Mostra de cinema Grandes Diretores – Manoel de Oliveira exibe ´A Caixa`

28/06/2010 11:34

Acontece nesta terça-feira, dia 29 de junho, no Teatro da UFSC, a exibição do filme A Caixa (1994). A sessão integra a mostra Grandes Diretores – Manoel de Oliveira, premiado diretor português homenageado no Festival de Cinema de Cannes, em 2008.

A mostra na universidade é uma atividade de caráter didático-cultural, realizada pelo Departamento Artístico Cultural da UFSC. A programação iniciou no dia 27 de maio e vai até 30 de novembro, todas as terças-feiras, às 12 horas, seguida ou antecedida de debates. A entrada é gratuita e aberta à comunidade.

A Caixa

O filme se passa num típico bairro de Lisboa. Nesse local vive um cego, que sobrevive das esmolas recolhidas diariamente pelas ruas da cidade. Ainda que as esmolas sejam sua única fonte de renda, ainda são redistribuídas entre uma filha um genro.

Além de se ocupar das tarefas domésticas, a filha engoma roupa para fora. O marido é um marginal desempregado e como, os seus amigos, vive às custas da caixa do cego. Até que um dia a caixa é roubada, tal como havia acontecido tempos atrás. É motivo suficiente para que aconteça um grande conflito, que acaba em tragédia.

Duração: 92 min

Elenco: Luís Miguel Cintra, Beatriz Batarda, Diogo Dória, participação especial de Glicina Quartin e Ruy de Carvalho

Festival de Cannes 1994 – Quinzena dos Realizadores

Serviço:

O QUÊ: Apresentação do filme A Caixa (1994), na Mostra de Cinema Grandes Diretores – Manoel de Oliveira.

QUANDO: Dia 29 de junho, terça-feira, às 12 horas. A mostra acontece até 30 de novembro de 2010, todas as terças-feiras às 12 horas, seguida ou antecedida de eventuais debates.

ONDE: Teatro da UFSC, ao lado da Igrejinha, Praça Santos Dumont, Trindade, Florianópolis-SC.

QUANTO: Gratuito e aberto à comunidade

CONTATO: Departamento Artístico Cultural – DAC (48) 3721-9348 e 3721-9447 ou www.dac.ufsc.br e

Fonte: José Fontenele, Acadêmico de Jornalismo – Departamento Artístico Cultural – DAC: SeCArte: UFSC, com material da mostra.

Teatro da UFSC recebe adaptação da obra de Nelson Rodrigues

28/06/2010 10:46

A peça ´A Vida como ela é…` faz temporada no Teatro da UFSC no mês de julho. O espetáculo reúne cinco histórias que falam de amores e traições, dramas e tragédias de personagens construídos a partir do olhar do dramaturgo carioca Nelson Rodrigues. Exibições a partir de 2 de julho, sextas, sábados e domingos, a partir de 20h30min.

Cada uma das histórias explora uma técnica diferente, como o uso de máscaras, ator-narrador, jogo de sombras e silhuetas, formas animadas (o ator manipulado por outro ator, como se fosse um boneco) e quadros vivos.

A direção é de um dos grandes especialistas na obra de Nelson Rodrigues, Luís Artur Nunes, gaúcho radicado no eixo Rio de Janeiro-São Paulo. Esta é a sétima obra que Nelson que dirige. São convidados especiais para esta montagem o iluminador Luiz Carlos Nem (do Rio), o figurinista Luiz Fernando Pereira (São Paulo) e o cenógrafo Fernando Marés. José Ronaldo Faleiro faz a assistência de direção.

“Ainda hoje é fascinante o universo imaginário, e extremamente brasileiro, que Nelson Rodrigues resgata em suas histórias, originalmente escritas como crônicas em jornais diários, mas que têm estruturas de verdadeiros contos. Ele põe o dedo na ferida, nas mazelas da sociedade, com uma imensa teatralidade, criando essas tragédias realistas com uma camada de ironia, verdadeiras tragicomédias”, avalia Luís Artur Nunes.

No elenco estão Ana Paula Possapp, Berna Sant’Anna, Leon De Paula, Mariana Cândido, Nazareno Pereira, Sérgio P. Cândido e Valdir Silva. Na produção geral, Júlio Maurício e Nazareno Pereira.

Ingressos: R$ 30 e R$ 15 (meia). Descontos para Clube do Assinante/DC: 20%. Recomendado para maiores de 15 anos.

Patrocínio: Edital Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura Apoio Cultural: Café Central/ Caixa Econômica Federal/ Fibratur/ Fratelanza/Fundação Franklin Cascaes/ Hotel Cecomtur/ Instaladora Santa Rita/ Mirantes/ Museu da Escola Catarinense/ Lojas Planetta

Serviço:

O QUÊ: Peça A Vida como ela é…

QUANDO: Toda sexta, sábado e domingo de julho, a partir do dia 2, às 20h30min.

ONDE: Teatro da UFSC, Praça Santos Dumont, em Florianópolis.

QUANTO: R$ 30 e R$ 15 (meia). Descontos para Clube do Assinante/DC: 20%.

CONTATO: Grupo: ou (48) 9917-6161, no Teatro da UFSC (48) 3721-9348 e 3721-9447. Visite www.dac.ufsc.br.

Fonte: José Fontenele – Acadêmico de Jornalismo, Departamento Artístico Cultural – DAC: SeCArte: UFSC, com material do grupo.

Próxima edição do Festival Internacional de Teatro de Animação terá como tema a máscara no teatro

28/06/2010 09:45

As organizadoras: Sassá Moretti e Zélia Sabino

As organizadoras: Sassá Moretti e Zélia Sabino

Ao final do 4º Festival Internacional de Teatro de Animação, o FITA, na noite de domingo, 27/06, no Centro de Cultura e Eventos, a organização lançou uma proposta para 2011. Sassá Moretti e Zélia Sabino, organizadoras do festival, planejam o 5º FITA com a temática da máscara no teatro, abordando a máscara neutra, a máscara de personagem e máscara de comedia dell’arte.

Segundo Sassá Moretti, coordenadora geral do FITA e professora do Curso de Artes Cênicas da Universidade Federal de Santa Catarina, não trata-se de um fechamento do festival em torno de uma linguagem, mas uma valorização de um tema a cada edição. O objetivo é oferecer para estudantes de teatro e espectadores uma oportunidade de aprofundamento em máscaras, com a participação em palestras, oficinas e espetáculos específicos em torno do assunto.

“É claro que o teatro de sombra, teatro de bonecos e objetos, e mesmo o teatro de máscaras, que são a essência do FITA, vão continuar como pilares principais”, diz Sassá. Para a 5ª edição, está sendo planejada a vinda de um professor da L’École Internacionale de Théâtre Jacques Lecoq, da França, para ministrar uma oficina de máscara neutra. Já a Cia Viaje Inmóvil, que participa da edição deste ano, com a peça El Ultimo Heredero, deverá retornar em 2011 com Gulliver. E de Minas Gerais, a organização pretende trazer a montagem Pinóquio, do grupo mineiro Giramundo.

Em relação à edição de 2010, o balanço final é positivo. Mas mesmo o FITA sendo um festival consolidado, a busca de patrocinadores ainda é uma dificuldade enfrentada a cada edição, especialmente em 2010. Ainda assim, o festival ampliou seu público de 30 mil para 36 mil. Parte deste crescimento deve-se também à realização do festival em outras cidades. Além de Florianópolis, Joinville e Criciúma foram contempladas com três espetáculos. “A nossa intenção é levar o FITA para pelo menos mais uma cidade em 2011”, diz Zélia.

Dos 36 mil espectadores da edição de 2010, 22 mil são crianças e adolescentes de escolas públicas e particulares. Para escolas públicas, o ingresso foi gratuito. Outra meta estabelecida pela organização para o ano que vem é levar espetáculos para bairros de Florianópolis e ampliar as apresentações na Arena do Centro de Artes da Udesc e na Concha Acústica da UFSC, que atraíram um bom público.

CONTATO

Victor da Rosa (48) 9918-7626

Fifo Lima (48) 9146-0251

Imprensa

Mostra ´Franklin Cascaes: desenhos e esculturas` será aberta no dia 10 de julho

28/06/2010 09:03

O público novamente terá à disposição uma grande mostra com obras originais de Franklin Cascaes. Trata-se da exposição ´Franklin Cascaes: desenhos e esculturas`, com abertura programada para o dia 10 de julho, às 11h, no Palácio Cruz e Souza. A proposta da curadoria, assinada por Fernando Lindote, é dar continuidade ao processo de releitura do artista, iniciado por ocasião do Centenário de Franklin Cascaes, comemorado nos anos de 2008 e 2009.

A exposição apresentará 29 desenhos e quatro conjuntos de esculturas feitas com argila não cozida, todas pertencentes ao acervo do Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral, que estarão dispostas ao longo das salas de exposição temporária do Palácio Cruz e Souza.

O objetivo de Lindote, artista contemporâneo e curador da mostra, é fazer com que a obra de Cascaes se sustente por ela mesma, por sua originalidade e estética. “O personagem do Franklin é muito espesso e público, fazendo com que seja mais conhecido como pessoa do que com seu trabalho no desenho e na escultura. Nossa intenção é fazer o público olhar Cascaes de novo e de um ângulo diferente”, explica.

´Franklin Cascaes: desenhos e esculturas` contará com uma intensa agenda cultural. O projeto ´Paralelo Cascaes` convidará os artistas contemporâneos Diego de los Campos, Maíra Dietrich e Diego Rayck a participar da exposição com trabalhos que dialoguem com a poética de Cascaes em diversos ambientes do Palácio Cruz e Sousa.

O lançamento do catálogo da mostra, que contará com texto especialmente redigido para a exposição por Raul Antelo, será acompanhado pelo ´Colóquio Cascaes`, que reunirá pesquisadores de renome em torno da obra do artista. O projeto ´Itinerários da Exposição` proporá a escritura de ensaios com impressões sobre a exposição. Já a mostra ´Cine Cascaes`, com curadoria de Alan Langdon, apresentará uma seleção inusitada de filmes que tangenciem o universo do artista. A programação está disponível no site www.exatosegundo.com.br/franklin-cascaes

A visita à exposição é gratuita e poderá ser realizada até o dia 29 de agosto, facilitadas por mediadores capacitados. O projeto é uma realização da Associação dos Amigos do Museu Universitário Professor Oswaldo Rodrigues Cabral (AMU), da Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e do Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC), com patrocínio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e da Carbocloro. A produção é da Exato Segundo Produções Artísticas. O apoio é da Fundação Franklin Cascaes e Rádio CBN Diário.

