Semana de Relações Internacionais discute posição dos países emergentes na economia global

05/10/2012 10:01

Professores do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC, Pedro Antônio Vieira e Hôyedo Nunes Lins debatem a relação dos países emergentes e a economia mundial

A reinserção dos países emergentes na economia global foi o tema da discussão entre os professores do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFSC, Hôyedo Nunes Lins e Pedro Antônio Vieira, na tarde de quinta-feira, 3 de outubro, durante a programação do primeiro dia da III Semana de Relações Internacionais. O evento encerra na sexta-feira, 5 de outubro, e a programação completa está no site http://semanari.ufsc.br/programacao.

Hôyado Lins explicou os motivos que levaram os países da posição de periféricos para emergentes. Devido a crise nos países centrais, a indústria buscou novos mercados consumidores e produtores, definida pelo professor como “internacionalização aprofundada da produção”. Países que antes forneciam apenas matéria-prima agora exportam manufatura. Porém, o crescimento industrial não refletiu na qualidade de vida das populações desses países da mesma maneira em que nos centrais. “Foi um processo de fordismo periférico e taylorismo primitivo”, disse.

O professor Pedro Antônio Vieira questionou o título da mesa de discussão. “Os países já estavam inseridos na economia global. A princípio, como fornecedores de produtos primários, agora desenvolvendo tecnologia e manufatura”, considera. Para Vieira, os termos “globais”, “reinserção” e “emergentes” mascaram a complexidade do assunto. O professor propôs aos estudantes reflexões sobre a posição dos países emergentes “para não cair em armadilhas e utopias incabíveis à realidade do sistema capitalista”. Este sistema, segundo o professor, é desigual por natureza e se viabiliza há anos por meio do acúmulo de capital e da influência dos países centrais. Vieira classificou os países na economia global em três grupos: o “círculo global”, em que estariam os Estados Unidos e as principais economias da Europa; os “semi-periféricos”, com o protagonismo dos países emergentes; e os “periféricos”. A posição de um grupo em relação ao inferior é de dominação política e venda de tecnologia.

BRICS

Brasil, Rússia, Índia, China e Africa do Sul formam o acrônimo “BRICS”, grupo político de cooperação entre países de estágio similar de mercado emergente. Os professores concordaram em praticamente todos os assuntos abordados sobre o grupo. Os países que compõem o BRICS apresentam traços comuns, como grande área territorial (aproximadamente ¼ do território mundial), grande população (40% dos habitantes do planeta) e alta desigualdade social. Também demonstram características distintas, como o perfil sociocultural, político e a formação histórica, da trajetória milenar da China ao Brasil, que há pouco se apresentava como colônia.

Perspectivas

Para “dar as cartas” na economia e política global, os países emergentes precisam desenvolver ciência e tecnologia e incorporar os resultados à produção industrial, concordaram os professores. A nova indústria será baseada em processos com recursos naturais. Biotecnologia, nanotecnologia, bioeletrônica, novos produtos primários e novas formas de energia serão determinantes para o desenvolvimento dos países emergentes. Os professores alertam que a exploração dos recursos naturais deve ser cautelosa.

Mais informações sobre o evento:
http://semanari.ufsc.br/

Mateus Bandeira Vargas / Estagiário de Jornalismo da Agecom / UFSC

Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: CSErelações internacionaisSemanaRIUFSC

Semana de Relações Internacionais inicia com palestra sobre cooperação técnica

03/10/2012 18:32

Embaixador Fernando José Marroni de Abreu explicou sobre o papel da Agência Brasileira de Cooperação, do Ministério de Relações Exteriores

O embaixador Fernando José Marroni de Abreu foi o convidado para a palestra de abertura da III Semana Acadêmica de Relações Internacionais (SemanaRI), realizada na terça-feira, 2 de outubro, às 18h30, no auditório da Reitoria. “Relações Sul-Sul: definições, teorias e benefícios” foi o tema da discussão que também contou com a participação da professora do Departamento de Economia e Relações Internacionais Mónica Salomón como debatedora e do coordenador do Curso de Relações Internacionais Helton Ouriques, como mediador. Estiveram presentes na abertura a reitora Roselane Neckel e o embaixador Abelardo Arantes.

Diretor da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) do Ministério das Relações Exteriores, Fernando Marroni explicou para o auditório lotado o funcionamento da ABC e o modelo brasileiro de Cooperação Técnica, ramo da política externa responsável pelo envio de missões técnicas aos países em desenvolvimento, integradas por especialistas de instituições brasileiras, com o objetivo de coletar informações e preparar programas que solucionem problemas de capacitação e infraestrutura das instituições nacionais receptoras. Atualmente a ABC executa projetos em 81 países envolvendo recursos de mais de 80 milhões de dólares. A maior demanda é por cooperação nas áreas de agricultura, saúde, educação e formação profissional.

A professora Mónica Salomón destacou o crescimento da cooperação técnica Sul-Sul, a característica descentralizada do modelo aplicado no país, em que estados ou municípios podem apresentar projetos e apontou como ponto fraco a falta de articulação do governo com a sociedade civil e as ONGs. Os convidados também responderam a perguntas dos estudantes. A III SemanaRI UFSC segue até sexta-feira, 5 de outubro.

Mais informações:
http://semanari.ufsc.br/

Patrícia Cim / Estagiária de Jornalismo da Agecom / UFSC

Fotos: Henrique Almeida / Agecom / UFSC

Tags: CSErelações internacionaisUFSC

Inscrições para o mestrado em Relações Internacionais

30/08/2012 15:48

O Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais (PPGRI) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) divulgou o edital de seleção ao Mestrado para o período letivo que terá início em março de 2013.

As inscrições serão realizadas no período de 17 de setembro a 15 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h, na Secretaria do PPGRI, localizada no terceiro andar do prédio de pós-graduação do Centro Sócio-Econômico (CSE).

Os candidatos devem ter proficiência na língua inglesa. A primeira etapa do processo consta de prova escrita que será realizada no dia 26 de novembro, das 14h às 18h, com resultado previsto para o dia 3 de dezembro, no site do Programa. A segunda etapa será realizada nos dias 10 e 11 de dezembro.

Acesse aqui o Edital de Seleção.

Outras informações pelo e-mail .

Tags: CSEinscriçõesmestradorelações internacionaisUFSC

Ministro José Eduardo Cardozo discute segurança pública em encontro na UFSC

29/05/2012 09:28

Cardozo: “Segurança Pública passa por tudo o que reduz a criminalidade". Fotos: Dayane Ros/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

À primeira vista, o homem cercado por seguranças e assessores parece inacessível ao público. Aos poucos, os alunos criam coragem e se aproximam, tiram fotos e conversam. O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, é simpático, solícito e descontraído. No segundo dia de atividades do Encontro Nacional dos Estudantes de Relações Internacionais, discutiu a segurança pública em situações ordinárias e em grandes eventos.

Antes do início da palestra, a reitora Roselane Neckel recepcionou o principal convidado da noite. “Uma honra!”, disse. “Mais de 1.500 estudantes, certo? Estes encontros representam uma troca de experiências insuperável. São pessoas de todo o país dividindo o aprendizado”, respondeu o ministro, surpreso e empolgado com a dimensão do evento.

A professora de Relações Internacionais da UFSC, Karine de Souza, iniciou a palestra magna apresentando ao público o jurista, professor e político José Eduardo Cardozo. A trajetória do ministro é marcada pela atuação nas relações exteriores, combate ao narcotráfico e ao comércio ilegal de armas.

O ministro da Justiça abriu o discurso citando o envolvimento com a Comissão de Anistia, que investiga casos de violação aos direitos humanos entre 1946 e 1988. Lembrou que esteve no primeiro encontro de estudantes de direito, durante o regime militar. “Hoje, vejo milhares de alunos reunidos e posso dizer que é um orgulho ser ministro da Justiça neste estado livre e democrático”.

Tarefa conjunta
A segurança pública foi o principal tema da palestra. O ministro enfatizou que a responsabilidade pela segurança não compete apenas à polícia dos estados. No âmbito federal, o Ministério da Justiça atua para garantir a ordem jurídica, cidadania e direitos individuais. O ideal é integrar as ações de diversos ministérios para esta tarefa, considera Cardozo.

“Segurança Pública passa por tudo o que reduz a criminalidade, logo a atuação do Ministério da Saúde ao tratar um dependente químico também é importante para garantir a segurança do país”. Em sua opinião, o obstáculo para integrar poderes e estados está nas divergências políticas. “É fantástico viver numa democracia, mas é horrível quando interesses políticos sobrepõem a causas públicas”. Como exemplo, o ministro citou a falta de diálogo entre as polícias civil e militar.

Segurança em situações ordinárias
Após definir o que é segurança pública, José Eduardo Cardozo citou as atividades dos órgãos vinculadas ao ministério. Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional de Segurança atuam em ações que priorizam o combate ao crime organizado, narcotráfico e a redução da criminalidade. Ações de defesa e repressão – o “grosso”, como disse o jurista – são competências do Ministério da Defesa.

