UFSC sedia 2º Fórum da Bicicleta de Florianópolis na sexta, dia 27

23/09/2019 11:03

Pensando em maneiras de integrar a bicicleta no cotidiano das pessoas e, ao mesmo tempo, na estrutura que comporte e assegure esses ciclistas, o 2º Fórum da Bicicleta de Florianópolis tratá discussões para pensar nas possibilidades da bicicleta na cidade. O fórum ocorrerá sexta-feira, dia 27 de setembro, no Auditório do bloco E (Anexo) do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH/UFSC), das 8h às 17h30. O evento é realizado pela  Associação Mobilidade por Bicicleta e Modos Sustentáveis (AmoBici), e conta com o apoio do Observatório de Mobilidade Urbana da UFSC, do Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE/UFSC), do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte (Cefid) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc)  e do  Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis (IPUF).
O evento é voltado para profissionais e estudantes de Engenharia, Arquitetura, Administração Pública, Geografia, Direito e Planejamento Urbano, e é aberto para toda a comunidade. Uma das atividades do dia será uma oficina de planejamento cicloviário. A participação no evento é gratuita e poderá ser comprovada por certificação. As inscrições podem ser feitas aqui.

Confira a programação completa do 2º Fórum da Bicicleta de Florianópolis:

(mais…)

Tags: bicicletaCFHDPAEObservatório de Mobilidade UrbanaSeomaUFSC

UFSC realiza consulta pública para implantação de sistema cicloviário no campus

07/08/2017 08:30

A Coordenadoria de Planejamento da Universidade Federal de Santa Catarina (Coplan/UFSC) está realizando uma pesquisa sobre o uso de bicicletas no campus da Trindade. Quem usa ou gostaria de utilizar bicicletas pode responder ao questionário, que visa a implantação de sistema cicloviário na UFSC.

O questionário dá continuidade aos estudos do Departamento de Projetos de Arquitetura e Engenharia (DPAE) sobre bicicletas no campus da Trindade, que já diagnosticaram os principais pontos de acesso e destinos de ciclistas e as necessidades dos usuários em relação aos bicicletários.

A Coplan quer saber a opinião dos usuários sobre as principais variáveis associadas à implantação de uma rede ciclovia no campus, identificando quais fatores influenciariam a utilizar o modal, quais esforços para a cicloinclusão devem ser prioritários na universidade e quais caminhos são os mais utilizados.

O questionário está disponível aqui.

Mais informações no site e no Facebook.

Tags: bicicletabikeCampussistema cicloviárioTrindadeUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Bicicleta é foco de estudo para melhoria da mobilidade nas cidades brasileiras

14/09/2011 10:02

A autora do trabalho destaca que o cicloativismo luta, há mais de três décadas, para que o setor de transportes se torne mais sustentável com o uso de bicicletas pela população. Fotos: Brenda Thomé / Bolsista de Jornalismo na Agecom

De acordo com levantamento feito pela Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), 7,4% dos deslocamentos em área urbana são feitos de bicicleta, num total de 15 milhões de viagens diárias no Brasil. Esse já é o transporte individual mais utilizado no país – mas poderia ser ainda muito melhor aproveitado.

A temática estimou a execução da pesquisa “O Desenvolvimento e a Inserção da Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira” junto ao Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC. A autora, a médica Giselle Xavier, foi orientada pelo professor do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) Luiz Fernando Scheibe, e contou com a presença, durante a defesa de tese, do secretário do Ministério das Cidades João Alencar Oliveira Junior.

Giselle levantou e analisou publicações técnicas e científicas, textos publicados por instituições governamentais, leis e projetos de lei federais, decretos referentes à mobilidade urbana, pesquisou sites de entidades nacionais e internacionais. Além disso, obteve o depoimento de representantes dos setores governamental, técnico (público e privado), da indústria, comércio e da sociedade civil em relação à temática da inserção da mobilidade por bicicleta na política nacional.

A professora destaca que um Plano de Mobilidade deve levar em consideração o cidadão que precisa do transporte público para viagens curtas, importantes para a economia interna de uma região e para diminuir a pressão sobre o sistema de transportes. Ressalta também que é fundamental a atuação do governo, estimulando o desenvolvimento de políticas que sustentem o uso da bicicleta como transporte público de qualidade.