Serviço:

O QUÊ: Exposição ´Franklin Cascaes: desenhos e esculturas`, com curadoria de Fernando Lindote.

ONDE: Museu Histórico de Santa Catarina | Palácio Cruz e Souza | Praça XV de Novembro, 227, Centro | Florianópolis | Santa Catarina | Brasil.

ABERTURA: 10 de julho de 2010, 11h, sábado.

QUANDO: de 10 de julho a 29 de agosto de 2010, terça-feira à sexta-feira, das 10h às 18h; sábados e domingos, das 10h às 16h.

QUANTO: Entrada franca.

SITE OFICIAL: www.exatosegundo.com.br/franklin-cascaes.

TWITTER: www.twitter.com/Expo_Cascaes.

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA:

Departamento de Projetos de Extensão recebe propostas para seminário da Região Sul

28/06/2010 08:39

O Departamento de Projetos de Extensão da UFSC está recebendo propostas de ações de extensão a serem apresentadas no 28° Seminário de Extensão Universitária da Região Sul (SEURS). O evento será realizado de 8 a 10 de setembro, na Udesc, em Florianópolis.

De acordo com as regras do seminário, serão selecionados, por universidade participante, até 10 oficinas, 10 pôsteres estendidos (apresentação oral) ou pôsteres convencionais (apresentação em banner) e cinco vídeos-relatos de ações realizadas ou em desenvolvimento.

As propostas devem ser encaminhadas ao DPE/UFSC por meio de

memorando de uma página contendo:

1) Título da ação;

2) Nome do coordenador;

3) Número de registro no SIRAEx;

3) Tipo de apresentação

( ) Oficina

( ) Pôster estendido

( ) Pôster convencional

( ) Vídeo-relato

4) Resumo (500 caracteres);

5) Público-alvo.

Dependendo do número de propostas encaminhadas, poderá haver uma seleção de projetos por comissões designadas nas Unidades de Ensino.

Fonte: Departamento de Projetos de Extensão / (48) 3721-8305 ou

Oficinas de arte têm inscrições abertas até sexta-feira, dia 2 de julho

25/06/2010 19:12

O Departamento Artístico Cultural (DAC) está oferecendo oficinas de arte gratuitas. As inscrições terminam nesta sexta-feira, dia 2 de julho, ou no dia da realização da oficina, se houver vagas.

As oficinas, com 22 vagas cada, têm o objetivo de formar alunos que também possam fazer trabalhos artísticos, por isso se constituem em ensinamentos sobre processos de composições artísticas.

As opções oferecidas são: Aquarela, ministrada por Christophe Spoto, que propõe retratar espaços urbanos com desenho; oficina de construção de imagens, observação e fotografias, ministrada por Julia Carmona Duval; ´Fluxos Urbanos`, ministrada por Lucila Meirelles, em que serão ensinadas as técnicas para composição de vídeo e criação de poesias visuais urbanas pelos alunos e oficina ´A Imagem Contemporânea`, ministrada por Regina Carmona. Os ministrantes participarão ainda da exposição ´Circulando em outras dimensões`, que acontece no Hall da Reitoria da UFSC, de 5 a 23 de julho.

Oficina “Fluxos Urbanos”, ministrada por Lucila Meirelles

Dia 5 de julho, segunda-feira, das 13h às 18h

Essa oficina propõe a construção de um roteiro e gravação de imagens sobre as paisagens, as intervenções e os fluxos urbanos. Serão criadas poéticas visuais. Pequenas crônicas sobre a cidade. Os participantes vão obter conhecimentos técnicos e práticos sobre enquadramentos, planos, iluminação, locações, direção e arte. Haverá exibição de vídeos comentados. A proposta é criar vídeos, poéticas urbanas de um minuto.

Sobre a ministrante:

Lucila Meirelles é videoartista, mestranda em poéticas visuais, diretora de vídeo e TV, roteirista, curadora de projetos culturais. Como autora de vídeos ganhou prêmios nacionais e participou de mostras internacionais como The Kitchen (Nova York), The Black Aestesis (Washington), Berkley Art Museum (Berkley) etc. Há 15 anos é docente de oficinas de roteiro e de direção de vídeo e TV, em museus, escolas, instituições como Senac, Sesc SP, prefeituras, casas de cultura, centros e fundações culturais.

Oficina A Imagem Contemporânea, ministrada por Regina Carmona

Dia 5 de julho, segunda-feira, das 13h às 18h

Construção da imagem através da observação do entorno, do espaço urbano, da paisagem e interação na cidade. Livre criação através do desenho, cor e multimeios. Oficina interna para trabalhar as imagens colhidas em desenho livre pelo local, das pessoas, nas ruas para a construção da imagem da linguagem em meios mistos.

Material necessário:

Trazer caderninho de registro e desenho para esboços, material de desenho pessoal, câmera ou celular.

Sobre a ministrante:

Regina Carmona é artista plástica, mestre em poéticas visuais, curadora e coordenadora de projetos de arte. Destaque na arte contemporânea brasileira, participou de importantes mostras, exposições, residências de arte, pesquisa e projetos especiais no Brasil e em diversos países. Docente em desenho e objeto, coordena workshops, oficinas e projetos de arte junto a museus, escolas, instituições como USP, FAAP, Senac, Sesc SP, Unesco, prefeituras, casas de cultura, centros e fundações culturais.

Oficina de Aquarela, ministrada por Christophe Spoto

Dia 6 de julho, terça-feira, das 13h às 18h

Abrir novos horizontes de técnica e poética de pintura para o desenvolvimento da arte contemporânea é o objetivo da “Oficina de Fabricação e Uso de Aquarelas”, ministrada por Christophe Spoto dentro do projeto “A Imagem Contemporânea” com a curadoria de Regina Carmona.

Propõe a construção da imagem através da observação, do espaço urbano e da paisagem da cidade, uma livre criação através do desenho, cor e multimeios.

Apresenta teorias fundamentais de técnicas históricas de pintura, com a utilização de goma-laca e pigmentos naturais (como terras amarelas, verdes, vermelhas e marrons) para a fabricação das tintas pelos próprios alunos, como uma das experiências práticas para a compreensão de princípios históricos da arte da pintura.

Utiliza técnicas com características específicas de saturação, relação de contrastes e exuberância natural dos valores cromáticos e de corpo específicos do caráter de cada pigmento e respectivos grupos.

Será uma oficina teórica e prática para a fabricação e uso de aquarelas pelos alunos. Iniciando em uma sala de aula com a teoria e a fabricação de tintas, e continuando os trabalhos ao ar livre em alguma praça ou jardim. Os alunos observarão a paisagem urbana e produzirão obras dentro das propostas artísticas individuais, com o acompanhamento técnico do professor.

Material necessário:

. papel branco para aquarelas – blocos A3;

. lápis de desenho, lápis 6B;

. borrachas verdes pequenas;

. apontadores pequenos para lápis;

. pincéis médios redondos, de pelo de boi tamanho 14; 18,

.1 litro de água destilada (à venda em farmácias);

. folhas de papel sulfite (para anotações);

. copos de café descartáveis (para o transporte de água e aquarelas pelos alunos);

. 1 rolo pequeno de filme de PVC (para o transporte de água e aquarelas pelos alunos);

. os que desejarem poderão levar câmeras fotográficas e filmadoras para registrar o processo de trabalho e de pesquisa do ambiente urbano.

Sobre o ministrante:

Christophe Quirino Spoto, estudou na Itália na Accademia di Belle Arti di Carrara de 1986 a 1990, onde se formou em pintura. Em 2008 participou da exposição “Poéticas da Natureza”, no Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (MAC-USP). Em seu currículo tem diversas exposições, individuais e coletivas, no Brasil, Itália e Portugal.

Atualmente pesquisa materiais clássicos de pintura e a perspectiva como possibilidades de desenvolvimento da arte contemporânea, através da representação do mundo atual ao seu redor, e ministra oficina no Sesc de Santos (SP) sobre técnicas históricas de pintura e suas possibilidades de uso na arte contemporânea, em Santos – SP, dentro do curso “Construção da Imagem Contemporânea” sob a coordenação de Regina Carmona.

Oficina de Construção de imagens, observação e fotográficas, ministrada por Julia Carmona Duval

Dia 6 de julho, terça-feira, das 13h às 18h

Construção da imagem através da observação, do espaço urbano, da paisagem e da interferência humana na cidade. Caminhadas fotográficas e livre criação através da fotografia digital e impresso digital multimeios. Oficina interna para trabalhar as imagens colhidas em saídas fotográficas pelo local, ao entorno, nas ruas, construção da imagem.

Material necessário: Trazer caderninho para registro das jornadas e /ou esboços, câmera digital, cabos da câmera e acessórios pessoais.

Sobre a ministrante:

Jornalista por formação, Júlia Carmona se dedica à arte por meio da fotografia e da criação gráfica. Viagens nacionais e internacionais, pessoas, paisagens, culturas, luzes e movimentos são os elementos utilizados em seu trabalho artístico.

Possui doze anos de atuação em marketing institucional e comunicação, com experiência em edição, planejamento, design gráfico e execução de veículos para públicos diversos. Atende a comunidades, gerencia projetos e coordena equipes de produção.

SERVIÇO:

O QUÊ: Inscrições para Oficinas de Artes Visuais Contemporâneas no DAC.

QUANDO: Abertas as inscrições de segunda, 28 de junho, a sexta-feira, 2 de julho, das 11h às 17h. Ou até o dia da realização da oficina, se houver vagas. As oficinas acontecem dias 5 e 6 de julho.

ONDE: Teatro da UFSC, Praça Santos Dumont, em Florianópolis.

QUANTO: Gratuito, aberto à comunidade.

CONTATO: (48) 3721-9348 ou 3721-9447 ou www.dac.ufsc.br.

Fonte: José Fontenele – Acadêmico de Jornalismo, Departamento Artístico Cultural – DAC: SECARTE: UFSC, com material dos organizadores.

UFSC reforça horários especiais em função dos jogos da Copa

25/06/2010 18:08

A Administração da UFSC reforça a divulgação dos horários de expediente durante os jogos da Copa. De acordo com a portaria n° 491, publicada no Diário Oficial da União, o expediente da Universidade, nos dias em que o Brasil joga às 15h30, será encerrado às 14h, retornando às aulas e ao trabalho apenas os que têm atividades no período noturno.