O Serviço de Inteligência das forças de segurança do Ministério da Justiça atuam, por exemplo, no controle das fronteiras secas. O ministro citou as operações em Foz do Iguaçu. “Milhares de carros atravessam a fronteira. Não podemos fiscalizar todos, então agimos estrategicamente em algumas áreas para combater o crime organizado.”

José Eduardo Cardozo destacou as operações Sentinela e Ágata. Na operação Ágata, coordenada pelo Ministério da Defesa, oito a nove mil homens se concentram em uma área para conter o crime organizado. A Operação Sentinela, coordenada pelo Ministério da Defesa, tendo as Forças Armadas como subsidiária, articula e integra as forças de segurança do país inteiro. Segundo o ministro, as operações são ousadas e eficientes.

Segurança em grandes eventos
O Brasil assumiu posição de destaque no cenário internacional. Superamos o estigma de país medíocre. Além de um momento de lazer, estes eventos são um investimento para a imagem internacional do Brasil.  O dano para qualquer falha de organização é imenso”, disse o ministro, sobre a responsabilidade do país ao sediar grandes eventos.

Cardozo lembrou que até 2016 o Ministério da Justiça tem o dever de garantir a articulação entre as forças de segurança do país para os eventos da Rio+20, a visita do Papa ao Brasil, Olimpíadas e a Copa do Mundo. Para estas operações, foi instituída a Secretaria Extraordinária de Segurança para Grandes Eventos. O órgão se divide em quatro áreas: operações, inteligência, logística e projetos especiais.

Segurança global
O Brasil não tem tradição em operações contra o terrorismo, destacou também o jurista. Em eventos que demandam atenção especial contra grandes ataques, a Polícia Federal atua em conjunto com as polícias de outros países. “Cada vez mais se caminha para termos polícias globais, porque o crime já é global”, disse o ministro. Neste caso, a ideia é que registros das polícias internacionais sejam remetidos ao Brasil, com o objetivo de controlar a entrada de estrangeiros no país.

“A expectativa é melhorar a articulação entre as forças de segurança dos estados federativos e as polícias de outros países. Vocês, estudantes de Relações Internacionais, terão de se ocupar muito com discussões sobre a segurança pública.”, alertou Cardozo, que também sugeriu a criação de disciplinas sobre segurança pública nos cursos de ciências sociais e jurídicas.

Às 20h, o ministro da Justiça se despediu, foi aplaudido, tirou fotos e seguiu cercado por seguranças para uma reunião com representantes da Prefeitura de Florianópolis. Mais tarde, pegou o avião para São Paulo, onde participou de outro encontro.

Por Mateus Vargas / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: Ministro da Justiçarelações internacionaisUFSC

Embaixadores abrem encontro de estudantes de Relações Internacionais nesta quarta-feira na UFSC

23/05/2012 13:39
O secretário de Assuntos Internacionais da Presidência da República, Guilherme de Aguiar Patriota, e o embaixador Luiz Felipe Lampreia vão ministrar às 19h de quarta-feira, dia 23, a conferência de abertura do XVII Encontro Nacional dos Estudantes de Relações Internacionais (Eneri UFSC), no Centro de Cultura e Eventos, sobre o tema “A evolução da agenda de política externa brasileira”.  Outro destaque da programação do Eneri é a palestra magna sobre “A política externa brasileira nas Olimpíadas e na Copa do Mundo” prevista para ser proferida pelo ministro da justiça José Eduardo Cardozo. Informações no site www.eneri.ufsc.br, por meio do qual também será disponibilizada transmissão online do encontro.
Tags: Guilherme Aguiar Patriotarelações internacionaisXVII ENERI

UFSC sedia XVII Encontro Nacional dos Estudantes de Relações Internacionais

18/05/2012 11:17

O XVII Encontro Nacional dos Estudantes de Relações Internacionais (ENERI UFSC) será realizado de 23 a 26 de maio, considerado o maior evento de estudantes de Relações Internacionais da América do Sul, terá como tema a Agenda internacional brasileira. Informações pelo site eneri.ufsc.br, por meio do qual também será disponibilizada transmissão online.

(mais…)

Tags: estudantesrelações internacionaisUFSCXVII ENERI

Conferência on-line aborda financiamento de campanha eleitoral nos EUA

16/05/2012 16:50

Será transmitida nesta quinta-feira, às 10h30min, para o auditório do Centro de Ciências Jurídicas (CCJ) a palestra “Financiamento de campanhas eleitorais nos Estados Unidos”, ministrada por Craig Holman, da organização não governamental Public Citizen. Holman é especialista em reforma do financiamento da campanha eleitoral, ética nos governos, prática de lobby e impacto do dinheiro na política nos Estados Unidos.