Desprezo

O reconhecimento do veículo como meio de transporte surgiu na década de 70 por intermédio do Grupo Executivo de Integração da Política de Transportes (Geipot), contextualiza  Giselle. Segundo ela, o desprezo do poder público pela bicicleta como opção de transporte é anterior a essa data.“O cicloativismo luta, há mais de três décadas, para que o setor se torne mais sustentável econômico e socialmente com o uso de bicicletas pela população”, defende a participante do movimento Ciclobrasil, originado na Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc).

No entanto, critica, apesar de ser um agravante à questão ambiental, o setor de transportes ficou em segundo plano nas iniciativas da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, em 1992. Somente em 2009 foi criada a Parceria das Nações Unidas para o Transporte Sustentável de Baixa Emissão de Carbono, como preparação à COP15 – a15ª Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima.

Além da sustentabilidade ambiental estimulada pelo uso da bicicleta, o estudo interdisciplinar desenvolvido pela pesquisadora, formada em Medicina pela UFSC, aborda aspectos econômicos, de bem-estar e de saúde decorrentes do uso da bicicleta como transporte.“Ainda que o discurso eco-socialista tenha se tornado bastante comum na atualidade, o ideal predominante na luta pelo deslocamento por bicicleta e pela construção das vias ainda é o do capital-expansionista”, critica Giselle. Essa realidade comprova a cultura de uso dos carros e pode impedir avanços na Mobilidade Urbana Sustentável. “As cidades foram pensadas para uso majoritariamente de carros e isso é um erro”, reforça o orientador do trabalho, Luiz Fernando Scheibe.

Giselle comemora que atualmente tramita no Senado Federal o Projeto de Lei da Câmara PLC 166/2010, instituído em 5 de agosto do mesmo ano. A proposta prevê diretrizes à Política Nacional de Mobilidade Urbana e está pronta para a pauta na comissão, segundo o site de acompanhamento dos projetos da Câmara. No entanto, na visão da médica, o discurso da bicicleta como transporte por vezes assemelha-se a uma utopia. “Muito se trabalha pela conscientização, mas a falta de recurso alocado para a execução dos projetos atrapalha muito essa realidade”.

Ganhos individuais e coletivos
Para Giselle, a utilização da bicicleta, associada aos modos de transporte coletivos e ao andar a pé, representa uma solução de mobilidade que pode ser sustentada pela sociedade em termos ambientais no seu sentido mais amplo. Traz ganhos em saúde individual e coletiva (pela atividade física, redução da emissão de poluentes e menores gastos em saúde pública); menos ruído e melhor uso do espaço público (redução de congestionamento, maior circulação, mais espaço nas vias e nos estacionamentos e, consequentemente, menores gastos públicos com infraestrutura para o setor transporte) e maior economia para as famílias.

Partindo dessa análise, a tese desenvolvida por Giselle formula propostas para a inclusão da bicicleta no transporte urbano: redes conectadas, zonas com limite de velocidade fixado em 30 quilômetros por hora, bicicletários e paraciclos espalhados pela cidade, prioridade nos semáforos e intersecções para as bicicletas, integração com transporte coletivo, além de uma conscientização desde a época escolar.

Durante a defesa da tese, João Alencar Oliveira Junior, representante da  Secretaria Nacional de Transporte e Mobilidade Urbana (SeMob), ligada ao Ministério das Cidades, salientou que sustentabilidade ambiental é um direito social garantido pela Constituição. “O Brasil é um dos poucos países a trazer de forma patente o assunto na Carta Magna, o que é também uma oportunidade de se incluir a mobilidade urbana”, frisou.

Com a pesquisa e o exemplo de países como Dinamarca e Holanda, Giselle conclui que a inserção da bicicleta na política de mobilidade urbana não é utopia inalcançável. Metade dos deslocamentos dos moradores de Copenhague, na Dinamarca, já é feita às pedaladas. Após décadas de política públicas que mudaram a mentalidade e os hábitos da capital dinamarquesa, hoje a cidade enfrenta um “problema” inusitado: os congestionamentos sobre duas rodas, comemorado pelo governo e população.

No Brasil, um avanço pode vir do Programa Bicicleta Brasil (PBB), que teve um projeto de lei aprovado pela Comissão de Desenvolvimento Urbano no início de agosto. A lei propõe que 15% do valor arrecadado em multas de trânsito sejam destinados ao financiamento do Programa, que visa atender municípios com mais de 20 mil habitantes. De acordo com a proposta, o programa integra a Política Nacional da Mobilidade Urbana e deverá ser coordenado pelo órgão federal responsável por essa política – atualmente a SeMob.

