PROPG promove mesa-redonda sobre plataformas Sucupira e Lattes

16/04/2014 08:16

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG) e o programa de pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento (EGC) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) promovem uma mesa-redonda para debater as plataformas Sucupira e Lattes, no próximo 22 de abril, às 14h, no auditório do Centro Socioeconômico (CSE). Coordenadores das duas plataformas e representantes da UFSC e do Instituto Stela estarão presentes.

Os palestrantes serão: Rubens Maribondo do Nascimento, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), coordenador do projeto da Plataforma Sucupira; Geraldo Sorte, coordenador-geral de Tecnologia da Informação no CNPq, coordenador da Plataforma Lattes; Marcos Marchezan, professor do Instituto Stela; Roberto Pacheco, professor da UFSC.

Conforme divulgado pela PROPG, o objetivo é debater o presente e o futuro dessas plataformas, discutindo seus principais recursos e planos para a comunidade de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), os mecanismos oferecidos para a gestão dos fluxos de informação de fomento e avaliação, e a integração com outras plataformas (institucionais e internacionais).

Plataforma Lattes foi criada em 1999 pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) para integrar as bases de dados de currículos, grupos de pesquisa e instituições em um único sistema de informações. A Plataforma Sucupira foi lançada recentemente pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para substituir a Plataforma Coleta de gestão da pós-graduação.

Mayra Cajueiro Warren/Jornalista / Diretoria-Geral de Comunicação

Claudio Borelli / Revisor de Textos da Agecom / Diretoria-Geral de Comunicação / UFSC

Tags: capesCNPqEGCPlataforma LattesPlataforma SucupiraPROPG

Projetos de Extensão ganham espaço no Currículo Lattes

18/09/2012 17:32

A versão atualizada do Currículo Lattes, em vigor desde o início do mês de agosto, apresenta um espaço específico para que pesquisadores cadastrem suas atividades de extensão. A mudança é na aba “Projetos”, onde agora é possível inserir diretamente “Projeto de Extensão”. Em maio deste ano, o Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras (Forproex) encaminhou correspondência ao Presidente do CNPq solicitando contemplar a extensão universitária. No dia 20 de agosto, em reunião da Coordenação do Forproex com os diretores do CNPq Guilherme Sales Melo (Engenharias, Ciências Exatas, Humanas e Sociais) e Manoel Barral Netto (Cooperação Institucional), além das mudanças na Plataforma Lattes, foi sugerido que o Conselho estude a possibilidade de implantação de bolsa produtividade em extensão.

De acordo com a Pró-Reitora Adjunta de Extensão da UFSC, Maristela Zimmer, a mudança é importante pelo reconhecimento que dará aos extensionistas. “Antes, como não havia um espaço para projeto de extensão, a busca por esses profissionais era muito difícil. Agora, além da aba própria, o pesquisador pode classificar suas atividades como artísticas ou culturais, por exemplo”, disse Maristela.

A novidade foi anunciada na abertura do 30º Seminário de Extensão Universitária da Região Sul (Seurs), que aconteceu entre os dias 3 e 5 de setembro, em Rio Grande, no Rio Grande do Sul. A UFSC foi representada por 40 professores e alunos, que assistiram ao evento e apresentaram trabalhos. A Pró-Reitoria de Extensão solicita aos extensionistas da UFSC que, dentro do possível, transfiram as informações relativas às atividades de extensão inseridas em outros campos para a nova aba “Projeto de Extensão”.

Mais informações com Maristela Zimmer pelo (48) 3721-9344 ou .

Isadora Ruschel / Estagiária de Jornalismo na Agecom

Tags: currículo lattesextensãoPlataforma LattesUFSC

Nova Plataforma Lattes é lançada na 64ª Reunião Anual da SBPC

27/07/2012 09:42

A nova Plataforma Lattes foi lançada oficialmente durante a Conferência “Ciência, Tecnologia e Inovação como protagonistas do Desenvolvimento Sustentável”, proferida pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, na 64ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em São Luís (MA). A nova versão traz funcionalidades que introduzem possibilidades de analisar de forma sistemática as atividades de ciência e tecnologia.

A plataforma conta agora com abas em que a comunidade científica e tecnológica poderá registrar informações sobre inovação, educação e popularização da ciência e tecnologia e patentes e registros, que ganham um módulo específico. Para o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, as informações disponibilizadas neste sistema deixam de ser somente declaratórios e acrescentam o elemento de confiabilidade dos dados.

Para aqueles que vão informar suas inovações, será necessário indicar o CNPJ da empresa onde foi desenvolvido o projeto, entre outras informações. Após preencher os dados, um e-mail será encaminhado ao responsável pela empresa onde ocorreu a colaboração para certificação do projeto. Já na aba Patentes, o pesquisador poderá incluir o número da patente e os todos os dados serão recuperados na base de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Após isso, ao lado da patente indicada, aparecerá o símbolo de certificação deste instituto.

Segundo Glaucius Oliva, em razão da introdução destas mudanças, os critérios de avaliação de projetos do CNPq passam a considerar o mérito científico do projeto; a relevância, originalidade e repercussão da produção científica do proponente; a formação de recursos humanos; a contribuição científica, tecnológica e de inovação incluindo patentes; a inserção internacional da pesquisa; a contribuição em educação e popularização da ciência entre outros quesitos.

Fonte: Assessoria de Comunicação do CNPq

Tags: divulgação da ciênciaPlataforma Lattes