Já nos dias em que os jogos começarem às 11h, funcionários, professores e estudantes deverão interromper suas atividades às 10h30 e recomeçá-las às 14h30.

Leia a íntegra da portaria:

Secretaria Executiva

Portaria nº 491, de 7 de junho de 2010

O Secretário Executivo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, no uso de suas atribuições, com vistas a possibilitar que os servidores públicos federais acompanhem a transmissão dos jogos da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo FIFA 2010, resolve:

Art. 1º Estabelecer, em caráter excepcional, os horários de expediente dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional, nos dias de jogos da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo FIFA 2010, de acordo com as seguintes regras:

I – nos dias em que os jogos se realizarem às 15:30 (horário de Brasília), o expediente encerrar-se-á às 14:00;

II – nos dias em que os jogos se realizarem às 11:00 (horário de Brasília), o expediente será interrompido às 10:30 e recomeçará às 14:30.

§ 1º O disposto no caput não se aplica nos casos de serviços essenciais de natureza contínua.

§ 2º As horas não trabalhadas deverão ser objeto de compensação na forma do disposto no inciso II do art. 44 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990.

Art. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.

João Bernardo de Azevedo Bringel

DOU 8/05/2010, seção I, pág. 64

`Era uma vez no Pântano dos Gatos` será encenada no Teatro da UFSC

25/06/2010 17:09

A próxima semana se inicia com apresentação da peça ´Era uma vez no Pântano dos Gatos`, no Teatro da UFSC. As sessões estão programadas para os dias 28 e 29 de junho, às 20h30. A peça é encenada pela Oficina Permanente de Teatro (OPT), do Departamento Artístico Cultural (DAC) da UFSC. As sessões são gratuitas e abertas à comunidade, e os convites devem ser retirados junto ao DAC.

A concepção da direção ambientou a peça num clima que evoca um pântano, usando vários recursos cenográficos, como iluminação indireta do meio do público, clima com efeitos de neblina entre plateia e palco e figurino estilo vintage, além de vídeos e de coro que realiza a sonoplastia ao vivo.

O inusitado do trabalho cênico está no fato de que a partir do corpo e da voz dos atores são recriados sons da natureza, ao mesmo tempo em que os corpos adquirem texturas cenográficas da natureza vegetal, encontrada nos pântanos.

Todo trabalho vocal está a cargo da Professora de Técnica Vocal da OPT, a música e compositora do grupo Cravo da Terra, Ive Luna. O trabalho corporal é coordenado pela atriz e bailarina Mariana Lapolli, que recém interpretou a personagem Irmã Celeste, filha de Galileu Galilei, na peça ´As Luas de Galileu Galilei`.

O Texto

O terceiro de uma Trilogia de Marina Carr aborda a temática de uma mulher, Ester Cisnéia, de origem cigana, que vive num pântano no momento em que seu ex- companheiro, Cartageno, a abandona e está se casando com uma noiva mais jovem e rica, Carolina, filha do proprietário das terras adjacentes ao pântano, Xavier Cassidy.

Ester Cisnéia vive à margem de todos os afetos, reproduzindo o clima trágico de Medéia, embora o texto contemporâneo traga elementos do realismo fantástico, mesclados de personagens com distúrbios de personalidade, como a sogra Mattanora, que vai ao casamento do filho Cartageno vestida de noiva.

A autora, em sua primeira fase, seguiu a linha do teatro de Samuel Beckett, do Teatro do Absurdo, mas foi na linha do Realismo Fantástico que obteve pleno êxito com sua dramaturgia.

O Tradutor e a Direção

Todo processo está sendo registrado em fitas cassetes, vídeos e fotografias. O texto dos atores e atrizes e o da direção servirão de subsídios à tese de doutorado de Alinne Fernandes na Queen´s University Belfast, Santander Universities Network. A pesquisa de Alinne, que já foi aluna de teatro da OPT, versa sobre o tema ´O Tradutor e a Direção`.

A direção é de Carmem Fossari, natural de Florianópolis. Mestre em Literatura Brasileira pela UFSC, com opção em Teatro, a diretora de espetáculos DAC coordena e ministra a OPT, além de ter fundado e de dirigir o Grupo Pesquisa Teatro Novo.

SERVIÇO:

O QUÊ: peça ´Era uma vez no Pântano Dos Gatos`, de Marina Carr.

QUANDO: Segunda e terça-feira, 28 e 29 de junho, às 20h30.

ONDE: Teatro da UFSC, Praça Santos Dumont, em Florianópolis.

QUANTO: Gratuito, aberto à comunidade, mediante convite retirado no DAC.

CONTATO: (48) 3721-9348 ou 3721-9447 e www.dac.ufsc.br.

Fonte: José Fontenele – Acadêmico de Jornalismo, Departamento Artístico Cultural – DAC: SECARTE: UFSC, com material do grupo.

Mostra ambiental traz o Maciço do Morro da Cruz à universidade

25/06/2010 12:06

A Universidade Federal de Santa catarina (UFSC) vai receber pela primeira vez, entre os dias 30 de junho e 2 de julho, no Hall da Reitoria, a Mostra Ambiental das Escolas do Maciço do Morro da Cruz. O evento está na sua sexta edição e vai contar com 40 trabalhos de alunos e professores das escolas públicas da região. Neste ano serão abordados os problemas da ocupação urbana desordenada da área – formada por morros onde ainda há Mata Atlântica -.

A organização é da Comissão de Educação do Fórum do Maciço do Morro da Cruz em parceria com o Núcleo de Estudos e Pesquisa “Educação e Sociedade Contemporânea”, do Centro de Ciências da Educação (CED). O fórum é um movimento social que também reivindica melhorias na segurança e nas habitações. Ele foi formado nos anos 1990 pela reunião de Conselhos Comunitários.

A mostra começa no dia 30, às 8h, no auditório da Reitoria, com o Seminário de Socialização das Experiências de Estágio, no qual os alunos de Educação Física da universidade vão compartilhar suas experiências dentro das escolas do Maciço. “Eles farão um relato da investigação sobre a realidade educacional e da prática pedagógica realizada no âmbito dos colégios”, explica a professora Luciana Marcassa, do Departamento de Metodologia de Ensino (MED), que participa da Comissão de Educação do fórum. A visitação começa às 14h do dia 30. Nos outros dias, os trabalhos ficarão expostos das 8h às 18h.

Também está programada para o dia 30, às 19h, no auditório da Reitoria, a mesa-redonda “Os projetos da UFSC no Maciço do Morro da Cruz”, que pretende reunir grupos de pesquisa, laboratórios e núcleos que desenvolvem ou já desenvolveram projetos de extensão na área. O objetivo deste encontro é debater os problemas do Maciço a partir de uma visão multidisciplinar e discutir a possibilidade de integrar todos esses projetos, de forma a institucionalizar a ação da universidade dentro dessas comunidades. Os convidados vêm de campos como a Arquitetura, a Educação Física – através do Grupo de Estudos sobre Cultura Popular e de Movimento (GECUPEM) –, a Geografia e o Serviço Social.

O mais novo projeto “Formação Continuada de Professores do Fórum do Maciço do Morro da Cruz” foi um dos cinco trabalhos da UFSC contemplados, em junho, pelo Programa de Extensão Universitário do Ministério da Educação (Proext). Coordenado pela professora Luciana Marcassa, tem o objetivo de capacitar os professores para lidar com os problemas da comunidade que se refletem na sala de aula.

Mais informações com a professora Luciana Marcassa pelo telefone (48) 3721-2216 ou pelo e-mail

Por Ingrid Fagundez/bolsista de Jornalismo na Agecom

Jornada de Gênero, Teatro e Cinema exibe Dr. Mesmer

25/06/2010 10:53

Com o objetivo de discutir questões de gênero por meio da análise de obras teatrais e cinematográficas, nesta sexta-feira, dia 25, será realizada mais uma edição da Jornada de Gênero, Teatro e Cinema. O filme Dr. Mesmer será exibido às 19h, na Fundação Cultural BADESC. Como debatedora, a psicanalista Laureci Nunes, membro da Escola Brasileira de Psicanálise (EBP) e da Associação Mundial de Psicanálise.

`Dr. Mesmer, o feiticeiro` (Mesmer, Alemanha, 1994), de Roger Spottiswoode, é inspirado na biografia do médico vienense Dr. Anton Mesmer. Para alguns ele é capaz de realizar milagres, para outros apenas um charlatão, que utilizava métodos pouco ortodoxos, como a hipnose, na cura de seus pacientes, a maioria mulheres.

A Jornada de Gênero, Teatro e Cinema, gratuita, é realizada mensalmente e ligada à pesquisa ‘Poéticas Feministas’, da linha Linguagens Cênicas, Corpo e Subjetividade do Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas da UDESC. A cada sessão um convidado discute a obra apresentada, por meio da perspectiva dos estudos de gênero. O evento tem como objetivos promover a experiência estética com obras de vanguarda pouco difundidas nos meios de comunicação habituais, divulgar a pesquisa universitária na comunidade, e receber desta mesma comunidade suas impressões sobre temas que alimentam a pesquisa acadêmica.

O evento é promovido pelo Grupo de Estudos Teatro e Gênero – Projeto Pesquisa Poéticas Feministas, coordenado pela professora Maria Brígida de Miranda (CEART/UDESC), que também faz parte da organização junto às professoras Fátima Costa de Lima (CEART-UDESC/CIN-Unisul) e Janaina Träsel Martins (CCE-UFSC).

A Fundação Cultural BADESC fica na Rua Visconde de Ouro Preto, 216, Centro, Florianópolis.

Informações pelo telefone (48) 3224-8846 ou pelos e-mails e

Obra de Miguel Vale de Almeida é tema de evento do Núcleo de Identidade de Gênero e Subjetividades

25/06/2010 09:59

O Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS) promove no dia 28 de junho, segunda-feira, mais uma edição das Jornadas NIGS, com foco na obra do autor português Miguel Vale de Almeida. O evento acontece no miniauditório do CFH, das 8h30min às 19h.

Durante o evento, a obra de Almeida será dividida e vai contemplar os temas principais do pensamento do autor: Masculinidades, Homossexualidade e Homoparentalidade, Corpo e Corporalidades, Teoria Pós-Colonial e Questões Étnico-Raciais, Colonialismo e Multiculturalismo, Teoria Antropológica e Gênero e Sexualidade.

As Jornadas acontecem anualmente, reunindo pesquisadores do NIGS e convidados em torno de um tema ou da obra de algum autor. Vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e ao Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC, desde 1992, o NIGS organiza e promove seminários de estudo.

