga para o barco, com um banco de 48 baterias, que garantem autonomia de dois dias mesmo à noite ou durante período de chuva. Seis máquinas de gelo, movidas por tecnologia fotovoltaica, serão instaladas na comunidade. Vão produzir 30 quilos de gelo diariamente. A água utilizada na produção do gelo vai ser tratada por um reator de desinfecção de baixo custo. Produzido com tubo de PVC, o reator foi desenvolvido por alunos da UFSC.

Jornal da Ciência/SBPC – JC e-mail 4606, de 18 de outubro de 2012.

Fonte: Ascom do MCTI

Tags: barco solarCTCUFSC

Palestra sobre Simulação Numérica de Escoamentos

29/10/2012 13:23

O professor Carlos Frederico Lange, do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Alberta, no Canadá, estará na UFSC para falar sobre o tema Simulação Numérica de Escoamentos: dos Pampas às Pradarias e até às Planícies Marcianas. A palestra será realizada em português, no dia 1º de novembro, quinta-feira, às 10h30min, no Auditório do Pólo, Bloco A da Engenharia Mecânica da UFSC. A palestra é gratuita e aberta à comunidade acadêmica.

Ementa técnica da Palestra:
-Uma descrição em paralelo da trajetória pessoal de descoberta da mecânica dos fluidos computacional e de vários exemplos de aplicação da simulação de escoamentos.
-Começando com um modelo de elementos finitos para escoamentos incompressíveis com função de penalidade, passando pela paralelização e refinamento local de malha, e escoamentos multifásicos.
-A trajetória da apresentação culmina em várias aplicações não convencionais da simulação numérica. Entre os exemplos está a administração de medicação aos pulmões, a geração de partículas na tosse e a simulação de ventos e nevoeiros em Marte. O escoamento ao redor de um cilindro, apesar da sua simplicidade, tem um papel curiosamente recorrente nessa trajetória.
-A palestra conclui com uma visão geral da pesquisa na Universidade de Alberta.

Trajetória do palestrante:
O professor Carlos Lange completou graduação e mestrado em Engenharia Mecânica no Brasil (UFRGS) e doutorado (Dr.-Ing.) na Engenharia Química da Universidade Friedrich-Alexander, Erlangen-Nürnberg, Alemanha. É especializado no estudo de escoamentos e fenômenos de transporte usando simulação numérica (CFD). Ele aplica os métodos numéricos a problemas de engenharia biomédica, como a administração de medicação aos pulmões, além de simular a inalação de aerossóis medicinais. Também estuda a geração e emissão de bioaerossol durante a tosse, com implicações na transmissão de doenças por vias aéreas.

Em suas pesquisas, aplica a simulação de escoamentos ao estudo de ventos em Marte. Ele foi membro da Equipe Científica Canadense na Missão da Sonda Marciana Phoenix. Como parte da sua contribuição, Professor Lange e sua equipe usaram pela primeira vez CFD para a caracterização do efeito dos ventos marcianos na operação de uma sonda e de seus instrumentos. Foi dele, também, a ideia de umanemômetro substituto, consistindo de um barbantinho com um tubo na extremidade (Telltale). Este instrumento, que foi construído na Universidade de Aarhus, Dinamarca, foi projetado por Lange usando simulação numérica. O Telltale é hoje o instrumento mais fotografado na superfície de Marte.

Professor Lange e seu grupo continuam o desenvolvimento de modelos para o estudo do ciclo de água em Marte, um elo vital na busca de sinais de vida passada ou presente no planeta vermelho.

Fonte: CTC/UFSC

Tags: CTCEngenharia MecânicaUFSC

Estudantes da UFSC conquistam segundo lugar na etapa nacional do Desafio Estratégico Bain & Company

24/10/2012 17:25

A equipe Uranium, formada por alunos de Engenharia da UFSC, conquistou o segundo lugar

A equipe Uranium, formada pelos alunos da UFSC Arine Schmidt (Engenharia de Produção Mecânica), Cristovam Peres (Engenharia de Materiais), Gabriel Bogo (Engenharia Mecânica), Luigi Gianni (Engenharia de Produção Mecânica) e Pedro Saynovich (Engenharia Mecânica), conquistou o segundo lugar na etapa nacional do VI Desafio Estratégico Bain. O Desafio, organizado por uma das maiores consultorias do mundo, a Bain & Company, reúne jovens universitários de todo o Brasil e propicia experiências semelhantes às enfrentadas por profissionais da área.

O desafio contou com 481 equipes, totalizando cerca de 1.800 universitários, no qual os participantes criaram um plano estratégico que pudesse gerar grande valor a uma empresa global em busca de crescimento.  Com o resultado, os integrantes garantiram a possibilidade de participar das entrevistas finais do processo seletivo da Bain sem passar pelas etapas iniciais.

Outras informações pelo endereço www.neo.ufsc.br ou pelo telefone (48) 3239-2041.

Tags: CTCengenhariaequipe UraniumUFSCVI Desafio Estratégico Bain

Centro Tecnológico divulga normas para consulta à nova direção

19/10/2012 18:03

No dia 10 de outubro de 2012, foram aprovadas pelo Conselho do Centro Tenológico (CTC) da UFSC as diretrizes para consulta à nova Direção do Centro e representação docente no Conselho Universitário (CUn) da Universidade, através da comissão designada pela Portaria nº 290/CTC/2012.

O documento trata da forma de inscrição dos candidatos, dos eleitores, apuração dos votos, campanha eleitoral e reserva o dia 8 de novembro para a votação e  o dia 9 de novembro para a divulgação dos resultados. O edital completo pode ser acessado através deste link.

Tags: consultaCTCnova direçãoUFSC

Palestra “Pacto de Mobilidade de Barcelona”

19/10/2012 15:48

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promove no dia 31 de outubro, quarta-feira, das 8h às 12h, a palestra “Pacto de Mobilidade de Barcelona”, com o arquiteto e professor Francesc Ventura, da Universidade Politécnica de Catalunha (UPC/Espanha). O evento será realizado no auditório João Ernesto Escosteguy Castro, Departamento de Engenharia de Produção e Sistemas (EPS/UFSC).

O objetivo do evento é conhecer a experiência de Barcelona, tida internacionalmente como um exemplo a seguir, contada por um de seus protagonistas.

Podem participar professores, pesquisadores e alunos de universidades; gestores e legisladores públicos; representantes da sociedade civil organizada; profissionais e cidadãos interessados no tema “Mobilidade Urbana”.

Outras informações pelo telefone (48) 3721-7765 ou pelo e-mail 

Tags: BarcelonaCEMCTCFrancesc VenturaGrupo GEmobilidade urbanapalestraUFSC

Equipe Robota disputa competição de robôs catadores de lixo em Fortaleza

18/10/2012 17:53

O robô desenvolvido pela Equipe Robota é feito de alumínio, custou cerca de R$ 4 mil e sua construção iniciou em abril deste ano

Cinco integrantes da Equipe Robota do Centro Tecnológico (CTC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) estão em Fortaleza para participar das competições Brasileira e Latino-Americana de Robótica, nesta quarta-feira, dia 17 de outubro. O grupo construiu um robô programado para identificar e recolher latas de bebidas na areia e descartá-las em uma lixeira. O evento acontece de 17 a 21 de outubro na Universidade de Fortaleza (Unifor), Ceará.

