Desemprego pode ter atingido 17% dos catarinenses em maio, aponta artigo

13/07/2020 09:43

O Núcleo de Estudos de Economia Catarinense (Necat) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou um estudo sobre dados do desemprego em Santa Catarina no mês de maio, de acordo com a nova Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Covid-19. Assinado por Vicente Loeblein Heinen e Lauro Mattei, o artigo Desemprego pode ter atingido 17% dos catarinenses em maio destaca o quadro geral do mercado de trabalho catarinense em maio e queda nos rendimentos do trabalho em meio à pandemia.

Os pesquisadores alertam que, “como essa pesquisa é de caráter experimental, seus dados devem ser interpretados com cautela, no entanto esse instrumento já permite um acompanhamento mais preciso do mercado de trabalho diante do cenário de pandemia, o que pode auxiliar na formulação e na implementação de políticas públicas pontuais”.

De acordo com o artigo, “somando os desocupados (pessoas que efetivamente procuraram emprego); os que necessitariam trabalhar, mas não procuraram em razão da pandemia; e aqueles que foram considerados ocupados, mas não estão sendo remunerados, chega-se ao montante de 672 mil pessoas. Considerando essas formas ocultas de desemprego associadas à pandemia, a taxa de desocupação ampliada já é de aproximadamente 17% em Santa Catarina. Essa é a parcela da população catarinense que efetivamente necessitaria trabalhar, mas que se encontrava sem renda durante o mês de maio”.

 

Tags: coronavírusNecatNúcleo de Estudos de Economia Catarinensepesquisa coronavírusUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina