17ª Sepex: Sala de Apoio à Amamentação oferece espaço de convivência para mães

19/10/2018 17:29

Para as mães estudantes ou servidoras da UFSC, o distanciamento dos filhos durante o horário das aulas ou expediente de trabalho é uma das dificuldades no período de amamentação. A Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que o aleitamento materno seja preconizado de forma exclusiva até seis meses, e de forma contínua, por dois anos ou mais. Apesar da Universidade oferecer vagas no Núcleo de Desenvolvimento Infantil (NDI), nem todas as mães conseguem o benefício. “Isso afeta, principalmente, as mulheres que moram em locais afastados e precisam interromper a amamentação por algum período por conta da distância”, afirma a enfermeira Bianca Ramos.

A Sala de Apoio à Amamentação (SAAM) faz parte de um projeto da Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades (SAAD) destinada à retirada e à estocagem de leite materno. A sala serve de suporte e apoio para as mães, servidoras e alunas da UFSC, como espaço destinado ao processo de amamentação. A apresentação do espaço foi realizado na 17ª Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFSC (SEPEX), no primeiro andar da Reitoria I, no final do corredor próximo à SAAD.

Até então, a Universidade não possuía um espaço físico voltado ao processo de amamentação. “A gente encontra muitas mulheres fazendo a ordenha (tirando o leite) em banheiros, que não são os lugares mais adequados”, alerta Bianca, sinalizando os riscos da retirada do leite em locais insalubres. O espaço deve ser, também, utilizado como um ambiente de convívio entre mães. Mesmo com o público majoritariamente jovem na SEPEX, muitas mulheres já visitaram o estande e conheceram o projeto.

Após o evento, a Sala de Apoio à Amamentação terá um espaço fixo na UFSC com “estrutura adequada para acolher as nutrizes que porventura desejam amamentar ou realizar a extração do leite e armazená-lo corretamente para que possa levá-lo para casa e oferecê-lo ao bebê ou mesmo doá-lo a um Banco de Leite Humano”, explica a enfermeira.

A sala se encontra em fase de projeto, na procura de um local e compra de materiais permanentes pelo Departamento de Compras. O serviço é pensado na permanência das mulheres e mães na Universidade. Em relação ao número de mães estudantes, a enfermeira comenta que não há como saber a quantidade exata, com exceção das mulheres que pedem no Departamento de Assuntos Estudantis (DAE) o afastamento como estudante, que pode se estender a partir do oitavo mês de gestação até o terceiro mês pós parto.

Mais informações na notícia: 17ª Sepex: dentre os serviços, uma sala de apoio à amamentação

Erick Souza/Estagiário de jornalismo/Agecom/UFSC