A palestra faz parte da rodada de conferências on-line sobre eleições norte-americanas e é organizada na UFSC pelo núcleo Florianópolis do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Estudos sobre os Estados Unidos.

A palestra acontecerá nos EUA e será transmitida, além da UFSC, para as universidades Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal de Roraima (UFRR). É possível acompanhar o evento também pelo  link http://conx.state.gov/brazil/.

Os participantes poderão interagir enviando as perguntas, em inglês, para o e-mail , que serão registradas no canal de chat com o palestrante.

Interessados podem se inscrever e tirar dúvidas pelo email

Conferência on-line sobre lobby

Tags: campanha eleitoral EUArelações internacionaisUFSC

Estudantes de ensino médio participam da simulação de reuniões da ONU

10/04/2012 12:15

O Curso de Relações Internacionais da UFSC promove neste final de semana (14 e 15 de abril) a segunda edição do projeto Simulação de Organizações Internacionais para o Ensino Médio (SIEM). Participarão do encontro no auditório da Reitoria estudantes do ensino médio de oito escolas de Florianópolis, entre elas o Colégio de Aplicação da UFSC, o Colégio Militar e o Colégio da Lagoa.

Um dos objetivos da atividade de extensão é capacitar alunos de segundo grau para discussões aprofundadas sobre fatos históricos e assuntos da atualidade que causam impactos na sociedade. Nos dois dias do evento os participantes terão a oportunidade de representar diversos países, no papel de autoridades como embaixadores, chefes de estado e presidentes.

Nesta edição serão trabalhadas três reuniões promovidas no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU): a Conferência da ONU para a Mudança Climática (COP15), que aconteceu em dezembro de 2009 na Dinamarca (a questão das mudanças climáticas e a redução de emissões de CO2 serão discutidas), uma Assembleia Geral com discussão sobre o fim do embargo a Cuba e a criação do Estado da Palestina, e a reunião do Conselho de Segurança referente à adoção da Resolução 1973 que trata da intervenção na Líbia.

Atividades do gênero são realizada em diversas universidades do mundo, entre elas Harvard, nos Estados Unidos. Na UFSC são coordenadas pelas professoras do Curso de Relações Internacionais Patrícia Ferreira Fonseca Arienti  e Graciela de Conti Pagliari, contando com a colaboração de universitários de diversas fases.

Mais informações: http://siem.ufsc.br/ / Paula Fogliato Prado 8457-8927 / / ou professora Patrícia Arienti / 3721-6508

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

Tags: relações internacionaisUFSC

Reitor em exercício recebe cônsul dos EUA

09/04/2012 16:59
.

(clique para ampliar)

Na tarde desta segunda-feira (09/04) o reitor em exercício da UFSC, Carlos Alberto Justo da Silva, recebeu em seu gabinete o cônsul e diretor da Seção de Imprensa, Educação e Cultura do Consulado dos Estados Unidos em São Paulo, Tomas J. Dowling. O encontro entre as autoridades teve como objetivo a discussão de um possível intercâmbio entre os estudantes da UFSC e alunos das universidades estadunidenses através do programa Ciência Sem Fronteiras do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e Ministério da Educação (MEC). Essa é a primeira vez que o cônsul vem a Florianópolis; outra visita à cidade está marcada para maio.

Tomas J. Dowling comentou sobre a importância da aproximação entre os países através de incentivos para o intercâmbio. Dowling acredita que o primeiro passo para o estabelecimento de uma relação imediata entre os países é o ensino das línguas oficiais das nações.“Quando se visita outro país, se aprende muito mais. É importante aumentar o nível de conversação para criar mais oportunidades em sala de aula”.

O reitor em exercício, Carlos Alberto Justo da Silva, destaca o incentivo que a UFSC tem dado ao programa Ciência Sem Fronteiras para o crescimento do intercâmbio cientifico. “A globalização não é só econômica, mas também social. É preciso trocar os pré-conceitos por conceitos quando se trata de relações internacionais. Estreitar os vínculos entre os países é possível através das universidades”.

Também estavam presentes o diretor do Centro Sócio-Econômico (CSE), professor Ricardo José Araújo de Oliveira, e o coordenador do curso de Economia, professor Marcos Alves Valente. A visita do cônsul dos Estados Unidos em São Paulo é uma realização das coordenadorias dos cursos de Relações Internacionais e de Economia da UFSC.

Por Ricardo Pessetti/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: reitoriarelações internacionaissinter

Inscrições abertas para seminário Relações Internacionais

17/10/2011 17:33

O Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UFSC convida para o seminário Relações Internacionais – Economia Política Internacional: Conexões, Complementaridades, Divergências, que acontecerá nos dias 20 e 21 de outubro de 2011.  O evento ocorrerá no miniauditório do Departamento de Economia e Relações Internacionais (Localizado no 2º andar do prédio do CSE/UFSC).