Todos os encontros promovidos pelo Núcleo têm como objetivo fundamental discutir questões relacionadas aos estudos de gênero e sexualidades, tomando como base, sobretudo, a produção de autores clássicos e contemporâneos de grande relevância.

As inscrições podem ser feitas através de www.nigs.ufsc.br.

Mais informações pelo telefone (48) 3721-9890 ou pelo e-mail

Por Gabriella Bridi/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Inscrições para Mestrado Profissional em Administração Universitária terminam dia 30

25/06/2010 09:55

O Programa de Pós-Graduação em Administração Universitária (PPGAU) da UFSC inicia suas atividades no segundo semestre de 2010, com o oferecimento do Mestrado Profissional em Administração Universitária. Vinculado ao Centro Sócio-Econômico e ao Departamento de Ciências da Administração, o programa é desenvolvido em parceria com a Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (PRDHS).

As inscrições devem ser feitas até 30 de junho. São 25 vagas e podem se inscrever para o processo seletivo brasileiros ou estrangeiros residentes no país, que possuam diploma de curso superior. As linhas de pesquisa são ´Universidade e Sociedade` e ´Gestão Acadêmica e Administrativa`. As aulas iniciam no dia 9 de agosto.

Mais informações no site www.ppgau.ufsc.br, ou pelo telefone (48) 3721-6525.

Evento discute situação das doenças tropicais e controle das epidemias no Brasil

25/06/2010 09:53

Panorama da Influenza H1N1 no Sul do Brasil; situação da dengue em Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná; expansão das leishmanioses no Sul do Brasil; coinfecções HIV/hepatites, doenças do viajante. Estes são alguns dos temas que serão debatidos no II Encontro Catarinense de Medicina Tropical Joaquim Alves Ferreira Neto. O evento marca também os 100 anos da descoberta da doença de Chagas e será realizado no Hotel Cambirela, em Florianópolis, no período de 11 a 13 de agosto. As inscrições estão abertas.

Os temas da programação foram propostos em conjunto por pesquisadores e administradores da área de saúde, levando em conta a importância e atualidade regional. O evento vai reunir especialistas nas áreas de medicina tropical e gestão em saúde, gestores estaduais e municipais, estudantes de graduação e de pós-graduação.

A promoção é da Regional de Santa Catarina da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical e da Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina, com apoio da UFSC, SUS e Secretaria de Estado da Saúde de Santa Catarina.

Mais informações: http://www.proto.ufsc.br/sbmt/index.htm / e-mail:

Na UFSC: Laboratório de Protozoologia / fone (48) 3721-5164

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

<programação:

quarta-feira / 11/08

13h30min– Redes de Pesquisa em Doenças Tropicais no Sul do Brasil

Sociedade Brasileira de Medicina

19h30min: Conferência 1

Papel da Pesquisa e do Ensino da Medicina Tropical nos Desafios para o

Controle e Diagnose de Doenças Endêmicas


Palestrante: Pedro Tauil (UNB/DF)

Moderador: Bruno Rodolfo Schlemper Jr (UNOESC/DIVE/SES/SC)

quinta-feira / 12/08

8h30min Conferência 2

Políticas Governamentais para o Controle de Endemias/Epidemias

Palestrante: Eduardo Hage (SVS/MS/DF)

Moderador: Edmundo Carlos Grisard

10h Mesa-Redonda 1

História das Doenças Tropicais no Sul do Brasil

Doença de Chagas – Dr. Mário Steindel (UFSC/SC)

Malária – Dr. Pedro Tauil (UNB/DF)

Filariose Linfática – Dr. Bruno R. Schlemper Jr. (UNOESC/DIVE/SES/SC)

Esquistossomose – Dra. Marília Siriani de Almeida (FIOCRUZ/UFSC/SC)

Coordenador: Dr. Nelson Grisard (UFSC/SC)

10h Mesa-Redonda 2

Doenças Tropicais e Meio Ambiente

Alterações Ambientais e Doenças Tropicais – Fernando de Ávila Pires

(UFSC/SC)

Hantavirose – Sonia Mara Raboni (ICC/PR)

Leptospirose – Oswaldo Vitorino de Oliveira (UFSC/SC)

Febre Amarela – Alessandro Pecego (SVS/MS)

Coordenador: Alcides Milton da Silva (UFSC/SC)

14h15 Mesa-Redonda 3

Dengue na Região Sul do Brasil: Padrão Epidemiológico, Diagnóstico e

Perspectivas de Controle Vetorial


Diagnóstico Laboratorial da Dengue – Juliano Bordignon (ICC/PR)

Situação da Dengue em Santa Catarina – Suzana Zeccer (DIVE/SES/SC)

Panorama da Dengue no Estado do Rio Grande do Sul – Laura Londero Cruz,

(CVS/SES/RS)

Epidemiologia da Dengue no Estado do Paraná – José Lúcio dos Santos

(SVS/PR)

Coordenador: Alex Onacli Moreira Fabrin (CCZ/FLN)

14h15 Mesa-Redonda 4

Acidentes por Animais Peçonhentos

Experiência do SES Paraná no controle de escorpiões – Emanuel Marques

da Silva (SES/CIT/PR)

Aspectos clínico-epidemiológicos e tratamento de acidentes causados pela

aranha marron – Marlene Entres (HC/PR)

Papel dos Centros de Informação Toxicológica no suporte ao diagnóstico e

tratamento dos acidentes por animais peçonhentos – Dra. Marlene Zannin

(CIT/UFSC/SC)

Aspectos clínico-epidemiológicos e tratamento do acidente Botrópico – Maria da

Graça Bolsinha Marques (CVS/CIT/RS)

Coordenador: Margarete Grando (DVS/SES/SC)

17h Conferência 3

Panorama da Pandemia de Influenza H1N1 no Sul do Brasil

Palestrante: Luis Antônio da Silva (DIVE/SES/SC)

Moderador: Dr. André Bafica (UFSC/SC)

Sexta-feira – 13/0

8h30min Conferência 4

Doenças do Viajante: Regulamento Sanitário Internacional

Palestrante: Maria Aparecida Shikanai-Yasuda (USP/SP Presidente da SBMT)

Moderador: Dr. Fernando Dias de Ávila Pires (FIOCRUZ/UFSC/SC)

10h Mesa-Redonda 5

Expansão das Leishmanioses no Sul do Brasil: Vetores, Epidemiologia,

Diagnóstico e Controle


Aspectos Epidemiológicos da LTA em Santa Catarina – Maria Ernestina

Makowieck (DIVE/SES/SC)

Coinfecção HIV/Leishmania Clínica, Diagnóstico e Tratamento – Marise

da Silva Mattos (HNR-SC/FIOCRUZ-RJ)

Leishmaniose Visceral no Rio Grande do Sul – Dr. Celso dos Anjos

(CVS/SES/RS)

Situação Epidemiológica da LTA no Paraná – Enéas Cordeiro de Souza Filho

(SES/PR)

Coordenador: Eida Maria França (DIVE/SES/SC)

10h Mesa-Redonda 6

Zoonoses Emergentes e Re-emergentes: Epidemiologia, Diagnóstico,

Tratamento e Controle


Cenário atual do complexo teníase/cisticercose e a notificação obrigatória no

Paraná – Natal Jataí de Camargo (SES/PR)

Condutas diagnósticas e terapêuticas da epilepsia na NCC – Paulo T.

Bittencourt (HU/UFSC/SC)

Epidemiologia e diagnóstico da Hidatidose na Região Sul do Brasil – Arnaldo

Zaha (UFRGS/RS)

Situação Epidemiológica e Controle da Raiva no Sul do Brasil. Alda Rodolfo da

Silva (DIVE/SES/SC)

Coordenador: Suzana Zeccer (DIVE/SES/SC)

14h15min Mesa-Redonda 7

Coinfecções HIV/Hepatites: Epidemiologia, Tratamento e Perspectiva Vacinal

Situação Epidemiológica e Tratamento atual do HIV/AIDS – Dr. Luis Gustavo

Escada Ferreira (HRSJ/SC)

Perspectivas de vacina para o HIV – Dirceu Grecco (UFMG/MG)

Situação epidemiológica das hepatites no Sul do Brasil – Rosalie Knoll

(UNIVALI/SMS/Itajaí/SC)

Acesso ao Diagnóstico e Tratamento das Hepatites virais – Fábio Gaudenzi

(DIVE/HNR)

Coordenador: Aguinaldo Roberto Pinto (UFSC/SC)

14h15 Mesa-Redonda 8

Tuberculose e outras micobacterioses de importância médica: Diagnóstico,

Resistência e Tratamento


Panorama da Tuberculose no Brasil – Draurio Barreira (SVS/MS)

Perspectiva da Tuberculose Multi-Resistente – Sérgio Mendonça

(DIVE/SES/FURB)

Micobactérias não Tuberculosas na Região Sul do Brasil – Maria Luiza

Bazzo (UFSC/SC)

Pesquisa da Tuberculose em Santa Catarina – André Báfica (UFSC/SC)

Coordenador: Elma Fiord da Cruz (DIVE/SES/SC)

17 Conferência de Encerramento

Biotecnologia em Saúde: impacto no controle das doenças tropicais

Palestrante: Samuel Goldenberg (ICC/PR)

Mediador: Álvaro José Romanha

Companhias do Chile e da Alemanha se apresentam na finalização do 4º Festival Internacional de Teatro de Animação

25/06/2010 09:13

As companhias Marc Schnittger Figuren Theatre, da Alemanha, e Viaje Inmovil, do Chile, desembarcaram nesta sexta (25/6) no aeroporto Hercílio Luz e se apresentam no último final de semana do 4º Festival Internacional de Teatro de Animação (FITA).

O grupo alemão traz LIFE.stories, uma narrativa com bonecos de luva, agendada para às 15 e 20 horas de sábado e 20 horas de domingo no Teatro Álvaro de Carvalho. LIFE.stories conta 30 histórias com personagens em situações absurdas e divertidas.

Um dos enredos aborda uma atriz pornô em um dia de muita sorte. Noutro, uma senhora, a dona Morte, em crise de meia idade. O grupo trabalha numa linha minimalista e gestual, recriando passagens cotidianas.

Já a companhia chilena Compañia Viaje Inmovil traz das cordilheiras dos Andes para o palco do Teatro do Centro de Cultura e Eventos da UFSC, no sábado e domingo, às 20 horas, El Último Heredero.