A equipe formada por estudantes de três cursos de graduação – Engenharia de Controle e Automação, Engenharia Eletrônica e Engenharia Mecânica – participará na categoria Open, que propõe em toda edição do evento um novo desafio. Em 2012, a meta é recolher o máximo de latas em um ambiente circular medindo 5,5m de diâmetro e que simula uma praia com a presença de um guarda-sol e um manequim.

A pontuação é calculada somando as latas recolhidas em um tempo determinado. Se o robô derrubar latas durante o transporte, esbarrar no cenário ou sair da arena a equipe perde pontos. A coleta do lixo deve ser feita por meio da programação do robô, sem nenhum controle da equipe durante a prova. Na categoria Open, a UFSC concorre com outras 30 universidades da América Latina, com a participação de instituições do México, Peru, Bolívia, Colômbia, entre outras.

O robô desenvolvido pela Equipe Robota é feito de alumínio, custou cerca de R$ 4 mil e sua construção iniciou em abril deste ano. Ele possui uma câmera que identifica as latas pelo formato e pela cor comparando com uma imagem padrão contida no sistema do robô. O reconhecimento é facilitado já que a organização do evento divulgou que as latas serão pretas e estarão parcialmente enterradas. O projeto Equipe Robota existe desde 2002 e nesse ano foi financiado pela PRAE/PRExt e CNPq.

A UFSC terá outra participante no evento. A Equipe Araranguá Intruders também vai a Fortaleza, e competirá na categoria RoboCup Small-Size, disputada por futebol de robôs. Leia mais: http://noticias.ufsc.br/2012/10/15/equipe-da-ufsc-ararangua-participa-de-competicao-de-futebol-de-robos-em-fortaleza/

O robô é programado para identificar e recolher latas de bebidas na areia e descartá-las em uma lixeira

Mais informações com Guilherme Vianna Raffo pelo e-mail  ou pelo site http://www.cbrobotica.org/index.htm.

Murici Balbinot / Estagiário de Jornalismo na Agecom/UFSC

Fotos: Giuliane Gava/TV UFSC

Tags: competiçãoCTCDASEquipe RobotaFortalezaUFSC

Minicursos de Cálculo A/Cálculo I neste sábado

05/10/2012 12:05

Dada a dificuldade dos alunos com Cálculo A/Cálculo I, o Programa de Pós-Graduação em Física organizou minicursos com conteúdo de Funções e Limites (limites de funções, limites laterais e indeterminações).  As próximas turmas são neste sábado, 6 de outubro, das 9h às 12h, nas salas CTC 201 e CTC 2012. Essas salas localizam-se no Centro Tecnológico, no Campus da Trindade, Florianópolis.Os minicursos são gratuitos e a inscrição é feita na hora, por meio de lista de presença.

Na programação estão o resumo dos conteúdos, exercícios resolvidos pelo professor e solução de dúvidas trazidas pelos alunos, exercícios extras resolvidos pelo professor em conjunto com os alunos e exercícios extras resolvidos pelos alunos supervisionados pelo professor. O objetivo desta iniciativa é aumentar o aproveitamento dos alunos nessas disciplinas e reduzir a reprovação.

Os cursos serão ministrado pelos doutorandos em Física Fabio de Oliveira (quinta-feira), Luiz Cesar Santos e James Torres (sábado), bolsistas REUNI de apoio ao ensino de graduação. Esta atividade faz parte da formação como docentes e têm a supervisão do professor  Departamento e Pós-Graduação em Física Marcelo Tragtenberg.

Os minicursos oferecerão certificado de participação para os alunos, válido como atividade complementar do curso. O certificado será providenciado pelo Departamento de Apoio Pedagógico da Pró-Reitoria de Ensino de Graduação, fone (48) 3721-8307.  Só terá certificado quem assinar a lista de presença e preencher seu CPF, para posteriormente usá-lo como senha de acesso à pagina de extensão da UFSC e baixar seu certificado.

Mais informações:
Luiz Cezar – 

Tags: Cálculo ACFMCTCoficinas ReuniUFSC

Estudantes organizam evento sobre computação em nuvem

03/10/2012 18:44

A Universidade Federal de Santa Catarina recebe entre os dias 15 e 19 de outubro grandes empresas e nomes internacionais para discutir através de palestras, minicursos e painéis o tema Cloud Computing (computação em nuvem)no evento SECCOM 2012. Esta edição contará com a presença das empresas Microsoft, Amazon e Nokia, além da nacional Chaordic mostrando o lado mercadológico do segmento. Em termos de pesquisa estão programadas palestras sobre Robot Operating System, Evolução de Software ministrada pela canadense Mirian Capretz, apresentações de laboratórios de pesquisa e outras atividades.

Além destas atrações serão feitos minicursos que englobam outros temas diversos ligados à computação. O evento é organizado pelo PET Computação, Centro Acadêmico Livre da Computação (CALICO) e Centro Acadêmico de Sistemas de Informação (CASIN) da UFSC com o apoio da empresa Chaordic e da própria universidade.

Para conferir o conteúdo completo do evento acesse seccom.pet.inf.ufsc.br e página no Facebook http://www.facebook.com/seccom.ufsc/

Mais informações:
PET Computação  –

Tags: Ciências da Computaçãocloud computingCTCSistemas de InformaçãoUFSC

Seminário de Robótica

03/10/2012 15:12

O Grupo de Discussão em Robótica no Departamento de Automação e Sistemas (DAS) realiza nesta quinta-feira, 4 de outubro, das 14h às 15h, o seminário “Síntese convexa de controladores Fuzzy para sistemas Takagi-Sugeno discretos no tempo com atraso e limitação nos estados”, que será proferido por Luís Filipe Pereira Silva. O seminário acontece na Sala PGEAS1 (primeiro andar) do Departamento de Automação e Sistemas, CTC/UFC.

Mais informações:
Guilherme V. Raffo ()
Link do seminário: http://www.das.ufsc.br/~raffo/SeminariosRobotica_DAS/

Tags: CTCEngenharia de AutomaçãorobóticaUFSC

Congresso vai discutir planos diretores baseados em Cadastro Técnico Multifinalitário

02/10/2012 16:02

O 10º Congresso de Cadastro Técnico Multifinalitário e Gestão Territorial – COBRAC 2012 será realizado dos dias 7 a 11 de outubro em Florianópolis. É organizado pelo LabFSG e pelo GTCadastro, grupo de pesquisa fundado pelo Professor Carlos Loch, do Departamento de Engenharia Civil da UFSC. O Cadastro Técnico Multifinalitário pode ser entendido como um sistema de registro dos elementos espaciais que representam a estrutura urbana, constituído por uma componente geométrica e outra descritiva que lhe conferem agilidade e diversidade no fornecimento de dados para atender diferentes funções, inclusive a de planejamento urbano.

