17ª Sepex: contadores de Histórias do Neti trazem alegria ao público infantil

19/10/2018 17:00

(Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC)

Olhos atentos, bocas em silêncio. Sentados no chão, na entrada do prédio da Reitoria, mais um grupo de crianças participa da contação de histórias desenvolvida pelo Núcleo de Estudos da Terceira Idade (NETI) na 17ª Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão (Sepex/UFSC). Enquanto a história é narrada, os alunos permanecem em silêncio e completamente imersos na narrativa. Quando a história termina, uma salva de palmas, o grupo se levanta, e um novo grupo logo chega e mais uma história entra no imaginário de outra dezena de crianças.

A rotina que se repete no espaço do NETI na Sepex já existe na forma de um projeto, o “A Hora da História”, desenvolvido há seis anos por um grupo de cerca de dez voluntários. O contador voluntário pesquisa e seleciona contos e histórias para apresentação em público, e promove, assim, a interação intergeracional por meio da contação de história. O público pode ser infantil, infanto-juvenil ou mesmo adulto e idoso.

A voluntária Margarete Leopoldo de Melo conta que o grupo vai a creches, escolas, instituições. “Onde nos solicitam, nós vamos! Trabalhamos com contos populares, livros de histórias bem diversas. Contamos histórias também com um tema. Os idosos gostam mesmo das histórias infantis e nós costumamos dizer pra eles que ‘as histórias não são apenas para as crianças dormirem, mas para os adultos acordarem’. Cada conto tem uma mensagem, para motivação, para conscientização. Mesclamos com música, adivinhação, piadas, ditados populares”, explica.

“É muito gratificante sair de casa com esse objetivo de contar histórias. Recebemos muito mais que doamos. O retorno é muito positivo, sempre pedem que a gente volte e isso é sinal que gostaram do trabalho”, entusiasma-se a voluntária do NETI.

O NETI está presente na Sepex até o sábado, 20 de outubro, com extensa programação. Além da contação de histórias, o Núcleo trouxe apresentações musicais e atividades interativas e culturais. Confira a programação no site do NETI. A programação geral da Sepex está disponível aqui.

 

Mayra Cajueiro Warren / jornalista da Agecom / UFSC

Tags: A Hora da Históriacontação de históriacontação de históriascontadores de históriasNETUFSCUniversidade Federal de Santa Catarina

Projeto de educação que envolve as crianças e as fortalezas retoma atividades

26/04/2018 16:02

A Coordenadoria das Fortalezas da Ilha de Santa Catarina retomou as atividades do projeto de educação patrimonial “Aprender sobre história também é coisa de criança”, iniciado no segundo semestre de 2017.

Voltado às crianças/estudantes da educação infantil e do primeiro, segundo e terceiro ano do ensino fundamental, o projeto visa aproximá-las dos conhecimentos relacionados à história das fortalezas de Santa Cruz de Anhatomirim, Santo Antônio de Ratones e São José da Ponta Grossa, e sua vinculação com Florianópolis, e sensibilizá-las para a importância de valorizar e preservar o Patrimônio Histórico Nacional.

As atividades são compostas por uma “contação de história”, seguida de uma visita à Fortaleza de São José da Ponta Grossa.

Visitas poderão ser agendadas pelo e-mail agendamentofortaleza@contato.ufsc.br

Mais informações: www.fortalezas.ufsc.br

Fotos: Roque Lemos

Tags: contação de históriasfortalezasUFSC

Programação voltada a famílias no Museu da UFSC neste sábado

12/07/2017 10:25

O Museu de Arqueologia e Etnologia Professor Oswaldo Rodrigues Cabral (MArquE) da UFSC convida as famílias a participar de programação especial na exposição “Rendas de Bilro: Coleção MArquE”, com visita mediada e contação da história “Maria Rendeira”, neste sábado, 15 de julho, às 15h30, no Pavilhão de Exposições do museu, campus Florianópolis, no bairro Trindade. Por ser no sábado, a entrada deve ser feita pela rótula da Lauro Linhares. Evento gratuito. Sugestão etária: de 3 a 8 anos. Cada criança deve estar acompanhada de pelo menos um adulto responsável durante todo o período no Museu.

A contação de história:

Foto: Acervo Setor Pedagógico MArquE

Foto: Acervo Setor Pedagógico MArquE

Maria Rendeira é uma livre adaptação do conto “A rendeira e a virgem”, registrada por Franklin Joaquim Cascaes. Conta a história de Maria Tibúrcia, uma menina que veio dos Açores com sua família e trouxe na mala os materiais e a tradição necessários para fazer rendas de bilro.

 

A exposição:

​”Rendas de Bilro: Coleção MArquE” apresenta para o público rendas de diferentes formatos, técnicas e usos. Busca destacar a delicadeza da renda, apresentando na qualidade de objeto artístico o resultado da habilidade das rendeiras de Florianópolis.
(mais…)

Tags: contação de históriasexposiçãoMuseu de Arqueologia e Etnologia – MArquEUFSC