A montagem é ambientada no período de independência da coroa espanhola. A família Nepomuceno decide embarcar para o Chile a fim de enriquecer e vive uma história de intrigas de paixões, traições e cobiças.

A programação ainda reserva reapresentações da Companhia OANI de Teatro, do Chile com Valparaíso em lambe-lambe, no sábado e domingo, das 18 às 20 horas. O palco do teatro de lambe-lambe se reduz a uma pequena caixa onde são apresentadas cenas geralmente curtíssimas, com a manipulação de pequenos bonecos, sempre para um espectador por vez.

No sábado, às 15 horas, tem Maria das Cores e seus Amores, do Grupo Merengue de Curitiba no Teatro do Sesc; e Por qué el Conejo Tiene Orejas largas?, da Cia Périplos, também do Chile, às 20h, no Teatro da UFSC. Em Joinville, no sábado, 20h, tem Cidade Azul, da Cia Truks, de São Paulo, no Teatro do Sesc.

Programa de sábado e domingo

Dia 26 (sábado)

15h

Maria das Cores e Seus Amores

Grupo Merengue (Curitiba)

SESC

15h

LIFE.stories

Marc Schnittger Figuren Theatre (Alemanha)

TAC

18 às 20h

Valparaiso em Lambe-Lambe

Cia. Oani de Teatro (Chile)

Hall do Centro de Cultura e Eventos – UFSC

20h

El Último Heredero

Compañia Viaje Inmovil (Chile)

Centro de Cultura e Eventos – UFSC

20h

Por qué El Conejo Tiene Las Orejas Largas?

Compañía Periplos (Chile)

Teatro da UFSC

20h

LIFE.stories

Marc Schnittger Figuren Theatre (Alemanha)

TAC

Dia 27 (domingo)

18h

LIFE.stories

Marc Schnittger Figuren Theatre (Alemanha)

TAC

18 às 20h

Valparaiso em Lambe-Lambe

Cia. Oani de Teatro (Chile)

Hall do Centro de Cultura e Eventos – UFSC

20h

El Último Heredero

Compañia Viaje Inmovil (Chile)

Centro de Cultura e Eventos – UFSC

Joinville

Dia 26 (sábado)

20h

Cidade Azul

Cia Truks (SP)

Teatro do SESC

O que: 4º Fita Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação. QUANDO: De 20 a 27 de junho. ONDE: Centro de Cultura e Eventos, Concha Acústica e Teatro da UFSC, Centro de Artes da UDESC, Teatro Álvaro de Carvalho, Largo da Alfândega, Palácio Cruz e Sousa, Apae e Orionópolis (Florianópolis) e Teatro Elias Angeloni, Praça Nereu Ramos e Teatro de Arena (Criciúma) e Teatro do Sesc (Joinville). QUANTO: Entrada gratuita, com exceção dos espetáculos no Centro de Cultura e Eventos da UFSC, no Teatro da UFSC e no Teatro Álvaro de Carvalho, com ingressos a R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia).

Contato:

(48) 9146-0251

Imprensa

Simulado Novo Enem Online tem 15.182 inscritos

24/06/2010 18:09

O Simulado Novo Enem Online teve 15.182 inscrições, superando todas as expectativas dos promotores deste projeto: o Pré-Vestibular da UFSC, oferecido pela Universidade Federal de Santa Catarina e pela Secretaria de Estado da Educação, o Grupo RBS e o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Os inscritos terão a oportunidade de realizar um simulado da prova do Exame Nacional do Ensino Médio.

As provas estarão disponíveis no site www.prevestibular.ufsc.br e os participantes vão responder às questões na data escolhida (26 ou 27 de junho, das 10h30 às 12h). Cada prova contará com 30 questões de múltipla escolha das disciplinas de matemática, física, química, biologia, gramática, literatura, geografia, história, inglês e espanhol, direcionadas às competências e conforme ocorre na prova do Enem. Os gabaritos serão divulgados 48 horas após o término do simulado.

Os dez participantes que responderem a todas as questões do Simulado Novo Enem Online, obtiverem o maior número de acertos e completarem a prova em menor tempo responderão à pergunta: “Por que o Simulado Novo Enem Online é a sua chance de chegar preparado para o Enem?” A equipe da rádio Atlântida irá escolher as melhores frases e três alunos serão premiados com um netbook cada um.

Os nomes dos vencedores serão divulgados no dia 30 de junho, no site das instituições organizadoras: Pré-Vestibular da UFSC (www.prevestibular.ufsc.br), Instituto Federal de Santa Catarina (www.ifsc.edu.br), e Grupo RBS (www.clicrbs.com.br).

De acordo com o professor Otavio Auler, coordenador e idealizador do Pré-Vestibular da UFSC, “este é o primeiro Simulado Online para o Enem oferecido aos alunos de Santa Catarina, e o início de um projeto que disponibilizará outras ferramentas à rede pública de ensino”.

Informações:

Pré-Vestibular da UFSC

Simone de Moraes



(48) 3721-8319

6º Encontro Nacional de Cinema e 3º Fórum de Cinema e Educação têm programação para crianças e adultos

24/06/2010 16:24

O segundo final de semana da 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis acentua o caráter reflexivo sobre o cenário audiovisual e a produção voltada para crianças no país. A programação será aberta com uma confraternização neste sábado, dia 26, às 19h30, no Teatro Pedro Ivo.

No domingo, dia 27, o Majestic Palace Hotel, na Beira Mar, sedia o 3º Pitching e o 6º Encontro Nacional do Cinema Infantil. Na segunda-feira, dia 28, a porção adulta do evento promove o 3º Fórum de Cinema e Educação, também no hotel, com direito ao lançamento em livro de dois diagnósticos centrados na compreensão de como a mídia, a educação e a tecnologia se relacionam com o universo infantil.

Primeiro evento no país dedicado ao audiovisual produzido para crianças, a Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis é um termômetro do que há de mais significativo na produção nacional dedicada ao público jovem.

Até 4 de julho, 92 filmes de 14 estados e 10 países serão exibidos a um público estimado em 25 mil pessoas – pelo menos 10 mil delas são alunos de cerca de 70 escolas das redes pública e particular, que assistem gratuitamente aos filmes da Sessão Escola, em exibições agendadas previamente -.

Direcionada desde o nascedouro ao fortalecimento do setor audiovisual e das políticas públicas para a infância e a juventude, a mostra reúne anualmente realizadores, produtores, educadores e pesquisadores de várias regiões do país em torno de discussões essenciais que, não-raro, geram documentos com a proposição de ações estruturantes para a área, encaminhados ao poder público.

O processo de seleção de projetos conhecido como pitching recebe este ano seis candidatos de quatro estados. O longa-metragem escolhido tem participação assegurada no BUFF Festival, da Suécia, uma importante instância de mobilização de parceiros no mercado audiovisual internacional.

“Eu e meu guarda-chuva”, de Toni Vanzolini, exibido na abertura desta nona edição, foi premiado no 1º Pitching, em 2008, o que ajudou a abrir portas para coproduções com empresas estrangeiras.

A banca do 3º Pitching é formada por Luiza Lins (Mostra de Cinema Infantil), Helder Dacosta (Tropical Storm), Cadu Rodrigues (Globo Filmes) e Mikael Svensson (BUFF Festival). A coordenação é de Carla Esmeralda (Festival Internacional de Cinema Infantil). A defesa dos projetos se dá entre 9h e 12h. Das 14h às 18h, a banca se reúne para discutir e decidir qual a proposta mais consistente.

O 3º Pitching confronta os seguintes projetos:

– As aventuras do avião vermelho, de Frederico Pinto e José Maia, do Armazém de Imagens (RS);

– A oitava princesa, de Michael Ruman, da Magia Filmes Produções (SP);

– Corda bamba, de Eduardo Goldesntein, da Aion Cinematográfica (RJ);

– O menino no espelho, de Guilherme Fiúza, da Camisa Listrada (MG);

– O segredo do violinista, de Jaime Queiroz, da Um Filmes (SP);

– Teca e Tuti: Uma noite na biblioteca, de Diego M. Doimo, da Rocambole Produções (SP).

Cinema para Jovens

O 6º Encontro Nacional do Cinema Infantil tem como tema o Cinema para Jovens, um assunto essencial no contexto da aprovação da recém aprovada lei que determina a exibição de pelo menos duas horas mensais de filmes brasileiros nas escolas.

Participam do debate a diretora do filme Antes que o mundo acabe, Ana Luiza Azevedo, a produtora do filme Desenrola, Clélia Bessa, o produtor Abrão Scherer, da Imagem Filmes, e o diretor e roteirista André Tavares, da ONG Cinema Nosso. A mediação é do jornalista Francisco Cesar Filho, presidente do Fórum de Festivais, entidade que reúne os principais eventos audiovisuais brasileiros.

Na segunda-feira, o 3º Fórum de Cinema e Educação discute Cinema e Educação – Pesquisa e Experiências, em dois momentos: na primeira mesa, das 14h às 16h30, com Rosa Maria Bueno Fischer (UFRGS), José de Sousa Miguel Lopes (UEMG/UEM-Moçambique) e Monica Fantin (USFC), sob a mediação de Gilka Girardello.

Das 17h às 18h, Milene Gusmão apresenta a experiência da Rede Latinoamericana de Educação, Cinema e Audiovisual e Wagner Merije os resultados do projeto Minha Vida Mobile (MVMob), que dá oficinas a estudantes para estimular a produção de vídeos com o celular e estimula a sua utilização como ferramenta de apoio pedagógico.

ATENÇÃO: Em caso de jogo do Brasil na Copa do Mundo na segunda-feira, o 3º Fórum Cinema e Educação será transferido para o período da manhã, entre 9h e 12h.

Em seguida ocorre o lançamento de duas publicações do Centro de Ciências da Educação (CED) da Universidade Federal de Santa Catarina: Práticas culturais e consumo de mídia entre crianças, organizado por Gilka Girardello e Monica Fantin, e o dossiê Educação, Comunicação e Tecnologia, organizado por Monica Fantin, Gilka Girardello e Elisa Quartiero para a Revista Perspectiva.

Além da programação adulta, a 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis prossegue até 1º de julho no Teatro Governador Pedro Ivo com bate-papos com atores e diretores, oficinas, exposição de fotografias, videoteca, sala de leitura (da Biblioteca Barca dos Livros), apresentações musicais e mostras itinerantes pelos bairros da capital e da região metropolitana de Florianópolis.

