(Des)patologização das identidades trans será tema de seminário

28/09/2012 15:37

A patologização das identidades trans, com todos os dilemas e paradoxos que isso implica, será o foco dos debates que acontecerão no III Trans Day NIGS – Seminário Transfobia, Cidadania e Identidades, que será realizado nos dias 9 e 10 de outubro, na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Pesquisadores que estudam identidades ou expressões de gênero, ativistas dos movimentos de travestilidades e transexualidades e formuladores  de políticas públicas no campo dos direitos humanos e da saúde se reunirão durante dois dias para compartilhar vivências, reflexões e propostas em torno da população trans no Brasil, grupo com pouca visibilidade no campo das lutas LGBTTT. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até o dia 30 de setembro. Será entregue certificado para quem tiver 75% de presença.

Organizado pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC, o seminário faz parte do circuito internacional de atividades que marcam a luta pela despatologização das identidades transexuais e transgêneros ao redor do mundo. Nesta terceira edição haverá rodas de conversa sobre três assuntos fundamentais: saúde trans e políticas públicas, o “nome social” como estratégia de inclusão e as (in)visibilidades trans. Também, um bate-papo com João W. Nery, autor de “Viagem solitária”, uma mostra cinematográfica integrada por nove filmes e curtas recentemente estreados e um manifesto visual – exposição de fotografias – intitulado “Pelas ruas… sem etiquetas!”.

O III Trans Day NIGS tem como objetivo ampliar a reflexão científica sobre temas da atualidade no campo dos estudos de gênero nacional e internacional, tendo como enfoque fundamental a (des)patologização das identidades trans e suas implicações tanto no plano subjetivo quanto no nível social e político. Ao mesmo tempo, o propósito é profundar a troca de saberes entre a universidade, os movimentos sociais e o Estado, visando contribuir para o respeito à cidadania destes grupos sociais através da implementação de políticas públicas inovadoras no campo do gênero e das sexualidades.

A primeira edição se realizou em outubro de 2010, inserindo a UFSC no conjunto de ações promovidas pela campanha mundial Stop Trans Pathologization – 2012, que visa a retirada das identidades trans dos catálogos de doenças. Especificamente, a retirada do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM), da American Psychiatric Association, cuja versão revista surgirá em 2013, e da lista Classificação Internacional de Doenças (CID), da Organização Mundial da Saúde (OMS), que será revisto em 2014.

Em 2011 foi realizado o II Trans Day NIGS, que teve como característica a incorporação do campo das artes plásticas na reflexão teórica proposta pelo NIGS, através de um manifesto visual que teve exposição itinerante na UFSC e uma mostra de filmes sobre a temática trans. Nesta terceira edição, pesquisas, testemunhos, filmes e fotografias vão confluir novamente para promover um debate tão profundo quanto necessário.

 Serviço:

O quê: III Trans Day NIGS – Seminário Transfobia, Cidadania e Identidades

Quando: 9 e 10 de outubro de 2012

Onde: Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis.

Programação e inscrições: http://transdaynigs2012.webnode.com/

Informações de contato: Simone Ávila

E-mail:

Fone: (51) 3221-5962

Tags: CFHIII Trans Day NIGSNIGSUFSC

Palestra sobre engenharia climática

24/09/2012 09:49

O Instituto de Pesquisa em Risco e Sustentabilidade (IRIS), com o apoio  do Programa de Pós-graduação em Sociologia Política (CFH), promove a palestra “Vivendo um experimento social global: uma análise do discurso público sobre engenharia climática”, com o professor da Durham University (Reino Unido), Philip Macnaghten. A palestra será nesta quarta-feira, 26 de setembro, às 14h no mini-auditório do CFH. Haverá tradução simultânea.

