Museu em Curso promove nesta terça debate sobre povos indígenas

14/05/2012 10:25

O Projeto Museu em Curso promove no dia 15 de maio, terça-feira, a partir das 16h, a mesa redonda Museus e povos indígenas: espaço para o diálogo intercultural. O evento acontece no 2º Piso do Pavilhão Antropólogo Sílvio Coelho dos Santos (MArquE -UFSC), seis dias após a abertura da exposição *Ticuna em Dois Tempos* e tem por objetivo compartilhar do mundo pensado e vivido pelo povo Ticuna. Participam do evento  dois antropólogos-pesquisadores atuantes e comprometidos com os direitos dos povos indígenas, os docentes João Pacheco de Oliveira e Priscila Faulhaber, bem como o diretor do Museu Magüta,  o Ticuna Nino Fernandes.

João Pacheco de Oliveira trabalha com os Ticuna desde a década de 1970, é curador das coleções etnológicas do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e é professor titular do Museu Nacional,  na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Priscila Faulhaber é pesquisadora da Coordenação de História da Ciência do Museu de Astronomia e Ciências Afins e pesquisadora-associada do Museu Paraense Emílio Goeldi, de Belém (PA). Atua como professora do Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal do Amazonas e do Programa de Pós-Graduação em Museologia da UNIRIO.

O Ticuna Nino Fernandes responde pela direção do Museu Magüta, o primeiro museu indígena do país que, em 1996, foi premiado pelo International Commitee on Museums (ICOM) e em 1999 foi tema de uma grande exposição realizada no Tropenzmuseum (Museu Tropical) em Amsterdam.  Nino Fernandes recebeu a Ordem do Mérito Cultural do ano de 2005 do Presidente Lula e do Ministro da Cultura Gilberto Gil. Em 2007 foi agraciado com a Comenda da Ordem do Mérito Cultural, entregue pelo presidente Lula. Em dezembro de 2008 lhe foi auferido o Prêmio Chico Mendes, outorgado pelo Ministério do Meio Ambiente.

O  povo Ticuna, autodenominado Magüta, é constituído por cerca de 52.000 pessoas, que vivem em mais de uma centena de aldeias no Brasil, Colômbia e Peru. No Brasil a maioria ocupa a região do Alto Solimões. Atualmente algumas famílias habitam também centros urbanos como, por exemplo, Benjamin Constant, São Paulo de Olivença, Beruri e Manaus. Integrantes do povo Ticuna se encontram em processo de escolarização nas aldeias ou fora delas, o que inclui o ensino superior, com ingresso em diversos cursos, incluindo os de Licenciatura Intercultural Indígena, da Universidade Estadual de Amazonas (UEA) e Universidade Federal de Amazonas (UFAM).

O Projeto Museu em Curso deste mês é uma realização Museu de Arqueologia e Etnologia Professor Oswaldo Rodrigues Cabral/MArquE – UFSC, da Graduação em Museologia – UFSC, do Instituto Brasil Plural  e  do Museu Amazônico (UFAM)

Serviço:

O quê: Museu em Curso, Mesa Redonda – Museus e Povos Indígenas: Espaço Para o Diálogo Intercultural.

Quando: 15 de maio de 2012, das 16h às 18h

Onde: 2º Piso do Pavilhão Antropólogo Sílvio Coelho dos Santos / MArquE -UFSC. Campus Universitário Reitor João David Ferreira Lima, s/n – Trindade – Florianópolis.

Quanto: Entrada franca

Informações: (48) 3721-8604 ou 9325

E-mail: 

Serão fornecidos certificados.

Tags: debatemuseuUFSC