Cursos de Antropologia e Museologia promovem conferências na segunda

02/06/2010 17:31

Na próxima segunda-feira, 07/06, os cursos de Antropologia e Museologia da UFSC vão promover duas conferências no auditório do Museu Universitário Oswaldo Rodrigues Cabral. Os professores convidados para as conferências são da Università di Roma La Sapienza.

No campo da Antropologia, o professor Alberto Sobrero discute o tema “Experiência Antropológica em Cabo Verde”. A segunda palestra trata sobre “As temporalidades nos museus” e vai ser ministrada pelo professor Vicenzo Padiglione. O evento começa às 14h e é promovido pelos Departamentos de Antropologia e História.

Alberto Sobrero é antropólogo e lançou em 1996 o livro “Hora de Bai. Antropologia e literatura de Cabo Verde”. Na conferência, abordará as experiências pessoais do período em que trabalhou no país, no âmbito de projetos de cooperação e desenvolvimento. O evento é gratuito e aberto ao público. As inscrições podem ser realizadas no local.

Mais informações através do telefone 3721-5364, ramal 23, do departamento de Antropologia.

Por Claudia Mebs Nunes/ Bolsista de Jornalismo na Agecom

Quarta edição do Congresso de Direito de Autor e Interesse Público será realizada na UFSC

02/06/2010 16:32

A UFSC sedia de 27 a 29 de setembro o IV Congresso de Direito de Autor e Interesse Público. A promoção é do Programa de Pós-Graduação em Direito da UFSC, por intermédio de seu Grupo de Estudos de Direito de Autor e Informação. O encontro será realizado no auditório do Centro Sócio-Econômico (CSE) e este ano será dedicado à análise das questões relacionadas ao Domínio Público e Sociedade da Informação.

Nesta edição o congresso tem novamente o apoio do Ministério da Cultura. “O evento será realizado de forma integrada com o Fórum Nacional de Direito Autoral, lançado pelo Ministério da Cultura, e que representa um importante passo para a retomada da presença do Estado na formulação de políticas públicas para um tema cada vez mais contemporâneo e estratégico num contexto de ambiente digital e convergência tecnológica”, explica o professor do Departamento de Direito da UFSC, Marcos Wachowicz, um dos integrantes do comitê científico do evento.

O encontro segue a linha de trabalho de outras iniciativas já realizadas pela UFSC e Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). O objetivo é estimular uma abordagem crítica e profunda sobre o Direito da Propriedade Intelectual, a partir de análises dos interesses públicos e econômicos relacionados ao Direito de Autor e as novas dimensões do domínio público na Sociedade da Informação.

Mais informações: / http://www.direitoautoral.ufsc.br

Prêmios de 10 mil reais valorizam trabalhos científicos e jornalísticos sobre biodiversidade

02/06/2010 16:23

Com inscrições prorrogadas até 14 de julho, o Prêmio Valorização da Biodiversidade de Santa Catarina vai premiar reportagens impressas e publicações científicas de pesquisadores, professores e alunos de pós-graduação sobre plantas nativas do Estado e temas correlatos.

Para cada uma das três categorias (detalhas ao final), haverá três prêmios, totalizando nove premiados. Os primeiros colocados de cada categoria receberão R$10 mil, além de passagens Florianópolis-Rio de Janeiro (ida e volta) para visitarem o Sítio de Roberto Burle Marx. Os trabalhos ganhadores integrarão uma coletânea impressa.

A avaliação dos trabalhos apresentados será feita por consultores ad hoc e coordenada por uma comissão interinstitucional vinculada ao Projeto ACORDE Plantas Nativas, do qual participam Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Secretaria de Planejamento, da Educação, da Agricultura e do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma), Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Instituto Consultor Social, Polícia Ambiental e Secretarias de Desenvolvimento Regional.

Com uma sigla baseada no lema Ação Conjunta de Revitalização e

Desenvolvimento, o ACORDE já promoveu o plantio de mudas em 170 escolas públicas e prevê outras ações institucionais, como a edição (ou reedição) de livros científicos sobre plantas nativas catarinenses.

Contextualização

O ano de 2010 foi declarado pela Organização das Nações Unidas como o Ano Internacional da Biodiversidade, com o propósito de aumentar a consciência pública sobre a importância da preservação da biodiversidade, por meio de ações internacionais, regionais e locais.

Neste sentido, o Governo de Santa Catarina manifestou interesse em estabelecer uma política pública destinada a promover o estudo, o cultivo, o plantio e a valorização de plantas nativas no meio ambiente urbano e rural do Estado, mediante o Decreto Estadual nº 2.634, de 21 de setembro de 2009. Em janeiro de 2010, a Lei nº 15.079 oficializou o Prêmio Valorização da Biodiversidade de Santa Catarina, que neste ano contempla artigos científicos e matérias publicadas em mídia impressa. Nas próximas edições, pretende-se premiar notícias veiculadas em meios eletrônicos.

Categorias

Cada candidato poderá inscrever apenas um trabalho em uma das categorias seguintes:

I – Categoria Roberto Miguel Klein – trabalho de pesquisa científica, monografia ou reportagem jornalística voltados à ecologia, biodiversidade, preservação ou conservação de plantas nativas do estado de Santa Catarina.

II – Categoria Raulino Reitz – trabalho de pesquisa científica, monografia ou reportagem jornalística voltados à recuperação e à conservação de matas ciliares e da vegetação atrelada a recursos hídricos.