Mais informações:
(48) 3721-8631
http://www.iris.ufsc.br/

Tags: CFHIRISPós-Graduação em Sociologia PolíticaUFSC

Revista Estudos Feministas comemora 20 anos

14/09/2012 17:46

A Revista Estudos Feministas, com sede no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC, vai promover nos dias 7, 8 e 9 de novembro, o evento “Militância e Academia nas Publicações Feministas”, em comemoração aos seus 20 anos. O prazo para envio de resumos para apresentação em GTs foram prorrogados até o dia 23 de setembro, através do e-mail 

Comemorando os 20 anos

Nos últimos anos é inegável o crescimento das publicações feministas, o que representa um marco decisivo no contexto não só acadêmico, mas social, cultural e político brasileiro. A fim de debater o modo como essas produções têm circulado, convidamos @s e militantes de gênero a participarem do evento , que ocorrerá nos dias 7, 8 e 9 de novembro de 2012, no Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH), da Univers idade Federal de Santa Catarina, em comemoração aos 20 anos da Revista Estudos Feministas. Este evento proporcionará o diálogo e o intercâmbio entre publicações feministas acadêmicas e militantes no Brasil, a reflexão no campo de estudos de gênero, a troca de experiências, o fortalecimento das redes existentes, o incremento de novas publicações, o debate sobre políticas editoriais e a própria ampliação do campo dos estudos de gênero. A programação do evento será divulgada em breve.

Outras informações :http://refe.paginas.ufsc.br/evento-20-anos-ref/

Facebook do evento: http://www.facebook.com/events/509977299028779/

Margareth Rossi/Jornalista da Agecom/UFSC

Tags: 20 anosCFHRevista estudos FeministasUFSC

Seminário sobre produção de alimentos

03/09/2012 11:18

“A produção contemporânea de alimentos para a humanidade: impasses e desafios” é o tema do seminário que acontece no dia 13 de setembro, às 14h30min, no auditório B do prédio da Fitotecnia, Centro de Ciências Agrárias da UFSC.

O evento é organizado pelo Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas (PPICH/CFH), pelo Laboratório de Educação do Campo e Estudos da Reforma Agrária (LECERA/CCA) e pelo Programa de Pós-graduação em Recursos Genéticos Vegetais  (RGV/CCA).

A mesa será coordenada pelo professor Clarilton Ribas (UFSC) e terá a participação dos professores Fábio Dal Soglio (UFRGS), Rubens Onofre Nodari (UFSC) e Sérgio Pinheiro (EPAGRI).

Mais informações: 

Tags: CCACFHprodução de alimentosUFSC

Professoras organizam Nova História das Mulheres no Brasil

15/08/2012 09:48
.

“O que querem, afinal, as mulheres?” é uma das perguntas respondidas no livro

Está marcado para a próxima segunda, 20/08, o lançamento do livro Nova História das Mulheres no Brasil (Editora Contexto). Organizada pelas professoras Joana Maria Pedro, do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC e atual pró-reitora de Pós-Graduação, e Carla Bassanezi Pinsky, historiadora da Unicamp, a obra de 560 páginas pretende responder o que, afinal, querem as mulheres. “O que já conquistaram ao longo do século XX e início do século XXI? Que caminhos deverão seguir daqui para frente?” são outras das perguntas respondidas na obra. O lançamento acontece às 18h30, no Bloco Branco do Ceart da Udesc.

 

O livro é destinado aos mais variados públicos. “Estudantes, professores e pesquisadores se beneficiam de uma obra abrangente e atualizada sobre o assunto. Responsáveis por políticas públicas encontram aqui material para ajudar a executá-las. Ativistas, militantes de movimentos sociais, feministas e ongs podem, com este livro, alicerçar melhor suas demandas. Jornalistas e profissionais das áreas de Direito, Saúde e Educação ganham subsídios para desenvolver com mais qualidade o seu trabalho. Nova História das Mulheres destina-se, além de tudo, a homens e mulheres que acreditam que compreender as relações sociais por meio da História contribui para melhorar o entendimento entre as pessoas”, defendem as organizadoras.

 

A obra pode ser adquirida no site da editora. Mais informações com a professora Maria Joana Pedro: ou 3721-6313.