O final de semana terá ainda sete sessões, com a exibição de 40 curtas e um raro longa-metragem indicado para crianças a partir de 4 anos: O melhor amigo da Lua, da Alemanha, dirigido por Mike Maurus e Thomas Bodenstein.

A 9ª Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis mantém também a exibição de filmes para estudantes, de 28 de junho a 1º de julho, na Sessão Escola. E no encerramento, Arnaldo Antunes apresenta dia 4 de julho o show Pequeno Cidadão, às 15h e às 18h, no Teatro Álvaro de Carvalho.

Mais informações sobre a programação no site www.mostradecinemainfantil.com.br.

SERVIÇO:

O quê? 9ª MOSTRA DE CINEMA INFANTIL DE FLORIANÓPOLIS – PROGRAMAÇÃO ADULTA

Quando? de 26 a 28 de junho: coquetel (para convidados) no dia 26, no Teatro Pedro Ivo, às 19h30;

– 3º Pitching no dia 27, das 9h às 18h, no Majestic;

– 6º Encontro Nacional do Cinema Infantil: dia 27, das 14h30 às 18h;

– 3º Fórum de Cinema e Educação: dia 28, das 14h às 18h (em caso de jogo do Brasil, das 9h às 12h);

Lançamentos de livros: dia 28, às 18h.

Onde? Majestic Palace Hotel, Avenida Beira Mar Norte, 2746, Centro. Teatro Governador Pedro Ivo, Rodovia SC 401, km 5, 4.600, Saco Grande.

Quanto? Entrada franca.

Acompanhe a 9ª MOSTRA DE CINEMA INFANTIL DE FLORIANÓPOLIS nas redes sociais:

– www.twitter.com/cineinfantil

– www.facebook.com – cineinfantil

– www.youtube.com.br/tvbloguinho

– http://bloguinhodamostra.blogspot.com

CONTATOS ASSESSORIA DE IMPRENSA:

Israel do Vale: (48) 9171-4777

Raquel Eltermann: (48) 9924-5050

Sarah Goulart: (48) 8855-0693


Na mídia: professora de Antropologia da UFSC é fonte em matéria sobre a participação das mulheres no futebol

24/06/2010 14:03

Atletas invisíveis

Por Christiane Silva Pinto

Vivemos uma época de crescente participação das mulheres em todos os esportes, inclusive o futebol. Hoje é cada vez mais difícil considerar um esporte esclusivamente masculino. Essa mesclagem de gêneros começa nas escolinhas de qualquer esporte, desde o vôlei até o judô. Mesmo assim, o espaço dado ao esporte praticado por mulheres, principalmente o futebol, é mínimo não só na mídia como nas confederações.

Segundo a professora do departamento de Antropologia da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), Carmen Rial, “no inicío do futebol, as mulheres tinham grande presença nas arquibancadas e poderiam ter tido presença também como atletas, não fosse uma proibição legal”.

Quando o Conselho Nacional de Desportos (CND) surgiu em 1941, tornou-se instância máxima de poder esportivo, criou um decreto que as impedia de jogar futebol: “Art. 54. Às mulheres não se permitirá a prática de desportos incompatíveis com as condições de sua natureza, devendo, para este efeito, o Conselho Nacional de Desportos baixar as necessárias instruções às entidades desportivas do país”.

O artigo vigorou até o anos 1970, quando foi revogado devido à pressão do movimento feminista. “As mulheres eram consideradas como reprodutoras e o futebol, assim como outros esportes (inclusive o vôlei, um esporte onde não há contato físico), era tido como capaz de prejudicar seus orgãos reprodutores. Ora, os orgãos reprodutores masculinos, externos, estão muito mais em risco do que o das mulheres”, comenta a professora.

Para o professor de Marketing da FEAUSP, Marcos Cortez Campomar, “em outros países as mulheres participam mais do futebol. No Brasil elas têm medo da violência”, o que entra no quesito segurança. “Aí o problema não é só dos clubes, e sim brasileiro”, afirma o professor, lembrando das inúmeras brigas entre torcidas organizadas que quase sempre acontecem depois dos jogos. Apesar da redução do número de mulheres nos estádios, a maioria dos clubes já tomou consciência do potencial feminino como clientes. Quase todos os times têm modelos femininos de suas camisas.

Não só nas arquibancadas dos estádios, como dentro de campo, o espaço dado às mulheres é mínimo. O futebol continua a ser um esporte masculino no mundo todo – com excessões como os Estados Unidos e a Suécia. A presença do futebol feminino na mídia é quase inexistente. Segundo Carmen Rial, “a televisão brasileira teve que engolir o futebol feminino, pois não poderia continuar desconsiderando um esporte que estava obtendo tantas conquistas internacionais”.

Apesar da cobertura dos jogos em si ser ainda muito pequena, a presença de mulheres como repórteres de programas esportivos se tornou comum atualmente. “Vejo como positivo o fato da televisão estar incorporando as mulheres entre os repórteres e apresentadores de programas desportivos. Porém, ainda não como comentaristas (que pensam, interpretam o jogo) ou narradoras. É como se a mulher pudesse mediar as intervenções dos homens envolvidos no futebol, mas não tivesse capacidade para produzir discursos sobre ele”.

Como uma possível solução para esse problema, Carmen acredita que “a CBF deveria tornar obrigatória a cada equipe de futebol masculino a organização de uma equipe feminina”, para que as atletas fossem mais motivadas. Além disso, as equipes femininas necessitariam de um calendário que as mantivesse em atividade durante todo o ano, para dar maior visibilidade aos clubes a qualquer momento e não apenas em temporadas especiais como as Olimpíadas.

III Fórum de Cinema e Educação na IX Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis

24/06/2010 12:39

Programação:

Mesa 1:

Rosa Maria Bueno Fischer – UFRGS

José de Sousa Miguel Lopes – UEMG – UPM de Moçambique

Monica Fantin – CED/UFSC

Mediação: Gilka Girardello (CED/UFSC)

Mesa 2:

Milene Gusmão – Rede Latinoamericana de Educação, Cinema e Audiovisual Wagner Merije – Projeto Minha Vida Mobile (educação e produção de vídeos via telefone celular).

12h (se for de manhã) ou 18 horas (se for à tarde): Lançamento de livros:

Dossiê “Educação, Comunicação e Tecnologia”. Organização: Elisa Quartiero, Monica Fantin e Gilka Girardello. Revista Perspectiva 27, Núcleo de Publicações do CED/UFSC.

“Práticas Culturais e Consumo de Mídias entre Crianças” (Organização: Gilka Girardello e Monica Fantin. Núcleo Infância, Comunicação e Arte (CED/UFSC); Núcleo de Publicações do CED-UFSC

Horário:

14h30 às 18h (se NÃO houver jogo do Brasil segunda à tarde)

8h30 às 12h (se houver jogo do Brasil segunda à tarde)

O evento é uma promoção de professores do CED/UFSC, integrado à Mostra de Cinema Infantil de Florianópolis.

Informações com a professora Gilka Girardello, 9922-8963.

UFSC publica ensaios cinematográficos do genial Rogério Sganzerla

24/06/2010 12:05

Conjunto de ensaios críticos sobre cinema e cultura publicados em grandes jornais na época da Ditadura Militar compõem a caixa Edifício Rogério, que será lançado dia 12 de julho, na Ocupação Sganzerla, promovida pelo do Itaú Cultural, com a homenagem do ex-ministro e músico Gilberto Gil.

O jovem e ousado Rogério Sganzerla não foi apenas um dos cineastas brasileiros mais brilhantes e originais. Foi também um pensador de espantosa precocidade, que ajudou a reposicionar a história do cinema brasileiro no mundo. Ainda adolescente, morando em Joaçaba, no interior de Santa Catarina, começou a fazer no papel reflexões críticas sobre estética cinematográfica e política cultural que gestariam, oito anos mais tarde, seu célebre “faroeste do terceiro mundo”, “O Bandido da Luz Vermelha”, paradoxalmente clássico e vanguardista. No ano em que o cometa Sganzerla tem sua reaparição no cenário cultural brasileiro, a UFSC publica a tão esperada edição de seu legado crítico em dois volumes de 294 páginas, reunidos em uma superproduzida caixa-presente sob o sugestivo nome de “Edifício Rogério”.

Para um livro de significado histórico, cultural e afetivo tão grande, nada mais justo do que um grande lançamento. “Edifício Rogério”, com os volumes Textos críticos 1 e Textos críticos 2, será lançado pela Secretaria de Cultura e Arte, Pró-reitoria de Pós-Graduação e Editora da UFSC no dia 12 de julho, durante a megaexposição Ocupação Rogério Sganzerla, que o Instituto Itaú Cultural promove em sua sede, em São Paulo, de 9 de junho a 19 de julho. No evento, o cineasta e pensador catarinense será homenageado pelo ex-ministro e músico, parceiro de tropicalismo, Gilberto Gil, que cantará no lançamento paralelo do CD com a trilha sonora que fez para um dos filmes do Rogério, “Copacabana mon amour”.

O nome, sugerido pelo poeta e assessor da Edufsc Manoel Ricardo Lima, faz alusão ao alicerce teórico e político que engendram o artista e sua filmografia. A Editora fará ainda um lançamento para Florianópolis, nos dias 9,10 e 11 de agosto, quando promoverá também a Mostra Sganzerla, com o “edifício cinematográfico” do diretor, composto pelos filmes: “O Bandido da luz vermelha” (1968), “A Mulher de todos” e “Carnaval na lama” (1970).

Nos “Textos”, o crítico Sganzerla enfatiza a discussão sobre questões de política cultural cruciais para a existência do cinema. Em “Razões de Estado”, faz duras críticas à Embrafilme e ao Cinema Novo-Rico, denunciando “o favorecimento desigual de uma casta arqui-prioritária”. Em “Zero abaixo de zero, se isto é possível”, mostra que a abertura política chegou, mas “o cinema independente não foi anistiado em nada. Se não, onde estão os filmes de valor? Na tela, vídeo, festival? Não, estão exilados em seu próprio território, guardados a sete chaves, porquê? Porque são obras-primas…”.

Além das críticas, celebra a independência criativa e as experiências estéticas mais radicais, em que se destacam a colagem de gêneros aparentemente díspares, como o erudito e o cafona, à citação a outras obras e a apropriação antropofágica e o encadeamento inusitado da narrativa. Quadrinhos, programas radiofônicos popularescos, imagens grotescas da então incipiente e subdesenvolvida sociedade de consumo em que se formou entram na reciclagem criativa do lixo cultural devorado e recriado por Sganzerla, como anota Jair Tadeu da Fonseca.