O COBRAC tem periodicidade bianual e conta com a participação de personalidades de nível internacional relacionadas à Temática do Cadastro Técnico Multifinalitário (CTM) e de Gestão Territorial. Neste ano, serão discutidos temas como a necessidade de se programar planos diretores municipais baseados em CTM, tendo-se o apoio e a participação do Ministério da Integração Nacional, das Cidades, do Planejamento e da Reforma Agrária. Ao mesmo tempo, existe o objetivo de renovar motivações, para que os congressistas continuem desenvolvendo seus trabalhos em seus campos de atuação na sociedade, contribuindo para a instauração da Mentalidade de CTM nacionalmente, no Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) e/ou no CONESUL e na América Latina, comprometidos com uma cartografia de qualidade.

O tema do COBRAC-2012 “Cadastro Técnico Multifinalitário e Gestão Territorial: Formação de Pessoal para as Instituições Públicas” vai ser discutido nas sete mesas redondas organizadas e contará com a participação de representantes de órgãos públicos, como institutos e prefeituras. Também vão participar profissionais financiados pela Rede CYTED (PROGRAMA IBEROAMERICANO DE CIENCIA Y TECNOLOGIA PARA EL DESARROLLO), entre eles alemães, espanhois, portugueses, cubanos, mexicanos, guatemaltecos, argentinos e equatorianos, o que proporciona a interação da União Europeia na área de Cadastro Técnico Multifinalitário com o Comitê Latino Americano de Cadastro Técnico Multifinalitário. Por tratar de um tema multidisciplinar, o congresso é um espaço que permite participação abrangente: estudantes de diversos cursos de graduação, mestrado, doutorado, pesquisadores e profissionais de instituições nacionais e internacionais, além de empresas e órgãos públicos que trabalham com cadastro, cartografia, sensoriamento remoto, geoprocessamento e fotogrametria.

“Neste momento o país precisa e deve mostrar à população que possui tecnologias e ferramentas adequadas para gerir o território brasileiro e suas riquezas. A população, de um modo geral, pede transparência aos gestores no sentido de saber onde e como são investidos os recursos financeiros dos impostos arrecadados pelo governo” afirma a professora Paola Beatriz May Rebollar, uma das organizadoras do COBRAC. “É justamente neste ponto que a utilização das ferramentas científico-tecnológicas vem agregar o conhecimento adquirido das instituições de ensino e pesquisa e a experiência dos órgãos públicos e privados, em prol de uma sociedade mais justa e do direito ao cidadão de uma política de investimentos governamental mais transparente. O CTM vem ao encontro desta necessidade. É preciso desenvolver e implementar políticas cadastrais, de forma a obter-se dados acerca da realidade do território”, completa. O Cobrac 2012 acontece no Hotel Maria do Mar. As inscrições podem ser feitas até a data do Congresso.
Mais informações:

Site do evento

Sobre Cadastro Técniclo Multifinalitário

Prof. Dr. Carlos Loch – Coordenador Geral

Equipe Organizadora

Tel: +55 48 3721-2397 / 3721-2398 / 3721-5096

 

Patrícia Siqueira / Estagiária de Jornalismo no CTC / UFSC

Tags: Cadastro TécnicoCTCEngenharia CivilUFSC

Palestra discute incoerências entre leis ambientais

21/09/2012 12:28

Professor José Rubens Morato Leite cita o Código Ambiental de Santa Catarina como exemplo de  retrocesso ecológico

A palestra desta quinta-feira, 20 de setembro, da III Semana Acadêmica de Engenharia Sanitária e Ambiental (SAESA) discutiu o “Retrocesso Ecológico no Direito Ambiental Brasileiro”, ministrada pelo professor do Departamento de Ciências Jurídicas (CCJ), José Rubens Morato Leite. Entre os temas debatidos por professores e alunos presentes estão a definição do conceito de “Retrocesso Ecológico” e as incoerências de novas normas criadas na área do direito ambiental no Brasil.

A legislação ambiental, ainda recente se comparada a outras legislações, reúne normas que protegem o meio ambiente e contribuem para o desenvolvimento ordenado. Delimitar as áreas de preservação permanente e exigir o estudo de impacto ambiental para liberar o início de construções estão entre as resoluções e regras desta legislação.

Mas há algumas novas regras criadas que tornam incoerente o sistema de normas vigentes. Um exemplo é Código Ambiental de Santa Catarina. No modelo atual, cinco metros é a área de preservação mínima nas encostas dos rios com mais de dez metros de largura localizados em áreas de pequena propriedade. Isso contraria a legislação ambiental federal, que reserva faixa de 30 metros para a mata ciliar – considerada área de preservação permanente. Incoerências como essas são definidas como “Retrocesso Ecológico”, normas que causam retrocesso ao conjunto de regras já existentes.

Outra preocupação é a demora na criação e cumprimento das leis ambientais. Grande parte é criada após a ocorrência de desastres ambientais, como os deslizamentos que aconteceram devido à chuva em 2008 na região do Vale do Itajaí. “A efetivação da lei acontece depois que o impacto ambiental já foi instalado”, analisa José Leite. O chamado “Retrocesso Ambiental”  também acontece quando se ofende o mínimo existencial ambiental – quando bens da natureza que prestam serviços essenciais à sociedade são comprometidos, como o processo de assoreamento causado pelo acúmulo de resíduos e entulhos na beira dos rios.

A palestra sobre “Retrocesso Ecológico” fez parte do quarto dia da SAESA, semana acadêmica organizada pelo Centro Acadêmico de Engenharia Sanitária e Ambiental (CALESA) da UFSC. O último dia do evento, nesta sexta-feira, 21 de setembro, tem em sua programação palestras sobre o “Serviço Municipal de Água e Esgoto” e “Sustentabilidade na Embraco” e discussões sobre o Mercado de Trabalho na área.

Mais informações:
Prof. Dr. José Rubens Morato Leite
Telefone: 3721-6745
Email:  / 
III Semana Acadêmica de Engenharia Sanitária e Ambiental (SAESA)
http://www.calesa.ufsc.br/terceirasaesa/

Poliana Dallabrida Wisentainer / Estagiária de Jornalismo da Agecom / UFSC

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: CTCEngenharia Sanitária e AmbientalUFSC

Especial Jogos Educacionais: Vencer de maneira sustentável

21/09/2012 07:27

As ciências podem ser das mais variadas – humanas, exatas, da saúde – mas os professores em sala de aula têm a mesma preocupação: atrair a atenção e facilitar o entendimento dos conteúdos ministrados. Para isso, muitos deles se desdobram lançando mão da criatividade e, não raro, buscam no lúdico a alternativa para estimular a imaginação dos estudantes e auxiliar na fixação das matérias. A UFSC tem desenvolvido pesquisas sobre jogos educacionais e o Jornal Universitário n°429 trouxe algumas das tantas iniciativas desenvolvidas por seus professores e estudantes. As cinco matérias resumidas no JU estão sendo publicadas na íntegra no site da UFSC durante esta semana.

