Estudo de professora da UFSC destaca modelos de publicação em periódicos científicos do Brasil e Espanha

29/04/2014 11:21

O modelo de publicação em acesso aberto (AA) vem sendo consolidado como um movimento internacional há mais de duas décadas. As duas principais opções para a publicação de resultados de pesquisa são denominadas a via verde (green road) e a via dourada (golden road). A primeira inclui o auto-arquivamento de manuscritos em repositórios institucionais ou temáticos, e a segunda inclui periódicos híbridos e exclusivamente de acesso aberto.Desde as Declarações de Budapest, Berlim e Bethesda em 2002-2003, houve um aumento imediato no número de periódicos em acesso aberto, tendendo nos dias de hoje à estabilização. Atualmente, o Directory of Open Access Journals(DOAJ) registra mais de 9.700 periódicos em 133 países.

A comunidade científica e a sociedade, principalmente em países em desenvolvimento, se beneficiam deste movimento, enquanto que os autores buscam visibilidade e impacto ao selecionar um periódico para publicar seus resultados de pesquisa. Ambos os objetivos podem ser contemplados por meio da via verde. Segundo Houghton e Swan, entretanto, os benefícios da via dourada ultrapassam os da via verde, porém os autores consideram que na atual fase de transição, repositórios seguem sendo mais viáveis econômica e estrategicamente. Ademais, a última recomendação da Budapest Open Access Initiative (BOAI, 2012), ressalta a importância dos repositórios na disponibilização de resultados de pesquisa de acesso aberto: “Cada instituição de ensino superior deve ter um repositório AA, participar de um consórcio com repositório AA consorciado, ou organizar um serviço terceirizado de repositório AA”.

Os artigos citados no parágrafo acima fazem parte de uma publicação recente de autoria de Rosângela Rodrigues, professora do Departamento de Ciência da Informação, do Centro de Ciências da Educação da  UFSC, e Ernest Abadal, profesor da Facultad de Biblioteconomía y Documentación de la Universitat de Barcelona , Espanha, que traça um panorama do modelo de publicação do acesso aberto no Brasil e na Espanha analisando os periódicos destes países indexados nas bases Web of Science (WoS) e Scopus segundo os aspectos do formato da publicação – online ou impresso – , o tipo de acesso – aberto ou por assinatura – e a plataforma tecnológica utilizada.

(mais…)

Tags: Brasilespanhaperiódicos científicospublicaçãopublicação em acesso abertoRosângela RodriguesUFSC