Apresentação

A estreita conexão entre as áreas de Relações Internacionais e Economia Política Internacional é incontestável. Porém, não há acordo sobre a natureza precisa dessa conexão. Alguns vêm na Economia Política Internacional, sobretudo na variante desenvolvida nos EUA a partir da década de 1970, uma subárea das Relações Internacionais.

Para outros, a EPI é sim uma sub-área das RI, mas ao mesmo tempo vai além, compartilhando temas e métodos com outras disciplinas, especialmente a Economia e a Política Comparada. Outros, ainda, destacam a continuidade da EPI contemporânea –em suas vertentes críticas- com a Economia Política clássica, marxista ou inspirada pelo marxismo, e apontam mais divergências que conexões com a grande área das RI, ao menos com suas correntes dominantes.

A proposta do seminário é explorar essas várias maneiras de entender o relacionamento entre as duas áreas e as múltiples conexões, complementaridades e divergências que surgem delas. Consiste em duas palestras, cada uma delas seguida de um amplo espaço para debate, ministradas por pesquisadores com trajetórias diferentes mas que tem em comum sua familiaridade com as duas áreas em consideração.

1ª palestra, 20 de outubro (quinta feira), 15h.

Ministrante: Eduardo Mariutti

Doutor em Economia pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), professor no Instituto de Economia da Unicamp

“A disputa teórica entre as Relações Internacionais e a Economia Política: rumo a uma abordagem transdisciplinar?”

2ª Palestra, 21 de outubro (sexta feira), 10h.

Ministrante: André de Mello e Souza

Doutor em Ciência Política pela Stanford University, ex-professor do Instituto de Relações Internacionais da PUC-Rio, atualmente Técnico de Planejamento e Pesquisa do Instituto de pesquisa Econômica Aplicada (IPEA).

“Entre o Estado e o Mercado. A contribuição da Economia Política Internacional contemporânea para o estudo das relações internacionais no Brasil”

Serviço:

O quê:  Seminário “Relações Internacionais – Economia Política Internacional: Conexões, Complementaridades, Divergências.

Organização:  Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais

Quando: 20 e 21 de outubro de 2011.

Onde:  Miniauditório do Departamento de Economia e Relações Internacionais (Localizado no 2º andar do prédio do CSE/UFSC).

Inscrições:  devem ser feitas pelo email .  Informe seu nome, instituição, curso e matrícula se for aluno. As  vagas disponíveis  são limitadas.  As inscrições serão por ordem de chegada.

Tags: relações internacionaisUFSC

Integração latinoamericana: desafios e possibilidades

22/09/2011 10:54

O Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais da UFSC promove nesta sexta-feira, dia 23, às 16h, no miniauditório do Departamento de Economia e Relações Internacionais, Centro Sócio-Econômico, a palestra  Integração latinoamericana: desafios e possibilidades para o Brasil. O ministrante será o  doutor em economia Uziel Nogueira, funcionário do Banco Interamericano de Desenvolvimento entre 1982 e 2009 e atualmente consultor do BID, Banco Mundial e FMI.Informações pelo e-mail

Tags: relações internacionais

Semana Acadêmica de Relações Internacionais inicia nesta terça

13/09/2011 12:03

Com tema principal dez anos do atentado de 11 de setembro de 2001 e os impactos causados nas relações internacionais, a UFSC sedia a partir desta terça-feira, 13 de setembro, a II Semana Acadêmica de Relações Internacionais. Profissionais de diversas universidades, entre elas UFRGS, UnB, Unifesp, Ibmec, Unisul e Univali participarão do encontro que prossegue até sexta-feira.

A palestra de abertura será com o professor do Departamento de Relações Internacionais e do Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasilia Eduardo Viola, às 19h, no auditório do Centro Sócio-Econômico. Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo, Viola atuou como professor visitante das universidades de Stanford, Colorado, Notre Dame e Amsterdam.

Além de palestras, a programação contará com minicursos, mesas de discussão, debates e apresentações de trabalhos acadêmicos. Entre os temas abordados estão as guerras no Iraque e Afeganistão, a questão dos direitos humanos pós 11 de setembro e a política externa e hegemonia norte-americana após o atentado. A palestra de encerramento será dia 16, às 18h30min, com Oswaldo Dehon, do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec).

A programação completa pode ser acessada em http://semanari.ufsc.br. Mais informações com Camila Batalha pelo e-mail ou telefone 48 9949-2343.