Tags: CFHgêneroUFSC

UFSC terá centro de formação de profissionais na prevenção a drogas

14/08/2012 17:23

A UFSC foi uma das instituições escolhidas para a implementação de um dos Centros Regionais de Referências (CRRs) para formação de profissionais de saúde, assistência social, segurança, agentes comunitários e agentes do sistema judiciário e policial em temas sobre a prevenção ao uso de crack e outras drogas. A escolha se deu por edital aberto pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça (SENAD/MJ). O Professor Marcos Antonio Lopes, do Departamento de Clínica Médica do Centro de Ciências da Saúde (CCS), coordena o projeto na UFSC, que também conta com a participação dos professores Tadeu Lemos, do Departamento de Farmacologia (CCB), e Daniela Schneider, do Departamento de Psicologia (CFH). O repasse federal pode chegar a até R$ 375 mil, dependendo do projeto, que deverá destinado ao custeio das bolsas de pesquisa.

Mais informações com o professor tadeu lemos: Tadeu Lemos: 3721-9491, ramal 226 e

Veja reportagem da TV UFSC

Tags: CCBCCSCFHdrogasfarmacologiaUFSC

Desperdício fará subir preços dos alimentos, diz professora

14/08/2012 16:06
.

As compras feitas em excesso e sem critério e a “síndrome da mãe cuidadosa” estão entre os fatores que geram grande desperdício de alimentos, sobretudo nos países desenvolvidos, afirma a professora Iva Pires

Problema crucial no planeta, cuja população não para de crescer, o desperdício de alimentos tem a ver com a mudança no estilo de vida das pessoas, a falta de planejamento doméstico e a desvalorização dos produtos alimentares no mix do orçamento familiar, revelou a professora Iva Miranda Pires, da Universidade Nova de Lisboa, em palestra realizada na manhã desta terça-feira, dia 14, no mini-auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC. Ela exibiu os dados de um estudo realizado – e premiado – em Portugal que mostra como o desperdício tem causas culturais e políticas que nem sempre são conhecidas pelo público.

 

As compras feitas em excesso e sem critério e a “síndrome da mãe cuidadosa”, como ficou conhecido o hábito materno de adquirir mais do que o necessário com medo de faltar comida para os filhos, estão entre os fatores que geram grande desperdício de alimentos, sobretudo nos países desenvolvidos. Por outro lado, pelo menos 30% da produção dos países da Europa não chega aos supermercados porque não atendem ao padrão estético estabelecido pela União Europeia. “A forma de apresentação e o rigor com o prazo de validade dos produtos faz com que muitas frutas fiquem no campo, elevando os preços e aumentando o desperdício final”, diz Iva Pires.

 

Dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) demonstram que 1,3 bilhão de toneladas são desperdiçadas a cada ano em quatro instâncias principais: a propriedade rural, as agroindústrias, os supermercados e os consumidores. Como poucas grandes redes controlam todo o fluxo de alimentos no mundo e a produção de biocombustíveis (de milho, soja, trigo, beterraba, cana de açúcar e cevada) pode roubar parte da comida que seria destinada à alimentação humana, a professora prevê problemas sérios problemas de abastecimento e elevação dos preços em escala mundial. “De 2005 para cá ocorreu um aumento dramático dos preços, e esse fenômeno ainda está ocorrendo”, afirma ela.

 

Como resultado disso, a China está comprando milhões de hectares de terras na África para produzir alimentos. O país é gigantesco, mas nem todo o seu território é propício para a agricultura. Há grupos adquirindo terras por meio de leasing e em breve esse bem terá presença forte nas bolsas de valores. Também as mudanças climáticas vão pesar, exigindo mais irrigação e provocando um impacto no custo dos alimentos. “Na Europa, já se considera que os países mediterrâneos vão poder capacidade de produção agrícola, papel que terá de ser assumindo pelas nações frias do norte”, acredita a professora.

 

Vítimas do consumo – Outra característica da relação produção x consumo é que não se sabe mais a procedência dos alimentos. “Pouca coisa, hoje, provêm diretamente da agricultura, por causa dos intermediários, e o que comemos chega à nossa mesa após viajar milhares de quilômetros”, diz Iva. Um caso típico é o do salmão da Noruega, que é congelado, mandado para a China, onde as espinhas são extraídas com pinça, e depois devolvido à Europa, onde se paga 20 euros por uma posta. “A rede Starbucks é a que mais mal paga os produtores de café”, denuncia a professora portuguesa, dando outro exemplo de como o elo inicial da cadeia é o mais sacrificado.