III – Categoria Burle Marx – trabalho de pesquisa científica, monografia ou reportagem jornalística nas áreas de conservação da biodiversidade urbana e do paisagismo ecológico.

Para saber mais sobre esta Chamada Pública, ligue para a bióloga Márcia Patrícia Hoeltgebaum no (48) 3215-1210 ou envie e-mail para .

Por Heloisa Dallanhol / Assessoria de Comunicação da Fapesc

Estreias na TV UFSC: programa sobre Betinho e entrevista com professor Sérgio Medeiros

02/06/2010 15:32

Neste sábado (5), às 20h, a TV UFSC traz o Eu faço parte dessa história inédito, com Nelson Grisard, professor aposentado do Curso de Medicina da UFSC, que foi o segundo diretor do Hospital Universitário (1980 a 1984). No Memória UFSC, domingo (6), às 21h, você assiste ao programa que mostra a homenagem feita à Herbert José de Sousa (Betinho), que em 1994, na Praça da Cidadania, deu uma aula magna e recebeu o titulo de Doutor Honoris Causa. Na série Cinema Catarinense desse sábado (5), às 23h, a TV UFSC exibe o filme “Manhã”, de Zeca Pires. O vídeo faz uma releitura do poema “A

Morte do Leiteiro”, de Carlos Drummond de Andrade.

Na semana do dia 7 de junho, o convidado do UFSC Entrevista é Sérgio Medeiros, mestre e doutor em Teoria Literária e Literatura Comparada, diretor executivo da editora da UFSC, foi finalista do Prêmio Jabuti em 2008 e é um dos finalistas do Prêmio Portugal Telecom de Literatura 2010. No programa, que vai ao ar na quinta (10), às 19h30min, Medeiros fala sobre o processo de criação de seus livros, seus autores preferidos e as pesquisas que realiza, como as cosmogonias amerindias. Na terça (08), às 21h, acompanhe o vídeo “Zé Diabo – A História de Um Artista Autodidata”, no Primeiro Plano. O documentário da jornalista Clarissa Mazon Miranda conta a história e o processo de produção do escultor conhecido como Zé Diabo, por

ser muito bom na arte de esculpir em pedra.

Na quarta (02), às 20h, na Sessão Cinema, não perca o filme “Aurora”, de F. W. Murnau. A obra conta a história de um fazendeiro que, seduzido por uma moça da cidade, tenta afogar sua mulher, mas desiste no último momento. Ela foge para a cidade, mas ele a segue, se apaixona novamente pela esposa e tenta conquistar o seu amor. O filme recebeu três Oscar em 1929 e em 1967 foi escolhido pela revista

Cahiers du Cinéma como “a maior obra-prima da história do cinema”.

Durante a programação você acompanha os boletins do Universidade Já, que fazem a cobertura dos eventos dos 50 anos da UFSC, além de outros temas e fatos de interesse da comunidade.

Mais informações sobre os programas e a grade completa você confere no site www.tv.ufsc.br. Acesse! E não esqueça de acompanhar tudo no canal 15 da NET.

Marina Veshagem / TV UFSC

UFSC sedia 14º Florianópolis Audiovisual Mercosul

02/06/2010 13:59

Florianópolis torna-se a capital audiovisual do Mercosul, de 11 a 18 de junho, com o 14º Florianópolis Audiovisual Mercosul – FAM2010, pela segunda vez sediado na Universidade Federal de Santa Catarina.

O evento é uma realização da Associação Cultural Panvision, com patrocínio da Petrobras, por meio da Lei Rouanet, e do Funcultural do governo do Estado de Santa Catarina, com apoio do Fundo Nacional de Cultura, Secretaria do Audiovisual, Ministério da Cultura, BRDE, Estúdios Mega, Estúdios Quanta, Kodak e Canal Brasil. São apoiadores institucionais as universidades UFSC e UDESC, e a Prefeitura de Florianópolis – Fundação Franklin Cascaes.

Há 14 anos consecutivos o FAM oferece ao público catarinense uma extensa programação de cinema com entrada franca e se consagrou como uma referência no debate das políticas do setor, discutidas no Fórum Audiovisual Mercosul. Este ano, além das mostras competitivas e do Extra-FAM, não-competitiva, serão exibidas quatro mostras convidadas e haverá uma série de eventos paralelos.

O principal destaque do festival, a Mostra de Longas Mercosul exibirá oito longa-metragens. As sessões serão sempre às 21h no Auditório Garapuvu, o palco principal, com 1.400 lugares. A mostra abre o FAM, dia 11, com a exibição de Cabeça a Prêmio, que marca a estreia do ator Marco Ricca na direção. Outras duas produções nacionais serão exibidas: Hotel Atlântico, de Susana Amaral, que teve cenas rodadas em Florianópolis, e Muamba, do catarinense Chico Faganello, vencedor do edital da Cinemateca Catarinense – Fundação Catarinense de Cultura em 2007.

Dos outros cinco longa-metragens, três são argentinos: La mosca en la ceniza, de Gabriela David; La invención de la carne, de Santiago Loza; e Mentiras piadosas, de Diego Sabanés. Completam a lista o longa chileno Ilusiones ópticas, de Cristián Jiménez, e o uruguaio Mal dia para pescar, de Álvaro Brechner.