A meta é instalar bicicletários públicos, ciclovias e ciclofaixas em estados e municípios do Brasil. Serão também realizadas campanhas para a divulgação dos benefícios do uso da bicicleta como meio de transporte econômico, saudável e ambientalmente adequado.

Mais informações com a professora Giselle Xavier, (48) 9101-1783

Por Gabriele Duarte / Bolsista de Jornalismo na Agecom
Foto da Capa: Camila Peixer / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: bicicleta

Evento nesta quinta discute mobilidade urbana como direito social e uso da bicicleta

16/08/2011 07:55

O Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC, em parceria com o grupo Ciclobrasil, do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), promove nesta quinta-feira, dia 18 de agosto, a partir de 18h45min, encontro para discutir a temática Sistema BRT, a Mobilidade Urbana como um Direito Social e a Bicicleta.

Aberto ao público, o evento será realizado a partir de 18h45min, na sede da Câmara de Diretores Logistas, na rua Felipe Schmidt, n. 679, Centro de Florianópolis. A proposta tem apoio da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (Viaciclo), da Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais da Prefeitura Municipal de Florianópolis, do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros da Grande Florianópolis e da Câmara de Dirigentes Logistas .

O BRT ou Bus Rapid Transit é um sistema de ônibus de alta capacidade que utiliza corredores exclusivos em vias urbanas, simulando o desempenho e outras características atrativas dos modernos sistemas de transporte urbano sobre trilhos. Foi criado e inicialmente colocado em prática em Curitiba na década de 1990. Florianópolis vai implantar o sistema com três corredores, com o nome de Via Rápida.

Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira

Participantes do debate, o doutor em transportes Luis Antonio Lindau, o professor da UFRGS, e o professor João Alencar Oliveira Júnior, representante da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (Semob), do Ministério das Cidades,  estarão em Florianópolis para a banca examinadora de uma tese de doutorado sobre o uso da bicicleta no Brasil.

A pesquisa ´O Desenvolvimento e a Inserção da Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira` foi desenvolvida pela professora Giselle Noceti Ammon Xavier, junto ao Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC. O trabalho integra a área de concentração Sociedade e Meio Ambiente, linha de pesquisa Desenvolvimento, Conflitos e Políticas Públicas.

A defesa será realizada no dia 19 de agosto, a partir de 9h, no miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas – da UFSC.

Mais informações com a professora Giselle Xavier, (48) 9101-1783

Mesa-redonda: Sistema BRT, a Mobilidade Urbana como um Direito Social e a Bicicleta

Programação:

19h Florianópolis e o BRT (Via Rápida)
João Batista Nunes / Vice-Prefeito e Secretário de Transportes de Florianópolis

19h20min Panorama do BRT no Brasil e no Mundo
Professor Luis Antonio Lindau / UFRGS / Embarq Brasil

19h40min Direito à mobilidade urbana – a construção de um novo direito social
Professor João Alencar Oliveira Júnior / SeMob / Ministério das Cidades

20h A integração da bicicleta com o transporte coletivo
Daniel de Araújo Costa / Presidente da Viaciclo (Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis)

20h20min Interação entre palestrantes e presentes

Tags: bicicletamobilidade

Evento discute mobilidade urbana como direito social e uso da bicicleta

12/08/2011 17:18

O Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC, em parceria com o grupo Ciclobrasil, do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), promove na próxima quinta-feira, dia 18 de agosto, encontro para discutir a temática Sistema BRT, a Mobilidade Urbana como um Direito Social e a Bicicleta.

Aberto ao público, o evento será realizado a partir de 18h45min, na sede da Câmara de Diretores Logistas, na rua Felipe Schmidt, n. 679, Centro de Florianópolis. A proposta tem apoio da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (Viaciclo), da Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais da Prefeitura Municipal de Florianópolis, do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros da Grande Florianópolis e da Câmara de Dirigentes Logistas .

O BRT ou Bus Rapid Transit é um sistema de ônibus de alta capacidade que utiliza corredores exclusivos em vias urbanas, simulando o desempenho e outras características atrativas dos modernos sistemas de transporte urbano sobre trilhos. Foi criado e inicialmente colocado em prática em Curitiba na década de 1990. Florianópolis vai implantar o sistema com três corredores, com o nome de Via Rápida.

Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira

Participantes do debate, o doutor em transportes Luis Antonio Lindau, o professor da UFRGS, e o professor João Alencar Oliveira Júnior, representante da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (Semob), do Ministério das Cidades,  estarão em Florianópolis para a banca examinadora de uma tese de doutorado sobre o uso da bicicleta no Brasil.

A pesquisa ´O Desenvolvimento e a Inserção da Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira` foi desenvolvida pela professora Giselle Noceti Ammon Xavier, junto ao Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC. O trabalho integra a área de concentração Sociedade e Meio Ambiente, linha de pesquisa Desenvolvimento, Conflitos e Políticas Públicas.

A defesa será realizada no dia 19 de agosto, a partir de 9h, no miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas – da UFSC.

Mais informações com a professora Giselle Xavier, (48) 9101-1783

Mesa-redonda: Sistema BRT, a Mobilidade Urbana como um Direito Social e a Bicicleta

Programação:

19h Florianópolis e o BRT (Via Rápida)
João Batista Nunes / Vice-Prefeito e Secretário de Transportes de Florianópolis

19h20min Panorama do BRT no Brasil e no Mundo
Professor Luis Antonio Lindau / UFRGS / Embarq Brasil

19h40min Direito à mobilidade urbana – a construção de um novo direito social
Professor João Alencar Oliveira Júnior / SeMob / Ministério das Cidades

20h A integração da bicicleta com o transporte coletivo
Daniel de Araújo Costa / Presidente da Viaciclo (Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis)

20h20min Interação entre palestrantes e presentes

Tags: bicicleta

Evento discute mobilidade urbana como direito social e uso da bicicleta

11/08/2011 11:12

O Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC, em parceria com o grupo Ciclobrasil, do Centro de Ciências da Saúde e do Esporte da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), promove no dia 18 de agosto encontro para discutir a temática Sistema BRT, a Mobilidade Urbana como um Direito Social e a Bicicleta.

Aberto ao público, o evento será realizado a partir de 18h45min, na sede da Câmara de Diretores Logistas, na rua Felipe Schmidt, n. 679, Centro de Florianópolis. A proposta tem apoio da Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis (Viaciclo), da Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais da Prefeitura Municipal de Florianópolis, do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros da Grande Florianópolis e da Câmara de Dirigentes Logistas .

O BRT ou Bus Rapid Transit é um sistema de ônibus de alta capacidade que utiliza corredores exclusivos em vias urbanas, simulando o desempenho e outras características atrativas dos modernos sistemas de transporte urbano sobre trilhos. Foi criado e inicialmente colocado em prática em Curitiba na década de 1990. Florianópolis vai implantar o sistema com três corredores, com o nome de Via Rápida.

Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira

Participantes do debate, o doutor em transportes Luis Antonio Lindau, o professor da UFRGS, e o professor João Alencar Oliveira Júnior, representante da Secretaria Nacional de Transporte e da Mobilidade Urbana (Semob), do Ministério das Cidades,  estarão em Florianópolis para a banca examinadora de uma tese de doutorado sobre o uso da bicicleta no Brasil.

A pesquisa ´O Desenvolvimento e a Inserção da Bicicleta na Política de Mobilidade Urbana Brasileira` foi desenvolvida pela professora Giselle Noceti Ammon Xavier, junto ao Programa de Pós Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC. O trabalho integra a área de concentração Sociedade e Meio Ambiente, linha de pesquisa Desenvolvimento, Conflitos e Políticas Públicas.

A defesa será realizada no dia 19 de agosto, a partir de 9h, no miniauditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas – da UFSC.

Mais informações com a professora Giselle Xavier, (48) 9101-1783

Mesa-redonda: Sistema BRT, a Mobilidade Urbana como um Direito Social e a Bicicleta

Programação:

19h Florianópolis e o BRT (Via Rápida)
João Batista Nunes / Vice-Prefeito e Secretário de Transportes de Florianópolis

19h20min Panorama do BRT no Brasil e no Mundo
Professor Luis Antonio Lindau / UFRGS / Embarq Brasil

19h40min Direito à mobilidade urbana – a construção de um novo direito social
Professor João Alencar Oliveira Júnior / SeMob / Ministério das Cidades

20h A integração da bicicleta com o transporte coletivo
Daniel de Araújo Costa / Presidente da Viaciclo (Associação dos Ciclousuários da Grande Florianópolis)

20h20min Interação entre palestrantes e presentes

Tags: bicicleta