Os textos são constituídos por análises profundas, que buscam a estrutura da obra cinematográfica e não apenas o enredo e os personagens, como nas críticas a “Os cafajestes”, de Ruy Guerra e o “Padre e a Moça”, de Joaquim Pedro de Andrade. O ensaísta mostra sua admiração por Godard e Orson Welles, a quem dedicou uma tetralogia, mas também pelos brasileiros Humberto Mauro e Glauber Rocha, para quem escreveu o emocionado ensaio “Necrológio de um gênio”, em que discorre sobre o significado de sua morte. Enaltece também a trindade popular composta por Noel Rosa, João Gilberto e Jimi Hendrix, na qual reconhece o exercício de uma nova gramática musical.

Mesmo depois de sua morte, em 2004, contando apenas 57 anos, a extensa obra cinematográfica desse rebelde continua causando perplexidade em todo mundo por seu experimentalismo radical. Só no ano de 2009, Sganzerla foi protagonista de quatro mostras internacionais, mas no Brasil seus filmes ainda são de difícil pra não dizer dificílimo acesso. As críticas cinematográficas, publicadas pelos jornais “O Estado de S. Paulo” e “Folha de S. Paulo” durante mais de duas décadas, e agora reunidas nesta obra, eram até então privilégio de preciosas coleções de cinéfilos, segundo o diretor da Edufsc, Sérgio Medeiros.

Com a publicação do “Edifício Rogério”, ”Divagações”, de Mallarmé e “Poesia Herege”, de Evaristo Carriego, Medeiros inaugura uma nova política editorial. “Edifício” é, segundo ele, uma homenagem da universidade ao cinema escrito de Sganzerla e a um dos mais importantes artistas de vanguarda nacionais, que diante da dificuldade de fazer filmes no Brasil não os fez apenas com a câmera e a película, mas inscreveu sobre o papel uma espécie de cinema mental. “Sempre quis mesmo foi dirigir. Mas gosto do que faço, porque enquanto pude, fiz cinema com a máquina de escrever. Não diferencio o escrever sobre o cinema do escrever cinema”, diz o cineclubista em um dos artigos.

Além da produção crítica do diretor, os livros trazem orelha, comentários, apresentação e ensaios sobre sua obra dos pesquisadores Jair da Fonseca, José Geraldo Couto, Luiz Zanin Oricchio e Samuel Paiva. O final do segundo volume ostenta uma série de fotografias do cineasta em vários momentos de sua vida, atuando, dirigindo, descansando com a esposa e atriz Helena Ignez e as filhas. Nos textos reunidos encontram-se lado a lado as duas faces mais marcantes do auto-intitulado cineasta marginal: “O Sganzerla cinéfilo-crítico, erudito da história e da estética do cinema, e o Sganzerla militante, que vocifera contra as mazelas de nossa política cultural com o desespero de quem clama no deserto”, como descreve José Geraldo na orelha, lamentando que o Brasil tenha desperdiçado por tanto tempo o grande artista que produziu no século XX.

Edifício Rogério – Rogério Sganzerla

Textos críticos 1, 166 páginas

Textos críticos 2, 128 páginas

Florianópolis: Editora da UFSC, 2010

R$ 69,00

Raquel Wandelli/jornalista na Secarte



www.secarte.ufsc.br

99110524 37219459

Programa Entre-Imagens estreia neste domingo na TV UFSC

24/06/2010 09:59

Entre-Imagens é um programa produzido no Curso de Cinema da UFSC, coordenado pela professora Aglair Bernardo, que começa a ser veiculado pela TV UFSC a partir deste domingo (27), às 19h30. A edição de estreia foi gravada no Festival de Gramado – RS, e traz entrevistas com cineastas, atores e produtores. São nomes como Murilo Salles, diretor de “Nome Próprio”, filme que ganhou o Kikito de melhor longa-metragem no festival. Atores e diretores de filmes estrangeiros premiados, como “Perro Come Perro”, também comentam a participação feminina na direção cinematográfica, as dificuldades de financiamento para produção e diversos outros temas.

No sábado (26), às 21h30, não perca o “Eu faço parte dessa história” com a professora Nilcéa Pelandré. Ela começou como estudante de Letras na UFSC em 1969. Mais tarde entrou na instituição como docente do Centro de Ciências da Educação (CED) e foi vice-reitora na gestão do professor Antônio Diomário de Queiroz, de 1992 a 1996. Hoje é professora voluntária no CED.

A TV UFSC é sintonizada no canal 15 da NET. Confira! Mais informações no site www.tv.ufsc.br.

Fonte: Marina Veshagem/TVUFSC

Agentes Comunitários de Saúde têm curso sobre recreação e lazer

23/06/2010 19:08

Atividades de pintura

Atividades de pintura

Os Agentes Comunitários de Saúde (ACS’s) de Santo Antônio de Lisboa realizam, no dia 24 de junho, o Curso Recreação e Lazer, ministrado por Rose Mery de Lima, coordenadora do projeto de extensão `Recriando na Comunidade`, do Departamento Artístico Cultural (DAC) da UFSC.

O projeto ministra cursos em escolas, associações comunitárias ou para qualquer outro grupo de pessoas que queiram aprender a organizar um evento de recreação. O projeto é desenvolvido pelo Departamento Artístico Cultural desde 1990. Atua principalmente em comunidades carentes e leva todo material necessário para instrumentalizar o grupo de pessoas interessadas em organizar suas próprias atividades.

Durante o encontro, são levantadas as necessidades relativas ao lazer e abordados os aspectos sobre a sua importância, além do resgate dos valores culturais locais, buscando o encontro da comunidade com a sua própria cultura.

Segundo a coordenadora do projeto Rose Mery de Lima, “a falta de espaço livre e a facilidade de acesso aos diversos meios de comunicação levam a criança, especialmente nos centros urbanos, ao lazer passivo. Nosso objetivo é garantir um espaço recreativo onde há um resgate das brincadeiras tradicionais, como perna de pau, bolinha de sabão, pintura, pula corda, entre outras”.

Sobre a ministrante:

Rose Mery de Lima, formada em Pedagogia – Orientação Educacional pela UFSC. Com experiência na Educação Especial pelo NUCLEIND/UFSC. Cursos de arte e artesanato na escola Traços e Cores: criatividade sem limites. É coordenadora do projeto Recriando na Comunidade (DAC/UFSC) e aluna de especialização em História da Arte (Unisul).

As comunidades interessados em receber o curso e assessorias do Recriando na Comunidade, devem entrar em contato com a coordenação do Projeto no Departamento Artístico Cultural – Igrejinha da UFSC. Fone/fax: 3721-9348 e 3721-9447 ou

SERVIÇO:

O QUÊ: Curso de Recreação e Lazer do Projeto de Extensão Recriando na Comunidade da UFSC

QUANDO: Dia 24 de junho, quinta-feira.

ONDE: Santo Antônio de Lisboa.

QUANTO: Gratuito e dirigido para Agentes Comunitários de Saúde (ACS’s)

CONTATO: (48) 3721-9348 e 3721-9447 ou

Visite www.dac.ufsc.br

Fonte: José Fontenele/ Acadêmico de Jornalismo/ Assessoria de Imprensa do DAC – Departamento Artístico Cultural: SECARTE: UFSC, com material fornecido pela coordenação do projeto.

Reitor da UFG Edward Madureira Brasil é o novo presidente da Andifes

23/06/2010 18:43

A Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) elegeu como presidente o reitor da Universidade Federal de Goiás (UFG) Edward Madureira Brasil em reunião do Conselho Pleno realizada nesta quarta-feira (16/06) em Brasília. A Diretoria Executiva da gestão 2010/2011 é formada pelo reitor da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) João Luiz Martins, como 1º vice-presidente, tendo o reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS) Josué Modesto como suplente e reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Alvaro Prata como 2º vice-presidente, com o reitor da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Targino de Araújo Filho na suplência.

A disputa teve duas candidaturas: Edward Madureira Brasil (UFG) e Malvina Tuttman (Unirio). O nome vencedor teve 61% de 47 votos. O novo presidente da Andifes já tinha ocupado o posto de 1º vice-presidente na gestão 2008/2009, presidida pelo reitor Amaro Lins, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Após a eleição a nova diretoria foi recebida pelo ministro da Educação Fernando Haddad na sede do MEC. O novo presidente da Andifes Edward Madureira Brasil falou ao ministro sobre a necessidade de estreitar ainda mais o diálogo com MEC, cumprindo agenda quase semanal com a secretaria de Educação Superior (Sesu). Na sua visão, é importante preservar os avanços já alcançados: “Acho que a principal conquista do governo Lula foi essa prática de nos receber continuamente, sem burocracia”, ressaltou Edward Madureira.

Duas pautas foram destacadas pela nova gestão como prioritárias: Hospitais Universitários e autonomia universitária. A nova diretoria da Andifes demonstrou a preocupação com os HUs, apesar do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), instituído em janeiro deste ano pelo decreto 7.082, que ainda precisa de portarias e instrumentos que o efetivem na prática. O presidente da Andifes ressaltou a necessidade de contratações emergenciais para os HUs, devido ao déficit de recursos humanos nestas unidades.

Sobre autonomia universitária, o ministro afirmou que a intenção do presidente Lula é assinar o decreto no dia 19 de julho, data provável da realização da audiência anual com a Andifes. Além do decreto, a ideia é, até o fim do ano, aprovar também uma lei sobre a autonomia das universidades federais. O presidente da Andifes afirmou o empenho da entidade em procurar o Congresso Nacional e defender a aprovação da matéria. Edward Madureira Brasil reforçou a disposição da Andifes em colaborar com as pautas apresentadas e continuar a interlocução com o MEC: “A agenda é essa”, enfatizou.

Edward Madureira Brasil

Engenheiro Agrônomo, formado em 1984 pela Escola de Agronomia da UFG. Cursou mestrado e doutorado em Genética e Melhoramento de Plantas nessa mesma Unidade. Após trabalhar como pesquisador em uma empresa privada, ingressou na carreira docente na UFG, por concurso público em 1994, atuando na graduação e pesquisa. Com a conclusão do doutorado, em 1998, passa a integrar o corpo docente do Programa de Pós-Graduação em Agronomia, ministrando disciplinas e orientando teses e dissertações. Atualmente, participa de vários projetos de pesquisa e de extensão. Iniciou a carreira administrativa na coordenação de estágios do curso de Agronomia em 1995, e foi coordenador desse curso no período de 1996 a 1998. Eleito Diretor da Escola, em 1998, reeleito para um segundo mandato em 2002. Nestas funções, além de participar ativamente dos Conselhos Superiores, atuou na difusão do conhecimento, projetando a UFG no cenário regional e nacional.