Por Nayara Batschke / Bolsista de jornalismo na Agecom

Tags: relações internacionais

Congresso Acadêmico Sobre Defesa Nacional

08/09/2011 17:20

Estudantes do Curso de Relações Internacionais da UFSC  foram selecionados para representar a Universidade no VIII Congresso Acadêmico sobre Defesa Nacional. Composto por Naiane Inez Cossul, Mariana Martins Almeida, Michelly  Sandy Geraldo, Guilherme Carlos da Costa e Augusto Luna de Moura o grupo,  sob responsabilidade da professora Graciela De C. Pagliari, o grupo apresentará o trabalho intitulado Soberania e  cooperação no combate aos ilícitos transnacionais?. O congresso será realizado de 19 a 23 de setembro na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), no Rio de Janeiro. A promoção é do Ministério da Defesa, por  intermédio da Secretaria de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto (Sepesd)  e da AMAN.

Tags: relações internacionais

UFSC realiza simulação de organizações internacionais para o ensino médio

26/04/2011 10:49

Estudantes do Curso de Relações Internacionais da UFSC realizam no sábado,  dia 30 de abril, a primeira edição da Simulação de Organizações Internacionais para o Ensino Médio (SIEM). O processo é realizado em diversas universidades do mundo, como Harvard, nos Estados Unidos. Um dos objetivos é capacitar estudantes do segundo grau para discussões mais aprofundadas sobre fatos históricos e assuntos da atualidade que causam impactos imediatos na sociedade. Cerca de 150 alunos de colégios particulares e públicos de Florianópolis vão desempenhar as funções de diplomatas e embaixadores no evento, inédito em Santa Catarina.

Além da Assembléia Geral da ONU e Conselho de Segurança, serão representadas na Sala dos Conselhos, na Reitoria, e no Auditório do Centro Sócio-Econômico, alguns dos mais importantes órgãos internacionais. Entre eles, Organização dos Estados Americanos (OEA), Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (APEC) e União Européia (UE). Serão debatidos temas como pirataria na Somália, o posicionamento da União Européia sobre o conflito Israel/Palestina, doenças relacionadas às mudanças climáticas e o tráfico de pessoas.

“A ideia é que os alunos do ensino médio busquem, além do guia que está disponível no site do SIEM, mais informações por meio de pesquisas e bibliografias relacionadas, e assim desenvolvam a capacidade de compreender os acontecimentos internacionais e uma cultura de tolerância”, explica Paula Fogliato Prado, acadêmica de Relações Internacionais.

De acordo com os organizadores, as discussões em pauta já aconteceram em reuniões reais de cada organização e as atas estão disponíveis na página do projeto (http://siem.ufsc.br/). Mesmo assim as decisões estarão em aberto. “Não necessariamente os participantes deverão chegar às resoluções em que as reuniões reais chegaram”, complementa Paula.

“Este é um campo de atuação profissional, onde muito dos alunos do Curso de Relações Internacionais atuarão. Portanto estão adquirindo experiências ao organizarem um projeto que simula fielmente os processos administrativos e o andamento institucional desses organismos”, ressalta Renato Xavier, também estudante de Relações Internacionais. Acadêmicos do curso ficarão em uma sala de apoio para atender os participantes que tenham alguma dúvida sobre as decisões e os posicionamentos que devem tomar. Eles foram também responsáveis pela elaboração de um guia de estudo para a preparação dos participantes.

Neste momento a simulação está envolvendo universitários do Curso de Relações Internacionais, mas em edições futuras deve integrar outras áreas, como História, Direito e Jornalismo. O primeiro SIEM realizado no Brasil aconteceu em 2006, representando reuniões e comitês históricos, entre eles a Conferência de Genebra de 1938, o Conselho de Segurança Nacional do Brasil de 1968 (que discutiu o Ato Institucional 5) e a ECO-92. Edições posteriores contemplaram discussões mais antigas, atuais e religiosas, como o Senado Romano de 63 a.C., o Supremo Tribunal Federal com o caso Casare Batisti de 2009 e o Concílio Vaticano Primeiro, que abordou o tema a Igreja frente às ideologias do século XIX.

Mais informações: http://siem.ufsc.br/ / Paula Fogliato Prado (8457-8927 / / ou professora Patrícia Arienti (3721-6508)

Também no vídeo SIEM UFSC – Simulação de Organizações Internacionais para Ensino Médio:http://www.youtube.com/watch?v=5poecblI08M

Por Ana Luísa Funchal / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: relações internacionaissimulação

UFSC realiza simulação de organizações internacionais para o ensino médio

15/04/2011 16:15

Estudantes do Curso de Relações Internacionais da UFSC realizam no dia 30 deste mês a primeira edição da Simulação de Organizações Internacionais para o Ensino Médio (SIEM). O processo é realizado em diversas universidades do mundo, como Harvard, nos Estados Unidos. Um dos objetivos é capacitar estudantes do segundo grau para discussões mais aprofundadas sobre fatos históricos e assuntos da atualidade que causam impactos imediatos na sociedade. Cerca de 150 alunos de colégios particulares e públicos de Florianópolis vão desempenhar as funções de diplomatas e embaixadores no evento, inédito em Santa Catarina.