 

Um número que ilustra esse desequilíbrio é que 57,1 milhões de toneladas (26% do total) de alimentos foram desperdiçadas em 2008 nos Estados Unidos só nas etapas de distribuição e consumo. “Somos vítimas da hiper-estimulação para o consumo, e depois somos estimulados a consumir produtos para emagrecer, e mais tarde remédios e procedimentos como lipoaspiração e cirurgias para perder o peso ganho com o excesso de alimentação ingerida”, constata a professora.

Mais informações com a professora Iva:

 

Paulo Clóvis Schmitz / Jornalista da Agecom / UFSC
Fotos: Wagner Behr / Agecom / UFSC

Tags: agriculturaalimentaçãoCFHUFSC

Conferência aborda o desafio de construir mapas coletivamente

16/07/2012 18:06

Professor Goodchild recebe a medalha Peter Burrough em homenagem ao seu trabalho sobre precisão em sistemas de informação geográfica

Ferramentas cada vez mais populares em computadores e celulares, os mapas hoje ganharam uma nova configuração em projetos colaborativos como Wikimapia e Open Maps. Neles qualquer pessoa pode construir seus mapas, incluir informações geográficas e referências de lugares onde circula. Ao mesmo tempo, não existem mecanismos que assegurem que os dados sejam verdadeiros ou precisos. Este é o principal desafio do cenário atual da informação geográfica apontado pelo especialista Michael Goodchild, da Universidade da Califórnia em Santa Bárbara, Estados Unidos. Ele foi o convidado especial da décima edição do Simpósio Internacional Sobre Avaliação de Precisão Espacial em Recursos Naturais e Ciências Ambientais, onde fez a conferência de abertura.

Goodchild é um dos maiores especialistas em georreferenciamento e também um dos primeiros pesquisadores que pensou em colocar um mapa no computador. Na palestra “The Accuracy of Volunteered Geographic Information” (A precisão da informação geográfica voluntária), assinalou o amplo potencial das iniciativas coletivas: são milhões de pessoas que participam, algumas voluntariamente e outras de forma involuntária, a um custo mínimo. As atualizações são feitas em tempo real. O professor explica que uma das vantagens é que essa rede densa de observadores pode ajudar no gerenciamento de emergências.

Um dos exemplos foi a construção coletiva de mapas após o terremoto que devastou o Haiti no dia 12 de janeiro de 2010. No início, os grupos de resgate contavam com um mapa pouco detalhado de Port-au-Prince, capital do país. Com o passar do tempo, os grupos foram construindo os mapas das ruas da cidade, de forma a auxiliar a chegada da ajuda aos que mais precisavam.

Outro exemplo é o georreferenciamento de notícias na web, postagem no Twitter ou de imagens no Flickr. Trata-se de uma forma de organizar uma grande quantidade de informação, relacionando-a ao lugar de origem ou de referência geográfica. Por meio dessas informações foi possível monitorar um incêndio ocorrido em 2009 nos arredores da cidade de Santa Bárbara, Califórnia.

Ao mesmo tempo que possuem um grande potencial, as iniciativas voluntárias apresentam diversos problemas. Não há um controle de qualidade, metadados, nem padronização, ou seja, os dados não apresentam nenhum dos aspectos que caracterizam as informações geográficas oficiais. Para resolver essa questão, Goodchild apresenta três propostas. Uma delas é o que denomina de “solução da multidão”. É a mesma utilizada no desenvolvimento de software proposto por Linus Towards, criador do Linux: quantos mais olhos para revisar, mais preciso o dado se tornará. A segunda é a “solução social”, em que uma hierarquia de moderadores revisa os dados submetidos, como ocorre na Wikipedia. Por fim está a “solução geográfica”, que utiliza as regras da geografia e da sintaxe para determinar se um fato geográfico reportado é falso ou verdadeiro.