Leia mais: Novo presidente da Andifes defende crescimento e consolidação do sistema de universidades federais

Fonte: Andifes – 17 de junho de 2010 – 17:59 – Ana Paula Vieira

UFSC realiza visita de trabalho a Curitibanos

23/06/2010 18:27

Liderada pelo reitor Alvaro Prata, uma comitiva representativa da UFSC realizou ontem (22) uma visita de trabalho ao campus de Curitibanos, que está abrigando o Curso de Ciências Rurais. “Foi uma jornada muito produtiva”, sublinhou o reitor após manter reuniões com os alunos, a equipe e a comunidade, além de conhecer o Cursinho Pré-Vestibular da Universidade viabilizado na cidade.

Segundo o reitor, a equipe de trabalho da Universidade teve a oportunidade de tomar conhecimento dos problemas e desafios apresentados pelos alunos, professores, servidores técnico-administrativos e das lideranças da comunidade. “Diversas demandas começaram a ser encaminhadas pela nossa Administração”, adiantou.

A ideia, explicou o reitor, é aproximar cada vez mais o campus de Curitibanos da Reitoria e da direção do Centro de Ciências Agrárias (CCA), que é responsável pela sua consolidação.

O reitor agradeceu o empenho do ex-diretor do campus, professor Darci Odílio Paul Trebien, e destacou os esforços desenvolvidos pelo diretor atual, professor César Damian, que deu as boas-vindas aos visitantes, enfatizando o apoio recebido dos dirigentes da UFSC, do MEC, do Governo do Estado, da Prefeitura e da população. Elogiou igualmente a atuação do diretor administrativo Olávio Gevehr.

Prata manifestou a preocupação com a busca de soluções para demandas explicitadas pela comunidade local. Entre outras questões, terão prioridade o acesso ao campus, a redução do preço das passagens, a melhoria de calçadas e ciclovias. Também será melhorado o acesso até a área experimental de pesquisas.

Muitos dos problemas serão resolvidos com a participação do Governo, da Prefeitura e da comunidade. A saída para a redução das passagens, por exemplo, será encaminhada pela Câmara Municipal.

A comitiva ficou bem impressionada com o prédio do campus. “As instalações cumprem bem as funções para ministrar um ensino de qualidade”, frisou Prata. De qualquer forma, a UFSC está buscando as condições para suprir as carências de infraestrutura do campus.

Duas boas notícias foram dadas ao reitor durante a visita. A Secretaria de Desenvolvimento Regional do Governo do Estado anunciou a doação de uma área adicional de 320 metros quadrados; e a Prefeitura fez a doação de 3 mil metros quadrados no centro de Curitibanos. O reitor antecipou ainda a possibilidade de obtenção de recursos para um prédio próprio para o cursinho Pré-Vestibular. “Enfim, cumprimos uma agenda rigorosa e ampla”, concluiu o reitor.

A comitiva da UFSC foi composta por dezoito integrantes: Aimê Rachel Magenta Magalhães (CCA), Cláudio Guedes (PRDHS), Cláudio José Amante (PRAE), Dalton Barreto (PRAE), Deise de Oliveira Rita (Diretora do RU) (PRAE), Edemar Roberto Andreatta (CCA), João Batista Furtuoso (Proinfra), Lourivaldo Pierri (prefeito do Campus), Maria de Lourdes Alvez Borges (SecArte), Maria Lucia de Barros Camargo (PRPG), Rosângela Curi Pedroza (PRPE), Roselane Neckel (CFH), Sônia Gonçalves Carobrez (CCB), Wilson Schmidt (CED), Yara Maria Rauh Muller (PREG), Paulo Roberto de Freitas Noronha (Agecom) e Dilney Carvalho da Silva (TV UFSC).

Por Moacir Loth/ Jornalista na Agecom

Fotos: Paulo Noronha/ Agecom

Encontro nesta sexta-feira aborda novas formas de organização da pós-graduação

23/06/2010 17:39

Será realizada na sexta-feira, dia 25 de junho, a mesa-redonda ´Programas Multicêntricos de Pós-Graduação: Desafios e Perspectivas`. O evento ocorre no anfiteatro do Centro Sócio-Econômico, entre 9h e 12h. O objetivo é promover a discussão sobre os desafios e as perspectivas de novas formas de organização dos programas de pós-graduação, com ênfase na experiência do Programa Multicêntrico de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas (PMPGFis) da UFSC.

Serão dois convidados: Maria Lúcia de Barros Camargo, pró-reitora de Pós-Graduação, que vai falar sobre os programas da UFSC, e José Antunes Rodrigues, coordenador geral do PMPGFis, que abordará as novas formas de organização da pós-graduação no Brasil.

A mesa-redonda é organizada pelo Centro de Ciências Biológicas (CCB) e o Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas. Também tem apoio da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG), da Câmara de Pós-Graduação do Centro de Ciências Biológicas (CPG-CCB) e do Departamento de Ciências Fisiológicas.

O Programa Multicêntrico de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas da UFSC está ligado ao Centro de Ciências Biológicas e faz parte, como Instituição Associada Plena, de uma iniciativa de abrangência nacional, criada por uma equipe de pesquisadores de primeira linha, oriundos de pós-graduações com elevada conceituação pela Capes (as chamadas Instituições nucleadoras).

A iniciativa integra os cursos de pós-graduação em Fisiologia da Universidade Federal de Minas Gerais (conceito 7 na Capes); Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/ USP (conceito 7); Instituto de Ciências Biomédicas da USP (conceito 6); Universidade Federal do Rio de Janeiro (conceito 6) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (conceito 5).

Em nível nacional o Programa Multicêntrico de Pós-graduação (PMPG) em Ciências Fisiológicas é coordenado pela Sociedade Brasileira de Fisiologia (Instituição Proponente), através da associação de pesquisadores produtivos que estão isolados em instituições públicas onde a implantação de cursos independentes ainda não é possível (Instituições Associadas-Plenas e Associadas-Emergentes) e pesquisadores de pós consolidadas (Instituições Nucleadoras). É o primeiro programa multicêntrico sendo desenvolvido no Brasil.

Programação:

9h15 – 10h: Maria Lúcia de Barros Camargo – pró-reitora de Pós-Graduação: “A Pós-Graduação na UFSC”.

10h – 10h45 – José Antunes Rodrigues – coordenador geral do Programa Multicêntrico de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas: “Programas Multicêntricos de Pós-graduação: Novas formas institucionais de desenvolvimento da pós-graduação brasileira”.

10h45 – 11h – Café

10h – 12h – Sessão de discussão e perguntas. Mesa composta pela PRPG, CCB e pela coordenação local e geral da PMPGFis.

Mais informações pelo telefone (48) 3721-9352, ramal 208, ou pelo e-mail

Por Fernanda Burigo / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Centro de Filosofia e Ciências Humanas indica Luiz Fernando Scheibe como Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos

23/06/2010 16:57

Fotos: Paulo Noronha / Agecom

Fotos: Paulo Noronha / Agecom

O geólogo Luiz Fernando Scheibe, professor do Departamento de Geociências, recebe na próxima terça-feira, 29 de junho, o Prêmio Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos. A cerimônia será realizada às 19h, no auditório do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH).

Integrado à agenda de comemorações dos 50 anos da Universidade Federal de Santa Catarina, o prêmio é um reconhecimento a docentes da instituição por suas contribuições para o avanço do conhecimento e formação de recursos humanos.

Já foram premiados os professores Raul Antelo (Centro de Comunicação e Expressão), Wagner Figueiredo (Centro de Ciências Físicas e Matemáticas), Markus Vinícius Nahas (Centro de Desportos) e Ivete Simionatto (Centro Sócio-Econômico). Até o final do ano, mais seis pesquisadores serão homenageados, contemplando os 11 centros de ensino da universidade.

Luiz Fernando Scheibe é doutor em Geociências (Mineralogia e Petrologia) pela Universidade de São Paulo (USP). Bolsista de produtividade em pesquisa do CNPq, tem registrados em seu currículo Lattes 32 artigos publicados em periódicos especializados e 54 trabalhos em anais de eventos.

Coordenador do Laboratório de Análise Ambiental, há anos atua na área de Geoecologia, incluindo em sua trajetória trabalhos sobre o impacto da mineração e da rizicultura irrigada em Santa Catarina. Seus estudos, pareceres e opiniões têm colaborado com a discussão de assuntos polêmicos e estratégicos para o Estado, subsidiando gestores públicos e instituições.

Em 2009, por exemplo, elaborou parecer para o Ministério Público colaborando com a discussão do Estudo e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) referente ao Projeto Anitápolis, apresentado pela Indústria de Fosfatados Catarinense para a exploração da jazida de fosfato localizada no município de Anitápolis (SC). No campo da extensão é coordenador do Plano Comunitário de Urbanização e Preservação do Maciço Central de Florianópolis.

O professor já publicou três livros e 18 capítulos em diferentes obras. Colaborou com a criação e desenvolvimento do Plano Político-Pedagógico do Curso de Geologia da UFSC, graduação implantada em 2010. Na pós-graduação, orientou 14 dissertações de mestrado e nove teses de doutorado.

Atualmente é coordenador técnico em Santa Catarina do projeto Rede Guarani / Serra Geral. Elaborado por encomenda da Agência Nacional de Águas (ANA), o trabalho integra pesquisadores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná em um programa de preservação da qualidade das águas subterrâneas no Sul do Brasil. Juntos, os aquíferos Guarani e Serra Geral formam uma das maiores reservas de água doce do mundo.

A promoção do prêmio Destaque Pesquisador UFSC 50 Anos é da Pró-Reitoria de Pesquisa e Extensão, com apoio da Agência de Comunicação e Centro de Cultura e Eventos da UFSC.

Mais informações com o professor Scheibe: (48) 3721-8813 /

Sobre o Prêmio Destaque Pesquisador:

Professor Jorge Mário Campagnolo – Diretor de Projetos de Pesquisa

Fone: 3721-9437

E-mail:

Professor Ricardo Rüther – Diretor do Núcleo de Apoio e Acompanhamento

Fone: 3721-9846

E-mail:

Por Arley Reis / Jornalista da Agecom

Fotos: Paulo Noronha / Agecom