Aluna da UFSC recebe prêmio por seu projeto de audiolivros para deficientes visuais

23/08/2018 18:00

Maria de Fátima Medeiros e Silva. Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC

Oito iniciativas de promoção à acessibilidade de pessoas com deficiências físicas ou mentais conquistaram o 16º Prêmio IGK, entregue pelo Instituto Guga Kuerten nesta terça-feira, 21 de agosto, no Teatro Pedro Ivo, em Florianópolis.

A aluna da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Maria de Fátima Medeiros e Silva, que cursa a 5ª fase de Letras Português, venceu na categoria “Inclusão Social” com o projeto “Releituras – Livro Acessível para Todos”.

O prêmio

O “16º Prêmio IGK: A Grande Jogada Social” tem como objetivo dar visibilidade a pessoas e instituições que atuam nessa área. O prêmio simbólico é entregue para iniciativas que sejam executadas em Santa Catarina e que têm a educação e o esporte como forma de integrar as pessoas com deficiência à sociedade.

A premiação foi criada pelo Instituto dois anos após a fundação da entidade. Os valores entregues às iniciativas são simbólicos, mas servem para incentivar pessoas e entidades a criar políticas que possam melhorar a vida das pessoas que têm algum tipo de dificuldade.

O projeto

O Projeto Releituras audiolivros para deficientes visuais visa à realização de gravações de livros de domínio público em forma de rádio novela para posterior disponibilização do material, em formato MP3, para bibliotecas de universidades e escolas públicas e asilos de idosos. O objetivo deste projeto de extensão permanente é a inclusão social e acessibilidade.

O Projeto Releituras é implementado e coordenado pela própria estudante Maria de Fátima Medeiros e Silva.

Os interessados em integrar o projeto de extensão devem se inscrever no formulário disponível na página no Facebook ou pelo e-mail

Mais informações no Facebook.

Tags: AudiolivrosCCEMaria de Fátima Medeiros e SilvaUFSC