Além da Assembléia Geral da ONU e Conselho de Segurança, serão representadas na Sala dos Conselhos, na Reitoria, e no Auditório do Centro Sócio-Econômico, alguns dos mais importantes órgãos internacionais. Entre eles, Organização dos Estados Americanos (OEA), Cooperação Econômica da Ásia e do Pacífico (APEC) e União Européia (UE). Serão debatidos temas como pirataria na Somália, o posicionamento da União Européia sobre o conflito Israel/Palestina, doenças relacionadas às mudanças climáticas e o tráfico de pessoas.

“A ideia é que os alunos do ensino médio busquem, além do guia que está disponível no site do SIEM, mais informações por meio de pesquisas e bibliografias relacionadas, e assim desenvolvam a capacidade de compreender os acontecimentos internacionais e uma cultura de tolerância”, explica Paula Fogliato Prado, acadêmica de Relações Internacionais.

De acordo com os organizadores, as discussões em pauta já aconteceram em reuniões reais de cada organização e as atas estão disponíveis na página do projeto (http://siem.ufsc.br/). Mesmo assim as decisões estarão em aberto. “Não necessariamente os participantes deverão chegar às resoluções em que as reuniões reais chegaram”, complementa Paula.

“Este é um campo de atuação profissional, onde muito dos alunos do Curso de Relações Internacionais atuarão. Portanto estão adquirindo experiências ao organizarem um projeto que simula fielmente os processos administrativos e o andamento institucional desses organismos”, ressalta Renato Xavier, também estudante de Relações Internacionais. Acadêmicos do curso ficarão em uma sala de apoio para atender os participantes que tenham alguma dúvida sobre as decisões e os posicionamentos que devem tomar. Eles foram também responsáveis pela elaboração de um guia de estudo para a preparação dos participantes.

Neste momento a simulação está envolvendo universitários do Curso de Relações Internacionais, mas em edições futuras deve integrar outras áreas, como História, Direito e Jornalismo. O primeiro SIEM realizado no Brasil aconteceu em 2006, representando reuniões e comitês históricos, entre eles a Conferência de Genebra de 1938, o Conselho de Segurança Nacional do Brasil de 1968 (que discutiu o Ato Institucional 5) e a ECO-92. Edições posteriores contemplaram discussões mais antigas, atuais e religiosas, como o Senado Romano de 63 a.C., o Supremo Tribunal Federal com o caso Casare Batisti de 2009 e o Concílio Vaticano Primeiro, que abordou o tema a Igreja frente às ideologias do século XIX.

Mais informações: http://siem.ufsc.br/ / Paula Fogliato Prado (8457-8927 / ) ou professora Patrícia Arienti (3721-6508)

Também no vídeo SIEM UFSC – Simulação de Organizações Internacionais para Ensino Médio:http://www.youtube.com/watch?v=5poecblI08M

Por Ana Luísa Funchal / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: relações internacionaissimulação

Reitor se reúne com representantes de universidades italianas para afirmar acordos de cooperação

10/12/2010 15:27

Reitor se reúne com representantes de universidades italianas para afirmar acordos de cooperação

Na  quinta feira, 09/12, o reitor da UFSC, professor Alvaro Toubes Prata, reuniu-se com representantes de duas universidades italianas, Universidade de Pádova e a Universidade de Térramo, para discutir acordos de cooperação internacional.

Em visita, o Professor Francisco Leita, diretor da comissão de Relações Internacionais de Pádova, ressaltou o interesse na reciprocidade das relações de intercâmbio entre os alunos e professores italianos e brasileiros voltado para os programas de mestrado na área de engenharia e tecnologia de alimentos.

Já o professor Dino, diretor da Faculdade de Agronomia da Universidade de Térramo, veio ao Brasil para assinar os certificados dos alunos cidadãos italianos que cursaram aqui disciplinas da área agroalimentar. O projeto está inserido no convênio de cooperação entre a UFSC e a Universitá degli Studi di Teramo, assinado em 2006, com o objetivo de realizar cursos, seminários, intercâmbios de alunos e professores visando a colaboração técnico-científica.