Antes de ministrar a conferência, o professor Goodchild foi o homenageado com a medalha Peter Burrough, pesquisador falecido em 2009, autor de obras de referência sobre princípios de Sistemas de Informação Geográfica. Sediado pela primeira vez na América Latina, o Simpósio reuniu mais de 100 pesquisadores, dos quais 40 estrangeiros, no Hotel Porto do Sol, no bairro Ingleses, Florianópolis, de 11 a 13 de julho. O simpósio foi organizado pela International Spatial Accuracy Research Association (ISARA) e pela Commission on Modelling Geographical System of the International Geographical Union. No Brasil, as entidades responsáveis pelo evento foram a UFSC e a Universidade Estadual de Santa Catarina (Udesc).

Por Laura Tuyama, jornalista da Agecom. Foto: Henrique Almeida, Agecom.

Tags: accuracyCFHgeociênciasprecisãoUFSC

Santa Afro Catarina promove visita guiada neste sábado

06/07/2012 11:32

O Programa Santa Afro Catarina e o Laboratório de História Social do Trabalho e da Cultura da UFSC promovem neste sábado, 7 de julho, uma visita guiada pelo centro histórico de Florianópolis, com o roteiro  “Viver de Quitandas”, conduzida por Miriam Machado.  O encontro é gratuito, aberto a todos e está marcado às 9h45min, na figueira da Praça XV, Centro, Florianópolis. A saída será às 10 horas. O roteiro tem duração aproximada de duas horas. Em caso de chuva, a visita será cancelada.

As visitas do Programa Santa Afro Catarina acontecem todos os meses, sempre no primeiro sábado, e percorrem roteiros históricos da Ilha com a presença de africanos e afrodescendentes em Florianópolis. Na condução está uma equipe de profissionais das áreas de História, Patrimônio e Ensino de História. Realização conjunta do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) e do Centro de Ciências da Educação (CED), o Programa Santa Afro Catarina tem como diferencial a integração inovadora dos conteúdos de história da diáspora africana ao espaço urbano.

Mais informações:

Fone: (48) 3721-8611

Condutora: Miriam Machado – (48) 9631-8270

Site: http://www.santaafrocatarina.blogspot.com.br/

E-mail 

 

Tags: CFHhistóriaprograma Santa Afro CatarinaUFSC

Nacionalismo Revolucionário e a Esquerda Latino-Americana

27/06/2012 13:28

Acontece nesta sexta-feira, 29 de junho, às 18h30min, no Auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC, a conferência “Nacionalismo Revolucionário e a Esquerda Latino-Americana”, com a socióloga argentina Alcira Argumedo. O evento tem o apoio do Núcleo de Estudos em História da América Latina (NEHAL) e do CFH, é aberto ao público e abre o Congresso Estadual das Brigadas Populares.

Alcira Argumento, que é professora da Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de Buenos Aires, atua como deputada nacional na Argentina, representando o Movimiento Proyecto Sur. É autora das obras El silencio y las voces en América Latina: notas sobre el pensamiento nacional-popular, Los laberintos de La crisis e Un horizonte sin certeza: América Latina ante La revolución científico-técnica.

Mais informações: Vitor Hugo Tonin: 

Tags: América LatinaCFHUFSC

Santa Afro Catarina promove visita gratuita neste sábado

31/05/2012 16:49

O Programa Santa Afro Catarina e o Laboratório de História Social do Trabalho e da Cultura da UFSC promovem neste sábado, 2 de junho, uma visita guiada pelo centro histórico de Florianópolis, com o roteiro “A Desterro de Cruz e Souza”.  O encontro é gratuito, aberto a todos e está marcado às 9h45min, na figueira da Praça XV, Centro, Florianópolis. A saída será às 10 horas. O roteiro tem duração aproximada de duas horas. Em caso de chuva, a visita será cancelada.

As visitas do Programa Santa Afro Catarina acontecem todos os meses, sempre no primeiro sábado, e percorrem roteiros históricos da Ilha com a presença de africanos e afrodescendentes em Florianópolis. Na condução está uma equipe de profissionais das áreas de História, Patrimônio e Ensino de História. Realização conjunta do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) e do Centro de Ciências da Educação (CED), o Programa Santa Afro Catarina tem como diferencial a integração inovadora dos conteúdos de história da diáspora africana ao espaço urbano.

