Pró-reitores de Pesquisa e Extensão destacam o papel da Sepex na integração UFSC e sociedade

23/10/2018 08:55

Na sexta-feira, 19 de outubro, o pró-reitor de Pesquisa da UFSC, Sebastião Roberto Soares, e o pró-reitor de Extensão, Rogério Cid Bastos, destacaram o papel desempenhado pela Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC (Sepex) na integração da universidade com a sociedade. A 17ª Sepex adotou um novo formato que busca descentralizar as atividades relacionadas ao evento oferecendo ações que incluem atividades internas e externas e a participação de todas as estruturas da UFSC.

Pró-reitor de Pesquisa Sebastião Roberto Soares. Foto: Henrique Almeida

A implantação da ideia “UFSC de portas abertas” visa aproximar a sociedade do trabalho que é desenvolvido pela universidade. “A Sepex busca demonstrar para sociedade o que a universidade desenvolve e pretende desenvolver em relação à pesquisa, ensino, extensão e inovação” explicou Soares.

Para o pró-reitor de Pesquisa, a presença de pessoas de todas as idades é um elemento importante e uma oportunidade de integração social por meio da difusão do conhecimento. De acordo com Soares, a participação ativa das pessoas e a possibilidade de interação com os diversos experimentos e laboratórios apresentam-se como resultados efetivos da Sepex, que é considerada uma das feiras acadêmicas de ciência e tecnologia mais importantes do Estado de Santa Catarina.

Nessa edição mais de 50 escolas visitaram a Sepex e mais de 30 mil pessoas circularam pela feira. “Esse é o nosso papel, precisamos criar espaços para que a sociedade conheça o que aqui se faz”, conclui.

O pró-reitor de Extensão, Rogério Cid Bastos, destacou que a Sepex consegue reunir e fazer acontecer de forma prática a relação entre o ensino, pesquisa e extensão. “A Sepex tem esse condão, ela materializa o princípio da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão”. Para Bastos, a Sepex proporciona experiências e relacionamentos que enaltecem a importância social de uma universidade dinâmica e atuante.

Pró-reitor de extensão Rogério Cid Bastos. Foto: Henrique Almeida/Agecom

A edição desse ano apresentou aspectos e concepções que começam a estabelecer novos desafios relacionados ao uso de tecnologias na educação como os conceitos de realidade virtual e aumentada. “Se existia no século passado um tripé de ensino, pesquisa e extensão, agora, nesse século, esses vetores são permeados pela inovação. Só a inovação vai criar condições para diminuirmos as diferenças e desigualdades”, afirmou Bastos.

Uma das medidas que pode ser adotada nas próximas edições da feira é a adequação do calendário de realização do evento para que os participantes do vestibular possam ter essa alternativa que auxiliaria na sua tomada de decisão em relação às opções de curso ofertadas pela UFSC. A possibilidade de incorporar as semanas acadêmicas de diferentes áreas também poderá ser discutida na próxima Sepex.

Ricardo Torres/Agecom/UFSC