Antes da exibição dos longas, serão prestadas três homenagens especiais, aos 80 anos da produtora brasileira Cinédia, com a presença de Alice Gonzaga, diretora da companhia, a Esdras Rubim, criador do Festival de Gramado e primeiro presidente do Fórum dos Festivais, e ao Funcine, o Fundo Municipal de Cinema de Florianópolis.

Ao todo, o festival exibe mais de 140 produções brasileiras, de 12 Estados e Distrito Federal e da Argentina, Chile, Paraguai, Colômbia, Uruguai, Cuba e Espanha. Esta edição teve o maior número de inscritos da história do FAM, 551, de 14 países.

Nas mostras competitivas, serão exibidas 28 produções na Mostra de Curtas Mercosul 35 mm, 36 na Mostra de Vídeos, 21 na Mostra Infanto-juvenil, além de 16 na Extra-FAM, não-competitiva.

Além do Auditório Garapuvu, haverá sessões no auditório da Reitoria e Departamento Artístico Cultural (DAC).

Mostras convidadas

Mostra Outros Olhares: Antologia EICTV

A Mostra Outros Olhares: Antologia EICTV, inédita no Brasil, será outro grande destaque desta edição. Trata-se de uma seleção de 12 dos melhores curtas-metragens produzidos nos últimos 23 anos da famosa Escuela Internacional de Cine y Televisión de San António de Los Baños, de Cuba. Pepi Gonçalvez, coordenadora da cátedra de produção da escola, estará presente para apresentar os filmes.

Mostra Universitária

Para prestigiar as produções de escolas de cinema catarinenses, a Mostra Universitária vai apresentar filmes produzidos por alunos de cinema da UFSC e Unisul.

Cinédia 80 Anos

Uma das primeiras produtoras cinematográficas do país e pioneira na industrialização do setor, a Cinédia completa oito décadas de fundação este ano. Para celebrar a trajetória deste patrimônio do cinema e da cultura brasileira, o FAM2010 realiza a Mostra Comemorativa Cinédia 80 anos, que vai exibir três dentre os maiores sucessos de bilheteria da Cinédia e do cinema brasileiro, O Ébrio, O Samba da Vida e 24 Horas de Sonho, com cópias restauradas e recuperadas pela produtora.

CINEFoot

E como o FAM ocorre junto com a Copa do Mundo, haverá uma Mostra Paralela sobre Futebol, o CINEFoot, com quatro curtas relacionados com o mundo do futebol.

Fórum Audiovisual Mercosul

Uma outra característica do FAM desde sua primeira edição, o Fórum Audiovisual Mercosul abrirá diversos espaços de debates de caráter político, econômico e cultural. O Seminário de Cinema e Televisão do Mercosul, de 12 a 17 de junho, sempre às 15 horas e com transmissão ao vivo pela internet, terá seis painéis, com os temas espaço dos festivais na difusão dos cinema nacionais, TV pública e cultural do Mercosul, políticas institucionais para o audiovisual, distribuição da produção audiovisual e expansão das salas de exibição, indústria audiovisual e os novos arranjos da economia digital.

O Fórum já consolidou seu espaço na agenda do audiovisual latino-americano. Foi fundamental para a criação do Fórum de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais dos Países do Mercosul, Bolívia e Chile, o chamado “Mercosul Audiovisual”, que reúne as autoridades responsáveis pela política cinematográfica na região. No Fórum também surgiu a iniciativa de criação da Recam, a Reunião Especializada de Autoridades Cinematográficas e Audiovisuais do Mercosul.

Na programação haverá também lançamento de livros. A pesquisadora Alessandra Meleiro, que participa de um dos painéis do Fórum e coordena o Centro de Análise do Cinema e do Audiovisual (CENA), lança no dia 14, às 18 horas, três livros da coleção Indústria Cinematográfica e Audiovisual Brasileira, organizada por ela, com os títulos Cinema e Políticas de Estado: da Embrafilme a Ancine, Cinema e Economia Política (vol. II) e Cinema e Mercado.

Também dentro das atividades do Fórum está o I Encontro de Film Commissions da América Latina, realizado no Hotel Maria do Mar, no Saco Grande, de 11 a 13 de junho. Reunirá comissões de representantes de instituições públicas e privadas responsáveis pela criação de normas e procedimentos referentes à produção audiovisual. Para o encontro estão confirmadas participações de representantes do México, Panamá, Peru, Colômbia, Chile, Argentina e Uruguai, além de representantes das Film Commissions brasileiras, da Filmbrazil (Divisão internacional da APRO que reúne produtoras de publicidade focadas no Mercado Internacional), do Cinema do Brasil (Divisão Internacional do SIAESP que reúne produtoras de Cinema com foco no Mercado Internacional de produção), da Agência Nacional de Cinema (Ancine) e da Divisão de Promoção do Audiovisual do Ministério das Relações Exteriores.

Eventos paralelos

Como nos anos anteriores, o FAM oferece espaços gratuitos de formação e troca com profissionais renomados do audiovisual. Serão oferecidos dois cursos, um de Direção de Fotografia, Câmera e Iluminação Cinematográfica com Pedro Pablo Lazzarini e uma oficina sobre a técnica de animação Flip Book, com Marão, presidente da Associação Brasileira de Cinema de Animação.

E para animar o hall do Centro de Eventos da UFSC, o FAM em parceria com a ONG Arte Movimenta selecionou grupos catarinenses de música instrumental, em diversos estilos como chorinho, MPB e música erudito, que se apresentarão às 18h30 e 20h30, nos intervalos das mostras.