 

Vencer de maneira sustentável

.

O professor Dalvio mantém ranking dos alunos que alcançam a maior pontuação nos jogos

Passar o semestre gerenciando uma fábrica com o objetivo de obter o maior lucro é o principal desafio dos alunos da disciplina Planejamento e Controle da Produção. O professor do Departamento de Engenharia de Produção Dalvio Ferrari Tubino vem buscando, em seus 30 anos de UFSC, maneiras de fazer com que os conteúdos se tornem mais atrativos e facilmente entendidos. Para a disciplina, ele criou um jogo que simula os softwares utilizados em fábricas para administrar materiais que entram e saem, maquinários, fornecedores e mais 14 itens que também figuram no dia a dia do profissional. “Os programas de mercado incluem até 20 mil itens, e o meu, por ter apenas 17, é mais espaçoso e amigável”, destaca.

O apelo do programa – que o professor prefere chamar de simulação empresarial ou mesmo jogo de empresa – não está no layout, e sim nas atividades que os estudantes precisam desenvolver. Durante o semestre, cada um deve completar três jogos, sempre com tarefas realizadas dentro da mesma fábrica virtual. “Os dados de entrada são diferentes para cada estudante. Eles utilizam as aulas para tirar dúvidas e fazem a simulação em casa. A forma que utilizo para avaliá-los é o lucro que geram ao fim da disciplina”, esclarece o professor.

A pedagogia adotada por Dalvio não se resume aos jogos; se o objetivo é fazer com que o aluno entenda porque aperta determinado botão e o que acontece na sequência, o aprendizado começa na teoria, tendo como base o livro “Planejamento e Controle de Produção – Teoria e Prática” de autoria do próprio professor. A obra, que vende dois mil exemplares por ano e é aplicada também em outras universidades em todo o Brasil, traz o jogo como a parte prática do conhecimento.

O game foi feito inicialmente em Excel e hoje está disponível em Access, na página do Laboratório de Simulação de Sistemas de Produção (do qual o professor é coordenador), junto com o ranking dos estudantes que já alcançaram a maior pontuação desde 2008. Para figurar entre os melhores – e também para passar na disciplina – o aluno deve sim gerar lucro em sua fábrica, mas de forma sustentável. “Já tive quem vendesse todo o maquinário ao final. Para o resultado ser validado, é necessário ‘entregar a fábrica’ em condições de funcionamento”, explica Dalvio, já no início das aulas.

Podem participar do ranking alunos de qualquer universidade. E a lista dos melhores pontuados, que não dá direito a prêmio de qualquer espécie, já tentou ser fraudada. “Recebi o jogo de um aluno de outro estado, e depois me contataram dizendo que o resultado não foi obtido individualmente”, relembra.

Dalvio entende que com o auxílio do simulador os alunos têm a possibilidade de despertar outras percepções, que também contribuem para a assimilação do conteúdo. “Durante os jogos as pessoas revelam facetas de seu caráter que normalmente não exibem por recear sanções. Devido ao ambiente permissivo, as vivências são espontâneas e surgem comportamentos assertivos e não assertivos, trabalhados por meio de análise posterior ao jogo. As conclusões servem de base para reformulações ou reforço de atitudes e comportamentos”.

O professor ensina que, ao se pensar na confecção dos jogos, deve-se atentar a duas perguntas: “quais habilidades serão exploradas?” e “quais decisões serão tomadas?”. E é fundamental que se apresente uma complexidade equilibrada, a fim de evitar “por um lado, a perda da motivação ao se deparar com algo muito simples, com procedimentos óbvios, e por outro, um jogo muito complexo, de difícil entendimento, com número excessivo de variáveis, o que também leva a essa perda”.

O simulador concebido por Dalvio pode servir também para os engenheiros profissionais reavaliarem as decisões que estão tomando em seu cotidiano.  O professor, porém, ressalta que, apesar de se reproduzir o dia a dia encontrado nas fábricas, o jogo “sempre será uma grosseira simplificação da realidade”. E completa: “não existem evidências de que um bom jogador seja um bom administrador e vice-versa”.

Mais informações com o professor Dalvio: e www.deps.ufsc.br/lssp.

Leia mais:

Bancando o detetive

Para conhecer o próprio lar

Humanos contra o lixo espacial

Outros olhares

Por Cláudia Schaun Reis / Jornalista da Agecom
Infográfico: Marcella Rojas Barbosa / Estagiária da Agecom

Tags: CTCDalvio Ferrari Tubinojogos educacionaisLaboratório de Simulação de Sistemas de Produção

Especial Jogos Educacionais: Bancando o detetive nas arábias

19/09/2012 07:28

As ciências podem ser das mais variadas – humanas, exatas, da saúde – mas os professores em sala de aula têm a mesma preocupação: atrair a atenção e facilitar o entendimento dos conteúdos ministrados. Para isso, muitos deles se desdobram lançando mão da criatividade e, não raro, buscam no lúdico a alternativa para estimular a imaginação dos estudantes e auxiliar na fixação das matérias. A UFSC tem desenvolvido pesquisas sobre jogos educacionais e o Jornal Universitário n°429 trouxe algumas das tantas iniciativas desenvolvidas por seus professores e estudantes. As cinco matérias resumidas no JU estão sendo publicadas na íntegra no site da UFSC durante esta semana.

 

Bancando o detetive nas arábias

.

Christiane relata que os jogos estimulam uma outra interação com os alunos

Ela leciona para os cursos de Ciências da Computação e Sistemas de Informação do Departamento de Informática e Estatística (INE) e, com a intenção de facilitar a aprendizagem, começou a projetar e utilizar, em suas aulas, jogos educacionais “analógicos”. Tabuleiros, fichas e dados são distribuídos entre os alunos para melhor compreender conceitos e processos de gerência de projetos de software.

Um dos jogos que a professora Christiane Gresse von Wangenheim confeccionou faz com que os alunos percebam como lidar, em um projeto, com pessoas consideradas difíceis, a partir de simulação da primeira reunião de trabalho. Dentre os personagens, figuram o Chorão, o Sabe-tudo, o Indiferente e o do Contra. “Em uma das turmas, até os mais quietos interagiram, pulando e gritando. Depois do jogo eles começaram a reconhecer essas personalidades em seus ambientes de trabalho”. A descrição e as cartas do game estão disponíveis aqui.

Pesquisadora do tema, Christiane destaca que muitos dos jogos empregados nas salas de aula são feitos pelos próprios docentes, que buscam maneiras de tornar os conteúdos atraentes. “Geralmente esses professores documentam as experiências em artigos que descrevem os jogos, mas raramente disponibilizam os games para serem utilizados por outros docentes”, completa.

