Pacientes com disfagia fazem consultas de fonoaudiologia a distância durante pandemia

25/06/2020 14:06

Daniela Vicco faz a teleconsulta usando o whatsapp em chamada de vídeo

O teleatendimento foi a saída encontrada pelos profissionais de Fonoaudiologia para atender alguns pacientes do HU que são encaminhados para o Ambulatório de Disfagia e Voz, Área F, por causa das dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19. As teleconsultas são realizadas com autorização do paciente, em uma sala do Bloco Didático, duas vezes por semana.

A atividade é feita com pacientes com disfagia (dificuldades para engolir alimentos ou líquidos) e com alterações vocais que tiveram alta hospitalar, que já estavam em acompanhamento ou, ainda, pacientes não internados atendidos em outras áreas do HU e que são encaminhados para os cuidados/orientação do profissional fonoaudiólogo. Todos já estavam com consulta agendada para avaliação e gerenciamento da deglutição.

A Telefonoaudiologia foi recomendada pelo Conselho Federal de Fonoaudiologia, com base em normas legais que tratam do assunto para a área, com o objetivo de garantir o atendimento aos pacientes durante a pandemia do coronavírus, de acordo com a fonoaudióloga Daniela Vicco, que está à frente dos trabalhos.

“Os pacientes precisavam ser assistidos e manter o acompanhamento fonoaudiológico para minimizar os riscos de broncoaspiração”, explicou Daniela.

Segundo ela, o próximo passo foi entrar em contato por telefone com os pacientes que já estavam com consultas agendadas e com os que tiveram alta hospitalar. “Alguns aprovam a ideia e outros preferem aguardar o reagendamento para fazer a consulta presencial”, explicou.

Os pacientes ou familiares que aprovam o atendimento à distância são conectados à fonoaudióloga por meio de um aplicativo em videochamada. “Ali, é realizado monitoramento dos sinais e sintomas da deglutição e das alterações vocais, orientações de cuidados com a voz e de segurança da deglutição, esclarecimento de dúvidas e estratégias para prevenção. O retorno é agendado mas ainda não sabemos se será presencial ou virtual, dependendo do andamento da pandemia”, explicou.

Para ela, o resultado dos teleatendimentos está sendo positivo, com uma boa aceitação por parte dos pacientes e familiares. “É um ganho para muitos pacientes que necessitam desse suporte nesse período de isolamento social. Sabemos que é uma solução temporária para esta crise, e mesmo que se torne uma tendência no futuro, a consulta presencial é essencial, principalmente para uma avaliação precisa da deglutição”, disse Daniela.

Texto: Unidade de Comunicação Social/HU/UFSC

Tags: coronavírusDisfagiaFonoaudiologiaHUUFSC