Assessoria de Imprensa 14º FAM

55 48 3721 4985

Beth Bieging 55 48 9901 9752

Coordenação e Cerimoniais

Aderbal Rosa Filho 55 48 9127 9166

Foruns e Extra-Forum(Film Commission)

Dorva Rezende 55 48 9114 4442

Mostras Competitivas/Site e blog

Barbara Pettres 5548 9926 6429

Mostras Competitivas/ Homenagens/Cinedia/Mostra Cuba/

Gabriela Rovai 55 48 99539353

Mostra Competitiva Infanto-Juvenil e Eventos paralelos

Vera Maria 55 48 9971 0400

Mostra Extra-Fam/ Homenagens/Credenciamentos

http://www.audiovisualmercosul.com.br .

http://audiovisualmercosul.blogspot.com.

http://twitter.com/famcinema

Festival Internacional de Teatro de Animação chega à quarta edição em junho

02/06/2010 13:42

Com mais de 40 apresentações de 15 grupos da Bélgica, Espanha, França, Alemanha, Peru, Chile e de vários estados brasileiros, ocorre de 20 a 27 de junho, em Florianópolis, Criciúma e Joinville, o 4º Fita Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação. O encontro reúne espetáculos para crianças e adultos, oficinas e exposições, além de artistas da América Latina e Europa.

A Cia Pelmànec, da Espanha, especializada em teatro de bonecos, é um dos destaques internacionais com a peça Don Juan, Memória amarga de Mi. No espetáculo, ao contrário da maioria das versões do mítico galanteador, este Don Juan tem idade avançada. Ao final da vida, enfermo e sob os cuidados de um frade, ele revisita suas memórias.

Do Chile, vem a companhia Teatro Viaje Inmóvel, com El Último Heredero, uma história que fala de casamentos arranjados, guerras e vinganças. Transcorre na época colonial e é protagonizada por uma família que vive em uma fazenda e esconde um segredo que vai despertar no meio de uma guerra civil.

Um dos representantes do Brasil é o grupo paulistano Cia Truks Teatro de Bonecos, com Cidade Azul. O enredo fala de como nasce, cresce e se fortalece uma comovente amizade entre duas crianças de realidades diferentes: um menino de rua e uma menina de classe média perdida pelas ruas.

O Fita Floripa surgiu em 2007 para ampliar o acesso a espetáculos de teatro de boneco e animação no país e divulgar suas diferentes linguagens para o público. A idealizadora é a professora de artes cênicas Sassá Moretti, que via a necessidade de um grande festival também para que os alunos vissem de perto as inúmeras técnicas de manipulação e o trabalho minucioso de reconhecidos grupos de teatro.

Oficinas, debates e exposições – O festival ocupa praticamente todos os espaços culturais de Florianópolis: Centro de Cultura, Igrejinha, Concha Acústica e Teatro da UFSC, Udesc, Teatro da Ubro, Teatro Álvaro de Carvalho e Centro de Criatividade em Arte. Também sediam espetáculos os Jardins do Palácio Cruz e Sousa, Largo da Alfândega, Hospital Infantil e Casa de Repouso Irmãos Joaquim, além das apresentações de Criciúma e Joinville.

Durante o festival ocorre a Mesa de Conversa, com o tema A Dramaturgia do Objeto, com a participação de atores, diretores, professores e críticos. O debate visa discutir o corpo como objeto na peça Women´s, do Grupo (E)xperiência Subterrânea, e o boneco como personagem autônomo na montagem A Galinha Degolada, da Companhia de Teatro Persona.

Para a edição deste ano estão programadas três oficinas gratuitas de 20 horas cada uma: Dramaturgia criativa para títeres e objetos com Maurício Kartun (Argentina), Teatro de Sombras com Alexandre Fávero da Cia. Teatro Lumbra de Animação (Rio Grande do Sul) e Introdução ao Teatro de Animação com o Grupo Sobrevento (São Paulo). Uma oficina permanente sobre construção de bonecos com materiais recicláveis, também gratuita, será oferecida a estudantes das séries iniciais do ensino fundamental.

Outra atividade do Festival é a exposição de bonecos, com o objetivo de exibir as variantes da linguagem do teatro de animação e aproximar o público de conteúdos e materiais específicos do gênero.

O QUÊ: 4º Fita Floripa – Festival Internacional de Teatro de Animação.

QUANDO: De 20 a 27 de junho.

ONDE: UFSC, UDESC, Teatro SESC, Teatro da Ubro, Teatro Álvaro de Carvalho, Centro de Criatividade em Arte, Jardins do Palácio Cruz e Sousa, Largo da Alfândega, Hospital Infantil e Casa de Repouso Irmãos Joaquim.

Fonte: Fifo Lima – (48) 3721-7848, 4141-2116, 9146-0251

Editora da UFSC publica obra inédita de Mallarmé no Brasil

02/06/2010 13:00

Ele representa para a literatura moderna e contemporânea o que Cézanne representa para a pintura. A obra do francês Stéphane Mallarmé marcou as artes e o pensamento vanguardista do século XX, a ponto de Michel Foucault dizer que esse “pequeno professor de inglês”, nascido em 1842, iniciou a literatura propriamente dita.