Gustavo Machado Soares e Bruno Rausis tiveram Christiane como orientadora de monografia. Os estudantes de Sistemas de Informação criaram em 2011 o jogo chamado Detetive de Projeto, que tem como desafio descobrir o porquê do projeto fictício apresentado não ter sido concluído, utilizando, para isso, uma técnica especifica de monitoramento (denominada Valor Agregado). Depois de finalizado, o jogo foi aplicado em duas turmas dos cursos. “Desenvolvemos uma monografia divertida e conseguimos ver seu resultado quando a levamos para as salas de aula. Como eu trabalho na área de gerenciamento, acabei juntando o útil ao agradável”, relata Gustavo.

Depois de utilizado, o game foi avaliado pelos participantes, que trouxeram sugestões como a diminuição do tempo para a execução das atividades e melhorias nas explicações das tarefas.

Entender de que forma os conteúdos explorados nos jogos são assimilados acaba sendo parte importante do processo, mas geralmente deixada de lado pelos professores por não saberem como aferir esses dados de maneira mais precisa, ou ainda, cientificamente. Gustavo e Bruno utilizaram o modelo e método para a avaliação de jogos educacionais desenvolvido para a tese de doutorado de Rafael Savi. Integrado ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, o pesquisador, que teve a orientação de Vânia Ulbrich e coorientação de Christiane, propôs um modelo para avaliar a motivação, a aprendizagem e a experiência de usuário com um método considerado rápido e fácil de ser aplicado por docentes de qualquer área. “Um jogo de qualidade é aquele que tem objetivos educacionais bem definidos, motiva os alunos para os estudos e promove a aprendizagem dos conteúdos por meio de atividades divertidas, prazerosas e desafiadoras”, defende Rafael.

O trabalho traz a estrutura teórica do modelo e um questionário para a coleta de dados com base na percepção dos alunos. “A vantagem é que os professores não precisam entender de estatística ou ter conhecimentos avançados na área de avaliação educacional para utilizá-lo”.

É comum os alunos quererem passar por todas as etapas do processo de confecção dos games. “Tenho estudantes de graduação e pós que se interessam por desenvolver jogos educacionais, mas os oriento a se debruçarem sobre o conteúdo – que exige bastante dedicação -, e deixar os modelos digitais de lado, porque o resultado gráfico fica muito aquém dos games comerciais”, atesta Chritiane. A professora destaca ainda o retorno que tem tido com a partir dos trabalhos orientados. “O jogo do Bruno e do Gustavo já foi até adotado em curso de treinamento em Bahrain (país Árabe)”. O GQS-Grupo de Qualidade de Software, coordenado pela professora, decidiu ampliar ainda mais o foco de pesquisa sobre o tema.

Mais informações e materiais de outros jogos desenvolvidos podem ser obtidos aqui: www.gqs.ufsc.br/software-engineering-education ou com a professora Christiane:

Leia mais:

Para conhecer o próprio lar

Outros olhares

Humanos contra o lixo espacial

Vencer de maneira sustentável

Por Cláudia Schaun Reis / Jornalista da Agecom
Foto: Rafael Savi

Tags: Christiane Gresse von WangenheimCTCEngenharia e Gestão do ConhecimentoGrupo de Qualidade de Softwarejogos educacionais

Especial Jogos Educacionais: Humanos contra o lixo espacial

17/09/2012 07:28

As ciências podem ser das mais variadas – humanas, exatas, da saúde – mas os professores em sala de aula têm a mesma preocupação: atrair a atenção e facilitar o entendimento dos conteúdos ministrados. Para isso, muitos deles se desdobram lançando mão da criatividade e, não raro, buscam no lúdico a alternativa para estimular a imaginação dos estudantes e auxiliar na fixação das matérias. A UFSC tem desenvolvido pesquisas sobre jogos educacionais e o Jornal Universitário n°429 trouxe algumas das tantas iniciativas desenvolvidas por seus professores e estudantes. As cinco matérias resumidas no JU estão sendo publicadas na íntegra no site da UFSC durante esta semana.

 

Humanos contra o lixo espacial

.

Em uma das fases o jogador deve entender como funciona a transmissão de calor em diversos metais

“O mundo já nos apresenta tantos desafios que não é necessário criarmos vilões”, defende José Eduardo de Lucca. O professor do Departamento de Informática e Estatística (INE) explica a filosofia que sua equipe de dez pesquisadores segue para desenvolver um jogo eletrônico educativo: a verossimilhança.“É factível? Se não for, descartamos, porque foge da verdade científica atual”.

O jogo Universo de Ciências está sendo desenvolvido a partir da parceria entre a empresa Mentes Brilhantes Brinquedos Inteligentes e o Centro de Geração de Novos Empreendimentos em Software e Serviços (GeNESS) da UFSC, do qual de Lucca é coordenador. O edital do Programa de Formação de Recursos Humanos em Áreas Estratégicas (RHAE) do CNPq e do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT) propiciou a união de esforços, iniciada em 2009, e que tem como objetivo estimular a inserção de mestres e doutores nas micro, pequenas e médias empresas.

Wagner Saback Dantas é formado em Ciências da Computação e mestrando em Linguística na UFSC. Gerente do Projeto Universo de Ciências, ele explica que o jogo tem viés público, pois alguns recursos podem ser jogados gratuitamente na web e é todo concebido e executado em softwares livres como Inkscape, MyPaint e GIMP – ferramentas para criação e edição de imagens. Destinado a estudantes de 11 a 14 anos, o primeiro protótipo deverá ser apresentado pela equipe no fim de 2012. Wagner destaca que um dos maiores desafios é “dosar o lúdico e o educativo, conciliando ainda as possibilidades e distintas perspectivas da equipe multidisciplinar”, formada por pedagogos, físicos, designers, biólogos e cientistas da computação.

A missão do jogo – que pode ser atingida individual ou coletivamente, com auxílio de professor ou não – é coletar o lixo que ameaça uma estação espacial. São cinco desafios envolvendo conhecimentos de biologia, física, química e matemática, numa introdução à robótica. A aventura começa ainda em terra, quando o usuário deve construir um foguete, lidando com informações que precisa buscar fora do jogo – resistência de materiais, transmissão de calor –, ou descobrir por tentativa e erro. Já no espaço, os conhecimentos de biologia são requeridos: de que forma funcionam o braço humano, a tromba do elefante, a língua do sapo? A partir das comparações, o estudante pode criar seu próprio braço mecânico para captar o lixo.

Tanto Wagner quanto De Lucca demonstram preocupação com a transposição didática: como falar de ciências instigando a curiosidade e sem ser superficial? “A Física ensinada de maneira tradicional se afasta rapidamente do concreto e passa para o abstrato, o que dificulta o entendimento”, salienta De Lucca. “Os jogos auxiliam a compreensão da ciência, que pode ser vista como criativa e acessível”, completa.

Além de apresentarem vilões reais (como a poluição espacial) e darem ênfase à verossimilhança, os pesquisadores lidam com outras questões em que o lúdico e o educacional procuram, cada qual, seu espaço ideal. Wagner é quem relata: “estamos refletindo acerca do sistema de pontuação. Que mecanismos podemos criar para indicar o progresso do usuário sem recorrer ao sistema clássico de pontos?”.