Mais informações:

Fone: (48) 3721-8611

Celular: (48) 8842-1590 (Fernando Morschheiter)

Site: http://www.santaafrocatarina.blogspot.com.br/

E-mail 

Tags: CEDCFHSanta Afro CatarinaUFSC

Exposição de cartazes sobre homofobia abre nesta quinta na UFSC

15/05/2012 10:00

 O Dia de Combate à Homofobia, 17 de maio (quinta-feira), será marcado em Florianópolis pela abertura da exposição do IV Concurso de Cartazes sobre Homofobia, Lesbofobia e Transfobia nas Escolas, às 13h30mins, no hall do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Este ano, mais de 80 trabalhos foram inscritos por escolas públicas do Estado. A cerimônia de premiação será no dia 23 de maio, às 14h.

(mais…)

Tags: CFHconcurso de cartazesexposiçãoLesbofobia e Homofobia nas EscolasNIGSUFSC

Roselane Neckel e Lúcia Helena Pacheco tomam posse na UFSC

10/05/2012 23:15
.

Roselane Neckel recebeu o cargo de Alvaro Prata. “Temos o direito de sonhar com um Brasil melhor e superar desigualdades sociais que nos atingem de norte a sul”, defendeu a nova reitora - Fotos: Wagner Behr/Agecom

Muito emocionada, e agradecendo a formação recebida dos pais, moradores do interior de Santo Amaro da Imperatriz, a professora Roselane Neckel foi empossada na noite desta quinta-feira, dia 10/05, como a primeira reitora mulher da Universidade Federal de Santa Catarina. Ela e a vice-reitora Lúcia Helena Martins Pacheco, vencedoras do segundo turno da eleição realizado em 30 de novembro de 2011, receberam os cargos do reitor Alvaro Toubes Prata e prometeram trabalhar para que “a instituição não cometa os erros do passado e ajude na construção de um Brasil melhor”. Elas vão comandar os destinos da UFSC até maio de 2016.

Desde o momento em que subiu ao palco para compor a mesa, a nova reitora foi muito aplaudida, especialmente pelos estudantes, que foram essenciais para a sua vitória no pleito do ano passado. Após a solenidade, que contou com a presença da secretária de Relações Institucionais da presidência da República, Ideli Salvatti, do deputado federal Pedro Uczai e do secretário de Educação do Estado, Eduardo Deschamps, além de representantes de alunos, servidores e de outras entidades da área da educação, a reitora anunciou os nomes dos pró-reitores e ocupantes dos demais cargos que farão parte de sua equipe.

As manifestações mais fortes do discurso de Roselane Neckel foram no sentido de colocar a UFSC a serviço do Estado e do país. “Devemos ser um espaço de construção de sujeitos cidadãos”, afirmou. “Temos o direito de sonhar com um Brasil melhor e superar desigualdades sociais que nos atingem de norte a sul”.

Entre os compromissos que assumiu estão a adoção de uma política de permanência dos estudantes, reduzindo a evasão acadêmica, a potencialização do uso dos recursos públicos e uma postura pró-ativa e propositiva frente aos governos federal, estadual e municipal.

Também houve manifestações críticas à política federal na área da educação, por parte do representante do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos (Sintufsc) da :Universidade, Celso Ramos Martins, e da representante do Diretório Central dos Estudantes (DCE). O deputado Pedro Uczai destacou o governo federal na expansão dos Institutos Federais de Educação e a criação da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), com sede em Chapecó. E a ministra Ideli Salvatti destacou a presença crescente das mulheres na direção de universidades no país, já que esta semana o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, empossou Roselane Neckel e mais duas reitoras em Brasília.

Em seu pronunciamento, o reitor Alvaro Prata afirmou que saía com o sentimento do dever cumprido, mas ressaltou que “a universidade está sempre inacabada”. “Se mais não fizemos”, disse, “foi por não ter conseguido superar obstáculos de uma instituição complexa como a nossa”.