´Divagações`, o livro de ensaios com a exposição mais completa e radical do seu pensamento e o único realmente organizado por Mallarmé, reúne uma preciosa coleção de textos de classificação indefinível que são um enigma de tão profundos e belos. E é essa obra emblemática e monumental, pela primeira vez traduzida para o português e publicada no Brasil graças ao desafio hercúleo de Fernando Scheibe, que a Editora da UFSC, agora sob a direção de Sérgio Medeiros, escolheu para ser o carro-chefe de sua nova política gráfica e editorial com a qual pretende alcançar um padrão de excelência nacional e internacional.

Fruto de uma pesquisa de seis anos de pós-doutoramento de Scheibe na Faculdade de Educação da Unicamp, sob a supervisão do professor Joaquim Brasil Fontes e bolsa da Fapesp, a tradução permite que se revisitem hoje as ideias e as posições estéticas de Mallarmé. Autor considerado um divisor de águas entre a literatura romântica e moderna, o poeta-inventor é, no entanto, tradicionalmente refém de alusões genéricas ou fetichizadas. Em sua apresentação, o tradutor dialoga com a apresentação do autor no original: “Publicado na França em 1897, pouco tempo antes da morte do poeta, ´Divagações` reúne textos ´em prosa´ escritos por Mallarmé ao longo de toda sua vida.

(…) Embora seja uma grande bricolagem, um grande pasearse aqui e acolá ao longo de mais de trinta anos, “as Divagações aparentes tratam um tema, de pensamento único”. Qual?”, pergunta Scheibe. E ele mesmo responde: “As possibilidades políticas da poesia.”

Na aguardada tradução do “rodopio de textos” classificado pelo apêndice de Joaquim Fontes como monstruoso, na acepção grega de maravilha, unem-se poemas em prosa que o autor chama de “Anedotas ou poemas”. Fazem parte da coletânea ainda o resumo de uma novela fantástica inglesa; divagações sobre Wagner, Baudelaire e Poe, crônicas teatrais nominadas de “Rabiscado no teatro”; as seções “Quanto ao Livro”, “O mistério das letras” e “Grandes fatos diversos”, onde coloca em prática um jornalismo que “anote os acontecimentos sob a luz própria ao sonho”. Humor, poesia, filosofia, refinamento literário, erudição e uma agudez de espírito arrebatadores marcam esse compêndio onde as orações parecem mais aforismos, ao mesmo tempo densos e leves.

Frequentemente citado como o poeta de “Um lance de dados” ou “O virgem, o vivaz e o belo hoje”, Mallarmé teve sua prosa raramente considerada, embora seja “parte fundamental da formulação do trabalho do autor, tanto por ajudar a dar-lhe sentido quanto por dar corpo e estilo singulares a seu projeto de ‘poesia crítica’”, como assinala Marcos Siscar, em outra resenha que consta do apêndice da edição. Ora usado como fetiche do experimentalismo, ora acusado de hermetismo e esteticismo sem consciência política na recepção crítica de sua obra no século XX, Divagações desautoriza essas apropriações rasas. Siscar cita Henri Meschonnic: “Reler Mallarmé, sua prosa reflexiva, é um alívio depois de tantas glosas, porque seu jorro, seu gestual, permite-nos ouvir a inteligência e esta mistura tão própria de humor e ironia”, aos quais se acrescenta “uma inteligência da sociedade e do político”.

Pensadores como Walter Benjamin, Foucault, Derrida, Deleuze reconhecidos vanguardistas que construíram obras emblemáticas a partir da transformação do legado intelectual de outros autores. “Mas Mallarmé, assim como Baudelaire, Rimbaud e Nietzsche, figuram entre os profetas, porque anunciaram um tempo sem matéria antecedente, praticamente criando sua matéria-prima”, analisa o entusiasmado editor Sérgio Medeiros, finalista do Prêmio Portugal Telecom de Literatura.

Em 12 de julho a editora vai brindar os cinéfilos com o lançamento dos Ensaios Críticos de Rogério Sganzerla, o genial cineasta catarinense, diretor de O Bandido da Luz Vermelha. O pacote-presente denominado “Edifício Rogério”, patrocinado pelo Itaú Cultural e Pró-Reitoria de Pós Graduação, que inclui dois volumes de reflexão e crítica e será lançado em São Paulo com a participação de Gilberto Gil. Mallarmé, o abre-alas dessa reformulação ética e estética foi eleito como referência fundamental por grandes artistas e críticos brasileiros a exemplo de Augusto e Haroldo de Campos e Mário Faustino e inspira a obra de pensadores como Jacques Derrida, Alain Badiou, além de Foucault e tantos outros.

O namoro com Divagações começou quando a tradução ainda estava sendo gestada pelo jovem doutorando de Literatura da UFSC, que empreendeu um desafio evitado até por grandes especialistas e herdeiros da obra de Mallarmé. “Eu disse a Fernando Scheibe que quando concluísse o livro eu o ajudaria a encontrar editor”, conta. Ao assumir a direção da Editora da UFSC junto à Secretaria de Cultura e Arte, em março deste ano, foi Scheibe o primeiro autor contatado por Medeiros para estrear um projeto editorial que inclui traduções inéditas e arranjos novos de ensaios de Jean-Luc Nancy, Linda Hutcheon, Pierre Bourdieu, León Portilla, Mario Perniola, entre outros nomes internacionais que cederam direitos autorais para a editora catarinense. Todos primam por uma qualidade de edição, capa, revisão e diagramação impecável em papel pólen e paginação vertical. Nada mais justo do que eleger como estrela-guia dessa constelação o autor de textos – ou seriam versos ao ritmo da leitura? – que encerram uma vida feita da espera pelo encantamento da palavra literária, tomada pelo esforço silencioso de construir um livro em que a linguagem se integrasse perfeitamente ao objeto e com esse propósito reinventou o próprio livro:

“Agora mesmo, em abandono de gesto, com a lassidão que causa o mau tempo desesperando uma após outra tarde, fiz recair, sem uma curiosidade, mas parece-lhe ter lido a tudo eis já vinte anos, o afilado de multicores pérolas que a chuva folheia ainda, ao reluzir das brochuras na biblioteca. Muita obra, sob os vidrilhos da cortina, alinhará sua própria cintilação: gosto como no céu maduro, contra a vidraça, de seguir luzires de tempestade.” Fragmento de “Crise do Verso”, de Stéphane Mallarmé.