De Lucca defende ainda que a influência dos brinquedos educativos talvez não seja sentida de imediato, mas faz diferença com o passar do tempo. “Você pode estimular uma criança de sete anos com um brinquedo que reproduza o funcionamento de engrenagens. Quando estudar o tema, na adolescência, o aluno terá principalmente a memória afetiva daquele sistema, e o assunto será mais facilmente assimilado porque é associado a boas lembranças”.

Mais informações: brilhantes.com e univerciencia.mentes-brilhantes.com.

 

Leia mais:


:: Para conhecer o próprio lar

Outros olhares

Bancando o detetive

Vencer de maneira sustentável

Por Cláudia Schaun Reis / Jornalista da Agecom

Tags: CTCINEjogos educacionaisJosé Eduardo de LuccalúdicoWagner Saback Dantas

Laboratório de Informática do NETI é reinaugurado

15/09/2012 12:34

A reativação do laboratório teve o apoio do Departamento de Informática e Estatística, do Departamento de Engenharia Elétrica, da direção do Centro Tecnológico da UFSC e da Pró-Reitoria de Extensão

Na quinta-feira, 13 de setembro, ocorreu a reinauguração do laboratório de informática do Núcleo de Estudos da Terceira Idade da Universidade Federal de Santa Catarina (NETI). Com presença da reitora da UFSC, Roselane Neckel, de alunos e professores, os 11 computadores voltam a funcionar beneficiando 40 alunos das quatro turmas de iniciantes. O retorno às atividades no laboratório foi possível pela ajuda do Departamento de Informática e Estatística, do Departamento de Engenharia Elétrica, da direção do Centro Tecnológico da UFSC e da Pró-Reitoria de Extensão.

Com a doação dos computadores, webcams e instalação feita pelos departamentos do CTC, o espaço foi reformulado e as aulas deste semestre começaram no dia 3 de setembro. “Sem a ajuda da direção do CTC não conseguiríamos retornar com as atividades no laboratório”, afirma a coordenadora pedagógica do NETI e responsável pelo projeto de extensão de informática para a terceira idade, Márcia Barros de Sales.

A ajuda também vem de quem aprendeu a lidar com a tecnologia já na terceira idade. Quem ministras as aulas de informática do NETI são ex-alunos do curso, chamados de multiplicadores. “Eles possuem a mesma idade e estão em ritmos parecidos, assim os alunos se sentem mais confortáveis. Todos aprendem e depois ensinam, são verdadeiros multiplicadores”, garante Márcia Barros. Novas turmas serão abertas no próximo semestre, assim que o calendário escolar de 2013 for divulgado. Para se inscrever nas próximas turmas os interessados devem se dirigir até a sede do NETI, no campus Trindade.

Mais informações:

Núcleo de Estudos da Terceira Idade UFSC
http://neti.ufsc.br/
Email:

As aulas deste semestre começaram no dia 3 de setembro

Telefone: (48) 3721-9445/ 3721-2979
Marcia Barros de Sales – Coordenadora Pedagógica do NETI
Email:


Poliana Dallabrida Wisentainer / Estagiária de Jornalismo da Agecom / UFSC

Tags: CTCNETIPró-Reitoria de ExtensãoreitoraUFSC

Programa de capacitação de estudantes de engenharia abre processo seletivo

10/09/2012 08:14

Estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo do NEO Empresarial, programa de capacitação de futuros engenheiros da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O objetivo do modelo é propiciar a oportunidade de complementar a formação de estudantes de engenharia, em projetos técnico-científicos, atividades de desenvolvimento pessoal e atividades de gestão.  Nesta segunda-feira,  10 de setembro, será realizada a palestra de abertura, para explicar o funcionamento do grupo e as etapas de seleção. A palestra começa às 12h40min no auditório do Departamento de Engenharia Mecânica, Bloco A.

Estão sendo selecionados graduandos dos cursos de Engenharia Mecânica, Produção Mecânica, Engenharia Elétrica, Controle e Automação ou Produção Elétrica, cursando entre o segundo e o quarto semestre. Os interessados devem fazer sua inscrição no período de 10 a 19 de Setembro, no site www.neo.ufsc.br/neo/index.php?ln=pt&dir=selecao.

O grupo NEO atua em parceria com as instituições CERTI, Embraco e WEG, aproximando os estudantes do mercado de trabalho e desenvolvendo conceitos importantes tanto na área técnica quanto gerencial.

Realizada semestralmente, a seleção de novos integrantes contou com 741 inscritos nos últimos cinco anos, e uma relação candidato/vaga de 28.5, sendo um dos processos seletivos mais concorridos das Engenharias da UFSC.

Mais informações: http://www.neo.ufsc.brhttp://www.facebook.com/neoempresarial /

Tags: CTCengenhariaUFSC

Departamento de Arquitetura inaugura sistema de coleta seletiva

06/09/2012 17:28

O Departamento de Arquitetura e Urbanismo (ARQ) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) inaugura na próxima segunda-feira, dia 10, o Projeto 3R (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), sistema de coleta seletiva. O evento será realizado às 18h, no acesso principal ao Departamento, próximo ao Centro de Cultura e Eventos.

Toda a infraestrutura do Projeto 3R foi construída pelos estudantes e servidores do departamento, com o apoio de empresas (doadoras de materiais e equipamentos), da Prefeitura Universitária (mão-de-obra especializada) e das demais unidades da UFSC. Várias oficinas e mutirões foram realizados.

O Projeto 3R atua na redução, reuso e reciclagem dos resíduos sólidos e constitui um programa institucional que poderá ser replicado para os demais espaços da UFSC. Foram implementadas várias melhorias no acesso principal do departamento, com o objetivo de revitalizar o espaço público e fortalecer o vínculo dos usuários com o projeto. O depósito de recicláveis do ARQ, que funcionará como um Ponto de Entrega Voluntária (PEV), já está funcionando como o apoio da COMCAP-Prefeitura Municipal de Florianópolis.

Saiba mais:

Missão

Atuar na redução da produção de resíduos sólidos, na eliminação do desperdício e no reuso dos resíduos recicláveis.

Reconhecer o potencial de funcionamento de um modelo concebido e implementado no ARQ-UFSC para assegurar a coleta seletiva dos seguintes itens :

  • Papel (rascunho e amassado),
  • Plástico,
  • Metal,
  • Vidro,
  • Resíduos da maquetaria,
  • Resíduos orgânicos,
  • Além de  componentes da informática, pilhas,  óleo de cozinha e lâmpadas flourecentes.
 Método e procedimentos

  • Combina elementos do Desenho Ambiental com elementos da Ecologia Humana.
  • Elaboração do diagnóstico da produção, tratamento e destino final dos resíduos sólidos do ARQ-UFSC.
  • Concepção do sistema e seus  componentes com base no diagnóstico.
  • Escolha criteriosa dos materiais a serem reutilizados para a construção da infraestrutura do sistema, com destaque para os contentores.
  • Viabilização da mão-de-obra da própria comunidade acadêmica necessária à construção e à implantação do sistema (contentores e demais componentes).
  • Elaboração da proposta de monitoramento e sensibilização do público-alvo com vistas a sua adesão ao sistema e definição das estratégias educativas.
  • Inclusão do modelo (modus operandi) no projeto pedagógico do Curso.