 

Os novos pró-reitores e seus adjuntos

Chefe de gabinete – Carlos Antonio Oliveira Viera e Elci Terezinha de Souza Junckes

Pró-reitoria de Graduação – Roselane Fátima Campos e Rogério Luiz de Souza

Pró-reitoria de Pós-graduação – Joana Maria Pedro e Juarez Vieira do Nascimento

Pró-reitoria de Pesquisa – Jamil Assereuy Filho e Heliete Nunes

Pró-reitoria de Extensão – Edison da Rosa e Maristela Helena Zimmer Bortolini

Pró-reitoria de Planejamento e Orçamento – Luiz Alberton e Izabela Raquel

Pró-reitoria de Administração – Antônio Carlos Montezuma Brito e Irvando Luiz Speranzini

Pró-reitoria de Assuntos Estudantis – Beatriz Augusto de Paiva e Simone Matos Machado

Secretário Especial de Aperfeiçoamento Institucional – Airton Lisle Cerqueira Leite Seelaender e Jeanine Nicolazzi Philippi

Secretaria de Cultura – Paulo Ricardo Berton e Luiz Fernando Pereira

Secretaria de Relações Internacionais – Luiz Carlos Pinheiro Machado Filho

Secretaria de Gestão de Pessoas – Neiva Aparecida Gasparetto Cornelio e Suzana da Rosa Tolfo

 

Por Paulo Clóvis Schmitz/Jornalista na Agecom

 

Leia mais:

– Ministro da Educação dá posse a reitoras de universidades de três regiões
– Na Mídia: Nova reitora da Universidade Federal de Santa Catarina toma posse, nesta terça-feira, em Brasília

Tags: CFHNova Administraçãoreitora

CFH promove festa surpresa de aniversário e despedida para Roselane Neckel

09/05/2012 14:04

Servidores  e estudantes do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) realizaram, às 10 horas da manhã desta quarta-feira, dia 9, uma homenagem para a diretora do CFH, nova reitora da UFSC, Roselane Neckel. A  festa surpresa de aniversário da professora  e também de despedida aconteceu no hall do Centro e representantes de professores,  técnico-administrativos e estudantes dirigiram palavras de apoio e incentivo à professora. Nos discursos, a trajetória de Roselane foi lembrada, desde quando lecionava, passando pela direção do CFH e tornando-se a primeira mulher a assumir a reitoria da Universidade.

(mais…)

Tags: aniversário Roselane NeckelCFHdespedida Roselane Neckel

Mortos pela ditadura são homenageados por alunos da UFSC

16/03/2012 18:07
.

Seminário “Assassinados pela ditadura: Santa Catarina” acontece na quarta, 21/03, às 19h, no auditório do CFH

Professores, técnico-administrativos e estudantes da UFSC encontraram espalhados pelo campus da Trindade vários cartazes com nomes e fotos de pessoas mortas e desaparecidas no período da ditadura militar. Os textos dos cartazes trazem interrogações como “Onde está João Batista Rita?” e “Quem matou Rui Pfutzenreuter?”.

A iniciativa é do Memorial de Direitos Humanos da UFSC e do Coletivo Catarinense Memória, Verdade e Justiça. O trabalho é realizado por acadêmicos de graduação e pós-graduação dos cursos de Ciências Sociais e Sociologia Política e pesquisadores do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC.

No dia 21 de março, quarta-feira, no auditório do CFH, o grupo organiza, às 19h, o Seminário “Assassinados pela ditadura: Santa Catarina”. O evento é gratuito e aberto à comunidade acadêmica e ao público em geral, e terá como palestrantes os professores Fernando Ponte de Sousa (MDH/UFSC) e Luiz Fernando Assunção (UNASP, autor do livro “Assassinados pela ditadura: Santa Catarina”); Márcio Vettorazzi (presidente da Comissão da Verdade da OAB/SC); e o procurador Mauricio Pessutto (Ministério Público Federal).

Mais informações com Everson: (48) 9944-9544 .

Tags: arteCFHditadura

Seminário Poder e Estado: Uma Visão Anarquista

14/03/2012 17:41

Acontece nesta sexta-feira, 16 de março, às 18h no mini-auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) da UFSC o seminário Poder & Estado: Uma Visão Anarquista, com a participação do Prof. Dr. Leonardo Santos (Sociologia UFFS e integrante da Federação Anarquista Gaúcha) e Felipe Corrêa (Pós-graduando do programa Participação Política e Mudança Social da USP e integrante Organização Anarquista Socialismo Libertário-SP). O evento é organizado pelo Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) e Coletivo Anarquista Bandeira Negra (CABN).