Divagações – Stéphane Mallarmé

Tradução e apresentação de Fernando Scheibe

Florianópolis: Editora da UFSC/Secretaria de Cultura e Arte, 2010

270 páginas

R$ 41,00

Por Raquel Wandelli / Jornalista na SeCarte/UFSC

Contatos: 9911-0524, ou www.secarte.ufsc.br

Biblioteca Universitária inaugura autoatendimento e capacita usuários de outras instituições

02/06/2010 12:48

A Biblioteca Universitária (BU) agora apresenta um novo serviço. Com o autoatendimento, projeto que entra em funcionamento a partir da segunda, 07/06, os empréstimos e as devoluções das obras podem ser feitas pelos próprios alunos em máquinas que serão colocadas na biblioteca, sendo preciso apenas digitar os números da matrícula e da senha.

A Universidade Feral de Santa Catarina também tem destaque no uso do novo Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal do Nível Superior (Capes) do MEC – novo.periodicos.capes.gov.br. A UFSC foi considerada um modelo de capacitação nacional aos usuários do portal pela Capes, que elabora uma agenda e solicita bibliotecários da Universidade para auxiliar outras instituições brasileiras no uso do novo portal.

No mês de maio a Universidade do Pará foi auxiliada pelos funcionários da UFSC e a próxima será a Unioeste, de Cascavel. “As técnicas apuradas de nossos bibliotecários os tornam aptos para capacitar nossos usuários e outros, dos demais estados. São créditos para a Universidade”, destaca João Oscar do Espírito Santo, da Divisão de Assistência aos Usuários (DAU) da BU.

O portal, agora mais completo, faz uma busca integrada e simultânea abrangendo todas as áreas do conhecimento. Com um acervo de quase 22 mil revistas e jornais científicos do mundo, se tornou um grande auxílio aos pesquisadores. Além disso, ele contempla 130 bases de dados, seis bases de patentes e abriga 308 instituições da área de pesquisa e inovação.

Inaugurado e desenvolvido em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) há nove anos e patrimônio da Comunidade Científica, o portal Capes tem como vantagens principais a democratização do acesso à informação, a facilidade do acesso a conhecimento atualizado e a inserção internacional do conhecimento científico.

Por Natália Izidoro / Bolsista de Jornalismo na Agecom

Centro de Eventos da UFSC reunirá secretários de Educação dos três estados do Sul

02/06/2010 11:55

Os Desafios da Educação Municipal, as Diretrizes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental serão temas das palestras do I Seminário de Educação da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) Região Sul, que reunirá em Florianópolis cerca de 600 profissionais da educação dos três estados do Sul. O Evento ocorre no auditório do Centro de Eventos da UFSC, nos dias 7 e 8 de junho, e as inscrições podem ser feitas até esta quinta, 3/06.

O seminário tem como objetivo discutir os caminhos da educação pública municipal, com vistas à conquista de mais recursos e melhorias para o ensino público para a Região Sul do País.

Segundo o Presidente da Undime/SC e Secretário Municipal de Educação de Florianópolis, Rodolfo Joaquim Pinto da Luz, a realização desse Seminário representa um grande avanço para os gestores da Educação da Região Sul, já que “eventos como esse contribuem de forma significativa para a formação e qualificação de todos aqueles que estão envolvidos na reformulação da Educação Básica no Brasil”.

Mais informações: www.undime-sc.org.br, ou (48)3251-6129.

<fonte: Assessoria de Comunicação Undime/SC

Grupo de Gestão Interdisciplinar está em fase de implantação

02/06/2010 11:41

Os coordenadores dos cursos de graduação e pós-graduação que têm conteúdos e objetivos interdisciplinares se reuniram no último dia 21 de maio, sexta-feira, no Gabinete do Reitor para formar o Grupo de Gestão da Interdisciplinaridade (GGI). Eles foram convocados pelo reitor da UFSC, Alvaro Toubes Prata, a partir da solicitação do professor do Departamento de Sociologia e Ciência Política Hector Ricardo Leis, para a reunião constitutiva do grupo. O principal objetivo do GGI é desenvolver a integração entre áreas de estudo nos campos do ensino, pesquisa e extensão.

A ideia é formar um órgão autônomo para coordenar e incentivar a criação de atividades interdisciplinares desenvolvidas na UFSC. Ele pretende trabalhar em várias frentes, criando condições para melhor inserção desses cursos e programas na universidade, e promovendo atividades de integração como as Jornadas Interdisciplinares.

Estiveram na reunião os coordenadores dos cursos de Oceanografia, Relações Internacionais e de pós-graduação em Agroecossistemas, Ecologia, Educação Científica e Tecnológica, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia e Gestão e conhecimento e Saúde Coletiva. Outros nomes serão propostos pelo GGI nos próximos encontros. Os cursos e programas de vocação interdisciplinar que não forem convocados poderão solicitar a sua participação no grupo.

