Equipes do HU e servidores do CCS promovem ações educacionais solidárias

02/01/2019 11:41

Equipes do Hospital Universitário Professor Polydoro Ernani de São Thiago (HU-UFSC) e servidores do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Santa Catarina (CCS/UFSC) realizaram ações educacionais, no dia 20 de dezembro, em duas instituições de atendimento e proteção a crianças e idosos em Florianópolis. As atividades são parte do programa Ebserh Solidária, que está em sua terceira edição e ocorre em todo o território nacional pelos 40 hospitais universitários da rede.

Três profissionais da Gerência de Ensino e Pesquisa (GEP) do HU – a chefe do setor de Ensino e Extensão da GEP, Nádia Chiodelli Salum; a chefe da Unidade de Ensino e Extensão, Jeane Wechi; e a pedagoga Adriana Derner – passaram uma manhã com as crianças do Lar Recanto do Carinho, uma Organização Não Governamental (ONG) que abriga meninos e meninas.

A equipe da GEP, coordenada pela gerente Rosemeri Maurici da Silva, fez a alegria dos pequenos moradores do Recanto do Carinho, levando livros e material escolar doados para esta ação, e acompanhou um grupo de crianças, juntamente com profissionais do abrigo, numa visita ao Parque Estadual do Rio Vermelho, uma área de proteção ambiental em que as crianças puderam ver os animais resgatados. Em seguida, foram realizados um piquenique, trilha à beira do lago e visita ao Museu do Mar.

A superintendente do hospital, professora Maria de Lourdes Rovaris, que acompanhou a equipe da GEP, disse que o HU-UFSC participou de todas as edições da Ebserh Solidária e destacou que todos saem ganhando com estas ações. “Ganha a sociedade mas também ganham os profissionais do HU, que exercem o papel de realizar ações educativas e levar atendimento de prevenção e promoção da saúde a idosos e crianças”, resumiu.

Na Sociedade Espírita de Recuperação, Trabalho e Educação (Serte), profissionais do HU (a nutricionista Marion Schneider Meireles e a fonoaudióloga Mariana de Toledo Lins) e docentes da UFSC das áreas de Enfermagem (Angela Maria Alvarez e Melissa Orlandi Honório Loks) e Fonoaudiologia (Carolina Rogel de Souza, Maria Isabel de Ávila Freitas e Aline Mara de Oliveira) promoveram uma manhã de treinamento e ação educativa com a equipe da instituição filantrópica, que atende 57 idosos internados em regime de longa permanência, além de 223 crianças de seis meses a seis anos no educandário.

A chefe da Divisão de Enfermagem do HU-UFSC, Silvana Benedet Ofugi Rodrigues, que conduziu o grupo na Serte, ressaltou que este tipo de ação beneficia tanto os usuários e internos das instituições quanto os profissionais envolvidos. “Foi realmente muito prazeroso ter participado do programa Ebserh Solidária; faz parte do nosso compromisso com a sociedade! A sociedade ganha, mas nós é que somos presenteados”, resumiu.

O objetivo do programa Ebserh Solidária é levar atendimento de saúde e humanização para crianças e idosos que vivem em lares e abrigos em todo o país. Esta é a terceira edição do programa, que foi realizada simultaneamente, no dia 20, nas cidades atendidas pelos hospitais universitários federais vinculados à Rede Ebserh.

Em todo o Brasil, a expectativa é de que sejam atendidas em torno de 1,3 mil crianças e 1,7 mil idosos, com a participação de aproximadamente 1,2 mil profissionais dos 40 hospitais vinculado à Rede Ebserh dentre assistenciais e administrativos, além da participação de estudantes e residentes.

O presidente da Rede Ebserh, Kleber Morais, ressaltou o caráter solidário e humanizado da ação. “Essa é a terceira vez que juntamos os esforços de toda a rede em prol das pessoas que mais precisam. E essa edição é especial, pois tivemos a oportunidade não apenas de levar educação e saúde, mas também de levar um abraço, um sorriso e um afago justamente em uma época do ano tão significativa, que é o Natal”.

No ano de 2017, foi instituído o projeto Ebserh Solidária, que se caracteriza pelo como objetivo de levar atendimento em educação e saúde fora do ambiente hospitalar, com ações de prevenção e promoção da saúde. Na primeira edição, ocorrida em novembro de 2017, houve mais de 16 mil atendimentos a populações em situação de vulnerabilidade social, pacientes em espera na fila de regulação, moradores de comunidades com grande distância de centro urbanos, além de creches, asilos, escolas e comunidades diversas.

Na 2ª edição, ocorrida em agosto de 2018, foram realizadas ações educacionais preventivas em saúde, exames, consultas e vacinação na população de venezuelanos que vivem em abrigos em Roraima, sendo realizados mais de 4,6 mil atendimentos na área de clínica médica, pediatria, ginecologia, enfermagem, oftalmologia, odontologia, infectologia e exames de testes rápidos de HIV, sífilis e Hepatite B, e exames de próstata. A ação médico-humanitária se deu em virtude do número crescente de venezuelanos no estado de Roraima, no intuito de minimizar o impacto gerado nos serviços públicos de saúde.

Sinval Paulino / Jornalista do HU / UFSC