Aberto ao público em geral e à comunidade acadêmica, o seminário visa promover um amplo debate para discutir conceitos e a relação entre poder, classe dominante e os contornos políticos da presença do Estado.

Acompanhe o evento (https://www.facebook.com/events/406974739317079/) com transmissão ao vivo, em http://cabn.libertar.org.

Serviço

Local: Mini-Auditório do CFH-UFSC, Florianópolis
Data: 16 de março (sexta-feira)
Horário: 18h
Organização: Laboratório de Sociologia do Trabalho (LASTRO) e Coletivo Anarquista Bandeira Negra (CABN).
Apoio: Estágio Interdisciplinar de Vivência-SC (EIV-SC) e Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE-UFSC).

Tags: anarquismoCFHLASTROUFSC

UFSC e Udesc convidam comunidade a vestir roxo no Dia da Mulher

07/03/2012 14:51

Foto: The Official Scope Magazine - University of North Carolina

O Instituto de Estudos de Gênero (IEG), o Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS), o Núcleo de Antropologia Audiovisual (Navi) e o Laboratório de Estudos de Família e Gênero (Labgef) convidam estudantes, professores e servidores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) a participarem de um manifesto visual coletivo em comemoração ao Dia Internacional da Mulher – 8 de março. A ideia é vestir roxo ou lilás para marcar este dia de luta pela igualdade de mulheres e homens.

Na UFSC, durante toda a quinta-feira, o hall do Centro Filosofia e Ciências Humanas (CFH) estará decorado com balões e faixas roxas. Também haverá apresentação musical com repertório temático relativo a questões de gênero durante o intervalo das aulas e exposição fotográfica na Galeria da Ponte. A mostra “100 Anos de Torcida: a presença feminina nas arquibancadas de futebol em Florianópolis, ontem e hoje” ficará exposta até 24 de março de 2012. Na Udesc, as atividades ocorrerão na Faed, com a organização do Labgef.

As comemorações, palestras, atividades e manifestações realizadas no dia 8 de março estão vinculadas às reivindicações feministas pelo direito a autonomia e prazer, por melhores condições de trabalho, por uma sociedade mais justa e igualitária para todas e todos. Nosso manifesto neste ano segue a proposta de transformar o mundo pela estética e visa fomentar a discussão e a conscientização de que as políticas públicas são necessárias para a redução da desigualdade, da discriminação, da violência, da violação dos direitos humanos das mulheres e no respeito a seus direitos sexuais e reprodutivos.

Além deste manifesto visual, IEG e NIGS UFSC festejam o 8 de março com uma atividade em parceria com o Bazar Coisas de Mãe no sábado, 10 de março, no Sesc Cacupé, convidando a todos para assistirem e debaterem peça teatral “Retrato de Augustine” no auditório do Sesc Prainha no domingo, 11 de março, com a presença da diretora Brigida de Miranda e elenco.

O NIGS também inicia o ano acadêmico com o lançamento do IV Concurso de Cartazes sobre Transfobia, Lesbofobia e Homofobia nas escolas, buscando problematizar as representações de gênero e sexualidade com jovens de Santa Catarina, atividade integrante do projeto de extensão Papo Sério, que há vários anos vem atuando em escolas públicas da Grande Florianópolis.

Mais informações com Izabela (47) 8814-9347 e http://nigs.paginas.ufsc.br/.

Tags: CFHDia da MulherNIGS

CFH sedia Exposição fotográfica de murais e grafites sobre futebol na Argentina

19/09/2011 14:47

A Exposição fotográfica Marcas na cidade: conflitos, idolatrias e territorialidade – Murais e grafites sobre futebol na Argentina está até 17 de outubro na  Galeria da Ponte, no 2º andar do prédio CFH . A Galeria  é um espaço destinado a exposições fotográficas provenientes do trabalho de campo de pesquisadores.

(mais…)

Tags: CFHexposiçãoGrafites e murais futebol ArgentinaUFSC