Héctor Leis tem produção científica no ramo da Interdisciplinaridade nas Ciências Humanas. Justifica a iniciativa citando a forma como são coordenadas as ações interdisciplinares na universidade. “Existe hoje na UFSC uma densidade de atividades de caráter interdisciplinar que trabalham de forma isolada umas das outras”, explica. Para Hector, as universidades federais foram estruturadas para abrigar apenas cursos de graduação orientados pelo mercado de trabalho. A estrutura na época giraria em torno de departamentos disciplinares. “A abertura progressiva da ciência contemporânea para questões interdisciplinares teve um impacto direto dentro das universidades. A pesquisa ganhou importância no ambiente acadêmico”, explica.

Na UFSC, isso fez com que o número de cursos e programas com essas características se multiplicasse. Mas essa mudança não foi acompanhada de uma reforma estrutural, o que gera obstáculos aos professores que querem realizar projetos em parceria com outros departamentos. Hector diz que o Grupo de Gestão Interdisciplinar não tem respostas prontas para essa reforma, mas pode contribuir criando um novo consenso acadêmico onde a interdisciplinaridade tenha um papel reconhecido.

A implantação do GGI está acontecendo por etapas. Uma parte do trabalho, voltada ao fortalecimento dos cursos e programas interdisciplinares, vai funcionar de forma mais rápida. Já o trabalho orientado à integração e criação de novas atividades deverá ter uma evolução mais lenta. A próxima reunião será no dia 25 de junho, no Gabinete do Reitor.

Por Ingrid Fagundez/bolsista de Jornalismo na Agecom

Alunos da Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC visitam aterro sanitário

02/06/2010 11:38

Na última quinta-feira, 28/06, alunos do curso de Engenharia Sanitária e Ambiental da UFSC visitaram o aterro sanitário da Proactiva, localizado em Biguaçu. A empresa, especializada em gestão integral de água e resíduos, oferece todos os anos visitas guiadas ao seu Parque de Gerenciamento de Resíduos. O objetivo é o de demonstrar o processo de destinação final do lixo da Grande Florianópolis para universitários, estudantes e comunidade em geral. As visitas são realizadas todas as quintas-feiras pela manhã, em período letivo.

Os alunos vieram acompanhados da doutoranda do curso, Iracema Maia, que ressaltou o valor da visita para o aprendizado dos graduandos. “Esse tipo de atividade é importante para os alunos entrarem em contato com a prática e entenderem como se aplica a teoria”, diz Maia.

A engenheira sanitarista e ambiental Fernanda Vanhoni, responsável por acompanhar os visitantes e mostrar os caminhos que o lixo percorre dentro do parque, afirmou que a visita abordou diversos temas vistos em sala de aula como normas técnicas para construção e operação de aterro sanitário, critérios técnicos, econômicos, sociais e ambientais relacionado às questões do lixo, diferença entre aterro sanitário, aterro controlado e lixão.

Vanhosi, que há sete anos realiza esse trabalho no aterro, diz que “as visitas cumprem um papel socioambiental que a Proactiva faz questão de manter, disponibilizando equipe técnica e espaço físico para levar um pouco de conhecimento ambiental para a sociedade”. Escolas, universidades, instituições e demais interessados em participar do projeto podem entrar em contato a empresa pelo email: comunicaçã e agendar sua visita.

Conheça mais sobre os projetos educacionais da Proactiva através do site: www.proactiva.com.br

Por Mariana Chiré // Nucom- CTC

Atividades acadêmicas podem ser suspensas em função de concurso

02/06/2010 11:04

A Administração da UFSC comunica que em decorrência dos concursos públicos que serão realizados de 7 a 19 de junho no campus de Florianópolis, as atividades acadêmicas poderão ser suspensas a critério da direção de cada Centro de Ensino.

Para os Centros que suspenderem as aulas nesse período, por decisão do Conselho Universitário (Cun), em sessão realizada 25 de maio, o calendário acadêmico poderá ser flexibilizado para a reposição das aulas.

Para saber sobre o funcionamento é necessário se comunicar com o Centro.

O maior concurso público da história da UFSC

A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) está mobilizada no maior concurso público da sua história para contratação de professores. Abrangendo 171 campos de conhecimento, a instituição oferece 209 vagas para o magistério superior, suprindo as demandas do Campus de Florianópolis e dos três campi criados no interior do Estado (Joinville, Curitibanos e Araranguá). Simultaneamente foi aberto edital complementar para o Colégio de Aplicação (35 vagas) e para o Núcleo de Desenvolvimento Infantil (sete).

Considerada no momento a principal prioridade da Universidade, o reitor Alvaro Prata e o vice-reitor Carlos Alberto Justo da Silva (Paraná) convocaram toda a equipe a se engajar e a se comprometer com a viabilização dos concursos. Para tanto, além do envolvimento dos seus setores, o pró-reitor de Desenvolvimento Humano e Social (PRHDS), Luiz Henrique Vieira Silva, e a pró-reitora de Ensino de Graduação, Yara Maria Rauh Muller, realizaram diversas reuniões com diretores de Centro, assistentes de direção e chefes de Departamento. “O objetivo foi mostrar a importância fundamental do concurso para assegurar as vagas abertas e melhorar a qualidade do ensino”, frisou Luiz Henrique.