Outras informações pelo endereço http://www.3r.ufsc.br/ ou pelo e-mail , com o professor Francisco Antonio Carneiro Ferreira, coordenador do Projeto 3R.

Fonte: Centro Tecnológico – CTC

Tags: ARQCTCinauguraçãoProjeto 3DUFSC

Vagas para disciplina sobre Gestão e Projeto de Serviços

29/08/2012 16:26

O curso de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (PPGEGC) da UFSC, através de parceria com a Open University Business School (UK) está oferecendo a disciplina Tópicos Especiais em Gestão e Projeto de Serviços, a ser ministrada pelos professores Anne Smith e Gregório Varvakis. A disciplina possui 1 crédito (15 hs/aula), tem caráter multidisciplinar e será ministrada em língua inglesa, no período de 10 a 14 de setembro (turno matutino), no Laboratório de Educação a Distância (LED/UFSC).

Serão oferecidas 30 vagas e as matrículas, tanto de alunos regulares como de caráter isolada, deverão ser solicitadas através do e-mail , no período de 27 a 31 de agosto de 2012. Alunos regulares do PPGEGC e de outros programas de pós-graduação da UFSC devem enviar e-mail com nome, número de matrícula, nível e curso de origem. Alunos em disciplina isolada precisam realizar o pagamento da taxa da UFSC de R$ 50,00 (resolução normativa nº 03/CC de 05 de julho de 2012) e devem enviar e-mail com nome completo e nível, aguardar e-mail de confirmação de vaga e orientações sobre e preenchimento do Formulário para Pedido de Matrícula em Disciplina Isolada.

Leia a Ementa e Bibliografia de EGC 510037 – T.E.G.C – Gestão e Projeto de Serviços

Mais informações: (48) 3721-2451

Fonte: Centro Tecnológico (CTC) – Publicado em 23/08/2012 às 11:58

Tags: CTCEGC

EJESAM realiza diagóstico para o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da UFSC

29/08/2012 15:48

Visando contribuir com o processo de elaboração do Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da UFSC, para atender ao que preconiza a lei LEI Nº 12.305, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a administração do Centro Tecnológico (CTC) vem conduzindo ações no sentido de conhecer melhor as deficiências e estabelecer planos de ação para viabilizar as melhorias no tratamento dos resíduos sólidos. Neste sentido, destaca-se a contratação da Empresa Júnior de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC (EJESAM) para realizar o diagnóstico que vai apontar o destino dos resíduos, como são recolhidos, separados e direcionados à coleta.

O CTC assumiu esta parceria em decorrência de sua preocupação com o tratamento dos resíduos e, por ser o maior centro da UFSC, está sendo utilizado como modelo para a implantação deste projeto piloto. Foi dividido em três setores, no setor 01, que engloba os prédios FEESC, ENS, EPS, INE, CETEC, INEP e CTC central, já se realizou o diagnóstico: análise qualitativa e quantitativa (pesagem e triagem dos resíduos), pesquisa de campo (entrevistas, observações e registros fotográficos com objetivo de retratar a realidade do atual gerenciamento) e o tratamento e organização dos dados. As informações deste diagnóstico constam no primeiro relatório apresentado.

A conclusão do diagnóstico aponta que: “Os resultados obtidos a partir do levantamento qualitativo e quantitativo indicam que os principais resíduos gerados no setor 01 do CTC, em relação ao volume, são: papel 40%, plástico 35% e rejeito 11%. Sendo assim, 75% dos resíduos gerados possuem potencial de reciclagem. No entanto, devido à ausência de um gerenciamento adequado, este material não tem sido aproveitado. Outro fator observado foi a falha na comunicação entre encarregados pela coleta e armazenamento de resíduos perigosos – pilhas, lâmpadas, químicos e eletroeletrônicos – e os responsáveis pelos locais de geração. Por este motivo existem muitas dúvidas quanto à destinação e acondicionamento de tais resíduos, gerando acondicionamento, destinação e acúmulo inapropriados”.

A próxima etapa abrangerá os setores 02 (ECV e EQA) e 03 (EMC e ARQ) e terá início assim que o semestre letivo iniciar. Após consolidado o diagnóstico, será elaborado o Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos – PGRS, que deve ser legitimado pela UFSC e aplicado nos demais setores da instituição. Esse material servirá de guia para a padronização das ações voltadas à organização da infraestrutura destinada ao trato com os resíduos, bem como permitirá a execução de projetos de educação e conscientização da comunidade e dos colaboradores que trabalham com a coleta dos resíduos sólidos. Outra demanda que deve ser atendida é a sistematização da coleta de resíduos tóxicos como pilhas e baterias com a disponibilização de locais apropriados para acúmulo e a regularização da coleta de acordo com a geração de cada centro de ensino.

Fonte: Centro Tecnológico – Publicado em 23/08/2012 às 10:21

Tags: CTCESEJAMUFSC

UFSC na Mídia: Empresas Juniores da UFSC ganham R$ 2 mil em livros para universidade

29/08/2012 15:41

Prêmios EJEP: 2º lugar na categoria Cultura Forte, do Ambev Awards, e 2º melhor case do JEWC (Foto: Divulgação)

O Ambev Awards prêmiou empresas em três categorias: Sonho grande, Pessoas excelentes e Cultura forte. O primeiro lugar recebia R$10 mil em livros, e o segundo, R$1 mil. As premiações foram conquistadas pela EJESAM (Empresa Junior de Engenharia Sanitária e Ambiental) e pela EJEP (Empresa Junior de Engenharia de Produção). A EJESAM garantiu a segunda melhor colocação na categoria “Pessoas Excelentes”, com o estudo de caso “A closer and more effective trainee process” (Um processo de trainees mais específico e eficaz).

“Participar do prêmio já foi uma grande oportunidade e o segundo lugar foi inesperado. Além do reconhecimento, o prêmio serviu para motivar todos os membros da empresa”, explica Iáscara Mattes, Coordenadora de Qualidade da EJESAM.

Já a EJEP conquistou o segundo lugar na categoria “Cultura Forte”, com estudo de caso “Startup small, thing big and act fast: Pratical strategies that aligned the enterprise to the Market” (Começar pequeno, pensar grande e agir rápido: Práticas que alinharam a empresa ao mercado).

“A premiação em livros é voltada para a instituição de ensino,e por isso, demonstra uma preocupação com o incentivo ao empreendedorismo e a educação. Para o Movimento Empresa Junior, é uma forma de valorização da universidade, além de uma oportunidade de contribuir e agradecer a estrutura oferecida por eles” explica Ana Luiza Faraco, presidente da EJEP.

“Para escrevermos o case, buscamos dentro da EJEP princípios existentes em grandes empresas. Receber o prêmio é um grande reconhecimento, estamos muito felizes com o resultado” conclui Ana Luiza.

