Pesquisadora da UFSC Blumenau ganha prêmio em congresso de polímeros

10/11/2021 15:59

A aluna do Programa de Pós-Graduação em Nanociência, Processos e Materiais Avançados (PPGNPMat) da UFSC Blumenau, Pâmela Rosa de Oliveira, teve um trabalho premiado no 16º Congresso Brasileiro de Polímeros, que ocorreu na última semana de outubro. Ela ficou em terceiro lugar na categoria aluno de mestrado com a pesquisa Kaolin nanoclays organically modified with oregano essential oil for active packaging applications (Nanopartículas de argila caulim modificadas organicamente com óleo essencial de orégano para aplicação em embalagem ativa).

A embalagem ativa tem a função de preservar a qualidade do produto e prolongar seu prazo de validade. É denominada assim porque existe uma interação entre a embalagem e o produto. Pâmela explica que, durante a produção de embalagem ativa, os aditivos, como óleos essenciais, são normalmente incorporados diretamente na matriz polimérica em altas temperaturas. “No entanto, esse método apresenta algumas desvantagens, como volatilização do composto ativo durante o processamento, uma liberação rápida durante a aplicação e um mecanismo de ação de curto prazo. Uma forma de minimizar esse problema é o uso de nanopartícula de argila – que apresenta alta área específica, presença de poros e espaçamento basal – como meio de armazenamento do composto ativo”, explica.

A pesquisa teve como objetivo modificar nanopartículas de argila caulim (caulinita e haloisita) com óleo essencial de orégano para aplicação em matrizes poliméricas na produção de embalagens ativas com propriedades antimicrobianas. “Inicialmente, foram realizados dois métodos de modificação, utilizando agitação magnética ou processo de ultrassom. A partir da segunda metodologia, mais quatro condições foram testadas a fim de aumentar a eficiência de incorporação. A eficiência máxima, que foi de 47% para a haloisita e de 43% para a caulinita, foi alcançada por meio de ultrassom e vácuo”, conta a mestranda.

Esta foi a primeira vez que Pâmela conquistou uma premiação em um evento científico. “Fiquei muito lisonjeada. Além de um incentivo para continuação e visibilidade da pesquisa, é também um reconhecimento, que representa um trabalho em conjunto com toda a equipe”, comemora.

Sobre o evento

Congresso Brasileiro de Polímeros (CBPOL), organizado pela Associação Brasileira de Polímeros (ABPol), é um evento bienal que ocorre desde 1991 e que completou 30 anos. A edição de 2021 foi realizada de forma online e teve como tema a cidade de Ouro Preto em Minas Gerais. Com o formato remoto, essa foi a primeira vez que o evento contou com a participação de pesquisadores, estudantes e entidades de outros países.

O CBPOL tem como objetivo apresentar e discutir diversos temas na área de polímeros, divulgando descobertas e os avanços da área. Além da apresentação de trabalhos, a programação do evento também contou com exposições e palestras técnicas de empresas produtoras de polímeros e equipamentos de laboratório.

Serviço de Comunicação UFSC Blumenau

Tags: polímerosProcessos e Materiais Avançados (PPGNPMat)Programa de Pós-Graduação em NanociênciaUFSC Blumenau

SIC 2014: pesquisa estuda parâmetros para melhor rendimento de células solares poliméricas

24/10/2014 13:56
A pesquisa do estudante de Física, Matheus de Mello, foi apresentada pela primeira vez no SIC da UFSC. Foto: Wagner Behr/Agecom/UFSC

A pesquisa do estudante de Física, Matheus de Mello, foi apresentada, pela primeira vez, no 24º SIC da UFSC. Foto: Wagner Behr/Agecom/UFSC

Matheus de Mello, estudante da quarta fase do curso de Física da Universidade Federal de Santa Catarina, abriu as apresentações orais da 24ª edição do Seminário de Iniciação Científica (SIC) da UFSC na última quinta-feira, 23. Orientado pela professora Marta Elisa Rosso Dotto, do Departamento de Física, a pesquisa “Estudo da dinâmica de formação de filmes poliméricos” teve como objetivo analisar características como morfologia, espessura e condutividade elétrica para a elaboração de células solares poliméricas com o melhor desempenho possível.

O estudante analisou os dados coletados no Laboratório de Optoeletrônica Orgânica e Sistemas Ansiotrópicos (LOOSA), espaço que se dedica ao estudo de sistemas orgânicos – como polímeros e cristais líquidos – para sua aplicação em dispositivos que transformam energia captada pela luz solar em energia elétrica.As células solares poliméricas são uma variedade de células fotovoltaicas que produzem eletricidade a partir da luz solar usando polímeros semicondutores – compostos químicos que possuem grande massa molecular e são formados a partir da repetição de pequenas unidades estruturais, os monômeros.
(more…)

Tags: 24ª ediçãofísicaLOOSAMarta Elisa Rosso DottoMatheus de MellopolímerosSIC