As vagas foram autorizadas pelo Ministério da Educação em resolução publicada pelo Diário Oficial de 22 de março. Em função dos prazos exíguos impostos pela legislação eleitoral, a diretora do Departamento de Desenvolvimento e Potencialização de Pessoas (DDPP), Elza Meinert, liderou todo um processo de adaptação da resolução, que recebeu tratamento de excepcionalidade com aval do Conselho Universitário. “O esforço foi integrado e exigiu muita dedicação e responsabilidade de toda equipe”, sublinhou. Regras cumpridas e aberto em tempo hábil, a homologação ocorrerá até 2 de julho deste ano.

O pró-reitor Luiz Henrique ressaltou a participação direta do reitor, que “praticamente colocou a Instituição a serviço do concurso público”, considerado, hoje, prioridade máxima para a Administração Central. Destacou ainda o empenho da Vice-Reitoria, da PREG, dos diretores de Centro, dos chefes de Departamento e da Procuradoria Geral junto à UFSC. “Um trabalho com tal grau de complexidade só é possível com muita colaboração e cooperação”, lembrou.

Das 209 vagas, 11 são para o Campus de Araranguá, dez para Joinville e quatro para Curitibanos. As demais destinam-se ao Campus da Trindade, em Florianópolis, distribuídas nas 11 unidades de ensino, pesquisa e extensão.

Os editais podem ser conferidos nos seguintes endereços:

Edital nº 20/DDPP/2010 e a retificação no Edital nº 23/DDPP/2010.

Edital Nº 22/DDPP/2010

Telefones dos Centros de Ensino:

CCA – 3721- 5404

CCB – 3721- 9587

CCE – 3721- 9351

CCJ – 3721- 9372

CCS – 3721- 9525

CDS – 3721- 9217

CED – 3721- 9336

CFH – 3721- 9339

CFM – 3721- 9317

CSE – 3721- 9755

CTC – 3721- 9343

Por Alita Diana/ Jornalista da Agecom

Foto: Paulo Noronha/Agecom

´Vira-latas: Os verdadeiros cães de raça` acontece na próxima segunda

01/06/2010 19:37

Workshop faz parte de projeto que tem livro e documentário

Workshop faz parte de projeto que tem livro e documentário

Provocar a reflexão e instigar a criação de projetos sociais são objetivos do workshop ´Vira-latas: Os verdadeiros cães de raça` que acontece na segunda, 07/06, às 18h30, no Auditório da Reitoria. A entrada é gratuita e aberta à comunidade.

Ministrado pelo publicitário paulista Tiago Ferigoli, o workshop não trata só da problemática dos animais de rua. “Na verdade, é uma aula sobre inovação, comunicação e marketing para o Terceiro Setor, voltada a profissionais e estudantes da área”, explica.

O evento faz parte de projeto que inclui livro – com fotos de cães de rua, retratados por Tiago durante dois anos -, documentário – versão audiovisual do livro, com estreia prevista para dezembro – e website. Para o publicitário, “esses cães não podem ser vistos de forma isolada, afinal ´vira-lata` não é uma raça, e sim a condição em que eles se encontram, seja porque nasceram na rua ou porque foram abandonados”. Tiago ainda aponta, através de seu trabalho, a causa e a solução para um problema que é de todos. “O projeto ´Vira-latas` foi pensado a partir da nossa relação com os animais: o homem é o responsável pelo abandono e ao mesmo tempo o único que pode resgatá-los dessa condição”, finaliza.

Mais informações no blog Mãe de Cachorro ou pelo telefone 8405-2223.

TV UFSC exibe nova programação semanal

01/06/2010 15:48

O UFSC Entrevista inédito de quinta (3/6), às 19h30, recebe Adriana

Barotto, coordenadora clínica do Centro de Informações Toxicológicas de Santa Catarina. Ela explica sobre a importância do centro, que é o único do estado, e fala também sobre ações integradas junto à Universidade, que visam melhorar o atendimento e a prevenção de intoxicações. Às 21h, acompanhe no Primeiro Plano o vídeo “Vento

Sul”, grande reportagem dos jornalistas Caio Salles e Mellyssa Mól. Eles acompanharam um grupo de jovens praticando parapente nas cidades de Gaspar e Santo Amaro da Imperatriz. O vídeo combina informações sobre as cidades com a prática do esporte em campeonatos.

Na terça (1º/6), o Tome Ciência discute a produtividade e a qualidade do que plantamos e colocamos em nossa mesa. Para isso, fala da trajetória da agricultura no país e da história do conhecimento e da pesquisa científica nessa área. Na quarta (2/6), às 20h, seguimos com Fritz Lang na Sessão Cinema. “M., o vampiro de Düsseldorf” é o primeiro filme falado do diretor e foi rodado na época de ascensão do nazismo na Alemanha, quando o cinema alemão entrava em decadência. Conta a história da busca pelo homem que estava cometendo assassinatos em série na cidade de Düsseldorf. Para realizar a obra, Lang estudou casos policiais, técnicas modernas de investigação de crimes e chegou até a se internar num hospital psiquiátrico para documentar aspectos da psiquiatria criminal.

Você pode assistir a toda a programação da TV UFSC no canal 15 da NET.

Mais informações pelo telefone (48) 3952-1942 e no endereço www.tv.ufsc.br.

Por Marina Veshagem/Bolsista de Jornalismo na TV UFSC