Além da premiação no Ambev Awards, a EJEP conquistou o segundo lugar geral do melhor case do evento com o estudo de caso “A partnership, multiple outcomes: Knowledge and Productivity enhancing” (Uma parceria, múltiplos resultados: Potencializando conhecimento e produtividade). As empresas juniores farão a doação dos livros para a UFSC, em nome da Federação das Empresas Juniores do Estado de Santa Catarina, a FEJESC.

O tema deste do Encontro Mundial de Empresários Juniores, o Junior Enterprise World Conference (JEWC) deste ano foi “Um mundo, uma rede”. O objetivo é promover a troca de experiências entre jovens empresários do mundo todo. O evento teve a participação de 2100 jovens, e entre os países presentes estavam a Turquia, a China, a Tunísia e a Bélgica.

Fonte: Luíza Fregapani – Do G1 SC – 26/08/2012 21h18

Tags: Ambev AwardsCTCEJEPEJESAMempresa júniorUFSC

Curso de férias: “Motores à combustão interna: Teoria e Prática”

20/07/2012 18:26

Estão abertas as inscrições para o curso “Motores à combustão interna: Teoria e Prática”, que acontece de 24 a 27 de julho, no Laboratório de Combustão e Engenharia de Sistemas Térmicos (LabCET – bloco B da Engenharia Mecânica do campus da Trindade).

Com um total de 20 horas (sempre das 14h às 19h, da terça à sexta), o curso possibilita que os alunos entendam como funciona os motores de carros e motos. “Trazemos noções básicas para que as pessoas possam interpretar as condições dos motores. Esse conteúdo – teoria das máquinas térmicas – é inclusive tema de concursos e provas de vestibulares”, afirma o professor e coordenador dos trabalhos Gilson Maia. Na linguagem técnica, serão utilizados, para as aulas práticas, motores de automóveis e motocicletas do ciclo Otto e estacionários do ciclo Diesel, além de grupo gerador e bancada de dissipação elétrica e analisadores de eletroinjetores automotivo (máquina para limpeza de bicos injetores KX-Tron nexotron KX 494).

O curso é voltado não só a alunos de graduação de todas as áreas, mas também à comunidade externa, tendo capacitado mais de 500 alunos, desde que foi ministrado pela primeira vez, durante a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepex) de 2003. O conteúdo também é bastante útil para quem trabalha com carros, e já foi lecionado a funcionários de diversos postos de gasolina.

As inscrições, no valor de R$195 – incluindo CD com vídeos e apostila completa -, devem ser feitas no site da Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária (Fapeu) ou presencialmente, na própria Fapeu, com Claiton (das 13h30 às 17h30, fone 3721-4309) ou ainda com o professor Gilson (, 9986-2843 (TIM) e 3721-9390, ramal 210).

EMENTA:
– Introdução Teórica: Conceito e divisão de máquinas térmicas; Motores à Combustão Interna dos Ciclos Otto e Diesel, Ciclos 2t e 4t, Combustíveis; óleos lubrificantes; arrefecimento.
– Atividades Práticas: Desmontagem completa, Montagem e Regulagem de Motores Otto 4t a álcool e gasolina; Regulagem do ponto de ignição de motores Otto 4t; substituição de correias; Exame de um Motor Ciclo Diesel; Desmontagem de um motor Otto 4t de motocicleta CG 125.

 CALENDÁRIO:
– (24/07) – Terça-Feira: Introdução Teórica, interpretação do avanço do ponto de ignição para um motor Otto 4t, início desmontagem dos motores álcool e gasolina; Trabalhos com os motores a álcool e gasolina (desmontagem e limpeza);
– (25/07) – Quarta-Feira: Interpretação de falhas e quebras dos motores (“fundido”); Limpeza dos motores e inicio da montagem. (introdução a lubrificação e recuperação dos motores. Retífica.); Montagem e regulagem dos motores;
– (26/07) – Quinta-Feira: Exame dos motores Diesel, Combustíveis e Sistemas de Injeção; Motores de motocicletas desmontagem, regulagens; Caixa de transmissão, embreagem, e lubrificação; Ponto de ignição e válvulas;
– (27/07) – Sexta-Feira: Montagem de um motor Otto 4t de motocicleta, interpretação de falhas; Encerramento e entrega de Certificados.

Todos os dias será realizado uma pausa para o café, aproximadamente às 15h45, dependendo do andamento dos trabalhos.

Mais informações com o professor Gilson (, 9986-2843 (TIM) e 3721-9390, ramal 210).

Tags: CTCmecânicamotores à combustão

Inscrições prorrogadas para pós-graduação em Métodos e Gestão em Avaliação

19/07/2012 13:34

Foi prorrogado até as 23h55min de domingo, 22 de julho, o prazo para inscrições no mestrado profissional em Métodos e Gestão em Avaliação (MGA) da UFSC. São oferecidas 15 vagas, das quais três são para profissionais que se interessem em exercer futuramente as funções ligadas à Avaliação Educacional ou que não pertençam ao quadro das instituições conveniadas, dez vagas para profissionais com formação de nível superior e com atuação profissional no INEP e duas vagas para profissionais com formação de nível superior e com atuação profissional na Universidade Federal de Santa Catarina. Acesse o Edital completo.

O curso de nivelamento será realizado de 24 de julho a 16 de agosto e a divulgação dos candidatos habilitados e aptos a realizar a prova presencial, bem como os locais da prova será feita em 17 de agosto. A prova presencial está marcada para 23 de agosto com divulgação dos classificados em 27 de agosto. As entrevistas, quando se fizerem necessárias, serão realizadas de 28 de agosto a 4 de setembro e a divulgação do edital do resultado final será feita  dia 10 de setembro.

Mais informações: www.mga.ufsc.br

Veja também:
Calendário de pós-graduações na UFSC.

Tags: CTCINEpós-graduaçãoUFSC

V Minicurso de Engenharia Biomédica na Prática

21/06/2012 14:36
.

.

Estão abertas as incrições para o V Minicurso de Engenharia Biomédica na Prática. Interessados têm até o dia 27 de junho para requerer as vagas – gratuitas – para o evento que acontece entre os dias 2 e 4 de agosto.

De acordo com os organizadores, o minicurso “está se consolidando como o mais importante evento de divulgação da Engenharia Biomédica do estado de Santa Catarina. É um evento anual, e na sua quinta edição tem como público-alvo os alunos de graduação dos cursos das engenharias a partir do 3º ano”.

Durante os três dias de minicurso, por meio de atividades práticas, dinâmicas de discussão e exposições teóricas, ministradas por profissionais e alunos de pós-graduação, os participantes poderão ter contato e aprofundar conhecimentos sobre a área, além de ser a chance das instituições e laboratórios de pesquisa da UFSC divulgarem seus trabalhos e incentivarem estudantes para atuação futura na área.

Mais informações estão disponíveis nos endereços: minicursoieb2012.blogspot.com.br e

Tags: biomédicaCTCengenharia