Segundo o reitor Prata, a internacionalização da Universidade é uma das prioridades da UFSC, uma vez que o intercâmbio, além de incrementar o ensino superior, é levado muito em consideração na avaliação trienal da Capes.

Por Ana Luísa Funchal/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: capesengenhariaintercâmbiorelações internacionaisUniversidade de PádovaUniversidade de Térramo

Relações Internacionais da UFSC abre inscrições para primeira turma de Mestrado

25/11/2010 16:24

Estão abertas as inscrições para o primeiro processo seletivo do Mestrado em Relações Internacionais da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). São oferecidas até  20 vagas. As inscrições serão realizadas no período de 25 de novembro a 17 de dezembro, de segunda a sexta-feira, das 14h às 18h, na Secretaria do Programa, no Centro Sócio-Econômico (CSE), térreo, Sala da Coordenadoria de Cursos.

A seleção será feita em duas etapas: uma prova escrita e uma entrevista. Teoria das relações internacionais e conhecimento geral são os conteúdos da prova, que será realizada no dia 18 de fevereiro e tem caráter eliminatório. O resultado será divulgado no dia 21 de fevereiro, e os aprovados deverão realizar a entrevista entre os dias 23 e 25 de fevereiro. As aulas iniciam em março do ano que vem.

O edital completo está no endereço www.ppgri.ufsc.br/files/2010/11/Edital001_ppgri_20102.pdf.

Surgimento

O projeto de criação do Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais foi aprovado no dia 7 de julho deste ano, pela Câmara de Pós-Graduação da UFSC. O curso conta inicalmente com 18 professores e tem três linhas de pesquisa: Economia Política Internacional; Comércio e Desenvolvimento e Sociedade e Instituições Internacionais

Mais informações através do e-mail

Marília Marasciulo / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Tags: inscriçõesmestradorelações internacionaisUFSC

Seminário de Direitos Humanos comemora convenção americana de 69

16/11/2010 10:51

De 22 a 26 de novembro acontecerá a Primeira Semana dos Direitos Humanos da UFSC, projeto coordenado pela professora Danielle Annoni, do Departamento de Direito, com alunos de graduação do curso de Relações Internacionais.

Programação

Segunda-feira – 22/11

Conferência de abertura “Comemoração do aniversário da convenção americana sobre direitos humanos, realizada em 22 de novembro de 1969″

Horário: Das 19h30 às 21h00

Local: Auditório do Centro de Ciências Jurídicas CCJ/UFSC

Palestrante: professor Christian Courtis

Professor da Universidade de Buenos Aires – Secretário do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos – Genebra

Debatedora: professora Theresa Raquel Couto Correa

Professora de Direito Internacional dos Direitos Humanos do Programa de Mestrado da Universidade Federal do Ceará

Moderadora: professora Danielle Annoni

Professora de Direito Internacional dos Direitos Humanos do Programa de Mestrado da UFSC. Inscrições gratuitas e no local.

Terça-feira – 23/11

Aula de tango gratuita 1

Horário: Das 10h30 às 12h00

Local: Laboratório de Ginástica A, Bloco 5, Cento de Desportos UFSC

De Profesión Tango: Laura e Fransley

Inscrições pelo e-mail

(Nome completo do participante / Telefone / Idade e RG).

PS: A inscrição é individual e será realizada mediante disponibilidade de vagas

Show de rock da Banda Al Pacinos

Local: Concha Acústica da UFSC

Horário: 12h30

Apresentação de trabalhos da revista Rari sobre direitos humanos

Local: Salas 114 e 003 do Centro Sócio-Econômico

Horário: Das 14h00 às 17h00

Confira os trabalhos que serão apresentados através da página:

www.direitoshumanos.ufsc.br ou www.rari.ufsc.br
Inscrições gratuitas e no local.

Quarta-feira 24/11

Palestra “Presença na 3ª guerra da indochina e experiências como funcionário internacional”.

Local: Auditório da Reitoria Universitária UFSC

Horário: 19h30

Palestrante: Marco Antônio Martins Vieira – Ex-funcionário das Nações Unidas e do ACNUR Atuou no ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) e em diversos outros órgãos da ONU. Em 1981 recebeu cópia personalizada do Prêmio Nobel da Paz, por serviços prestados como funcionário internacional no Vietnã.

Moderador: professora Danielle Annoni – Professora de Direito Internacional dos Direitos Humanos do Programa de Mestrado da UFSC. Inscrições gratuitas e no local.

Mais informações no site www.direitoshumanos.ufsc.br

com Felipe Orsolin Muller, , fone 55 48 9991-6166.

Tags: direitos humanosRarirelações internacionaisUFSC
  • Página 3 de 3
  • 1
  • 2
  • 3