UFSC repudia racismo e informa sobre uso indevido do nome da instituição em sites e redes sociais

11/12/2013 16:30

Reitoras recebem a carta do grupo e repudiam racismo. Foto: Leonardo Reynaldo/DDPV/GR

Na manhã desta quarta-feira, 11 de dezembro, as reitoras Roselane Neckel e Lúcia Helena Martins Pacheco receberam um grupo integrado por estudantes negros da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), representantes de movimentos sociais, professores e o vereador Lino Peres (PT). Os alunos entregaram uma carta de repúdio a uma imagem veiculada em uma rede social.

De acordo com o documento, um estudante da Universidade publicou, no dia 5 de dezembro, uma imagem de um casal negro em um grupo do Facebook que leva o nome da instituição. “Imagem na qual o homem está de joelhos em frente a uma mulher negra entregando-lhe um cacho de bananas, em uma menção nítida a chamá-la de macaca. Essa imagem representa uma ofensa, visto que o macaco é um animal atrasado, sem conhecimento e não civilizado”, diz a carta.

As reitoras anunciaram que repudiam qualquer forma de preconceito e se comprometeram a avaliar o documento e dar os encaminhamentos cabíveis internamente. Uma nova reunião para discutir a pauta ampliada de combate ao preconceito étnico, sexista e de qualquer natureza na UFSC deve ocorrer na próxima semana.

Roselane Neckel reafirmou a sua defesa firme aos direitos humanos e esclareceu que o “Grupo UFSC” do Facebook não é administrado pela Universidade. A Administração Central informou, por meio de nota oficial, que os sites e grupos que utilizam o nome da instituição de forma irregular estão sendo notificados pela Procuradoria Federal da Universidade (PF/UFSC).

O manifesto foi assinado pelo Conselho Estadual de Populações Afrodescendentes (Cepa), pela Coordenadoria de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial (Coppir/SC), pelo Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir), pela União de Negros pela Igualdade (Unegro/SC), pelo Movimento Negro Unificado (MNU/SC), pelo Fórum Estadual para as Relações Étnico-Raciais de Santa Catarina, pelo Capoeira na Escola, pelo Grupo Negro 4P – Poder para o Povo Preto, pela Comissão Coletivo Kurima e pelo Conajir – Coletivo de Estudantes Negros da UFSCar.

Bruna Bertoldi Gonçalves / jornalista da Assessoria de Imprensa do Gabinete da Reitoria / UFSC
(48) 3721-4558 /

Tags: internetracismoUFSCuso indevido do nome da instituição